Fórum dos Leitores

CORRUPÇÃO

O Estado de S.Paulo

17 Abril 2012 | 03h04

Pastelão

O sr. Rogério Tolentino, ex-advogado das agências de publicidade SMP&B e DNA e ex-sócio de Marcos Valério, apresentou no mês passado ao Supremo Tribunal Federal (STF) uma "prova nova" para se livrar da acusação de formação de quadrilha, um dos três crimes a que responde no processo do mensalão. Quer dizer, só ele tem mais dois processos para recorrer. Imaginem quantos mais estão previstos para, ordenadamente, serem apresentados no Supremo. O ministro do STF Ricardo Lewandowski há um mês já mostrava a possibilidade da prescrição do processo, agora é certeza. No Brasil tudo é possível, até o próprio réu apelar ao Supremo. Os saudosos Oscarito e Grande Otelo não fariam melhor. Está no DNA do PT. Não é por acaso que o consultor em assuntos palacianos José Dirceu acha graça desse pastelão do mensalão.

JOÃO HENRIQUE RIEDER

rieder@uol.com.br

São Paulo

Com a palavra o Judiciário

No turbilhão em que a política brasileira está mergulhada, em face das denúncias de corrupção envolvendo entes públicos e setores da iniciativa privada, um fato emerge como ponto de início de tentativa de saneamento da gestão pública: o julgamento pelo STF do chamado mensalão. Tal decisão, que assusta situação e oposição, pode ser um catalisador que levará ao início de correção de grande parte dos desvios éticos que tanto maculam a vida pública nacional. Com a palavra o Judiciário brasileiro.

JOSÉ DE ANCHIETA N. DE ALMEIDA

josedalmeida@globo.com

Rio de Janeiro

Julgamento

O mensalão é um símbolo da corrupção no Brasil, uma das poucas denúncias que o brasileiro parece haver entendido na sua essência e significação. O STF tem todas as condições e o dever histórico de mudar a vergonhosa política deste país, julgando, com transparência e objetividade, todos os envolvidos. Uma eventual pizza ou prescrição (15/4, A11) enterrará de vez o tão prometido e nunca realizado país do futuro...

GILBERTO DIB

gilberto@dib.com.br

São Paulo

CPI x mensalão

Alguns membros do PT tentam, de forma bastante maliciosa, confundir a plateia. O que tem que ver a ligação Demóstenes Torres-Carlos Cachoeira com o mensalão? Quem denunciou o escândalo foi Roberto Jefferson, cujas acusações foram enfaticamente acatadas pelo ex-procurador-geral da República Antonio Fernando de Souza. Querer disseminar a ideia de que o mensalão foi uma farsa é uma farsa. Um caso é atribuição do Legislativo e o outro está no âmbito do Judiciário. O que a sociedade brasileira deve fazer, isso sim, é cobrar firmemente dos ministros do STF que os envolvidos em práticas mensaleiras sejam julgados no primeiro semestre deste ano.

LEÃO MACHADO NETO

lneto@uol.com.br

São Paulo

Benefício

O senador Demóstenes Torres está beneficiado pela "súmula vinculante" do mensalão. Ninguém foi julgado, ele também não o será. Viva a corrupção!

JULIO CARVALHO SÁ

juliomcarvalhosa@hotmail.com

Rio de Janeiro

MORDAÇA

'Habeas mídia'

O recém-empossado presidente do TRF3 quer um "habeas mídia" para calar a imprensa e trazer de volta a censura, no lugar de buscar corrigir as imensas falhas do Judiciário, que vem extrapolando de seus direitos, com desvios de conduta, causando escândalo. Daí fica mais fácil impedir a imprensa e ameaçá-la. Parabéns! Nem bem começou e já está malquisto pela sociedade. Ah, o magistrado deve apresentar a lista dos "bandoleiros de plantão", caso contrário estará lançando acusações sobre todos os profissionais da mídia.

PEDRO EDUARDO FORTES

pec.fortes@uol.com.br

São Paulo

Só no Brasil!

Inventaram mais uma: agora censura virou "habeas mídia"!

RICARDO MARIN

s1estudio@ig.com.br

Osasco

Bandoleiros de plantão

Quase 800 anos depois, vem aí outro "habeas"?" Por acaso os "bandoleiros de plantão" a que se refere o presidente do TRF3 são os que, seja via "jornalismo trapeiro" ou "niquices", agridem os "bandidos de toga", tornando "necessário" um "habeas mídia"...

ALEXANDRU SOLOMON

alex101243@gmail.com

São Paulo

De trapeiros

Se há "jornalismo trapeiro", há juízes idem. Se o jornalismo merece condenação, juízes também. Mais ainda quando estão contra a Constituição e o Estado de Direito. Estar contra a imprensa é estar contra a cidadania e o direito à informação, garantido pela Carta. Não foi a imprensa que apontou os "bandidos de toga", e sim a ilibada dra. Eliana Calmon, do CNJ.

ALBERTO NUNES

albertonunes77@hotmail.com

Itapevi

Declarações ininteligíveis

Lembrando ao presidente do TRF3 a existência da Constituição do Brasil e do Código Penal, sugiro que procure se expressar de forma mais clara para a população. Assim, evita perda de tempo com notas explicativas obscuras sobre declarações ininteligíveis.

SERGIO SARAIVA RIDEL

sergiosridel@ig.com.br

São Paulo

MINISTÉRIO PÚBLICO

Esclarecimento

Na edição do Estado de 13/4 foi publicada matéria com a manchete Promotores pressionam por benefícios (A10), em cujo corpo foi dito que "... Barra fez campanha para Locke e a ele declarou seu voto no disputado pleito do Ministério Público". Do que foi publicado, nego a afirmativa acima transcrita. Em nenhum momento da disputa pelo cargo de procurador-geral de Justiça do Estado de São Paulo participei da campanha e muito menos declarei voto a qualquer candidato, eis que os três concorrentes, ilustres e competentes procuradores de Justiça, são associados da Associação Paulista do Ministério Público, entidade que presido.

WASHINGTON EPAMINONDAS MEDEIROS BARRA, presidente

wbarra@apmp.com.br

São Paulo

 

 

 

 

 

 

 

 

 Cartas selecionadas para o Fórum dos Leitores do portal estadão.com.br

MENSALEIROS EM PERIGO

A quadrilha que assaltou o Brasil está apavorada. A cada dia que passa a pressão aumenta sobre o Supremo Tribunal Federal (STF) e sobre os governistas petistas, que tentam de qualquer maneira desviar a atenção e apagar o estrago feito na seara brasileira. Até o ex-ministro Márcio Thomaz Bastos está pondo toda a sua prática, seu prestígio e conhecimento jurídico em favor da tentativa de desqualificar o rombo feito pelos mensaleiros durante o governo Lula. São flagrantes de várias espécies, até grande quantidade de dinheiro na cueca com direito a transmissão feita ao vivo pela TV. Essa é uma encruzilhada terrível e sem indicação do caminho a seguir na tentativa de defesa dos meliantes... O Poder Judiciário, mesmo tendo a maior boa vontade em defendê-los, não poderá jogar todo o prestigio da Justiça em defesa de quem quer que seja, salvo melhor juízo. Protelar essa ação visando a alcançar intencionalmente a prescrição não será aceito pelo bom senso e muito menos por um mundo civilizado e justo.

Benone Augusto de Paiva benone2006@bol.com.br

São Paulo

*

CONTRA A PRESCRIÇÃO

 

Como sabem, o processo do mensalão deverá ser analisado pelo Supremo (STF) em maio ou junho deste ano. Estamos encaminhando um abaixo-assinado ao STF após a adesão de muitas milhares de brasileiros, para que os ministros julguem o quanto antes os envolvidos no escândalo do mensalão, antes da prescrição de seus crimes! Porque a corrupção existe em todo o mundo, mas aqui, no Brasil, ela não é punida se o criminoso é um "figurão" da política ou "amigo" de algum "Cachoeira" por aí...

 

Maria de Nazaré Braga Carneiro mnbcarneiro@gmail.com

Peruíbe

*

FIO DE ESPERANÇA

Oportuna esta entrevista concedida pelo futuro presidente do STF, Carlos Ayres de Brito, ao Estadão, sobre o julgamento do mensalão. O magistrado afirmando que quer terminar esse processo até 6 de julho de 2012, dá a sociedade brasileira um fio de esperança de que antes mesmo das eleições deste ano poderemos conhecer o destino desta quadrilha, na maioria composta por petistas, que afanaram sem piedade o erário.  E é bom que se diga que tudo ocorreu complacentemente sob as barbas de Lula... Espero que Ayres de Brito, que terá uma breve passagem como presidente do STF (se aposenta em novembro), e com a ajuda de seus pares na Corte, encerre sua vida de magistrado em alto nível, sendo implacável com os gatunos do mensalão! E este evento se bem conduzido será um divisor de águas para que num futuro próximo a ética realmente venha imperar dentro das nossas instituições...

Paulo Panossian paulopanossian@hotmail.com

São Carlos

*

MENSALÃO

 

Os mensaleiros, ao invés de se submeterem a julgamento, serão “absolvidos” por decurso de prazo. Sua excelência, Carlos Ayres de Brito, antes mesmo de tomar posse na presidência do STF, sinalizou que o julgamento não deve acontecer em paralelo com as eleições de 2012. Lembro que tudo começou em 2005, mas a burocracia e o STF, alheios ao anseio popular, como se advogados fossem dos réus, emperram e adiam o julgamento para um dia que nunca vai acontecer... “A justiça tarda, mas não falha”. Será? No Brasil não funciona.

Humberto Schuwartz Soares hs-soares@uol.com.br

Vila Velha (ES)

*

AFRONTA

Saiba quem diz: "É preciso ser breve para julgar; mensalão pode prescrever", palavras do presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Ayres Britto. Que afronta. Deve estar "gozando" do povo brasileiro. O mensalão ocorreu em 2005 e a denúncia recebida em 2007, se não for julgado até o dia seis do mês sete, pode prescrever, depois de sete anos, então pra que serve o STF? Os "modestos" salários e "mordomias" que recebem estão em atraso? Com certeza todos os intere$$e$ foram atendidos mas o prestígio do Judiciário continua em baixa.

Luiz Dias lfd.silva@bol.com.br

São Paulo

*

CATASTRÓFICO

A impressão que os meios de comunicação tem nos deixado nesses últimos dias é catastrófica. Parece-nos que um grupo formado por deputados, senadores, ministros e empresários se uniram para dar continuidade à tudo aquilo que é  ilícito para o país. Se, atentarmos para os ultimo acontecimentos, todos nós, chegaremos a conclusão que o objetivo único do grupo é melar a CPI do mensalão, que está prestes a ser julgada pelo Supremo Tribunal Federal (STF). Nós brasileiros, não vamos nos esquecer jamais dessa turma que está envolvida com o mensalão e muito menos daqueles que os  defendem desde  o ano de 2005. Queremos lembrar que o povo acredita sim, que os envolvidos no processo do mensalão não estão lá por acaso. O que realmente não entendemos é o Genoíno e o João Paulo Cunha fazendo parte do governo. Não usamos antolhos, estamos acordados para ver o STF passar o Brasil a limpo.

 

Leônidas Marques leo_vr@terra.com.br

Volta Redonda (RJ)

*

RUA!

Quando entrevistado pelo repórter da revista Veja sobre quando entregará seu parecer sobre o julgamento do mensalão, o ministro Ricardo Lewandowski saiu com esta perola: "Essa pergunta vale US$ 1 milhão.” Se ele quis fazer gracinha com algo tão sério não sabemos, mas com essa resposta esdrúxula, eu, como brasileira e pagadora de altíssimos impostos, daria ao ministro uma resposta a altura: Está demitido! Vá dizer abobrinha em outra freguesia! Isso não é resposta digna que um ministro do STF deve a população que lhe paga o salário. Se o Brasil fosse um país sério, ele estaria sumariamente na rua e com autorização do povo!

Beatriz Campos beatriz.campos@uol.com.br

São Paulo

*

JUDAS

Dr. Ricardo Lewandowski, o senhor mostrou toda a sua religiosidade no julgamento da interrupção da gravidez de feto sem cérebro, não se torne o Judas do Brasil ao segurar o julgamento do mensalão.

Alvarez Aguiar alvarez.atib@hotmail.com

São Paulo

*

NÃO OUSEM, MINISTROS!

O processo do mensalão encontra-se no STF há sete anos e nas mãos do ministro Lewandowski, há cinco. É impensável que não tenha sido tempo suficiente para o andamento do caso. Há a impressão de que alguns ministros, afinados com o poder atual, desejam deixar prescrever o processo. O tempo está se esvaindo e o início do julgamento depende, exclusivamente, do término do trabalho do mencionado juiz. O julgamento não significa apenas um caso contra eventuais malfeitos, mas, a demonstração de que a justiça “ainda existe” no país, já que inúmeras demonstrações em contrários têm sido divulgadas em tempos recentes. O povo brasileiro claramente vê favorecimentos e impunidades como uma justiça somente para alguns. Certos cidadãos têm privilégios e impunidades que os demais não têm. É clareza sobre isso que o povo espera da justiça. Será um grave e perigoso desserviço à sociedade se esse julgamento não ocorrer ou for perturbado por favorecimentos a réus. Não ousem, senhores ministros, não haverá perdão para vossas excelências.

Fabio Figueiredo fafig3@terra.com.br

São Paulo

*

DEVAGAR-QUASE PARANDO

Lendo notícias sobre o julgamento do mensalão, muito entristece perceber que as coisas estão andando devagar-quase parando e que tudo está nas mãos de um único ministro, o sr. Lewandowski: assim que ele concluir seu trabalho de revisor, o julgamento será marcado. Fica difícil não julgar mal os ministros da nossa mais alta corte quando constatamos que as vias de decisões adotadas passam a ser políticas, portanto, desonestas, e não vias de Justiça pura e simples, como deveria ser. Por que tanta demora, sr. Lewandowski? Nós, brasileiros, estamos tão decepcionados com “tudo que está aí”, essa podridão que não para, que se dissemina com rapidez, que corrói tudo, que destroça as relações de confiança, que arrasa com nossas instituições democráticas, simplesmente porque a Justiça não se faz! Simplesmente porque ninguém é punido! Simplesmente porque as “atrocidades” todas contra a sociedade são perdoadas ou ignoradas por aqueles que deveriam fazer valer a verdade, a honestidade, os bons costumes, a Justiça bela e o bem! Sim, cabe ao Judiciário realizar a Justiça que porá o Brasil nos trilhos da ética! Assim, neste momento em que a sociedade espera pelo julgamento do mensalão com avidez, resta-nos cobrar: Avante, srs. ministros do STF!

Myrian Macedo myrian.macedo@uol.com.br

São Paulo

*

COMPROMETIDOS COM A BANDALHA

Todos alertam para o risco de o processo do mensalão prescrever, mas o importante é efetivamente o STF agir e fazer com que o julgamento seja efetuado antes disso, pois, se prescrever, vai ficar mais do que claro que a legitimidade do STF já era e que todos, sem exceção, estarão mostrando um comprometimento com a bandalha e a corrupção, algo que o surdo e cego Lula sempre tentou mostrar. A hora é agora e todos que gostam do País devem se pronunciar para a peteca da vergonha na cara e o poder do PT antigo ético na política seja atacado, pois não queremos nenhuma Venezuela aqui. Até a voz do grilo falante está falhando.

Kaled Baruche kbaruche@bol.com.br

Belo Horizonte

*

O PT E O KNOW HOW

Neste mundo dito redondo e onde as modas voltam a cada período, podemos, sim, dizer que nada se cria, mas tudo se copia, tanto para o bem como para o mal. O mensalão é uma prova eloquente disso. O Maquiavélico Zé Dirceu lembra o Ali Babá e os outros não preciso dizer. Com o know how de tanto mexer na seara dos outros e procurar chifre em cabeça de porco, o PT se tornou master e doutor em trambiques, pois usava até procuradores da Justiça para levantarem podres dos outros partidos e CPI era sempre a palavra de ordem. Agora no poder usa a tática do Maluf um hour concour em trambiques. Falar e repetir a mentira para até os surdos acreditarem que é verdade, ou seja  façam o que o PT diz, mas nunca o que eles fizeram, que é meter a mão descaradamente no dinheiro público.

Asdrubal Gobenati asdrubal.gobenati@bol.com.br

Rio de Janeiro

*

NUMEROLOGIA

O leitor Carlos Roberto Gomes Fernandes, de Ourinhos, no Fórum dos Leitores de domingo (15/4), pergunta: "Pela numerologia da corrupção, se Agnelo Queiroz é o 01, qual será o número do ‘cara’, o pai do mensalão?". Atrevo-me a pensar que, tal qual James Bond, deve ser 001; o que tem permissão para matar! Que o digam Celso Daniel e o Toninho do PT, respectivamente ex-prefeitos de Santo André e de Campinas, mortos em sequestros e assaltos até hoje não esclarecidos, ou melhor, bem ocultados.

 

Claudio Juchem cjuchem@gmail.com

São Paulo

*

SUGESTÃO

Em resposta ao leitor Carlos Roberto Gomes Fernandes que pergunta, "se Agnelo Queiroz é o 01, qual seria o número do "cara", o pai do mensalão", eu sugiro o numero 86, em homenagem ao Agente 86, famosa série de televisão.

 

Mohamed Abdalla Kilsan kilsanabdalla@terra.com.br

São Paulo

*

TRABUCO

“Só se me abaterem fisicamente" prá bom entendedor significa "eu não sou o novo Celso Daniel". Resta saber prá quem é o recado...

 

A.Fernandes standyball@hotmail.com

São Paulo

*

PLANOS ECONÔMICOS

Mais uma vez, meio na surdina, o STF adiou o julgamento dos planos econômicos, previsto para 12/4, alegando falta de tempo e com as desculpas de sempre. Como se sabe os bancos já foram condenados nas primeiras instancias e desde 2010 os processos dormem nas prateleiras do STF, que inclusive já definiu no ano passado as correções a serem aplicadas. A alegação da Federação Brasileira de Bancos (Febraban) de que as instituições financeiras não tiveram ganhos é puro sofisma, pois a questão se resume simplesmente em aplicar os índices corretos como já fizeram os juízes e desembargadores em primeiras instâncias e cujas decisões parecem não ter o notório saber jurídico dos ministros. A coisa é simples, falta vontade, comprometimento e coragem, como vem ocorrendo com o mensalão, cuja definição pode envolver figuras “não iguais ao cidadão comum”.

Carlos Alberto R. Lima carlima69@gmail.com

São Paulo

*

DISTRITO FEDE(RAL)

Acusações e suspeitas rondam o planalto central: Carlos Cachoeira, Agnelo Queiroz, Fernando Cavendish (Delta Construções), sargento Dadá, Ideli Salvatti... Tudo nas fuças do governo! Ou o Brasil acaba com os ratos ou eles acabam com o País. Brasília, Distrito Fede(ral).

 

J. S. Decol decoljs@globo.com

São Paulo

*

CPI DO CACHOEIRA

Com os senadores Renan Calheiros e Collor de Mello escalados para a CPI do Cachoeira, Maluf só ficou de fora por não ser senador. 'Background' era o que não faltava.  

Conrado de Paulo conrado.paulo@uol.com.br

Bragança Paulista

*

COM MUITA SIMPLICIDADE

Em se tratando da CPI do Cachoeira e Cia., a verdade é que afinaram ambos os lados pois interessa à ambos os lados não acontecer essa tal CPI. Só isso e mais nada. Simples e direto assim.

 

José Piacsek Neto bubapiacsek@yahoo.com.br

Avanhandava

*

CORTINA DE FUMAÇA

A revista Veja, em sua edição 2.265, de 18 do corrente mês de abril, às páginas 78/79/80/81/82/83/84/85, narra a verdadeira história do famigerado mensalão e de todos os nele envolvidos, desde sua origem, constituindo o maior escândalo de corrupção na política brasileira, envolvendo dezenas de petistas do mais alto escalão  (40 mensaleiros), escândalo este transformado em processo judicial, aguardando julgamento no STF desde agosto de 2007, quando foi aceita a denúncia pelo ministro Joaquim Barbosa, e ora em fase de próximo julgamento. Com a devolução do processo ao tribunal pelo ministro Ricardo Lewandowski, que havia pedido  vista do mesmo em plenário. Este, naturalmente em tom de brincadeira, ao ser perguntado sobre quando apresentará seu relatório, última fase do processo para julgamento, respondeu com  sorriso: “Essa pergunta vale US$ 1 milhão"!, estimando o valor político da decisão judicial. Mas há um contudo neste imbróglio: o PT, para embaralhar por interesses escusos a CPI mista (Câmara e Senado) criada para apurar as bandalheiras do senador Demóstenes Torres (DEM), envolvido na operação criminosa de Carlinhos Cachoeira, e para salvar o mencionado mensalão e seus comparsas, repito, o PT (como comenta a revista Veja) lançou uma cortina de fumaça para encobrir estes desmandos, com a aprovação do presidente da Câmara dos Deputados, Marco Maia, e com a orientação do ex-presidente Lula denunciando que todos os partidos praticam as mesmas corrupções e os mesmos "pecados", nivelando-os, assim, para confundir os julgadores do STF. O mais vergonhoso deste caso, pasmem: o relator da mencionada CPI mista é um deputado do PT. Mutatis mutandis, diz o brocardo jurídico – iniquum est aliquem suae rei iudicem fieri (é  injusto que alguém se constitua juiz de coisa sua). A cachoeira secou.

Antonio Brandileone abrandileone@uol.com.br

Assis

*

‘PATRASMENTE’

Acho muito bom mesmo o ex-presidente Lula acatar os conselhos da presidente Dilma. A final de contas, cautela e caldo de galinha não fazem mal a ninguém.  Já estão mexendo com o Zé Dirceu e até que se prove o contrário, foi o grande idealizador do mensalão e trabalhou na soleira da porta do gabinete presidencial. “Portanto, barbas de molho, pois o bicheiro Carlinhos Cachoeira já está atuando no “mercado” há muito tempo e pode muito bem aparecer uma daquelas gravações, com voz de pato, denunciando, como diria Odorico Paraguaçu em o Bem Amado, “os patrasmente” do governo”. Aí a coisa vai ficar bonita.

Sérgio Dafré Sergio_dafre@hotmail.com

Jundiaí

*

JOÃO UBALDO RIBEIRO

Vamos e venhamos outra vez (domingo, 15 de abril de 2012, Caderno 2, D7), João Ubaldo, sempre brilhante em seus comentários e análises, desta vez se superou ao radiografar o Brasil como ele é. O trecho que trata sobre partidos e políticos é de uma verdade nunca antes dita com todas as letras: os partidos políticos são bandos, quadrilhas rapineiras, "político" é hoje quase sinônimo de ladrão. Triste realidade a nossa. E todos somos culpados, por não reagir a essa bandalheira, por agir da mesma forma quando é dada uma oportunidade, por achar tudo isso normal.

Jane Araújo janemaria.araujo@gmail.com

Brasília

*

O MINISTÉRIO DA SAÚDE ADVERTE

É bom que Lula, agora liberado pela sua junta médica, esteja voltando as atividades,  em especial contra seus ex-opositores  a favor da instalação  da CPI que irá apurar a ligação do contraventor Carlinhos Cachoeira  com seu desafeto político Demóstenes Torres. Esse clima de desforra agora em curso, represado por meses de inatividade política, ira ajudar a esclarecer Lula e a toda sociedade brasileira,  o tamanho e o alcance de muitos ilícitos desde 2002 até 2012, em uma década de sangrias dos cofres públicos, inaugurada com o caso Waldomiro Dinis, ministro de Lula  flagrado em 2002 recebendo propina do mesmo contraventor que faz  parte do jogo em que o senador Demóstenes esta envolvido hoje. Essa colaboração do ex-presidente  ainda ajudará de lambuja a esclarecer o caso  mensalão,  que hoje consta ate em alguns dicionário como (gíria) pagamento feito a parlamentares com o objetivo de apoiar o governo. Não há como sua existência, nem mesmo com toda pressão que o  ex-presidente e seu partido exercerão  sobre a mais alta corte do País para não julgarem um processo que envolve o maior esquema de desvio de dinheiro público já visto, portanto de interesse da Nação. Felizmente hoje existem mais ministros que tomam suas decisões baseados no equilíbrio e na  razão do que na nomeação. Esse tiro pode sair pela culatra além de ser prejudicial a saúde. Será que os médicos que cuidaram de Lula no hospital Sírio-Libanês não o advertiram sobre a perigosa ligação que o câncer tem com o stress e  desgosto?

Amâncio Lobo Amancio lobo@uol.com.br                                                 

São  Paulo

*

ELE VOLTOU

    

Não há como negar, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva é de fato e de direito um ícone para os brasileiros. Apesar de estar visivelmente debilitado, Lula arrebatou a multidão que se aglomerava no centro da cidade para esperá-lo para a inauguração do centro educacional unificado (CEU) da Vila São Pedro em São Bernardo. Sempre com um sorriso, o petista deixou-se fotografar e retribuiu aos acenos da população. Pessoas que estavam próximas buscavam de todas as formas tocá-lo. Carismático e de jeito simples as pessoas vêm no ex-presidente um símbolo de luta e perseverança, desde a época de sindicalismo e trabalhador de chão de fábrica, até a batalha contra o câncer. Sua liderança é incontestável, mesmo perante aos seus opositores políticos. Prova disso foi ter reunido no mesmo palanque – a senadora Marta Suplicy e o pré-candidato à Prefeitura de São Paulo, "o impopular" Fernando Haddad, cuja relação com a senadora estava estremecida desde que a petista foi obrigada a deixar a disputa pelo executivo da capital, cedendo para Haddad a vaga a pedido de Lula e da presidente Dilma Rousseff. O ex-presidente avisou que está de volta. Mesmo visivelmente fazendo esforço para discursar com a voz rouca, intercalando com pausa e um gole de água, o petista, que deixou o cargo, e não o ímpeto de fazer política, afirmou que em 15 dias estará ajudando o PT a continuar crescendo e elegendo companheiras e companheiros. Quanto ao  seu candidato predileto Fernando Haddad, esse nem com ajuda divina vai decolar! É Serra no primeiro turno!  

 

Turíbio Liberatto Gasparetto turibioliberatto@hotmail.com

São Caetano do Sul

*

CARA DE PAU

É impressionante a cara de pau de certos políticos. A Dona Marta Suplicy negou Haddad aos quatro ventos nos últimos meses. Agora, trepada num palanque eleitoreiro, junto com seu mestre, Lula,  quase disse que Haddad  é o candidato dos seus sonhos para prefeito de São Paulo. Vai ser sem personalidade assim lá em Brasília, Marta!

José Marques seuqram.esoj@bol.com.br

São Paulo

*

POLITICAGEM

A falsidade no meio político em especial no "PT" chefiado pelo cacique Lula é algo enojante, asqueroso e de um cinismo inimaginável. Como vimos na foto em que, após ter falado tudo o que falou quanto à candidatura do Fernando Haddad a prefeito em São Paulo, Marta Suplicy subiu ao palanque a seu lado tendo ao fundo Lula e Marisa. Onde vemos a Marta cochichando ao Haddad algo que o fez rir. Deve ter sido algo mais ou menos neste sentido: Vamos em frente que esses "otários" (eleitores) aceitam e acreditam em tudo!

 

Angelo Tonelli angelotonelli@yahoo.com.br

São Paulo

*

TIRO NO PÉ

A nossa presidente Dilma, está indignada com altas taxas de juros praticados pelos bancos, mas se esquece que os bancos fizeram as maiores contribuições as campanhas eleitorais (PT, PSDB e etc). Será que um dia vai aparecer no congresso um deputado com saco roxo, para acabar com as contribuições empresariais?!

Maria José da Fonseca fonsecamj@ig.com.br

São Paulo

*

QUE ESTRAGO!

O Cachoeira está causando grandes estragos. Até o tetrapresidente do Senado, José Sarney, está internado em São Paulo, no Hospital Sírio-Libanês, já fez o cateterismo e angioplastia com  a colocação de stent, ficando na UTI. Quem pode, pode, coitadinho... Se utilizasse o Sistema Único de Saúde (SUS) já não seria o "imortal". Mas o povo brasileiro não tem outra alternativa: só o SUS(TO) e muita ajuda divina.

 

Maria Teresa Amaral mteresa0409@estadao.com.br

São Paulo

*

SARNEY INTERNADO

Sarney está internado no Sírio-Libanês. Curioso que esses políticos roubam tanto para seus Estados, mas nunca têm um hospital de ponta para se tratar ou tratar seus conterrâneos e, na hora do voto, a população age como cega. Como faz falta uma educação de qualidade! Enquanto isso, São Paulo gasta seus leitos e recursos hospedando os políticos picaretas, deixando sua população à deriva.  

Izabel Avallone izabelavallone@gmail.com

São Paulo

*

AO POVO O QUE É DO POVO

Sarney internado no Sírio-Libanês. Isso é uma constante entre os nossos políticos, sejam de que partidos forem e, claro, todo o tratamento pago pelos otários pagadores de impostos. Um cara desses, que é censor de jornais e dono do Maranhão, deveria ir se tratar na terra dele. Será que existe pelo menos UM hospital para o povão ser tratado? O SUS precisa urgentemente fazer convênio com o Sírio e o Einstein, pois o povo merece ser tratado com dignidade, não só os políticos corruptos e enganadores. Ao povo o que é do povo.

Anibal Vilari anibalvilari@bol.com.br

São Paulo

*

IRRESPONSABILIDADE?

 

Leio e ouço que o presidente do Senado e do Congresso Nacional, o José “Sirney”, internou-se no Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo, para submeter-se a um procedimento cirúrgico de grande risco. Considero a sua atitude de suma gravidade, ou mesmo de irresponsabilidade de quem o trouxe para São Paulo, quando o normal e muito mais seguro seria tê-lo levado para se tratar na rede hospitalar de seu Estado natal, o Maranhão, dado que São Luiz possui hoje os mais modernos e equipados hospitais do país, além de contar com excelentes médicos, notadamente na área cardiológica, graças às excepcionais administrações   públicas que tem tido nos últimos 50 anos, onde ele próprio já  foi governador e sua filha é a atual mandatária do Estado. O risco de vida que corre em São Paulo, é evidente. Muito mais seguro teria sido ter ido para São Luiz, onde ficaria cercado da sua família e dos seus amigos e correligionários, e a segurança pessoal seria muito mais tranquila e eficiente.

 

Luiz Gonzaga Medeiros lgonzagamedeiros@uol.com.br

São Paulo

*

NEM COM REZA BRAVA

O coronel Sarney está de novo em São Paulo, aliás, só vem aqui para cuidar, e muito bem, da sua saúde, pois sabe que São Paulo é um centro de excelência em  medicina, e como estava com dores no peito,e mesmo com idade avançada correu para cá e internou-se no Sírio-Libanês. Nem fazendo reza brava ou mandinga o diabo o quer por lá.  Dona Marli, esposa de Sarney, caiu em sua casa em São Luis, há uns três anos atrás, e  quebrou  o ombro, ir para um hospital particular em São Luis nem pensar, muito menos ir para Brasília, veio  direto para cá. Enquanto isso, o povo do Estado do Maranhão que se dane, caso quebre um braço ou perna. Dá para imaginar como deve ser o atendimento  nos hospitais em São Luis, que é a capital, imagine nos outros municípios, caso a população precise fazer exames (como Sarney está se submetendo aqui, no hospital  Sírio-Libanês), certamente  morrerá. Nesses 40 anos ou mais em que Sarney, dono daquela capitania hereditária, nada fez para melhorar a situação da saúde em seu  Maranhão, já que seu Estado tem o pior IDH do Brasil (é uma medida  estatística que leva em conta três dados principais: riqueza, educação e expectativa de vida.) Sua filhinha Roseane é novamente a governadora do Estado (que também corre e correu para cá quando teve sérios problemas de saúde) e o que ela fez ou faz (além de ter sido apanhada em 2002, quando era governadora, com R$ 1,3 milhão na sede da empresa Lunus, acabando com sua intenção de  candidatar-se à Presidência da República) pela saúde? Nem falo da educação, do saneamento básico, das moradias, dos transportes, etc... Para o clã Sarney, pouco importa como anda a saúde pública no Maranhão, pois eles têm garantido tratamento nos melhores hospitais do País, e tudo custeado pelo meu, o seu, pelo nosso dinheiro.

Agnes Eckermann agneseck@yahoo.com.br

Porto Feliz

*

TRADUÇÃO IMPRECISA

Em artigo publicado na página A17 de 15/4, Paulo Sotero afirma que Dilma Rousseff não apenas entende inglês, como também corrige seu intérprete quando ele deixa de transmitir exatamente o que ela diz. De duas uma, ou o intérprete não corresponde à notória excelência desse gênero de profissionais, caso em que deve ser substituído, ou fica confuso com a conhecida dificuldade da presidente em expor claramente suas ideias.

Flávio José Rodrigues de Aguiar flavio.daguiar@gmail.com

Resende (RJ)

*

OBAMA E DILMA

Bonita foto (7/4), Dona Dilma de saia acima dos joelhos e pernas abertas. Ainda querem o quê?

 

Celia Henriques Guercio Rodrigues cra61@iqsc.usp.br

Avaré

*

A DIPLOMACIA DA CACHAÇA

Mais uma vez falhou a diplomacia brasileira na visita da presidente Dilma nos EUA. Esperamos tanto tempo para negociarmos com o pais mais poderoso do mundo, mesmo com as dificuldades que passa hoje em sua economia, eles são grandes e robustos em ensino universitário, pesquisas, anualmente produzem 70% dos Prêmios Nobel em vários segmentos a cada ano que passa. Mas a nossa diplomacia tupiniquim falhou, levamos  pouca coisa e não trouxemos nada de positivo a não ser o reconhecimento pelos EUA, de nossa cachaça como produto brasileiro, mas tivemos que reconhecer o do bourbon deles como produto americano, e o presidente Obama disse que tem apreço por uma vaga na ONU para o Brasil, só apreço, assento não. Perdemos a grande oportunidade de negociarmos os investimentos em energias eólicas e solar que eles estão praticando lá, aqui o governo federal quer barragear todos os rios para energia elétrica e passivo ambiental de perpetualidade como Belo Monte, e a liberação de bilhões para as empreiteiras via BNDES. Nossa presidente, em lugar disso, procurou defender Cuba na Cúpula das Américas que ocorreu no fim de semana, nem recebeu respostas de Obama, e o que foi pior recebemos um cancelamento do governo americano dos 20 aviões tucano  que seriam produzidos pela Embraer para uso na Guerra do Afeganistão. O presidente Obama pediu e recebeu o sinal ver para a abertura de 2 consulados americanos,  um em Porto Alegre e outro em Belo Horizonte, pois com isso os brasileiros levarão mais divisas para os americanos. Com tristeza pelo pensamento de que “O Brasileiro é bonzinho mesmo”. Com a palavra, os donos do poder e a diplomacia da cachaça.

Jose Pedro Naisser jpnaisser@brturbo.com.br

Curitiba

*

MIT MENTIROSO

O Massachussets Institute of Thechnology (MIT) dos EUA desmentiu esse papagaio de pirata. Aloizio Mercadante, ministro da Educação, que afirmou que haveria uma escola do MIT no Brasil. “O MIT não abre escola no exterior”. Sai um incompetente e entra um enganador... Isso é o PT!

Edward Brunieri patricia@epimaster.com.br

São Paulo

*

PARTICIPAÇÃO NOS LUCROS E RESULTADOS

A participação nos lucros e resultados por parte dos empregados é uma prática que pode contribuir de forma importante para a sustentabilidade e desenvolvimento da empresa. Ao mesmo tempo abrem uma perspectiva de maiores ganhos para os empregados, mesmo que lhes sejam exigidos esforços mais qualificados. É usual no mercado capitalista mundial. No Brasil a opção é disciplinada pela Lei 10.101 de 2000 e que em seu artigo segundo determina que será objeto de negociação entre a empresa e seus empregados mediante procedimentos escolhidos de comum acordo. Com tal cobertura os seus valores deixam de sofrer os encargos de Previdência, FGTS e de incorporar-se a qualquer outro cálculo de férias, décimo terceiro, aviso prévio, indenização, etc. Na vida real os empresários brasileiros decorridos 10 anos da Lei não aderiram com a abrangência que seria de se esperar. Várias são as razões da resistência. A principal é a desconfiança na manutenção da variabilidade das verbas. Por exemplo no caso de prejuízo a empresa pode ser obrigada a adiantar os lucros dos anos seguintes sob os mais diversos entendimentos. Outro procedimento muito repetitivo é que os empregados não concordam com a parcela atribuída e chegam a fazer greve para alterá-la. Também não existe confiança nas ações de direção dos sindicatos dos trabalhadores, já que ela depende dos votos dos associados para se reeleger. Um caminho seria tentar fazer o acordo com os empregados, fora da convenção coletiva sem a participação dos Sindicatos. Mas não é possível porque mesmo que faça o acordo com uma comissão escolhida pelas partes, deverá contar com um representante indicado pelo sindicato da respectiva categoria. Parece-me que a Lei ainda considera que os empregados são uns tolos. Sou de parecer que se deva simplificar a legislação para abrir, discutir e acordar os termos de participação dos empregados, mesmo com grande esforço de todos os interessados.

Hélio Mazzolli mazzolli@terra.com.br

Criciúma (SC)

*

ABORTO  DE  ANENCÉFALO

O Supremo Tribunal Federal descriminalizou o aborto de fetos anencéfalos. Quando estudante do terceiro ano da Faculdade de Direito da PUC de Campinas, apresentei em nossa Semana Jurídica a tese “Do Aborto Legal”, sustentando, no saudoso idealismo da juventude, que o artigo 128 do Código Penal – que diz “não se pude o aborto praticado por médico... se não há outro meio de salvar a vida da gestante” – vedava o aborto até em caso de estupro. A formação católica me convencera que a mãe, afinal, já teria vivido bons anos e, então, sobrepunha-se, nessa angustiante alternativa, o direito de o futuro bebê viver e, pois, impunha-se o dever de não ser ele sacrificado para a mãe poder viver ainda mais. Foi uma discussão ardorosa em que os colegas e as colegas – para minha assim encorajada surpresa – mais ou menos se dividiram entre as duas alternativas, vez que eu esperava que as moças fossem unânimes contra minha tese, em oposição aos rapazes uníssonos, então a favor. Naquele tempo, nunca sequer ouvira eu falar de “anencefalia”. Agora, o Supremo Tribunal Federal esmaga – por 8 votos contra 2 – minha velha tese, mas não sem afirmar que, conforme o voto do ministro Marco Aurélio: “No caso do anencéfalo, não existe vida possível”. Será, mesmo? A Lei Penal pode sobrepor-se ao Direito à Vida? O feto não tem vida, ainda que seja ela intrauterina? Claro que tem! O leitor decide o dilema, mas confesso que meu velho idealismo juvenil, não está, com todo respeito, convencido de que o Excelso Supremo fez a devida Justiça ao condenado feto. Enquanto isso, rezo, e espero, que delegados de polícia, promotores de justiça e juízes, na dúvida, decidam a favor do direito do feto à vida.

Renato Guimarães Jr. renatogjr@yahoo.com

Campinas

*

O DIREITO À VIDA

Tenho o maior respeito pela opinião da Confederação Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), embora a questão da permissão do aborto, sejam os bebês anencéfalos ou não – não seja uma questão religiosa, pois independentemente de qualquer religião é um fato que contraria o terceiro princípio da Declaração Universal dos Direitos Humanos (ONU, 1948) que é o direito à vida. Frequentei clínicas de paralisia cerebral por boa parte da minha vida e vi crianças tão prejudicadas mentalmente e fisicamente que pareciam vegetar e, na maior parte só encontrei amor e dedicação por parte de suas mães, nunca o desejo de acabar com aquelas vidas cujo sofrimento partilhavam, não por alguns meses, mas por anos. O sofrimento sempre fez parte da vida e do crescimento das pessoas.

Maria Toledo Arruda Galvão de França mariatagalvao@gmail.com

Jaú

*

VOTOS CONTRA

Dois ministros do STF votaram contra o aborto de crianças sem cérebro. Votaram assim para garantir que outros iguais a eles possam nascer também. Se isso já fosse permitido, eles não teriam nascido.

André de Oliveira Guimarães jacareicidadecu@bol.com.br

Jacareí

*

PRECEDENTE PERIGOSO

A decisão do Supremo Tribunal Federal sobre o aborto de anencéfalos foi um verdadeiro desfile de palavras lógicas e convincentes. No entanto, precedente jurídico perigoso acabou por ser aberto.  Aos poucos, sutilmente, sob o império da fria razão humana, através de legislações, a vida vai perdendo valor, ou seja, vai se banalizando a morte.  Os mais fracos vão sendo descartados. A decisão da mais alta Corte do país refletiu nitidamente o pragmatismo e individualismo predominantes na sociedade.

Marcelo de Lima Araújo marcelodelimaaraujo@yahoo.com.br

Mogi das Cruzes

*

‘ANENCÉFALO SÓ MORRE PORQUE ESTAVA VIVO’

Essa frase curta diz muito a todos nós! Faz-nos refletir a respeito da recente votação do Supremo sobre os bebês anencéfalos. Parabéns, Maria Garcia, com o seu artigo Direitos humanos face à dramaticidade da vida (Estadão, 15/4, caderno Aliás, página J5) nos deu um esclarecimento fundamentado no Direito Constitucional onde o "direito a viver está assegurado pela Constituição" de 1988. De forma brilhante diz: "Há certos pressupostos para o exame destas questões: 1º. a Constituição erigiu a vida em bem jurídico; 2º. juridicamente, a vida é um processo que se inicia com o óvulo fecundado e termina com a morte e 3º. a divisão desse processo (pré-embrião, embrião, etc.) cabe às ciências naturais, para fins didáticos, medicinais e outros dessa área. No caso das crianças anencéfalas, portanto, todos esses pressupostos tem de estar presentes: existe um ser humano, vivo e, por consequência, sob a proteção constitucional". Assim sendo, vemos claramente que aprovar o ADPF 54, dizendo que "na anencefalia não se trata de aborto", é totalmente inconsistente, uma vez que a anencefalia, segundo a literatura médica, não é equivalente à morte; conforme Maria Garcia explica "as crianças podem ter uma parte do encéfalo posterior, médio e resíduos do anterior; isso faz com que um pequeno porcentual delas, em função do grau de comprometimento, possa ter alta hospitalar, chorando, movimentando-se, respirando espontaneamente e viver semanas, meses ou, excepcionalmente, mais de um ano" (veja vídeo da criança Vitória, que já está com 2 anos: http://vidaecastidade.blogspot.com.br/). Obrigada, Maria Garcia, você nos abriu horizontes esclarecendo questões tão delicadas como a aprovação do aborto para anencéfalos!

Vera Pinheiro vpinheiro2009@gmail.com

São Paulo

*

TEMOR NA HORA DO DIAGNÓSTICO

Dado o caos que se encontra a saúde no Brasil, diante de tantos erros médicos em nosso “respeitado” sistema de saúde, em que profissionais da área chegam ao ponto de queimar criança com bisturi, resultando na amputação de membro e por consequências hospitalares a mesma vindo a óbito dias depois de ter alta; injetar vaselina no lugar de soro a   qual não resistiu e também foi a óbito; não satisfeitos com a falta de competência e distração no setor onde é fatal tamanha situação, na última semana submeteram uma criança  engolir acido. Ficamos terrivelmente preocupados com a possibilidade de muitos destes diagnósticos de anencefalia serem errôneos.

 

Valdy Callado valdypinto@hotmail.com

São Paulo

*

SEMANA DO BASEADO NA USP

Na “renomada) Universidade de São Paulo (USP), quem diria?! Semana do baseado... Ou talvez alguém diga “demorou”! Quando alunos da mais "renomada" universidade do País se prestam ao trabalho de organizar evento sobre "baseado" e também de uma cervejada para angariar fundos para a marcha da maconha, é que podemos tirar algumas conclusões sobre a situação política do Brasil. Com todo respeito às classes de profissionais liberais oriundos da USP, até porque creio que estejam a salvos de qualquer mácula, no entanto, o que esperar de futuros profissionais quase que anencéfalos, preocupados com a liberação da maconha, enquanto a saúde pública agoniza nos corredores de pronto socorros e hospitais, enquanto trabalhadores se deslocam feitos sardinhas em lata no transporte público, e enquanto tantas inúmeras outras coisas de relevante importância acontecem no Brasil, os sem cérebros da USP, estão mais é preocupados em fumar seu baseadinho sossegados? Está chegando o momento em que nada mais vai nos espantar, mas como disse o médico Dr. Humberto... eu sei de quem é a culpa.

Eriquinilson dos Santos eriqui.instrutor@bol.com.br

Cangaíba

*

O POLICIAL ESTUPRADOR E O CRIME DE ESTUPRO

Caso comprovadas as gravíssimas acusações que pesam contra o cabo da Polícia Militar do Rio de Janeiro, Frank Cimas Barbosa, de sequestro seguido de estupro, praticado contra uma jovem de 21 anos, na noite do último sábado (14/4), na zona oeste da cidade, estaremos diante de um fato extremamente lamentável, de afronta à sociedade, pois envolve quem tem por missão servir e proteger os concidadãos e não traí-los de forma aviltante, cometendo a monstruosidade dos abomináveis e covardes crimes de sequestro e estupro. Tal e qual um bandido, ao ser preso também foge covardemente -as circunstâncias da fuga ainda estão sendo apuradas- para não se ver processado. Inacreditável, repugnante e inaceitável o comportamento de um agente do Estado. Ressalte-se que o hediondo crime de estupro é o delito mais subnotificado em todos os países do mundo. Um brutal e traumatizante crime contra a mulher, ainda que no Brasil a Lei Maria da Penha tenha propiciado ultimamente, em todo o país, um aumento de seus registros, encorajando a vítima, apesar de toda a exposição, constrangimento e trauma psicológico, denunciar estupradores de todo gênero, muitas vezes convivendo sob o mesmo teto, onde o medo e a vergonha de um escândalo familiar fazem com que ainda se encubra o estupro e o assédio sexual também contra menores. Registros de casos de violência sexual contra crianças e adolescentes cresceram 67,5% nos últimos dois anos na capital federal, em Brasília. Somente em janeiro deste ano, foram anotadas 34 ocorrências, mais de uma por dia. Histórias de abusos como a do pai que engravidou a própria filha de 12 anos em Ceilândia e a do padre que praticava atos libidinosos com os filhos de fiéis em São Sebastião, chocaram o Distrito Federal. O aumento dos casos divulgados coincide com a alta média de queixas. Elas ultrapassam a marca de uma por dia. Os números sinalizam que o crime ainda velado e cercado de tabus começa a sair das quatro paredes onde normalmente é cometido. As ocorrências em 27 das 31 regiões administrativas do DF mostram que o perverso crime não depende de conta bancária e está presente em todas as classes sociais. Somente em janeiro deste ano, 34 ocorrências foram registradas, seis a mais do que no mesmo período do ano passado. Um crescimento de 21,4%. Em dois anos, os registros subiram 67,5%, saltando de 243 para 407 somente na Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente (DPCA). Graças às denúncias e às investigações da DPCA, pelo menos 12 abusadores foram presos nos últimos meses. O aumento das denúncias segue a tendência do resto do país. As queixas pelo Disque 100 cresceram mais de cinco vezes, saltando 160 mil atendimentos para 866 mil de 2010 para 2011. A procura por auxílio especializado demonstra que as famílias brasileiras estão começando a perceber que o problema do abuso sexual não pode ser resolvido apenas no ambiente doméstico. "Na cultura brasileira, os assuntos de família ainda devem ser resolvidos dentro de casa. Veja pelo célebre ditado "não se mete a colher em briga de marido e mulher". Com o aumento das denúncias, percebemos que essa realidade começa a ser redesenhada", afirma Adriana Costa de Miranda, mestre em sociologia pela Universidade de Brasília e autora do livro Conversando sobre a violência sexual com a criança. O crime brutal e infame de que é acusado neste momento o citado policial militar causa, sem dúvida, vergonha e constrangimento aos mais de 40 mil profissionais integrantes da bicentenária instituição, que com o risco da própria vida, numa função altamente estressante, doam o seu sangue em defesa da sociedade, na linha de frente de uma violenta e permanente guerra urbana no desempenho da nobre missão policial. O lamentável fato constitui ainda um preocupante e grande desafio ao comando da corporação no trabalho de expurgar de seus quadros a chamada ‘banda podre’ ainda existente. Estamos diante de um golpe baixo e sujo desferido por um agente do estado, no momento em que a polícia do Rio caminha para um novo referencial do qual não se pode mais afastar. O referencial de uma polícia democrática, cidadã, parceira e sobretudo confiável, onde o projeto das UPPs tem se mostrado como um novo modelo de policiamento capaz de trazer a paz social, o resgate da cidadania e enfraquecer a criminalidade atípica que insiste em desafiar o poder público. A captura do policial militar em questão é, pois ponto de honra para a polícia do Rio. É hora e vez de propor, também, alteração no Código Penal Brasileiro visando estabelecer a pena em dobro para policiais pelo cometimento de crimes hediondos como no caso do sequestro, tortura e estupro. Quem tem por missão ser o fiscal da lei não pode infringi-la de forma tão grave.

Milton Corrêa da Costa, coronel da reserva da PM milton.correa@globomail.com

Rio de Janeiro

*

100 ANOS DO SANTOS F. C.

Como Palmeirense cumprimento o Santos F.C. pelas comemorações do centenário, mas uma pergunta não quer me calar: porque em todas as reportagens (TV, radio, revistas, jornais) não foi mencionado o dia 15/8/1963 uma linda quinta-feira que o esquadrão abandonou o campo contra o SPFC?

 

José Roberto Palma palmapai@ig.com.br

São Paulo

 

 

 

 

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.