Fórum dos Leitores

CORRUPÇÃO

O Estado de S.Paulo

20 Abril 2012 | 03h06

Incongruências

Semiletrado em matéria de leis, ainda assim questiono a possibilidade moral de prescrição dos crimes praticados pelos agentes do episódio alcunhado de mensalão ou a subsistência de outras cascatas (possíveis cachoeiras) jurídicas que deixam sempre na rua ou impunes os criminosos de colarinhos encardidos, ligados ou não ao poder do Estado. Sob pena de perda do pouco que resta de credibilidade às instituições, essa questão do mensalão não pode servir de gota d'água, apenas pelo uso de pequenos elementos técnicos de fundamento questionável. Vivemos um momento moralmente crítico e a validade da democracia no País está sendo perigosamente posta em xeque.

CARLOS DELPHIM DA GAMA NETO

carlosgama@conjeituras.com.br

Santos

Independência e reputação

A trama criminosa do mensalão foi urdida no âmbito do Poder Executivo federal, mais especificamente na Casa Civil da Presidência, visando a aliciar, com dinheiro público, os politiqueiros do Congresso Nacional para que fossem sempre condescendentes com os ditames do governo Lula. A atitude do Supremo Tribunal Federal (STF) - julgando com celeridade a ação penal respectiva, ainda neste primeiro semestre de 2011, ou protelando-a até a prescrição dos crimes - dirá se o Judiciário, tal como o Legislativo, também foi cooptado pelo Executivo, ou não. Estão nas mãos de Ricardo Lewandowski, ministro revisor desse processo criminal na mais alta Corte do País, e de seus pares a independência e a reputação do Judiciário perante a sociedade brasileira. Que a deusa Têmis, que simboliza a justiça, não seja transformada numa cortesã.

TÚLLIO MARCO S. CARVALHO

tulliocarvalho.advocacia@gmail.com

Belo Horizonte

A hora é agora

O julgamento do mensalão é um divisor de águas para o STF. Se decidir atender aos anseios do PT e procrastiná-lo, dará mostras de não se dobrar à pressão pública e deixará claro que está trabalhando de costas para o povo, o verdadeiro detentor do poder e, consequentemente, pisando na Constituição brasileira. A hora é agora. É só aguardar para ver o desfecho.

JOSÉ CARLOS COSTA

policaio@gmail.com

São Paulo

Desde 2005...

Não vão ser as eleições nem a CPI do Cachoeira que vão atrapalhar o julgamento do mensalão, previsto para junho. Esperamos que os ministros do STF honrem a Constituição, ao dever de proteger nosso patrimônio público.

ANTONIO DE SOUZA D'AGRELLA

antoniodagrella@yahoo.com.br

São Paulo

De mal a pior

No Brasil é a mais pura inverdade dizer que o crime não compensa. Cachoeiras e mensalões são averiguados e comprovadas as irregularidades, mas ninguém é punido, ou o é simbolicamente, daí a crescente proliferação de "malfeitos". Quadrilhas e mais quadrilhas são desmascaradas, apanhadas com a boca na botija, mas os julgamentos são postergados, como se nossos juízes fossem advogados dos réus. É de supor que os casos que vêm à tona sejam somente a ponta do iceberg. Enquanto não houver punição exemplar, nada vai mudar. E se mudar, é para pior.

HUMBERTO SCHUWARTZ SOARES

hs-soares@uol.com.br

Vila Velha (ES)

O mensalão nunca existiu?

O que dizer sobre este vídeo de 2005 que está na internet (http://www.youtube.com/watch?feature=player_embedded&v=lp1-jwgphGk), no qual o então presidente da República pede desculpas ao povo brasileiro pelo mensalão? Os juízes do STF dirão que é montagem? Que o vídeo não configura prova? Que o que foi dito estava fora de contexto?

FLAVIO MARCUS JULIANO

opegapulhas@terra.com.br

São Paulo

Enxugando gelo

Diante dos novos escândalos de corrupção que vêm assolando o País, só nos resta concluir que aqui não há políticos honestos, há apenas os que ainda não foram investigados. Não vejo solução de continuidade para um sistema político completamente devastado pela corrupção. Ela entra pela porta das campanhas imundas, instala-se, prolifera e toma conta de tudo. Ou se muda o sistema ou continuaremos enxugando gelo, trocando seis por meia dúzia.

MÁRIO BARILÁ FILHO

mariobarila@yahoo.com.br

São Paulo

CONPRESP

Espigões no Ibirapuera

A reportagem Conpresp quer liberar espigões no Ibirapuera (caderno Metrópole, 10/4) induz o leitor a equívoco, pois valoriza apenas a opinião dos moradores vizinhos e omite o principal: há uma flagrante ilegalidade que precisa ser corrigida. A Resolução n.º 6 de 1997, que tombou o Parque do Ibirapuera e seu entorno, alterou o zoneamento do perímetro composto por seis quadras adjacentes ao parque, definindo características de zona estritamente residencial para uma área onde já havia 15 edifícios construídos antes do tombamento, liberados pela legislação de zoneamento em vigor. A questão de fundo é que não se pode alterar o zoneamento pelo estatuto do tombamento. Foi igualmente equivocado informar que a medida ora em estudo promove um "destombamento", quando, na verdade, a área em questão continuará tombada. A proposta do DPH em exame no Conpresp não é "liberar espigões", mas permitir a construção de edifícios cujos gabaritos estejam em harmonia com o seu entorno, reconhecendo direitos privados adquiridos, respeitada a legislação vigente. A reportagem do Estado, que adotou tom alarmista, poderia ter dado a devida importância à opinião do Ministério Público do Estado de São Paulo, que analisou o mérito da questão em duas ocasiões, a partir de denúncias do próprio Estado, e deliberou pelo seu arquivamento ao constatar que "essa discussão levada agora está dentro do que permite a legislação", segundo o promotor de Justiça do Meio Ambiente, José Ismael Lutti.

JOSÉ EDUARDO DE ASSIS LEFÈVRE, presidente do Conpresp

ccalil@prefeitura.sp.gov.br

São Paulo

N. da R. - "Permitir a construção de edifícios cujos gabaritos estejam em harmonia com o seu entorno", como diz o missivista, é uma forma empolada de dizer o que, em bom português, significa "liberar espigões". E se há "direitos privados adquiridos", que os seus titulares - cidadãos e empresas privadas - os reivindiquem na Justiça. Não é papel do Conpresp representá-los administrativamente.

 

Cartas selecionadas para o Fórum dos Leitores do portal estadao.com.br

INSTITUTO LULA

A Câmara de Vereadores de São Paulo acaba de aprovar em primeiro turno um projeto do prefeito Gilberto Kassab de concessão de um terreno do povo, de 4.300 metros quadrados, no centro da cidade, para um Instituto Lula (19/4, A13). Que absurdo! Qual o passado cultural e histórico do ex-presidente que justifica um memorial para ele? Talvez, no saguão de entrada desse memorial, sejam expostos ao público a cueca que Lula usava durante as greves do ABC e uma réplica do caminhão pau de arara que o transportou para São Paulo. O prefeito Kassab não deve doar patrimônio do povo como se fosse patrimônio seu. Melhor seria que naquele local fossem construídos equipamentos sociais como creches e Emeis. Oxalá a Câmara tenha mais juízo na votação final desse absurdo projeto.

Jose Avila da Rocha peseguranca@yahoo.com.br

São Paulo

*

A GLÓRIA DOS ESCÂNDALOS

Parabéns aos nobres representantes da cidade de São Paulo. O tal Instituto da Democracia é tudo o que precisamos para eternizar as maravilhosas realizações do ex-presidente. São Paulo tem adoração pelo PT. Aqui sempre tiveram toda guarida. Espero que os senhores aprovem a construção de um edifício bem grande, aliás, que aprovem um fora dos padrões com o dobro do planejado. Será necessário. Contabilizados, no governo do grande líder, temos 97 escândalos em seus gloriosos oito anos em Brasília.

A.Fernando Ferreira rdseg@terra.com.br

São Paulo

*

QUANDO TODOS GANHAM

Em vez de ceder uma área que não é deles, muito melhor seria o governo aprovar um projeto para a criação de uma clínica de reabilitação para drogados da Cracolândia. Tenho certeza de que o Sr. Lula ficaria encantado de fazer uma bela doação para a construção  a custo real e os vereadores, sem dúvida, colaborariam mensalmente para o manutenção desta casa do bem. Aliás, prefeitos e governadores também seriam bem-vindos. Os vereadores poderiam colocar o nome do ex-presidente na instituição. Todos sairiam ganhando, inclusive os paulistanos.

Regina Helena Leme da Fonseca Thompson reginathompson@terra.com.br

São Paulo

*

DOAÇÕES

Quer dizer, então, que o Carlinhos Cachoeira não pode, mas os vereadores de São Paulo podem, fazer doações para partidos políticos? A imprensa deveria divulgar logo os nomes de nossos nobres vereadores que querem patrocinar esse abominável Instituto Lulla.

Nelson Penteado de Castro pentecas@uol.com.br

São Paulo

*

CACHOEIRA, DELTA E PC FARIAS

Perguntar não ofende. Zé Dirceu é “consultor internacional” da Delta, que é de Carlinhos Cachoeira... É? Quem são de fato os “donos” da Delta, que tem tantos políticos nos bolsos? E quem ficou com o grande negócio de “tráfico oficial” de drogas do PC Farias? O “cara” tinha três jatos só para isso, onde foram parar? E acabou o tráfico com a morte do PC? E sua morte ainda é um mistério, como a do Celso Daniel? Como os rios, todos correm sempre para o mar?

 

Ariovaldo Batista arioba06@hotmail.com

São Bernardo do Campo

*

DO ‘MENSALÃO’ À DELTA

 

Prestes a assumir a presidência do Supremo Tribunal Federal (STF), o ministro Carlos Ayres Britto afirmou que o processo do “mensalão” deve ser julgado ainda no primeiro semestre de 2012, caso não seja possível, o tema não deixará de ser apreciado mesmo durante as eleições. . "Temos a nítida compreensão de que há um processo eleitoral paralelo a partir de 6 de julho e vamos ver se conseguimos terminar esse processo antes (...). Se não for possível, os dois seguirão paralelamente" (entrevista concedida ao Jornal Nacional em 17/4/2012).    Pois o caso do “mensalão” ainda não foi julgado e o nome do todo poderoso José Dirceu volta à tona, o ex-ministro da Casa Civil do governo Luiz Inácio Lula da Silva, prestou serviço de consultoria para a Delta. O contrato de seis meses foi assinado no fim de 2008. Neste período, os contratos da empresa com o governo federal quase dobraram. Passaram de R$ 393 milhões em 2008 para R$ 788 milhões em 2009. Atualmente, a Delta é a empresa que mais recebe dinheiro do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) – R$ 885 milhões em 2011. Em entrevista à revista Veja, em maio do ano passado, os ex-donos da Sygma, José Augusto Quintella Freire e Romênio Marcelino Machado, acusaram o ex-ministro de fazer tráfico de influência em favor da empreiteira Delta. Segundo Quintella, José Dirceu foi contratado para facilitar negócios com o governo federal. Recentemente, circulou áudio em que o empresário Fernando Cavendish, presidente do Conselho de Administração da Delta, revelou o que pensa da política e dos políticos brasileiros. Participava de uma reunião com seus sócios: “Se eu botar R$ 30 milhões na mão de políticos, sou convidado para coisas para ‘c…’. Pode ter certeza disso!”. E disse mais. Com alguns milhões, seria possível até comprar um senador para conseguir um bom contrato com o governo: “Estou sendo muito sincero com vocês: 6 milhões aqui, eu ia ser convidado (para fazer obras).” a Delta foi a construtora que mais faturou em 2011 em obras diversas que toca nos estados e no governo federal, inclusive no Plano de Aceleração do Crescimento (PAC), conforme levantamento dos órgãos de controle da União. Uma das sete maiores construtoras no ranking do País, Maior empreiteira do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), a Delta Construções S.A teria negociado facilidades em contratos diretamente com a cúpula do Governo do Distrito Federal (GDF), em troca de favores de campanha eleitoral, como indicam grampos da Polícia Federal. Como vimos, o ex-ministro José Dirceu é um consultor competentíssimo.

Marcelo do Vale Nunes mvn@portoweb.com.br

Porto Alegre

*

CPI FORMADA

Será que no final da Cachoeira existe uma pizzaria?

Lucas Menezes Ciantelli lucas_ciantelli@hotmail.com

São Paulo

*

CACHOEIRA

Márcio Thomaz Bastos, a exemplo do que conseguiu para o médico-monstro Roger Abdelmassih,  pretende  que Cachoeira responda em liberdade.  É até possível que o desfecho de ambos os casos acabe sendo semelhante.

Conrado de Paulo conradopaulo@yahoo.com.br

Bragança Paulista

*

MENSALÃO A JATO

Todo dia tem ministro do STF dando entrevista de que é a favor de que os réus do mensalão sejam julgados o quanto antes, para que não coincida com época de propaganda eleitoral. É louvável, mas um tanto estranho, pois parece que se quer matar um malfeitor, para que não fique sangrando muito tempo em praça pública. Contudo, estamos com a pulga atrás da orelha, pelo andar da carruagem José Dirceu, que foi acusado pelo procurador-geral da República, Roberto Gurgel, como sendo o chefe da quadrilha do mensalão, possa ser inocentado e se isso acontecer, toga preta passará a ser símbolo de luto, pela morte do judiciário brasileiro.

João Henrique Rieder rieder@uol.com.br

São Paulo

*

O MENSALÃO DE DIRCEU

Correm rumores de que o PT e seus aliados farão de tudo para protelar o julgamento do mensalão, bem como estender os prazos para que muitos dos crimes atinjam a prescrição. Por outro lado, insistentemente, José Dirceu, acusado de ser o “chefão” dos mensaleiros afirma com todas as letras que quer ser julgado o quanto antes, que não quer que prescreva nenhuma pena daquilo que foi acusado, pois se julga injustiçado e quer provar sua inocência. Então, em nome dos relevantes serviços prestados por Zé Dirceu ao PT e seus militantes, vamos todos, aliados e adversários, pedir para o STF que apresse o quanto possível este julgamento, que se atenha tão somente aos aspectos jurídicos e não se deixe influenciar por nenhuma posição político-partidário.

Luiz Nusbaum lnusbaum@uol.com.br

São Paulo

*

O QUE FOI DITO

Embora as declarações do Sr. Fernando Cavendish, dono da Delta Construções, gravadas clandestinamente, tenham sido no condicional, e aí não importa a gramática portuguesa, a verdade é o que ele disse. Infelizmente é a realidade do nosso país. O deputado ou senador quer saber quanto vai levar para contratar esta ou aquela empresa. Quer saber quanto vai levar para por seu "de acordo" no processo. E ponto final. No mais, só a lamentar que as escutas não autorizadas pela Justiça não sejam válidas. Faz sentido? De certa forma sim, pois implica em invasão de privacidade. Tem que pedir autorização, apresentar as provas e razões e aguardar. Eles, os que praticam esse atos imorais, não podem ser presos por atos iguais praticados pela Justiça. A Justiça tem que andar na lei. E como, nesta situação, vai se prender um fora da lei? Se até a lei é feita para protegê-los?

Panayotis Poulis ppoulis46@gmail.com

Rio de Janeiro

*

HIT SERTANEJO

Cavendish & Cachoeira: o que une a dupla é muito mais que um simples fio de cabelo.

 

A.Fernandes standyball@hotmail.com

São Paulo

*

LEI Nº 12.605, DE 3/4/2012

A presidente da República assinou lei que determina o uso obrigatório da flexão de gênero para nomear profissão ou grau de diplomas.   Assim, de agora em diante, identificaremos corretamente certas  profissões e atividades como  ajudanta, assistenta, superintendenta, pacienta, dirigenta, gerenta e presidenta, esta última já em uso em certos círculos.

 

James F. Sunderland Cook sunderland2008@gmail.com

São Paulo

*

CAPACITAÇÃO

Hillary Clinton, quando disse que Dilma Rousseff criou "padrão mundial contra corrupção", enganou-se claramente, pois deveria ser "padrão mundial de corrupção". Com direito a cursos de especialização com apostilas e cartilhas.

 

Angelo Tonelli angelotonelli@yahoo.com.br

São Paulo

*

NÃO DEVIA TER FALADO NADA

Depois de ler na primeira pagina do Estado, o comentário feito pela secretária de Estado Americano, Hillary Clinton, sobre Dilma Rousseff, dizendo que “ela está estabelecendo um padrão mundial na luta contra a corrupção”, acho que esse padrão não é bom, pois seu governo tem se primado por bandalheira, safadeza e justamente corrupção. Esse pronunciamento não foi válido ou apenas feito para agradar a presidente.

Raul S. Moreira raulmoreira@mpc.com.br

Campinas

*

FALHA DELES

 

A “inteligência” dos EUA não está funcionando bem. FBI e a CIA não são mais confiáveis, não estão disponibilizando corretamente as informações aos seus líderes. Veja se não é verdade: Obama elogiou Lula dizendo que ele era “o cara” e Hillary Clinton declarou que a gestão Dilma é “padrão global de combate à corrupção”. Falas totalmente oposta à nossa realidade.

Humberto Schuwartz hs-soares@uol.com.br

Vila Velha (ES)

*

DESINFORMADA

Na abertura do primeiro encontro anual da Parceria para Governo Aberto (Open Government Partnership), a secretária de Estado americana, Hillary Clinton afirmou que a brasileira Dilma ''está estabelecendo um padrão global de combate à corrupção'', pelo seu comprometimento com a abertura e transparência. Para uma secretária de Estado da nação mais poderosa do mundo, é de estranhar que não acompanhe o noticiário internacional e que ignore o pântano pútrido em que o governo se agita, com a maior onda de corrupção jamais vista na história desse país. É impossível que Dona Hillary ignore esses fatos. Se não, usou essa embromação yanque para dar uma polida no ego da nossa presidente, pelo menos contribuiu para fortalecer o clube da Luluzinha do Planalto.Sempre foi assim O presidente Obama, em visita ao Brasil disse que Lula era ''o cara''. Agora vem a secretária de Estado americana e diz indiretamente que Dilma é a ''coroa''. Acham os nosso presidentes os suprassumo da política brasileira, mas na hora de ocupar uma vaga no Conselho de Segurança da ONU  votam contra.

 

Jair Gomes Coelho jairgcoelho@gmail.com

Vassouras (RJ)

*

COMBATE À CORRUPÇÃO

Piada hilariante: Dilma está estabelecendo um padrão mundial na luta contra a corrupção.

Roberto Twiaschor rtwiaschor@uol.com.br

São Paulo

*

CAPTOU?

Cá entre nós, acho que a secretária de Estado norte-americana, Hillary Clinton, está bem intencionada ao elogiar "padrão mundial na luta contra a corrupção" da presidente Dilma, mas, ou ela nos confundiu com outro país ou ela está bem desinformada sobre nossa terrinha. Talvez ela não tenha captado alguma piadinha do ascensorista!

 

Ricardo Guerrini ricguerrini@hotmail.com

São Paulo

*

OUTRA!

Por favor, Hillary, conte outra piada, que o Dia da Mentira já passou... Não diga isso à presidente Dilma, ela pode acreditar!

Toshio Icizuca toshioicizuca@terra.com.br

Piracicaba

*

PARA MORRER DE RIR

Eu já ouvi muitas coisas hilárias na minha vida, mas que a presidente Dilma criou um "padrão para o mundo" no combate a corrupção foi a melhor. D. Hillary, não conta isso mais por ai não, o pessoal      vai se matar de rir.

 

Mario Bezerra mario.bezerra@ig.com.br

Santa Fé do Sul

*

EFEITO CASCATA

Hillary (que hilário!), disse que o governo Dilma esta estabelecendo um padrão mundial anticorrupção, e que a ideia é que isso gere um efeito cascata, ou melhor, efeito cachoeira.

 

Marcelo Martinimarcelo_martini2001@hotmail.com

São Paulo

*

A IGNORÂNCIA IANQUE

Fiquei pasma ao ler as declarações elogiosas  da secretária de Estado norte-americana, Hillary Clinton,  à  presidente Dilma Rousseff, na abertura da 1ª Conferência Anual de Alto Nível da Parceria para um Governo Aberto. Constatamos que a sra. Hillary está tão mal informada do que acontece aqui no Brasil, ao  elogiar a presidente  Dilma, disse que ela  está se empenhando em combater a corrupção “criando um padrão para o mundo”,  é no mínimo desconhecimento  da secretaria de Estado,   do que ocorre há 9 anos no Brasil. Dª Dilma,  nada fez para debelar a corrupção em seu governo, aliás só tomou providencias após pressões intensas da imprensa, senão os seus ministros, que cometeram "malfeitos"( como os petralhas adoram minimizar as  palavras  sobre as  suas falcatruas), estariam ainda em seus cargos, já que foram indicados pelo poderoso chefão,  e quem é ela para discordar. Lamento muito  que o embaixador norte-americano em nosso país não mantenha os assessores da secretária informados de como a corrupção corre solta em nosso país, que ninguém é punido, e muito menos o dinheiro roubado é devolvido aos cofres públicos. Será que nem o  escândalo do mensalão, produzido durante o governo do "cara", o governo  norte-americano está sabendo?

Agnes Eckermann agneseck@yahoo.com.br

Porto Feliz

*

O HUMOR DE HILLARY

Hillary Clinton e suas afirmações sobre a Dilma ser um exemplo na luta contra corrupção. Esta senhora vai acabar sendo contatada para atuar no Casseta e Planeta ou no Pânico na TV.

 

Wilson Solani Brinkmann wsbrink@terra.com.br

Atibaia

*

PADRÃO GLOBAL

A afirmação de Hillary Clinton, de que o governo da presidente Dilma está estabelecendo "um padrão global" no combate à corrupção, é alvissareira. Queira Deus que a secretária de Estado americana esteja com razão ao fazer tal afirmativa, posto que tal postura é tudo o que a opinião pública  tanto condena, almejando ainda   que  tal fato se  torne uma constante  realidade. Oremos.

José de Anchieta Nobre de Almeida josedalmeida@globo.com

Rio de Janeiro

*

A GRANDE ESTRELA

Pelo jeito as informações sobre o Brasil são distorcidas lá fora, onde já se viu alguém afirmar que o governo brasileiro é um modelo mundial contra a corrupção, só quem é mal informado mesmo para dizer um disparate destes. Nós que somos brasileiros, realmente contra a corrupção, sabemos que não é verdade, pois todas saídas de Ministros a presidenta chorou e passou a mão na cabeça deles, teve um que foi até aplaudido e recebeu um discurso emocionado de agradecimentos. Na CPI do Cachoeira ela recomendou cautela ao ex-presidente, pois ela sabe muito bem que ele não tem muita noção das coisas certas ou erradas e que o PT pode estar envolvido até mais do que outros partidos, pois até hoje esteve em todas, o PT é a grande estrela da corrupção.

 

Jose Mendes josemendesca@ig.com.br

Votorantim 

*

E O TESTE?

De acordo com Hillary Clinton, o padrão mundial na luta contra a corrupção já foi criado pela presidenta Dilma. É uma pena que ainda não foi testado...

 

Victor Germano Pereira      victorgermano@uol.com.br

São Paulo

*

EQUÍVOCO

Hillary Clinton está enganada! A grande combatente da corrupção no Brasil chama-se "imprensa livre". É a imprensa que descobre, investiga e cobra. Dilma nada mais fez, até agora, que correr atrás do prejuízo.

M. Cristina Rocha Azevedo crisrochazevedo@hotmail.com

Florianópolis

*

HILLARY CLINTON x MARTA SUPLICY

Todo o País ficou envergonhado pela ameaça de Da. Dilma enviar Marta Suplicy como embaixadora para os Estados Unidos e, no entanto, Obama envia Hillary Clinton para cá – qual a diferença?

João Roberto Gullino jrgullino@oi.com.br

Petrópolis (RJ)

*

BLEFE

Hillary diz que Dilma “criou padrão para o mundo no combate à corrupção”. De onde será que esta senhora tirou essa inferência tão desconhecida dos cidadãos brasileiros de bem? Se o “padrão” for esse que nos acompanha nos últimos nove anos, alguém gebou errado nos ouvidos da Secretária de Estado dos EUA. Um verdadeiro blefe.

Leila E. Leitão

São Paulo

*

O QUE HILLARY NÃO SABE

A secretária Hillary Clinton enalteceu a presidente Dilma pelo combate a corrupção. O que  a secretária não sabe é que  nenhum dos ministros de Dilma  que perderam o cargo sofreram sanções até agora. O que a secretária não sabe é que o Brasil é o país da corrupção, abriga os colarinhos brancos, enaltece seus feitos e gasta milhões para tê-los de boca fechada. De fato a corrupção tira a motivação das pessoas, mata e destrói o potencial dos países, conforme palavras de Hillary. O que Hillary não sabe é que no Brasil, as pessoas estão tão descrentes e o que  mais se ouve é: “não adianta a gente se importar com quem não se importa com a gente. Sai um entra outro pior, todos roubam”. Nesse sentido, temos uma população que não se expressa, sonho de consumo dos políticos, que não têm a menor vontade política  de mudar o quadro que aí está. Hillary não sabe, mas o padrão que Dilma criou no Brasil é aquele que joga a sujeira embaixo do tapete. Hillary não teve tempo de levantar o tapete, nem o faria, visto não ser esse o seu papel. Bye, Hillary, seu país se importa com as pessoas, por isso é Primeiro Mundo. Quanto a nós...

Izabel Avallone izabelavallone@gmail.com

São Paulo

*

YPF

Argentina tem todo direito em decidir se o petróleo deve ou não ser estatal, o que a Presidente Cristina mostrou ao mundo não foi uma postura de equilíbrio e bom senso ao tomar da Repsol a YPF, mas sim um total destempero emocional numa atitude típica de nacionalismo ultrapassado. Ela que havia aprovado a privatização na década de 90 e agora após 10 anos de governo não tomou nenhuma ação  para resolver problemas, este comportamento não parece de alguém confiável, poderia ter negociado tudo isto e dar outra imagem ao país, agora fica esta de uma Argentina emocionalmente comprometida ,como confiar neste governo?

Francisco da Costa Oliveira fco.paco@uol.com.br

São Paulo

*

NACIONALIZANDO A YPF

Se expropriou a espanhola Repsol, por medo da chinesa Sinopec, interessada nos 57% da YPF, parabéns para a “hermana”  dona Cristina Kirchner. Aprovado!

Sergio S. de Oliveira ssoliveira@netsite.com.br

Monte Santo de Minas (MG)

*

EXPROPRIAÇÃO

Os "nuestros hermanos" argentinos se rebaixaram aos bolivianos e venezuelanos e agora diplomacia brasileira? Argentina contra a Europa, primeiro os ingleses com as Falklands/Malvinas e agora os espanhóis com a expropriação YPF, o que fazer com o Messi e o tango? O que já estava ruim vai ficar pior... De tanga!

 

Luiz Dias lfd.silva@uol.com.br

São Paulo

*

ARGENTINA X EUROPA

Vamos esquecer um pouco nossa eterna pendenga com os argentinos, que aflora com mais veemência quando discutimos sobre futebol, com destaque para a questão de quem foi melhor em campo, se Pelé ou Maradona. Quanto a isto, os fatos falam por si. Messi então, ainda tem que superar o próprio Dieguito, depois o Garrincha, o Romário, o Ronaldo...Quem sabe um dia, que espero e acredito que não vai chegar nunca. Agora, tentemos, mesmo que a contra gosto, nos colocarmos na pele dos gringos do sul, nas questões que colocaram a Argentina na berlinda do velho mundo nestes últimos dias. A primeira é sobre as Ilhas Malvinas (ou Falklands para os ingleses) e, a segunda sobre a petrolífera YPF, que foi expropriada da Repsol espanhola. Mesmo que a maneira não tenha sido das mais civilizadas e que talvez cobre um preço muito caro dos hermanos, precisamos concordar numa coisa: a Argentina está coberta de razão em ambos os casos. As ilhas Malvinas são um dos últimos resquícios do Império Britânico, portanto, precisa sim ser questionado, pois seria o mesmo que Fernando de Noronha pertencesse a outro país em pleno século 21. Tudo bem que Cristina Kirchner não é nenhum Mahatma Gandhi e seus métodos estão mais parecidos com os de Hugo Chávez, mas é uma aberração inaceitável para os nossos vizinhos, que a terra da rainha mantenha a posse de uma ilha do outro lado do mundo. Inclusive acredito que o Brasil e toda a América Latina deveriam se posicionar claramente a favor da Argentina. Já quanto à petrolífera YPF, penso que os termos são outros, porém novamente os argentinos estão certos. Imaginemos a Petrobrás nas mãos dos espanhóis. Seria aceitável? Certamente que não, portanto nós devemos olhar essa briga sob outro prisma. Que fique claro que não estou defendendo um calote. Penso que os espanhóis merecem ser ressarcidos e que haja transparência no processo, sem exageros de nenhuma parte na fatura a ser paga. Nem para baixo nem para cima. As consequências financeiras disso para os argentinos e para a YPF, só o futuro irão revelar, mas não acreditemos tão facilmente nas ameaças do mundo rico, afinal, a Rússia defende o Irã numa questão muito mais crítica que essa e, nem os EUA, a maior potência econômica e militar do planeta, conseguem impedir e, muito menos forçar o governo russo a mudar de postura. Apesar das bravatas de Cristina, ela está fazendo o que todo governante deve fazer. Defender sua soberania econômica e o seu povo. Na minha modesta opinião, são pleitos legítimos.

Sandro Ferreira sandroferreira94@hotmail.com

Ponta Grossa (PR)

*

ARGENTINA

O último tango em Buenos Aires está desafinado, fora de compasso, cheirando a mofo peronista, evocando a decadence platina. O terno risca-de-giz está amarfanhado, os punhos puídos, abotoaduras sem brilho e sapatos furados. A outrora opulenta Argentina caminha para trás em busca de um passado perdido no tempo. A Casa Rosada está desbotada e o vinho azedou de vez. Qual será o próximo ato de Cristina K. na ópera-bufa No llores por mi?!

 

J. S. Decol decoljs@globo.com

São Paulo

*

O PETRÓLEO NOSSO

Enquanto Cristina tenta salvar a Argentina quebrada,  reestatiza uma refinaria com bom faturamento. Os US$ 10,5 pedidos pela Repsol não serão pagos, não porque a Argentina não quer mas, porque não tem e não terá em breve, com a situação das finanças em acelerada decadência. Chávez continua a irritar os Estados Unidos, seu comprador de petróleo. Com esse quadro e a julgar pelas preferências demonstradas ultimamente pelos americanos, incluindo um comentário elogioso mas, mentiroso, à nossa Presidente sobre corrupção, vamos ser talvez substitutos da Venezuela como fornecedores de petróleo para os americanos e talvez, até quem sabe, para a Argentina. O Brasil terá vantagens com os erros dos outros, no entanto, teremos que comprar uma boa quantidade de equipamentos norte americanos para nossas petroleiras, o que não será problema. Pena mesmo foi Da. Dilma não ter conseguido colocar nesse “pacote” a concorrência cancelada da Embraer.

Fabio Figueiredo fafig3@terra.com.br

São Paulo

*

REPSOL

Parabéns à presidente da Argentina, Cristina Kirchner, que teve a coragem de "peitar" a toda-poderosa Repsol. Oxalá a nossa "presidenta" tivesse a mesma coragem, de bater de frente com as empresas espanholas que atuam no Brasil e fazem o que querem, sem nenhuma  medida do governo para proteger os consumidores. Só para citar alguns exemplos: as empresas que atuam no setores da telefonia, financeiro e exploração de estradas. A Espanha, assim como outros países da falida Europa, ainda imaginam que somos colônias, se bem que não faltam motivos para que pensem assim! Liberdade ainda que tardia!

José Milton Galindo galindo52@hotmail.com

Eldorado

*

‘RAINHA LOUCA’

Como vi e ouvi pela televisão, a entrevista da presidente da Argentina, Cristina Kirchner, justificando a expropriação da petrolífera Repsol-YPF, não poderia deixar, pela reportagem Rainha Louca, de elogiar o humorista de ponta Tutty  Vasques pelas suas  jocosas considerações, e também  o Estadão, pelo desenho colorido como se fosse uma expressão do rosto da presidente (que me fez rir gostosamente), expressão em perfeita consonância com seus traços faciais, com seu modo e trejeitos. De falar na entrevista e como disse  o humorista Vasques, com  "...gestos, a maquiagem, o figurino, aqueles penteados incríveis"..., tudo demonstrando "o mais completo desequilíbrio emocional". A reportagem foi publicada no caderno Cidades/Metrópole de 18/12. Espero que a nossa presidente Dilma continue dando suas entrevistas, como vem acontecendo, com sorrisos e expressões que lhes são peculiares e normais.

Antonio Brandileone abrandileone@uol.com.br

Assis

*

SERÁ, QUE SERÁ, QUE SERÁ, QUE SERÁ?

“Será que nunca faremos

Senão confirmar

A incompetência

Da América católica

Que sempre precisará

De ridículos tiranos?”

Caetano Veloso nunca esteve tão na moda por essas bandas. Fico imaginando se não seremos os próximos...

Ricardo Marin s1estudio@ig.com.br

Osasco

*

MORRO ABAIXO

 

A Argentina, depois da Guerra das Malvinas, vem descendo a ladeira sem freios. Deu um calote gigante na dívida externa em 2001; após a posse de Lula vem sistematicamente prejudicando o Brasil nas relações comerciais, o famoso passa moleque; e agora aplicou um golpe na Espanha tomando posse da Repsol, nacionalizou a empresa. Um país que se considerava a Europa da América do Sul hoje é uma Venezuela melhorada. A tendência é uma piora nas relações internacionais, e o próximo da fila será o Uruguai ou o Brasil. O Uruguai, por negociar com as Malvinas, e o Brasil, que já é freguês de carteirinha da Argentina. Um país que teve como filho Carlos Gardel (aos dois anos de idade), Mercedes Sosa, uma voz inesquecível, tem hoje apenas uma Cristina, rascunho inacabado de Evita Peron. O Brasil precisa ter muito cuidado e astúcia, pois quem está com o prato na mão e sem a mínima vontade de negociar é capaz de tudo. Obs: triste a declaração de Edison Lobão de que a Argentina tinha o direito de tomar posse da Repsol. E se o mesmo ocorrer com a Petrobrás será um ato normal. A Petrobrás é uma empresa, e não verba pública...

 

Luiz Ress Erdei gzero@zipmail.com.br

Osasco

*

EXPROPRIAÇÃO

Presidente Kirchner, por que não anuncia a expropriação da Inglaterra das Ilhas Malvinas?

 

Luciano Harary lharary@hotmail.com

São Paulo

*

PRESIDENTAS

Cristina Rousseff, Dilma Kirchner, ou é o contrário? Não importa. É tudo presidentA e farinha do mesmo saco. Pobre e infeliz América-Latina. Quando suas Nações tornar-se-ão adultas?

Mário Rubens Costa costamar31@terra.com.br

Campinas

*

IMUNIDADE PEDÓFILA

O embaixador do Irã no Brasil, sr. Hekmatolah Ghorbani, foi flagrado abusando de crianças menores de 14 anos num clube em Brasília. Gozando de imunidade diplomática, ele está livre de quaisquer penalizações legais por parte das famílias das crianças. De qualquer modo, cabe ao governo, num ato de moralidade e respeito cívico, exigir a retirada deste pedófilo iraniano que habita nosso solo. Difícil imaginar que nosso governo, tão amigo do regime do mau, vá ter a coragem de fazer algo. Ainda assim, fica mais um exemplo do que há de pior do Irã, agora tão perto de nós.

 

Sérgio Eckermann Passos sepassos@yahoo.com.br

Porto Feliz

*

CEZAR PELUSO E ELIANA CALMON

Ao deixar a presidência do Supremo Tribunal Federal (STF), o ministro Cezar Peluso  disse que "o futuro da Corte é preocupante" e criticando o trabalho de Eliana Calmon no Conselho Nacional de Justiça (CNJ), alega que seu trabalho à frente da Corregedoria Nacional de Justiça não gerou qualquer resultado. Como não? Basta ver a preocupação que assalta o ministro Peluso... Mais uma vez  ele tenta diminuir a figura da profissional Eliana Calmon... Quero lembrar ao ministro Cezar Peluso que, dentre as tarefas desenvolvidas pela mui egrégia desembargadora estão os fatos de haver levantado a ponta da cortina que oculta o cenário podre da justiça brasileira,  tão podre quanto as togas de muitos juízes,  e de haver levado este fato  ao conhecimento da população através da imprensa, fato mais do que envergonhante para a nação brasileira. O Poder Judiciário é o pilar central que dá sustentação e equilíbrio aos demais Poderes de um regime democrático... e com ele tão corrompido... todo o Estado padece... e é exatamente o que estamos assistindo abismados... e até agora, impotentes. Até agora.

Mara Montezuma Assaf montezuma.scriba@gmail.com

São Paulo

*

PASSADO

Peluso sai da presidência do STF atirando para todos os lados e teme pelo futuro da Corte (18/4, A8). E o passado? Com tanta subjetividade será que presidiu com isenção?

Gilberto Dib gilberto@dib.com.br

São Paulo

*

AINDA O MINISTRO PELUSO

A declaração do ministro Peluso sobre apuração de irregularidades à época em que ocupou a Corregedoria do Tribunal de Justiça de São Paulo é de estarrecer: “Chamávamos os envolvidos e abríamos o jogo: 'Temos tantas provas contra vocês e se não forem para a rua agora iremos abrir processo'. Nunca fizemos escarcéu com esses casos”. Está errado, ministro. Há que fazer duas coisas: apurar e punir administrativamente dentro da lei, se há provas como declarou, e formalizar a denúncia criminal. É o único comportamento possível em um magistrado ocupando a função de corregedor.

Sergio Saraiva Ridel sergiosridel@ig.com.br

São Paulo

*

SAUDADE

O advogado, magistrado e jurista Cesar Peluso está se aposentando do STF.  Segundo entendidos não foi lá um ministro que irá deixar saudade. Saiu atirando para todos os lados. Na minha humilde opinião, ele deveria ter saído de fininho e sem criticar o excelente trabalho da ministra Eliana Calmon. Parafraseando o rei da Espanha Juan Carlos se dirigindo ao inconveniente Hugo Chávez, eu diria: "Por que não te calas, Peluso?"

José Marques seuqram.esoj@bol.com.br

São Paulo

*

POSSE DE AYRES BRITTO

"Provavelmente, veremos seu genro em atividade novamente..."

Regis Luscenti luscenti@bol.com.br

Ourinhos

*

ESTADOS E MUNICÍPIOS, ETERNOS DEVEDORES?

Absolutamente preciso, sob os aspectos econômicos e jurídicos, o artigo de Cid Heráclito de Queiroz (18/4, A2) sobre a repactuação da dívida dos Estados e Municípios face à União Federal. Importante é sua observação final de que solução adequada para a questão, afinal, está no Projeto de Lei Complementar n. 86, deste ano, do Deputado Francisco Dorneles, que admite a repactuação das dívidas desde que não implique em aumento do saldo devedor existente na data de assinatura do contrato. Como sabemos como (não) funciona nossa fábrica de salsichas, é importante não só a pressão de prefeitos e governadores, mas do povo e da mídia para aprovação desse projeto pelo Congresso Nacional.

Amadeu R. Garrido de Paula amadeugarridoadv@uol.com.br

São Paulo

*

PREFEITURAS E A VISA VALE

MP pede que prefeituras cancelem contratos com Visa Vale (David Friedlander, Estadão de 15/4/2012). Não é verdade a afirmação feita que a Visa Vale cobra de 2% a 4% de taxa de administração.  A grande  maioria dos restaurantes são de pequeno e médio porte. Pagam taxa abusiva que chega a 5,8%, com 32 dias para receber ,  e R$ 135,00 ( cento e trinta e cinco reais), mensais, pelo aluguel de uma  máquina. Temos um sócio que não trabalha, não entra com nenhum centavo de capital , não corre riscos, emite dinheiro que é oficialmente legalizado,  mas que o Banco Central não dita as  regras,  para Cartões Refeição , deixando os pobres comerciantes serem devorados pelos leões que estão sempre famintos e são insaciáveis. Justo é cobrar 2% das empresas, prefeituras, etc., e 2% dos comerciantes com prazo máximo de 48 horas para crédito. O PAT é deturpado, gera inflação, etc.  Só não entendo porque o governo não faz nada para conter a ganância destes Cartões Refeição (todos). Se no Planalto, em Brasília, algum político sério ler esta denúncia,  por favor,  interceda e discuta com a Senhora Presidenta,para que tome uma providência. Quero continuar acreditando que ela é uma mulher justa e tenha sempre êxito no combate à corrupção.

Maria Tereza Pereira Dias mariatereza@egpo.com.br

São Paulo

*

SEGURANÇA NOS VOOS

Tomei conhecimento sobre uma notícia no caderno Cidades, que tratava das chegadas antecipadas nos aeroportos em caso de voos internacionais. Muitas pessoas poderão reagir com indignação por conta de esperarem mais por seus voos, porém, o que são horinhas de espera, por um dia, quando sua segurança está em jogo, não é mesmo? Acho certo reforçarem nossas fronteiras, colocando pessoas qualificadas nos postos de segurança e terem mais cuidados quanto aos documentos necessários. Além do mais, hoje em dia, temos lojas, livrarias, restaurantes entre outros lugares no qual podemos nos entreter enquanto esperamos pelo voo. Na minha opinião, isso já deveria ter ocorrido há um tempo, o que falta no Brasil é segurança, espero que com as mudanças nosso país melhore.

Isabela Feltran isabela.feltran@hotmail.com

São Paulo

*

ZAGALLO RANCOROSO

O tal do velho bobo ou seria Lobo, za gagá llo, em mais uma infeliz declaração acerca de seus interesses na gloriosa CBF, disse que teremos que engoli-lo de novo. Xô, satanás! Por que pessoas como essas não ficam em casa tomando um leitinho quente ou cuidando dos netinhos. Aliás, os familiares sim tem que aguentá-lo, mas o povo brasileiro não! O Admildo Chirol não quer "voltar" também? Por favor, avisem para esse senhor que a ditadura já acabou, se é que ele vai entender isso. Nós vamos é te vomitar!

 

Renato Camargo natuscamargo@yahoo.com.br

São Paulo

*

‘QUER SABER? ESTADÃO’

 

Tenho acompanhado  essa campanha do Estadão pelo jornal e pela TV e considero oportuno o incentivo à leitura que ela leva a todas as classes, principalmente agora que os jovens estão muito aferrados à linguagem truncada  da comunicação eletrônica, sem se preocuparem em falar e escrever o português corretamente. Como leitor e assinante deste jornal há muitos anos, procuro fazer a minha parte dentro da família, principalmente junto ao meus três netos, quando brinco parafraseando o poeta Castro Alves,  dizendo a eles que: "Leitura caindo n'alma é germe que faz a palma é chuva que faz o mar". Para meu neto Yan de 8 anos que mora em Andradina/SP coleciono o Estadinho de todos os sábados e, a cada dez exemplares, ponho no correio para que ele  crie desde cedo o hábito da leitura também de jornais. E a chegada de cada coleção é sempre motivo de alegria para ele que logo liga para dizer que já leu quase tudo e  espera a próxima remessa.

 

Rubens Muniz Ferraz rferraz4@uol.com.br

São Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.