Fórum dos Leitores

ECONOMIA

O Estado de S.Paulo

21 Maio 2012 | 03h07

Outro 'pibinho' à vista

Analistas credenciados do mercado já falam abertamente em mais um pibinho para este ano, apesar das medidas de estímulo ao crédito, baixa dos juros bancários e cortes agressivos na taxa Selic. O governo, sempre otimista no mês de janeiro, projetava então crescimento de 4,5%, mas os petistas vivem de anunciar grandes feitos e, invariavelmente, colher resultados medíocres, a ver pelas obras do PAC, da Copa, etc. O melhor PIB dos últimos tempos foi o de 2010 - não por coincidência, ano de eleição -, quando crescemos 7,5%, todavia ao custo de expansão monetária e de um perigoso salto da inflação medida naquele ano. Poderíamos, sim, crescer rotineiramente a 4% ou 5% (mais ou menos metade do que cresce a China) se fizessem a dita lição de casa: dar um upgrade na política de investimentos, que sofre com o entulho ideológico, reduzir entraves burocráticos que nos dão o incômodo título de campeões em tempo perdido para abrir ou fechar uma empresa, cortar gastos públicos improdutivos, combater severamente a corrupção, desonerar a folha de salários, baixar o custo da energia, reduzir a carga tributária e mais uma série de outras medidas para pôr o País em linha com o desenvolvimento dos demais emergentes, a começar pelos Brics, bloco a que pertencemos. Mas, em vez de alavancar a produção e o investimento, tudo o que fazem é criar estímulos ao consumo, que já mostra seus limites, como se pode ver pelos pátios apinhados de automóveis 0 km esperando pelos compradores. Todos os números de maio indicam que o PIB de 2012 será ainda pior que o de 2011 - talvez 2,3%! Mas o governo já tem pronta a explicação: o bode expiatório da vez será a Grécia. E o pior é que o povo vai botar fé - quem viver, verá. Assim, de pibinho em pibinho segue o Brasil nas mãos de quem, definitivamente, já provou que não é do ramo.

SILVIO NATAL

silvionatal49@yahoo.com.br

São Paulo

A marolinha do Lula

Comentando sobre a crise do capitalismo iniciada em 2008 com a fusão de dois megabancos americanos, nosso megapresidente Lula, que continua no poder como sombra de dona Dilma, bravateou que ela passaria pelo País apenas como uma marolinha. Agora, quatro anos depois, eis o quadro: diminuição da oferta de empregos, dólar disparando, redução da remuneração das cadernetas de poupança e das exportações. Fora o impacto, aqui, da crise na Europa: falência grega, queda nas bolsas, desemprego espanhol e outras marolinhas mais...

CARLOS YOSHIKAZU TAKAOKA

cy.takaoka@hotmail.com

São Paulo

Carros encalhados

O governo federal está facilitando o crédito e barateando os juros para a compra de carros novos. O real incômodo do Planalto não é o encalhe, mas a queda de receita dos impostos.

MÁRIO A. DENTE

dente28@gmail.com

São Paulo

Estoque das montadoras

Apesar da choradeira, nós, pequenos frotistas, levamos 60 dias para receber dois míseros carros Gol 4. Essa gente é muito ineficiente e os vendedores das concessionárias continuam agindo como se fizessem um grande favor ao consumidor em conseguir um veículo.

HARRY RENTEL

harry@citratus.com.br

Vinhedo

Ora, os bancos...

Os bancos particulares, acompanhando a decisão dos estatais, promoveram relativa baixa dos juros sobre operações de crédito. Na contramão, porém, aumentaram, e muito, as taxas cobradas por outros serviços. Ledo engano de quem acreditava receber alguma benesse dos bancos privados. Os balanços publicados mostram lucros exorbitantes e em hipótese alguma eles iriam prescindir desse mar de dinheiro. Não há complacência dos banqueiros brasileiros com o cidadão.

FRANCISCO ZARDETTO

fzardetto@uol.com.br

São Paulo

TRANSPARÊNCIA

Lei de Acesso à Informação

A presidente Dilma diz que publicará os salários do Poder Executivo. Boa medida essa, pois, além dos valores, veremos o nome de muita gente, nessa "enorme" lista, que nada faz e muito ganha. Se for possível, acrescente os "por fora" que muitos recebem e não declaram ao leão.

ADEMAR MONTEIRO DE MORAES

ammoraes57@hotmail.com

São Paulo

Os extras

Dona Dilma, não nos interessam somente os salários do Executivo. O que mais tem de ser explicado são os "por fora", os "por trás" e os "por baixo"!

VICTOR GERMANO PEREIRA

victorgermano@uol.com.br

São Paulo

Cartões corporativos

Agora que a presidente Dilma decidiu publicar os salários de funcionários do Executivo, apoiando a Lei de Acesso à Informação, será que os gastos sigilosos com cartões corporativos também ficarão disponíveis aos contribuintes? Seria interessante que se fizesse um levantamento de tudo o que foi gasto com esses cartões nos últimos dez anos, em especial dado o aumento absurdo dos valores ano a ano e o que foi sacado em espécie. Conforme informou a Controladoria-Geral da União, o salário do funcionalismo "é pago com recurso público", logo, é público desde a origem. O mesmo pode ser dito dos gastos em cartões corporativos. Portanto, acesso total aos seus movimentos. Já!

SILVANO CORRÊA

scorrea@uol.com.br

São Paulo

Validade restrita?

O Senado não vai divulgar a folha de pagamento dos seus funcionários?! Afinal a lei da transparência tem validade restrita? Alguns obedecem e outros não? Até quando continuaremos a ser o país do me engana que eu gosto?

DARCY ANDRADE DE ALMEIDA

dalmeida1@uol.com.br

São Paulo

Limites

"A transparência tem limites", reclamam os servidores quanto à exposição pública dos seus vencimentos. Sim, os limites da Constituição... A corrupção pode não estar no contracheque, mas o excesso de um Estado manifestamente comercializado está.

AMADEU R. GARRIDO DE PAULA

amadeugarridoadv@uol.com.br

São Paulo

Cartas selecionadas para o Fórum dos Leitores do portal estadao.com.br

A CAMPANHA DO PT COMEÇOU EM SP

O Metrô de São Paulo, como bem disse Geraldo Alckmin, não teve um metro de trilho graças ao dinheiro ou à boa vontade do PT, o mesmo partido que usa e abusa dos canais de TV e rádios aliados ou mesmo capachos do governo federal para disseminar a ideia de que o Metrô de São Paulo não é meio de transporte seguro. Essa é a tática do PT de fazer campanha eleitoral tentando acachapar o adversário para tentar reduzi-lo à sua estatura nanica. Na manhã de sexta-feira (18/5) uma rádio de São Paulo já nos informava que havia novo ato de vandalismo na Estação Calmon Viana/Itaquaquecetuba, onde naquele dia, no mesmo lugar, houve roubo de fios. Com tantos atos de sabotagem em seguida ao outro, só um militante petista não enxerga que aí tem gente interessada em produzir matéria negativa para o PSDB nas eleições deste ano. Enquanto isso, Fernando Haddad, por não ter como melhorar o seu currículo enem suas realizações no Ministério da Educação, repagina o visual para a campanha eleitoral. Eleitor em São Paulo não se engana com formosuras nem com projetos "belezuras", quando por dentro o conteúdo é o mesmo pão bolorento...

Mara Montezuma Assaf montezuma.scriba@gmail.com

São Paulo

*

METRÔ

Os leitores do jornal Benedito Raimundo Correa e José Millei (Estado, 18/5/2012) se esqueceram de um item: incompetência generalizada, quando ao tal do suspeito "acidente" do Metrô. Se fosse em gestão do PT, era incompetência e pronto. Como é do histórico incompetente PSDB, de cara já falaram em falha técnica, operacional. Estranho, não é? E a terceirização neoescravista do modelo neoliberal de Sampa, ou melhor, Samparaguai? Pois é. O Estado mais rico da Nação, o Estado mais corrupto da Nação. Isso quer dizer alguma coisa? Incompetência generalizada e impunidade por atacado. Lamentável. Pagamos a maior taxa de transporte do mundo - máfia do transporte público? - e temos uma prestação de serviço que, sucateado, ruim, um lixo, com obras de estações superfaturadas e faraônicas, é uma vergonha.

Silas C. Leite poesilas@terra.com.br

São Paulo

*

FALTAM POUCO MAIS DE CINCO MESES

Você, cidadão, terá mais de 150 dias para se informar e escolher quem melhor esta preparado, e tem as melhores propostas para sua cidade. Este ano o País viverá mais uma vez a tão sonhada por muitos, a festa da democracia quando escolheram os prefeitos, vices e vereadores. Daí surge o seguinte questionamento, quais os limites para veiculação das propagandas eleitorais? A propaganda eleitoral só é permitida a partir do dia 6 de julho do corrente ano (lei n° 504/97, art.36, caput ss2°). Porém não é isso que estamos vendo pelas ruas, feiras livres, nas redes sociais e em outdoors que foram distribuídos em alguns pontos da região do ABC, por pré-candidatos de partidos em alusão ao dia das mães e ao aniversário de cidades. Porém a única propaganda permitida antes desta data (6/7) são os casos da propaganda intrapartidária pelo advento das convenções coletivas partidárias, ocorrendo internamente no ambiente dos partidos e da própria convenção devendo todo o material utilizado no final do dia ser retirado, para não ocorrer as sanções da lei. Entretanto segundo especialistas em legislação eleitoral, quem tem legitimidade para questionar as propagandas junto a justiça eleitoral é o ministério público, os partidos políticos, as coligações e os candidatos."Porém, no momento, não temos ainda candidatos e coligações, portanto caberia ao ministério público e aos partidos denunciar caso entendessem que ouve irregularidades". Para que fique claro o que é propaganda antecipada, podemos falar que são aquelas efetuadas contendo material com nome, foto, legenda, cargo disputado, enfim é uma associação do candidato pedindo voto aos seus eleitores. Outra abordagem muito usada em época de campanha política está relacionada a adesivos, displays, bandeirolas e flâmulas em veículos. Portanto, é necessário uma grande cautela e uma ampla assessoria para divulgação da candidatura política, para não ter dissabores e incorrer e ter de pagar multas pesadas e ainda ficar inelegível em razão da ficha limpa que já estará valendo na próxima eleição. Se vacilar, o bicho pega!

Turíbio Liberatto Gasparetto turibioliberatto@hotmail.com

São Caetano do Sul

*

O JÁ GANHOU DE JOÃO SANTANA

O marqueteiro do PT, João Santana, compara Fernando Haddad a Dilma Rousseff e prevê vitória dele para a Prefeitura da capital. Esqueceu-se de que a eleição é em São Paulo, e não no Nordeste. Dilma não ganhou por aqui. Como recomendou a ex- prefeita Marta, ele terá de "gastar muita sola de sapato", pois está até em tão esperando por Lula pra sair do anonimato.

Leila E. Leitão

São Paulo

*

TRÊS PATETAS

A propaganda do PT na TV com o Lulla, a Dilma e o Haddad, aquele do Enem que eninguém entendeu até hoje, me lembra um filme antigo, aliás, dois: Os três patetas ou o título em espanhol Los tres tontos. Haddad está mais perdido do que cego em tiroteio, e nem com mágica o combalido Lulla vai fazer milagre de novo. O raio não cai duas vezes no mesmo lugar.

Anibal Vilari anibalvilari@bol.com.br

São Paulo

*

ELEIÇÕES

Com o perfil de Padim Ciço pra os bolsistas família nordestinos de São Paulo, Dora Kramer tem plena razão quando diz que Lula merece nota 8 na escala de zero a 10 (Nacional, Obra em aberto, A6, 15/5). Quanto aos 3% de intenção de voto em Fernando Haddad, quando Lula reaparecer com artilharia pesada, certamente a situação vai ser bem outra.

Conrado de Paulo conrado.paulo@uol.com.br

Bragança Paulista

*

PARAÍSO DA MARACUTAIA

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) decidiu reduzir o valor da multa aplicada ao ex-presidente Lula em 2006 por propaganda eleitoral antecipada de R$ 900 mil para R$ 20 mil. Não há dúvida que a propaganda foi ilegalmente antecipada, todo mundo sabe e soube disso na época. Porque então essa redução na multa em mais de 97%?

Victor Germano Pereira victorgermano@uol.com.br

São Paulo

*

TRIBUNAL LULISTA

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) reduziu a multa inicial dada a Lulla de R$ 900 mil para apenas R$ 20 mil por conta de propaganda eleitoral antecipada. Isso deve fazer parte do PAC de Dilma para as obras assistenciais da campanha de Haddad à prefeitura de São Paulo! Mais uma vez, a justiça brasileira se vende a políticos corruptos envolvidos em escândalos como o mensalão, Cachoeira e Delta, além de outros tantos da era lullopetista. Aqui, no Brasil, a justiça tarda e sempre falha!

Boris Becker borisbecker@uol.com.br

São Paulo

*

2012 É ANO DE ELEIÇÕES

O povo brasileiro lamenta o nível da política partidária. A corrupção tomou conta dos noticiários e o povo está indignado. Jesus foi trocado por Barrabás. Pilatos lavou as mãos e foi omisso diante da possibilidade de salvar o Salvador da humanidade. Nós não seremos omissos! Iremos responder aos verdadeiros culpados evitando votar em corruptos. Ou fazemos assim, ou seremos a herança impura para as futuras gerações. Quem vota em corrupto está sendo corrupto. Está elegendo um representante à altura de quem votou nele. Não faremos como Pilatos! Seremos justos e buscaremos a verdade mesmo que o preço seja alto. O Brasil necessita de mudanças! A mentalidade de tomar vantagem em tudo não pode prevalecer. Com a consciência tranquila de um bom voto, vamos fiscalizar as contas públicas e saber direitinho para onde vai o dinheiro dos nossos impostos. O preço da liberdade é a eterna vigilância!

Paulo Roberto Girão Lessa paulinhogirao@uol.com.br

Fortaleza

*

CARIDADE

Mais uma caridade com dinheiro alheio. O Projeto Brasil Carinhoso prevê gastos de até R$ 2 bilhões. Depois alguns não sabem o porquê da popularidade do governo Dilma, como foi o do ex-presidente Lula. PAC, Bolsa-Família, Minha Casa, Minha Vida, que algumas já estão desabando, e quem paga isso tudo?

Panayotis Poulis ppoulis46@gmail.com

Rio de Janeiro

*

AS CRECHES DO PAC

Números claros da sovietização do planejamento que nem sequer sai do papel, essa é a cara comunista do PT. Leva-se muito tempo só discutinod para onde vão os mensalões das obras.

Ariovaldo Batista arioba06@hotmail.com

São Bernardo do Campo

*

A DEPLORÁVEL EDUCAÇÃO BRASILEIRA

As informações discretamente divulgadas pelo governo federal - para não demolir a candidatura de Fernando Haddad à Prefeitura de São Paulo - dizem que o índice de reprovação no ensino médio foi de 13,1%. São alunos que não conseguem escrever, ler e calcular. Como, por exemplo, receberem um diploma que os habilitam a construir uma casa de até 80 metros quadrados, concorrendo com engenheiros? Impressiona que o orgulhoso estado governado pelo Sr. Tarso Genro seja o campeão da inépcia (20,7%), seguido do glamouroso Rio e do Distrito Federal (18,9). Nas redes municipais (Pará e Mato Grosso) a realidade é de estarrecer (62,5% e 40,3%), segundo editorial de O Estado. Essa é a imagem verdadeira - e triste - da educação brasileira, que o marketing do governo oculta sob as grandezas do Pro-Uni e do Sistema de Cotas na cúpula da pirâmide de barro.

Amadeu R. Garrido de Paula amadeugarridoadv@uol.com.br

São Paulo

*

A TRAMOIA DOS JUROS

A presidente Dilma disse que é preciso fazer uma reforma tributária pontual. Não sei bem o que significa pontual, visto que pagamos a maior taxa de imposto do mundo e não vemos nenhum parlamentar se desdobrando para fazer a reforma tributária de que o país precisa. Desde sua posse a presidente vem cobrando em momentos pontuais a reforma tributária. Com o sistema de governo que hoje está instalado no Brasil onde nada se aprova se não houver a propina, a presidente fica de mãos amarradas. Ela deve toda essa tramoia ao seu sucessor que para legitimar a corrupção criou o termo "governabilidade". Aos governistas tudo, aos outros a lei. O Brasil está em primeiro lugar no ranking de arrecadação e um dos últimos a devolver o que arrecada em benefícios à população. O dia em que as pessoas que pagam imposto entenderem a matemática a que estão sujeitas, quem sabe as coisas mudam. Ainda ouvimos pessoas dizerem fulano quebrou aquela estátua, ainda bem que é do governo. Como se ela não pagasse pelo seu conserto. Com pessoas pensando assim é difícil dar um passo rumo ao desenvolvimento.

Izabel Avallone izabelavallone@gmail.com

São Paulo

*

EU 'JURO'

A grande questão envolvendo os juros e a marolinha inflacionária teve início na ocasião do mensalão, quando o grande irmão latino americano Lulla disse: "Eu juro que não sei de nada"... E muitos acreditaram!

José Jorge Ribeiro da Silva jjribeiros@yahoo.com.br

Campinas

*

INFLAÇÃO PARA AJUSTAR MAIS VALIA

Uma forma bastante antiga de corrigir as contas públicas é baixar os juros a serem pagos aos títulos do governo a num nível inferior à uma suave inflação, provocando simultaneamente uma desvalorização da moeda pelo período de ajuste. É uma maneira política de ajustar os valores. É socialmente preferível que 1.000 pessoas tenham cada uma uma renda de 9.000 moedas do que 900 pessoas com renda de 10.000 moedas. Mas é pouco provável encontrar gente que aceite esse tipo de redução. Aqui no Brasil tem alguns sindicatos têm aceitado a redução do salário combinado com a redução de jornada. Eu mesmo participei de várias negociações na quebra brasileira de 1982. Mas não foi fácil. Na Alemanha ocorreram alguns acordos que reduziram os salários, sem redução de jornada, mantendo a sua economia em saudável sustentação e de produtividade. É um processo que até pode ser considerado cruel porque a primeira impressão é de que serão os que tem renda fixa é que pagarão a conta, como os assalariados, os aposentados e os proprietários de imóveis de aluguel. O investidores também terão sua riqueza diminuída, quer estejam em títulos da dívida pública ou em ações de companhias. Na vida real o investidor privado ou institucional que passa a receber rendimento de 1% ao ano numa economia que tem uma inflação de 3%, estará na verdade perdendo 2% ao ano, representando um importante ajuste em cinco anos. E não tem outra alternativa segura de investimento no mesmo mercado. Esse tipo de remédio parece-me que está sendo aplicado na economia norte americana porque lá não funciona a correção monetária indexadora da economia. Tal como ocorre em parte dos preços no Brasil. Na Grécia as pessoas estão protestando de forma turbulenta para esse tipo de ajuste e que certamente culminará na sua saída da comunidade do euro. Então será mais fácil ajustar com sua moeda desvalorizada.

Hélio Mazzolli mazzolli@terra.com.br

Criciúma (SC)

*

ESPÓLIO DOS EMBUSTES

É difícil até achar adjetivos para mostrar nossa indignação contra o que vem ocorrendo nestes últimos anos dentro das nossas instituições. Agora nesta Comissão de Ética do Cachoeira/Delta o ápice da picaretagem vem do deputado Candido Vaccarezza, que de dentro do recinto em que se desenvolve a CPI, liga para o Governador Sergio Cabral, cúmplice das maracutaias da Delta, para dizer: "não fique preocupado, você é nosso, e nós somos teu". Não é uma declaração de amor entre um casal, mas sim a confirmação de que Cabral não seria convocado para depor, graças a um acordo excrescente entre o PT e o PMDB. Assim como livraram desta tarefa outros políticos aliados. O que ocorreu na CPI (17/5/2012) é um acinte! Ou melhor, é fruto de uma máfia de políticos controlando a Comissão de Ética, para livrar companheiros pegos em gravações da Polícia Federal envolvidos neste lamaçal Cachoeira/Delta. E o Palácio do Planalto é cúmplice direto desta farsa. Porque sabem que os milionários contratos de obras do PAC com a Delta, teve cobrança de pedágio, e atingiria facilmente o governo Dilma... E a não convocação de Cabral, e do ex-presidente da construtora, Fernando Cavendish, entre outros, revela a teia do verdadeiro "espólio Lula", que como legado deixa mais e mais camaradas a serviço da corrupção. E esta herança maldita está custando muito caro ao País...

Paulo Panossian paulopanossian@hotmail.com

São Carlos

*

FOGO E PAIXÃO

O "Dilma, eu te amo" do Lupi não tem nem de longe a "sustança" de um "Cabral, você é nosso e nós somos teu" do Vaccarezza.

A.Fernandes standyball@hotmail.com

São Paulo

*

E TU?

Tu também, Vaccarezza?

José Piacsek Neto bubapiacsek@yahoo.com.br

Avanhandava

*

OS POLÍTICOS, A POLÍTICA E A MARMELADA

As CPI sempre foram muito mais um palco para projetar os políticos, que apesar de eleitos representantes do povo, cometem com frequência o crime de locupletação. Utilizam-se das suas funções para outras finalidades. Quando não utilizam-se das mídias e da imprensa em geral para se mostrar ativos em defesa de tudo, menos do que é do interesse da nação. A decisão da CPI de livrar os governadores das suspeitas de esquemas ilegais, vai continuar beneficiando os esquemas políticos e partidários, tanto da situação como os da oposição, em nome de uma estabilidade e da governabilidade. Depois desses acordos envolvendo situação e oposição que estavam no mesmo barco, todos foram colocados a margem das passiveis investigações. Até mesmo a circulação de dinheiro ilegal, nas campanhas eleitorais e de enriquecimento ilícito, ou de discutível licitude. O golpe foi de profissionais, quando a política deixa de ser ciência para ser moeda de troca. Antigamente o palhaço que animava as tarde no circo, perguntava para a platéia: "hoje tem marmelada, tem goiabada, tem ladrão de mulher"... e a platéia respondia: "tem sim senhor". Vamos encerrar logo esta historinha, para não corrermos o risco de sermos mal interpretados. O eleitor no Brasil, assim como a imprensa, alem dos riscos normais que todos corremos, de não estarmos sendo bem representados ou de retratar a informação com outras intenções, ainda corremos o risco de processos por denegrir a imagem das instituições, que mesmo que estejam mal avaliadas, até em pesquisas acadêmicas. Ainda bem que no parlamento existe só um Tiririca, e podemos afirmar que é um palhaço que tem a dignidade, que muitos deixam sérias duvidas de que as possuam. Não é preciso ser um palhações para demonstrar algum atributo de caráter. Segundo a recente pesquisa concluída, no primeiro trimestre desta ano de 2012, pela Faculdade de Direito, da Fundação Getúlio Vargas, os políticos e o Congresso Nacional estão as piores instituições avaliadas pela população brasileira no Índice de Confiança na Justiça (ICJ Rasil). O Judiciário é também mal avaliado, pela população de menor renda, principalmente pela desconfiança gerada pela burocracia dos tribunais e pelo tempo na solução dos processos. Com a criação do Conselho Nacional de Justiça, em 2005, o Judiciário passou a ter significativas melhoras, que ainda não costumam ser reconhecidas pela maioria da população. O fato alarmante que se destaca nesse projeto de pesquisa e que é mais surpreende, segundo Luciana Gross da Cunha, coordenadora dessa pesquisa, é que o povo brasileiro não confia na democracia como regime político. As Forças Armadas, a Igreja Católica e o Ministério Público são as instituições mais bem avaliadas. A democracia no Brasil sempre foi pouco representativa. Para ser eleitor no Brasil, existia uma série de exigências como comprovar atividade profissional e renda "suficiente" e as mulheres foram finalmente reconhecidas com o direito de votar e ser votada, apenas depois de 1932. Alem da marginalização imposta pelas Leis restritivas, o Brasil sempre correu riscos do golpe de Estado. Os golpes contra as liberdades de expressão e das manifestações da vontade popular, através do voto, foram consequência de uma estratégica que foi muito bem preparada e urdida por civis insatisfeitos, que viviam nos palácios e nos bastidores do poder. As oligarquias, com a ajuda dos aristocratas, manipulavam o controle do poder a qualquer preço. Como as oligarquias não dispunham e não dominavam as armas e muito menos um conhecimento suficiente para sustentar uma revolução no Brasil, recorreram aos aristocratas. Bem orientados, foram fazer intrigas nos quartéis envolvendo temas como civismo, a defesa da pátria e da soberania nacional. Na nossa história, como no período do Império, depois da proclamação da República os militares, os políticos, os governantes, os juízes, os magistrados e os religiosos que se constituíam na mais fina flor da sociedade, do glamour, das festas, da nobreza e da aristocracia. Sempre se mantiveram ao lado dos mais ricos proprietários de terras e dos donos da riqueza e do poder econômico. As oligarquias ainda hoje se julgam os donos absolutos das riquezas produzidas no solo desta pátria. Com o advento da democracia e do voto, a aristocracia perdeu sua força, mas resistem e não se cansam de afirmar que o povo não sabe votar. Insistem no controle da política. A emancipação social e política de um povo sempre incomodou os poderosos, que se julgam os donos do poder. O Estado eficiente é a nação e o povo emancipado. A preservação dos valores da cultura de um povo, o acesso a educação e ao conhecimento são as ferramentas essenciais para que o povo consiga garantir os seus direitos, votando sempre para nos livrar dos políticos que estão fazendo da política uma profissão e o que bem entendem como o nosso voto e com o dinheiro público.

Sinésio Müzel de Moura sineisomdemoura@hotmail.com

Campinas

*

PAC X DELTA

Será que o ex-presidente, enrolado no mensalão, e a mãe do PAC, a única que entendia de tudo, vão estar presentes no palanque do candidato Haddad para explicarem como a Delta "ganhou" entre 2007 e 2010 a execução de aproximadamente 300 obras, e agora a Delta está enroscada até o pescoço na CPI do Cachoeira? Seria uma ótima oportunidade para eles esclarecerem aos eleitores de São Paulo! Espero que os eleitores paulistanos não deixem esta camarilha de petralhas entrarem na cidade.

Antonio Carelli Filho palestrino1949@hotmail.com

São Paulo

*

SONO REPARADOR

O senador Pedro Simon foi flagrado dormindo durante a reunião da CPI do Cachoeira. Ele realmente deve estar muito interessado no assunto!

José Marques seuqram.esoj@bol.com.br

São Paulo

*

PMDB

Para ilustrar a fala de Nelson Jobim nada mais ilustrativo que a foto de Pedro Simon dormindo na reunião da CPI. Acorda, PMDB!

José Roberto Palma palmapai@ig.com.br

São Paulo

*

CORRUPÇÃO EM GRANDE ESTILO

Na Petrobrás também? Claro, não podia ficar de fora, prova está em rescindir agora contrato com a Delta, no valor de R$ 846 milhões, pelas obras no complexo Petroquímico do Rio de Janeiro. O fim do acordo foi devido o baixo desempenho, que só perceberam agora? Essa CPMI do Cachoeira, se for pra valer, vai ser difícil ficar alguém de fora da "roubalheira" do dinheiro público e da estatal. Será que só vão condenar os opositores dos (des)governos do PT e alugados? Se assim acontecer, será a confirmação do maior descaso e desrespeito oficial declarado... Não acham? Ou vão transformar em pizzaria ao estilo do PT?

Luiz Dias lfd.silva@uol.com.br

São Paulo

*

ESPERTEZA E ENGODO

Na aética campanha antecipada de Dilma Rousseff, a mãe do PAC e o presidente Luiz Inácio, no dia 14 de maio de 2010, apostaram na alienação do eleitor brasileiro e batizaram, com pompa e circunstância, o navio João Cândido, primeiro de muitos. Na cerimônia, o demagogo usou o velho estilo ufanista e autólatra que elimina qualquer compromisso com a realidade e empolga os crédulos. Hoje, dois anos passados, descobrimos que o extraordinário estaleiro, símbolo da grandeza da pátria amada, só fez uma entrega: o casco da plataforma P-55 da Petrobrás e o cândido João está prometido para o dia 25 deste mês. Bem, se a esperteza já cresceu, está na hora engolir o homem.

Helena Rodarte Costa Valente helenacv@uol.com.br

Rio de Janeiro

*

AUMENTOS

Graça Foster, presidente da Petrobrás, já nos alertou anteriormente quanto à necessidade de aumentar os preços dos combustíveis. Agora, mediante queda declarada nos lucros da empresa, é só aguardar, pois têm argumentos suficientes para que em poucos dias tenhamos novidades e surpresas para nossos bolsos. E não será pouco, basta aguardar!

Angelo Tonelli angelotonelli@yahoo.com.br

São Paulo

*

NÚMEROS PREOCUPANTES

Os meios de comunicação fornecem estatísticas das mais variadas, quase que diariamente, algumas corriqueiras, outras que deveriam ter um tratamento mais atencioso dada a importância que esses números encerram. Estatística do Ministério da Saúde mostram que durante o ano de 2010, o trânsito foi responsável por 42.844 mortes o que equivale a 117 por dia. É como se a cada dia 117 pessoas já estão condenadas à morte, a maioria numa faixa de idade em que estão iniciando um projeto de vida. Essa estatística não menciona outros tantos que sobrevivem aos acidentes mas são acometidos de sequelas irreversíveis. O caos total do trânsito está batendo à porta. Estacionar, até nas mais pacatas cidades está ficando impossível.Autoridades do governo anunciam que a indústria automobilística deverá produzir acima de 3 mi de veículos para este ano.A produção e venda de motos cresce, reduzindo ainda mais os espaços.Uma providência quase mágica deverá ser encontrada, do contrário,o caos tomará conta das metrópoles. Os veículos se multiplicam, os espaços se reduzem. A solução é ocupar o espaço aéreo. A indústria de automóveis terá que dar um tempo. E aí ? Sei lá.

Jair Gomes Coelho jairgcoelho@gmail.com

Vassouras (RJ)

*

SÓ DISCURSO

Com a sequência de escândalos de corrupção que todos os dias a imprensa publica, explica-se por que, com trilhões de reais que são arrecadados de impostos, nossos hospitais públicos continuam com tantos enfermos "jogados" nos corredores da vida. Na semana passada um canal de televisão publicou uma matéria mostrando a situação que se encontra os hospitais público em Salvador (Bahia). Se nossa mandatária Dilma Rousseff tivesse a oportunidade de assistir à reportagem, presumo que ela não teria coragem de dizer que a saúde no Brasil melhorou. As imagens mostraram pessoas portadoras de doenças graves, encontravam-se deitadas no chão por falta de leito, ou melhor, nem macas disponíveis o hospital possuía. "Presidenta" Dilma, esse é o país de todos, como a senhora tanto se vangloria de dizer?

Virgílio Melhado Passoni mmpassoni@gmail.com

Jandaia do Sul (PR)

*

SOBERBA

O Brasil tem um governo soberbo e perdulário. As obrigações básicas, precárias ou péssimas, mas na publicidade tudo funciona exemplarmente. Na saúde suas excelências recorrem ao Sírio Libanês, enquanto o povo pena ou morre nos atendimentos emergenciais; na segurança postulamos um cargo na ONU, mas internamente impera a criminalidade; na educação estamos na rabeira mundial, mas apregoamos crescimento quantitativo de universitários enquanto as crianças passam de ano sem o adequado aprendizado e no topo, num claro atestado de incompetência, oficializamos cotistas raciais; nos transportes os aeroportos não atendem à demanda e estão sendo privatizados, as rodovias, além de saturadas estão péssimas, inseguras e também estão sendo privatizadas sob a forma de pedágios, os portos inadequados à calagem dos navios e mal aparelhados; no saneamento pouco avançamos nas últimas décadas; o custo Brasil, aos poucos, na concorrência internacional, inviabiliza a indústria brasileira, eliminando postos de trabalho e fechando fábricas. No entanto a carga tributária beira 40% enquanto há 15 anos era de 25%, o governo corta investimentos, mas não reduz a onerosa e paquidérmica máquina pública nos Três Poderes, a roubalheira cresce assustadoramente devido à impunidade. O Brasil é teoricamente rico, mas patina devido ao enriquecimento e má administração da classe dominante.

Humberto Schuwartz Soares hs-soares@uol.com.br

Vila Velha (ES)

*

DEMOCRACIA DE ACÉFALOS

A Democracia da Republica dos acéfalos lança mais uma, a partir do dia 1º de junho todos serão obrigados a possuir cartão do Sistema Único de Saúde (SUS) para ser atendido até em planos de saúde particular, não faltava mais nada! Acho que teremos direito a ambulância com escolta e batedores e atendimento Vip como certo Presidente de partido ou até mesmo ser embalsamado no Hospital Sírio Libanês como o jurássico Sarney. O Governo através do Ministério da Saúde deveria ter vergonha de fazer tal exigência ,pois, o SUS para se tornar ruim tem que melhorar muito.

Jose Mendes josemendesca@ig.com.br

Votorantim

*

NÃO À IMORALIDADE EM SP

Nem tudo é imoralidade em nosso país. Estão de parabéns os desembargadores do Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP), que por enquanto conseguiram evitar que os planos particulares de saúde se apossem dos hospitais públicos do Estado de São Paulo, já entregues por Geraldo Alckmin à sanha desses insaciáveis convênios médicos.

Ademir Valezi valezi@uol.com.br

São Paulo

*

SUJEIRA NAS RUAS DE SAMPA

Estou me tornando numa espécie de 'gari voluntário', recolhendo o lixo jogado nas ruas do meu bairro, Pinheiros, na zona oeste de Sampa. É impressionante a quantidade de papeis, plásticos, embalagens, etc., que as pessoas jogam no chão. Não é falta de lixeiras nem de varrição. É um problema cultural e da falta de educação da população. Pior : isso revela ainda a baixa auto estima das pessoas, falta de civilidade e de respeito pelo espaço público e coletivo. Quem tem auto estima, cuida das coisas e quer estar em locais bonitos, limpos e bem cuidados. Ruas e calçadas jamais poderiam ser tratadas como se fossem uma grande lixeira. Precisamos urgentemente tomar 2 medidas: investir na educação das pessoas e aplicar multas pesadas para quem jogar lixo na rua. Sem isso, continuaremos morando numa cidade suja e descuidada, maltratada pelos seus próprios habitantes.

Renato Khair renatokhair@uol.com.br

São Paulo

*

TRISTES REDORDES NO TRÂNSITO

É vio que morrem mais motociclistas no trânsito, pois eles estão acima da lei. Enquanto nós motoristas temos que nos ater às leis, respeitar a velocidade máxima permitida, os semáforos, as mãos de direção, os motociclistas andam na velocidade que suas motos permitirem, trafegam na contramão, sobem em calçadas, desrespeitam semáforos e até falam ao celular sem que absolutamente nada lhes aconteça. Nenhum guarda vê, nenhum radar os alcança. Enquanto as autoridades não decidirem que motociclistas também deverão ser obrigados a respeitar as leis de trânsito, eles continuarão a ser as maiores vítimas dos acidentes que, na maior das vezes, eles mesmos causam.

Roberto Grad

rgrad@carma.com

São Paulo

*

EDUCAÇÃO

Estamos vivendo um diário 11 de Setembro de 2001 no trânsito de São Paulo. Com a banalização do crédito para vender carro a qualquer custo e o Brasil não adotou o ingrediente mais importante para se dirigir em uma grande cidade, juntamente com as aulas de direção tem que haver, aulas de educação básica, tipo: você deve respeitar seu semelhante, ajudá-lo, dar licença, você não é o centro do universo, o direito não foi inventado por sua causa, o automóvel é um privilegio concedido, e não um pedaço de seu corpo, muito menos de seu ego ou virilidade, ocorre que transformamos qualquer Mané em motoristas aí são diárias as fechadas, atropelamentos, falta de educação, e casos absurdos como um moleque de 15 anos esfaquear no shopping Raposo uma mulher por ter encostado no espelho retrovisor do carro da mãe.

Roberto Moreira da Silva rrobertoms@uol.com.br

Cotia

*

THOR BATISTA

Thor, a 135 km/h, é denunciado: Ministério Público acreditou na "peça de ficção". Acabaram-se as especulações sobre o caso Thor Batista. Como me referi em artigo anterior sobre o caso, era incoerente e injusto apontar a culpabilidade de Thor sem o anúncio conclusivo da prova técnica, somente pelo fato do envolvido ser filho do homem mais rico do Brasil (Eike Batista) e uma das maiores fortunas do mundo. Acidentes fatais, na barbárie diária do trânsito brasileiro, acontecem a todo instante, porém Thor Batista é uma celebridade e será sempre notícia, como herdeiro de um grande império. Até então, além da conclusão da perícia indireta, que apontava a velocidade máxima de deslocamento da Mercedes conduzida por Thor em 104,4 km/h-a perícia foi contratada pela defesa de Thor -outros fatos colocavam o jovem em situação de comodidade em relação a sua culpabilidade no acidente fatal. Primeiramente porque, segundo declarações de policiais rodoviários, que acorreram ao local logo após o acidente, Thor Batista não apresentava nenhum sinal de ingestão de bebida alcoólica. Por sua vez, o exame cadavérico do ciclista Wanderson Pereira dos Santos, concluira que a vítima fatal possuía, em sua corrente sanguínea, um alto teor de alcoolemia: 15,5 decigramas de álcool por litro de sangue.Ou seja, quase oito vezes a dosagem alcoólica tolerável ( 2dg) para condutores de veículo automotor. Ademais, noticiou-se em seguida que o ciclista foi colhido pelo carro de Thor ao atravessar inadvertidamente a via, no centro da pista de rolamento e não no acostamento da rodovia como o relato inicial de algumas testemunhas. No entanto, apesar de todos os fatos, até então trazidos a conhecimento público , faltava, para desvendar o mistério do grave acidente, a peça principal que orientaria a investigação no inquérito policial: o laudo técnico oficial sobre a velocidade com que Thor conduzia o veículo. O mistério foi findo dias atrás com a divulgação do aguardado laudo pericial: Thor conduzia o veículo a cerca de 135 km/h, numa rodovia em que o limite máximo permitido é de 110 km/h.Com base na prova oficial o jovem foi denunciado nesta quarta-feira, 16/05, por crime de trânsito, previsto no Artigo 302 do Código de Trânsito Brasileiro (homicídio culposo). Para o Ministério Público do Rio de Janeiro prevaleceu a prova técnica sobre o acidente fatal em que o ciclista Wanderson Pereira dos Santos foi atropelado e morto pelo carro conduzido por Thor, na rodovia Washington Luiz, na noite de 17 de março deste ano. Thor havia sido imprudente ao volante. De acordo com o depoimento de testemunhas, pouco antes do acidente e descrito no laudo, Thor Batista dirigia em zigue-zague e ultrapassou um ônibus e um carro pela direita, o que é proibido pela regra de trânsito. Em seguida, segundo a investigação, voltou para à pista da esquerda e logo depois houve o choque com o ciclista. O corpo da vítima (dilacerado) foi parar a alguns metros do local de impacto (não se pode precisar a que distância sem acesso ao laudo). Registre-se também que as avarias no carro de Thor foram consideráveis, conforme fotos pós-acidente. O Ministério Público, com fulcro no Artigo 294 do Código de Trânsito Brasileiro, em nome da ordem pública, como medida cautelar, solicitou ainda a imediata suspensão do direito de dirigir de Thor Batista, que acumulava, segundo o promotor Marcus Edoarado de Sá Earp Siqueira, 11 multas em seu prontuário, sendo 9 por excesso de velocidade, tudo isso com pouco mais de 2anos de habilitação. Os renomados juristas, Marcio Thomas Bastos e Celdo Vilardi, advogados de Thor, informaram que, apesar de não terem tido acesso à denúncia do Ministério Público, consideram que o processo penal é um equívoco e comprovarão a inocência do jovem cliente. Dias atrás alegaram que o laudo pericial oficial era uma "peça de ficção". O Ministério Publico acreditou na "peça de ficção". Ou seja, o laudo acabou complicando a vida de Thor e as especulações se encerraram com a prova técnica até aqui válida. A culpa do acidente, até prova em contrário, foi dos dois atores: vítima alcoolizada e motorista em excesso de velocidade. Especialistas em segurança de trânsito afirmam que a Mercedes de Thor deveria estar a pelo menos 80 km/h quando atingiu o ciclista. Segundo legistas, o risco de morte é de praticamente de 100% quando o carro está a mais de 80 km/h. Ultrapassados os 80 km/h, a cada quilômetro a mais, aumentam as chances de fratura na coluna, rompimento de artérias importantes e até desmembramentos e amputações. No caso em questão, testemunhas afirmam que corpo da vítima foi totalmente dilacerado. Veja agora a nota, na íntegra, da defesa de Thor Batista sobre o laudo técnico oficial: "A assertiva de dois peritos a propósito da velocidade empreendida pelo carro dirigido por Thor Batista, "com base em leis físicas oriundas da mecânica newtoniana", é inaceitável e causa indignação, uma vez que desacompanhada de qualquer método ou cálculo explicativo. Da forma como lançada no documento, a velocidade é uma afirmação que se traduz em peça de ficção científica, sendo impossível compreender, inclusive, como os peritos chegaram ao resultado. Prossegue a nota: Não bastasse, laudo particular, levando em conta os mesmos dados contemplados no laudo oficial, determina que o carro estava entre 87,1 e104,4 Km/h e explica que só há um método confiável, de acordo com toda a doutrina que trata o tema, para efetuar a estimativa: o método de Sirle, que leva em consideração a distância entre o corpo da vítima e o local do acidente. A partir desses dados, o referido laudo percorre um caminho absolutamente científico e lógico-causal para chegar a tal conclusão. Desta forma, confiamos no arquivamento do inquérito policial, tendo em vista que Thor Batista não deu causa ao trágico acidente". Resta saber agora se a Justiça também acreditará ou não na "peça de ficção". O Ministério Público acreditou. Por enquanto, ficam uma pergunta e uma constatação. A pergunta: Será que peritos nacionais não têm a devida capacidade para atestar a velocidade de deslocamento de um veículo importado de grande potência e altamente sofisticado? A constatação: O jovem Thor Batista, face ao comportamento imprudente ao volante, precisa, mais do que nunca, de uma boa medida reeducativa de trânsito. Não há dúvida. Precisa aprender, para o seu próprio bem, que a imprudência ao volante transforma o carro numa perigosa arma mortífera.

Milton Corrêa da Costa milton.correa@globomail.com

Rio de Janeiro

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.