Fórum dos Leitores

INSEGURANÇA PÚBLICA

O Estado de S.Paulo

05 Junho 2012 | 03h11

Arrastões

Para coronel da PM, restaurantes têm de gastar mais com segurança é o título da página C3 de 2/6, após novo arrastão em restaurante de São Paulo. Aliás, um oficial da polícia recomendou meses atrás aos contratantes de segurança privada que cobrassem mais das empresas, pois estas não vêm oferecendo aquilo a que se comprometem e seus vigilantes são mal treinados... Como cidadão de um Estado de Direito, permito-me perguntar: a quem cabe fornecer segurança aos cidadãos que pagam pesados impostos para recebê-la? E não só segurança, mas também saúde e educação, que o Estado brasileiro não fornece, ou fornece de maneira precária, salvo raríssimas exceções. Pergunto ao sr. coronel: qual seria a sua reação se amanhã a Eletropaulo lhe solicitasse instalar um gerador de energia, à sua própria custa, para gerar energia nos horários de pico, mas não diminuísse a conta de luz? Ou se a Sabesp passasse a fornecer água contaminada barrenta e solicitasse que ele a purificasse à sua custa, mas continuasse a cobrar a mesma conta de fornecimento? Ou se ele tivesse de pagar mais do que já paga para mandar seus filhos à escola, seja ela pública ou privada? Ou, para nos atermos a uma novidade, a Prefeitura exigisse que ele passasse a fornecer as lâmpadas dos semáforos que queimaram nas redondezas de sua residência? Acredito que acharia um abuso. Viver num país onde a polícia não consegue fornecer a segurança necessária aos seus cidadãos é muito triste. E ouvir conselhos dessa mesma polícia como aquele acima é um absurdo! P. S.: Não sou dono de restaurante.

ARRIGO H. B. TERNI

arrigot@gmail.com

São Paulo

Em Higienópolis

Fiquei pasmo ao ler no Estadão: "Para o tenente-coronel João Luiz Campos, comandante do 7.º Batalhão da Polícia Militar, responsável por Higienópolis, os clientes 'precisam começar a escolher os restaurantes que frequentam levando em consideração também a segurança oferecida pelo local. Além da qualidade da comida e da limpeza, é preciso também saber se oferece seguranças e câmeras, por exemplo'". Para que pagamos impostos? Temos de comprar planos de saúde privados porque o SUS atende muito mal. Temos de pagar escolas particulares porque as públicas, na maioria, estão depredadas, sujas e malcheirosas. Temos de trocar nossos carros com frequência porque nossas ruas são mal conservadas. E agora temos também de cuidar nós mesmos de nossa segurança? Então, qual a finalidade dos impostos? Será apenas para serem rateados entre a corrupção e a ineficiência? Qual a lógica de se pagar salário a esse "responsável" pelo policiamento?

MARCOS SUSSKIND

eulerei@estadao.com.br

São Paulo

Pré-História

Lamentável a sugestão do comandante do 7.º BPM quando diz que os proprietários precisam investir mais em segurança e os clientes, levar em consideração aspectos como câmeras e vigias ao escolherem locais para almoçar e jantar. O pior é que não é a primeira vez que ouvimos barbaridades dessa natureza. É a total falência dos setor público e o reconhecimento do lamentável estado em que se encontra a cidade. Se já tínhamos uma administração municipal inoperante e descomprometida com o cidadão, temos também uma administração estadual falida e sucateada. O cidadão paulistano (contribuinte), a seguir as recomendações das autoridades, sejam municipais, estaduais ou federais, é remetido à Pré-História, quando tinha de cuidar por conta própria de sua sobrevivência e da de sua família, embora com uma singela diferença: o homem pré-histórico não pagava impostos, taxas e outras contribuições destinadas hoje a sustentar a corrupção neste país.

MAURICIO ADRIANO NIEL

mauniel@terra.com.br

São Paulo

Semáforos

A Diretoria de Representação dos Empregados da Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) cumprimenta e agradece aos repórteres Bruno Ribeiro, Nataly Costa, Márcio Fernandes e a todos os que colaboraram pela excelente reportagem sobre a questão semafórica na cidade (30/5). Conseguiram passar de forma clara e objetiva aos leitores um assunto que muito nos preocupa. Infelizmente, a falta de gestão dos atuais administradores da CET parece proposital. A falta de lâmpadas para reposição é só uma parte de um grande problema. O sucateamento dos controladores e das centrais de controle dos semáforos é tão grave quanto e também expõe os usuários a risco de acidentes. Esta diretoria já esgotou todas as possibilidades de encaminhamento dessas e de outras situações em todas as instâncias do governo municipal, sem sucesso. Talvez informando a população por meio de trabalhos jornalísticos brilhantes como esse o sr. prefeito resolva agir. Se é que ainda dá tempo. Em nome dos colegas da CET que estão fazendo milagres para que a cidade continue andando com um mínimo de segurança, muito obrigado!

ADELMO VANUCHI, diretor

dr@drcet.net

São Paulo

Moradores de rua

Foi noticiado que a polícia de cidade do nosso Estado prendeu moradores de rua, acusados de vadiagem, como se eles pudessem viver de forma diferente e não o fizessem por vontade própria. Uma vez nas ruas, esses infelizes entram em rápida decadência e morrem. Só quem não tem misericórdia não se apieda desses nossos infelizes irmãos. Certamente prendê-los não será a solução!

NISE SILVA

novorumo.helo@uol.com.br

São José dos Campos

IMPOSTOS

Indústria farmacêutica

Parabéns ao jornalista Carlos Alberto Sardenberg pelo artigo A escolha de Brasília (4/6, B2), que critica a falta de iniciativas do governo para a redução dos impostos na indústria farmacêutica. A Associação Brasileira de Redes de Farmácias e Drogarias (Abrafarma) luta incessantemente por essa medida, que ampliaria consideravelmente o acesso a medicamentos. Não podemos aceitar uma carga tributária de 36% para um setor estratégico da economia, enquanto lanchas, diamantes, helicópteros e cavalos puro-sangue têm alíquotas inferiores a 7%. Há quatro anos realizamos uma campanha de mobilização popular que resultou em 3.644.828 assinaturas contra tal absurdo. É uma pena que outras indústrias, como a automobilística, tenham prioridade sobre a saúde da população. Mas não vamos desistir!

SÉRGIO MENA BARRETO, presidente executivo da Abrafarma

diogo@scritta.com.br

São Paulo

Cartas selecionadas para o Fórum dos Leitores do portal estadão.com.br

AUSÊNCIA DE MARTA

Ao comentar sobre a ausência de Marta Suplicy no evento de lançamento da candidatura de Fernando Haddad no pleito paulistano, as palavras de Edinho Silva, presidente do PT de São Paulo, disseram tudo: "Os petistas têm como principal objetivo eleitoral, em 2012, a prefeitura da capital não porque almejam implantar melhorias no cotidiano dos moradores da cidade, mas porque pretendem cumprir uma etapa do ‘projeto político’ do partido". Ora, conquistado o poder federal desde 2003, a última fronteira que deve ser rompida pelos petistas encontra-se em São Paulo. Uma vitória na maior cidade do Brasil é essencial para a grande prioridade, levando-se em conta a hipótese de que Dilma (ou Lula) vença novamente a eleição presidencial: o governo do Estado em 2014. É o que o PT quer. É o que o PT sempre quis: o poder total. O partido enxerga em São Paulo o ponto final do seu verdadeiro "projeto": a construção da hegemonia petista. Ao partido, qualquer "projeto" que vislumbre um mísero suspiro de vozes contrárias é dispensável. Com uma vitória no Estado, eles pretendem alavancar em definitivo o processo de extermínio da oposição. A operação Haddad serve, basicamente, a esse delírio totalitário idealizado por Lula. Vai dar certo? A julgar pelo comportamento de Marta até agora, a ex-prefeita, ao que parece, cansou de ser humilhada pelo dono do partido. O "projeto" enfrentará dificuldades.

Henrique Brigatte hbrigatte@yahoo.com.br

Pindamonhangaba

*

RELACIONAMENTO ESTREMECIDO

A senadora Marta Suplicy (PT/SP) há muito está com seu relacionamento estremecido junto ao PT. Ao longo da campanha à Presidência da República, em pouco ou quase nada foi cabo eleitoral da hoje presidente Dilma. Nessa campanha eleitoral, cuidou apenas de sua própria corrida ao Senado e, por consequência, deixou os petistas extremamente descontentes com essa atitude, principalmente os petistas paulistas onde está incluso o ex-presidente Lula. Por essa atitude egoísta e pouco partidária ficou exclusa de se candidatar à prefeitura paulistana por forte influência do próprio ex-presidente. Talvez tenha entendido que com o passar do tempo esqueceriam sua atitude, mas não, foi preterida e em seu lugar ficou Haddad, um quase desconhecido. Ele, pelo andar da carruagem, não será obstáculo às pretensões do candidato José Serra (PSDB/SP), que em verdade, fará outro trampolim para as eleições à Presidência em 2014. O candidato José Serra (PSDB/SP) poderá até jurar que não é isso, mas será certamente esse seu plano. Aos eleitores de Serra, recomenda-se que tratem de saber quem será seu vice, pois será justamente esse seu substituto, e não cometam o erro que todos nós cometemos em nunca saber qual é o nome do suplente de algum senador. Nunca sabemos e é justamente aí que a decepção fica maior ainda.

José Piacsek Neto bubapiacsek@yahoo.com.br

Avanhandava

*

MARTA SUPLICY

O PT diz que Marta Suplicy errou politicamente ao não comparecer ao evento que homologou a candidatura de Fernando Haddad à Prefeitura de São Paulo. Será que foi ela quem errou ou foi o partido que engoliu essa candidatura, que foi enfiada goela abaixo pelo "deus Lulla"? Como assim o PT precisa de Marta? Se precisasse, não a teria abandonado, colocado-a no ostracismo e a humilhado constantemente. É isso ai, Marta. Faça como outros milhares de petistas que abandonaram esse partido que aburguesou! Os verdadeiros petistas não estão mais no PT! No PT de hoje os heróis são "os Sarney, os Temer, os Collor e os Cachoeiras da vida", entre outros ex-vilões do passado.

José Milton Galindo galindo52@hotmail.com

Eldorado

*

TOMAR DO PRÓPRIO VENENO

O PT agora está sendo obrigado a tomar do mesmo veneno que ele próprio ajudou a fabricar quando lhe foi conveniente acolher e promover uma senhora com os valores como a senadora Marta Suplicy. Pelo visto, ela se sente acima dos conceitos vigentes do bem e do mal. Infelizmente, ela demonstra com a sua atitude que não é uma pessoa confiável para fazer parte de um partido político mesmo como o PT, que do ponto de vista da honestidade e da demagogia tem muito que avançar.

Marisa Stucchi marisastucchi@hotmail.com

Ribeirão Preto

*

DEUS SALVE O PT

Palavras de Edinho: "Marta foi a melhor prefeita de São Paulo". É um veemente diploma de desconhecimento da historia paulistana. Onde este sr. coloca um Olavo Egydio Setubal; um Francisco Prestes Maia ou um Brigadeiro Faria Lima? Deus salve o PT!

Joao Rodrigues nrodrigues@landel.com.br

São Paulo

*

DISTANCIAMENTO DE MARTA

Se o dirigente petista Edinho acha Marta "a melhor prefeita da história", por qual motivo ela não recebeu apoio quando se candidatou? Ela está muito certa, deve partir para "outro". Ela tem muita garra.

Lina Pasqualini linapasq@uol.com.br

Paruibe

*

ELE NÃO SABIA

Sobre o caso mensalão, o ex-presidente Lula sempre afirmou que não sabia de nada e tudo não passava de um momento em que tentaram dar um golpe neste País. Agora numa entrevista na TV, tendo ao lado Fernando Haddad (PT) candidato à Prefeitura de São Paulo, acabou desrespeitando a Legislação Eleitoral - início da campanha eleitoral só após 6 de julho, o que, certamente, ele também não sabia. Será que a sociedade brasileira duvida das acusações do ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal (STF), de que Lula estaria ajudando "bandidos" a melar a análise do mensalão? Definitivamente o Lula não é uma pessoa confiável.

Edgard Gobbi edgardgobbi@gmail.com

Campinas

*

PRÓXIMO MANDATO

Estava na cara o teatrinho de Lula, dizendo que deixaria a Dilma ser reeleita. Ela só esquentou sua cadeira enquanto ele estava de férias! E o povo que não lê jornais com certeza votará nele. Ou seja, a corrupção continuará a comer solta no próximo governo!

Marcus Coltro marcuscoltro@hotmail.com

São Paulo

*

PARTIDO CORRUPTO

O ex-presidente, o orador, diz que volta em 2014? Para o PSDB não tomar o poder? Será que no Brasil do patético Lula só existem o PT e PSDB? Se for verdade, estamos pior do que pensamos. Outra coisa, nunca antes neste país um partido foi tão corrupto como o PT do outrora ético Lula. Se o mensalão é exemplo para algo de bom, eu devo estar louco. Se os aloprados, os da cueca, os dos dossiês, e tantos outros são bons exemplos para o Brasil, desculpe, Lula, mas quero mais é que você pare de falar e se exploda, pois até seu filho levou cinco milhões da Telemar...

Antonio José G.Marques a.jose@uol.com.br

São Paulo

*

DESMEDIDA ARROGÂNCIA

Não imagino petistas de "carteirinha" senão por interesses, ignorância ou teimosia. O rol de malfeitos, especialmente após chegar ao poder, é revoltante. Seu presidente de honra, democraticamente (?), já declara que se candidatará, se a d. Dilma não o quiser, comprovando que faz e desfaz no partido. Em sua desmedida arrogância, o sr.Lula passou dos limites, e seu partido, provavelmente, sofrerá as consequências.

André C. Frohnknecht anchar.fro@hotmail.com

São Paulo

*

O CRIME DE ENGANAR O POVO

Os discursos de Lula são invariavelmente sofismáticos. Valer-se da ingenuidade e da falta de informação que a grande maioria da população tem deveria ser crime. Como em muitas outras áreas, Lula em diversas oportunidades afirmou que criou mais universidades que o presidente Juscelino Kubitschek (5/6, A3). Embuste! Este, em seu governo, construiu 10 universidades, enquanto o magnânimo jactou-se por ter feito 14. Porém, esqueceu-se, convenientemente, dos detalhes principais: JK realizou seu feito em apenas cinco anos, enquanto Lula demorou nove - sendo que muitas delas ainda estão inacabadas. Apresentou a mesma "falha de memória" ao não considerar que na década de 50 a população era estimada em 51 milhões e hoje são 200 milhões. Quatro vezes mais! Ou seja, deveria ter feito 40, acabadas, para ao menos igualá-lo. Esta não é uma constatação política, é matemática pura, inquestionável. Estratégias espúrias como essas, com propósitos únicos e exclusivamente de ludibriar os cidadãos/eleitores, deveriam ser punidas com a perda definitiva dos direitos políticos. Sem prejuízo de demais sanções. Além de crime, é uma ofensa aos cidadãos minimamente informados!

José Carlos Saliba fogueira2@gmail.com

São Paulo

*

BAIXARIA NA TV

O programa do apresentador Ratinho foi uma baixaria nos últimos tempos, mas agora chegou a um nível sem precedentes, pois a entrevista com o fanfarrão e moribundo Lula foi pior que as estripulias de Marquito e sua turma e os testes de DNA. Dizer que será candidato à Presidência em 2014 é um desrespeito a atual administração, aliás pautada pela guerra contra a corrupção, o que não aconteceu no governo do molusco. Brincadeira com o eleitor esclarecido e não os das migalhas do governo fascista. Lula no poder, retrocesso na vida republicana do Brasil. Fora Lula! Chega de demagogia, como diziam no seu tempo. Deixa a mulher trabalhar, recolha-se só ao seu pijama.

Walter Francisco Barros

Araçatuba

*

LULA E GILMAR MENDES

Diz a maioria dos ministros do Supremo Tribunal Federal (STF), que o desentendimento entre Luiz Inácio Lula da Silva e o ministro Gilmar Mendes é uma questão a ser resolvida entre eles. Desculpe-me a maioria dos ministros do STF, devedores de favores ao Lula que lhes indicaram para tal cargo, independentemente do conhecimento e da conduta ilibada para tal fim. A Suprema Corte tem por obrigação e força da lei defender a qualquer um dos seus membros quando atacados injustamente. Porém, quem tem coragem para defender a verdade de conhecimento público há vários anos?

Benone Augusto de Paiva benone2006@bol.com.br

São Paulo

*

NEFASTO

Nefasto é o nome de um personagem de filme nacional, um traficante que invade um morro carioca e passa a comandar o crime no local. A imagem me veio à cabeça vendo as estripulias atuais do crápula de Garanhuns. O sujeito agiu como um bandidão mafioso desde o começo, praticando uma infinidade de abjeções. Agora, com a doença aparentemente afetando o cérebro, parte para o tudo ou nada, abrindo confronto direto com as instituições, achacando juízes e desprezando abertamente a legislação eleitoral. Conclusão: o crápula de Garanhuns é o nefasto que invadiu o morro chamado Brasil. Convencido de estar numa terra sem lei, ele se sente como o dono do pedaço e, estejam certos, não vai parar por bem.

José Benedito Napoleone Silveira nenosilveira@aim.com

Campinas

*

ENTRELINHAS

"PSDB está sangrando", diz o senador Álvaro Dias, Estadão de 2/6, no caso da CPIM/Cachoeira. Os tucanos optaram por sangrar Lula em 2005, no escândalo do mensalão, onde cabia um impeachment. Duda Mendonça, confessou que recebeu em dólares, em paraísos fiscais, pela campanha eleitoral do PT. A oposição não teve êxito. Lula se livrou de José Dirceu e de outros opositores dentro do PT. Agora Lula vai sangrar primeiro Marconi Perillo, depois será a vez de José Serra e Aécio Neves. Enfim, Luiz Inácio Lula da Silva só respeita e tem medo de uma pessoa: Fernando Herinque Cardoso.

José Francisco Peres França josefranciscof@uol.com.br

Espírito Santo do Pinhal

*

MÉDICOS

Leio, na página A3 de 3/6, a seguinte elogiável mensagem do leitor Sr. Geraldo de Paula e Silva (Rio de Janeiro), que certamente é um competente médico: "Lula disse ao Ratinho que queria ver os desvalidos se formando em medicina. Alguém precisa avisá-lo de que um médico ganha menos que um eletricista, bem menos que um político e muitíssimo menos que um jogador de futebol. Torcer para que um excluído seja médico é transformar sua vida numa correria desenfreada para ganhar migalhas em hospitais aos pedaços". Meus respeitosos cumprimentos, Dr. Geraldo! Aproveitando o ensejo, faço o seguinte comentário: Fui amigo de infância do saudoso professor Emérito da Faculdade de Medicina da USP, Dr. Ricardo Veronesi (1920-2004). Sou engenheiro civil e fui, repito, seu amigo íntimo. Ele costumava definir um médico, ironicamente, da seguinte forma: é um profissional que anda sobre quatro rodas de um Fusca, caindo aos pedaços, "numa correria desenfreada para ganhar migalhas em hospitais, também, caindo aos pedaços"! A opinião do dr. Geraldo coincide com a do professor Veronesi, cujo famoso livro, sobre doenças infecciosas, certamente, ele conhece. Parabéns, Dr. Geraldo!

Braz Juliano bjuliano@uol.com.br

São Paulo

*

CPMI DO CACHOEIRA, UM CIRCO

O deputado Sílvio Costa (PTB-PE) aproveitou bem os holofotes da CPMI e se mostrou um machão, quase agredindo o colega do Circo montado que se chama CPMI do Cachoeira. O senador Pedro Taques (PDT-MT) foi tachado defensor e de trabalhar pela absolvição do colega Demóstenes Torres (sem partido-GO). Costa e Taques protagonizaram um bate-boca na reunião da CPI do Cachoeira marcada para ouvir Demóstenes. O distinto deputado deveria trabalhar bravamente para melhorar a vida dos eleitores de seu Estado, ao invés de ficar dando shows, simplesmente por saber que a imprensa está ali atenta aos acontecimentos. É comum nestes momentos alguns parlamentares aproveitarem para aparecerem junto ao seu eleitor, principalmente em ano de eleição. Esperamos que esse lamaçal que assola a política brasileira sirva para alguma coisa, mas que essa grande PIZZA que parece estar assando na Cantina do Congresso, que o eleitor renove com o seu voto os seus representantes, pois os que aí estão são da pior qualidade. É chegada a hora de colocar pessoas comprometidas com a sociedade, já passou o tempo de José Sarney, Renan Calheiros, Edson Lobão e Lobinho, Garibaldi Alves, Agripino Maia, Jader Barbalho, Paulo Maluf, César Maia, Collor (que nem deveria ter voltado) Lulla e outros. O que está se desenhando é uma imitação da Rússia onde Vladimir Putin colocou Dmitri Medvedev (um fantoche), para depois retornar à Presidência. Espero que Dilma Rousseff não aceite e concorra à reeleição, mas antes de tudo mostre a que veio e não deixe o senhor Lulla dar as coordenadas, pois o povo brasileiro votou nela e não em Lulla. Quanto a essa "CPMI da Mentira", que se torne verdade e não fique a mercê do PMDB, fazendo o que lhe interessa , não permitido a convocação de Sergio Cabral (PMDB/RJ) para depor e se explicar das suas farras em Paris em companhia do dono da empreiteira Delta, grande parceira do governo federal no PAC. Um partido que sempre esteve do lado do poder, mas nunca sendo eleito para tal, foi assim com Sarney (que já foi PDS) viu cair em seu colo o cargo de presidente depois da morte de Tancredo Neves, o velho MDB das lutas contra a ditadura não existe mais, e tem como seu líder maior um ex-PDS que serviu a ditadura. Espero que o os membros destas CPMI façam alguma coisa de útil aos que foram escolhidos, sem as demagogias do deputado Silvio Costa (PTB-PE) achando que somente ele presta um bom serviço a Pátria.

Divino Ferreira de Magalhães dimagalhaes_pr@hotmail.com

Curitiba

*

A BABEL DA CPMI

Filmes do gênero costumam mostrar cenas nas tabernas onde os bucaneiros, piratas que depois de pilharem os sete mares se reuniam "amistosamente" dentro dos rituais da classe, quer dizer, a maior balbúrdia possível onde ninguém se entendia. É o que se viu na última sessão da Comissão Parlamentar Mista de Inquérito em 31/5. Agressões verbais com sérias ameaças de agressões físicas e a prática do "boca fechada não entra mosca". Numa barganha espúria, entrega-se a cabeça de Marconi Perillo (PSDB) por Agnelo Queiroz (PT). Mas usando a máxima do deputado Cândido Vaccarezza (PT): "Você é nosso, nós somos teu", o governador do Rio, Sérgio Cabral, conseguiu sair pela esquerda imitando o "leão da montanha" (HQ), e, por enquanto não será convocado para depor na CPMI do Cachoeira. Para completar as bizarrices dessas sessões, deveriam usar na cabeça guardanapos de restaurantes. Na reunião dos bucaneiros de Jack Sparrow havia mais entendimento. Aguardem: absolvição de Demóstenes Torres, por ausência de senadores no dia da votação. A democracia na América Latina é uma velha que agoniza ameaçando expirar a cada instante. É caro o preço que se paga para mantê-la respirando.

Jair Gomes Coelho jairgcoelho@gmail.com

Vassouras (RJ)

*

POLÍTICA INDECENTE

Quando Vaccarezza (PT-SP) anuncia a Cabral que "você é nosso e nós somos teu", quem vai para o brejo é a e a democracia.

Peter Cazale pcazale@uol.com.br

São Paulo

*

CPMI DO CACHOEIRA

Depois de não convocarem o governador do Rio, Sérgio Cabral, para depor na CPMI do Cachoeira, só resta aos deputados e senadores que compõem a CPMI colocarem guardanapos nas suas cabeças. Vergonha!

Sandro Ferreira sandroferreira94@hotmail.com

Ponta Grossa (PR)

*

AÉCIO NEVES

Fico estarrecido quando vejo o próprio partido de oposição frear as investigações da CPI, quando um ex-governador coloca o seu prestígio pessoal em favor do PMDB e vai contra o interesse de toda uma Nação para impedir a convocação do governador do Rio. Justamente Cabral, depois de tudo o que o povo já sabe de seu conluio com Cavendish da Delta, visivelmente ligado ao esquema do Cachoeira, é blindado por ninguém menos que Aécio Neves, justo ele que prega tanto a busca da verdade. Como pode este senhor querer pleitear a Presidência de um país? Já vai dando mostras de seu exponencial talento em escusas manobras para impedir a investigação de um crime.

Fábio Ciocchi fabiociocchi@hotmail.com

São Paulo

*

PERDERAM NOS PALITINHOS

Acreditamos que tenha sido jogando "porrinha", entre os três governadores acusados de estarem envolvidos com o contraventor Carlinhos Cachoeira, que o governador do Rio, Sergio Cabral (PMDB), se safou da CPI. Sendo só chamados Marconi Perillo (PSDB), de Goiás, e Agnelo Queiroz (PT), do Distrito Federal.

Angelo Tonelli Angelo Tonelli angelotonelli@yahoo.com.br

São Paulo

*

PARA QUE SERVE O COAF?

Gostaria de saber para que, exatamente, serve o Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf). Este órgão, ao que parece, nada faz, a não ser confirmar que a porta foi arrombada, depois que a imprensa noticia o roubo. Depois que os jornais denunciaram que a Delta, Cachoeira e outros movimentaram milhões em contas de "laranjas", o Coaf vem, candidamente, confirmar a informação, apenas. É, eles sabiam. Ora! Se sabiam, por que não denunciaram, não mandaram investigar, não deram alarme? Não é a primeira vez que isso acontece. Ou faz o seu trabalho direito ou então que se feche as portas desta inutilidade.

Maria Cristina Rocha Azevedo crisrochazevedo@hotmail.com

Florianópolis

*

DROGAS ILÍCITAS

Pelas notícias diárias dos jornais, as drogas que escolhemos e nas quais votamos são donas do Brasil e usam os impostos da maneira mais incompetente e desonesta. O "barato" da hora é a Delta, na qual os políticos que mandam em Brasília e na maioria dos Estados e muitos municípios se "deleitam" e têm visões que depois se concretizam. Antes da Delta houve outras, que nem preciso indicar, pois todos sabem quais são. E após a Delta, virão outras mais. Só repressão antidrogas via Judiciário (e outra que não preciso mencionar) nos livrarão dessas drogas (não incluí o voto, pois não há partidos ou políticos ficha limpa).

Mário A. Dente dente28@gmail.com

São Paulo

*

NÃO SE PODE COMPARAR

É muito interessante o artigo Direito de defesa agoniza, mas não morre, do advogado criminalista Fábio Tofic Simantob (4/6, Espaço Aberto, pág. A2). Todavia, comparar a atuação do criminalista Márcio Thomaz Bastos no caso Cachoeira com a atuação do advogado do caso Dreyfus foi demais! Afinal lá ninguém duvidava da origem dos recursos para custear o advogado, se é que havia necessidade de tantos recursos financeiros (R$ 15 milhões).

José Elias Laier joseeliaslaier@gmail.com

São Carlos

*

DIREITO DE DEFESA

Segunda, o dr. Fábio Simantob falou de um assunto que há muito esperava uma resposta. Os honorários do advogado que defende um réu que não pode justificar sua renda. Passou pela perseguição dos advogados de defesa, pela Revolução Francesa, Émile Zola, Rui Barbosa, Sobral Pinto, até graça com o focinho do porco fez. Mas, enquanto lia, me perguntava, e argumento? Se faz de ofendido, revoltado e supõe uma rixa entre advogados e o Ministério Público, mas e o argumento? Li o artigo várias vezes e removendo as indignações, a parte histórica, a revolta contra uma possível perseguição, não encontro. Não explicou por qual motivo o advogado pode receber dinheiro sujo. Era só isso que ele deveria dizer.

João Carlos Delboni jcnd62@terra.com.br

São Paulo

*

PARADOXAL

Por paradoxal que pareça, será que um eminente jurista, da envergadura de Márcio Thomaz Bastos, não diferencia um inocente de um contraventor, e visa unicamente os honorários?

Conrado de Paulo conrado.paulo@uol.com.br

Bragança Paulista

*

LIMITES

A defesa de Carlinhos Cachoeira pelo ex-ministro Marcio Thomaz Bastos nos faz refletir até que ponto um contraventor tem o direito de usar recursos ilícitos para pagar os honorários dos mais caros advogados do País. Existe uma imensidão de evidências apontando para uma origem ilegal dos recursos, mas, claro, ele é inocente até que se prove sua culpa, o que com um advogado desses nunca ocorrerá. Outros países já resolveram esse dilema tornando a vida dos criminosos bem mais difícil.

Mário Barilá Filho mariobarila@yahoo.com.br

São Paulo

*

INCENTIVOS E DESVIOS DE FOCO

Lemos e ouvimos várias opiniões de economistas e tributaristas contrários aos incentivos fiscais que o governo está dando a alguns seguimentos escolhidos a dedo de acordo com os seus interesses. Sabemos que esses incentivos podem prosperar para evasões de impostos e podem dar margem a corrupção tão em voga em nossos dias. A estranheza fica por conta das escolhas: por qual razão o governo, por exemplo, não contempla com os mesmos incentivos as indústrias farmacêuticas, favorecendo a baixa no custo dos remédios, artigo de primeira necessidade para o povo, e escolhe a dos automóveis, que vem recebendo constantes ajudas? Será que a indústria de medicamentos não contribuem à altura das necessidades da politicagem vigente? Ou a saúde é menos importante do que o consumismo? As despesas do governo e dos cidadãos com medicamentos são bastante significativas.

Leila E. Leitão

São Paulo

*

BRINCADEIRA DE MAU GOSTO

Esse (des) governo é realmente assustador. A empresa onde trabalho, importa e revende máquinas e equipamentos. Graças a gloriosa ação chamada de Maré Vermelha, nossas importações que antes sempre eram parametrizadas em canal verde, agora estão sendo sistematicamente paradas no canal vermelho. Ou seja, conseguiram aumentar um pouco mais o nefasto custo Brasil. Hoje, por sinal, recebemos cobrança do operador logístico por um período de armazenamento, diga-se de passagem, totalmente desnecessário. A fiscalização deveria fiscalizar os importadores duvidosos e não todas as empresas, partindo do pressuposto de que todos são desonestos. O pior é que chegou as minhas mãos uma apresentação do glorioso ministro Mantega, aquele do arsenal do câmbio, portabilidade de dívidas, entre outras sandices, e que insiste em afirmar que cresceremos mais do que 3% este ano. Neste "documento", chamado de Ação Brasil, por incrível que pareça, entre as tais "ações" do Ministério da Fazenda para melhorar a economia, consta a chamada operação Maré Vermelha. É de assustar o empirismo dos nossos ministros. É puxadinho daqui, puxadinho de lá. Acho que estão querendo acabar de vez com a pouca competitividade da combalida economia brasileira. Meus parabéns a gloriosa presidente Dilma e seu ministro lácteo!

Renato Camargo natuscamargo@yahoo.com.br

São Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.