Fórum dos Leitores

ELEIÇÕES MUNICIPAIS

O Estado de S.Paulo

17 Junho 2012 | 03h06

O PT e Maluf

A cada dia não canso de me surpreender com as atitudes deste governo para obter o que pretende - parece que conseguiram superar Maquiavel e Gramsci. Não bastassem as alianças com as mais espúrias oligarquias do Nordeste para vencer eleições, agora Paulo Maluf (PP) apoiará a candidatura de Fernando Haddad (PT) à Prefeitura de São Paulo. Em troca, poderá indicar um apadrinhado seu para uma secretaria do Ministério das Cidades. PT e Maluf, que tanto se digladiaram, hoje confraternizam, assim como Lula satanizou José Sarney e hoje o glorifica. Nunca antes neste país um partido e seus membros mentiram tanto ao povo quanto o PT.

FRANCISCO DA COSTA OLIVEIRA

fco.paco@uol.com.br

São Paulo

Perfeita união

Na mesma semana em que Maluf garante apoio a Haddad nas eleições deste ano, ele é citado numa lista do Banco Mundial entre 150 nomes que praticaram corrupção e lavagem de dinheiro mundo afora! Sinceramente, Maluf se enquadra muito bem no universo petista, que também há dez anos indigna a Nação com seus principais membros protagonizando uma enxurrada de desvios de recursos públicos. É a perfeita união do inútil ao desagradável...

PAULO PANOSSIAN

paulopanossian@hotmail.com

São Carlos

Quem não tem cão...

Diante da impossibilidade de contar com o apoio de Marta Suplicy, Fernando Haddad recebe o apoio de Paulo Maluf.

JOSÉ CARLOS DEGASPARE

degaspare@uol.com.br

São Paulo

Vale até vender a alma

Dá para imaginar Lula, Erundina e Maluf de mãos dadas, braços estendidos, sorriso cínico, no mesmo palanque, pedindo votos para Haddad. Triste a nação em que se vende a história pessoal por alguns votos.

LUIZ NUSBAUM

lnusbaum@uol.com.br

São Paulo

Erundina

A deputada federal Luiza Erundina (PSB) aceitou ser vice-prefeita na chapa do candidato Fernando Haddad à Prefeitura. Qualquer partido, qualquer candidato gostaria de tê-la na sua chapa. Evidentemente, ele vai subir nas pesquisas.

OLYMPIO F. A. CINTRA NETTO

ofacnt@yahoo.com.br

São Paulo

CONSUMO

Pão e circo

A presidente Dilma Rousseff, em recente discurso, afirmou que milhões e milhões de brasileiros ainda não têm acesso a bens de consumo e que, portanto, devem consumir. Porém os bens de que esses milhões de brasileiros necessitam mesmo são educação e cultura. Não adianta adquirirem televisores de LED, se o esgoto corre a céu aberto na porta da casa e os filhos não frequentam a escola. Ao que tudo indica, a presidente arremeda as falastrices de seu guru, ou seja: ao povo, pão e circo.

MARIA HELENA B. MARTINS

m.helena.martins@uol.com.br

São Paulo

Sentido errado

Em vez de incentivar o crescimento com investimentos em infraestrutura, educação, pesquisa e desenvolvimento, continuamos incentivando o consumo e levando nossa população a um nível muito alto de endividamento. A presidente Dilma talvez não saiba, mas o rumo macroeconômico do barco chamado Brasil está no sentido errado.

MARCOS ANTONIO SCUCCUGLIA

sasocram@ig.com.br

Santo André

Brasil sem moral

A política de estímulo ao consumo adotada pelo governo brasileiro para tentar livrar o País dos efeitos da crise financeira internacional, privilegiando, por exemplo, a indústria automotiva, acentuará o já caótico estado das nossas metrópoles, diante da ausência de investimento em transporte público de qualidade, e contribuirá, também, para o aumento da emissão de gases causadores do efeito estufa, a todo momento lembrado pelos organizadores da Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável, a Rio+20. Como explicar tal paradoxo ao resto do mundo e, pior, como, a partir daí, responsabilizar os países desenvolvidos pela falta de cooperação no sentido de salvar o planeta?

PAULO ROBERTO GOTAÇ

prgotac@hotmail.com

Rio de Janeiro

RIO+20

Rio de Janeiro

Na cidade que sedia a Rio+20, para discussão de projetos sobre meio ambiente, desenvolvimento sustentável, energias alternativas, etc., dá-se um péssimo exemplo com as vans do transporte alternativo - inclusive de delegações da conferência -, ônibus e caminhões soltando rolos de fumaça nos congestionamentos. A Baia de Guanabara, que recebeu milhões de dólares de bancos e organismos internacionais, continua poluída. O que fizeram com o dinheiro? No fundo, desde a Rio 92 não se fez nada nesta cidade nem no País para avançar nas propostas apresentadas e aprovadas naquela ocasião. Nem farão. Esses eventos, lamentavelmente, não são levados a sério. Tanto que presidentes e primeiros-ministros dos principais países poluidores nem virão. Ninguém dá a mínima. Mas deveriam.

PANAYOTIS POULIS

ppoulis46@gmail.com

Rio de Janeiro

A heroína

Na entrega do selo de boas práticas a 169 empresas de cana-de-açúcar, no Palácio do Planalto, Dilma Rousseff voltou seu discurso para a Conferência da ONU sobre Desenvolvimento Sustentável, a Rio+20, e afirmou: "São infundadas as acusações de que a produção de etanol no Brasil provoca desmatamento da Amazônia e utiliza trabalho escravo". Depois dessa, se os usineiros eram "heróis do Lula", a presidenta acaba de se tornar "heroína dos usineiros"...

MOACYR CASTRO

jequitis@uol.com.br

Ribeirão Preto

Ex-celeiro

O "celeiro do mundo" agora importa etanol dos EUA (para onde exportaríamos) e feijão da China. Eta planejamento eficiente!

GUSTAVO GUIMARÃES DA VEIGA

gjgveiga@hotmail.com

São Paulo

 

 

"Será que o planeta sobreviverá até a Rio+50? "

TURÍBIO L. GASPARETTO / SÃO CAETANO DO SUL, SOBRE A RIO+20 E A DIFICULDADE DE ALCANÇAR MEDIDAS CONCRETAS PARA O DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL

turibioliberatto@hotmail.com

"Rio+20, +30, +50, +100 anos..."

J. S. DECOL /

SÃO PAULO, IDEM decoljs@globo.com

 

VOCÊ NO ESTADÃO.COM.BR

TEMA DO DIA

Maluf apoiará chapa de Haddad e Erundina Parceria dará à chapa petista mais 1 minuto e 35 segundos em cada bloco da propaganda eleitoral

TOTAL DE COMENTÁRIOS NO PORTAL: 131

"Quem diria ver PT e Erundina em aliança com Maluf. O que o partido não faz para acabar com o monopólio tucano em SP."

VALDINEI QUEIROZ

"PT com Maluf é como PSDB com Valdemar Costa Neto e todo o PR. Farinha do mesmo saco. Ambos oportunistas."

ALBERTO CARVALHO

"Na política atual vale tudo. Os adversários de ontem são companheiros de hoje. Vide Sarney, Collor, Maluf."

ANTONIO TUCCILIO

 

 

 

Cartas selecionadas para o Fórum dos Leitores do portal estadao.com.br

 

 

O FIM DA CPI

Vergonha! A não convocação de Fernando Cavendish e de Pagot, efetivamente, decretam um fim melancólico para uma CPI que, ao fim e ao cabo, serviu apenas para que se abrissem duas invejáveis oportunidades para que dois governadores fizessem proselitismo em rede nacional de suas administrações. O rolo compressor da maioria parlamentar e governamental lançou um manto protetor sobre o governo da União e de vários Estados ao não investigar a Delta, que sugou a maior parte das despesas públicas a fundo perdido, com direito a tertúlias em Paris com o governador do Rio. Se Carlos Cachoeira era sócio oculto dessa empresa, falta o mínimo de fundamento ético para que ela não fosse devassada. E sobram razões para, mais uma vez, a democracia brasileira ficar envolta nas brumas poderosas do poder, gerando sentimento de melancolia e frustração para o povo brasileiro.

Amadeu R. Garrido de Paula amadeugarridoadv@uol.com.br

São Paulo.

*

FALA, CAVENDISH!

Caro sr. Cavendish, tenho acompanhado os trabalhos da CPI do Cachoeira e, até agora, ficou claro que ninguém quer saber de falar ou mesmo de ouvir. Os culpados, valhem-se da lei e não abrem a boca, já os parlamentares da Comissão estão ali para aproveitar os holofotes até as eleições de outubro. Se alguma coisa acontecer, o que parece difícil, será depois das eleições, quando as cartas já estiverem jogadas. Resta o senhor, que não tem nada mais a perder, pois a empreiteira Delta, depois de taxada de inidônea, nem se for vendida ou mudar de nome para Alfa, Beta ou Gama, se recupera, esquece a empreiteira. Com certeza o senhor tem boa parte de seu patrimônio guardado lá fora e portanto, seguro. Veja o Maluf, há anos vem sendo condenado por vários atos corruptos e o seu dinheirinho continua são e salvo. Foi até eleito deputado! O senhor tem a chance de por os pingos nos is, sem se comprometer mais do que está. Pede para falar ,seu Cavendish! Mete a boca no trombone e se redime das maracutaias que praticou a vida inteira. Pelo menos uma boa parte dos canalhas que o senhor conhece não vão ser eleitos novamente e a sua família vai poder se orgulhar do senhor.

Victor Germano Pereira victorgermano@uol.com.br

São Paulo

*

CPIV

CPI sem a convocação de Fernando Cavendish é a CPIV:

Comissão Para Inglês Ver. Tristes trópicos.

J.S. Decol decoljs@globo.com

São Paulo

*

UM TACHO DE MARMELADA

Sinto-me um cuco repetindo o mesmo canto a cada bater das horas. Sinto-me uma idiota por ser compelida a usar dos mesmos argumentos para as mesmas repetidas maracutaias de nossos políticos. Eles continuam assaltando impudicamente o erário por meio de diferentes dutos e impunemente continuam transformando as CPIs instauradas para investigar os roubos em tachos de marmelada. Por mais cuco idiota que este governo tenha me transformado, vou continuar cucando. Porque é absolutamente impossível ficar impassível diante de tamanha sordidez. Não chamarem Cavendish e Pagot para depor só escancara a farsa desta CPI do Cachoeira, cujos parlamentares já nem disfarçam mais o empenho em blindar tudo e todos que possam , no final da linha, fazer as investigações chegarem à Dilma e Lula. Porque a gente já sabe ,já tem certeza de que no final da linha esses personagens estão lá, na origem de tudo e a patifaria desta CPI só nos impede de encostar o dedo acusador nos mesmos. Um dia esta verdade virá à tona...

Mara Montezuma Assaf montezuma.scriba@gmail.com

São Paulo

*

TENHO VERGONHA DE MIM

Quando vejo a base aliada aplaudir a atitude do Agnelo Queiroz, PT, governador do DF, por abrir suas contas já totalmente filtrada; quando vejo a oposição fazer o mesmo com atitude idêntica do governador de GO, Marconi Perillo, PSDB; quando vejo os componentes de uma CPI criada para averiguar irregularidades de um ato criminoso dispensar os principais suspeitos, Fernando Cavendish e Luiz Antônio Pagot. Sinto vergonha de mim de tanto ver prosperar a desonra e agigantarem-se os poderes nas mãos dos maus.

João Menon joaomenon42@gmail.com

São Paulo

*

NÃO SERVEM PARA NADA

A continuar este estado de coisas, com os integrantes da CPMI blindando um ou outro, com integrantes que confirmam terem estado com o sr. Fernando Cavendish em Paris, é melhor acabar com esta CPMI. Há muito tempo que estas CPIs não servem para nada, a não ser para troca de gentilezas, elogios, palanques para uns, etc. Pedidos ficam arquivados ou postergados e fica o mundo assistindo esta comédia dos políticos mais bem pagos do mundo. Votem neles.

Panayotis Poulis ppoulis46@gmail.com

Rio de Janeiro

*

NOVA FORMA DE FATURAR

Diante do rumo que está tomando a CPI do Cachoeira, podemos concluir que a corruptocracia brasileira encontrou uma nova forma de faturar: criar e usar CPIs para achacar e extorquir uns aos outros. Dessa forma, o dinheiro sujo que um partido obteve superfaturando uma obra acaba sendo dividido entres ou outros partidos que criam uma CPI para investigar o tal superfaturamento. Como todos tem o rabão preso, nenhuma CPI é concluída, ninguém vai preso porque nada prova nada nunca e ainda eles podem usufruir a vontade da mídia gratuita que serve para os mais espertos darem um show de cinismo esbravejando suas bravatas vazias em horário nobre. Para acabar com essa palhaçada, bastaria que os crimes comuns fossem investigados pela justiça comum. Superfaturar obra não é crime político.

Mário Barilá Filho mariobarila@yahoo.com.br

São Paulo

*

SIGAM O DINHEIRO!

O congresso está "tocando" com a esquerda a CPMI do bicheiro Cachoeira, quando deveria tocar com a direita a CPMI da Delta e outras construtoras. Ninguém é obrigado a jogar no bicho, mas todos são obrigados a pagar os impostos que os políticos desviam via obras superfaturadas com a concordância e o interesse desse desgoverninho petista e partidos da "base"- como visto na transmissão da CPMI pela TV (algumas emissoras estão apoiando essa safadeza). Felizmente temos os jornais isentos e éticos que nos informam.

Mário A. Dente dente28@gmail.com

São Paulo

 

*

ESTAMOS PASSANDO DO FUNDO DO POÇO

Se esse contraventor que contaminou ainda mais nossa pobre classe política, defendido a peso de ouro pelo ex-ministro Bastos,o que já é uma ofensa à moralidade, ficar impune, estaremos passando do fundo do poço em lama, podridão. Na quinta vimos os "Vacarezzas" da vida defenderem o não chamamento do dono da Delta na CPI, como não?! Ele é a peça-chave ou falará demais? Num claro desespero , um dos deputados ficou vermelho de tanto sangue que lhe chegou ao rosto, medo de quê? Eles mais do que ninguém sabem o que manipularam esses fraudadores do erário público aliados a pessoas inescrupulosas e sem moral desse Congresso que deveria ser fechado por falta de probidade e vergonha na cara. Nossa justiça passa dos limites da imoralidade em tudo que decide, se de um lado beneficia a criminalidade e até a incentiva, por outro dá habeas corpus a criminosos de maneira fácil, dando-lhes abrigo e personalidade no País, aonde chegaremos? Já passamos dos limites permitidos. Pobre Brasil de bolsas comunistas que acomodam e calam sua pobre população.

Julio Jose de Melo julinho1952@hotmail.com

Sete lagoas (MG)

*

TROPA DE CHEQUE

Essa CPI do Cachoeira pode não estar alcançando os objetivos para os quais foi criada, a busca da verdade para fatos gravíssimos e nebulosos. Por outro lado, está servindo para revelar os duvidosos caracteres de muitos personagens que por ali transitam. Culturalmente, tem até criado frases novas . Por exemplo, a reveladora "Tropa de Cheque", que será muitíssimo usada daqui para frente , com certeza.

José Marques seuqram.esoj@bol.com.br

São Paulo

*

IMPUNIDADE

Uma vez mais a impunidade se faz presente com a soltura de Cachoeira, esfumaçando o papel da CPMI e também da própria responsabilidade penal.No caso concreto,se a Polícia Federal

está equipada mas não se mostra aparelhada às escutas e inunda de nulidades o procedimento, o contribuinte é duplamente penalizado.Primeiramente pelo dinheiro gasto na operação anulada, assim como também pela total irresponsabilidade dos culpados,o teatro está montado.

Carlos Henrique Abrão abraoc@uol.com.br

São Paulo

*

IR PARA QUÊ?

As participações dos governadores Marconi Perillo (PSDB), de Goiás, e Agnelo Queiroz (PT), do Distrito Federal, na CPMI tem muita semelhança, pois os dois estão enrolados para justificar a venda e compra de suas casas. Afinal, como é que a Receita Federal, não consegue detectar incompatibilidade de bens patrimoniais por meio da declaração do imposto de renda?

Edgard Gobbi edgardgobbi@gmail.com

Campinas

*

PÉSSIMAS INTENÇÕES

Durante os depoimentos de Perillo e Agnelo na CPI do Cachoeira, fiz uma experiência: fiquei prestando atenção nas expressões faciais e na linguagem corporal de todas as ilustres figuras daquele teatrinho. A conclusão é uma só: naquele recinto tem um cordão, um barbante qualquer, jogado no chão, e ninguém tem a coragem de puxá-lo, pois isso causaria o desabamento de todo esse prédio construído com as mais perversas intenções, que mantêm "este País" moralmente subdesenvolvido. Esse cordão chama-se "verdade".

Nestor Rodrigues Pereira Filho rodrigues-nestor@ig.com.br

São Paulo

*

A CPI DA FARSA

Se alguém tinha alguma dúvida de que essa CPI do Carlinhos Cachoeira é uma farsa e foi elaborada com cartas marcadas, agora está esclarecida por estar mais do que caracterizada e comprovada a tramoia e má-fé. Tudo isso pelo fato de envolver políticos de grande influência e poder de persuasão. Ou seja, a mesma já nasceu morta e como tudo, acabará em pizza.

Angelo Tonelli angelotonelli@yahoo.com.br

São Paulo

*

PROVAS EXCLUÍDAS

É preocupante quando se ouve e lê que a CPI do Cachoeira vai excluir as provas que forem anuladas pela Justiça. O desembargador Tourinho Neto (TRF) já havia sinalizado nesse sentido. Para os cidadãos comuns, fica a clara sensação de que, no Brasil, meras filigranas jurídicas estão acima dos princípios constitucionais e do interesse público e coletivo. Sempre haverá alguma justificativa tecnojurídica para anular as provas colhidas contra os criminosos do colarinho branco, corruptos de alta periculosidade que fazem sangrar os cofres públicos e lesam toda a nação. Nos EUA, o milionário ex-presidente da Nasdaq fraudou centenas de milhões de dólares e foi rapidamente julgado e condenado. Passará o resto de seus dias na prisão e parte do dinheiro desviado foi recuperado e devolvido às vítimas. Fosse no Brasil, as provas seriam consideradas ilegais, um Márcio Thomaz Bastos da vida iria conseguir algum habeas corpus preventivo e ele estaria livre, leve e solto, como acontece com os nossos políticos e empresários corruptos, numa lamentável cultura de atraso, corrupção e impunidade que tanto mal faz ao País.

Renato Khair renatokhair@uol.com.br

São Paulo

*

CPI DA PIZZA

Acho que daqui pra frente a sociedade tem de cobrar da Justiça que se cumpra o seu papel de julgar e, ao mesmo tempo, não haver mais "CPI" no Congresso Nacional, pois estas nascem e morrem com fim já determinado. A CPI do Cachoeira não passa de uma grande maracutaia, enganação e encenação para a população brasileira, onde os seus membros brigam e esperneiam para ter a palavra, pois é o momento deles aparecerem na mídia visando o próximo pleito. Em rede nacional o senhor Cândido Vaccarezza (PT/SP) esbravejou contra a convocação do Pagot! Quem é ele e faz ainda faz na CPI? Ele deveria ser retirado dessa CPI - Cantina de Pizza Italiana - e sofrer uma punição do conselho de ética do PT... se é que tem isso no partido de Lulla. O porquê sou contra as CPIs é que nenhuma serve de nada pra nada, somente pra servir de palanque eleitoreiro aos seus membros, onde estão os senhores Palocci e Alfredo Nascimento? Que investiguem, prendam e façam justiça sem que tenhamos de arcar com os gastos de impressões de documentos, cópias e mais cópias pra nada! A população brasileira já está cansada de ser ludibriada por esses prestadores de desserviços à Pátria...o custo desses senhores em Brasília é muito pesado ao bolso do contribuinte.

Di Magalhães dimagalhaes_pr@hotmail.com

Curitiba

*

'SEM VALIDADE'

Já vi FHC, José Serra e Paulo Maluf de mãos dadas ainda há bem pouco tempo.Era época de eleições presidenciais e Dilma venceu. Agora vou ver, com certeza, Paulo Maluf, Luiza Erundina e Haddad de mãos dadas também. A política e os políticos fazem qualquer negócio pelos votos. Aqui não citei em quais partidos políticos os ilustres políticos são filiados, pois não há necessidade de fazê-lo, dado que são todos iguais e o partido único, é o poder. Siglas partidárias não têm validade por aqui.

JOSÉ PIACSEK NETO bubapiacsek@yahoo.com.br

Avanhandava

*

A CHAPA CHIPA

Haddad volta a cortejar Erundina para vice. Conseguiram juntar o ruim com o péssimo. Como chipa é uma rosquinha de milho que se distribui por ocasião de velórios, pode-se antever que essa chapa não sobreviverá nas urnas paulistanas.

Flavio Marcus Juliano opegapulhas@terra.com.br

Santos

*

NÃO ENTRA NESSA ERUNDINA

"Erundina será indicada para vice na chapa de Haddad." Minha cara Erundina, não macule seu impecável curriculum entrando nessa fria.

José Marques seuqram.esoj@bol.com.br

São Paulo

*

RIO+20

 

A Rio +vergonha é mesmo uma piada porque não tem como fazer para se conseguir salvar o planeta com 7 bilhões de pessoas fazendo suas necessidades fisiológicas (número 1,2, 3 e etc.). O planeta Terra poderia tratar bem de 4 bilhões de pessoas, portanto seres humanos, vamos diminuir o ritmo de fazer o número 3 e diante de tudo isso chegamos à conclusão de que quem nascer de agora em diante será mais um para passar fome e viver no número 2.

Manoel José Rodrigues

Alvorada do Sul (PR)

*

HIPOCRISIA

Um leitor enviou e-mail a este Fórum com o título "Hipocrisia" no qual ele defende um controle mundial da população como, por exemplo, o modelo chinês de um filho por família. Aproveito a deixa do assunto para também externar minha sugestão. Como aqui ainda temos famílias de baixa renda com cinco ou seis filhos e até mais por não saber como evitar, ou também porque interessa manter esse número para receber auxilio via programas de baixa renda que viciam, proponho investir pesado na saúde para acompanhar o maior numero possível de mulheres em períodos de gestação e aconselhar cesarianas quando do parto para então sugerir uma operação para evitar novas gravidez. Juntamente com esse acompanhamento, o programa de baixa renda deve limitar seu recebimento até a família chegar ao terceiro filho e, a partir daí, não mais ter direito ao mesmo, não importa quantos possam vir depois.

Laércio Zanini arsene@uol.com.br

Garça

*

OS ARRASTÕES E O DIREITO PENAL

Boa partes dos arrastões, de armas em punho, adrenalina a mil e clientes lançando-se sobre as mesmas - terrorismo indigesto - movido não só pelo interesse de ganho material, mas pela revolta contra uma sociedade opressiva - foi capitaneada por Didi, um garoto de 15 anos, logo de volta às ruas, como anotou o Editorial do Estadão. Esse equilibrado não tomou partido entre a corrente dos defensores da redução da imputabilidade penal e os que perfilham a doutrina do ECA. Simplesmente sublinhou a complexidade do tema, que efetivamente é capaz de ferver as consciências. O que se pode asseverar é que esses adolescentes entranhados na delinquência não podem estar de volta às ruas por formalidades jurídicas. Devem ser devidamente assistidos - e queiram os deuses - recuperados, mas sua maioridade não pode servir de marco pedagógico fatal, que obrigue o Estado a liberá-los, provavelmente para novos arrastões, enquanto uma das cidades da gastronomia mundial já perdeu 20% dos clientes, conforme revelam suas entidades de classe. Façamos nossas refeições no interior de fortalezas e condomínios blindados, em tranquilidade - até certo ponto.

Amadeu Garrido amadeugarridoadv@uol.com.br

São Paulo

*

MENOR DELINQUENTE

Menores de 18 anos, penalmente imputáveis, de acordo com o que está expresso na Constituição, e nos mesmos termos, no Código Penal, são, na minha opinião, muito mais perigosos e muito mais cruéis do que os que já atingiram a maioridade com um pouco mais de experiência de vida e conhecimento.

Sergio S. de Oliveira

Monte Santo de Minas (MG)

*

SISTEMA PENAL

É inadmissível que o menor apontado como chefe de quadrilha de arrastões em restaurantes já tenha sido apreendido quatros vezes e solto sob a tal liberdade assistida, a última delas após um arrastão! Esse absurdo já não é somente uma questão de falha do sistema penal, mas de quase que conivência desse sistema com a criminalidade. Se esse menor for solto novamente, é bom a sociedade ser avisada para se precaver.

Luciano Harary lharary@hotmail.com

São Paulo

*

O QUE HÁ DE ERRADO?

Alguma coisa está errada. O indivíduo foi preso quatro vezes e continuava solto por ser menor. Estava em liberdade assistida. Onde estava o responsável pela assistência? E nós pagando impostos para sustenta esse bando de deputados que nada fazem para aliviar o sofrimento dos contribuintes.

Antonio C F Rainho caipiramoderno@ibest.com.br

São Paulo

*

ARRASTÕES: PROJETOS PROFISSIONALIZANTES

Quer dizer que ninguém poderá dizer que não existem projetos sociais de profissionalização de menores de idade aqui no Brasil. Os exemplos estão aí. Acordem autoridades!

José Marques seuqram.esoj@bol.com.br

São Paulo

*

CANA PARA MENORES INFRATORES

Será que aqueles que defendem a recuperação de menores infratores em três anos nunca foram assaltados ou tiveram alguém querido vítima desses marginais que deveriam ficar trancafiados pelo resto da vida? Desculpar o crime por serem menores de 18 anos então é o correto após 03 anos? Os seguintes fatos são públicos e amplamente conhecidos:

o Em vários países, incluindo alguns estados norte-americanos, a prisão efetiva vem de imediato, só muda de local devido ao avanço da idade, porém sempre com a mesma severidade;

o Mesmo na hipótese (remotíssima, infelizmente) de que houvesse expressivo investimento em educação no Brasil, apenas após uma geração inteira (25 anos) é que algum efeito seria sentido; é só pesquisar inúmeros exemplos internacionais positivos (Coréia, China, povos europeus devastados pela 2ª. Guerra, etc.).

Não dá para termos uma melhora do ambiente social com políticas de curto prazo ,conforme as propostas atualmente, o que deveria acontecer é a redução imediata de responsabilidade criminal para que esses "menores" sintam na pele que não estão impunes, protegidos por uma lei falha e totalmente insensata, que não funciona sequer para aqueles que tentam aplicá-la, já que também estão sujeitos a serem vítimas!

Antonio Carlos de Souza Queiroz Cardoso acardoso.com acardoso@acardoso.com

São Paulo

*

CIDADANIA AMEAÇADA

Enquanto persistir este descalabro, que é a lei da criança e adolescente, em alguns de seus tópicos, que protege os crimes praticados por menores de idade, iniciados na arte do roubo qualificado, do latrocínio,do sequestro relâmpago e tantos outros modos de crimes conhecidos, nossa cidadania estará sempre ameaçada no labor do serviço e no "descontraimento" das reuniões entre amigos ou familiares, nos barzinhos e restaurantes de nossas cidades.O bandido "dimenor" deita e rola em cima de nossas autoridades,quando detidos, a força das leis esdrúxulas e os direitos humanos, correm a passar as mãos em suas cabecinhas,isentando-os da "cana" tão necessária. Enquanto nossa polícia continuar fazendo alarde com policiamento preventivo programado e anunciado, a bandidagem vai diversificando os dias e o modo de agir, para azedar ainda mais o chopinho nosso de cada dia.

Aloisio Arruda De Lucca aloisiodelucca@yahoo.com.br

Limeira

*

GRADUADO NO CRIME

Vejam que absurdo! O governador de São Paulo declarou que quer punição mais severa para os menores bandidos! Onde ele pensa que estamos? Isso aqui é um país civilizado - essas criancinhas precisam é de amor, carinho e total proteção para seus crimes. Para que ninguém venha dizer depois que não há cursos profissionalizantes no Brasil. Um adolescente é o chefe da quadrilha que faz arrastões nos restaurantes de São Paulo. Esse já se formou e se graduou na escola do crime.

José Maques seuqram.esoj@bol.com.br

São Paulo

*

VALEU GOVERNADOR !

A polícia quando quer, atua e age com competência e sabe como chegar a solução de problemas. Bastou o governador Geraldo Alckmin de São Paulo dar um "pito" na polícia, para que parte dos assaltantes de prédios e restaurantes na cidade de São Paulo fossem presos. Valeu governador !

Edgard Gobbi edgardgobbi@gmail.com

Campinas

*

O PANO DE FUNDO DA CRISE MUNDIAL

Um olhar profundo sobre o mundo e percebe-se que ele está em crise, mais gravemente na Europa. Crise assentada em divergência entre nações e Estados. Derivada de motivações econômicas, geográficas, culturais, religiosas etc. O grande problema europeu é conquistar uma mínima unidade de propósitos políticos e culturais que reflita a pertinência de uma moeda única e consensos que, nos últimos anos, deram a falsa ilusão de um continente feliz, fincado na livre circulação das pessoas e de seus bens, posicionados no nível civilizado do "welfare state". A mesma ilusão proveio das primaveras árabes, hoje transformadas nos invernos das diferenças tribais, étnicas e religiosas, que dificultam sobremodo a construção dos pilares de uma democracia consubstanciada em seus valores fundamentais. Nesse contexto, o caminho único a ser percorrido não é o de uma homogeneidade entre os povos, impossível de ser alcançada, mas o de uma normatividade básica em que as diferenças se projetem com o exercício de direitos de cada grupo, com seus inconscientes coletivos parciais, porém com respeito ao clássico princípio de que nossas liberdades se encerram no início das pertencentes ao outro. Em suma, ainda nos encontramos em tempos do "homo hominis lupus" e da solução hobbesiana de um Estado nacional e internacional forte a ponto de restringir de modo heterônomo o que é voluntariamente irreprimível.

Amadeu Garrido amadeugarridoadv@uol.com.br

São Paulo

*

SELVAGERIA NA UNIFESP

Alegando direito de manifestação previsto pela constituição, um advogado de porta de cadeia provavelmente contratado por algum petralha para defender os bandidos (estudantes), conseguiu o relaxamento da prisão de todos. As imagens revoltantes da selvageria contra a Universidade ficarão na memória e na história desse pobre país de tolos que se deixou levar por um governo leviano que só defende os fora da lei. Até quando?

Maria Eloiza Rocha Saez m.eloiza@gmail.com

Curitiba

 

 

 

 

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.