Fórum dos Leitores

ECONOMIA

O Estado de S.Paulo

08 Julho 2012 | 03h08

Novos caminhos

Os sinais são evidentes. O Brasil emergente está perdendo posições. A grande realidade é que o PT só estava preparado para se eleger, não para governar um gigante. Com raras exceções, os petistas não têm história para isso e o brasileiro tem de se conscientizar da sua realidade e buscar novos caminhos, novos valores. Está chegando a hora!

GILBERTO DIB

gilberto@dib.com.br

São Paulo

Tropeços

Tombo na balança comercial, tombo na produção industrial... De tombo em tombo, será que esses pacotes populares seguram a nossa economia?

FRANCISCO JOSÉ SIDOTI

fransidoti@gmail.com

São Paulo

Só desperdício

O governo petista, na sua repetida forma afoita de enfrentar a crise, desde 2008 vem jogando no ralo da ineficiência bilhões dos contribuintes. Nesse período, só à indústria automobilística concedeu benefícios fiscais de R$ 26 bilhões, o que garantiu cerca de 28 mil novos empregos. Ou seja, cada posto de trabalho gerado custou a exorbitância de quase R$ 1 milhão! Tivesse esse governo a lucidez e a responsabilidade que se esperam de quem assume tão importante função pública (Lula ou Dilma), com os mesmos R$ 26 bilhões teria criado, no mínimo, 130 mil empregos se incentivasse o pequeno e o médio empresário. Como certamente esses baluartes da nossa economia, que mais empregam no País, não colaboram com verbas vultosas para campanhas políticas do PT, sempre vão ficar, aos olhos desses pseudorrepresentantes do povo, às margens do desenvolvimento. E o Brasil que se dane!

PAULO PANOSSIAN

paulopanossian@hotmail.com

São Carlos

A revolução inacabada

Irreprocháveis os argumentos que fundamentam o editorial A fantasia de Mantega (5/7, A3). Mas talvez o título não expresse toda a riqueza e amplitude da análise, porquanto, embora Mantega seja, juntamente com Dilma, o agente prioritário causador da desastrosa política econômica que está a pôr o País em marcha à ré, as propaladas reformas (tributária, administrativa, trabalhista, política, no mínimo) eram complementos indispensáveis de uma estruturação sólida do Plano Real, que fez a sua parte no campo monetário. A tibieza em enfrentar esses problemas fundamentais dá lugar, decorridos governos e mais de uma década, ao modelo tópico e superficial apontado pelo Estado e que, como dito, poderá mandar para o ralo as esperanças de consolidação de uma economia adequada à era da globalização.

AMADEU R. GARRIDO DE PAULA

amadeugarridoadv@uol.com.br

São Paulo

MENSALÃO

Divisor de águas

Finalmente está chegando o tão esperado julgamento dos mensaleiros. Diante da corrupção generalizada, poderá ser o divisor de águas. Depende do STF estancar ou não o crescimento dos "malfeitos". A impunidade é a mãe da malversação, daí o descontrole reinante. O STF pode ser o freio ou o acelerador da corrupção. Pena que a atuação de alguns ministros nem sempre condiga com o objetivo para que a Corte foi criada (os nomeados por Lula submetem-se aos interesses dele, sua autonomia está comprometida): executivos com contas desaprovadas e fichas-sujas, numa aberração, podem se candidatar a cargos eletivos! Oxalá o julgamento não venha a oficializar a impunidade ou a punir simbolicamente.

HUMBERTO SCHUWARTZ SOARES

hs-soares@uol.com.br

Vila Velha (ES)

Boi de piranha

No rescaldo do banditismo florescente entre nós, que vai da verdadeira guerrilha urbana em curso, desencadeada por criminosos que nada temem, à enxurrada, para não dizer cachoeira, de bandalheiras rotineiramente patrocinadas por políticos - mais um covil delas foi denunciado na Câmara Municipal paulistana -, anuncia-se o próximo desenlace do mensalão. Rebatizado de "caixa 2 não contabilizado", eufemismo de ato vergonhoso praticado pelo Poder Executivo, terá, segundo se propala (2/7, A4), seu definitivo salvador boi de piranha. O sacrifício do "autônomo" ex-tesoureiro do PT que se delineia vai permitir que a boiada transponha incólume o rio de lama que banha a República e segue manso, para gáudio do comuno-populismo corrupto que domina o País.

ARNALDO A. FERREIRA FILHO

amado1930@gmail.com

São Paulo

Bode expiatório

Quando o mensalão veio à luz, esbarramos com Delúbio Soares no Aeroporto de Congonhas, amuado, chorando, nervoso, por causa do escândalo de que era um dos principais protagonistas. Nos sete anos seguintes já o vimos fazer coisas de que até Deus duvida: foi expulso do PT, perambulou pelos subterrâneos de Brasília sem dar muito na vista e tentou se candidatar, até que foi readmitido com honras no partido. Ficamos à espera para ver qual seria o próximo passo da "quadrilha". E não é que, definido o dia do julgamento, resolveram que ele assumirá toda a culpa para livrar a pele dos "bandidos"? No mínimo, estará com as finanças resolvidas para o resto da vida. Nestes sete anos a "quadrilha" teve tempo de arrumar subsídios suficientes para que Delúbio assuma a culpa sozinho. E o advogado Márcio Thomas Bastos diz que a culpa desse julgamento é da mídia! Se são inocentes, por que, então, arrumar um bode expiatório? Isso é Brasil.

BEATRIZ CAMPOS

beatriz.campos@uol.com.br

São Paulo

Covardia

Quando se toma conhecimento de que o PT adotará como estratégia de defesa apresentar Delúbio como o único responsável pelo manejo do dinheiro do mensalão, como se não houvesse outros responsáveis, podemos afirmar, com convicção, que essa atitude tem nome e sobrenome: a mais abjeta covardia dos envolvidos e a absoluta falta de vergonha de quem aceita tal "missão". Se essa defesa for acolhida, que exemplo será passado à Nação: que os cínicos sempre se dão bem e aqui o crime de fato compensa? Creio que, então, poucas serão as esperanças neste país, pois a grandeza de uma nação se constrói com valores éticos como a honestidade, o apreço ao mérito e o desejo das coisas justas e corretas. Eles podem não acreditar, mas é isso que o povo mais deseja, para sentir orgulho de ser brasileiro e poder criar os seus filhos se mirando no bom exemplo de seus líderes.

ELIANA FRANÇA LEME

efleme@terra.com.br

São Paulo

Enigma

O mensalão tornou-se o mais indecifrável dos enigmas. Lula alegou que nada sabia, Dirceu disse que nada fez sem que Lula soubesse e Delúbio assume que fez tudo sozinho. O STF deverá desvendar esse abominável mistério.

LEILA E. LEITÃO

São Paulo

 

PASSO EM FALSO

O tempo vai passando e o ditador venezuelano, doente ou não (vindo dele não se sabe ao certo o que está ocorrendo), vai mostrando sua extraordinária força. Acabou com um país que hoje ainda sobrevive devido ao preço do petróleo, mas em péssimas condições. Lá não tem mais democracia, a vida vai mal para a maioria de seu povo. Só ele leva vantagens. Agora, com a intromissão em assuntos do Paraguai, passa a contar com apoio da presidente argentina (que também esconde a realidade da crise no seu país) e, desgraçadamente, com o apoio também da nossa presidente. Dilma deu um passo em falso e não esperado pelos que ainda confiam nela (são 77%). Por favor, senhora! Deixe a influência maléfica de seu tutor político de lado. O ingresso da Venezuela no Mercosul será um desastre e logo veremos as suas consequências. O que não se entende é que uma das exigências para participar do grupo é que o país viva em regime de plena democracia, o que não acontece no domínio de Chávez. Temos muitíssimos problemas no Brasil (saúde, segurança, economia, política, etc.) e a responsabilidade de Dilma aumenta a cada dia. Que os vizinhos cuidem de seus problemas e vamos esperar que o bom senso prevaleça. Obrigado, presidente.

Plínio Zabeu pzabeu@uol.com.br

Americana

*

O NOVO EIXO

Justamente o Hugo Chávez, aquele tal que tanto critica o intervencionismo ianque no continente, o que faz? Intervém, ele próprio, no Paraguai incitando (nos bastidores) as forças armadas do país vizinho, por meio de seu chanceler Nicolás Maduro, a desobedecer ao novo presidente do país. Que direito tem o bufão do Chávez de intervir no Paraguai? Nenhum! E Dilma, então? Que direito tem Sua Exa. de suspender o Paraguai do Mercosul dando pitaco nos assuntos internos do país guarani? Nenhum! Que direito têm Cristina e Dilma de aproveitar a espúria e oportunista suspensão do Paraguai do Mercosul para admitir a Venezuela chavista no bloco? Nenhum! E tudo para favorecer, de forma oblíqua, o camarada Chávez – aquele tal que não se peja em cassar emissoras oposicionistas de rádio e TV, alterar distritos eleitorais para se garantir no poder, perseguir jornalistas, usar de truculência com opositores e se fazer de onipresente na mídia. Onde Dilma consegue ver, enfim, democracia na Venezuela que justifique seu ingresso no Mercosul – ainda mais da forma ilegítima como querem fazer? Parafraseando outro Chaves, o mexicano, diria: gentalha, gentalha, gentalha! Nem o vice-presidente socialista do Uruguai está conseguindo engolir mais essa presepada canhota e populista do eixo Brasília-Caracas-Buenos Aires.

Silvio Natal silvionatal49@yahoo.com.br

São Paulo

*

UNASUL

A declaração de guerra por parte de Brasil, Argentina e Uruguai – a tríplice aliança – ao Paraguai, no século 19, contou com o importante estímulo da Inglaterra que, com grandes interesses na região, considerava o Paraguai, por sua independência comercial, um exemplo que não deveria ser seguido pelos outros países sul-americanos. A vitória da aliança arruinou os países membros que contraíram dívidas impagáveis com o império inglês. Hoje, consequência de uma resolução soberana e majoritária do seu parlamento, destituindo um presidente desastrado, polêmico e ineficiente, o Paraguai é, de novo, considerado pelos governos membros da misteriosa Unasul, um exemplo a não ser seguido, sendo também punido com a expulsão do Mercosul que, coincidentemente, com forte apoio do Brasil, ganhou um novo membro, a Venezuela, governada por um histriônico e histérico agitador. Grande chance de que toda essa estranha movimentação diplomática se volte contra os países algozes.

Paulo Roberto Gotaç prgotac@hotmail.com

Rio de Janeiro

*

CLUBE DO BOLINHA ÀS AVESSAS

O tupamaro uruguaio foi enrolado pela guerrilheira e Cristininha.

Ulysses Fernandes Nunes Junior Twitter: @Ulyssesfn

São Paulo

*

VERGONHA DIPLOMÁTICA

Afinal conhecem-se os detalhes das operações de “morte do Paraguai” na Unasul e no Mercosul e do “nascimento da Venezuela” no mercado comum. Dentre os vários participantes que falaram sobre o assunto, o mais ilustre foi o ministro uruguaio revelando que o Brasil liderou a ação da entrada da Venezuela no Mercosul, mas o Uruguai era contra. Nosso representante Samuel Guimarães foi o grande entusiasta da ideia de promover o país de Chávez, com apoio do secretário Marco Aurélio Garcia, que confessou que já sabia da pressão sobre Lugo há algum tempo. A presidente Dilma ficou enfurecida com essa revelação, piorando sua fúria depois de ficar comprovado que foi a diplomacia brasileira, liderando a precipitada missão da Unasul no Paraguai comandada pelo ministro Patriota, a responsável pelo Senado daquele país dar somente 24 horas para Lugo se defender, em vez de três dias que estavam em negociação. Ao final, resta a dúvida sobre a conclusão das manobras, porque, sendo o Paraguai ainda membro pleno do Mercosul, embora temporariamente suspenso, como pode a Venezuela ser admitida sem a sua aprovação? A voz corrente em Brasília é de que os três diplomatas citados estão na porta de saída. Entretanto, fica claro que a presidente se expôs desnecessariamente aos desígnios de seus colaboradores mais próximos, que “jogaram” contra a diplomacia brasileira.

Fabio Figueiredo fafig3@terra.com.br

São Paulo

*

ESQUENTANDO A CADEIRA

Dilma Rousseff passou dos limites fazendo o papel de taifeiro de Hugo Chávez, o déspota bolivariano, no impeachment de Fernando Lugo, do Paraguai. Tudo bem Dilma ser capacho de Lula. A frágil democracia e a ignorância popular brasileira nos levaram a isso, mas submeter-se a venezuelanos e argentinos só comprova que a presidente está guardando a Presidência para Lula voltar em 2014.

José Francisco Peres França josefranciscof@uol.com.br

Espírito Santo do Pinhal

*

UMA FAROFA SÓ

Além de ter herdado a Presidência do Mercosul e da Unasul, a amiguinha de Hugo Chávez fez de tudo para convencer os demais membros a admitir a Venezuela como membro permanente. Quem sabe agora o ditador coloca o dinheiro na Refinaria Abreu e Lima. Afinal, pelo que sabemos, ele é sócio na nossa refinaria nordestina. Isso, sim, foi um grande golpe! Já que a Petrobrás está importando gasolina, será a vez de ele nos pagar com o que é produzido na Venezuela. Isso se os outros membros que estão à espera, ou o Uruguai, não entrarem nessa briga e o bloco não virar uma farofa só. Dona Argentina, vulgo Cristina, faz de tudo para não liberar produtos que estão aguardando meses nos portos ou nas estradas para chegarem ao destino. Isso faz bem ao ego dela, que faz o belo papel de viúva negra! Pelo que se percebe, Mercosul e Unasul estão fadados a se desmancharem como uma nuvem de poeira.

Maria de Mello nina.7mello@uol.com.br

São Paulo

*

VIÉS SUL-AMERICANO

Sob o lullopetismo, "noça depromacia" resume-se ao dueto futrica e fracasso.

A. Fernandes standyball@hotmail.com

São Paulo

*

MÉXICO

O candidato presidencial Peña Nieto teve apenas 38% dos votos no México e, além disso, não conseguiu maioria absoluta nem na Câmara e nem no Senado. Por mais que faça alianças políticas, o novo presidente ficará distante dos 2/3 dos votos para qualquer reforma constitucional, a fim de propiciar mais competitividade à economia. A inexistência de segundo turno nas eleições presidenciais e a falta de legitimidade do candidato eleito, por causa das massivas acusações de compra de voto, colocam novamente o país em situação difícil para os próximos seis anos (duração do mandato presidencial). Como já era esperado, o candidato derrotado López Obrador protesta e pede recontagem de todos os votos, pois ele já havia feito o mesmo seis anos atrás.

Luiz Roberto Da Costa Jr. lrcostajr@uol.com.br

Campinas

*

AS ORDENS DO PRESIDENTE

O presidente da República em seu terceiro mandato, que o exerce sem o menor constrangimento, acumulando funções de presidente da CPI, Luiz Inácio Lula da Silva, só aceita que o ex-presidente da empreiteira Delta, Fernando Cavendish, e o ex-diretor do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit), Luiz Antônio Pagot, sejam investigados se Paulo Vieira de Souza, o Paulo Preto, também for. A Desenvolvimento Rodoviário S/A (Dersa) firmou contratos com a Delta e o ex-diretor do Dnit acusou Paulo Preto de ter feito caixa dois em campanhas tucanas. O que fazem então os cordeiros que estão cumprindo ordens do presidente? Simplesmente obedecem. Nenhuma novidade até aí, o que não pode ocorrer é uma investigação unilateral. Que se investigue e se puna quem tiver praticado ilícitos. A sociedade não tolera ser feita de boba e enganada o tempo todo. Se há parlamentares canalhas, há alguns bons que poderiam prestar um grande serviço à Nação acabando com essa farsa. Sinceramente, não acredito em nenhum resultado que seja positivo para o Brasil, vamos engolir uma enorme pizza como outras tantas e la nave và... Brasil, um país de tolos!

Izabel Avallone izabelavallone@gmail.com

São Paulo

*

O PAC NÃO PRECISA DE MÃE!

O Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) não precisa mais de mãe, e sim de competência! É o que se tem comprovado nesses dez anos de governo petista. O Brasil emergente tem pressa de uma infraestrutura condizente com seu crescimento senão vai parar. Apesar de a presidente ter sido eleita pegando carona nesse programa, ele passou longe em eficiência e gestão! Em época de crise econômica à vista, essa coisa de “mãe do PAC” não passa de marketing político.

Beatriz Campos beatriz.campos@uol.com.br

São Paulo

*

DEMÓSTENES TORRES

Pois bem, a Comissão de Constituição e Justiça do Senado Federal aprovou, na semana passada, a legalidade do processo de cassação de Demóstenes Torres (ex-DEM-GO). Agora, para o veredito final, pergunto por que votar esse processo secretamente? Será que os nobres senadores idôneos não possuem também rabos presos? Dizem que vivemos numa democracia, mas tudo é obrigatório e sigiloso. Eles não são representantes do povo brasileiro? Então mostrem as suas caras diante na Nação. Votem aberto e declarado e tirem as máscaras.

Antonio Rochael Jr. antoniorochael@gmail.com

Iguape

*

MUITOS PESOS E MUITAS MEDIDAS

Com a iminente cassação do senador Demóstenes Torres, faço apenas uma pergunta aos nobres e sábios senadores: Qual a diferença entre Demóstenes Torres e Renan Calheiros? Será porque Demóstenes é oposição e Renan Calheiros faz parte da “patotinha” de Sarney? Se cassarem Demóstenes, deveriam cassar Renan Calheiros, como também a Câmara dos Deputados deveria ter cassado a deputada Jaqueline Roriz, quando a mídia escancarou um vídeo em que a mesma recebia propinas! São muitos pesos e muitas medidas! Aos aliados do PT, tudo, e à oposição, a lei! Meu sentimento é de vergonha em ter um Parlamento desse naipe no Brasil, onde o currículo se confunde com ficha criminal.

Lauro Fujihara lauro@healthquality.com.br

Araçatuba

*

PREÇO ALTO

O maior e crucial erro do senador Demóstenes é não ser do PT, escaparia com certeza de qualquer punição se não fosse de um partido de oposição, pois aqueles que o acusam com veemência agora o estariam defendendo, como no caso do mensalão do PT, que é defendido até com pressão no Supremo, pessoas que futuramente poderão ser acusadas também e ser a bola da vez, como o senador Demóstenes. O tempo vai mostrar que tenho razão nessas afirmações, pois é notório que o Brasil está em crise moral há muito anos e que será muito difícil consertar o estrago feito pelo eleitor que elegeu um torneiro mecânico para presidente. Pagaremos um preço elevadíssimo por esse terrível engano.

Jose Mendes josemendesca@ig.com.br

Votorantim

*

PRESSÃO

Por uma feliz coincidência, o Senado acaba de aprovar um projeto do senador Álvaro Dias (PSDB-PR) determinando votação em aberto quando se tratar de cassação de mandatos. Mas isso ainda não preocupa o senador Demóstenes Torres. É que o projeto irá para a Câmara e se levar em consideração que no Senado ele tramitou desde 2007, não dá para ser otimista e pensar que a tramitação será mais rápida. E mais, se houver modificação, ele volta para o Senado. Daí a importância de se cobrar dos atuais senadores a votação em aberto na cassação ou não do senador goiano envolvido no caso Cachoeira. Será uma demonstração de evolução positiva nos procedimentos dos parlamentares. Vamos ficar atentos para pressioná-los a respeito.

Uriel Villas Boas urielvillasboas@yahoo.com.br

Santos

*

CASA VAZIA

Pode ser o que for, porém ver o senador Demóstenes Torres discursar no plenário a respeito de fatos por ele cometidos e de tanta importância, seja lá quais forem seus argumentos, e ser ouvido por apenas cinco colegas é simplesmente vergonhoso e lamentável. O que faziam os outros senadores?

Angelo Tonelli angelotonelli@yahoo.com.br

São Paulo

*

UNICAMENTE A IMPRENSA

Graças à denúncia do Estadão contra os vereadores de São Paulo, que fraudam sua presença na Casa por meio de laranjas e outras formas condenáveis, é que finalmente vem a promessa do presidente da Câmara de que vai modificar a forma desse registro de maneira que não permita mais a citada picaretagem. E é o que se espera! Isso prova, infelizmente, que é perda de tempo esperar que o Legislativo no País, de forma espontânea ou cívica, seja ele federal, estadual e municipal, represente condignamente a população criando normas para que se evitem essas graves ações de conduta, que configuram decoro parlamentar! Mas, como corriqueiramente legislam em causa própria, como se fosse um condomínio onde ninguém entra, jamais serão punidos pelo corporativismo de seus pares. E sempre, é bom que se diga, aos olhos complacentes do Executivo e do Judiciário! Isto posto, devemos reverenciar sempre a implacável e patriótica atuação da grande imprensa, sem a qual Collor não teria sido cassado, o mensalão estaria no esquecimento, Cachoeira, Delta, ONGs fantasmas, entre tantas outras barbáries que se cometem diariamente contra o erário dentro das nossas instituições, não seriam levados ao conhecimento público! E, com o silêncio da nossa sociedade, ainda somos obrigados a engolir o voto obrigatório.

Paulo Panossian paulopanossian@hotmail.com

São Carlos

*

OS ABSURDOS DA CÂMARA MUNICIPAL

O Estadão da semana passada publicou mais uma matéria sobre o psicodélico sistema de controle de presença em plenário dos vereadores de São Paulo e a consequente licitude das leis aprovadas por aquela Casa. A iniciativa do jornal em pleno ano das eleições municipais tem fornecido aos eleitores informações importantes sobre o dia a dia da Câmara Municipal. Mas faço um reparo a uma informação de que são simbólicas como mudanças de nomes de rua, onde o quórum só é verificado no início da sessão. A denominação de logradouros e equipamentos públicos, como vias, praças e outros, são propostas por projetos de leis, discutidas e aprovadas como tal, e representam um porcentual relevante dentre as leis aprovadas pelos vereadores se incluirmos àquelas destinadas a criar datas e eventos comemorativos, agravados pelo fato de que em sua grande maioria são sem importância para a população. Cabe, aqui, ressaltar que a denominação de logradouros e equipamentos pode ser aprovada pelo prefeito por simples decreto, tanto que na Secretaria da Habitação existe uma divisão só para tratar desse assunto. A atual Lei Orgânica do Município aprovada em 4/4/1990 não previa tal prerrogativa aos vereadores e somente após aprovarem a Emenda à LOM N.° 3 em 19/10/1990 é que passaram a tê-la. E a partir da Emenda N.° 3 se deslumbraram em nominar ruas, praças, etc. aos borbotões, transformando simples confluências de ruas e avenidas em praças, provocando despesas absurdas ao Município. Na atual legislatura, até o dia 4/7/2012, foram aprovadas 712 leis, sendo que os vereadores conseguiram aprovar 88 para denominação de vias, travessas, pontes etc. Foram ainda aprovadas 144 para praças, 35 para equipamentos públicos, 168 datas comemorativas e eventos festivos ou não e uma para cidades-irmãs. Não é pouco, são 440 leis que representaram 62,23% do total. Importa em uma péssima relação custo/benefício. E ainda agora vemos que a forma de aprovação de tantos e custosos absurdos foram aprovados na base do esculacho com pianistas manipulando a presença por meio de terminais fora do Plenário, independente da presença real do votante. Lógico que tem razão o dr. Márcio Cammarosano, em face dessa verdadeira festa do caqui, as leis aprovadas podem ser anuladas. Foi assim que o prefeito conseguiu aprovar a venda de dez grandes áreas municipais de interesse das incorporadoras e o uso por 99 anos, área municipal de mais de 4 mil m² no centro da cidade para o denominado Instituto Lula, por exemplo. Eis como funciona a democracia neste pobre país com 30 partidos já reconhecidos pelo Tribunal Superior Eleitoral.

Gilberto Pacini benetazzos@bol.com.br

São Paulo

*

VEREADOR FANTASMA

Yo no creo en vereadores fantasmas, pero que los hay, hay. Cruz-credo!

J. S. Decol decoljs@globo.com

São Paulo

*

QUANTO CUSTA UM VEREADOR

O Estadão publicou em 4/7 no Metrópole alguns salários recebidos pelos funcionários da Câmara Municipal de São Paulo, com a verbas recebidas pelos vereadores (R$ 106 mil). O pior é que uma parte eles devolvem aos próprios vereadores.

Olympio F. A. Cintra Netto ofacnt@yahoo.com.br

São Paulo

*

ROENDO CANELAS

Por que será que demorou tanto para petistas conseguirem enxergar a postura despótica com que Lula sempre tratou os de seu partido, sempre fazendo valer a sua vontade pessoal sem levar em conta a decisão da maioria? Talvez essa demora se deva ao fato de que o autoritarismo já faz parte do DNA do PT, e por isso, a atitude de Lula até podia lhes parecer normal, até a hora em que deixou de ser. Marta Suplicy, em São Paulo, reagiu de pronto à imposição de Fernando Haddad, criatura de Lula, para concorrer à eleição pelo PT, mas não com tanta contundência como o fez o deputado federal Mauricio Rands (ex-PT-PE), que, depois de ter sido pressionado a desistir de disputar as prévias do PT para a prefeitura do Recife, resolveu, de forma insólita, desfiliar-se da legenda, renunciar ao mandato de deputado federal e de secretário do governo de Pernambuco. Jogou tudo para o alto e diz que agora vai dedicar-se à campanha da candidatura de Geraldo Júlio, do PSB. Lula prometeu morder a canela de Serra na campanha, mas um petista está roendo a canela de Lula desde já!

Mara Montezuma Assaf montezuma.scriba@gmail.com

São Paulo

*

PETISTAS ACORDAM

Os petistas cegos parecem nunca ter sentido os mandos despóticos de Lula como chefe do PT. Agora ele anuncia roer as canelas dos adversários de seu escolhido à Prefeitura de São Paulo, mas antes roeu com anestésicos as canelas dos próprios camaradas. Atualmente mais acordados, alguns se voltam contra a criatura e seu voluntarismo. Antes tarde do que nunca.

Leila E. Leitão

São Paulo

*

FISSURAS PETISTAS

Há algum tempo, ou precisamente desde que o Partido dos Trabalhadores assumiu o posto máximo no Brasil com Luiz Inácio Lula da Silva, que iniciou enormes fissuras nos seus quadros, a ponto de fundadores dessa legenda se afastarem por não concordarem com as atitudes que o PT, enquanto governo, tomava. Esse processo de descontentamento, desestabilização interna e desligamento está na ordem do dia, tanto o fato de o ex-presidente Lula aceitar o apoio de Maluf ao seu candidato, como o último episódio da disputa eleitoral interna da capital de Pernambuco, onde se criou enorme celeuma com a negação do direito a ser candidato do seu atual prefeito. É justamente por este “epicentro” no partido, que resolve desfiliar-se o deputado federal Maurício Rands. Mas até quando vai continuar agonizando e desmoronando o PT?

Fernando Arábia poeta_arabia@hotmail.com

Gravatá (PE)

*

O SILÊNCIO CONIVENTE

Complementando o artigo Nada a declarar, do sociólogo Demétrio Magnoli (A2,5/7), acrescentaria que os intelectuais da esquerda brasileira são produtos da formação do povo brasileiro: colonialista, patrimonialista e individualista. Por isso, o silêncio conivente sobre o momento político.

Honyldo Roberto Pereira Pinto honyldo@gmail.com

Ribeirão Preto

*

O GÓLGOTA DOS JARDINS

Antonio Candido, Gabriel Cohn, Eugênio Bucci, Marilena Chauí, Paulo Singer (acrescentemos Dalmo de Abreu Dallari e Fábio Konder Comparato) poderiam bater forte no "intelectual da direita" Demétrio Magnoli por sua crítica fundada em fatos incontestáveis que levaram ao coma o Partido dos Trabalhadores e o lulismo no gólgota dos Jardins, percorrendo uma trilha de coerência macabra em companhia amistosa de José Sarney, Jader Barbalho, Fernando Collor, Renan Calheiros e outros. Mas, com certeza, ficarão ensimesmados em terríveis elucubrações a corroer seus próprios e privilegiados neurônios e optarão pelo título escolhido pelo articulista do Estado: “Nada a declarar...”.

Amadeu R. Garrido de Paula amadeugarridoadv@uol.com.br

São Paulo

*

CACHORRO LOUCO

Agosto está chegando e é mês de cachorro louco. Será que José Serra já tomou vacina antirrábica? É melhor se prevenir do que remediar.

Maria Carmen Del Bel Tunes carmen_tunes@yahoo.com.br

Americana

*

A CARA EDUCAÇÃO

O sr. Guido Mantega disse que 10% do PIB para educação podem "quebrar" o Estado. Não devemos esquecer os hospitais também, porque a saúde e a educação deste país são uma lástima. Dá vergonha! Nesse caso, os salários dos políticos, dos juízes, dos servidores sem carreira, que têm valores estupidamente estratosféricos, os estádios de futebol que levam, sem parar, uma grana escandalosa, para depois ficarem às moscas, isso tudo não quebra nada? Se tem dinheiro para manter esse banquete todo, não tem recursos para educação e saúde? É para ficar revoltada! Envergonhada! Nas mãos em que estão esse país será sempre um país de faz de conta. "Nunca antes neste país" se viu tanta deturpação ética e moral. Não dá!

Tânia Pinotti tkita@uol.com.br

Pompeia

*

VERBA PARA A EDUCAÇÃO

Trem-bala bilionário, projetos “irrealistas” na Petrobrás, elefantes brancos para a Copa do Mundo, empreiteiras recebendo bilhões para fazerem nada, transposição de rio que não sai, PAC empacado, e o dinheiro pra educação é que vai quebrar o País?! Esse pessoal entende mesmo de economia...

Ricardo Marin s1estudio@ig.com.br

Osasco

*

RESPONSABILIDADES

Indiscutivelmente, o Estado é responsável pela situação da educação no País. Agora, mais responsáveis são os pais que não preparam seus filhos para o aprendizado. Às vezes por ignorância ou por total falta de senso e responsabilidade, não dando a mínima base para que as crianças tenham a base mínima para acompanhar o ensino. A soma de tudo isso leva o País à vergonhosa situação da educação atual.

Laert Pinto Barbosa laert_barbosa@ig.com.br

São Paulo

*

GREVE NAS FEDERAIS

Com os salários que os professores recebem para ministrar aulas nas importantes universidades federais não há outra opção a não ser utilizar o recurso extremo da greve. Talvez o pessoal que trabalha na Câmara Municipal de São Paulo pudesse substituir os professores nessa tarefa, que, certamente, eles tirariam de letra. O garagista que ganha quase R$ 12 mil poderia ministrar aulas de transportes no curso de Engenharia Civil. A biblioteconomista que ganha mais de R$ 24 mil poderia ser a diretora na pós-graduação e o técnico administrativo da equipe de protocolo que ganha mais de R$ 23 mil poderia orientar algumas pesquisas científicas importantes para o desenvolvimento da ciência e da tecnologia no Brasil. Que tal?

Luiz Antônio da Silva lastucchi@yahoo.com.br

Ribeirão Preto

*

QUEREMOS SABER

Precisamos saber qual o salário dos funcionários públicos em greve. Se podemos ou não dar o aumento que eles pleiteiam. Precisamos saber também se é o sindicato que está querendo mostrar serviço!

Cleo Aidar Cleoaidar@hotmail.com

São Paulo

*

O PIB ‘MANTEiGA’

A produção industrial caiu 4,3% no comparativo anual sobre maio de 2011. Trata-se do nono resultado negativo consecutivo. Cada vez mais o PIB do ministro da Fazenda, Guido Manteiga, vem derretendo nos números oficiais, a despeito de suas estimativas superinflacionadas. Até quando o ministro vai nessa toada? Falta-lhe coragem para adotar uma posição realista tal como fez, recentemente, Graça Foster, da Petrobrás?

Claudio Juchem cjuchem@gmail.com

São Paulo

*

‘A FANTASIA DE MANTEGA’

É a cara do Brasil da Constituição de 1988. Um comunista comandando a economia, um comunista comandando as Forças Armadas, um comunista comandando a política internacional, uma comunista e vários comunistas em outros pontos-chave e, por fim, como presidente. O que se espera dessa gente? Que se esborrache nas próprias burrices, como aconteceu com a URSS.

Ariovaldo Batista arioba06@hotmail.com

São Bernardo do Campo

*

BRASIL ‘MADE IN CHINA’

Estamos vendo a desindustrialização acelerada do nosso país. Em contrapartida, temos as importações com qualidade duvidosa. Num futuro próximo seremos Brasil “made in China”? Acorda, presidente!

Tania Tavares taniatma@hotmail.com

São Paulo

*

AS REDUÇÕES DE IPI

Enquanto a “presidenta” Dilma Rousseff tenta reduzir o Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) dos carros para aquecer a economia, as contas de luz, água, gás e gasolina continuam com os preços mais elevados do mundo – isso sem falar que parte do salário vai para pagar impostos. “Presidenta”, haja IPI!

Virgílio Melhado Passoni mmpassoni@gmail.com

Jandaia do Sul (PR)

*

ESTÍMULOS IRRACIONAIS

Nas compras que fará, o governo federal lançou um novo estímulo: vai pagar até 25% mais por produtos fabricados no Brasil. Seria mais inteligente e racional se o estímulo fosse destinado a produtos fabricados por empresas nacionais. Do jeito governista, há o risco de serem beneficiados produtos fabricados no Brasil, mas por multinacionais instaladas aqui.

Mário A. Dente dente28@gmail.com

São Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.