Fórum dos Leitores

O 9 DE JULHO

O Estado de S.Paulo

09 Julho 2012 | 03h07

Vitórias de 32

Com os olhos do presente devem ser observados os fatos do passado para melhor avaliar a importância de sua ocorrência. Assim, a par do sentimento nostálgico e da memória afetiva despertados pela guerra cívica deflagrada em 9 de julho de 1932, o Movimento Constitucionalista há de ser historiograficamente visto como marco decisivo do grau civilizatório da democracia brasileira. Muitos membros da intelectualidade constitucionalista de 32, como Reynaldo Porchat, Mário Pinto Serva, Antônio de Sampaio Dória e Plínio Barreto, entre outros, fundaram em 1917 a Liga Nacionalista de São Paulo, cuja pregação infatigável inspirou a luta pelo sigilo do sufrágio, pelo direito de voto das mulheres e pela criação de uma Justiça Eleitoral, bandeiras que viriam a ser adotadas pelo Código Eleitoral de 24/2/1932. A Justiça Eleitoral paulista nasceu três meses após o início de vigência do código: em 25/5 realizou-se no Palácio da Justiça a primeira sessão do então Tribunal Regional de Justiça Eleitoral, sob o impacto político dos tiros da ditadura getulista, que dois dias antes haviam ceifado a vida de Martins, Miragaia, Dráusio e Camargo. Incrédulos de que o déspota Vargas desejasse implantar a democracia que tanto almejavam, os paulistas pegaram em armas contra ele. Embora militarmente derrotados, a sua vitória político-moral foi alcançada com as eleições para a Assembleia Nacional Constituinte em 1933 e a promulgação da Constituição federal de 1934. Os cidadãos brasileiros de hoje veem com naturalidade o pleno exercício do voto, garantido por uma instituição independente e isenta, mas a gigantesca maioria votante desconhece que 80 anos atrás centenas de vidas foram sacrificadas em defesa do Estado Democrático de Direito.

JOSÉ D'AMICO BAUAB, pesquisador do Centro de Memória Eleitoral do TRE-SP, membro do IHGSP

cemel@tre-sp.jus.br

São Paulo

Data cívica

No momento crítico que o País atravessa, quando valores éticos e morais vêm sendo ignorados pela maioria dos nossos políticos, numa afronta à ordem pública e ao devido respeito a todos nós, brasileiros, nada mais oportuno que relembrar a data cívica de 9 de julho, que simboliza a luta dos paulistas pela restauração dos direitos constitucionais. Ela celebra a maior revolução do Brasil em todos os tempos de sua História e até hoje marca a grandeza, o brio e a dignidade de um povo que se uniu nessa luta, desejando trazer de volta valores como liberdade e democracia, por meio de eleições gerais, além de uma nova Constituição para o Brasil. Por esses objetivos a Revolução de 1932 foi chamada de Constitucionalista. Na época, oradores inflamados discursavam em vários pontos da cidade clamando por liberdade, entre eles Ibrahim Nobre, que fazia de sua tribuna uma trincheira cívica. Embora os paulistas tenham sido derrotados nas armas, saíram vencedores pela disseminação do sentimento de democracia. Ademais, essa demonstração de força e brio não foi em vão, pois em 1933 se formou uma Assembleia Constituinte e já em 1934 era promulgada nova Constituição para o País. Para que o heroísmo dos que lutaram em 1932 não caia no esquecimento vale dizer que, embora passados 80 anos de sua eclosão, o feriado deste dia sinaliza a todos, principalmente às novas gerações, o que foram a luta e os ideais desse Movimento. O 9 de julho jamais poderá desaparecer do calendário dos que amam a liberdade!

PEDRO PAULO PENNA TRINDADE, diretor da Sociedade Veteranos

de 32 - MMDC, membro titular do IGHSP

pennatrindade@gmail.com

São Paulo

Menos que o mínimo!

É uma vergonha o que o governo paulista paga mensalmente aos bravos soldados constitucionalistas: R$ 450, menos que o salário mínimo! O dia 9 de julho é feriado em homenagem a eles. Discursos e desfiles são feitos, medalhas são dadas. Tudo demagogia! Poucos ex-combatentes estão vivos, poucas viúvas também, pois têm mais de 90 anos. Por que não lhes dar um fim de vida mais digno, valorizando-os monetariamente, para que ao menos possam pagar seus remédios, médicos, sem ter de depender de parentes ou estranhos? Um Estado tão rico pagar-lhes essa miséria é vergonhoso.

NEIDE GUMBIS DE S. BELLUCO

neidebelluco@g.com.br

Piracicaba

ADMINISTRAÇÃO KASSAB

Nota 10?

O alcaide paulistano, Gilberto Kassab, atribuiu nota 10 à sua gestão. Mas a maioria da população não lhe conferiria sequer metade da nota: a cidade segue caótica, com fraca iluminação, ruas com crateras, calçadas quebradas, árvores sem poda e infestadas de cupins. Tudo isso é sinal evidente de que o prefeito está longe de ser um bom administrador. Se, lançado a governador, seus eleitores não repetirão o erro.

YVETTE KFOURI ABRÃO

abraoc@uol.com.br

São Paulo

Cara de pau

Foi só o prefeito Kassab se aproximar um pouco de Lula e já ficou megalomaníaco e bugiardo, como diria meu nono. Ele se autoavaliou com nota 10! Ah, ah, ah... E José Serra diz que dará continuidade à atual administração. Melhor corrigir o foco e não repetir o erro assemelhado à sua campanha anterior, quando perdeu para a presidente Dilma Rousseff.

GILBERTO PACINI

benetazzos@bol.com.br

São Paulo

POLÍTICA ECONÔMICA

Inflação à francesa

O governo comemora o IPCA mais baixo em dois anos, graças à redução no preço do automóvel. Na feira livre, há dois anos a dúzia da banana custava R$ 2 e na sexta-feira era vendida por R$ 5. Se Maria Antonieta vivesse no Brasil hoje, com certeza diria ao seu ministro da Economia: "Não tem banana, ande de carro!".

HERMÍNIO SILVA JÚNIOR

hsilvajr@terra.com.br

São Paulo

Falsa economia

Para crescermos preconiza-se necessária maior produtividade. Dona Dilma crê ser possível aumentar produtividade com atos urgentes do governo, em vez de plantar educação para o povo, para colheita depois, em futuros governos. Não dá para levantar o PIB com discursos, desonerações tributárias ou a queda forçada de juros apregoada pelo ministro Mantega. Ao povo não se devem propor compras a longo prazo que jamais serão pagas. Isso nos faz lembrar o absolutismo na França, quando Maria Antonieta, na falta de pão, propôs que o povo comesse brioches. E o tardio reconhecimento do Rei Sol: "Après moi, le déluge" - jargão que não vamos traduzir. Em nossa falsa economia, quem sobreviver verá.

FERNANDO AVERBACH

reginalili@yahoo.com

São Paulo

Credenciais

Onde será que o ministro Mantega fez faculdade, em algum pátio da Volkswagen?

RICARDO MARIN

s1estudio@ig.com.br

Osasco

DEMÓSTENES

Caro senador Demóstenes, infelizmente, o senhor não tem a estrela do nosso ex-presidente Lula. Ele também sempre foi tido como defensor da moral e da ética e acabou aliado da pior escória política do País. Seus eleitores não perceberam e Lula ainda conseguiu eleger seu poste preferido para o Palácio da Alvorada. No seu caso, senador, o seu amigo Carlinhos Cachoeira, em se falando de desonestidades, não chega aos pés de um Sarney, de um Renan, de um Collor ou de um Maluf, todos eles, grandes amigos e aliados do estadista de Garanhuns. Não perca mais tempo, senador. Na próxima vez, se houver, trate de ser amigo do rei, ou pense bem de quem vai apertar a mão...

Victor Germano Pereira victorgermano@uol.com.br

São Paulo

*

LEI DA TRANSPARÊNCIA

Mais uma vez a população está diante de um dilema a respeito da justiça dos homens. Vão ter de julgar o senador Demóstenes, um colega político corrupto, decidir se ele é criminoso ou inocente. A nação não tem dúvidas com todas as provas que um órgão respeitado como a Polícia Federal apresentou. Mas seu advogado tenta a todo custo achar uma brecha na justiça dos homens, neste caso do judiciário, será lamentável se ele conseguir liberar este criminoso, pois, matematicamente, ele já deveria estar preso e seus bens apreendidos. Quem não ouviu na sua vida escolar que a ordem dos fatores não altera o produto? Este seria o caso, não dá para inocentar um criminoso, não importa como foram conseguidas as provas, afinal ele é um servidor público, como tal, deveria estar a serviço do público, pois o público paga o seu salário, tem o direito de ver de forma transparente suas ligações criminosas (Lei da Transparência).

Anderson Aparecido Dias dandersonaparecido@yahoo.com

Hortolândia

*

SAI DAÍ, DEMÓSTENES

A Comissão de Constituição e Justiça no Senado aprovou por unanimidade, na quarta-feira, a legalidade do pedido de cassação do mandato do senador Demóstenes Torres. Que ninguém se iluda com essa aprovação. É tudo jogo de cena. A verdade só aparecerá mesmo no escurinho da votação secreta, cujo veredito tem grande possibilidade de ser pela absolvição. A verdade é que Demóstenes já foi julgado e condenado pela opinião pública. Caso ele ainda tenha um pouco de autoestima, a melhor coisa a fazer é sair de fininho.

José Marques seuqram.esoj@bol.com.br

São Paulo

*

PF PRENDE ‘FAXINADO’ DOS TRANSPORTES

E o tal Juquinha era "cupincha" de Lula. E imagine que era apenas peixe miúdo que, evidentemente, tinha que pagar "o pedágio ao chefe". E se esse povo miúdo, mas agora gente rica resolvesse de fato dar com a língua nos dentes? É isso que o Brasil torce para que aconteça, que haja ainda "inocentes úteis" que achem o "cara", o "Antônio conselheiro" do Brasil.

Ariovaldo Batista arioba06@hotmail.com

São Bernardo do Campo

*

O SAMBA-CANÇÃO DE UMA ELEIÇÃO

Tem gente que diz que nunca antes neste País houve tantos benfeitos. Também muita gente falando que nunca antes existiram tantos malfeitos. E parece que a moda pegou também nas alianças para as eleições deste ano. Hoje vemos um samba-canção nunca antes visto na história deste País. Velhos e novos coronéis estão deixando os eleitores rodopiando feito barata tonta no salão da política com suas alianças estranhas e até estapafúrdias para abocanhar as prefeituras das cidades médias e grandes. Porque as pequenas já têm seus donos e conchavos, onde a cada pleito um toma o lugar na cadeira e todos continuam amigos, dividindo o poder e o nosso dinheiro nas secretarias e afins. Como conseguiremos passar ao eleitor, que só comparece às seções eleitorais porque é obrigatório, a consciência na hora do voto e o quanto ele é precioso para endireitarmos a coluna vertebral desta política brasileira e, consequentemente, do País e do povo, se partidos estão deixando seus ideais, constantes nos estatutos, para se locupletarem com partidos e políticos com histórias tão opostas? É como tentar misturar água e óleo e esperar uma liga perfeita. Dizem que somos movidos por notícias da mídia e por isso não compreendemos os meandros que ocorrem em gabinetes, restaurantes e escritórios onde tudo é feito pensando no futuro. Que futuro? Na próxima eleição? E o Brasil e seu povo, como ficam? Esperando que os conchavos e as alianças surtam efeito positivo para todos ou serão apenas os mesmos dos mesmos se servindo do banquete arrecadatório? Desejo que todos os tiros dados pelos partidos, que jogaram na lata do lixo a conduta moral, ética e respeito aos seus filiados e militantes os firam nos resultados das eleições deste ano. "Quem com ferro fere com ferro será ferido."

Marisa da Silveira Cruz marisa.s.cruz@gmail.com

Cotia

*

MALUF O CARA DE...

Mais uma joia dentre as milhares do grande político vaselina Maluf após a dobradinha com o candidato do PT, aquele que ENEMsabe ao que veio. Se Haddad não for um bom prefeito, nunca mais votem nele,mas continue votando “nim mim”. Temos de tirar o chapéu para ele, pois esse verdadeiramente é o cara de pau do Brasil.

Antonio Jose G. Marques a.jose@uol.com.br

São Paulo

*

DOAÇÃO

Com tantas maracutaias, a Câmara já pode oferecer o acervo pro futuro Museu do Lulla.

A. Fernandes standyball@hotmail.com

São Paulo

*

CÂMARA MUNICIPAL PAULISTANA

Implantar qualquer sistema de biometria por digital é mais um tremendo desperdício dos suados impostos pagos pela população, explico: Primeiro, essa tecnologia é ultrapassada. Segundo, Qualquer pessoa com acesso à internet encontrará vídeos explicativos de como fraudar qualquer sistema de leitura de digitais, ainda mais lembrando que se muitas de suas excelências cedem suas senhas pessoais, por qual razão não cederiam também suas digitais? Aí é só o pianista tocar! Um sistema sério tem de contemplar pelo menos duas formas concomitantes de verificação e a cada votação deveria ser feita a reverificação do quórum correspondente, nada de "pendurar o paletó" na cadeira e sair para outras atividades. Os parlamentares sérios deveriam unir-se e reger este processo para pôr ordem na Casa!

Joe Diesendruck joediesen18@gmail.com

São Paulo

*

TERRA DE LADRÕES

No passado, terra dos papagaios, no presente, terra de ladrões,

o futuro a Deus pertence.Mal comparando,a Chicago dos anos 20

e 30 não passa de pré-escola de meninos arruaceiros e Al Capone,

de um punguistinha de terceira categoria diante do que acontece

hoje no Brasil de Lula, Dilma, PT & Cia. bela.A porta do inferno está aberta. Pai, tenha piedade de nós!

Nelson Mendes nelsonmendes2009@bol.com.br

São Bernardo do Campo

*

PIB PAULISTA

De acordo com a Fundação Seade, o PIB paulista superou o PIB nacional. É por isso que os paulistas e paulistanos não desejam que o Estado e a cidade de São Paulo sejam administrados pelo PT. Fora, PT!

Maria Carmen Del Bel Tunes carmen_tunes@yahoo.com.br

Americana

*

MEMÓRIA CURTA

Espetacular o artigo Lula quer provar que ‘neomalufismo’ compensa, de José Nêumanne (4/7, A2), sobre o nosso guru. Memória histórica não é necessariamente o ponto forte da nossa sociedade. Lembro-me muito bem dos artigos raivosos do mais famoso papagaio de pirata dos governos petistas, Aloizio Mercadante, sobre o Plano Real. Enquanto fazia os artigos, bebia vinhos com banqueiros brasileiros tradicionais. Lula jogar no lixo todos que se contrapõem às suas aspirações também não é fato novo. Só precisa ser constantemente lembrado.

Paulo Silveira paulo.silveira@fleetone.com.br

São Paulo

*

A MALDITA HERANÇA

O artigo de José Nêumanne relata a trajetória vergonhosa de um indivíduo que chegou a governar o Brasil por oito anos e elegeu um poste de tailleur. A herança maldita de Lula começa a se configurar: economia com resultados perto de zero, bilionário parido por Lula e pelo BNDES começa a caminhar para a bancarrota, comprovando que o pré-sal é mais uma mentira de Lula. Aliás, a única verdade, que podemos comprovar no governo Lula é o mensalão, o maior escândalo de corrupção do Brasil, desde 22 de abril 1500.

José Francisco Peres França josefranciscof@uol.com.br

Espírito Santo do Pinhal

*

'ENGANO DO GABEIRA'

Fernando Gabeira em seu último e oportuníssimo artigo, Fantasmas no caminho (6/7, A2) cometeu um engano. Não há fantasmas no caminho; há, sim, uma dura realidade que já está passando das canelas...

Carlos E. Vassimon lucfor@amcham.com.br

São Paulo

*

ENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL

Um dos aspectos admiráveis nos textos de Washington Novaes é o seu embasamento em dados numéricos e uma análise crítica desses valores. Em seu último artigo, (A2, 6/7) não foi diferente. À decepção de não ter uma resposta para quem paga a conta, pergunto-me se já não é hora de estabelecer um novo parâmetro para avaliar o que fazemos em nossas interrelações sociais, pois a economia já traz a insustentabilidade atrelada a si, como vemos no texto. Uma espécie de envolvimento sustentável é o que precisaria acontecer para que todos nós entendêssemos que a moeda e o tempo correntes na natureza são de outra dimensão e finalidade.

Adilson Roberto Gonçalves priadi@uol.com.br

Lorena

*

ROTA

Está publicado neste jornal que o número de mortes pela Rota aumentou 45%. As pessoas de bem só vão transitar com segurança pelas ruas de São Paulo quando esse índice atingir 4.500%. Que assim seja!

Orivaldo Tenorio de Vasconcelos professortenorio@uol.com.br

Monte Alto

*

AINDA A VIOLÊNCIA

Ainda comentando a ausência de direito à legítima defesa: no domingo almocei com uma amiga com quem tinha perdido contato por alguns anos. Durante o almoço, ela me contou um episódio que aconteceu com ela há seis anos. Ela e a mãe foram assaltadas na porta de casa por vários homens armados com metralhadoras Uzi do exército israelense. Disse-me ela que lhes entregou imediatamente a chave do carro e a bolsa, mas que não contentes com isso, eles a derrubaram no chão e começaram a chutá-la e a pisoteá-la, quebrando-lhes todas as costelas, um ombro e lesionando a coluna vertebral. Só pararam e foram embora porque um carro se aproximou. Ela foi hospitalizada, com o risco de ficar paralítica, mas felizmente, depois de dois anos e muita reabilitação, voltou a andar e a ter uma vida normal. Teve de recorrer também a um grupo de apoio psicológico para vítimas de trauma, porque tinha episódios de pânico a cada vez que saía de casa. Agora eu pergunto aos delegados que acharam que a senhora de Caxias do Sul e o comerciante de Cidade Dutra exageraram em sua reação matando os bandidos: o que diriam desse caso? A vítima não reagiu, e, no entanto, os bandidos a trataram com extrema crueldade. Aos nossos excelentíssimos deputados, que não somam dois mais dois e não acham que a crescente violência dos bandidos está relacionada à brandura das penas, inclusive para homicidas, eu pergunto: o que estão esperando para mudar o Código Penal? Que isso aconteça a um de seus familiares e amigos? Com este texto, quis prestar também uma pequena homenagem à minha amiga, que superou sozinha tantas dificuldades. Porque nessas horas os defensores dos direitos humanos tampouco aparecem.

Tereza Sayeg tereza.sayeg@gmail.com

São Paulo

*

INSEGURANÇA

Lamentamos o atentado contra a família do presidente do Tribunal de Justiça de São Paulo, felizmente repelido por sua escolta. Entretanto, nós que não dispomos de escolta nem de carros blindados para sairmos numa cidade dominada pelo medo, nós que vemos nossos lares diariamente invadidos por hordas de bandidos só dispomos de uma arma, o voto, que será utilizada em outubro, para substituirmos um governo que descuida de seu principal dever, a segurança da população.

Arsonval Mazzucco Muniz arsonval.muniz@superig.com.br

São Paulo

*

SUBSIDIANDO LADRÕES

Chegando ao caixa de certo supermercado, surpreendi-me quando a funcionária deixou seu local de trabalho e se dirigiu a outra seção levando um tubo de desodorante que fazia parte de minhas compras. Ao voltar, perguntei-lhe o que havia acontecido, então ela me explicou que tinha ido liberar o produto. Existe um dispositivo preso à embalagem para evitar roubo. Essa proteção ao patrimônio do empresário tem um custo que, sem dúvida, está sendo repassado ao consumidor. Analisando o processo como um todo, chegamos à conclusão de que vivemos num país infestado de bandidos, onde se pagam altos impostos, tem-se um governo omisso, além de corrupto, e, como se não bastasse, o cidadão de bem ainda subsidia a atividade dos ladrões.

Humberto de Luna Freire Filho hlffilho@gmail.com

São Paulo

*

ABSURDOS

Concluímos que realmente não há o que fazer com a política e com seus políticos atualmente no poder no País. Basta ver a decisão vergonhosa, desonesta e antiética da "Comissão de Ética" aceitando o pedido do ex-chefe da Casa Civil, Antonio Palocci, que reivindicou e ganhou o direito em receber R$ 107 mil pelo período de quarentena após sua exoneração do cargo por motivos duvidosos.

Angelo Tonelli angelotonelli@yahoo.com.br

São Paulo

*

SAINDO PELO RALO

O governo vai indenizar Antônio Palocci com mais de R$200 mil pelo tempo que ele ficou de "quarentena" após ter deixado o governo. "Presidenta" Dilma, não será esse um dos motivos pelos quais não sobra dinheiro para melhorar os salários de nossos aposentados?

Virgílio Melhado Passoni mmpassoni@gmail.com

Jandaia do Sul (PR)

*

ACABOU A MAMATA

Juiz suspende ao passaporte diplomático do filho de Lula (A6, 6/7). Que notícia especial! Ou seja, desmandos contra a Nação e seu povo começam a ser cancelados. E parabéns ao dr. Jamil Oliveira, juiz da 14.ª Vara Federal de Brasília, que diante da “flagrante moralidade”, visto que o passaporte diplomático, por decreto de 2006 não é autorizado a filho maior e não dependente do presidente da República. E, se for fundo na coisa – rapinagem –, pega muito mais!

Edivelton Tadeu Mendes etm_mblm@ig.com.br

São Paulo

*

UM GRANDE ESPETÁCULO

Parabéns ao Corinthians pelo título de Campeão da Taça Libertadores da América 2012. Foi um espetáculo inesquecível! Como é maravilhoso ver os torcedores felizes, cantando, se abraçando, chorando de alegria... Isso fez lembrar-me do saudoso jornalista esportivo Armando Nogueira que dizia que o futebol foi o grande divertimento do século 20 e vai ser também no século 21.

Edgard Gobbi edgardgobbi@gmail.com

Campinas

*

CONQUISTA DA LIBERTADORES

O Corinthians conquistou com todos os méritos a Libertadores. Mas é bom destacar que a conquista foi realizada porque o principal responsável pela mesma - com maior ênfase na última partida - foi Émerson, que iniciou sua carreira no São Paulo.

Laert Pinto Barbosa laert_barbosa@ig.com.br

São Paulo

*

DOM DA ESCRITA

Escrever sobre o dia a dia do futebol não é simples! Mesmo porque, se o brasileiro não entende de política ou de economia, sobre futebol, a maioria defende até bem as suas teses. Mas na nossa imprensa temos vários jornalistas esportivos que são mestres em fugir da mesmice! Um deles é o Antero Greco, do Estadão, que na edição de 6/7 nos brinda com uma crônica sobre a merecida conquista da Libertadores pelo Corinthians, buscando num personagem que participou do evento no Pacaembu, o juiz, a essência de seu delicioso artigo! Greco evoca aquele pequeno instrumento, utilizado também por guardas de trânsito, mestres de bateria das escolas de samba, etc., como o símbolo maior da alegria que transbordou no coração dos craques, dirigentes e, principalmente, torcedores do Timão, que é o apito do árbitro, que ecoou no final do jogo consagrando a mais esperada das conquistas alvinegras em seus cem anos. Assim como o jornalista diz, muitos corintianos gostariam de ter essa pérola do “apito sinfônico” (nome do artigo) como seu mais precioso troféu! Antero, prrrriiiiii, como eco dos leitores, que como eu, aplaudem seu brilhante texto...

Paulo Panossian paulopanossian@hotmail.com

São Carlos

*

CORITHIANS E O ANESTÉSICO

Acabaram-se os problemas do Brasil, acabou-se a violência em São Paulo, tudo está maravilhoso, "nunca antes" vi coisa igual. Como é fácil anestesiar um povo, para alegria de Lula e agregados, que sempre demonstraram que pão e circo acalmam e alegram a galera. Vai, Corinthians, vai...

Ademar Monteiro de Moraes ammoraes57@hotmail.com

São Paulo

*

VALDÍVIA EXPULSO

Ao ver o jogo do Palmeiras e a expulsão idiota do Valdívia, penso não haver terceira hipótese: ele é um burro elevado ao cubo ou foi malandragem pura para não ir á final.

Laércio Zanini arsene@uol.com.br

Garça

*

CONTRADIÇÕES

Os clubes brasileiros continuam repletos de contradições. São os maiores devedores da seguridade social, além de receberem constantes ajudas do governo e do BNDES para a construção dos estádios, mas, contraditoriamente, contratam jogadores do exterior, pagando polpudos salários, além de negociações pouco transparentes de atletas. No momento do fechamento do mercado externo, abatido pela crise, ninguém sabe explicar a razão pela qual os times de futebol arranjam recursos para contratar e dispor de uma folha de pagamento invejável.

Yvette Kfouri Abrão abraoc@uol.com.br

São Paulo

*

CHIP ELETRÔNICO NO FUTEBOL

A aprovação do chip eletrônico pelo vetusto International Board para o futebol evitará que muitos resultados injustos continuem a manchar a história do mais popular e aclamado esporte mundial. O olho do juiz e dos bandeirinhas, redondo como a bola, já cometeu erros em demasia ao longo dos anos, prejudicando times e seleções. Assim como em outros esportes, como o tênis e o críquete, a precisão é fundamental para que o apito do árbitro assinale ou anule um tento. Golaço da Fifa.

J.S. Decol decoljs@globo.com

São Paulo

*

SONHO EM CAMPO

A sociedade massificada delega a realização dos sonhos pessoais de importância e reconhecimento a um grupo de jogadores de futebol. Seria triste se, no nosso mundo mental feito de ilusões, essa fantasia fosse inferior a qualquer outra mais refinada e profunda que pretenda ser.

Leonardo Giannini leogann930@terra.com.br

São Paulo

*

CATADORES DE PARTÍCULAS

Com relação ao anúncio claramente "marqueteiro" feito pelo Cern quanto à suposta descoberta do Bóson de Higgs, o que parece é que estamos realmente precisando de um novo Einstein, algum cientista ousado e realmente criativo, que arrombe a porta da gaiola matemática em que estão metidos os físicos, o chamado modelo padrão, que os tem impedido de enxergar além de um horizonte científico muito limitado. Os cientistas de hoje, operando presos no modelo padrão, morrendo de medo de contrariar os "pares", companheiros de gaiola, transformaram-se em meros "catadores de partículas", numa corrida sem sentido, que consome mais e mais preciosas verbas em vultosos investimentos. Partículas existem para todos os gostos e necessidades e servem apenas para justificar essa corrida insana. Enquanto isso, grande teoria unificada, que unificaria a gravidade e as forças quânticas, como disse o próprio Higgs, convidado de honra da festa marqueteira dos europeus, não aparece por falta daquela imaginação científica criadora, que parece ter morrido com o velho Einstein. Que Deus nos acuda, não com mais partículas, mas com inspiração científica.

Renato Pires repires@terra.com.br

Ribeirão Preto

*

A ORIGEM DO UNIVERSO

Quando o dinheiro fica escasso começam a descobrir até a origem do Universo. Deveriam se preocupar pelo fim da pobreza no mundo, pois há bilhões morrendo de fome e sede. Deveriam se preocupar pela preservação da vida nos rios, mares e oceanos. Pela preservação das florestas e seu bioma. Deveriam se preocupar com a educação mundial, com a saúde mundial. E não inventar histórias de que descobriram a origem do universo. Esses caras não sabem nada sobre nada. Parece que desejam mesmo é vultosos financiamentos de nações incautas.

Alberto Nunes albertonunes77@hotmail.com

Itapevi

*

CPI URGENTE

Bósons de Higgs, a prostituição da física. Essa turma do LHC só faz barulho para justificar gastos com milhões! Primeiro, partículas mais rápidas que a luz. Agora, os bósons de Higgs existem! Dr. Einstein está se revirando no túmulo! Bósons de Higgs, a criação da matéria por acaso? A alegria dos ateus, o delírio de Dawkins! Para que Deus? LHC ou torre de babel em quebra espontânea de simetria. É a energia não é mais conservada e nos mostra que é possível efetuar a passagem de campo com massa imaginária para campo com massa real que criou se a massa. Onde estava Lula! Gente não somos somente nós!

Moussa Simhon pacenge@gmail.com

São Paulo

*

O CORONEL INCENDIÁRIO

No momento histórico da ciência em que as partículas "bósons", feixes de luz que promovem a criação de massa para dar sentido à matéria sob o signo da transferência benigna de energia (com escusas pela expressão imprópria da física), o que significa que tudo no universo não caótico está relacionado ao colaboracionismo, às relações positivas, vemos o bolivariano Chávez tentando incendiar a América Latina ao lançar contra o Paraguai a óbvia falsidade de que seus agentes diplomáticos ou adidos militares foram ameaçados de morte naquele país, com o objetivo de justificar sua retirada inevitável após a declaração de serem pessoas "non gratas". Infelizmente, as grandes massas populares são conduzidas pelas ilusões dos demagogos e não por partículas e outros elementos da realidade física e quântica que estruturam o universo.

Amadeu R. Garrido de Paula amadeugarridoadv@uol.com.br

São Paulo

*

BIAL, OUTRA BOMBA NA TELEVISÃO

Depois do ruim "Encontro", de Fátima Bernardes, chegou o péssimo "Na Moral", do pernóstico Pedro Bial. E assim segue a colossal escalada de pretensiosos programecos na televisão que insistem em invadir a casa alheia. Ainda que disponha do controle remoto.

Vicente Limongi Netto limonginetto@hotmail.com

Brasília

*

E AÍ, COMEU?

Dando sequência à impressionante “avacalhação” que reina no Brasil, cineastas tupiniquins houveram por mal lançar um filme com o título “E aí, Comeu?”. A noção de respeito e dignidade cada vez mais dá passagem a posturas impróprias. Locuplete-se, pois o gerente por ter telhado de vidro finge que não vê e até apoia a norma atual. Modestamente tomo a liberdade de sugerir para os próximos filmes nomes como: E aí roubou? E aí matou? E aí estuprou?

Geraldo Siffert Junior siffert18140@uol.com.br

Rio de Janeiro

*

COMO ME IRRITAR NO CINEMA

A ida ao cinema deveria ser uma coisa prazerosa e tranquila, certo? Errado! O pesadelo muitas vezes se inicia quando o cinema mais próximo de minha casa resolve exibir aquele filme tão aguardado, só que dublado! Tem coisa pior que as pessoas movimentando a boca de forma descoordenada com aquilo que está sendo falado? E as vozes ridículas que colocam em meus atores preferidos? Até parece que não sei ler! A propósito, estou convicta de que o brasileiro escreve e lê muito mal porque tem preguiça de ler! Após encontrar o cinema que exiba o tão esperado filme, em seu tão original idioma e garantir meu tão sonhado ingresso, o jeito é aguardar seu início. Como sou uma pessoa que gosta de praticidade, prefiro, assim como o carteiro Jaiminho do seriado “Chaves”, evitar a fadiga. Cinemas cuja poltrona possa escolher ou mesmo aqueles em que só me deixam entrar com 10 ou 15 minutos de antecedência. Mas, como todos sabemos, nem todo lugar é assim, existe aquele método moderníssimo chamado “fila”, onde passamos horas intermináveis à espera do grande momento. Agora pensa comigo, quem é a pessoa em seu estado normal que decide entrar na fila três horas antes de o filme começar? Minha irritação chega ao seu auge quando vejo estes indivíduos sentados no chão, jogando cartas, ou seja, lá o que for, enviando a seguinte mensagem sublimar para os demais: “Os nossos assentos nos melhores lugares já estão garantidos, seus panacas!”. Depois de todo este estresse, de entrar na sala, encontrar um bom lugar e me aliviar com a sensação de que “agora sim vou poder relaxar e curtir meu filminho em paz”, começam a ocorrer diversas coisas estranhas simultaneamente… É um Black Power (nada contra este estilo, acho até muito bonito) que se senta bem na minha frente; um sujeito com desodorante vencido sentado ao meu lado; uma garotinha tagarela atrás de mim, que não para de contar o que vai acontecer na cena a seguir; várias mocinhas (e mocinhos) se esguelando quando aparece aquele ator principal bombadão (como se este lhes pudesse ouvir… Hellooo?!); pessoas fantasiadas de seus personagens favoritos, organizando sorteios; “piratas” gravando o filme em seus celulares; cenas de sexo no telão e pais com suas crianças assistindo (constrangedor); celular que toca; gente que põe o pé no meu assento e sou obrigada a sentir seu chulé (bem como, eventuais pezadas na cabeça), enfim, me pergunte o que me lembro do filme depois de tudo isso… E vamos convir que a pipoca de muitos lugares deixa muito a desejar. Só falta me quebrar os dentes! Gostaria imensamente de ter um cinema em casa. Não me refiro àquele exibido no SBT não! Mas àquela sala de cinema ma-ra-vi-lho-sa no conforto do lar. Como não sou rica nem nada e uma incorrigível amante do cinema, sigo me irritando cada vez que lá estou!

Vivian Cristina Schlinz Rubio Baratto vivian_sbo@yahoo.com.br

Americana

*

INSUFICIÊNCIA CARDÍACA - UMA DOENÇA ARDILOSA E FATAL

A insuficiência cardíaca não é uma simples doença, trata-se, na verdade, de uma síndrome clínica, cada vez mais frequente, que representa a via final comum de diversas doenças do coração que alteram sua capacidade funcional. Em geral, tem evolução progressiva e quase sempre fatal, independente de sua causa básica. Apesar dos progressos científicos, a prevalência da doença vem aumentando nas últimas décadas em decorrência do incremento na expectativa de vida da população e da maior efetividade dos novos medicamentos e dispositivos cirúrgicos para o tratamento, prolongando a vida. Segundo dados do Datasus, há cerca de 500 mil internações por insuficiência cardíaca anualmente, o que corresponde a mais de 30% das internações e 33% dos gastos com doenças do aparelho circulatório, tornando-se a primeira causa de internação de pacientes com mais de 65 anos no SUS. Ocorrem cerca de 30 mil mortes anualmente. Essa mortalidade é equivalente a do câncer e supera a da Aids. Estima-se que em 2025 o Brasil possua a sexta maior população de idosos do mundo, aproximadamente 30 mil pessoas ou 15% de sua população total, e que a insuficiência cardíaca será a primeira causa de morte por doença cardiovascular no Brasil e no mundo. O impacto médico-social e econômico da insuficiência cardíaca é enorme, pois compromete significativamente a sobrevida e a qualidade de vida dos doentes, cursando com internações frequentes, sendo umas das principais causas de atendimento médico de urgência e ambulatorial, além de ser responsável por elevados índices de absenteísmo e aposentadoria precoces. O fator socioeconômico é tido como crucial na evolução da doença e a baixa renda familiar é um preditor de reinternação. Os custos com internação hospitalar são responsáveis por 70% dos recursos gastos com o manuseio da insuficiência cardíaca. Estes dados não justificariam a criação e desenvolvimento de políticas públicas de saúde, direcionadas especificamente a prevenção e tratamento extra-hospitalar desta grave afecção? A Organização Mundial de Saúde definiu que a insuficiência cardíaca é uma das prioridades entre as enfermidades crônicas que necessitam de atenção dos setores de saúde em todo o mundo. Ainda há poucos estudos nacionais para dimensionamento do impacto sócioeconômico da insuficiência cardíaca. Há necessidade de se implementar metodologias econômicas para estimar o custo, ao invés de simplesmente mensurar as despesas incorridas com as medidas terapêuticas. A estimativa do impacto socioeconômico desta síndrome fornecerá aos formuladores de políticas de saúde maior embasamento para tomada de decisão, frente a um cenário de escassez de recursos e necessidade de priorização em sua alocação.

José de Lima Oliveira Junior, cirurgião cardiovascular do Incor limacirurgia@uol.com.br

Santana de Parnaíba

*

EMENDA CONSTITUCIONAL

A Lei 5.859/72 que regulamenta o empregado doméstico está prestes a ser modificada pelo Poder Legislativo, que discute a equiparação da classe às demais categorias, assegurando o direito a horas extras e noturnas, salário-família e fundo de garantia, dando continuidade a recente conquista do Seguro Desemprego - financiado pelos Empregadores Domésticos. Além de desembolsar o dobro para manter o empregado doméstico, o empregador ficará incumbido de obrigações próprias de contadores, tal como o recolhimento de FGTS e o controle do horário de trabalho, conquanto o conceito de trabalho doméstico tenha como pressuposto a prestação de serviço sem finalidade lucrativa à pessoa física ou família. Considero a proposta do governo federal populista e eleitoreira, e prevejo o estímulo à informalidade do setor com a troca de "empregados domésticos" por trabalhadores eventuais ou "diaristas", especialmente para a classe média que sucumbirá aos custos. Nas capitais do País os empregados domésticos são valorizados pela regra de mercado da "oferta e da procura" e conseguem fazer valer os seus direitos trabalhistas na Justiça Especializada, onde vigora a primazia da realidade prevista no artigo 9.º da CLT. Não obstante à legislação, o trabalho degradante continuará prevalecendo em locais remotos, onde, historicamente, "coronéis" subjugam os trabalhadores domésticos como escravos. Compete ao Estado assegurar educação, saúde, lazer e segurança, é assim que se reduz a desigualdade social, não criando leis que oneram cidadãos de bem que geram empregos.

Paulo Pantuzo ppantuzo@gmail.com

São Paulo

*

NOSSO CORREIO

Antigamente, o correio brasileiro era exemplar e orgulho nacional. Tornou-se o Brasil, na época de D.Pedro II, em 01.08.1843, o segundo país do mundo, depois da Inglaterra, a emitir selos postais. Durante o intervalo entre 1931 e 2009 uma carta via aérea de São Paulo à Alemanha levava de cinco a sete dias. Como colecionador de selos, tenho envelopes do tempo do Zeppelin. Neste tempo, por exemplo, uma carta enviada de São Paulo via Condor-Zeppelin, em 31.8.1931, chegava à Alemanha no dia 7.9.1931, conforme as obliterações dos selos e com os carimbos de ambos os países no envelope. Hoje uma carta com pagamento "prioritário" demora mais de um mês pelo mesmo percurso. O que aconteceu nos últimos três anos com o nosso correio? O mesmo acontece com as minhas cartas enviadas aos Estados Unidos. Com a mudança do setor filatélico de Brasília para o Rio de Janeiro os colecionadores de selos reclamam permanentemente sobre o atendimento contra todas as regras da filatelia. Faltam profissionais. Urgem mudança neste setor. Estamos pagando por um serviço e temos o direito de sermos atendidos por profissionais. Tenho saudade do tempo quando o Brasil teve a melhor administração mundial no setor postal e o chefe da União Postal Universal foi durante muito tempo um brasileiro!

Michael Peuser mpeuser@hotmail.com

São Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.