Fórum dos Leitores

ECONOMIA

O Estado de S.Paulo

10 Julho 2012 | 03h05

Que beleza...

Governo, economistas, analistas especializados comemoram o IPCA de junho, de 0,08%, alcançado com a redução do IPI dos carros. O curioso é que ninguém relata que o índice referente à alimentação - o que realmente interessa ao povo brasileiro - perdeu força depois de uma canetada do Ministério da Fazenda e atingiu a marca de 0,68%. A diferença entre um e outro é de módicos 850% e pesa no bolso de todos nós.

MAURÍCIO LIMA

mapeli@uol.com.br

São Paulo

Inflação crescente

Será que automóvel novo enche a barriga do pobre? Claro que não. Pois foi justamente esse item que freou o IPCA, que caiu de 0,36% em maio para 0,08% em junho graças à redução do IPI dos veículos, que mascarou o índice real. A presidente, Dilma Rousseff (mãe dos pobres) e os iluminados Guido (otimista) Mantega e Alexandre Tombini, com certeza, estão saltitantes de alegria com esse marco, porém se esqueceram dos necessitados que dão um duro danado para completar a cesta básica mais barata, que corresponde a R$ 203,99. Arroz, feijão, farinha e ovos - só estes últimos aumentaram 0,52% em um mês - estão com os preços nas alturas e com, como gostam de dizer, viés de alta. A inflação é crescente, só não enxerga quem não quer ou por conveniência, que é o caso da alta cúpula governista, que há tempos não visita os diversos segmentos do comércio para verificar a escalada dos preços.

SÉRGIO DAFRÉ

sergio_dafre@hotmail.com

Jundiaí

Projeção do PIB

O mercado reduz a projeção de expansão do PIB em 2012 pela nona vez e prevê apenas 2,01%. Esse é o PIB do ministro Mante(i)ga, que vai derretendo a cada previsão. Só o ministro não admite.

CLAUDIO JUCHEM

cjuchem@gmail.com

São Paulo

Bilhões em caixa

Se o governo tem R$ 59 bilhões para investir e não consegue gastar, sugiro o reajuste dos benefícios da aposentadoria, há muitos anos defasados, e a redução dos impostos, que tornaram o custo Brasil acima de eventual competição com a economia mundial.

JOSÉ ERLICHMAN

joserlichman@gmail.com

São Paulo

MERCOSUL

Ainda o Paraguai

Se, ao que tudo indica, o afastamento de Fernando Lugo da presidência do Paraguai foi resultante de aplicação de dispositivo constitucional vigente no país, mas, tendo o ato sido considerado "golpe" pelos demais membros do Mercosul, vem a pergunta que não quer calar: é admissível pertencer ao grupo, mesmo ostentando disposições não democráticas em sua Carta Magna?

TULLIO FORMICOLA

tulney@gmail.com

São Paulo

Motivações

O Estadão informa (7/7, A13): "Também ontem, o presidente da Comissão da Defesa da Câmara de Deputados do Paraguai, José López Chávez, anunciou que manteve conversas com generais dos EUA para negociar a instalação de uma base militar no Chaco". Enfim, as motivações do golpe vão ficando mais claras.

TIBOR RABÓCZKAY

trabocka@hotmail.com

São Paulo

Apoio tucano

Parabéns ao senador brasileiro Álvaro Dias (PSDB-PR) pela reunião com o presidente Federico Franco, do Paraguai, na sexta-feira (7/7, A13). Certamente nosso senador deve ter manifestado apoio ao novo governo paraguaio, já que o PSDB vai analisar a possibilidade de entrar com uma ação contra a decisão do Mercosul de suspender o Paraguai e aceitar a entrada da Venezuela, que, sob o ditador bolivariano Hugo Chávez, não é um país democrático, nem mesmo Lulla dizendo que é. Isso contraria, portanto, as normas do Mercosul. A Venezuela não deve ser aceita enquanto não mudar seu regime político.

ALVARO SALVI

alvarosalvi@hotmail.com

Santo André

Chávez que se cuide

"Chávez, conte comigo, conte com o PT, conte com a solidariedade e o apoio de cada militante de esquerda, de cada democrata e de cada latino-americano. Sua vitória será nossa vitória" - palavras do ex-presidente Lula no encerramento do Foro de São Paulo, em Caracas, quando, por videoconferência, apoiou explicitamente a terceira reeleição de Chávez, no pleito presidencial a ser realizado em outubro. Será que, ao se referir a cada democrata, Lula estava pensando na sua equipe de arquitetura de poder, responsável pela montagem do maior esquema de corrupção política de que se tem notícia, ou, talvez, nele mesmo, ao tentar interferir no julgamento dos corruptos, mediante encontro furtivo com um ministro do STF? E o militante de esquerda? Foi nele que Lula se inspirou para selar a aliança com Maluf, visando ao apoio a seu protegido para a Prefeitura de São Paulo? Chávez que se cuide!

PAULO ROBERTO GOTAÇ

prgotac@hotmail.com

Rio de Janeiro

ELEIÇÕES MUNICIPAIS

Biografia no lixo

Tudo em nome do poder, e para eleger Fernando Haddad em São Paulo - um homem que nada fez pela educação à frente do ministério (ver casos do Enem), além de ser um político sem carisma, quase uma paisagem morta -, Lula, seu padrinho político, chega ao ponto de se aliar ao procurado pela Interpol sr. Paulo Maluf (PP-SP). Depois de tanta luta no ABC, militância política, o que adiantou? Para no fim apertar a mão de um inimigo? Sua história pode ser exaltada, mas o final estará longe de ser uma apoteose. Ou esse senhor tem uma carta na manga? O tempo está se esgotando...

LUIZ FABIANO ALVES ROSA

fabiano_agt@hotmail.com

Curitiba

Candidato protegido

Vai ser difícil, quase impossível, Lula conseguir emplacar o seu protegido na disputa pela Prefeitura de São Paulo, Fernando Haddad. Porque o paulistano sabe o que quer, não se deixa enganar por falsas promessas, como ocorre no governo federal, e é um eleitor politizado, que não se esquece de suas derrapadas e insensatez quando apoiou a expulsão do PT de Bete Mendes, Airton Soares e José Eudes por terem votado em Tancredo Neves no Colégio Eleitoral contra Maluf, que hoje ele abraça nos jardins de sua mansão; quando obrigou seus parlamentares submissos no Congresso Nacional a votarem contra o Plano Real; quando se opôs à Lei de Responsabilidade Fiscal e às privatizações, dentre outros programas propostos pelo governo de FHC. São Paulo não aceita corrupção, quer respeito, ética, honestidade e trabalho, qualidades que o PT e seus aliados não proporcionam.

JOSÉ WILSON DE LIMA COSTA

jwlcosta@bol.com.br

São Paulo

Cartas selecionadas para o Fórum dos Leitores do portal estadão.com.br

UMA HISTÓRIA POUCO CONHECIDA

Julho é de real significância para a história dos paulistas e paulistanos. Mas, infelizmente, o cidadão sempre foi mal informado em relação aos acontecimentos históricos. Assim, quando se celebra um desses dias com feriado, muitos descansam ou vão passear sem saber o porquê da regalia. É o caso do nosso dia 9 de Julho, quando se comemora a Revolução Constitucionalista de 1932. Nesse feriado do ano passado fui visitado por uma amiga universitária, mulata, contente por estar aproveitando o "dia da consciência negra" (sic)! Quantos paulistas, paulistanos e outros brasileiros, principalmente estudantes, que além de desconhecerem datas como 9 de julho, sabem que em julho de 1924, eclodiu o mais violento conflito bélico dentro da cidade de São Paulo? Não é à toa que ela é conhecida como a "Revolução Esquecida". Desde a quartelada de 15 de novembro de 1889, quando marechal Deodoro da Fonseca depôs o imperador d. Pedro II, exilando-o com sua família, para proclamar a República e ser o primeiro presidente provisório, jovens tenentes comandados por oficiais descontentes com as promessas não cumpridas pelos governos republicanos e com as falcatruas cometidas na República Velha, como a moralização do sistema eleitoral conhecido como "bico de pena", em que o voto não era secreto. Sem declarar ideologias, mas inspirados na Revolução Comunista de 1918 na Rússia, resolveram em diversos levantes armados mudar os rumos políticos do País na época. Na madrugada de 5 de Julho de 1924, exatamente dois anos após a revolta no Rio de Janeiro, conhecida como "Os Dezoito do Forte", dessa vez os revolucionários comandados pelo general da reserva Isidoro Dias Lopes, atacaram o Palácio do Governo nos Campos Elísios, em São Paulo. Era mais uma Revolução Tenentista. Os irmãos Joaquim e Juarez Távora também faziam parte do comando rebelde. Joaquim Távora morreu em combate nos arredores da Vila Mariana. Forçado, o presidente do Estado, Carlos de Campos, com seu secretariado, teve de se refugiar no interior do Estado, deixando a cidade sob mortíferas batalhas. Outras prefeituras e quartéis do interior também foram tomados de assalto pelos rebeldes. A revolução perdurou na cidade até o dia 28 de Julho, deixando mortos e feridos; ruas e propriedades arrasadas por bombardeios aéreos, canhoneadas, incêndios e saques. O conflito só terminou quando novas tropas legalistas, leais ao presidente Artur Bernardes, desembarcadas em Santos e vindas dos lados do Ipiranga resolveram de vez a vitória nas ruas de São Paulo. Os derrotados fugiram para o interior de Mato Grosso e Paraná pelos ramais das estradas de ferro, ainda em mãos tenentistas. Só no começo de agosto, ainda com algumas escaramuças, Carlos de Campos voltou à capital paulista. Das tropas rebeldes em fuga nasceu a lendária Coluna Prestes e a Coluna da Morte, comandada pelo tenente João Cabanas. De revolução em revolução veio a de 1930, a qual levou Getúlio Vargas ao poder como ditador até 1945. Ainda me lembro da primeira vez em que minha avó paterna mostrou-me as balas de fuzis da Revolução de 1924 encravadas nas venezianas de madeira do seu velho casarão da Rua Rui Barbosa, no bairro da Bela Vista. No mesmo dia, ao lado da família, contou dos momentos de pavor quando os canhões legalistas situados na Penha e na Vila Matilde atiravam em direção ao Morro dos Ingleses, onde as tropas rebeldes mantinham os seus canhões em franca atividade. A casa não existe mais. Os projéteis estão comigo, representando uma história infelizmente pouco conhecida!

Roberto Stavale bobstal@dglnet.com.br

São Paulo

*

9 DE JULHO

Considerando esta data e os acontecimentos que definiram sua importância como um marco histórico no contexto do estabelecimento dos princípios democráticos, parece-me que a comemoração deveria ter caráter nacional e não ser restrita ao Estado de São Paulo. Se a Revolução Constitucionalista foi um fator decisivo no fortalecimento da democracia, os princípios que constituem sua essência pertencem a todos os brasileiros e todos juntos deveriam festejá-los.

Franco Magrini framagr@ig.com.br

Cachoeira Paulista

*

REVOLUÇÃO DE 32

80 anos se passaram e o Brasil pouco mudou. São Paulo tem de se virar para ficar livre de populistas que atrasam o Brasil, grande parte do povo brasileiro acha que os políticos paternalistas são bons e nem sonham que tem poder e direitos centenas de vezes mais fortes que os "favores" concedidos por políticos que se adotaram do governo federal e se fazem de bonzinhos quando, na verdade, mantêm um país atrasado. Embora este país tenha potencial para ser um dos melhores entre os melhores, ainda temos graves problemas como de países miseráveis. É inaceitável a situação da saúde! Com o que pagamos, deveríamos receber atendimento gratuito em hospitais de ponta, somos o país que mais tem médicos, hospitais, e como o Brasil é relapso, permite o crime impedir melhorias. A corrupção corrói os recursos e as leis, benevolentes demais com criminosos, inviabilizam o "ir e vir" em centenas de bairros. Com isso, São Paulo sofre discriminação por ser um Estado alvo de ataques. Sorte que a imensa maioria da população é vacinada contra este terrível vírus: "Pai Patrão". Ruim com ele pior sem ele, Deus nos livre, que os outros Estados se mirem e se liguem aos falsos "painhos e mainhas" boazinha. "Aqui ó."

Roberto Moreira Da Silva rrobertoms@uol.com.br

Cotia

*

NADA MUDOU

Nesses anos todos nada mudou! São Paulo, seu espírito e sua gente continuam sendo a expressão da liberdade, do trabalho, do progresso, da dignidade, do orgulho e da altivez, enquanto a União, como sempre, desde os tempos imperiais, é sinônimo de opressão, repressão, escravidão, agressão, exploração e acima de tudo, hoje mais do que nunca, corrupção! Vivam São Paulo e suas treze listas!

Paulo Boccato pofboccato@yahoo.com.br

São Carlos

*

PAULISTAS PELA LEGALIDADE

A data de 9 de julho de 1932 remete a um dos momentos mais marcantes da história de São Paulo, quando cerca de 120 mil pessoas foram para o front lutar por um regime constitucional para o Brasil. Era uma época conturbada na política nacional, já que dois anos antes o presidente da República, o paulista Washington Luís, havia sido deposto e o gaúcho Getúlio Vargas, candidato que perdera as eleições à presidência para o paulista Júlio Prestes, assumira o governo federal, na esteira da chamada Revolução de 30. Era o fim da antiga e viciada política do café com leite, regime que alternava o poder entre os dois Estados com maior poderio econômico da época - São Paulo, com a produção de café, e Minas Gerais, com a de leite. O governo provisório de Vargas quebrou a promessa de novas eleições e da edição de uma Carta Magna. Ao contrário, o Congresso foi dissolvido e todos os governadores e prefeitos substituídos por interventores nomeados pelo poder central. Há exatos 80 anos, a insatisfação dos paulistas crescera tanto que se criou uma frente de partidos para lutar pela autonomia do Estado e por uma nova constituição para o Brasil. Em 23 de maio, no conflito entre manifestantes e polícia, quatro jovens foram mortos na Praça da República - Martins, Miragaia, Dráusio e Camargo. Eles viraram símbolo da luta paulista, originando a sigla MMDC. Não demorou muito para que o confronto entre as forças de São Paulo e as tropas federais se precipitasse, originando uma sangrenta guerra civil. Motivados pelos meios de comunicação, jovens, adultos e até mulheres respondiam ao chamado para defender o Estado das forças getulistas. No total, foram 87 dias de combates (de 9 de julho a 4 de outubro de 1932) com um saldo oficial de 934 mortos, embora estimativas não oficiais reportem até 2.200 mortos. Apesar de ter perdido a guerra, os paulistas conseguiram atingir um de seus objetivos principais: a convocação de uma assembleia nacional constituinte. A Constituição foi promulgada em 1934, com vários avanços em relação à de 1891, sua antecessora. No entanto, foi a que vigorou por menos tempo na história do Brasil. Apenas três anos, até Getúlio Vargas transformar-se no ditador do Estado Novo. Mas essa já é outra história...

Luiz Gonzaga Bertelli, presidente da Academia Paulista de História roberto@pontoinicial.com.br

São Paulo

*

RECONHECIMENTO MERECIDO

Parabéns pela excepcional comemoração dos 80 anos da Revolução de 1932. Mal contado, escondido e deturpado, o movimento jamais teve o reconhecimento merecido nem foi percebido como fundamental para o Brasil atual. Sem a efervescência política, social, econômica e cultural de São Paulo ao longo do século 20 o País não teria alcançado a maturidade de hoje. 1932 é um marco nessa caminhada e o jornal O Estado de S. Paulo, um marco dentro da Revolução de 32 e da História paulista.

Antonio Penteado Mendonça, presidente da Academia Paulista de Letras antonio@penteadomendonca.com.br

São Paulo

*

MUSEU DA REVOLUÇÃO DE 1932

Na página C9 da edição de 8 julho, o Estadão informou que o Museu da Revolução se encontra no colégio Santo Ivo, na Lapa, transferido do Obelisco, que está em reformas. Meu pai, de 93 anos, me pediu na segunda-feira, dia 9, feriado pela Revolução, para fazer uma visita ao museu. Para meu espanto, o museu está fechado por causa do feriado pelo qual ele é a razão de existir. Coisas do Brasil.

Luis A. B. Passarelli luispassarelli@gmail.com

São Paulo

*

GENERAL MARCONDES SALGADO

Esperava que neste ano, quando se comemoram os 80 anos da Revolução de 32 e da morte de meu avô, general Júlio Marcondes Salgado, houvesse alguma referência à importância de sua atuação. Infelizmente, não encontrei nenhuma citação de seu nome. Como afirmou o Estado de ontem, em 32 se lutou pela democracia e, apesar da derrota, trouxe resultados positivos nesse sentido. Meu avô representou o que houve de mais puro nesse sentido, como demonstra o manifesto Paulistas!, que foi lançado por aviões sobre a cidade de São Paulo.

Eloísa Maria Rocha Salvato eloisa.salvato@gmail.com

Itu

*

É PRECISO LEMBRAR

A chama da Revolução de 1932 jamais deverá se apagada da memória de todos os brasileiros, sobretudo diante de alguns políticos que são simpatizantes dos ideais bolivarianos.

Aloisio Pedro Novelli celnovelli@terra.com.br

Marília

*

NON DUCOR DUCO

Qualquer liderança política que se arvorar em vestir a camisa de ditador terá de acertar contas com São Paulo. Nas comemorações dos 80 anos da Revolução de 32 muitos heróis daquelas batalhas foram relembrados. A vitória de Getúlio Vargas deveu-se à disparidade da força bélica incomparável, mas conheceu na frente de batalha e em cada ação do povo paulista, a certeza de que os aventureiros amantes de regimes totalitários jamais terão guarida em terras bandeirantes. São Paulo é a locomotiva do Brasil na economia e o deve ser também na política, não deixando que esses aprendizes dos Castros e dos Chávez assumam o poder político e maculem o solo paulista. Que o povo faça valer a força do seu lema: "Non ducor duco".

Jair Gomes Coelho jairgcoelho@gmail.com

Vassouras (RJ)

*

SALVE O 9 DE JULHO!

Esperamos que o espírito das comemorações dos 80 anos da Revolução Constitucionalista em prol da democracia esteja bem vivo na hora do cidadão paulistano escolher o seu candidato à Prefeitura de São Paulo, votando naquele cujos princípios de moralidade e ética honrem os ideais e o sacrifício dos que lutaram em 1932.

José Millei j.millei@hotmail.com

São Paulo

*

INVERSÃO DE VALORES

Não é possível que, enquanto cidadãos brasileiros, homens e mulheres, que lutaram sozinhos numa guerra cruel e desproporcional, em que mais de mil combatentes paulistas imbuídos de espírito cívico perderam a vida em busca de um regime democrático, recebam do Estado de São Paulo míseros R$ 450. Uma minoria - que se autodenomina feita de "heróis" - que se arvorou de forma ilegítima a falar e cometer crimes em nome da sociedade para implantar um regime espelhado em ditaduras, ditas do proletário, como as vigentes na época (e até hoje) em países como Cuba, China, Albânia, Rússia etc., é premiada e recebe altas somas em dinheiro público da União. Não dá para entender o critério de valores que está sendo adotado! Espero que o nosso governo paulista, ao menos no que lhe compete, restaure a decência e demonstre ao restante do País o nosso entendimento do que é realmente conduta heróica e patriótica, valorizando nossos valentes veteranos de guerra não só em dias comemorativos, mas em todos os demais, além de reconhecimento financeiro, ainda que tardio, a que estes, e não aqueles, realmente fazem jus. Avante, São Paulo!

José Carlos Saliba fogueira2@gmail.com

São Paulo

*

PARCIALIDADE

É até revoltante a situação que se administra no Brasil. Os soldados Constitucionalistas de 32, verdadeiros heróis, recebem uma miséria pelo exemplar ato em defesa da democracia do País. Por outro lado, os terroristas (na verdade, bandidos) que, na sua maioria, assaltaram, mataram, roubaram são compensados com verdadeiras fortunas. Esse é um exemplo da péssima administração do PT, que é composto, em sua maioria, por ex-terroristas.

Laert Pinto Barbosa laert_barbosa@ig.com.br

São Paulo

*

ELEIÇÕES MUNICIPAIS

Nestas eleições os paulistanos precisarão de muito estômago. Mal começou a campanha e os candidatos saem a campo cada um tentando inovar para angariar votos. Está valendo tudo. Piriguetes nos carros de campanha. Soluções estapafúrdias para resolver o trânsito de São Paulo (Russomano), como usuários de táxi dividirem com terceiros a corrida ou ônibus com ar-condicionado, quando na realidade precisamos de metrô e mais metrô! Outro rezando no lixão (Chalita) com criancinhas - provavelmente embalado pela novela das nove. Cafezinhos em padarias na periferia (Serra) com toda a comitiva acompanhando. Fora o candidato do PT, Fernando Haddad, pior Ministro da Educação que o Brasil já teve o desprazer de conhecer, falando mal da educação na cidade uma das melhores no País. Realmente vamos precisar de muito "Engov" antes e depois das eleições!

Beatriz Campos beatriz.campos@uol.com.br

São Paulo

*

BRINCALHÃO

José Serra vem pedindo "disputa limpa" em São Paulo. É por isso que gosto do Serra. Sempre um brincalhão!

José Marques seuqram.esoj@bol.com.br

São Paulo

*

ORQUESTRAÇÃO

Nem a favor tão pouco contra, mas que o ex-presidente Lula vem seguidamente errando, isso é um fato. Conversas dúbias com ministros do Supremo, desastre nas candidaturas em São Paulo/capital, no Recife confusão e imposições e até em Belo Horizonte o negócio não andou bem. Além de outros problemas, tais como pessoas indicadas para cargos de altíssima responsabilidade e agora envolvidas em graves denúncias de vultosos desvios (refiro-me à Ferrovia Norte-Sul). É estranho que acontecimentos como esses tenham, de uma forma ou outra, a participação do ex-presidente. Será que ele está totalmente desinformado? Pouco provável. Será que o ex-presidente continua pensando que pode tudo como em outros tempos? Ou será ainda que um movimento muito bem articulado tenta levá-lo a tantas contradições, feito por gente muito próxima a ele. Esses seguidos erros estratégicos mais parecem uma grande orquestração para um grande e irreparável desgaste.

José Piacsek Neto bubapiacsek@yahoo.com.br

Avanhandava

*

O DESESPERO DO PT

Todo paulista, minimamente politizado, sabe que o PT, com suas ambições de hegemonia e comando absoluto, é um perigo para o País. Daí o desespero do partido e do seu chefe Lula em comandar a Prefeitura de São Paulo e, depois, o governo do Estado, embora saibam que os paulistas não aceitam a agremiação, especialmente pela sua forma hipócrita e parcial de governar, assumindo, com voracidade, cargos e funções estatais, mesmo sem que os respectivos representantes estejam devidamente preparados. A nota máxima que dão para se obter cargos é ser membro da entidade política. Os paulistas não compactuam com determinadas pretensões do PT, inclusive aquela que prega o controle da mídia e a intromissão em assuntos privados com o fito de obter apoio ou sustentáculo para a agremiação. O ex-presidente Lula, que até faz questão de ser ridículo em suas composições e manifestações, criatura do PT, vai ter de amargar as eternas derrotas suas e de sua muleta política - o Partido dos Trabalhadores, aliás, que nunca foi dos trabalhadores!

José Carlos de Carvalho Carneiro carneirojcc@uol.com.br

Rio Claro

*

PEROBA NELE!

Ao tecer críticas à gestão de Gilberto Kassab na área da saúde, há alguns dias, o postulante petista à Prefeitura de São Paulo, Fernando Haddad, afirmou que o atual prefeito falhou na promessa de cuidar melhor da questão por "trabalhar apenas meio período", numa referência ao partido recentemente criado por Kassab, o PSD. Ora, mas não era justamente Haddad um dos maiores entusiastas em relação à possibilidade de firmar aliança com Kassab na disputa paulistana? Será que era essa a visão de Haddad sobre seu ex-virtual parceiro naquelas semanas em que o casamento PT-PSD em São Paulo esteve próximo de ser concretizado? Como diria um folclórico candidato, peroba nele!

Henrique Brigatte hbrigatte@yahoo.com.br

Pindamonhangaba

*

A PROPAGANDA ELEITORAL

Desde o dia 6 é permitida a propaganda pelos partidos e candidatos a prefeito e a vereador nas próximas eleições. Podem divulgar suas candidaturas, montar comitês e fazer comícios. A partir de 21 de agosto terão, também, acesso à propaganda eleitoral gratuita no rádio e na TV. Candidatos e eleitores devem aproveitar bem esse período de propaganda. Os candidatos, com propostas honestas, sinceras e executáveis e os eleitores, analisando essas propostas para, só depois decidir a quem dar o seu voto. Quanto mais consciente for a campanha e o comportamento do eleitorado, melhor para a cidade e seu povo. O eleitor precisa entender que votar bem é de seu interesse. Por isso, não deve vender ou trocar seu voto por dinheiro, churrasco ou camisa para time de futebol e nem acreditar cegamente em propostas fantasiosas. Eleição é coisa séria. O vereador é o mais importante dos agentes públicos, pois trabalha diretamente com o povo e leva seus reclamos à administração e, com o prefeito, cobra dos deputados, senadores, do governador e até do presidente da Republica os benefícios e verbas que o povo necessita. No dia em que todo eleitor estiver consciente dessa importância e passar a tratar a eleição com o mesmo vigor dispensado ao seu time de futebol, muita coisa vai mudar e o País, finalmente, poderá encontrar o seu verdadeiro caminho na política e na administração pública...

Dirceu Cardoso Gonçalves aspomilpm@terra.com.br

São Paulo

*

JUSTIÇA ELEITORAL CANHESTRA

Nossa Justiça parece que está se mostrando um tanto canhestra ou então como explicar que para a mesma falta haja dois pesos diferentes. Há pouco tempo foi noticiado, e inclusive muito criticado, que por campanha antecipada, Lula e seu escolhido Haddad deveriam pagar a irrisória multa de R$5 mil por terem participado com segundas intenções de um programa de TV com mais de sessenta minutos de duração. Agora, com mão bem pesada, por muito menos, vemos a mesma justiça eleitoral aplicar uma multa de R$100mil ao Serra e a seu partido, alegando o mesmo motivo de propaganda antecipada. Será que até a Justiça Eleitoral já está "enfeitiçada" pelos encantos do "Big Boss" Lula da Silva? Quais seriam os critérios?

Leila E. Leitão

São Paulo

*

PROPAGANDA ANTECIPADA

Lula e Haddad se apresentaram há cerca de um mês no programa do Ratinho, SBT/Banco Panamericano, num evidente desrespeito à lei eleitoral, que proíbe campanha antecipada. Foram multados em R$ 5 mil reais, por uma hora inteira de exposição em rede nacional no programa de maior alcance popular do Brasil. Usando da voz do comunicador popularesco Carlo Massa (Ratinho) os petistas ironizaram o nome de Serra como candidato a prefeito de São Paulo, mas tudo feito de modo adequado, pois Lula e Haddad não disseram nada, foi o apresentador quem fez a provocação! Já a juíza Carla Themis Lagrotta Germano decidiu multar em R$ 100 mil o PSDB e José Serra também por propaganda antecipada. Serra teria sido beneficiado por anúncios veiculados em 22 de junho em que o PSDB convidava para uma convenção que confirmaria a candidatura de José Serra. Na TV era exibido o texto "Vamos eleger José Serra". Só gostaria que a juíza me explicasse a diferença gritante nos valores das multas aplicadas. Aliás, não quero nem que me explique... já deu para entender bem demais. A ideologia partidária falou mais alto que a imparcialidade da justiça. Justiça? Bah!

Mara Montezuma Assaf montezuma.scriba@gmail.com

São Paulo

*

AQUI, COMO NA GRÉCIA...

Pelo jeito que anda a nossa inadimplência (9/7, B1), o velho mote "devo, não nego, pago quando puder" precisa ser atualizado para "devo, não nego, pagar, jamais." Temos muito mais em comum com o povo grego do que imagina a nossa vã filosofia!

Hermínio Silva Júnior hsilvajr@terra.com.br

São Paulo

*

DOMANDO A FERA

O ministro Guido Mantega disse: "É preciso que o setor empresarial desperte seu espírito animal e faça investimentos". Ministro, será que, ao invés de despertar o animal, domar a fera dos impostos não seria melhor?

Virgílio Melhado Passoni mmpassoni@gmail.com

Jandaia do Sul (PR)

*

A ESTAGNAÇÃO DA PETROBRÁS

Aí está o "estadismo comunista", que os "comunistas" constrangidos com a falência soviética, melhoraram com o tal neoliberalismo, ainda que mascarado como capitalismo, que comunista algum sequer conhece. A Petrobrás pode estar estagnada, não falida porque é "estatal" e como disse aquele governador que acabou sendo "aliado dos petistas", Quércia, Quebrei o banco do Estado, mas elegi meu substituto! Nada diferente de Lula e seu "poste"!

Ariovaldo Batista arioba06@hotmail.com

São Bernardo do Campo

*

FOGO DE PALHA

Mais uma pegadinha ou mentirinha do "cara"... Vemos que o fogo do petróleo do pré-sal é um fogo de palha, basta vermos o valor das ações da Petrobrás. A batata vai assar nas mãos da dona Graça Foster.

Carlos Roberto Gomes Fernandes crgfernandes@uol.com.br

Ourinhos

*

'GOVERNO DÁ R$24 MI A ONG INVESTIGADA'

A manchete (A6, 8/7) está corretíssima, ou seja, foi doação mesmo, mas o dinheiro é alheio ou público, então não tem dono? Esse modo de administrar (?) mostra faltar muita vergonha e respeito! E aí, presidenta, Dilma, como fica este pequeno - para os responsáveis pelo fato - problema?

Edivelton Tadeu Mendes etm_mblm@ig.com.br

São Paulo

*

DISCERNIMENTO

Se, como disse Ricardo Noblat, é bobagem esperar discernimento de Lula, na sua obsessão de provar que seu carisma "pode tudo", até a reeleição infinita à moda Chávez, só resta cobrar discernimento do golpe que vai derrubá-lo. Que não represente um "salto para trás", que, em nome de velhos preconceitos, reintroduza o antigo "crescer para distribuir" (responsável pela incrível preservação da nossa pobreza depois de cem anos de industrialização!), mas que seja a definitiva consagração do "crescimento com estabilidade e inclusão social", fundado no "distribuir para crescer". A essa inversão não se pode negar a contribuição do Lula, mas reconhecimento não quer dizer dependência. É preciso ir além dessa esgotada política de correção homeopática do salário mínimo onde o PT parou, para reordenar o crescimento brasileiro dentro de uma nova equação de repartição, com base numa verdadeira redefinição do salário mínimo. Só assim o "lamentável de Almeida" pode se tornar um "salto para frente".

Rogério Antonio Lagoeiro de Magalhães lagorog@uol.com.br

Niterói (RJ)

*

QUE COISA FEIA!

Os presidentes do Brasil, da Argentina e do Uruguai agiram com incrível desonestidade contra um Paraguai sufocado por quase quatro anos de incompetência administrativa do esquerdista Fernando Lugo quando utilizaram uma norma básica da administração Lula, na qual os fins justificam todo e qualquer meio, e aproveitaram-se de uma situação que inicialmente condenaram, para afastar o Paraguai cujo parlamento impedia a decisão de enfiar goela adentro do Mercosul e de toda a sociedade democrática sul-americana, o ridículo e falastrão engodo venezuelano chamado Hugo Chávez. Essa atitude será o golpe derradeiro na instituição, que um dia chegou a ser uma esperança de desenvolvimento para os pobres países sul-americanos. A imposição de Chávez executada praticamente na calada da noite será o verdadeiro golpe no povo paraguaio e será também uma pá de cal sobre a esperança de quem desejava que o Mercosul pudesse um dia voltar a cumprir os nobres objetivos comerciais da sua criação. O Mercosul iniciará, com certeza, uma caminhada para ser definitivamente enterrado pelo populismo inconsequente dos dirigentes da Argentina e do Uruguai e pelo pau mandado brasileiro Dilma Rousseff, se o ditador venezuelano for realmente admitido dessa forma rasteira e imoral como o quinto sócio da Instituição a partir do dia 31 de julho.

Victor Germano Pereira victorgermano@uol.com.br

São Paulo

*

FEDERIDO FRANCO

O presidente Federido Franco, em entrevista para a Veja desta semana, foi esclarecedor e brilhante, pois demonstrou ser um verdadeiro democrata e que, certamente, conduzirá o pequeno Paraguai, ao conceito de um país verdadeiramente democrático e o destacará como exemplo para o mundo. A postura independente, soberana e democrática demonstrada por Federido Franco está a altura dos grandes estadistas. Não obstante, a abominável interferência da Venezuela e do Equador na soberania política do país, por ocasião da votação do impedimento do Fernando Lugo, e a retaliação dos países vizinhos, o presidente se mostrou seguro e sereno, independente e soberano, na condução política e econômica do país. Não se mostrou açodado nas decisões em relação à diplomacia ante as ameaças dos vizinhos em minar a economia paraguaia. Ao contrário, se mostrou compreensivo às injustificadas críticas que recebeu e têm recebido, e cobra a compreensão dos vizinhos em respeitar a soberania do provo e das leis do Paraguai. Postura de um verdadeiro estadista. Que sirva de exemplo para dona Dilma, que deveria deixar de se influenciar pelos conceitos ideológicos do jurássico Marco Aurélio "Top Top" Garcia.

Carlos Benedito Pereira da Silva advcpereira@ig.com.br

Rio Claro

*

PELA CULATRA

Os dias de alegria de Hugo Chávez podem estar contados com a expulsão do Paraguai e a entrada da Venezuela no Mercosul. A notícia de que Assunção poderá permitir em breve a instalação de bases militares norte-americanas em seu território, após reunião com representantes do Pentágono e generais americanos, vai de encontro a um antigo sonho dos EUA: o de combater a expansão das esquerdas na América do Sul, que além de patrocinadoras da desestabilização de regimes democráticos, algumas são aliadas da narcoguerrilha. Se confirmado o pacto Washington-Assunção, a chegada dos Mariners, em território guarani poderá causar um grave ataque de nervos ao déspota venezuelano, que tem usado a América Latina para implantar seu insano projeto bolivariano de salvação. Com a presença do "império" por perto, seu plano de difundir sua filosofia do atraso por toda América Latina ficará comprometido com a consequente redução de sua influência na região. Já é hora de alguém inibir o constante crescimento do progresso cubano nessa parte do continente. Além de dar proteção ao país anfitrião, o Paraguai, hoje hostilizado por vizinhos populistas que investem no atraso e na ignorância do continente, a presença do "gigante do norte" poderá trazer mais respeito a uma região que, ao invés de ser uma das mais prosperas do planeta, tem se tornado o porto seguro de terroristas.

Paul Forest paulforest@uol.com,br

São Paulo

*

JOSÉ MUJICA

O presidente do Uruguai, José Mujica, deveria servir de exemplo aos políticos mundo afora, visto seu estilo de vida simples e suas ideias avançadas. Enquanto, os demais presidentes desfilam em carros blindados, o sr. Mujica utiliza somente um velho fusca, doa 90% do seu salário para construção de moradias populares e oferece sua residência oficial para abrigar moradores de rua. Tem buscado apoio a regularização das drogas a fim de enfraquecer o narcotráfico, diminuir os gastos com a repressão e minimizar os impactos das drogas em seu país. "Pepe", como é conhecido no Uruguai, já lutou contra a ditadura e seu grande mérito não é ser o presidente mais pobre do mundo, é manter-se pobre e simples.

Daniel Marques danielmarquesvgp@gmail.com

Virginópolis (MG)

*

SUGESTÃO PARA SUPERMERCADOS

Admira-me saber que tantas são as reclamações contra a proibição do uso das sacolas plásticas que tanto poluem o ambiente e que as pessoas mais responsáveis já aboliram há muito tempo. Sugiro que o comércio cobre de seus clientes a diferença entre o preço das sacolas poluidoras e o das biodegradáveis. Entretanto, isto implicaria em nova proibição, o que seria um empecilho provavelmente. As pessoas que não aceitarem esse acréscimo poderão usar as suas próprias retornáveis. De qualquer forma. Fica a sugestão.

Nise Silva novorumo.helo@uol.com.br

São José dos Campos

*

DESRESPEITO AO CONSUMIDOR

A rede de supermercados Dia%, depois de experimentar altos lucros com a venda de sacolinhas, resolveu que não vai mais distribuir sacolinhas gratuitas. Está vendendo a R$ 0,07 e diz que não faz parte da Apas, por isso não precisa tratar bem o consumidor nem respeitar as leis! Ou seja, se não faz parte da Apas porque dava sacolinhas e parou quando a Apas pediu? E por que agora não vai mais dar condições do consumidor levar suas compras em embalagens gratuitas? E o CDC serve para que? Cadê o Procon e o MP?

Luiz Claudio Zabatiero zabasim@ig.com.br

São Paulo

*

FLA-FLU

A dupla Fla-Flu está de parabéns pelos 100 anos do Fla-Flu. É o maior e mais charmoso clássico do futebol brasileiro e mundial. As cores das camisas e bandeiras dos dois gigantes cariocas são lindas. O Fla-Flu é mágico, único e sua mística é insuperável. Só quem já foi ao Maracanã lotado ver um Fla-Flu sabe o que isso significa. O futebol do Flamengo - que antes era só um clube de regatas - nasceu de uma dissidência de atletas do Fluminense, onde nove deles foram para o Fla e, mesmo assim, o Flu venceu o primeiro Fla-Flu da história (3x2), em 7/7/1912. Em 1963, na final do Carioca, o Fla-Flu teve mais de 194 mil torcedores lotando o Maracanã (177 mil pagantes), maior público já registrado no mundo, em todos os tempos, para jogos entre clubes de futebol. Não é à toa que o hino do Flamengo diz que "nos Fla-Flus é o ai, Jesus". 100 anos de Fla-Flu - que o saudoso tricolor Nelson Rodrigues chamava de 'os irmãos Karamazov do futebol brasileiro' - são um século de emoções, glórias, heróis e grandes jogos que merecem a nossa gratidão e todas as homenagens. Obrigado por tudo, Fla-Flu !

Renato Khair renatokhair@uol.com.br

São Paulo

*

DESABAFO

O Santos não jogou muito para ganhar do Grêmio, foi o Grêmio que não jogou nada e perdeu para o Santos. Ontem eu vi um Grêmio desanimado tomar quatro gols sem reagir. No primeiro gol que tomou havia oito jogadores do Grêmio dentro da área e nenhum se mexeu. Pareceu até que ficaram olhando um para o outro esperando o jogador do Santos chutar a gol. O Grêmio parecia um time de várzea, com jogadores sem preparo físico nenhum, jogando desmotivados e sem técnico. O Kleber deve ter feito sua pior atuação como jogador de futebol desde que se consagrou atacante. Pois não conseguiu sequer dar um passe. Mas parece que ele não consegue, também, dar mais um passo, nem para frente, nem para trás e nem para os lados. O jogador que começou sua carreira no São Paulo; que jogou no Dínamo de Kiev, na Ucrânia; que voltou para o Brasil para jogar no Palmeiras; que jogou no Cruzeiro; que voltou para o Palmeiras; simplesmente não joga no Grêmio. Será que o Grêmio não comprou um sósia do Gladiador? Eu não sei o que os dirigentes do Grêmio viram naquele jogador quando compraram do Palmeiras, até mesmo porque já não vinha atuando bem. Mas, parece que o time foi escalado de propósito, para perder mesmo. Pelo jeito, acho até que os jogadores Vilson e Marquinhos vão tomar uma bronca do técnico por conta dos dois gols que fizeram para o Grêmio no final do segundo tempo. Tudo é possível numa pelada. E o pior nisso tudo é a gente ainda torcer por um time de dirigentes cegos, de técnico cabeça dura e de jogadores pernas de pau.

Francisco Ribeiro Mendes mendes.brasilia@gmail.com

Brasília

*

RONALDINHO GAÚCHO E COCA-COLA

Sobre a notícia "Ronaldinho perde contrato de R$ 1,5 milhão", não entendo qual é o grande poder de venda que os famosos possuem. Nunca na minha vida comprei algo pelo fato da publicidade disso mostrar um jogador de futebol, ator, atriz, modelo, cantor, etc. Para mim, a única coisa que isso significa é que a celebridade ganhou uma boa nota para aparecer no comercial. Bem ao contrário, se eu tenho alguma antipatia por quem aparece (e Ronaldinho Gaúcho é um desses), deixo de consumir o produto. Igualmente faço com quem patrocina baixarias na TV. Só para dar um exemplo, há anos não compro de quem patrocina o Big Brother.

Luciano Nogueira Marmontel automat_br@ig.com.br

Pouso Alegre (MG)

*

TSUNAMI

O Japão nunca mais será o mesmo a partir de dezembro. Um novo tsunami chamado nação corintiana vai invadir o país levando emoção e alegria nunca antes vistas. Pena que o Barça não vai estar lá.

Mario Miguel mmlimpeza@terra.com.br

Jundiaí

*

SER OU NÃO SER?

Não adianta dizer que é grande, não se aceita protestar. "Favelado vai pra casa", disse meu vizinho da janela de seu apartamento. "Não vou, sou Corinthians", disse um torcedor eufórico na minha rua. Tentei dormir a partir da 1da madrugada, mas só consegui às 4. Por um momento pensei que estávamos em 2002 e que o Fenômeno tinha vazado o Oliver Kahn, "não, não estamos na Copa". Não conseguindo dormir, levanto, ligo a TV e assisto a um telejornal, vejo mais comemorações, um canal de TV mostra comemorações de norte a sul do País, volto a pensar na Copa de 2002, "mas não pode ser, o Ronaldo está aposentado". Ligo o computador e acesso páginas de notícias. Mais comemorações, meu cachorro não sai de baixo da cama, tem medo de fogos. Desligo tudo, pego meu celular, ligo o rádio, coloco o fone no ouvido e me deito, acabo adormecendo. Acordo às 9 horas, ligo a TV. Não, não foi um sonho aquela solenidade. Vou à banca de jornal e a mesma festa está em todas as capas. Ao voltar para casa, caminhando, percebo um grande detalhe, a cada cinco pessoas, três estavam com a camisa do Corinthians. A notícia do jornal, da internet e da TV é Corinthians. A comemoração excepcional jamais feita por um clube é Corinthians. Aquele "favelado" de ontem a noite é Corinthians. Não adianta dizer que é grande, "Vai Corinthians", frase imposta por mais de 30 milhões de brasileiros no Brasil e no mundo. O timão foi e mostrou que é grande, o time se mostrou único, os jogadores passaram uma mensagem por meio dos pés de Sheik: "Calma, acabou, respira e comemora", a torcida respondeu: "Arigatô, estaremos em Yokohama".

Roberto Gozzi robertogozzi@saojudas.br

São Paulo

*

WIMBLENDON

Roger Federer: excelência do tênis mundial.

Robert Haller robelisa1@terra.com.br

São Paulo

*

COITADO DO BRUNINHO

Depois do resultado da Liga Mundial de vôlei, Bernardinho não vai mais puxar o freio da locomotiva da propaganda da Sky.

Sergio S. de Oliveira ssoliveira@netsite.com.br

Monte Santo de Minas (MG)

*

O BÓSON DE HIGGS

O sr. Higgs carece de ética científica se autodefinindo "o descobridor daquela partícula". Embora ninguém negue a sua participação nos estudos envolvendo a partícula; naquele ano (1964) da divulgação dos resultados de pesquisas, havia três centros de pesquisa trabalhando independentemente sobre esse assunto. Primeiro, dois físicos belgas (Robert Brout e François Englert) da Universidade Livre de Bruxelas, o segundo com o próprio Higgs e o terceiro com dois americanos e um inglês. Foi nesta ordem que a divulgação ocorreu, os físicos belgas publicando os resultados de suas pesquisas em revista de ciência em agosto de 1964. A fonte desta informação é o jornal inglês The Guardian, o que evita qualquer dúvida sobre a veracidade do publicado, já que jornal inglês nenhum ia negar a paternidade da descoberta de um compatriota! Também na análise do autor do artigo, ele levantou o problema da indicação, caso o prêmio Nobel for atribuído a esse assunto, já que pelas regras do Nobel somente pode haver três premiados por motivo de premiação (por exemplo, Literatura, Paz, Química, Física, etc.). Ele adiante que Englert será um deles (Brout faleceu em 2011), muito provavelmente também Higgs, e terceiro?

Jacques Pennewaert jacques.pennewaert@terra.com.br

São Paulo

*

CORRIDA DE PAMPLONA

O que fazem centenas de pessoas normais correrem atrás de alguns bois na Espanha? Só pode ser sadismo dos bravos,pois além do perigo de chifradas e tombos espetaculares, até mortes

já ocorreram. E os coitados dos bois querem mesmo é sossego e sumir. Será que mesmo com a crise que assola a Espanha,ninguém se toca em acabar com essa indecência? Já há as touradas que judiam dos animais, inclusive após o sofrimento com a morte dos mesmos. Já passou da hora disso ser extinto e mostrar os belos pontos turísticos da Espanha que valem muito mais sem se correr nenhum perigo.

Antonio Jose G. Marques a.jose@uol.com.br

São Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.