Fórum dos Leitores

ECONOMIA

O Estado de S.Paulo

17 Julho 2012 | 03h06

Cega ou com razão?

De acordo com o IBGE, nossa produção industrial recuou ao nível de 2007 e, conforme a Fundação Centro de Estudos do Comércio Exterior (Funcex), nossas exportações caíram 13,6% em junho. O governo do PT desistiu de produzir equipamentos de alta complexidade no setor de petróleo e gás. O Plano Estratégico da Petrobrás reduzirá a meta de produção de petróleo de 4,91 milhões de barris/dia para 4,2 milhões em 2020. Alguns benefícios tarifários da indústria nacional estão sendo cortados. O preço da gasolina vai subir e com ele, a inflação! Ou seja, estamos voltando para trás...! Mas ao batizar a Plataforma P-59 em Maragogipe, na Bahia, a presidente disse que "o País vive uma realidade nunca antes vista!". Como se trata de uma dúbia declaração, estará cega ou carregada de razões?

EUGÊNIO JOSÉ ALATI

eugeniojosealati@yahoo.com.br

Campinas

Crescimento abaixo de 2%

Segundo o boletim Focus, do Banco Central, divulgado ontem, o governo federal e sua excelente e capacitada equipe econômica conseguiram baixar a perspectiva de crescimento do produto interno bruto (PIB) brasileiro deste ano ao magnífico patamar de 1,9%. Belíssimo desempenho econômico, digno de uma equipe eficiente!

PEDRO MASCAGNI FILHO

pedro.mascagni@gmail.com

Itatiba

'Gerentona'

Em terra de cego, quem tem um olho é rei. Dilma só foi boa gerente no governo Lula porque todos os outros eram muito ruins.

VICTOR GERMANO PEREIRA

victorgermano@uol.com.br

São Paulo

Qualidade

Usando palavra tão ao gosto dos petralhas, precisamos mesmo de governo de qualidade, palavra sem P e sem T. Precisamos de governo que fale menos e trabalhe sério, sem ilusionismos. Só isso.

WILSON SCARPELLI

wiscar@estadao.com.br

Cotia

Pobre e feliz

Simplesmente espetacular a coluna de Celso Ming no domingo (B2) Sou pobre, mas sou feliz, apenas desnudando mais uma mentira ou ilusão. Que bom poder encontrar textos tão realistas, diante da passividade genética que domina os brasileiros.

NIVALDO JOSÉ CHIOSSI

nchiossi@uol.com.br

São Paulo

PIB x corrupção

O crescimento do nosso PIB é inversamente proporcional ao aumento da corrupção do partido que se instalou no comando do País e, vergonhosamente, se tornou o mais corrupto da História da República. Isso é fato!

HUMBERTO BOH

hubose@gmail.com

São Paulo

Infraestrutura

Notícias de Brasília dão conta de que o governo federal vai lançar em agosto uma série de concessões de rodovias e aeroportos à iniciativa privada. Na verdade, é uma espécie de privatização de infraestrutura, como foi feita para os Aeroportos de Viracopos, Guarulhos e Brasília. A notícia é animadora, pois levará investimentos privados ao setor de infraestrutura, no qual o investimento público tem sido pouco e ineficiente. Só esperamos que o governo federal, nesse novo projeto, abandone ou ao menos diminua a participação pública, da Infraero e de fundos de pensão, que na concessão dos aeroportos chegou a 49%. Conviver com os hábitos estatais não é fácil para os investidores privados!

EDGARD GOBBI

edgardgobbi@gmail.com

Campinas

Exército Brasileiro

O bom exemplo não se restringe à execução de obras a custo inferior ao orçado (O bom exemplo do Exército, 16/7, A3), revela-se ainda nas palavras do general Joaquim Maia Brandão, ao salientar que o bom exemplo é também não deixar os contingentes ociosos no quartel, pois podem prestar serviços à comunidade. A baixo custo, ressalte-se.

PEDRO LUÍS DE C. VERGUEIRO

pedrover@matrix.com.br

São Paulo

Metrô responde

Em resposta à carta A passos de tartaruga, do leitor sr. João Rochael (16/7), o Metrô esclarece que atualmente estão em obras quatro grandes empreendimentos ao mesmo tempo: a segunda fase da Linha 4-Amarela (Vila Sônia-Luz), o prolongamento da Linha 5-Lilás (Largo 13-Chácara Klabin), a extensão, em monotrilho, da Linha 2-Verde (Vila Prudente-Cidade Tiradentes) e a construção da Linha 17-Ouro (ligação da rede metroferroviária ao Aeroporto de Congonhas). Hoje a rede metroferroviária conta com 335 km de extensão com integração física e tarifária. Até 2014 serão implantados mais 30 km de linhas de metrô. No final deste ano e início de 2013 devemos licitar mais três obras: a Linha 6-Laranja (Brasilândia-São Joaquim), a 15- Branca (Vila Prudente-Penha/Tiquatira) e a 18-Bronze (Tamanduateí-ABC). É meta do Metrô de São Paulo para 2013 ter sete grandes obras em andamento e até 2014 ultrapassar 100 km de extensão.

MÁRCIO KERR, chefe do Departamento de Imprensa do Metrô

imprensa@metrosp.com.br

São Paulo

MEMÓRIA

Cemitério judaico-brasileiro

Muito bom encontrar em página dupla, na edição dominical do Estadão, as matérias sobre o cemitério judaico-brasileiro de Nova York e a presença judaica em Pernambuco, no período holandês. Mas algumas coisas precisariam ser informadas: o cemitério fica em Chatam Square, não é exatamente em Chinatown. Bom saber que as chaves estão na sinagoga Shearit Israel, ali em frente ao Central Park. Dá para visitar, mas as fotos mostram que o cemitério não está sendo bem cuidado. A mikve (piscina ritual) da sinagoga Zur Israel, no Recife, é conhecida desde os tempos do governador Miguel Arraes e da gestão de Ariano Suassuna à frente da Secretaria de Cultura do Estado de Pernambuco, antes do golpe militar de 1964. As recentes obras de restauração foram financiadas pelo Banco Safra. A comunidade judaica de Curaçau descende diretamente daqueles judeus que saíram de Pernambuco, vale a pena visitar a sinagoga, onde o piso é de areia, e o cemitério antigo, hoje sítio de exploração de petróleo. Torres de perfuração ao lado de pedras tumulares... E dessa comunidade nasceu o atual ministro das Relações Exteriores da Venezuela, Nicolás Maduro. Por último, mas não menos importante, o governador holandês de Nova Amsterdam, Peter Stuyvesant, não queria acolher os judeus que escapavam do Brasil, só o fez ao receber ordens diretas da Companhia das Índias. Interessante, não é mesmo?

HENRIQUE VELTMAN

hbv@uol.com.br

São Paulo

Cartas selecionadas para o Fórum dos Leitores do portal estadão.com.br

OPÇÃO INFELIZ

Ultimamente, a vida da presidente Dilma não tem sido feliz, levando-se em conta não só os resultados de seu governo, afundando na economia. Também seus esclarecimentos à sociedade sobre o que é importante para o País. Ao afirmar que não se mede uma grande nação pelo PIB e sem poder citar como medida o nosso IDH, por estarmos na 84.ª colocação, disse que "uma grande nação deve ser medida pelo que faz para suas crianças e adolescentes". Foi uma opção ruim dado que a maior e unânime crítica feita ao seu governo, é a educação, principalmente a educação de base. De tão má qualidade, não propicia uma boa evolução para os jovens cuja maioria não consegue alcançar a universidade. Aqueles que frequentam os ensinos técnicos não se tornam bons profissionais pela deficiência de sua base educacional. Mais de 20% de adolescentes com mais de 15 anos são analfabetos funcionais. Na busca de justificativas para seus desacertos, nossa presidente tem feito más escolhas. Em cerimônia na Petrobrás, dona Dilma, plagiando Lula, diz que o País vive "uma realidade nunca vista antes". Um pouco mal informada, talvez, não saberia que a Petrobrás não cumpre metas há três anos, que das quatro refinarias planejadas três foram abandonadas e a quarta está quatro anos atrasada. Provavelmente, não lhe teriam contado também que não se conseguiu fornecedores externos para a Petrobrás e que nossa indústria está em grave declínio sem possibilidade - ou confiança - para investir em produção de equipamentos. Possivelmente também não disseram a ela que se não se reajustar razoavelmente os preços dos derivados a estatal não terá recursos para investir. Mas, se sabe dessas coisas, de onde viria tanto otimismo? Talvez das perspectivas para o PIB de 2012 e 2013.

Fabio Figueiredo fafig3@terra.com.br

São Paulo

*

O PIBINHO DE DILMA

O despeitado e demagógico discurso da presidente Dilma deslocou o Brasil da 6.ª posição no ranking mundial para o 84ª lugar (IDH). Mesmo tendo se livrado do Haddad, é difícil subir posições se a avaliação for somente essa.

Geraldo de Paula e Silva geraldodepaula@ibest.com.br

Rio de Janeiro

*

O RITMO DE NOSSO SAMBA

Nas últimas décadas, a China converteu-se no dínamo do crescimento global e seu PIB tem evoluído a uma taxa média de 10% ao ano. Todavia, em razão da crise europeia, as projeções para o PIB chinês em 2012 situam-se em 'módicos' 7,5%, cifra que, por ser 'pequena', fez acender o farol amarelo em Pequim, obrigando as autoridades chinesas a mostrar serviço. Assim, diz o jornal britânico Financial Times, que o governo chinês estuda baixar em 50% o tributo sobre o lucro de empresas estrangeiras que atuam no país, estimulando o investimento externo no gigante asiático. A mensagem é de que a China não se conforma com "pífios" 7,5%%! Quer mais, muito mais - e trabalha para isso, evidentemente pensando em seu progresso e no futuro de suas novas gerações. Quanto a nós, seus "colegas" no Brics, as notícias são menos otimistas: produção industrial recuando ao nível de 2007 e "pibinho" de 2% (se tanto!) - entre outros indicadores ainda menos favoráveis como os da alta criminalidade e baixos níveis na saúde e educação. Se estivéssemos antenados e fôssemos ambiciosos (como eles), deveríamos estar fazendo - a exemplo da China - algo de muito sério a respeito desse marasmo. Mas, o que faz o governo do PT? Tem finalizado algum plano para reduzir a tributação? Ou para diminuir o número de horas para se declarar os impostos? Ou quem sabe estariam avançados os estudos para corte dos custos trabalhistas - hoje baseados numa legislação da primeira metade do século20? Estariam, acaso, preocupados em reduzir a burocracia para facilitar a abertura ou o fechamento de empresas? Por ventura há notícia da existência de algum grupo no governo estudando o que fazer para melhorar o perfil dos gastos públicos? E sobre o preço abusivo da energia elétrica ou a exploração do pré-sal? Alguma boa notícia? Algo de novo sobre nossos portos, aeroportos, rodovias, ferrovias e o restante de nossa infraestrutura? Enfim, o que estão fazendo para nos convencer de que estejam - como estão os chineses - verdadeiramente empenhados em dar a nossas "crianças e jovens" um futuro melhor?

Silvio Natal silvionatal49@yahoo.com.br

São Paulo

*

A PIADA DO EXECUTIVO

A maior piada do semestre vem do Executivo no palavrório da sra. presidenta Dilma, "... uma grande nação não se mede pelo seu PIB". Na boca do governo a medição do produto interno bruto acaba de ser totalmente desconsiderado para todo sempre (ou até voltar a medições favoráveis ao governo). Se não é piada, é demagogice mesmo.

Leila E. Leitão

São Paulo

*

A IMPORTÂNCIA DO PIB

A presidente Dilma Rousseff é uma economista? Esta dúvida que persistiu durante algum tempo finalmente foi esclarecida. Não. Durante a 9.ª Conferência Nacional dos Direitos da Criança e Adolescentes, a presidente afirmou que o PIB não tem tanta importância para o crescimento de uma grande nação. Perante muitos jovens teve a infelicidade de dizer tamanho despropósito e estes, talvez por pouco conhecimento do assunto, a ovacionaram com grande entusiasmo. PIB é o somatório de bens e serviços produzidos em um determinado ano, por um país, e seu crescimento constante influi positivamente na educação, na saúde, no transporte, segmentos tão carentes de melhoria nos dias atuais, e aumenta consideravelmente o número de empregos oferecidos, fator preponderante para a pujança de uma nação. Portanto, senhora presidente, se o "pibinho", como está sendo chamado, em razão do seu pífio crescimento, não for alavancado com medidas que não sejam paliativas (por exemplo, o vem e vai do IPI) e não lhe for dado o devido valor, a renda per capita do brasileiro, que é medida por esse agregado macroeconômico, vai diminuir ainda mais e deixará esses adolescentes que a aplaudiram, num futuro não muito distante, sem eira nem beira. Bastam de contos da carochinha para tentar esconder os reais problemas.

Sérgio Dafré sergio_dafre@hotmail.com

Jundiaí

*

ENSAIO PARA O PRÊMIO NOBEL

Ridículo e incompetente o discurso da presidente Dilma Rousseff quando disse que "uma grande nação deve ser medida por aquilo que se faz para suas crianças e seus adolescentes, não pelo PIB". Pergunto: será que ela sabe o que, realmente, significa PIB? Como vamos cuidar de nossas crianças e adolescentes sem ter um PIB capaz de gerar empregos, produtividade e, consequentemente, impostos e riquezas. Se o PIB não fosse tão importante como ela disse, a China, com 8% de PIB, não estaria em ótimas condições financeiras e a Europa, com um PIB de quase 0% não estaria à beira da falência. Isso sem mencionar os Estados Unidos. Será que Dilma acha mesmo que uma nação nada deve produzir e, assim mesmo, cuidar bem de saúde, saneamento básico, segurança e educação e ainda permitir que bilhões de reais sejam roubados dos cofres públicos por políticos e enviados para engordar os bancos suíços, os quais chegaram com uma indecente proposta de pagar impostos ao governo brasileiro sobre todo o dinheiro depositado naquele país pelos corruptos? Se isso acontecer, certamente ajudará ainda mais a lavagem de dinheiro dessas quadrilhas. Please, wake up, Dilma! Pare de sonhar com o Prêmio Nobel de Economia e, por favor, reconsidere sua tese pibiana.

Valdy Callado valdypinto@hotmail.com

São Paulo

*

DISCURSO VAZIO

A presidenta Dilma, a "mãe do PAC", foi eleita com o apoio do ex-presidente Lula, com o perfil de uma técnica que sabia tocar obras e gerenciar o Estado. A verdade é que a maioria das obras do PAC nem saíram do papel e suas explanações sobre o tema não passam de apresentações em Power Point ou quadros com alfinetes coloridos mostrando projetos inacabados (ou que nem saíram do papel ali ou aqui). No início de seu governo, a presidenta Dilma mostrou estar disposta a varrer qualquer foco de corrupção do mapa. Contudo, a máquina do governo parece estar engolindo seu governo num mar de escândalos e greves, somados ao pífio desempenho da economia. As recentes medidas para alavancar a economia, com cortes de impostos e baixa de juros, não surtirá o efeito desejado. O Brasil necessita de reformas estruturais, investimento em infraestrutura, educação e reforma tributária, sobretudo. Dessa forma, a presidenta Dilma está perdendo o rumo de seu governo e o maior exemplo disso foi em recente discurso, proferido durante a 9.ª Conferência Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente, realizada em Brasília, em ela disse que "uma grande nação deve ser medida por aquilo que faz para as suas crianças e adolescentes, não é o PIB". Ela disse que o Brasil está no caminho certo para se transformar em "uma grande nação" onde a educação de qualidade seja um direito universal. Para a presidenta, "nenhum país desenvolvido" tem colégios funcionando somente num período. Assim como suas "técnicas apresentações" das obras do PAC, seus discursos parecem ser patéticos. Segundo dados da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), o Brasil investe US$ 18.261 (R$ 37 mil) por aluno, número inferior em relação a outros países latino-americanos, como a Colômbia (US$ 19.067, R$ 38,7 mil) e o México (US$ 21.175, R$ 42,9 mil), e muito abaixo da maioria dos países-membros da OCDE.

Marcelo do Vale Nunes mvn@portoweb.com.br

Porto Alegre

*

ROSANE COLLOR NO FANTÁSTICO

A senhora Rosane Collor, em entrevista ao programa Fantástico, fez poucas revelações acerca de seu ex-marido, o ex-presidente e hoje senador Fernando Collor. O assunto que ela trouxe à baila não surpreendeu ninguém. Todos os brasileiros sabiam das orgias que aconteciam na casa da Dinda. Rosane mudou de time, hoje está com Jesus, reclamou da merreca de R$ 18 mil que recebe de pensão. Esqueceu-se de que o cidadão brasileiro trabalha por mais de 30 anos e não recebe R$ 5 mil. R$18 mil é pouco? Depende, para quem nunca trabalhou é muito, mas como vivemos num país injusto os que mais recebem são aqueles que nada fazem. Enquanto o eleitor não aprender a votar vamos continuar sustentando parasitas.

Izabel Avallone izabelavallone@gmail.com

São Paulo

*

PENSÃO

Sobre a entrevista de Rosane ex-Collor no Fantástico, não sei por que me lembrei daquela musiquinha: "Lava a roupa todo dia, que agonia! Na quebrada da soleira, que chovia. Até sonhar de madrugada, uma moça sem mancada"... Eu, se fosse ela, me contentaria com os R$18 mil de pensão, afinal, ela está falando de um senador da República que ainda se julga presidente e que vira e mexe age como um louco. O seguro morreu de velho!

Beatriz Campos beatriz.campos@uol.com.br

São Paulo

*

EX-MULHER É FOGO!

Certas verdades são mesmo insofismáveis... Pode ser a do servente de pedreiro que mora na periferia ou a do ex-presidente defenestrado do poder e hoje senador, morador numa mansão, mas o fato é que, seja a de um ou de outro, ex-mulher é sempre fogo!

Paulo Boccato pofboccato@yahoo.com.br

São Carlos

*

BRUXARIAS COM A POUPANÇA

Uma enorme expectativa envolvia a edição do Fantástico neste domingo. O anúncio de revelações bombásticas da ex-primeira-dama da República Rosane Collor frustrou a multidão que se acomodou diante do televisor. A Globo já sabia - o programa foi gravado - que nada de novo seria trazido à tona sobre os acontecimentos que envolveram o braço direito de Collor, Paulo César Farias, misteriosamente assassinado. Rosane limitou-se a informar detalhes que até as pedras já sabiam. Aproveitou a oportunidade para fazer marketing do livro que está escrevendo. Falando do costume de Collor de promover sessões de bruxaria na casa da Dinda, omitiu o "despacho" preparado pelos duendes, bruxas e gnomos do Ministério da Fazenda e que desabou no confisco dos saldos das cadernetas de poupança. Disse quanto recebe de pensão e que pretende dobrar o valor. De mais importante não disse nem lhe foi perguntado. Inteligentemente, a Globo garantiu bons índices de audiência e nós, curiosos em saber detalhes das tenebrosas sessões, chegamos à conclusão de que eram aprendizes de bruxaria num curso ministrado por Memeia, Patalógika e Bruxa Malvada.

Jair Gomes Coelho jairgcoelho@gmail.com

Vassouras (RJ)

*

COLLOR X PC

Rosane disse que Collor se encontrava com PC. Alguém tinha dúvida disso?

Maria do Carmo Zaffalon Leme Cardoso mdokrmo@hotmail.com

Bauru

*

PERIGOSO!

Se o senador Fernando Collor de Mello for a metade daquilo que sua ex-esposa denunciou no Fantástico do último domingo, é de se imaginar o que teria acontecido ao País caso não tivesse sofrido o impeachment. Na verdade, com sua volta ao Senado, posto de altíssima importância dentro do atual governo, isso é algo para se preocupar a partir de agora. Só para dizer o mínimo!

José Marques seuqram.esoj@bol.com.br

São Paulo

*

SENSACIONALISMO

A ex-esposa de Fernando Collor de Mello, ex-presidente da República e atual senador, concedeu entrevista ao Fantástico no último domingo. Como o programa está com ibope baixo, ele se presta a fazer sensacionalismo, entrevistando Rosane Collor para contar fatos da vida política do ex-marido. Pela entrevista a gente percebe que o negócio dela é aumentar sua pensão de ex-esposa. E tem o desplante de contar que uma amiga recebe R$ 40 mil por mês de pensão. É lamentável.

Olympio F. A. Cintra Netto ofacnt@yahoo.com.br

São Paulo

*

TELESPECTADOR NÃO É TOLO

O programa Fantástico deveria dar-se ao respeito. O telespectador não é tolo, pensa com a própria cabeça. A TV Globo precisa patentear, orgulhosa, todo o seu amplo, leviano e estarrecedor arsenal de barbaridade e torpezas. As acusações levianas, ridículas e requentadas da ex-primeira-dama Rosane Collor contra o ex-marido e ex-presidente Fernando Collor foram melancólicas. Tudo indica que o jornalismo do Fantástico passou a ser editado no lixão da novela Avenida Brasil. O senador Collor fez muito bem em negar declarações ao programa. Não pode, não deve e nem tem tempo a perder para saciar o apetite dos sórdidos e desocupados.

Vicente Limongi Netto limonginetto@hotmail.com

Brasília

*

UMA PEQUENA MESADA

Foi só faltar uma boa mesada e a TV estava lá para a entrevista. Pelo dinheiro vale tudo. Simplesmente "fantástico".

José Piacsek Neto bubapiacsek@yahoo.com.br

Avanhandava

*

PARAÍSO DA MEDIOCRIDADE

Assistindo à entrevista da ex-primeira-dama Rosane Collor no Fantástico, é difícil imaginar como foi possível que um cidadão, com um discurso medíocre, fantasioso, infantil e mentiroso como o de Fernando Collor pudesse chegar aonde chegou, enganar tanta gente por tanto tempo e, depois de todo o mal que causou ao País, continuar com a mesma impostura, posando como grande e nobre senador da República!

Victor Germano Pereira victorgermano@uol.com.br

São Paulo

*

ELEIÇÕES MUNICIPAIS

Muito se fala sobre a corrupção e eu pergunto: o povo não tem uma parcela de culpa por esse comportamento que se propaga nos meios políticos? A razão do meu questionamento se deve às conversas nos círculos sociais, onde sempre surge aquela pergunta: "em quem você vai votar"? Não existe mais idealismo, sigla partidária, esquerda, direita ou centro. As respostas são centradas na obtenção de algum benefício particular que um determinado candidato promete: "fulano prometeu que vai proibir estacionamento de carros na frente do meu prédio"; "sicrano prometeu que vai corrigir os defeitos do calçamento em frente a minha casa, depois que o esgoto foi instalado"; "beltrano prometeu um emprego para o meu filho" e por aí vai. Mais creches, escolas, parques, centros esportivos, calçamento e esgoto nas regiões distantes do centro, mais unidades de pronto atendimento hospitalar, não às favelas, e sim às casas populares, e tantas outras necessidades de que carece o município parecem não interessar à grande maioria dos eleitores. Os apoios sempre têm uma conotação de vantagens individuais. Depois se queixam da falta disso e daquilo. Ora, se nada se cobrou do candidato! Aquela tal educação de base se faz sentir também na política. A quem interessa ajudar a construir esse alicerce?

Ecilla Bezerra ecillabezerra@gmail.com

Peruíbe

*

SUGESTÃO PARA ELEIÇÕES

Acredito que a única maneira de modificar isso dentro da legislação atual é empregar a internet de forma mais sadia e permanente a fim de registrarmos e não esquecermos os compromissos de cada candidato. Para tanto recomendo que estudem abrir uma página aberta a todos os munícipes (não precisa ser assinante para acessar, ler ou postar comentários) onde poderiam ser postadas questões selecionadas de interesse da população e que os políticos seriam convidados a responder, formando um quadro onde o leitor poderia comparar a resposta de cada político à pergunta ou escolher o político e ver todas as respostas que ele deu a cada pergunta. As questões postadas deveriam ser consolidadas em grupos, resumidas, catalogadas, editadas e postadas para que todo político seja convidado a respondê-las e deixar registrado sua posição. Daí em diante vai da imaginação de cada um, mas a lista de perguntas/respostas/políticos formaria um banco de dados muito interessante para que um eleitor esclarecido possa consultar antes de depositar seu voto. Exemplo de pergunta. Categoria: trânsito.

Recente decisão do Conatran permite que sejam transformadas em advertência determinados tipos de multa, porém delega a decisão à CET local, que pode, segundo sua interpretação, concordar ou não com a alteração. baseada em critérios bastante subjetivos. Consultada, a CET-SP esquivou-se de responder se acataria ou não a nova interpretação, deixando a impressão de que poderia não aceitar a decisão. O caso, portanto virou "político" e os eleitores da cidade gostariam de saber qual será a conduta do candidato, se eleito, quanto à orientação que será dada a seus subordinados na nova sistemática. Adianto que quem realizar isso vai fazer um grande serviço à Nação e mostrará para que a internet existe e como ela pode ser usada para melhorar a vida dos cidadãos.

George Garcia grg100@gmail.com

São Paulo

*

APARELHAMENTO DO STF

A indicação de ministros para o STF e TSE com alguma ligação com o PT é preocupante. Desestabiliza nossa neófita democracia!

Orlando Cesar O. P. Barretto ocdobarr@usp.br

São Paulo

*

DEMÓSTENES NUMA MELHOR

Não acredito que em outros países do mundo isso aconteça. No Brasil, um senador da República depois de ser cassado por compactuar com os atos ilícitos com organizações comprovadamente criminosas, assume a função de procurador de Justiça do Ministério Público. Trocaram a raposa de um galinheiro para outro e com forças maiores. Com certeza Demóstenes foi para onde queria, ou melhor, para onde sua caneta tem mais peso. Gostaríamos que os Poderes Legislativo e Judiciário ficassem sabendo que não somos otários e que também não estamos mais usando antolhos.

Leônidas Marques leo_vr@terra.com.br

Volta Redonda (RJ)

*

DESMORALIZAÇÃO

Infelizmente, aceitar de volta o Demóstenes vai significar pra muitos a desmoralização do último baluarte da Justiça brasileira.

Conrado de Paulo conrado.paulo@uol.com.br

Bragança Paulista

*

FHC

Meios de comunicação informaram que o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso recebeu a indicação para o Prêmio John Kluge. É o primeiro intelectual da América Latina a ganhar a indicação, que lhe rendeu US$ 1 milhão. O Kluge é uma espécie de Nobel das Ciências Humanas. Estou muito feliz pelo acontecimento. Isso, sim, engrandece nosso País e mostra quanto é importante não só para o ser humano, mas para o Brasil, o grau cultural de um político. Parabéns, FHC! Continue engrandecendo nosso país. Valeu! Que nossos filhos sigam seus passos. Cultura e educação são primordiais. Estes são os maiores dons do ser humano, nada os supera.

Cynthia Azevedo cynthia.brabo@ig.com.br

Santos

*

SÍRIA: EM QUEM ACREDITAR?

Na semana passada, vi diversas fotos feitas em vários locais da Síria por um amigo brasileiro, durante os meses de maio e junho. Nada vi que se parecesse com as fotos mostradas nas reportagens publicadas pelos jornais. Se uma foto vale mil palavras, fica a pergunta: em quem acreditar? Nas agências noticiosas internacionais ou nas singelas fotos de um turista? Fico com as fotos. Não por ser um amigo de quem as fotografou, mas por retratar algo mais condizente com a índole daquele povo. Por que querem, de qualquer maneira, desestabilizar a Síria? Será porque ela tem água potável? Ou porque querem passar por ela grandes projetos de oleodutos e gasodutos ligando o norte da Arábia à Turquia? Ou, ainda, para "quebrar" um possível eixo xiita Irã-Síria-Hezbollah, formando um crescente salafista, da Arábia à Turquia (lembrar que as repúblicas no entorno do Irã são todas sunitas)? Saibam os que leem estas linhas que a Síria é a mais laica de todos os países daquela região. Ao se perguntar a um sírio o que ele é, receberá a resposta: sírio. Não muçulmano, xiita ou sunita, nem druso, nem cristão. Apenas sírio. Haja vista a hospitalidade espontânea de seus descendentes mesmo aqui no Brasil. Vá a qualquer entidade da coletividade síria e sinta o carinho com que o recebem. Por que lá, na Síria, seria diferente? Estive duas vezes na Síria e me senti em casa! Povo afável e hospitaleiro, não pode ter se transformado em torturador e assassino assim de repente. Quem recebeu 2 milhões de refugiados iraquianos de repente se transformou em terrorista contra seu próprio povo? Invoco o testemunho de todos os paulistas e, por extensão, dos brasileiros que convivem todos os dias com sírios, libaneses e seus descendentes: por suas atitudes aqui, seriam eles lá tão diferentes? Desde o início do século 20, os sírios e libaneses têm se destacado pelas obras de benemerência. E lá, na terra natal nem sequer eram países livres, pois viviam sob a tutela da Turquia e depois da França. Meus irmãos brasileiros, estamos presenciando mais uma tentativa de holocausto. Hoje, a geopolítica das potências elegeu a Síria, em função de seus interesses. Amanhã, quem sabe? Poderão ser nossas riquezas, a começar pela água potável e pela biomassa.

Ricardo Bunemer rbunemer@terra.com.br

São Paulo

*

DITADURA SÍRIA

Tíbia é a diplomacia brasileira, sob as ordens da presidente, é claro. E retardada também. Precisou ocorrer uma tragédia, mais uma é claro, para ser revista a posição brasileira a respeito do ditador sírio. Foi depois do leite derramado - representado pela violenta repressão e morte de civis sírios - que a atitude dita "endurecida" se revelou. Ademais, uma "nota" não basta: endurecer, sem ternura, é preciso.

Pedro Vergueiro pedrover@matrix.com.br

São Paulo

*

PRESO NAZISTA DE 97 ANOS

Laszlo Csatary, de 97 anos, acusado de enviar 15.700 judeus para Auschwitz durante a Segunda Guerra Mundial, foi encontrado e preso em Budapeste. Laszlo Csatary é um antigo oficial nazista húngaro. Desde janeiro, ele está no topo da lista, elaborada pelo Centro Simon Wesenthal, dos criminosos de guerra mais procurados do mundo. Ele vivia sob uma falsa identidade na capital da Hungria. É um crime pavoroso cometido contra a humanidade, certamente sob as ordens do sanguinário Adolf Hitler, que de nada lhe servirá para lhe atenuar e sequer fazer comparações com as barbaridades cometidas pelo seu atroz parceiro Fidel Castro, executor de centenas de milhares de cubanos indefesos e até hoje nunca foi questionado pela ONU ou pelos pseudo-Direitos Humanos, que se calam sempre sobre o paredón cubano.

Benone Augusto de Paiva benone2006@bol.com.br

São Paulo

*

'METAMORFOSES DA INFÂMIA'

Incrivelmente lúcido e verdadeiro o artigo de Roberto Romano (14/7, A2). Por séculos o povo judeu foi o bode expiatório de ditadores, anarquistas, bandidos como os nazistas, porque é o que eles foram além de assassinos cruéis de pessoas inocentes cujo único pecado era ser judeu e outros. Essas atrocidades aconteceram somente porque o cidadão comum já era proselitizado pela igreja a odiar estas pessoas que só deram ao mundo tudo de bom. Inclusive Jesus Cristo. Pessoas que só cuidavam das suas famílias e, por sinal, nunca foram caçadores. Em todos os sentidos. Agora, depois do Holocausto, horror dos horrores, também as vistas dos cidadãos comuns em todos os países, quando a terra que pertenceu a eles, é só olhar os textos da Bíblia, foi conquistada, comprada dos ocasionais moradores; resgatada do deserto e dos pântanos. Agora, depois de tantos sacrifícios e arbitrariedades do mundo contra os judeus, afinal, o sonho do Estado de Israel, Ainda têm de se defender das calúnias internacionais. Os ditadores, os tiranos da esquerda e direita sempre têm seu alvo preferido nos judeus. Por quê? Nunca consegui entender. Os judeus fundaram o comunismo, mas foram massacrados pelos comunistas. Os banqueiros judeus financiaram os alemães, mas Hitler queria mais e mandou seus assassinos e ladrões comuns a roubar os bens dos judeus. Não bastou tantos judeus terem ajudado os aliados alistando-se no Exército britânico e darem suas vidas para a vitória. Foram perseguidos e enviados de para campos de extermínio. Enforcaram ativistas combatentes dos kibutzim, jovens nascidos na Terra Santa. Tudo para agradar os muftis aliados do Hitler. Horror dos horrores. Pois eu, uma judia nascida na Grécia, ainda não consegui entender por que esse ódio a esse povo que só quer viver em paz.Nunca o povo de Israel vai deixar de defender seu Estado. Não adiantam as calúnias e as provocações dos ditos intelectuais pelo mundo, não conseguirão!

Mika Krok mikakrok@gmail.com

São Paulo

*

VALORES MORAIS NO FUTEBOL

Parece que não existem mais valores morais, ou se há, são poucos. Perdeu-se a decência, a moralidade, etc. Esta recente denúncia da Justiça suíça dizendo que os srs. João Havelange e Ricardo Teixeira receberam propinas dá a exata dimensão disso, e o atual presidente da Fifa diz que não pode fazer nada por naquela época ser normal esse tipo de transação. Deixa ver se entendi direito. Então há época para sem-vergonhice e época para não? O mínimo que esse senhor poderia fazer é apurar, se ficar na omissão, renunciar. O Parlamento europeu já protestou contra essas denúncias e quer apuração. Essa é mais uma evidência da cadeia de corrupção no Brasil e no continente sul-americano, onde o vitalício presidente da Conmenbol, Nicolas Leoz, também levou o seu. Claro, porque não haveria de levar. Foi uma merreca, em vista do que os srs. João Havelange e Ricardo Teixeira levaram, mas levou o seu. As federações são culpadas disso, pois elegem o presidente da Confederação, logo também tem seu cala boca. Não existe probo. Já nasce morto. A reeleição do sr. Artur Nuzman a frente do COB foi às escondidas, com um edital de convocação da eleição publicado num jornal de pouca circulação, que ninguém conhece e no subsolo de um hotel, sem alarde. Tudo no silêncio, no sapatinho. Cabe a imprensa, em nome da moral e dos bons costumes, se acha que ainda serve para alguma coisa, protestar. Com relação a CBF, oficialmente nada poderá se fazer, pois não recebe verba pública, mas os patrocinadores podem, retirando o patrocínio. Mas quanto ao COB, times de futebol, etc., o governo pode tomar algumas medidas, se tem moral para tal. Ah, ia esquecendo, o sr. Ricardo Teixeira renunciou ao mandato e está em Miami ganhando o equivalente a US$ 50 mil mensais como consultor da CBF.

Panayotis Poulis ppoulis46@gmail.com

Rio de Janeiro

*

HAVELANGE, HASTA NUNCA!

Sugiro que, em caráter de urgência, a CBF mude o nome do Engenhão para qualquer nome do bem e tire o tal canalha Havelange já. Não podemos tolerar nem esperar nada. Se até o presidente da Fifa dedou o Havelange e quer tirá-lo da Fifa, nós, que somos da terra, temos de ter vergonha na cara e mudar o nome do estádio.Temos de lutar contra a corrupção independente do nível em que esteja e execrar crápulas com cara de peixe morto, mas que estão bem mais vivos que nós, que só pagamos impostos para alimentar essa corja. Havelange, hasta nunca!

Aníbal Vilari anibalvilari@bol.com.br

São Paulo

*

MUDANÇA DE NOME DO ENGENHÃO

Depois do escândalo de corrupção e recebimento de suborno milionário na Suíça envolvendo o ex-presidente da Fifa, João Havelange e seu ex-genro, Ricardo Teixeira (CBF), se faz urgente a mudança do nome do Engenhão, que se chama, oficialmente, Estádio João Havelange. Apesar de estar arrendado ao Botafogo, o Engenhão é um estádio público e custou aos cofres públicos mais de R$330 milhões. Não se admite que um corrupto e criminoso como Havelange receba tais homenagens. O Brasil não pode continuar como país da corrupção e da impunidade. O Engenhão deveria se chamar "estádio Mané Garrincha" ou "estádio Nilton Santos", ex-craques botafoguenses que conquistaram o bi mundial pelo Brasil e que deram grandes alegrias e orgulho ao povo brasileiro.

Renato Khair renatokhair@uol.com.br

São Paulo

*

'COI PRESSIONA BRASIL POR AEROPORTOS'

Não precisamos esperar pelo COI e pela Fifa para constatar o tumulto dos embarques; as deficiências de infraestrutura atingem inclusive os sanitários onde vários esperam enquanto um usa, desde 1980, e as áreas de espera são transformadas em dormitórios. É modesta a afirmação "que os aeroportos precisam ser melhorados". É necessário que os órgãos competentes, como a Anace e a Infraero, analisem a influência desses atropelos e atrasos sobre os membros da cabine de comando do avião, bem como os cuidados indispensáveis em terra diante das longas rotas que os equipamentos cumprem. Nós não necessitamos de outras praças memoriais, as causas são sempre uma vergonha!

Jürgen Detlev Vageler vatra_ind@yahoo.com.br

*

AO PÉ DA LETRA

"Não tenho 22 filhos", disse o técnico Tite em entrevista ao Estadão (16/7, E2). Fico feliz em saber. Não por ele, mas pela parcela da população (uma minoria, talvez) que entende quando o sentido de uma frase ou expressão é metafórico. Feliz também porque a nossa presidenta está muito preocupada com as crianças, adolescentes, adultos e idosos deste país. Assim,logo deixaremos de ter somente interpretações ao pé da letra do nosso vernáculo,nem que seja por medida provisória. Ou a questão do técnico corintiano é de outra natureza?

Hermínio Silva Júnior Hermínio hsilvajr@terra.com.br

São Paulo

*

LIEDSON, O MAL-AGRADECIDO

O atacante Liedson saiu do Corinthians e magoado, segundo a mídia. Reclamando que o clube não reconheceu seus méritos. Está mais que errado o boleiro, porque o clube o trouxe de Portugal, pois lá não servia mais e durante todo o tempo que esteve no alvinegro recebeu um salário acima da média nacional e de seus méritos. Se marcou gols ano passado só fez sua obrigação e recebeu por isso, só que não fazia mais e mesmo assim recebia uma bolada mensalmente e que ele ainda queria aumentar. Se alguém tem alguma dívida nessa história é ele, que parou de marcar gols e passa o tempo todo meio que correndo de freio de mão puxado. Liedson deu o que tinha que dar e vai em paz... Quanto ao quadro do alvinegro, ele precisa no mínimo de cinco a seis reforços para o gol porque o atual, que parecia bom, não é tudo aquilo que prometia, zagueiros, meio-campistas e centroavantes que não existem.

Laércio Zannini arsene@uol.com.br

São Paulo

*

EVANGÉLICOS

Concordo que o número de evangélicos está crescendo no País, mas a marcha não tinha 5 milhões nem multiplicando por dois ou três. Acho que temos, sim, de ter liberdade religiosa, mas algo me intriga. Se conseguem tantos fazer tantos milagres, por que não se juntam e acabam com a fome no Brasil? Acho que isso seria sim um grande milagre. Caminho diariamente pelo Baixo Augusta, em São Paulo, e vejo, pelo menos, mais de 20 pessoas miseráveis dormindo nas ruas e sem a mínima assistência. Como sugestão, gostaria que os donos dessas igrejas - algumas viraram franquia - se juntassem e colocassem isso como meta pessoal, e não comprar fazendas de mais de 30 milhões com o dinheiro talvez até de miseráveis que acreditaram em milagres que nunca aconteceram. Isso é ser verdadeiro e mostrar a que veio. O resto é marketing e papo-furado.

Antonio José G. Maques a.jose@uol.com.br

São Paulo

*

DIREITO DE RESPOSTA

Sobre a manchete de capa Igreja Católica perde 465 fiéis por dia em 10 anos, do respeitável Estadão do dia 30/6, cabe esclarecerem em primeira plana, que, se fossem fiéis, não se perderiam! Perdem-se os "infiéis" e "não se perde o que está perdido"! Estes são aqueles que buscam a graça "delivery" - pagou o "dízimo", recebe-se de imediato - o que não existe, porque tratar com Deus não é comércio! O tempo de Deus não é o nosso tempo! Há que esperar o tempo necessário que faz parte dos planos salvíficos (de salvação do homem) de Deus, para nós e nossos irmãos! Daí por que ser fiel católico não é para qualquer um! Somente para os verdadeiramente tementes a Deus, que sabem conservar-se no seu tempo de graças! Só nos resta orar para as ovelhas que se perdem! Até porque o termo "dízimo" foi providencialmente excluída da lei da Igreja Católica.

Vagner Isidoro Vergani alvanajuris@aasp.org.br

São Paulo

*

'DEIXA QUE EU EMPURRO'

Nos idos de 1961, passeava muito pelo Ibirapuera com minha lambreta 1959. Num desses passeios levei meu irmão caçula, Tarcísio, e tirei dele várias fotos. Numa delas, memorável, Tarcísio subiu no Monumento às Bandeiras, essa gigantesca escultura de Victor Brecheret, e posou atrás da escultura, como se estivesse ajudando o índio caboclo a empurrar a canoa. Despretensiosamente, denominamos o monumento como "deixa que eu empurro". Não é que pegou?! O dito popular espalhou-se rápido.

Rubens Q. M. Costa rubensquintao@hotmail.com

Santos

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.