Fórum dos Leitores

CORRUPÇÃO

O Estado de S.Paulo

22 Julho 2012 | 03h09

A sinfonia do mensalão

Estridente, o som do julgamento do mensalão se espalha pelo País. Membros e amigos da "quadrilha" denunciada ao STF se perturbam, não dormem mais, Lula incluído, com a proximidade do dia fatal. Os arranjos entre advogados prosperam desafinados, como o blefe de jogar nas costas de Delúbio Soares toda a culpa pelos desvios milionários de recursos do erário que os picaretas embolsaram, sacando direto na boca do caixa ou levando na cueca e em malas dos ditos parlamentares evangélicos. Agora vem o TCU, na pessoa da ministra Ana Arraes, ligadíssima ao PT e mãe do governador Eduardo Campos (PSB-PE), dizer que o contrato firmado entre a agência de Marcos Valério e o Banco do Brasil (BB), no valor de R$ 153 milhões, é lícito, mesmo com as denúncias de que boa parte desses recursos supostamente abasteceu o bolso dos mensaleiros. No papel o contrato pode até ser regular. Mas não se analisou com profundidade se o valor está superfaturado, se o serviço publicitário foi de fato realizado e aonde foi parar essa dinheirama. Por essa razão a análise do TCU é inconsistente. E estranha! Tais subterfúgios de última hora, como esse do TCU, não enganam. O que o Brasil inteiro sabe é que o mensalão existiu, e as provas são contundentes. O STF não vai decepcionar a Nação, precisa condenar exemplarmente todos os corruptos. E, se bobear, até os que desse evento se beneficiaram, como Lula, o pai político desses contraventores. E vamos afinar os instrumentos da orquestra cívica, porque no mês de agosto Getúlio se despediu, Jânio renunciou e, quem sabe, o Supremo no mesmo mês dê uma resposta aos perversos da classe política brasileira: que o crime contra nossas instituições não compensa mais.

PAULO PANOSSIAN

paulopanossian@hotmail.com

São Carlos

Voto político

Às vésperas do julgamento do mensalão, marcado para começar dia 2, contrariando parecer técnico o TCU emite voto político, de Ana Arraes, tentando legitimar o esquema que envolveu elevado número de políticos. Notadamente, a decisão não configura licitude dos valores recebidos pelo caixa de campanha, muito menos pode servir de respaldo a teses dos réus que conflitem com as provas do processo. Ao que se percebe, os Tribunais de Contas (TCs) não assumem o papel de zelar pelo interesse da sociedade, mas emitem pareceres meramente no propósito de alcançar objetivos particulares. Em suma, ou se muda a nomeação do quadro dos TCs ou, não sendo possível, melhor é fechá-los, pois são destituídos de importância maior no cenário nacional de corrupção deslavada.

CARLOS HENRIQUE ABRÃO

abraoc@uol.com.br

São Paulo

Faca nas costas

Para aqueles poucos brasileiros que ainda acreditam na Justiça deste país (minúsculo, por favor), a ministra Ana Arraes, do TCU, mamãe do governador de Pernambuco, presidente do PSB, enfia a primeira faca nas costas do "inexistente" mensalão, com seu relatório em que conclui não haver problemas no acordo entre a (ou o?) DNA de Marcos Valério e o BB - relembrando que o mesmo TCU anteriormente apontara desvios nessa espúria relação. O valerioduto continua irrigando o solo árido e desprovido de moral e ética deste pobre Brasil. O metamorfose rastejante deve estar morrendo de satisfação e vendo cada vez mais próximo o resultado dessa lamentável encenação em que se transformará o julgamento do mensalão. Afinal, não só ele rasteja por estas plagas.

RENATO OTTO ORTLEPP

renatotto@hotmail.com

São Paulo

Mãe coruja

A primeira tentativa de desqualificar o mensalão é da ministra Ana Arraes, mãe do governador Eduardo Campos, aliado de Lula. Em seu parecer, diz agora que contratos de Marcos Valério com o BB são legais. Sem dúvida, uma decisão para inocentar José Dirceu e preservar o mandante do mensalão, o sr. Lula da Silva. A eleição presidencial de 2014 começa em 2 de agosto de 2012, no STF.

JOSÉ FRANCISCO PERES FRANÇA

josefranciscof@uol.com.br

Espírito Santo do Pinhal

Furto de valores

Como brasileiro comum, sinto estar sendo furtado, em valor pecuniário e em valores morais, com a decisão do TCU. A ministra Ana Arraes mostra, assim, a que veio!

EDIVELTON TADEU MENDES

etm_mblm@ig.com.br

São Paulo

Dona Ana paga a conta

Dona Ana Arraes pagou a primeira prestação da dívida a dona Dilma e ao lulopetismo por sua nomeação para o TCU. Com firulas jurídicas, pitadas de pensamento desejoso, colheradas de voluntarismo companheiro, umas forçadas de barra, na verdade, à Lula, e a adesão de outros devedores do lulopetismo em vilegiatura no TCU, decidiu que o ato seminal do mensalão, envolvendo contrato entre o famigerado Valério e o BB, é regular. Mais um passo para validar uma das maiores patifarias já praticadas no Brasil. A família Arraes presta mais um serviço à esquerda, hoje representada pelo lulopetismo. Certamente um largo sorriso iluminou os quadrilheiros. Outro sorriso, não menos exuberante, floresceu na face do ministro Lewandowski e dos demais membros do STF do PT.

ALEXANDRE DE M. MARQUES

ammarques@uol.com.br

São Paulo

União das gangues

Tudo começou com a união entre o sindicato e a guerrilha. Em seguida, uniram-se com a quadrilha do Norte e do Nordeste. Recentemente houve a união com um dos chefes da quadrilha de São Paulo. O TCU considerou legal o contrato do BB com a DNA de Marcos Valério. Agora só falta o STF julgar que o mensalão não existiu. Então, eu pergunto: a corrupção foi legalizada somente para a turma e seus aliados ou vale para todo mundo?

HAROLDO VILELA

ha-vilela@uol.com.br

São Paulo

Mancha histórica

Agosto está chegando e, com ele, o julgamento do mensalão. Seria bom que o maior traíra dos trabalhadores e aposentados de todos tempos pusesse as barbas de molho, pois, na verdade, quem estará sendo julgado é ele e seu governo, por terem proporcionado um aumento vertiginoso da corrupção, como nunca antes visto neste país. Mesmo que os 38 réus não sejam condenados, como poderá acontecer, visto que o Supremo hoje é composto em sua maioria por indicação do traíra, seu governo já estará condenado e terá como referência essa mancha histórica, que ficará incrustada para sempre na mais obscura página da História do Brasil.

JOSÉ MENDES

josemendesca@ig.com.br

Votorantim

FUTEBOL

Seleção

Simplesmente ridículo a seleção jogar com o terceiro time da Inglaterra e fingir que foi vantagem vencer. Deve ter sido ideia da CBF, a mando do governo.

CONRADO DE PAULO

conrado.paulo@uol.com.br

Bragança Paulista

 

 

Cartas selecionadas para o Fórum dos Leitores do portal estadao.com.br

 

 

ANA ARRAES

Ana Arraes, indicada ministra do Tribunal de Contas da União graças ao prestígio de seu filho , o governador de Pernambuco Eduardo Campos, mostra que é fiel aos princípios dessa republiqueta implantada pelo lulismo. Valendo-se de uma lei manhosa cujo autor é o atual ministro da Justiça José Eduardo Cardozo, e que foi sancionada em 2010 por ninguém mais que Lula da Silva, ela valeu-se dessa oportuníssima brecha legal para considerar regular o contrato milionário de publicidade da empresa DNA de Marcos Valério com o Banco do Brasil, contrato esse que servia de garantia e fonte de recursos para financiar esquema de mesadas aos políticos aliados de Lula. A lei criada por Cardozo mudou as regras que regularizavam os contratos de tal forma que , mesmo retroativa, legalizou as maracutaias executadas por Marcos Valério assim esvaziando o peso do crime que caracterizou o mensalão. Eu espero que essa manobra suja arquitetada há tempos por Lula e sua equipe de legisladores espertos seja vista claramente pelos ministros do STF como ela é: uma treta legal que visa beneficiar diretamente José Dirceu e todo o núcleo duro do PT, pois se regularizando a causa normaliza-se o efeito e deixa de existir o mensalão, como profetizou Lula da Silva. Bela contribuição foi dada pela pernambucana Ana Arraes para o futuro deste país...e garanto que nem vermelha ficou...

Mara Montezuma Assaf montezuma.scriba@gmail.com

São Paulo

*

MÃOZINHA PARA OS MENSALEIROS

A mais nova ministra do TCU, Ana Arraes, mãe do governador Eduardo Campos dá sua mãozinha em direção à impunidade dos mensaleiros. Votou junto dos demais ministros que a acompanharam contrariando o parecer técnico do tribunal que condena a agencia de publicidade DNA,de Marcos Valério em seu contrato do BB com prejuízo de R$106,2 milhões aos cofres públicos. A ministra considerou regular o contrato milionário cujas intermitências são uma das bases da acusação da Procuradoria- Geral da República contra o empresário no julgamento do mensalão. O ato nos leva a refletir o porquê de tanto empenho de seu filho para que essa senhora fosse escolhida, contando também com o apoio incondicional do governo petista. O fato causa grande estranheza, pois estamos nas vésperas do julgamento do maior roubo publico acorrido nos últimos tempos, "o mensalão do governo Lula"

Leila E. Leitão

São Paulo

*

OLHA A PIZZA!

Se alguém tinha dúvidas de que o Tribunal de Contas da União aprovaria por unanimidade o relatório da ministra Ana Arraes, o qual considera regular o "contrato milionário" da empresa "DNA" de Marcos Valério com o Banco do Brasil. Uma das bases de acusação contra o publicitário no processo do "mensalão", estava redondamente equivocado. Pois no Brasil onde temos a "política" e seus atuais "políticos", corruptos e ainda mais com o "PT" no seu comando, nada mais poderíamos esperar do que essa atitude. Portanto destruirão todas as bases que houver comprovando seus envolvimentos no "mensalão". Ou seja está sendo elaborada e manipulada a famosa "pizza" !

Angelo Tonelli angelotonelli@yahoo.com.br

São Paulo

*

CONTAGEM REGRESSIVA

Faltam poucos dias para que o mensalão seja julgado. Após tantos anos sendo empurrado com a barriga,presumo que milhares de pessoas por esse Brasil estão na expectativa desse julgamento.Torcemos para que o mesmo não se transforme numa pizza gigante.

 

Virgílio Melhado Passoni mmpassoni@gmail.com

Jandaia do Sul (PR)

*

JULGAMENTO DO MENSALÃO

Se o julgamento do mensalão for político, a CUT ameaça ir às ruas contra o STF. O que farão os brasileiros se o ministro Dias Toffoli insistir em julgar os mensaleiros? Ao que se sabe Toffoli passou 15 anos servindo o PT. Por dever de ofício deveria declarar-se impedido. É sabido que toda sentença judicial deve amparar-se nos autos do processo, dessa forma, a mais alta corte deste país não pode estar atrelada a laços afetivos, vínculos partidários ou dividas de gratidão. Está na hora de conferir se cada homem tem seu preço.

Izabel Avallone Izabel izabelavallone@gmail.com

São Paulo

*

TOFFOLI

O ministro José Antônio Dias Toffoli já deveria ter tomado a iniciativa de se declarar impedido de participar no julgamento do mensalão. Caso isso não aconteça, o Procurador Geral da República, Roberto Gurgel, deve exigir o impedimento, pelo motivo de ter sido advogado do PT quando ocorreram os fatos do mensalão e por ter sido subchefe de Assuntos Jurídicos da Casa Civil, que respondia diretamente a José Dirceu, réu do processo, na época ministro da Casa Civil. A decisão de Toffoli ou a exigência de Gurgel deve ser urgente, para que se afaste qualquer dúvida de um julgamento político.

José Wilson de Lima Costa jwlcosta@bol.com.br

São Paulo

*

MENSALÃO

Aproxima-se o julgamento do mensalão e o TCU declara legal o contrato de Marcos Valério com Banco do Brasil. Os advogados suíços da Fifa já espalharam para o mundo inteiro que suborno e propina fazem parte do salário dos brasileiros. Estamos caminhando para um "gran finale", onde Ali Babá e seus 40 mensaleiros serão inocentados e processarão a União por dano moral.

Victor Germano Pereira victorgermano@uol.com.br

São Paulo

*

ARGUMENTOS FALACIOSOS

Os meliantes com o passar dos tempos, tornam-se cínicos, e quando pegos sempre dizem: "que não fizeram nada e nada roubaram ou nada tem a declarar". Assim está a agir Delúbio, tesoureiro do PT. E a mando do núcleo duro da máfia que integra, arca com a culpabilidade, dizendo que o mensalão não passa de falácia. Que falácia hein! Que acabou virando processo, cujo julgamento no STF, acontecerá no inicio do mês de agosto.E, como ensinou o advogado do diabo ao poderoso chefão da "máfia" Lulla, já que Delúbio diz que o PT não é uma quadrilha: "não sei de nada e o mensalão nunca existiu", a mantra então é repetida, repetida, numa maneira de passar para os idiotas, que ele acha que somos todos nós, que é uma falácia, como declarou à imprensa, e um recado como intimidação as excelências do Supremo, que julgarão o processo do mensalão, e que também terão a grande oportunidade, de voltar a ter novamente a credibilidade perdida, diante de tantos julgamentos tendenciosos e insultantes à justiça. O papel, sr. Delúbio, aceita tudo, só que as provas que estão nos autos, são verdadeiras, e não esse memorial com alegações "falaciosas" de 35 linhas que seus carí$$imo$ advogados enviaram ao STF. Só uma perguntinha: como um simples professor de geografia, que ganha muito mal neste país, pode pagar advogados que são tidos no mercado, como a elite da categoria? Ah, já sei, vai responder que estão sendo pagos com recursos não contalibilizados, não é caro Delúbio!

Agnes Eckermann agneseck@yahoo.com.br

Porto Feliz

*

PODEROSO CHEFÃO

 

O Poderoso Chefão, estrategicamente, só opera nos bastidores. É o Maestro, sempre na moita e rigorosamente protegido pelos seus fiéis musicistas, sem que nada respingue nele. Tranqüilo, com sua batuta, num escudo invisível, organiza a orquestra. UNE, CUT, MST e esmoleiros, são os principais tietes, morrem de amores pelo Chefão e sua trupe, são escudeiros capazes de qualquer loucura em apoio ao Maestro. A mais famosa sinfonia, de autoria do Chefão e seus 38 co-autores musicistas, foi, a contragosto do Maestro, batizada de Mensalão. Os componentes da Corte, embora indicados pelo Chefão, são os julgadores do Festival de Malfeitos, estão constrangidos, indecisos em julgar honestamente ou satisfazer a vontade do Maestro. O Maestro crê piamente que MST, UNE, CUT e a horda de esmoleiros irão influenciar a Corte de forma ameaçadora convincente. A sinfonia e os desafinados musicistas não agradam aos entendidos em música, mas a população é incapaz de uma manifestação radical objetivando banir definitivamente tais desatinos musicais que tanto oneram sem uma contrapartida condizente, daí a Corte, sob pressão inclusive do padrinho, tende a não atender aos anseios dos mantenedores de toda a estrutura, vai decidir como o Poderoso Chefão e sua trupe quer.

Humberto Schuwartz Soares hs-soares@uol.com.br

Vila Velha (ES)

*

DELÚBIO DIZ TER AGIDO SOZINHO...

E nega mensalão... É como se um "macaco treinado" para roubar, dissesse que age sozinho.

 

Ariovaldo Batista arioba06@hotmail.com

São Bernardo do Campo

*

AFINAL, O QUE FALTA?

Estão mais que comprovadas as relações comprometedoras entre Marconi Perillo (PSDB-GO) e a cambada do Cachoeira (inclua-se, entre os da cambada o felizmente já cassado Demóstenes Torres)! E mais: está comprovado também, por meio de gravações autorizadas pela Justiça, que tais relações foram constantes e frequentes. Dessas gravações infere-se um alto grau de suspeições (para que não se diga de certezas) de que o governador da brava gente de Goiás prevaricou e praticou atos absolutamente não condizentes com os que os homens de bem devem exigir de um governador de um importantíssimo Estado da Federação. Por isso mesmo, para ser coerente com tudo o que prega, inclusive com aquilo que o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso tem escrito com certa frequência no Estadão - e, por que não dizer, para que tenham mais valia as críticas que corretamente dirige ao PT por seu comportamento de verdadeira quadrilha - é necessário que o PSDB "baixe a bola" e, concordando com a óbvia e intensa relação que Marconi Perillo manteve e certamente ainda mantém com a matilha da Delta, com Cachoeira com o próprio ex-senador Demóstenes e outros mais, expulse-o do partido. Tenham todos certeza que esse procedimento só engrandeceria o PSDB! A não ser que, sabe-se lá por qual razão, pairem no ar receios de que Perillo saia atirando com um New Rifle XK11 sul-coreano. O que viria depois da expulsão, seria problema daquele cidadão. Digo-o porque somente com esse proceder o deputado federal e presidente do PSDB, Sérgio Guerra, poderá dizer que o PSDB, sim, é um partido diferente "de tudo isso que tá aí". Outras argumentações são apenas "conversa mole para boi dormir"! Afinal de contas, ter avisado Lula de que estava em andamento o que viria a ser conhecido como o mensalão, não foi favor nenhum. Foi nada mais nada menos que uma simples obrigação que, aliás, revelou-se inútil, porque "tudo continuou como d'antes no quartel de Abrantes". Até que o então deputado Roberto Jefferson (PTB-RJ)...

João Guilherme Ortolan guiortolan@gmail.com

Bauru

*

MARCONI PERILLO

Senhores, não fica bem, a partido que se pretende sério, proteger correligionário. Quem ocupa cargo público, tem mais é que prestar esclarecimentos sobre tudo o que lhe for perguntado. Se Marconi Perillo está com a verdade como diz, teme o quê? Compareça à CPI, se convocado, e apresente suas provas.

Roberto Bruzadin bobbruza@terra.com.br

São Paulo

*

SUMIDO

Por onde andará o sumido ex-ministro da Justiça, Marcio Thomaz Bastos, defensor do desarmamento dos honestos e hoje um defensor ferrenho (por R$ 15 milhões) do bicheiro Carlinhos Cachoeira?

 

Paulo Boccato pofboccato@yahoo.com.br

São Carlos

*

MALUF NA BERLINDA

Não sou e nunca fui malufista, mas, só porque seu advogado alegou que realmente ele tinha conta em banco do exterior, fato este, antes, comentado a larga por vários órgãos da imprensa e que tomou o espaço das setes primeiras colunas do fórum dos leitores do Estadão de sexta-feira, nos leva a crer que muitos políticos corruptos, também tenham tomado idêntica atitude e que encheram à socapa, à sorrelfa, suas burras com negociatas de dinheiro público. Exemplo: o caso da compra das 19 lanchas que estão apodrecendo no estaleiro e a compra dos trens chineses, coincidentemente do mesmo numero de vagões (19), incompatíveis com a infra-estrutura do túnel, trilhos e estações, para serem usados no metrô-rio e que custaram milhões de reais para o erário nacional, como ficam? O governo não fará investigação severa para saber se parte desta fabulosa quantia não ficou em algum banco estrangeiro e em nome de alguém? É o que se espera para homenagear a justiça!

Antonio Brandileone abrandileone@uol.com.br

Assis

*

ROUBOU, MAS FEZ

O Maluf desviou dinheiro público da Prefeitura de São Paulo, mas, no entanto, seu secretariado continuou trabalhando na realização de inúmeras obras por toda a cidade. Já o Lula, além de deixar o País em situação precária, permitiu que todos os seus ministros roubassem, a começar pelo José Dirceu e os 40 ladrões que estão sendo julgados no caso do mensalão. O Maluf roubou, mas também fez totalmente contrário do Lula que além de permitir a roubalheira deixou o Brasil sem ordem, sucateou as indústrias, acabou com as estradas e aeroportos, aniquilou a saúde e piorou a educação, pois numa comparação entre 65 países, o Brasil ocupa a 52.ª posição, sendo ultrapassado até mesmo pelo Chile.

Daneil de Jesus Gonçalves

Paranavaí (PR)

*

SURRUPIADORES

No Brasil, pessoas com mais de 70 anos mesmo as que assaltaram os cofres públicos costumam ficar impunes. Será que em Jersey também é assim?

 

Virgílio Melhado Passoni mmpassoni@gmail.com

Jandaia do Sul (PR)

*

ELEIÇÕES 2012

O povo brasileiro lamenta o nível da política partidária. A corrupção tomou conta dos noticiários e o povo está indignado. Jesus foi trocado por Barrabás. Pilatos lavou as mãos e foi omisso diante da possibilidade de salvar o Salvador da humanidade. Nós não seremos omissos! Iremos responder aos verdadeiros culpados evitando votar em corruptos. Ou fazemos assim, ou seremos a herança impura para as futuras gerações. Quem vota em corrupto está sendo corrupto. Está elegendo um representante à altura de quem votou nele. Não faremos como Pilatos! Seremos justos e buscaremos a verdade mesmo que o preço seja alto. O Brasil necessita de mudanças! A mentalidade de tomar vantagem em tudo não pode prevalecer. Com a consciência tranquila de um bom voto, vamos fiscalizar as contas públicas e saber direitinho para onde vai o dinheiro dos nossos impostos. O preço da liberdade é a eterna vigilância!

 

Paulo Roberto Girão Lessa paulinhogirao@uol.com.br

Fortaleza

*

NÃO ENTENDO A LÓGICA TUCANA

Apoio do "probo" Nascimento ao Serra pode, namoro de Serra antes do Lula com Maluf ótimo, apoio do Maluf ao Alckmin é bem-vindo, apoio do Maluf a Dilma tudo bem, apoio do Maluf ao Haddad é imoral.

Wilson Haddad wilson.haddad@uol.com.br

São Paulo

*

IMITANTO A FICÇÃO

 

A imposição da candidatura de Fernando Haddad a prefeito de São Paulo por Lula lembra o filme Todo Poderoso com o fantástico Jim Carrey. Com tanto poder e sem a mínima noção, Jim fazia o que desejava e as consequências eram tragicômicas, o que vai acontecer com Haddad, seu desempenho será medíocre. Lembrando outro filme do mesmo ator, O Mentiroso, Lula poderia durante apenas um dia falar somente a verdade, antes do julgamento do mensalão. Garanto que não sobra pedra sobre pedra no governo Dilma, que é pura continuidade, piorada, do anterior. Infelizmente o mentiroso, só nas locadoras...

 

Luiz Ress Erdei gzero@zipmail.com

Osasco

*

UM FIEL SINDICALISTA

Há não muito tempo houve certo imbróglio com determinada ONG que dava assistência a meninos desamparados na zona norte de São Paulo. Essa ONG era na época administrada por gente muito próxima ao Deputado Federal Paulinho da Força Sindical (PTB/SP). O caso foi sendo abafado e desapareceu. Agora vem a notícia de que o filho do referido deputado administra órgão voltado ao trabalho e emprego do governo do Estado de São Paulo dentro do Palácio dos Bandeirantes com a evidente concordância do governador Geraldo Alckmin. Resumo da ópera: o Paulinho da Força Sindical tem é muita força pessoal e o nosso bom Governador mais parece um fiel escudeiro e atuante sindicalista.

 

José Piacsek Neto bubapiacsek@yahoo.com.br

Avanhandava

*

SERRA FALOU CERTO

José Serra diz o que muitos internautas têm o desprazer de viver todos os dias. Os espaços de opinião dos portais, as redes sociais todas estão aparelhadas por uma verdadeira tropa de choque petista, que agride, xinga, calunia, persegue os participantes e inviabiliza qualquer discussão séria. Jamais discutem idéias, e suas colocações são sempre baseadas em palavras de ordem do Partido e na repetição de factóides muitas vezes repetidos, por mais que já tenham sido desmentidos, até pela Justiça. Àqueles que não rezam por sua cartilha, estão reservadas agressões, perseguição e até ameaças. Muitos dos que escrevem aos jornais passam a receber mensagens com vírus e ataques pesados. O que esta gente faz não encontra paralelo em nenhuma democracia do mundo.

Maria Cristina Rocha Azevedo crisrochazevedo@hotmail.com

Florianópolis

 

*

REDES SOCIAIS

O Estadão publicou artigo de José Nêumanne (18/7, A2) que explicita muito bem a falta de regulação dessas redes sociais e as trata como pirataria, sem regulamentação nenhuma. Isso faz com que haja muita contradição e uma confusão provocada pela ausência de uma legislação clara e rigorosa para coibir a circulação de infâmias e anônimas em redes sociais e quaisquer veículos que acolham informações de todo tipo nos meios de comunicação, o que caracteriza pirataria.Não se sabe distinguir um dado correto de uma reles falsificação.Provedores e redes sociais devem ser tidos como meio de comunicação ,com a devida responsabilidade. Dorme na Câmara dos Deputados o Marco Regulatório para por fim a confusão a respeito da responsabilidade de provedores e redes sociais. Basta ver os casos da Xuxa e Carolina Dieckmann e outros.

Maria de Mello nina.7mello@uol.com.br

São Paulo

*

FHC

Lamentavelmente, pouco repercutiu no Brasil a distinção e reconhecimento internacional de Fernando Henrique Cardoso pelo homem intelectual, político e líder atualizado. Na verdade, em nosso país valorizamos e divulgamos muito mais as desgraças e as figuras esdrúxulas como a grande maioria dos políticos, que, aliás, nos parece ser o "modelo" na America do Sul com os "brilhantes" Chávez, Correa, Morales, Lugo, Cristina Kirchner, Lula, Sarney, Collor, Malluf, etc... Fernando Henrique foi, literalmente, o último presidente brasileiro que não nos envergonhou, pois tinha credibilidade, assessorava-se de homens sérios e técnicos competentes, num momento adverso a economia mundial, daí merecer de todo nós o respeito e estima, além do reconhecimento devido. Enquanto isso, assistimos a impostura daqueles que reprimiam, criticavam e desde a tomada do poder, passaram a pratica as "maracutaias", ou seja, vale tudo e qualquer método para se manterem no poder, com coligações absolutamente inacreditáveis e porquê não dizer imorais. O Brasil precisa reciclar seus homens públicos, pois que da safra dominante nada se recomenda.

 

João Batista Pazinato pazinato51@hotmail.com

Barueri

*

LULA

O fato de Lula estar recebendo o prêmio da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa não tem nada a ver com a "Última Flor do Lácio". A verdade é que o prêmio só pode ser em função da nossa dinheirama que ele distribuiu a rodo a muitos países africanos. E que não foi pouco! Nada como poder fazer reverência com chapéu alheio, não é mesmo?

Conrado de Paulo conrado.paulo@uol.com.br

Bragança Paulista

*

UNIFORMES OLÍMPICOS DOS EUA

Realmente os americanos estão se entregando para que outras bolhas surjam. O norte-americano Ralph Lauren noticiou que veste os atletas americanos. Perfeito. Mas, nada é tão perfeito: os novos uniformes da seleção olímpica são feitos na China. Ora, e a indústria americana de roupas?

Pedro Luís de Campos Vergueiro pedrover@matrix.com.br

São Paulo

 

*

TER CONSCIÊNCIA

Atualmente é normal vivenciarmos notícias de que homens ou mulheres foram mortos pelos próprios familiares, é normal vermos noticias de traficantes que detém policiares, quando é o contrario que deveria acontecer. É comum nos sentirmos vitimas de todo o caos mundial. Homens e mulheres matam os próprios filhos, sejam eles de famílias mais ou menos beneficiadas de poder aquisitivo, e é ai que nos fazemos à pergunta, a que ponto chegou de vivenciarmos isso? Alguns culpam e dizem que é a violência, outros o capitalismo, outros o governo e até mesmo citam religiões, mas será que as pessoas não pensam que são elas mesmas, somos nós mesmo que levamos a gerar tudo isso. Não é o governante, não é o traficante, é o ser humano que é culpado por todos esses transtornos, sejam eles políticos, ambientais, sociais, econômicos ou culturais. Culpar alguém é muito fácil, aliás, é o que temos feito ultimamente. Culpamos os outros sem pensarmos no que fazemos, em como temos nos tornados seres alienados dos problemas. Julgar os outros é tão fácil que nos faz parecer perfeitos. Todos nós queremos um dia acordar de um sonho e ver que não foi só sonho, e que todos mudamos,saímos da "bolha da alienação" e estamos modificando o modo de agir e pensar para melhor. Mas pensarmos assim, que um dia acordaremos e tudo ficara bem é uma perda de tempo, porque sabemos que mesmo que as coisas melhorem, nunca iremos vivenciar isso. Tudo depende de cada um fazer sua parte, seja ela pequena ou grande, mas precisa ser começada. Já que o mundo depende de nós, aqueles que vivem agora e possuem a consciência de que se não melhorarmos o nosso eu, alguma conseqüência teremos. O nosso eu é aquele em que somos responsáveis, pelo que fazemos e pelo o que agimos, e é esse eu que tem atrapalhado o bom e melhor desenvolvimento do mundo. Termos a consciência de que é necessário sabermos educar o futuro, que são as crianças, aquelas que são as nossas chances de termos um lugar melhor para se viver! Aqueles em que viveram o seu tempo brincando e vivendo nas ruas querem um dia que as crianças possam brincar como eles, possam aprender os valores da vida sem o risco de ser assassinado por engano, ou até mesmo de ser influenciado para o mundo das drogas. Será que um dia conseguiremos viver em um local onde não tenhamos medo de sair às ruas? Acho que todos nos já sabemos a resposta, e mesmo sabendo que não, não poderemos sair ás ruas tranquilamente, nós não fazemos nada! Mesmo quando olhamos certos candidatos políticos que nem sabem para o que realmente serve tal cargo, conseguimos rir e achar graça da tão gozada política do país. Será até quando que vamos esperar para agirmos e vamos parar de ver as conseqüências que as alienações estão nos trazendo?

Carolina Loes carolina__loes@hotmail.com

Uberlândia (MG)

*

SOSSEGO

Dizem que a noite e uma criança, mas na baixa augusta já virou ancião, de tanta bandalha e ninguém absolutamente ninguém controla.

Antonio José G. Marques a.jose@uol.com.br

São Paulo

*

FUTILIDADES

Fui surpreendido em minha casa por uma pesquisa perpetrada pela Prefeitura de Poá (SP), a respeito de uma provável mudança de nome da rua onde moro. Isso só pode ser ideia de algum iluminado. Em que pese a mazela histórica, ninguém, ou quase ninguém, sabe dizer quem foi Domingos Jorge (que dá nome à rua). Outro dia perguntei a um morador aqui da cidade, o que ele poderia dizer a respeito do Domingos Jorge, então ele respondeu: "Quem? Jogou onde?". Nessa altura do campeonato, a mudança implicaria em transtornos aos moradores, que obviamente arcariam com os gastos. Como Poá não dispõe de muitas ruas para "batismo", acho que estão querendo homenagear parentes a qualquer custo, ou procurando angariar dividendos eleitorais. O que é pior: deslocaram um veículo oficial, gastaram combustível e papel, empenharam funcionários e até poluíram o ar, para algo tão fútil.

Paulo David Nozella nozellapaulo@hotmail.com

Poá

*

VISTORIAS DE PRÉDIOS

Um projeto de lei que prevê rigor em vistorias de prédios tramita há um ano no Senado, aguardando aprovação. Enquanto isto, incêndios e desabamentos se sucedem, tirando vidas. Sabem quando o projeto será aprovado? Quando o sargento Garcia prender o Zorro.

Panayotis Poulis ppoulis46@gmail.com

Rio de Janeiro

*

FECHAMENTO DE IMÓVEIS

Tem se tornado corriqueiro o judiciário determinar multas e até o fechamento de imóveis, principalmente shoppings, construídos em desacordo com regulamentos. Verifica-se que são, em geral, grandes investidores que burlam a legislação no afã de conseguirem lucros maiores. Pior é a constatação de que eles sistematicamente corrompem funcionários da prefeitura e quiçá, autoridades maiores, para fazerem vista grossa ou fornecerem "licenças provisórias". Permissões que também são fáceis de obter na justiça. Desde sempre a "compra de fiscais" é um costume de muitos paulistanos e as medidas recentes dão a impressão de que essa prática está se tornando mais difícil, mesmo para pessoas de grandes posses. Sem dúvida é uma notícia alvissareira para o paulistano. Parece que o povo está mais culto e esclarecido, percebendo finalmente os males da corrupção. Espera-se que os investidores se tornem menos atrevidos.

Fabio Figueiredo fafig3@terra.com.br

São Paulo

*

ESTACIONAMENTOS

Segundo o Censo do IBGE de 2010, a população brasileira está ficando cada vez mais idosa e o problema da falta de estacionamentos nas cidades já é cruel. Normalmente tem se visto que as vagas para deficientes físicos são mal utilizadas. Ou estão desocupadas ou são usadas de forma indevida por motoristas não autorizados. Apesar de qualquer previsão legal, a teleologia nos indica que os Detrans possuem a exata distribuição de permissões para idosos e deficientes físicos, o que deveria redundar em uma distribuição mais proporcional destas vagas. Ao que se tem noticia, o número de idosos supera em muito o de deficientes físicos. O que se vê é que faltam estacionamentos para os idosos e sobram para os deficientes ou, as vagas são usadas irregularmente por pessoas sem esta necessidade. Esta realocação de vagas é de interesse de toda a sociedade, principalmente deste grupo da "melhor idade".

João Coelho Vítola jvitola@globo.com

Brasília

*

PROFISSÃO EM EXTINÇÃO

As faixas de pedestres devem ser respeitadas e há necessidade de que elas sejam colocadas em locais adequados à proteção dos pedestres e dos veículos. A maior parte das faixas de pedestres rentes às esquinas paulistanas não cumprem essa função. Faixas bem localizadas, distanciadas alguns metros das esquinas, são vistas na Avenida Paulista somente. Nesse caso, as faixas corretas permitem que, nas confluências, os veículos tenham espaço para fazer a conversão, parar e ceder a prioridade aos pedestres sem risco de colisão traseira com o veículo que trafega a seguir em linha reta; e, assim, minimizando o congestionamento. Nas faixas equivocadas rentes às esquinas, os pedestres caminham bem próximos ao tráfego, na perpendicular, colocando-se em risco. Os motoristas profissionais, em especial taxistas, que estão ao longo do dia trabalhando na cidade, defrontam-se o tempo todo com a péssima escolha entre adentrar a faixa de pedestres ou sofrer uma colisão na traseira de seu veículo. As multas e suas respectivas pontuações ou as despesas em funilaria, associadas à impossibilidade de trabalhar, podem vir a colocar essa profissão em extinção. Só ganha a famosa indústria da multa. Há necessidade de a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) estudar e remanejar as faixas de pedestres nas áreas com maior tráfego compatibilizando-as à proteção de todos os usuários da cidade.

Suely Mandelbaum suely.m@terra.com.br

São Paulo

*

IRONIA DA JUSTIÇA

Vejam só a ironia da justiça brasileira: verdadeiros monstros marginais estupram e assassinam uma criança desprotegida da segurança pública e são protegidos da fúria da população por policiais que os levam para o presídio. Lá passam a viver à custa dos nossos impostos. Cada marginal desse, custa ao Estado mensalmente mais do que ganha um trabalhador pai de família. Precisamos modificar as leis do nosso país, chegando se preciso até a pena de morte.

Cláudio de Melo Silva melo_riodoce@hotmail.com

Olinda (PE)

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.