Fórum dos Leitores

MENSALÃO DO PT

O Estado de S.Paulo

01 Agosto 2012 | 03h11

Cheiro de pizza no ar

Manchete do Estadão de ontem: Com apoio de Lula, Toffoli decide julgar o mensalão. Podem anotar: uma enorme pizza com 38 sabores já está no forno! Pena que nesse caso não haja nenhum caseiro envolvido, senão estaria fácil colocá-lo como bode expiatório, como já aconteceu no passado... Será que uma suprema vergonha nos aguarda?

JOSÉ MILTON GALINDO

galindo52@hotmail.com

Eldorado

Resultado

Amigo do boquirroto-mor, ex-advogado do PT, assessor jurídico da Casa Civil quando ministro o "maior guerreiro" do Brasil (rs) e seu advogado em "outros casos", Toffoli decide julgar o mensalão, com o apoio do chefe da "quadrilha". E alguém ainda dúvida do resultado dessa farsa?

RENATO OTTO ORTLEPP

renatotto@hotmail.com

São Paulo

Nada de novo

Essa manchete de ontem não traz nenhuma novidade. Como também, para militante do PT - partido que só tem projeto de poder -, conflito de interesses é algo inexistente, uma vez que só existe o interesse partidário.

CARLOS BARROS DE MOURA

carlos@barrosdemoura.com.br

São Paulo

'Assim decido'

Com "apoio" de Lula, Toffoli "decide" julgar o mensalão. Ora, se o mensalão é do Lula e este nomeou o dito-cujo, que fez carreira no partido e com o chefe da "quadrilha", o que se espera é que venha a ser dele o voto de Minerva, caso necessário. Paga-se aqui mesmo o favor recebido. O que causa estranheza é que, apesar de todo o vínculo que o torna inquestionavelmente suspeitíssimo na banca julgadora, os colegas aceitam isso com naturalidade, fechando os olhos para a lei. E o País, novamente de joelhos, cala e consente. Pobre Brasil, reduzido à lama e sem defesa à vista.

RONALDO PARISI

rparisi@uol.com.br

São Paulo

Acerto de contas

Alguém acreditou que a "indicação" de Toffoli para o STF, feita pelo PT via Lulla, não seria um dia cobrada? Pois é, chegou a hora de acertar as contas e liquidar a fatura, como se diz. A dúvida agora é: será que alguém, além da Velhinha de Taubaté, acredita que seu voto será imparcial, técnico e livre de influência política?

HELEO POHLMANN BRAGA

heleo.braga@hotmail.com

Ribeirão Preto

Veredicto sob suspeita

O ministro Dias Toffoli errou ao não ficar fora do julgamento do escândalo do mensalão. Como ex-advogado do PT, é óbvio que não tem as devidas isenção e imparcialidade para julgar tal ação, que envolve vários integrantes da cúpula petista. Se dentro da legalidade Toffoli está autorizado a julgar, nos campos ético e moral deveria abster-se. Se ele votar - como tudo indica - pela absolvição dos réus, seu veredicto estará naturalmente sob suspeita.

RENATO KHAIR

renatokhair@uol.com.br

São Paulo

Impedimento ético

Sob quais condições o ministro Toffoli se consideraria impedido de participar de um julgamento? Tudo leva a crer que ele vá retribuir, a favor do PT, a nomeação que o alçou ao cargo mais alto do Judiciário brasileiro, este, sim, o principal responsável por quase tudo o que está por aí...

MEIER STRENGEROWSKI

mauro@opeco.com.br

São Paulo

Só ele não vê...

O ilustre ministro José Antonio Dias Toffoli até pode não ver motivos para se declarar impedido de julgar o mensalão. Só que o resto do mundo vê.

LAZAR KRYM

lkrym@terra.com.br

São Paulo

Frouxos de riso

Se Toffoli não vê mal algum, os mensaleiros já podem cair na gargalhada: foi decretado o circo e fomos convidados (mais uma vez) a ser os palhaços.

ROBERTO CASTIGLIONI

rocastiglioni@hotmail.com

Santo André

Conhecimento privilegiado

Tendo sido advogado do PT e de acusados do mensalão, o ministro Dias Toffoli deve ter conhecimento privilegiado de réus do processo e, possivelmente, da forma como ocorreu o imoral esbanjamento de dinheiro público, que deveria ter ido para escolas, hospitais, segurança, estradas, etc., etc. Uma vez que ele não se julgue impedido, esperemos que use esse conhecimento de forma correta, para justificar sua elevação ao cargo que ocupa no tribunal.

WILSON SCARPELLI

wiscar@estadao.com.br

Cotia

Empréstimos

Parabéns pelo excelente caderno de domingo sobre o mensalão. Show de bola! Mas ficou uma dúvida: se as alegações são de que foram feitos empréstimos legais em bancos, esses valores já foram devolvidos, ou seja, os empréstimos foram quitados?

AURELIO JOSÉ RIGHETTO

aureliorighetto@hotmail.com

Joinville (SC)

Adiamento

Os jornais destacaram ontem mais uma tentativa de adiar o julgamento do mensalão, com pedido para melhor exame dos autos. E quem é o autor do pleito? Márcio Thomaz Bastos, ex-ministro da Justiça de Lula, que bancou a nomeação da maioria dos ministros do STF. Acredite se quiser...

PAULO MAIA COSTA JÚNIOR

paulomaiacjr@hotmail.com

São José dos Campos

Cachoeira x mensaleiros

Será que a saída do advogado Márcio Thomaz Bastos do caso Cachoeira tem alguma ligação com o início do julgamento do mensalão, em que figuras históricas do PT podem ir para trás das grades?

PAUL FOREST

paulforest@uol.com,br

São Paulo

Orfandade

Com a ausência de Lula, que deveria encabeçar a lista de réus, com a presença entre os julgadores de um ex-advogado do PT e ex-assessor de José Dirceu e com um ex-ministro da Justiça do governo petista entre os defensores, o julgamento do mensalão começará órfão de algo cada vez mais raro na sociedade brasileira: moral.

SERGIO SARAIVA RIDEL

sergiosridel@ig.com.br

São Paulo

CORREÇÃO

O artigo A regularização do trabalho cooperado (31/7, B2), publicado como de autoria apenas de José Pastore, é assinado também por José Eduardo Gibello Pastore, advogado trabalhista.

Cartas selecionadas para o Fórum dos Leitores do portal estadao.com.br

THOMAZ BASTOS DEIXA DEFESA DE CACHOEIRA

O ex-ministro da Justiça do desgoverno do ex-presidente e advogado constituído para defender o contraventor Carlinhos Cachoeira, depois de pouco mais de cinco meses da prisão do seu cliente pede a desistência do processo. Por que será? O simples fato de ter aceitado a defesa pegou muito mal para um ex-ministro da Justiça, tudo uma questão de intere$$es. E agora, como fica? Pelo visto vai a$$e$$orar os mensaleiros, que devem ter mais "bala", são seus conhecidos e grandes "amigos". A coisa está preta, nem com "reza braba", não tem mais salvação, para felicidade dos brasileiros!

Luiz Dias lfd.silva@2me.com.br

São Paulo

*

MEU DEUS!

Márcio Thomaz Bastos deixou a defesa de Carlinhos Cachoeira. O advogado, que entre os colegas tem apelido de God, igual a Deus, que escreve certo por linhas tortas, faz a coisa certa pelo motivo torto: diante da atuação de um ex-ministro da Justiça num caso onde as provas foram produzidas pela Policia Federal, grosseria de bicheiro insatisfeito com a relação custo / beneficio do serviço e o de menos.

Léo Coutinho leo.coutinho@uol.com.br

São Paulo

*

UMA SURPRESA SURPREENDENTE

Márcio Thomaz Bastos finalmente percebeu que Carlos Augusto de Almeida Ramos não é um cidadão confiável e probo.

Helena Rodarte Costa Valente helenacv@uol.com.br

Rio de Janeiro

*

THOMAZ BASTOS PULA FORA DO CASO CACHOEIRA

O grande mago da advocacia e ex-ministro "pulou fora do caso Cachoeira" . Por que será, hein? Será que o Cachoeira ia dar cano nos R$ 15 milhões ?

Fernando Pastore Junior fernandopastorejr@gmail.com

São Paulo

*

MOTIVOS

Márcio Thomaz Bastos, criminalista de peso e tradicional petista, resolveu abandonar a defesa de Carlinhos Cachoeira. Especulando, seguem os prováveis motivos: Cachoeira resolveu abrir a boca como disse sua esposa no Fantástico, que irá respingar em toda a República e seu tempo disponível será para defendê-los; depois que a Justiça confiscou tudo do contraventor, não restou dinheiro para pagar seu polpudo honorário e quem trabalha de graça é relógio; não conseguiu habeas corpus para Cachoeira, nem com toda a sua influência de ex-ministro e foi sumariamente demitido; brigou com a mulher de Cachoeira que resolveu meter os pés pelas mãos ao tentar chantagear juízes, contrariando suas determinações; depois que a Policia Federal confiscou computadores, tablets e celulares da esposa de Cachoeira, coisas comprometedoras podem ofuscar a imagem de "grande criminalista" já que Cachoeira tem em seu poder provas que remetem a mais de 10 anos pegando pecados até do proeminente advogado quando ministro da Justiça; saiu para ter tempo de defender a "quadrilha" petralha no julgamento do mensalão. Sei que motivos justos não faltam quando está em jogo a defesa da "quadrilha" que nos governa e o ministro Thomaz Bastos sabe como ninguém mexer no tabuleiro de xadrez.

Beatriz Campos beatriz.campos@uol.com.br

São Paulo

*

PERGUNTINHA

Perguntar não ofende: onde estava o sr. Márcio Thomaz Bastos, então advogado de Carlos Cachoeira e de mensaleiros de peso, quando a sra. Cachoeira resolveu chantagear um juiz?

Maria Cristina Rocha Azevedo crisrochazevedo@hotmail.com

Florianópolis

*

BONNIE AND CLYDE CACHOEIRA

Defender Ali Babá e os quarenta mensaleiros vai requerer dedicação integral ou caiu a ficha do super advogado Márcio Thomaz Bastos em relação ao casal Cachoeira?

Victor Germano Pereira victorgermano@uol.com.br

São Paulo

*

SAÍDA ESTRATÉGICA

O ministro Márcio Thomaz Bastos encontrou uma saída honrosa para declinar o patrocínio, que nunca deveria ter assumido, de Carlos Cachoeira por causa da tentativa de chantagem a um magistrado federal, praticada pela esposa do contraventor.

Decio Pedroso dapedros@terra.com.br

Mauá

*

TODOS SERÃO JULGADOS

O ministro Marco Aurelio Mello do Supremo Tribunal Federal (STF) afirmou que "nem o Supremo Tribunal Federal nem o Lula estão em julgamento". Eu, como simples cidadão, afirmo que ambos estão sendo julgados pelo povo, pelo que fizeram e ainda vão fazer contra a nossa vontade soberana. O Lula, mentindo e comandando todos os malfeitos, e o STF, inocentando todos os que estão continuamente dilapidando os valores morais e financeiros deste país.

Alberto Bastos Cardoso de Carvalho albcc@ig.com.br

São Paulo

*

O CASO ANDRESSA

Leio, como todos, a abordagem de Andressa Mendonça ao juiz Alderico Rocha Santos, que conduz o caso Cachoeira. Surpreende-me o tratamento que vem sendo dado ao ato ao se pretender importe ele crime de corrupção ativa, previsto no artigo 333 do Código Penal. O delito, porém, é outro, tratando-se de extorsão, cujo tipo está descrito no artigo 158 da mesma Lei Penal, punível com reclusão de 4 a 10 anos e multa. Na hipótese, Andressa teria exigido do juiz a soltura e a absolvição de Cachoeira, sob pena de fazer publicar acusações infamantes contra ele. Poucos autores admitem a forma tentada do crime de extorsão. A maioria deles, como os Tribunais do país, entende não ser possível a tentativa, por se tratar de crime formal, que se completa com a ameaça. Embora mereça aplausos a conduta do juiz, pareceu-me ser ela condescendente, face ao estado de flagrância em que se encontrava Andressa no momento da ameaça, o que impunha sua prisão em flagrante. Circulou, também, no dia de hoje, a renúncia do advogado Márcio Thomaz Bastos e sua equipe ao patrocínio de Carlos Cachoeira. Márcio teria declarado a desvinculação da renúncia ao episódio que envolveu Andressa. No entanto, permito-me crer que esse episódio foi o móvel do seu afastamento. Outra coisa não poderia ter sido feita por ele, sobre quem pesaria a suspeita de induzimento à conduta criminosa atribuída a Andressa, se acaso permanecesse no patrocínio.

Kleber Amancio Costa kleber.amancio@uol.com.br

São Paulo

*

AZEITE MINHA VOZINHA

Andressa Mendonça, mulher de Carlinhos Cachoeira, tentou corromper o Juiz Federal responsável pela operação Monte Carlo,Alderico Rocha Santos. Andressa esteve no gabinete do juiz para tentar obter revogação da prisão e a absolvição do marido. Segundo o Juiz, Vanessa havia afirmado ter um "dossiê", naturalmente elaborado nas oficinas do PT, e que seria divulgado pela revista "Veja", caso não fosse atendida. Andressa foi surpreendida em casa pela Polícia Federal, quando ainda estava dormindo. Para não ser presa terá que pagar fiança de R$100 mil. O que chama a atenção nos dias de petismo é que a ética e os bons costumes estão de tal forma deteriorados o que seria um ato de extrema coragem e um crime hediondo, hoje, segundo rumores pela imprensa transformam algumas togas em bazar de negócios onde a lei veste uma roupagem conforme as cifras que lhe cubram a nudez.

Jair Gomes Coelho jairgcoelho@gmail.com

Vassouras (RJ)

*

IMAGINA...

Leio nos jornais que o Ministério Público Federal acha que Andressa Mendonça - namorada de Carlinhos Cachoeira é mensageira do grupo criminoso chefiado pelo bicheiro . Ahhh vá...sério?! De onde o MPF tirou essa idéia?

Paulo Ribeiro de Carvalho Jr. paulorcc@uol.com.br

São Paulo

*

LADY FALL

Se a mulher do Cachoeira, já famosa por ser a musa da canalhice ou Lady Fall, tem a cara de pau de cantar, no bom sentido, um juiz federal, podemos imaginar o que esta atrás desse pessoal da pesadíssima. Quantos políticos do alto escalão e, sem dúvida, do ético governo de Goiás, Rio de Janeiro e filiais estão envolvidos até os pelos da cabeça? Se o metido a ético ator Stepan Nercessian pegou R$ 170 mil , sendo político no Rio de Janeiro,o que aqueles que estão perto da base da corrupção,Goiás, não pegaram? E o "Demonióstenes" ainda teve a cara de pau de dizer que e inocente, são faltou dizer "não me deixem sozinho, não me abandonem. Qual será o fim disso? Quanta bandalha,quanto canalha,quantos crápulas e um monte de advogados enchendo a burra de dinheiro sujo e que foi afanado de gente honesta. Esses advogados que escondem crápulas como o dr. Roger, aquele que um dia me disse: "Olhos nos olhos,você tem de pagar em dólares". Eu o conheci quando ainda estava começando na Brigadeiro Luis Antônio. Só podem ser Digenios do mal, pois esses advogados deveriam sim ser processados e acabar com a impunidade dos ricos.

Antonio José G.Marques a.jose@uol.com.br

São Paulo

*

CPMI - ÁRIA

A musa tentou cantar de sereia. Desafinou...

A. Fernandes standyball@hotmail.com

São Paulo

*

MUSA

E agora, Andressa Mendonça, chamada musa do Cachoeira vai ser processada pela tentativa de chantagem ao juiz do juiz Alderico Rocha Santos. Chama-me a atenção o vulgar hábito da imprensa de banalizar o tratamento a certas pessoas, no caso mulheres, apenas porque têm aparência de bonitas. Com que cara os jornalistas que brincaram com a imagem da esposa do presidiário Carlos Augusto Ramos, vulgo Carlinhos Cachoeira, vão ficar agora que ela está sendo acusada de chantagear o juiz Alderico Rocha Santos? A imprensa, para ter confiabilidade, não deve vulgarizar o tratamento de pessoas, seja esposa de deputado, de senador ou outra pessoa com imagem manchada por suspeita de crime.

João Batista Chamadoira jbchama@faac.unesp.br

Bauru

*

COMO MELHORAR O CURRÍCULO

É sabido que "dize-me com quem andas e te direi quem és". Então de dona Andressa não se poderia esperar outra coisa. Afinal, mulher de peixe, peixinho é, né? Até o marido ser preso ninguém a conhecia. Começou a aparecer na mídia e, então, parece que gostou da exibição. Daí, foi um pulo, vir a manifestar a pretensão de se candidatar a um cargo político. Em seguida, na pressa, volta a parecer. Desta vez porque foi detida sob a suspeita de tentar corromper um juiz. Se considerarmos o que se pensa da maioria dos políticos, essa recente aparição de dona Andressa nada mais foi, parece, do que uma forma de aprimorar o seu currículo.

Pedro Luís de Campos Vergueiro pedrover@matrix.com.br

São Paulo

*

ATIROU NO QUE VIU E ACERTOU NO QUE NÃO VIU

A bela Andressa Mendonça "atirou" no juiz da 11.ª Vara da Justiça federal, em Goiás, Alderico Rocha Santos e "acertou" no advogado Márcio Thomaz Bastos que defendia o seu noivo Carlinhos Cachoeira. Resta saber quem vai "atirar" em quem para "acertar" no advogado criminalista, José Luiz Oliveira Lima, defensor do ex-ministro José Dirceu de Oliveira e Silva.

Sergio S. de Oliveira ssoliveira@netsite.com.br

Monte Santo de Minas (MG)

*

LULA FEZ IGUAL COM RESULTADO DIFERENTE...

E a esposa do Cachoeira foi parar na delegacia por chantagear um juiz, hein?

Ricardo Marin s1estudio@ig.com.br

Osasco

*

MENSALÃO

Lula, nos bastidores do Supremo Tribunal Federal (STF), já iniciou sua manipulações quando fez com que o ministro José António Dias Toffoli, fosse o sexto membro da Corte por ele indicados para julgar o famigerado caso "mensalão". Ou seja com mais dois indicados por Dilma Rousseff, um indicado por José Sarney e um indicado por Fernando Collor de Mello. Dessa forma, está completa a equipe para a elaboração da "pizza-mor".

Às vésperas do início do julgamento do mensalão, já iniciaram as "histórias das carochinhas", onde a defesa de José Dirceu vai alegar simplesmente que o mensalão é uma história montada por Roberto Geverson, José Genoino alegando que não comandava finanças petistas. Sendo que a mais grossa, petulante e agressiva foi a revelação de Lula quando disse não saber nada disso, sendo que tudo ocorria de : "baixo de sua barba" !

Angelo Tonelli angelotonelli@yahoo.com.br

São Paulo

*

TOFFOLI

É para não acreditar. Toffoli deveria se declarar impedido, sem sombra de dúvidas,pois, como todos sabem, é amigo de Dirceu e foi seu assessor quando este navegava pela Casa Civil da Presidência. Pode ser que até tenha tido conhecimento dos fatos,

enquanto eles aconteciam. Foi também advogado do PT, é amigo de Lula e foi por este indicado para o STF. Isso nada mais é do que falta de compostura, de dignidade, e porque não dizer, de vergonha na cara. Julgar o mensalão, é o mesmo que julgar a

própria mãe (ou pai), no caso desse ministro. Uma vez mais vemos a política do PT invadindo o Judiciário... quousque tanden.

Carlos E. Barros Rodrigues ceb.rodrigues@hotmail.com

São Paulo

*

CASTIGO

Após ter sido advogado do PT, "chegadão" a Lula principal beneficiado pelo mensalão; assessor jurídico da Casa Civil quando José Dirceu (chefinho do mensalão) era ministro de Lula (chefão); ex-advogado de José Dirceu em outros casos; ex-sócio da sua namorada Roberta Rangel, que defendeu outros acusados; ministro nomeado politicamente por Lula para o STF, dizer que "não existe impedimento" no julgamento que se aproxima, só pode ser mesmo brincadeira de mau gosto, para não dizer esculhambação geral. Por muito menos, outros magistrados ficam impedidos de atuar em certos processos. Os brasileiros honestos e de fato trabalhadores, não merecem tal castigo. Pobre Brasil!

Éllis A. Oliveira elliscnh@estadao.com.br

Cunha

*

DESFAÇATEZ

Na língua portuguesa existe uma palavra que qualifica a decisão do ministro Dias Toffoli de participar do julgamento do mensalão: desfaçatez! Que o Aurélio conceitua como falta de vergonha, descaramento, impudor, cinismo, e que o dicionário Michaelis define como atrevimento, cinismo, desvergonha, impudência e insolência!

Eugênio José Alati eugeniojosealati@yahoo.com.br

Campinas

*

IMPARCIALIDADE IMPERIOSA

É uma evidência que a imparcialidade é um requisito imperioso em qualquer julgamento no âmbito de justiça. Entretanto, a pergunta no momento que se faz necessária é esta: quem foi advogado do PT, amigo do Lula e também do José Dirceu, foi assessor jurídico da Casa Civil durante o mandato de Dirceu, sendo este, portanto seu chefe. Participou de forma societária de um escritório de advocacia que defendeu vários réus incursos nos crimes do mensalão, pode então o senhor ministro do STF José Antônio Dias Toffoli, participar de forma isenta e imparcial no julgamento do mensalão? Os mandamentos sagrados da imparcialidade dizem que não. Assim sendo, a nosso ver, sua exa. deveria julgar-se impedido de participar de um julgamento que terá seu lugar nos anais da história do Brasil.

Francisco Zardetto fzardetto@uol.com.br

São Paulo

*

LAMENTÁVEL

É impossível que após tanto envolvimento alguém possa se considerar isento. Ao se posicionar dessa maneira, Toffoli assinou um atestado que deixará dúvidas a todas as suas participações da mais alta corte. É lamentável!

Gilberto Dib gilberto@dib.com.br

São Paulo

*

UMA ICÓGNITA?

O mais jovem ministro do Supremo Tribunal Federal, Dias Toffoli, queridinho do "capo" José Dirceu, que ocupou vários cargos dentro do PT; na Câmara como assessor parlamentar da liderança do PT, Nomeado em 2007 Advogado-geral da União, exercendo a função de advogado do PT nas campanhas de Lula em 1998, 2002 e 2006, e ocupou o cargo de subchefe para assuntos jurídicos da Casa Civil, de 2003 a 2005, culminando com Lulla indicando-o para ministro do STF, para a vaga do falecido ministro Meneses Direito em maio de 2012.Além de ter sido advogado do "capo" José Dirceu (acusado de chefe de "quadrilha" no processo do mensalão) em alguns processos. E, com a proximidade do julgamento do famoso mensalão, Toffoli diz em "off" que não vê motivos para se declarar impedido. Lógico! ele não tem interesses, e nem conhece nenhum dos réus, portanto julgará com imparcialidade. Mas, sempre tem um mas, foi defensor de alguns réus envolvidos no mensalão, e faz questão de ignorar o que diz os artigos 134 e 135 do Código de Processo Civil, onde se encaixam bem seu impedimento para julgar o rumoroso caso... Veremos se vai julgar sem ideologia, com total imparcialidade e consciência, vendo o mal que esses 38 réus fizeram para o País, ou se irá pagar a indicação do cargo, jogando sua reputação no lixo, ao livrar os réus de todas as acusações.

Agnes Eckermann agneseck@yahoo.com.br

Porto Feliz

*

SCRIPT DESENHADO

Seja qual for o resultado do julgamento do mensalão no STF, os

mentores e cabeças dessa corrupção histórica sairão impunes. O script já está desenhado desde o início. O STF só vai condenar os bodes expiatórios escolhidos pelo lulopetismo.

Francisco José Sidoti fransidoti@gmail.com

São Paulo

*

DOCE INGENUIDADE

O ministro do Supremo Tribunal Federal, José Antonio Dias Toffoli, embora carregado de suspeição, como é do conhecimento geral, decidiu que irá participar do julgamento do famigerado mensalão, suspeição esta, pelos cargos que exerceu no governo lulista. Hoje, segundo noticia o Estadão, o aludido ministro, ou por ingenuidade, ou outra interpretação, ratificou sua suspeição, ao declarar em conversa reservada, que o ex-presidente lula "o tem incentivado a não se declarar impedido" meu deus, que santa ingenuidade! Que antecipação de voto extra-autos! Será que lula ainda tem vis compulsiva - (força compulsiva, coação moral), para ameaçar gravemente alguém para fazer ou deixar de fazer alguma coisa? "Aos fracos, sim, aos fortes não, só cabe exultá-los"

Antonio Brandileone

Assis

*

QUAL O INTERESSE?

Com apoio de Lula e aval de colegas do Supremo,Toffoli vai julgar mensalão. Apesar dos pesares (...), se a lei permite, a decisão do ministro está certa, mas qual o interesse do ex-presidente apoiar o ministro, em questão, para que ele também julgue?

Rubens Stock rsstock@uol.com.br

São Paulo

*

IMPEDIMENTO ÉTICO

Causa-nos espanto a desfaçatez dos petistas, com raríssimas exceções. Para aqueles não há limites de ordem ético-moral, provavelmente, nesta ordem situa-se a posição do sr. José Antônio Dias Toffoli. E por quê? Porque, com certeza, nunca deve ter lido nem o mais simples manual de ética. Portanto, exigir-lhe conhecer no campo da ética os aspectos da moral e do Direito estaria além de sua capacidade intelectual. Como supor que, algum dia tenha lido algo sobre a ética aristotélica... Falar-lhe dos planos éticos da ciência, da tecnologia, e, sobretudo, do direito neste nosso século, como os coloca Jankevicius, nem pensar possa ele ter tomado algum dia, algum contato com essa matéria relevante da bioética. Daí, julgar-se livre e desimpedido, como um pássaro voa pelo espaço, para julgar acima de quaisquer compromissos ético-morais o que, popularmente, ficou sendo conhecido como mensalão. Profundamente lamentável essa atitude, que, ao final, desmoraliza, sim, o Supremo Tribunal Federal como um todo, pelo despreparo desse cidadão, já não digo, de notável saber jurídico, se não de cinismo comprometido. Mas essa indignação e esse amargor terminemo-los em doçura: ganha um pão de açúcar inteiro quem adivinhar qual será o voto desse ministro.

Flávio Alberto Cezário facezario@uol.com.br

Presidente Prudente

*

A SERVIÇO DE QUEM?

Se o ministro Toffoli vai ou não participar do julgamento do mensalão é uma preocupação que não deveria partir do cidadão e sim do que diz a lei e o bom senso do ministro. Levando-se em conta que neste país a lei só é levada a sério para punir aqueles que não têm condições de se defender, caberá aos brasileiros o julgamento do ministro após o julgamento. Se Toffoli julgar o mensalão, e votar a favor da condenação dos réus nada lhe acontecerá profissionalmente, pois seu cargo é vitalício e ninguém o tirará de lá, perder amigos de um lado, conquistará de outro. Se votar contra a condenação estará caracterizada a sua indicação e marcada sua atuação. Se os ministros do STF estão no cargo para atuar a favor da justiça é o que veremos logo mais. O julgamento do mensalão passará para a história e com ele seus ministros. Para que as indicações de ministros do STF não fiquem parecendo que são indicações feitas na base de interesse do governo por que não mudar o critério das escolhas? Essa providência já passou da hora.

Izabel Avallone izabelavallone@gmail.com

São Paulo

*

O BEM DA ÉTICA

Tendo em conta que até a indicação para o Supremo Tribunal Federal do hoje ministro José Antônio Dias Toffoli foi muito criticada tendo-se em vista sua pouca experiência e sua larga atividade ligada ao Partido dos Trabalhadores, e para não ser justo ele visto como um instrumento da despudorada campanha do Lula que considera uma farsa todo o processo do "Mensalão", sem contar que a ética manda que mais que ser isento no julgamento o julgador tem que parecer isento no assunto, ele deve mesmo, para o bem da ética em nosso meio, é declinar da condição de julgador desse caso; como já sugere o professor de ética Roberto Romano. Afinal toda a sua vida dedicada ao Partido dos Trabalhadores, inclusive seu envolvimento muito próximo até bem recentemente com os envolvidos, indica que aquela condicionante ética não está sendo atendida.

José Elias Laier joseeliaslaier@gmail.com

São Carlos

*

O ÓVIO ULULANTE

Seria o Toffoli pau mandado? Não parece u"lula"nte obviedade?

José Jorge Ribeiro da Silva jjribeiros@yahoo.com.br

Campinas

*

VALE TUDO

Toffoli, apoiado por Lula, não vê impedimento para participar do julgamento do mensalão. Surpresa seria se visse, pois está mais do que evidente de que este moço só foi indicado por Lula para preencher uma vaga do Supremo Tribunal Federal, sem nem mesmo preencher as exigências mínimas exigidas, para fazer um servicinho sujo: chegar à conclusão de que o mensalão nunca existiu e declarar inocente a petralhada toda , encabeçada pelo sinistro José Dirceu. Acho que ser obrigada a aceitar o PT no poder através da via democrática das urnas é um exercício de paciência que me foi imposto e que tenho obrigação de aceitar. Porém, assistir inerte à farsa deste julgamento levado à avante por maioria de juízes escolhidos por Lula, tendo já o ex-presidente declarado qual deve ser o único desfecho que ele admite para o bem de sua "biografia"...isso não é possível. Pelo manutenção e pelo bem das instituições democráticas brasileiras temos que deixar bem claro que a impunidade deste grupo significará o fim da democracia e a oficialização do "vale-tudo" pelo governo petista . Por outro lado, significará também a desobrigação ,de nossa parte do tal exercício democrático de paciência, portanto, dali para frente...o vale tudo será geral, o que quer que isso signifique para todos e para cada um de nós...ok?

Mara Montezuma Assaf montezuma.scriba@gmail.com

São Paulo

*

O OLHAR DE SOBERBA

Basta ver a foto na página A4 da edição de ontem e perceber que o ministro Toffoli não desistirá de participar do julgamento do "mensalão". O olhar de soberba soa como desafio ao País e confirma sua intenção. Ele, num gesto de humildade poderia declarar-se impedido nesse caso, mas a divida para com o Lula que o nomeou para o cargo obriga sua participação e mesmo sem esse ministro, o restante do quadro do STF tem numero suficiente para inocentar o grupo do "mensalão" . Surpresa será algum ser penalizado.

Laércio Zannini arsene@uol.com.br

São Paulo

*

NADA REPUBLICANO

Esta manchete do Estadão (31/7) com o título: "Com apoio de Lula, Toffoli decide julgar o mensalão", demonstra como o ex-presidente não assimilou a importância do cargo que ocupou por oito anos no Palácio do Planalto. Mais constrangedor ainda para o Lula, porque incentiva um ex- servidor do PT, que é o Toffoli, para julgar uma causa em que estão envolvidos por corrupção boa parte da cúpula petista, a tal da "quadrilha" do mensalão. Ou seja, um ex-presidente defendendo amigos que surrupiaram em seu governo o dinheiro dos contribuintes! É uma excrescência, ou melhor, uma decadência de um homem público que frustra aqueles milhões de eleitores que ainda lhe conferem alta popularidade...

Paulo Panossian paulopanossian@hotmail.com

São Carlos

*

GRATIDÃO COM GRATIDÃO SE PAGA

A notícia de que com o apoio de Lula, Toffoli decide julgar o "mensalão", nos faz pensar que com essa credencial fica difícil acreditar na verdadeira isenção do "jovem" ministro. Se, se ativesse às normas estabelecidas de impedimento, tão claras pra nós leigos, sua atitude poderia ser irrepreensível. Com certeza gratidão, com gratidão se paga.

Leila E. Leitão

São Paulo

*

DEMOCRACIA

Dias Toffoli, aquele que chegou ao topo sem nunca ter exercido a profissão - inclusive foi reprovado nas duas vezes que tentou ser juiz em Primeira Instância - não se julga nem um pouco conflitado para julgar o Mensalão, apesar de ter sido advogado do PT por muitos anos e assessor direto do principal acusado de ser o chefe da "quadrilha" por ninguém menos que o Procurador Geral da República. Hora do pagamento. É a raposa tomando conta do galinheiro, e todos, absolutamente todos fazendo cara de paisagem... Estamos vendo a ditadura de esquerda disfarçada de democracia cada vez mais consolidada: controle do judiciário, do legislativo, dos meios de comunicação e migalhas pro povão, enquanto a roubalheira corre solta. A vida na propaganda estatal, fartíssima em verbas sem controle, é linda, não existem hospitais falidos, escolas podres, violência desenfreada, falta de saneamento básico, infraestrutura e tantos outros problemas sérios. Olhando nossos vizinhos sabemos os próximos passos: o lento mas crescente intervencionismo estatal no setor privado (os trouxas), que achou tudo lindo enquanto recebia subsídios via BNDES. Queremos virar a Venezuela ou Cuba?

Renato Vercesi renatove@gmail.com

São Paulo

*

TENDENCIOSO

Vedado ao povo brasileiro o direito de recurso contra a presença de Toffoli no julgamento do mensalão.

Roberto Twiaschor rtwiaschor@uol.com.br

São Paulo

*

FINAL CONHECIDO

Como será possível um julgamento justo se o ministro Toffoli, aquele que é ministro sem nunca ter passado num concurso público e já foi advogado do PT e assessor do Zé Dirceu; se o ministro Lewandowski foi indicado pela ex-primeira-dama Marisa Leticia já que ambas as famílias são amigas de São Bernardo do Campo e se o ministro Fux foi indicado pela Mãe do PAC e pelo governador do Rio de Janeiro? É fácil saber o resultado que estes três senhores darão no julgamento do mensalão. O pior é que os membros do PT, Rui Falcão, Lulla, Zé Dirceu, e o Wagner da CUT estão pressionando os demais ministros do STF para que o julgamento não tenha caráter político. O resultado, infelizmente, o povo brasileiro já está aguardando pelo final conhecido .

Antonio Carelli Filho palestrino1949@hotmail.com

Taubaté

*

EXAGERO DE PÁGINAS

No julgamento do mensalão, seja qual for os resultados ,se abrirá um novo paradigma na Justiça e na política brasileira.Mesmo não possuindo conhecimento nenhum ao que se refere as leis,presumo que mesmo sendo um fato com tamanha complexidade não seria necessário um processo com 50 mil páginas para se chegar a conclusão se de fato houve ou não formação de "quadrilha" e lavagem de dinheiro, até por que, não há no mundo um juiz com pré-disposição para ler um processo com esse conteúdo.

Virgílio Melhado Passoni mmpassoni@gmail.com

Jandaia do Sul (PR)

*

QUEM TEM RAZÃO?

Em 2005 o TCU decidiu que o contrato de publicidade entre o Banco do Brasil e a DNA, empresa do publicitário Marcos Valério F. de Sousa era irregular.No início do mês, sob o comando de Ana Arraes, mãe do governador de Pernambuco, Eduardo Campos (PSB), aceitou como legal o contrato de publicidade entre as partes. Essa decisão pode interferir no julgamento do Mensalão e após o clamor público, o TCU recorreu da decisão. Quem tem razão: a lei ou o dinheiro? Em minha opinião, tudo vai acabar em pizza, pois o dinheiro compra tudo!

Maria Carmen Del Bel Tunes carmen_tunes@yahoo.com.br

Americana

*

PERGUNTAS NO AR

"Supremo mostrará que as instituições no Brasil valem", diz o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, demonstrando confiança no julgamento do tal mensalão pelo STF. Mas ficam algumas perguntas no ar: independente de o veredito ser pela absolvição ou pela condenação? Ou só pela condenação?

Maércio Garbelotti maerciogarbelotti@hotmail.com

Fartura

*

LIÇÕES DO SÁBIO

Na condição de sábio apreciado pelo mundo inteiro, muitos não vão dormir sem orar por ele, FHC dedica, agora, parte do seu cérebro privilegiado aos ministros do STF. Com a alma desprendida e voltada para o bem comum, como é do seu feitio, sem visar, em absoluto, mesquinhos interesses e dividendos políticos, o fabuloso ex-presidente, reeleito de forma até hoje não esclarecida pelos historiadores tucanos, abre a alma e se dirige, austero e professoral aos membros da Suprema Corte. Especialmente aos ministros indicados por ele. Com o dedo em riste, jamais chamuscado por mensalões, mensalinhos ou emendas, FHC é o próprio Deus clamando por justiça. Aquela que passa longe da isenção. Embevecidos, os ministros acatarão humildemente as ordens do filho mais querido e respeitado pelo Dono do Universo.

Vicente Limongi Netto limonginetto@hotmail.com

Brasília

*

MOMENTO ERRADO

O julgamento do processo identificado como "mensalão",foi pautado num momento inadequado e por certo traz algumas questões à discussão.Por que coincidentemente o julgamento vai acontecer às vésperas de um pleito eleitoral.?Por que não logo depois? E chama a atenção as manifestações de quem se julga representante do clamor público, tentando nortear a posição dos ministros que vão participar do julgamento. O julgamento por certo vai contar com a opinião dos ministros dentro da legislação vigente. E mais, os integrantes do STF terão a independência necessária para dar a punição para quem porventura cometeu erros. Isto faz parte da democracia na qual acreditamos.

Uriel Villas Boas urielvillasboas@yahoo.com.br

Santos

*

VEREDITO

É exatamente isso que norteará o julgamento pelo STF, do famigerado "mensalão": a condenação ou a absolvição dos 38 réus acusados de crimes, com base no que consta nos autos e em nada mais, porque, do contrário, a inversão dos bancos será a consequência de decisões não independentes.

Carlos Leonel Imenes climenes@ig.com.br

Jucurutú

*

É MELHOR QUE SEJA VERDADE

Desde o início quando houve a denúncia feita pelo ex-deputado Roberto Jefferson, expondo publicamente a atuação dos mensaleiros petistas, sempre ouvimos do Lula "eu não sabia de nada". Não me esqueço do que ouvi em um programa de televisão, o sábio pronunciamento do ator Cacá Rossetti: Lula, espero que não seja verdade o que o sr. está dizendo. Imaginem para que serve um presidente da República que não sabe de tão grave fato ocorrendo no País!

Benone Augusto de Paiva

São Paulo

*

JUVENTUDE CONFUSA

Atualmente os jovens brasileiros estão confusos sobre o que seja ser honesto ou ético neste país. Não sentem firmeza neste mar de lama. Muitos ficam depressivos. Outros acabam achando natural essa configuração imoral. Uma judiação revoltante contra nossa juventude deixar que bandidos cada vez mais tomem conta da administração pública, confundindo suas cabeças sobre o certo e o errado. Tomara que as instituições existentes possam nessa oportunidade colocar alguma ordem nessa confusão.

Silvio Ferreira Rangel silviofrangel@yahoo.com.br

Jarinu

*

ROUBOS

À pergunta de Paulo Sotero sobre a Olimpíada: quem roubará a cena em 2016? É fácil antever que muitos a terão roubado. Sem metáfora.

Ademir Valezi valezi@uol.com.br

São Paulo

*

'TRISTEZA NO TATAME'

Fantástica a foto da primeira página da edição de ontem do Estadão: "Tristeza no Tatame". O povo brasileiro gostaria de ser cuidado como o faz a professora com sua pupila, derrotada no tatame de uma Olimpíada. Emocionante. Parabéns.

Cláudio Cals de Oliveira claudiocalsoliveira@gmail.com

Rio de Janeiro

*

PEQUENOS GESTOS, GRANDES RECONHECIMENTO

O convite do COI a Marina Silva para representar o Brasil na abertura dos Jogos Olímpicos é um reconhecimento espontâneo do valor pessoal e do trabalho desenvolvido pela ex-ministra do Meio Ambiente. Gestos dessa natureza, tais como o prêmio outorgado a Fernando Henrique Cardoso pelo Congresso Norte Americano, dizem muito e valem muito mais que alguns títulos de Doutor Honoris Causa outorgados por entidades que querem aparecer tanto quanto os beneficiados com tais honrarias. E dizem que a inveja mata, quer sejam comunistas ou petistas.

Claudio Juchem cjuchem@gmail.com

São Paulo

*

TRANSMISSÃO FANTASMINHA

A TV Record, pela primeira vez, tem o direito (comprado) de transmitir os Jogos Olímpicos de Londres para todo o Brasil por meio da TV aberta. Ontem liguei a TV às 5h30 e só vejo programas de religião e noticiários de qualidade duvidosa. Já passavam das 8 horas e nada da Record transmitir os Jogos Olímpicos! Será que a compra dos direitos de transmissão foi para obrigar os telespectadores a assistirem aos seus programas? E se eu não tivesse a TV a cabo? Com a palavra a Anatel.

Walter Rosa de Oliveira walterrosa@raminelli.com.br

São Paulo

*

OLIMPÍADAS DE LONDRES DE 2012

Segunda-feira, assisti encantado à apresentação dos jovens e belos ginastas da Ucrânia exibindo suas performances! Verdadeiros atletas ! Honram a memória do francês Pierre de Frédy, o famoso Barão de Coubertin, que disse: "o importante não é vencer, é competir". Honram a memória do atleta negro norte-americano Jesse Owens (1913-1980), que , na Olimpíada de 1936, em Berlim, conquistou quatro medalhas de ouro e desmoralizou o racista Hitler! Neste espaço, sempre repito: tenho 87 anos e sou engenheiro civil, turma de 1948, EPUSP, há 64 anos. Repito: tenho (100-13) = 87 anos. Gozo de perfeita saúde, nesta idade (!), graças aos esportes amadores, que pratiquei na minha juventude. Sem intenção de ganhar medalhas. Agora vem a minha bronca. Detesto esse moleque mercenário que atende pelo nome de Neymar. É um argentário que só pensa em ganhar dinheiro e penteados exibicionistas! O apelido dele deveria ser Cai-cai, o intocável. Qualquer esbarrão e ele cai na área para cavar um pênalti. Não tem nada de esportista. Fosse eu o juiz, lhe daria cartão vermelho, para ele refrescar sua ganância de dinheiro no chuveiro do vestiário. Entrem no Google e vejam quem foi o imortal Artur Friedenreich, filho de mãe negra e pai alemão, grande atleta do futebol do passado, que não existe mais, transformado em "showbol, big business" .

Braz Juliano bjuliano@uol.com.br

São Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.