Fórum dos Leitores

MENSALÃO DO PT

O Estado de S.Paulo

01 Setembro 2012 | 03h07

Parabéns

Parabéns à nossa Suprema Corte, que está renovando a esperança no Brasil. Viva o STF!

EDGARD GOBBI

edgardgobbi@gmail.com

Campinas

Parabéns ao ministro Celso de Mello, sua sentença no caso do mensalão exprime com exatidão o que a população brasileira pensa e se sente incapacitada de fazer. E traduz justamente o que as pessoas - funcionários públicos e privados, políticos - deviam ser: honestas, ilibadas, respeitosas e, acima de tudo, não querer levar nenhum tipo de vantagem (corruptos e corruptores)... Portanto, podemos concluir que todos os acusados são bandidos e não cabem mais as desculpas esfarrapadas dos advogados de defesa (caixa 2) e de Lula de que o mensalão não existiu. Ah, e parabéns a todos os outros ministros que votaram igualmente pela condenação.

DARCI TRABACHIN DE BARROS

darci.trabachin@gmail.com

Limeira

'A Arte de Furtar'

Ouvi por inteiro o voto do ministro Celso de Mello. Restabeleceu a vontade de ser honesto de quem, eventualmente, a perdera. Chamou corruptos e corruptores de delinquentes e marginais, lembrou trechos de livro do século 17, A Arte de Furtar, e condenou todos os acusados do dia.

ARCANGELO SFORCIN FILHO

arcangelosforcin@gmail.com

São Paulo

Aula magna...

... do decano do STF Celso de Mello: "Agentes públicos que se deixam corromper, e particulares que corrompem os servidores do Estado, são eles corruptos e corruptores, profanadores da República, os subversivos, os delinquentes e marginais da ética do poder, são os infratores do erário, que trazem consigo a marca da indignidade". Verdade cristalina, desde 2003 enevoada com a ascensão do PT ao poder. Ventos de ética estão a remover essa névoa.

JULIUS BOROS

Cotia

Significados

A decisão sobre o primeiro tópico da Ação Penal 470 (sinalização das demais) acarretará penas severas, mas justas, bem aplicadas, calcadas em farta documentação e profundo conhecimento jurídico dos ministros, e trará, ao menos, duas consequências históricas para o Brasil: 1) A corrupção nem sempre fica impune, o que servirá como espantalho das tendências de malversar dinheiro público, e 2) um impacto sem precedentes na imagem do PT, cujo futuro passa a ser imprevisível.

AMADEU R. GARRIDO DE PAULA

amadeugarridoadv@uol.com.br

São Paulo

Caixa 2

Dizem que o dinheiro que os denunciados no STF receberam constitui tão só caixa 2. Ora, caixa 2, todos sabem, é dinheiro adquirido irregular ou ilegalmente, por isso não pode aparecer e, consequentemente, nem é contabilizado. Confessam, assim, haver recebido dinheiro irregular e já maculado na origem, o que, por si só, já denuncia participação na irregularidade. Dizem também que se trata de dinheiro recebido para pagar despesas de campanha. Ora, se assim é, fica fácil provarem isso, evidentemente, com documentação aceitável e comprovadamente da época. Ainda que mal pergunte, por que não o fazem?

JOSÉ ETULEY B. GONÇALVES

etuley@uol.com.br

Ribeirão Preto

Com dinheiro emprestado?!

Delúbio Soares e o resto do PT acham que todo mundo é trouxa. Por que fazer caixa 2 com um empréstimo bancário? Ora, se eu assinei um documento no banco me comprometendo com o empréstimo, por que não declarar? Será que existe algum idiota na face da Terra que entenda essa lógica? Não seria mais fácil declarar o empréstimo, em vez de fazer caixa 2? Haja cara de pau!

RICARDO MARIN

s1estudio@ig.com.br

Osasco

Só eles...

Pelo desenrolar do julgamento do mensalão, só Lula e os ministros Toffoli e Lewandowski ainda acreditam em desvio de dinheiro público para o caixa 2 do PT.

JOSÉ WILSON DE LIMA COSTA

jwlcosta@bol.com.br

São Paulo

Voto em suspeitos

Incrível a sintonia de Dora Kramer com o pensamento dos leitores do nosso Estadão (Reincidência, 31/8, A6). É necessário que uma jornalista atenta aos problemas político-sociais exponha a falta de discernimento, ou melhor, de responsabilidade dos eleitores brasileiros para com os destinos deste nosso sofrido país. É o exemplo da burrice - não existe outro termo -, para adjetivar o eleitor que insiste em avacalhar o seu voto. O que será necessário para o eleitorado tupiniquim abrir os olhos? Fica aqui a pergunta que não quer calar.

ALOISIO ARRUDA DE LUCCA

aloisiodelucca@yahoo.com.br

Limeira

MINISTÉRIO DA SAÚDE

Custo de medicamentos

A respeito da reportagem Governo paga mais por remédio do Farmácia Popular do que municípios (20/8), o Ministério da Saúde (MS) esclarece: 1) O caso do anticoncepcional citado no texto contrapõe o custo de um único comprimido adquirido por compra direta a uma cartela de 21 pílulas entregue na rede privada. Desse modo, o cálculo de sobrepreço de 163 vezes está errado. Nos demais, a matéria comparou os valores máximos pagos pelo MS ao mínimo dos bancos públicos de preços, distorcendo a diferença dos custos. 2) Não é possível comparar compras diretas com o pagamento feito pelos medicamentos distribuídos na rede Aqui Tem Farmácia Popular, que arca com os custos de logística, estoques e mão de obra. 3) Ao contrário do noticiado, o orçamento do MS para compra de medicamentos é de R$ 9,5 bilhões em 2012. É importante lembrar que o custo farmacêutico do SUS é cofinanciado por Estados e municípios. Desse montante, R$ 1,13 bilhão está destinado à compra dos 25 itens do Aqui Tem Farmácia Popular. 4) As farmácias credenciadas ampliam a distribuição de medicamentos do SUS. Na maioria das cidades há serviços 24 horas, diariamente. Para substituir os 20 mil estabelecimentos credenciados seria preciso investir R$ 1,8 bilhão só em construção e equipamento das unidades. 5) No programa, apenas 10% dos medicamentos distribuídos são de marca, 90% são genéricos ou similares. No grupo de medicamentos gratuitos - para asma, diabetes e hipertensão - a participação de genéricos e similares chega a 94%.

LEÔNIDAS ALBUQUERQUE, Assessoria de Imprensa do MS

leonidas.albuquerque@saude.gov.br

Brasília

N. da R. - Os dados usados são do site do Ministério da Saúde. Os preços ali indicados são de uma cartela com 21 comprimidos, e não de apenas um. Os R$ 9,5 bilhões representam o investimento total em medicamentos. As demais argumentações apresentadas pelo ministério estão registradas na reportagem.   

Cartas selecionadas para o Fórum dos Leitores do portal estadao.com.br

 

O METALÚRGICO JOÃO PAULO CUNHA

O metalúrgico João Paulo Cunha tem a carreira tão bem-sucedida quanto à do outro metalúrgico que fez sucesso na política nacional. Começou nos anos 80 e, a partir daí, foi vereador em Osasco, deputado estadual e hoje está no seu quinto quatriênio de deputado federal. Presidente da Câmara dos Deputados, chegou a assumir a Presidência da República em fevereiro de 2004. Uma figura com toda essa história e poder, que chegou a governar o País, ainda que por curtos dois dias, cai em desgraça, e pode até ir para a cadeia, por R$ 50 mil recebidos ilegalmente. O julgamento do mensalão, da forma como está ocorrendo, transmite segurança jurídica à sociedade. Os julgadores - ministros, desembargadores e juízes - têm o dever de decidir as contendas que lhes chegam às mãos de acordo com as provas existentes nos autos. Jamais por pressões ou clamores que, sempre, são carregados de interesses e paixões e, por isso, não se coadunam com a tarefa de fazer justiça. As leis devem ser cumpridas por todos os seus cidadãos. A cultura que se criou a respeito da existência de indivíduos ou castas acima da lei é atraso puro. O Brasil evoluirá em muito se os réus do mensalão, ao final do processo, restarem apenados na justa medida - nem mais nem menos - e cumprirem suas penas rigorosamente, sem subterfúgios. O efeito didático da pena será o grande lucro da sociedade e o alerta para que outros não venham a delinquir...

Dirceu Cardoso Gonçalves aspomilpm@terra.com.br

São Paulo

*

EM PROSA E VERSO

Depois que o Lula disse na semana passada em Nova York que o mensalão nunca existiu, acho que merece uma homenagem em prosa e verso: "Lulão, bufão; caiu seu fardão; existiu o mensalão, e o João Cunha vai para a prisão".

Carlos Benedito Pereira da Silva advcpereira@ig.com.br

Rio Claro

*

PIRANHAS

Em reposta ao leitor Sr. Victor Germano Pereira, que perguntou na edição de ontem (31/8), deste Fórum, se o ex-João Paulo Cunha é boi de piranha, a sociedade de bem sabe que ele não é boi, mas apenas uma das piranhas. Ou não?

Moacyr Castro jequitis@uol.com.br

Ribeirão Preto

*

ELE NÃO SABIA

O deputado João Paulo da Cunha (PT) foi condenado por peculato e corrupção passiva. Lula sempre afirmou que não sabia de nada. Com a condenação de João Paulo da Cunha, o mensalão está provado e eu pergunto ao Lula: você sabia e fingiu de bobinho para escapar de ser condenado também ou realmente não sabia porque é um verdadeiro incompetente?

Maria Carmen Del Bel Tunes carmen_tunes@yahoo.com.br

Americana

*

CRENÇA

Como perguntar não é ofensa, será que, mesmo com a condenação do deputado João Paulo Cunha, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva continua acreditando que o mensalão não existiu?

Virgílio Melhado Passoni mmpassoni@gmail.com

Jandaia do Sul (PR)

*

FIEL ATÉ NO CRIME

Numa prova de fidelidade, o "réu ausente" a que se refere Demétrio Magnoli (30/8, A2) telefona ao deputado João Paulo Cunha para solidarizar-se com mais um petista declarado criminoso pelo Supremo Tribunal Federal. Mesmo sem ser ouvido, o comandante em chefe do partido já pedira que Cunha, uma vez emparedado, desistisse, em respeito ao nome do PT, de tentar a prefeitura de Osasco. Agora que foi comprovada a sua corrupção passiva e o seu peculato, os dois se lamentam perante a Justiça como cumpanheiros que são desde os anos 1980. A ausência judicial do ex-presidente torna o mensalão ilógico, mas o STF não está aí para uma "opinião pública", como disse Lewandowski, que tenha olhos para ver o que o ministro não quer: uma relação inter amicus fidelizada pelo projeto político de 20 anos de poder implantado em 2003, desbaratado em 2005 e julgado em 2012. Para Demétrio Magnoli, a história mal contada de uma quadrilha sem chefe é "esdrúxula, risível e intragável". Para o Brasil, é a lição de que cadeia é para mulas.

Yan Rodrigues dos Santos yan.rodrigues.santos@gmail.com

São Paulo

*

JINGLE NA ELEIÇÃO EM OSASCO

"Ladrão por ladrão, vote no João". Já em Osasco...

A.Fernandes standyball@hotmail.com

São Paulo

*

'O RÉU AUSENTE'

Gostei da voz que corajosamente se levantou para clamar em nome de tantos brasileiros inconformados. Sim, uma quadrilha tem um chefe e esse chefe está ausente do julgamento do mensalão. Aquele que mesmo sendo chefe, pasmem, nada via e de nada sabia! Diz Demétrio Magnoli: "A opção de não incluir Lula no mensalão assombrará o país por muito tempo". Obrigada, doutor!

Nise Silva novorumo.helo@uol.com.br

São Jose dos Campos

*

FALTA ALGUÉM NO BANCO DOS RÉUS

Graças a Deus ainda temos no STF ministros pautados no senso de dignidade e no caráter do princípio básico-fundamental da justiça, e o ex-deputado João Paulo Cunha foi condenado, mesmo que tenha recebido ainda quatro votos para a absolvição. E, a exemplo de Nuremberg, está faltando alguém no banco dos réus, infelizmente. Mas, à medida que o julgamento for avançando e as condenações, sendo impostas aos envolvidos, espero que o povo faça uso do raciocínio e conclua que seria humanamente impossível alguém numa determinada posição, tanto no governo como no partido (PT), estivesse alheio ao que estava se passando. E, mesmo que a justiça não o possa condenar, o povo imponha a condenação implacável de anulá-lo politicamente.

Nei Silveira de Almeida neizao1@yahoo.com.br

Belo Horizonte

*

A PIADA FINAL

Ao final de tudo, a piada de salão vai ficar por conta de Lula, negando o inegável.

Ricardo Marin s1estudio@ig.com.br

Osasco

*

NEM FREUD EXPLICA

Lula diz que nunca houve mensalão, mas que aceitará a decisão do STF, essa eu não entendi. Quer dizer, se uma pessoa é inocente, ela aceita que seja condenada? Essa nem Freud explica...

Helcio Silveira heldiasilveira@gmail.com

São Paulo

*

SIM, LULA MENTIU

Afinal, o mensalão existiu, ao contrário do que afirmou repetidas vezes o ex-presidente Lula. O processo investigado, examinado e discutido à exaustão ainda não chegou ao fim, mas a excelência de colocações de alguns dos magistrados desmentiu cabalmente o ex-presidente e demonstrou que os indiciados cometeram os crimes. Roubaram dinheiro público para comprar apoio político de congressistas venais, dentre outros delitos. O que a imensa maioria das pessoas e a imprensa desconfiavam mostrou-se verdade. Tão grave quanto a mentira do ex-presidente foi sua tentativa de "melar" o julgamento. Fica cada vez mais forte para as pessoas a impressão de que Lula não só sabia, como teria participado, do esquema. O que ocorrer doravante no julgamento em nossa Corte Suprema, não mudará o cenário que o País já tem. Tomara que isso ajude no combate a corrupção, que a população continue atenta, que os jornais prossigam vigiando e que a justiça conquiste novamente o respeito e a confiança.

Fabio Figueiredo fafig3@terra.com.br

São Paulo

*

DEMOCRACIA

O Brasil vai melhorar e seguir rumo ao primeiro mundo e a democracia plena, o passo inicial foi dado pelo STF, condenando os "mensaleiros"; a condição de saúde, segurança e educação do povo deve avançar muito, pois, a sangria vai diminuir; a opinião publica vai reconhecer quem esta a favor ou contra o Brasil. Até o final da votação o ex-ministro José Dirceu embarca de Campinas para Venezuela e de lá para Cuba ou Rússia, e o Sr. Lulla vai continuar na sua mentira que o mensalão não existiu.

Celso de Carvalho Mello celsosaopauloadv@uol.com.br

São Paulo

*

CONCLUSÃO DE BOTEQUIM

Após algumas e outras, conversavam animadamente num boteco Lulla, Saci Pererê, mula-sem-cabeça, coelhinho da Páscoa e Papai Noel e todos chegaram à mesma conclusão: o mensalão não existiu.

Carlos Roberto Gomes Fernandes crgfernandes@uol.com.br

Ourinhos

*

VEJAM A MORAL QUE O PT TINHA

O ex-presidente Collor foi cassado por muito menos do que esses desvios de verbas públicas na era Lula, no entanto, a oposição acreditou que o Lula não sabia de nada, porém, só agora é que as coisas estão clareando, é que sabemos que o Lula, combinado com José Dirceu, armou todo esse esquema que resultou no maior escândalo político do País, só que o povo não vai esquecer essa traição que ele cometeu. Dessa forma, agora está explicado porque o Lula foi até a casa do Maluf pedir que lhe ajudasse a eleger o Haddad, pois o roubo que o Lula e o PT fizeram é muito maior do que aquele feito por Maluf, o Lula roubou muito este país e espero que o povo não o perdoe por isso.

Daneil de Jesus Gonçalves al_amachado@yahoo.com.br

Paranavai (PR)

*

SETE ANOS

É um escândalo que o STF tenha demorado sete anos para julgar um caso e chegar às mesmíssimas conclusões que qualquer pessoa que leu os jornais na época chegou: político manda a mulher sacar dinheiro de lobista no banco. Sim! Depois de sete anos de exaustiva análise, uma reeleição e a eleição da sucessora, o STF finalmente concluiu que sim! Isso é corrupção! E ainda tem gente se encantando com a performance da nossa mais alta corte!

Mário Barilá Filho mariobarila@yahoo.com.br

São Paulo

*

MENSALÃO E PT

Dois fatos ressaltados no voto do ministro Cezar Peluso tornam absolutamente claro que o mensalão foi mesmo uma grande roubalheira: um diretor do Banco do Brasil que autorizou o adiantamento de R$ 73 milhões para uma firma de publicidade que não prestou os serviços, e um presidente da Câmara que contrata a mesma firma por R$ 10 milhões, para serviços que na gestão posterior à sua caíram para R$ 65 mil. A consequência política é que, depois disso, o mais provável é que Lula, o PT e até a reeleição da Dilma, sejam cartas fora do baralho. "Safo" mesmo foi o Eduardo Campos (PSB-PE), que pressentiu o desastre e pulou fora do barco. Agora a bandeira do desenvolvimento com inclusão social e distribuição de renda está em suas mãos e vai depender de que saiba, como Lula soube, tirá-la do ranço "socialista" para torná-la eficiente, avançando no sentido da reordenação do crescimento brasileiro dentro de uma nova equação de repartição, fundada numa recuperação para valer e imediata do salário mínimo.

Rogério Antonio Lagoeiro de Magalhães lagorog@uol.com.br

Niterói (RJ)

*

A JUSTIÇA NÃO PODE SER APOSENTADA

Em meio a esse mar de corrupção que ameaça até as mais altas instituições da republica, colocando em risco nossa democracia, ainda podemos contar com homens dignos, verdadeiras reservas morais na mais alta corte do país, o STF. São brasileiros que não viram em seu nobre ofício outra razão senão agir com honra equilíbrio e o respeito às leis, sempre a favor da moralidade na defesa da nação, auto proibindo-se de envolverem-se em questões levianas, indignas de uma toga. Ao contrário do que pretende alguns defensores de um projeto de poder a favor de um Brasil avacalhado, o que nossa nação precisa mesmo é de homens como Cezar Peluso na ativa sempre. Nossa Constituição jamais deveria aposentar a seriedade e a honra de homens que engrandecem a justiça e o nome do Brasil.

Peter Cazale pcazale@uol.com.br

São Paulo

*

O FUTURO

A primeira fase do julgamento dos 37 réus do processo do "mensalão" praticamente está concluída. Como o Ali-Babá conseguiu se safar no princípio, alegando que de nada sabia, não foi indiciado. Mas seus cumpanheros estão indo para o brejo, e a petralhada já está muito preocupada com os resultados já apresentados e seu efeito no futuro. Será que é o início de uma degringolada geral na vida do PT? Vamos aguardar, mas estamos torcendo para que os culpados sejam realmente punidos...

Carlos E. Barros Rodrigues ceb.rodrigues@hotmail.com

São Paulo

*

NOSSA VITÓRIA

Enfim uma luz surge no sombrio túnel da impunidade. O primeiro parlamentar condenado por corrupção indica um melhor futuro na nossa política. A partir de agora, todos que pleitearem cargos públicos serão mais cuidadosos e seus financiadores, mais precavidos. A quebra desse círculo vicioso que consome as verbas públicas sinaliza que podemos chegar ao fim da impunidade. Estamos de parabéns pela campanha que empenhamos em favor da Ficha Limpa e também os ministros do STF, pela coerência e imparcialidade de seus votos.

Odiléa Mignon cardosomignon@gmail.com

Rio de Janeiro

*

O SERMÃO DO BOM LADRÃO

O julgamento daqueles fatos que "nunca existiram", mas que estão tomando tanto tempo da mais alta corte do País, está dando um pouco de esperança aos brasileiros que nunca foram seduzidos pelos palavrórios daquele senhor que foi presidente do Brasil e que afirma categoricamente que a imprensa fez um complô para derrubá-lo. Os juízes estão julgando as denúncias com alto grau de técnica e sabedoria. Quase todos se destacaram pelas suas sentenças e explicações sobre os casos. Claro que há as duas exceções conhecidas que não por terem votado contra a condenação dos réus, mas por demonstrarem seu comprometimento com o partido do governo, estão nos mostrando a que grau chega um grupo que quer tomar conta de um país. O ministro Celso de Mello e o ministro Ayres Britto citaram o Sermão do Bom Ladrão do Padre Antonio Vieira com muita propriedade. As palavras do grande Padre Vieira vêm muito bem com a situação atual do nosso país, onde os grandes roubam sem o menor constrangimento e os outros os acompanham certos da impunidade. Se se começar a condenar o tubarões, certamente os peixes pequenos terão menos audácia.

Maria Tereza Murray terezamurray@hotmail.com

São Paulo

*

ALGUMAS CONCLUSÕES SOBRE JULGAR

Observada a primeira parte do julgamento da ação 470, podemos chegar a algumas conclusões sobre nossa estrutura judicante. 1) A prestação jurisdicional brasileira precisa ser reformulada para atender as necessidades da população e os desafios da modernidade - ela está muito distante da resolutividade que precisamos! 2) A carência de objetividade, celeridade, excessivo formalismo e individualismo são as origens dos acórdão conflitantes, dentro do mesmo assunto e tribunal, cristalizando e estimulando a perpetuação de demandas e conflitos que deveria elucidar, via julgamento definitivo - inaceitável contrassenso à função julgadora! 3) Com raras exceções, nossos juízes se fecham em si, em seus alteregos de julgadores, recusando-se a olharem a realidade e os clamores da sociedade brasileira - o réu é premiado e o autor onerado! 4) Os membros de nossos tribunais colegiados precisam aprender a busca do consenso, objetividade e relatórios concisos, neutralizando colisões pessoais - péssimos exemplos de comportamento público! 5) Assim como fazemos com nossos filhos, sempre que necessário e reservadamente, deveriam avaliar seus pares censurando-os e privando-os da plenitude de seus atos, em nome do bom exemplo e da higidez judicante - inaceitável a participação do ministro Toffoli no julgamento, em face da retumbante suspeição! Assim, um dia, quem sabe, chegaremos ao estágio judicante dos povos denominados modernos.

Honyldo R. Pereira Pinto honyldo@gmail.com

Ribeirão Preto

*

UM DIA HISTÓRICO DO STF

Ficará marcado para sempre em nossas mentes e corações o dia 29/8/2012, quando os ministros do STF definiram a primeira parte na votação do "malfadado esquema de desvio de verbas, conhecido e negado pelo ex-presidente lula como o mensalão", cujos recursos deveriam ter ido para a educação, saúde e habitação do povo brasileiro, mas foram para os bolsos dos formadores de quadrilha, profanadores, corruptos, praticaram o peculato, que foi a palavra mais ouvida e escrita na semana. O Placar foi de 9 x 2 para a cidadania, honestidade, ética, graças ao time de grandes ministros que não tiveram medo de ameaças nem tráfico de influência, já sentenciaram cinco dos integrantes que eram 40 no início do processo, e, o que é pior, terão de devolver os recursos e ficarão na prisão em regime fechado. O ministro Cezar Peluso, que se aposenta, deixou uma reflexão para todos os 190 milhões de brasileiros: que devemos estar sempre atentos aos maus governantes, corruptos e corruptores, porque eles não param por aí, mas a Justiça fala mais alto e o seu legado está anunciado. Para aqueles que insistiam em contabilizar como caixa dois o nefasto esquema do mensalão, fica a primeira sentença do STF, por peculato, formação de quadrilhas, desvio de recursos públicos entre outros que virão. Salve os 9 do STF! Salve a ética e a cidadania!

Jose Pedro Naisser twitter: @Globalecologist

Curitiba

*

MEDIDA DE SEGURANÇA

Lendo os animadores ventos que sopram do Supremo Tribunal Federal (STF), eu acharia de bom tamanho que a Polícia Federal, apreendesse o passaporte do chefe de quadrilha, José Dirceu, antes que ele fuja para Cuba pela segunda vez.

Humberto de Luna Freire Filho hlffilho@gmail.com

São Paulo

*

E AGORA?

Depois da condenação do João Paulo Cunha pelo STF, como vai ficar o situação, já desesperadora, do PT em São Paulo?

Laert Pinto Barbosa laert_barbosa@ig.com.br

São Paulo

*

ELEIÇÃO 2012

Estou começando a analisar as propostas dos candidatos para tentar votar bem, e duas propostas de dois candidatos distintos me chamaram a atenção sobre como me poderão ser úteis, e gostaria de ter essas respostas, Srs. candidatos, espero respostas. A do candidato Celso Russomano, quando ele diz que "todos os postos de saúde (UBS) terão equipamentos de imagens. Pergunto: de onde sairá o dinheiro para comprar esses equipamentos que custam milhões de reais? A outra proposta é a do candidato Fernando Haddad, que não explica quanto vai custar o "Bilhete Único Mensal".

Clara Recupero clara.rec@ig.com.br

São Paulo

*

IMAGENS QUE NÃO TÊM PREÇO

Entre outras, Haddad e Lula falando do bilhete mensaleiro, exibindo toda a experiência do partido no mensalão para os paulistas. Não tem preço, mas haverá um custo muito alto. Desta vez, não serão os deputados, serão os paulistanos que utilizam o transporte público. Dinheiro público sendo distribuído para compra de milhões de votos.

Nelson Pereira Bizerra nepebizerra@hotmail.com

São Paulo

*

GRANDEZA EQUIVOCADA

Ouvi Lulla afirmar na propaganda eleitoral que Haddad foi "o melhor ministro da Educação da história". Elle não esquece o jargão que denota sua mania de grandeza! Mas engana-se na sua avaliação, pois aquele senhor não foi capaz nem mesmo de realizar de forma competente o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem).

F. G. Salgado Cesar fgscesar@hotmail.com

Guarujá

*

SEM ENROLAÇÃO

Candidatos e marqueteiros, quem vive em São Paulo, capital, quer uma proposta viável para acabar com os congestionamentos e com a falta de segurança. Ponto.

Victor Germano Pereira victorgermano@uol.com.br

São Paulo

*

ASSIM NÃO DÁ!

Coisas da política. Aquilo que parecia impossível aconteceu. De acordo com as últimas pesquisas, Celso Russomanno disparou na corrida para a Prefeitura de São Paulo. Assim, a disputa nas urnas em outubro parece que será entre Russomanno e Haddad. Pode?

José Marques seuqram.esoj@bol.com.br

São Paulo

*

NOVOS TEMPOS

A melhor coisa que poderia acontecer à política brasileira como um todo seria a vitória de Russomano em São Paulo. O ranço da velha e superada, mas atual oposição, fraca e prepotente, tenderia a desaparecer, e novos acordos irão surgir e a atual situação ou seja PT e PMDB e o resto da base aliada que se cuidem, uma vez que a festa começa a acabar. A eleição na capital paulista, de importância e influência nacionais, é enfim o começo do fim de um ciclo que decepcionou a milhões e milhões de patrícios nossos. Quem viver verá.

José Piacsek Neto bubapiacsek@yahoo.com.br

Avanhandava

*

PSDB LADEIRA ABAIXO

Os resultados falam por si sós. Serra tem o maior índice de rejeição identificado nas pesquisas. Está na hora de o tucanato fazer uma autoanálise, tirar o cocar e passar o bastão às outras lideranças do partido. Hello! Os eleitores pedem mudanças...

Artur Lovro artlovro@hotmail.com

São Paulo

*

DESLIGADOS

São dois os que não percebem a situação: Serra e Bashar Al Assad. Acham que nada do que acontece tem que ver com eles.

Ulysses Fernandes Nunes Junior twitter: @Ulyssesfn

São Paulo

*

SEM CANDIDATO

Eles nos acham uns trouxas! Os candidatos prometem verdadeiros absurdos, mas não vi/ouvi algum deles se interessar em diminuir as taxas, impostos ou burocracia; acabar com a lei Cidade Limpa que deixou São Paulo - escura, triste e suja; cancelar o rodízio de veículos, que atinge uns 5% da frota e tanto prejudica os que tem um automóvel para trabalhar; verificar esta elevada quantidade de multas no transito, na lei das calçadas. Esta metrópole, que teve prefeitos como Prestes Maia e Faria Lima, não merece isto aí. Pela primeira vez, eu, que tenho 91 anos e nunca faltei nas eleições, pela primeira vez não tenho em quem votar.

José Erlichman joserlichman@gmail.com

São Paulo

*

EXPERIÊNCIA

Serra venceu as eleições para Prefeitura de São Paulo em 2004,e para quem não tem memória curta e é reconhecido, deve se lembrar da administração primorosa que ele desenvolveu nos dois anos em que ficou prefeito. Saiu para disputar o governo de Estado em 2006 para impedir que Mercadante se apossasse do poder em São Paulo como o PT se apossou dele em Brasília, mas parece que seu gesto foi utilizado pelos petistas para marcá-lo de forma negativa, e muitos se deixaram levar pelo engodo. Foi tão boa a equipe que levava à frente sua gestão, que ela permaneceu a mesma durante os dois anos restantes que Gilberto Kassab assumiu, e Kassab soube utilizar os ótimos resultados para eleger-se em 2008 ganhando de Marta Suplicy. O que não esperávamos era que Kassab desmontasse aquela máquina que funcionava como um relógio para abrir vaga para políticos incompetentes de seu partido. E São Paulo desandou, desandou feio. Que tal devolvermos em 2012 o governo de nossa cidade para aquele que já demonstrou conhecer como ninguém os ossos do ofício? Ou você prefere entregá-la, uma megalópole, para quem jamais ocupou um cargo executivo nem mesmo num vilarejo em "caixa-prego"? Acho que, se assim for, por mais uma gestão, quatro longos anos, tudo vai continuar ruço para nós, paulistanos! Pense nisso!

Mara Montezuma Assaf montezuma.scriba@gmail.com

São Paulo

*

A TROCA

Quanta chantagem ou quantas benesses foram oferecidas a Marta Suplicy para apoiar Fernando Haddad, apesar do Maluf?

Maria do Carmo Zaffalon Leme Cardoso mdokrmo@hotmail.com

Bauru

*

O BILHETE DE DILMA

Um tanto forçada a foto na primeira página do O Estado de ontem, com a pose de incredulidade da presidente Dilma, senão vejamos: letras grandes, legíveis, com caligrafia perfeita e uma exibição nada discreta. Lembro-me de um presidente caçador que fazia a mesma coisa.

José Francisco D'Annibale dannibale@uol.com.br

São Paulo

*

FOTO DA PRIMEIRA PÁGINA

A foto da presidente Dilma na primeira página da edição do Estado de ontem, em que faz pose para mostrar em primeiro plano o bilhete enviado à ministra Izabela Teixeira, é intrigante porque, entre outras considerações, não se trata exatamente de um furo fotojornalístico e, principalmente, por expor um ensaiado puxão de orelha público de uma subordinada. Todo chefe, com um mínimo de educação e respeito aos seus subordinados, sabe que reprimenda como essa deve ser tratada confidencialmente entre o chefe e o subordinado. Já disse um filósofo que muito teríamos que nos envergonhar se os verdadeiros motivos de nossas boas ações fossem conhecidos; o mesmo poder-se-ia dizer da má ação da presidente, o que nos leva a especular quais os inconfessáveis motivos que a levaram a tal lamentável comportamento. Logo de cara, é preciso manifestar dúvida sobre a real existência anterior desse bilhete, em virtude das considerações a seguir. Para analisar, deveremos considerar ter sido deliberadamente criada uma oportunidade para demonstrar - e provar - ocorrer falha na comunicação de assuntos relevantes à presidente por parte de subordinados e, mais importante ainda, a consequência adversa do ambiente jurídico em que a indelicadeza foi praticada. O primeiro pretende provar que nem sempre o subordinado mantém a presidente informada sobre o que ocorre no cenário político com influência nos atos ou planos da administração, mormente quando de particular interesse à presidente. Não menos importante é a circunstância disso, salvo melhor juízo, ter ocorrido exata e imediatamente após o voto de vários ministros do Supremo Tribunal, manifestando juízo de que, na falta de provas materiais, é pertinente levar em conta o relacionamento profissional e funcional entre determinado réu e os demais. Este pronunciamento, segundo alguns analistas, enfraquece a posição de José Dirceu, em virtude de sua posição no governo e à sua gestão anterior como presidente do partido, o que permite supor que ele dificilmente teria se mantido alheio ao que nele ocorria em face das graves crises financeiras, próprias e de seus "cumpanheiros", para saldar dividas de campanha eleitoral. O motivo da pose da presidente Dilma é para fundamentar defesa apenas para José Dirceu ou, principalmente, para o ex-presidente Lula? Para este, que também foi presidente do PT, é igualmente incrível que tenha se mantido desinteressado como estavam sendo solucionadas as dificuldades financeiras do seu partido e dos seus "cumpanheiros"? Mais ainda, é possível que nenhum membro da cúpula do PT, e muito menos o José Dirceu, que se omitiu e nada comunicou ao ex-presidente, ignoravam que um dos seus "cumpanheiros" na diretoria do Banco do Brasil estava cometendo irregularidades funcionais para conseguir fundos extra-contábeis para suprir a terceiros, em uma operação que convenientemente o ex-ministro da Justiça, sem particularizar os envolvidos ativos e passivos, classificou como Caixa 2? Ao declarar a prática do Caixa 2, não ocorreu - ao ex-presidente e ao ex-ministro - acionar a Policia Federal para apurar quais empresas públicas estavam sendo prejudicadas, se não roubadas? Para concluir, a ministra Izabela Teixeira, se tiver um mínimo de autoestima, deveria se sentir envergonhada pela descompostura pública e se demitir do cargo, mesmo se voluntariamente cúmplice da encenação.

Paulo Adolpho Santi pasanti@terra.com.br

São Paulo

*

NINGUÉM SABE DE NADA

Como em todo governo do PT, ninguém sabe de nada. Agora também a presidente não sabe, num governo em que todos mandam e ninguém obedece.

José Luiz Tedesco wpalha@terra.com.br

Presidente Epitácio

*

DILMA COBRA MINISTRAS

A fórmula de Hitler governar era deixar seus "ministros soltos" para fazer as lambanças que quisessem, depois o ditador simplesmente negava o que achava lambança e se "vendia" ao povo como baluarte do saber. Foi também a fórmula Stalinista, aliás, Hitler e Stalin foram "parceiros" até descobrirem que dois bicudos não se beijam, ambos tinham o ideal de "dominar o mundo", ambos acabaram no que acabaram, um no suicídio, outro na falência do próprio império. Dilma está numa roubada, não é petista e agora se mostra como não comunista, e democrata nem sonhar. Talvez seus "ministros" podem mostrar o que seja realmente, afinal sempre há "dedo duro", até mesmo no reinado de Hitler!

Ariovaldo Batista arioba06@hotmail.com

São Bernardo do Campo

*

UM ELOGIO AO TJ-SP

Gostaria de registrar o atendimento primoroso e eficiente que tivemos em um edifício do Estado (o que é muito raro). Dia 29 de agosto, atendendo à convocação de um desembargador, fui com minha irmã (que tem o mal de Alzheimer e sofreu recentemente um AVC) ao edifício do Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP), situado à Rua Conde de Sarzedas. Como ela tem grande dificuldade para se locomover, solicitei que pudéssemos entrar pela garagem do edifício para não ter que subir escadas. Fiquei extremamente gratificado com a atenção e gentileza de todos os funcionários das portarias, prontificando-se a facilitar o acesso de todas as maneiras, e, na saída, providenciaram de imediato um táxi por telefone, fazendo questão de acompanhar e ajudar a deficiente em seu embarque.

João Eduardo Alves da Motta jeamotta35@gmail.com

São Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.