Fórum dos Leitores

CORTE NA CONTA DE LUZ

O Estado de S.Paulo

09 Setembro 2012 | 03h04

Benevolência fingida

Ah, é? A conta de luz vai ser reduzida no ano que vem? E quando vão devolver o que cobraram a mais e foi descoberto há mais de dois anos? Isso Dilma Rousseff não lembrou, né? A propaganda mentirosa repetida várias vezes acaba convencendo o povão, exatamente como nas piores ditaduras... As concessionárias "roubaram" do povo, acobertadas pelo governo, que agora finge ser benevolente com o dinheiro alheio.

MARCUS COLTRO

marcuscoltro@hotmail.com

São Paulo

Mentiras eleitoreiras

A mais recente do PT é essa de que "o governo" vai baixar o preço da energia elétrica - de 16,2% a 28% - em 2013, isto é, só no próximo ano. Mas as eleições municipais são agora em outubro. Isso é mentira da dona Dilma, foi a Justiça que mandou devolver o dinheiro "roubado" dos consumidores nas contas de luz, na era Lula. Não é redução nem desconto, é devolução da apropriação! Da maneira como é anunciado pelo atual desgoverno, não caracteriza estelionato eleitoral? Ou vai ficar por isso mesmo?

LUIZ DIAS

lfd.silva@2me.com.br

São Paulo

Balela

Quem mente revela, mais cedo ou mais tarde, sua condição vil de farsante. Existe no TCU relatório que verificou a cobrança a mais, por erro de cálculo, de R$ 7 bilhões nas contas de luz de 2002 a 2010 e determina que a Aneel compense os clientes que foram tungados. Quando anunciou a sua bondade, dona Dilma já sabia desse relatório. Então, pergunta-se: essa redução prometida não é a compensação que a Aneel teria de cumprir? Sendo assim, a bondade não passa de balela, arara...

JAIR GOMES COELHO

jairgcoelho@gmail.com

Vassouras (RJ)

Cavalo de Troia

A presidente Dilma está virando maníaca com essa história de presente de grego. Depois do "Brasil Carinhoso" no Dia das Mães, veio agora com mais um presentinho para, segundo ela, comemorar o Dia da Pátria. Ora, um país como o nosso - com a maior bacia hidrográfica do mundo, com tantas hidrelétricas e que se deu ao luxo de dividir Itaipu com o Paraguai de mão beijada -, para se igualar e alcançar o preço de energia dos outros países, teria de reduzir em 53% o preço da energia. Para reduzir custos de produção posso dar uma aula gratuita: 1) Estabelecer controle rígido dos gastos públicos, erradicando a roubalheira, os superfaturamentos e os desvios de verbas do erário, com auditorias; 2) reduzir significativamente a absurda carga tributária e os encargos sociais; 3) Parar de dar esmolas formadoras de parasitas, pois com as medidas mencionadas o crescimento da produção gerará empregos, estabelecerá melhor distribuição de renda e dignificará o cidadão brasileiro.

NEI SILVEIRA DE ALMEIDA

neizao1@yahoo.com.br

Belo Horizonte

Sinuca

Essa senhora e companhia bela agem na economia do País como se estivessem num jogo de sinuca para escolher a próxima tacada a dar entre sete diferentes bolas, cada uma na boca das caçapas, de valores de dois a sete. Aí vai a primeira, antes das eleições. Se não acertar, eles vão levando. Os adversários ficam esperando para ver no que vai resultar e os donos da brincadeira, sem saber o tempo que vai levar - e o custo! Como sempre, salve-se quem puder.

LUIZ CARLOS CUNHA

luiz.cunha@terra.com.br

São Paulo

SUCESSÃO NO STF

Sociedade vigilante

A respeito da indicação de nomes para a sucessão de Cezar Peluso no Supremo Tribunal Federal (STF), alguns ex-ministros deram seus pareceres. E foram unânimes: é preciso saber jurídico e reputação ilibada - características que faltaram a Dias Toffoli, mas ainda assim ele passou pelo crivo dos senadores, que, aliás, nunca fazem uma análise criteriosa dos candidatos, apenas confirmam a indicação. Por isso o STF teve a nomeação de ministros que, além de atuarem para facções, não têm independência nem acompanham as mudanças por que passa a sociedade. Cada vez mais atenta, ela estará vigilante, de olho na próxima indicação. A Suprema Corte deveria ser uma Casa com as melhores cabeças pensantes. Quem sabe, um dia, os presidentes da República acordem para esse detalhe, passem a valorizar o mérito e não indiquem pessoas só por amizade ou gratidão, evidência que não passou despercebida da sociedade.

IZABEL AVALLONE

izabelavallone@gmail.com

São Paulo

Eliana Calmon

Acho que Dilma Rousseff deveria indicar Eliana Calmon para ministra do STF, no lugar de Cezar Peluso, que acaba de se aposentar. Tenho certeza de que todo o povo brasileiro concordaria.

HIROSHI C. HIGA

higa.eri@gmail.com

São Paulo

O melhor nome

De fato, não seria de bom alvitre ter alguém como a ex-corregedora nacional de Justiça no STF?

JOSÉ PIACSEK NETO

bubapiacsek@yahoo.com.br

Avanhandava

Convite a Peluso

E qualquer governo de país sério convidaria o excelso Cezar Peluso para ministro da Justiça!

MARISA CARDAMONE

mcardam@terra.com.br

São Paulo

FUTEBOL

Seleção na berlinda

Estádio com mais de 50 mil torcedores, gramado perfeito... Mas futebol, que é bom, nada! Essa é a seleção brasileira na era Mano Menezes, que não convence ninguém e quase dá mais um vexame contra a fraca África do Sul. A vitória sonsa por 1 x 0 no Morumbi é o espelho real de que perdemos dois anos de preparação sem ter o esboço de um time ideal. Caminhamos, assim, muito mal para a Copa do Mundo de 2014. Novo e eficiente mesmo para esse megaevento, talvez somente os estádios que estão sendo construídos... Quanto ao protagonismo nesse Mundial de Futebol no Brasil, estamos é mais próximos de simples coadjuvantes!

PAULO PANOSSIAN

paulopanossian@hotmail.com

São Carlos

Flanelinhas

É revoltante ter de tolerar a passividade do policiamento, que não coíbe ou prende flanelinhas extorquindo usuários de veículos para estacionarem em vias próximas de locais de grandes eventos. No jogo Brasil x África do Sul os flanelinhas invadiram as ruas em torno do Estádio do Morumbi achacando os motoristas, diante dos impassíveis policiais. Até quando vamos ter de aguentar isso?

JOSÉ WILSON DE LIMA COSTA

jwlcosta@bol.com.br

São Paulo

Cartas selecionadas para o Fórum dos Leitores do portal estadao.com.br

 

PRÊMIO LIBERDADE

No dia em que Francisco Mesquita Neto recebia o "Prêmio Liberdade" em reconhecimento pelo trabalho em defesa da liberdade de imprensa, o Estadão, numa absurda ironia, informava na página 3 que esse é o 1.131.º dia sob censura judicial. Nesse mesmo dia (4/9), na festa do recebimento da honraria, o tributarista e jurista Ives Gandra, no encerramento da homenagem, lembrou o conceito de liberdade indissociável da moralidade pública. Num agradável presságio, o professor Gandra finaliza suas palavras de forma auspiciosa: "Os costumes têm de mudar para que a liberdade se lastreie na moralidade". Não poderia ser melhor.

Nicanor Amaro Silva Neto nicanoramaro@yahoo.com.br

Bauru

*

THOMAZ BASTOS X STF

Para o digníssimo ex-ministro da Justiça Marcio Thomaz Bastos, considerado um dos melhores juristas do País, o Supremo Tribunal Federal (STF) cometeu erros graves ao condenar seu cliente do Banco Rural. E? Se eu fosse advogada de banqueiro, diria o mesmo para salvaguardar os milhões que receberia em honorários, mas não custa perguntar: O renomado jurista pretende recorrer a quem, já que o julgamento corre na Suprema Corte? A Deus? E nós, brasileiros, ainda precisamos dormir com essas sandices ditas em tom de "probo saber"!

Beatriz Campos beatriz.campos@uol.com.br

São Paulo

*

CHEGA DE CORRUPÇÃO!

O advogado Thomaz Bastos tem mais que espernear e falar um monte de besteiras contra o STF, pois recebeu muito dinheiro para defender o indefensável. Para seu conhecimento, "massacre" era o que a turma dos petralhas estavam fazendo com o povo: desvio de muito dinheiro público para benefício próprio, dinheiro este obtido com o nosso suor. Fazendo uso da lei vigente em nosso país, o STF apenas está confirmando o que muitos brasileiros vêm exigindo dos governantes há muito tempo: chega de corrupção! Lugar de bandido é na cadeia, e não ocupando os Três Poderes do nosso país.

Maria Carmen Del Bel Tunes carmen_tunes@yahoo.com.br

Americana

*

A TESE DO CAIXA 2

Tem mesmo razão Marcio Thomaz Bastos ao afirmar que o STF cometeu muitos erros! Um deles foi aceitar que o próprio doutor Bastos advogasse neste caso, quando ele, ao seu tempo de ministro da Justiça de Lula, já urdia em antecipação de defesa dos mensaleiros petistas sua esdrúxula e imoral tese de "recursos não contabilizados" para ocultar o vergonhoso caixa dois do mensalão petista.

Paulo Boccato pofboccato@yahoo.com.br

São Carlos

*

O JULGAMENTO DO MENSALÃO

À medida que os eminentes ministros do Supremo vão julgando, de forma independente e com muita competência, os itens do Mensalão e condenando os acusados, como já ocorreu com João Paulo Cunha, deputado petista, Pizzolato, petista e ex-diretor de publicidade do Banco do Brasil e agora com dirigentes do Banco Rural, petistas começam a espernear, como ocorreu, citando apenas caso mais grave, com presidente do PT, Rui Falcão, em relançamento de candidato à Prefeitura de Osasco, em substituição a João Paulo Cunha, quando, de maneira inaceitável, tentou jogar seus adeptos contra nossa Suprema Corte, insinuando que o STF estaria a serviço da oposição, de "uma elite suja e reacionária" ajudada pela mídia. Não sabem perder? Pois é bom que se cuidem, porque do jeito que estamos vendo a votação dos ministros, muita coisa ainda vai acontecer. O Supremo não vai se conter com críticas infundadas e reprováveis, pois sua função, é acima de tudo, resguardar nossa Carta Magna. A propósito, Lula continuará ainda dizendo que o Mensalão "nunca existiu"? E que iria trabalhar, após deixar o governo, para desfazer a "farsa"? E agora que o Suprema já confirmou que o Mensalão existiu mesmo, como fica sua situação? Vivemos numa democracia e o Estado de Direito tem de ser respeitado.

Luiz Nunes de Brito rosahollmann@yahoo.com.br

Rio de Janeiro

*

JULGAMENTO POLÍTICO

Ao analisar o placar dos dois primeiros rounds do julgamento do Mensalão, onde somente dois estão julgando "quase que totalmente" em desacordo com todos demais (9), devemos concluir que a minoria é que está fazendo julgamento político! Não precisaria esperar o placar, a análise da vida profissional e das amizades de cada nos levaria a essa conclusão.

José Carlos Alves jcalves@jcalves.net

São Paulo

*

INDIGNOS

Os "ministros" Lewandowski e Toffoli permitiram que a cegueira ideológica prevalecesse sobre o ideal da Justiça. Portanto, desvestiram a toga da Justiça e se cobriram com a capa de uma ideologia, o que, a todas as luzes, não é digno de um Juiz, com "J" maiúsculo. Portanto, deveriam renunciar a seus cargos, pagos com dinheiro de todos os brasileiros e não apenas daqueles que comungam do mesmo ideário político. Simples assim. Não são dignos de ocupar a cátedra da instância máxima judiciária do País.

Adherbal dos Santos Acquati adacquati@gmail.com

São Paulo

*

CERTEZA

Uma coisa é certa: José Dirceu, Genoíno e Delúbio serão inocentados por Lewandowski.

Ronald Martins da Cunha ronald.cunha@nestsite.com.br

Monte Santo de Minas (MG)

*

DESESPERO E LEALDADE

Sempre soube que as quadrilhas ou mesmo a Máfia tem uma sistema de lealdade e proteção , não é o caso do "chefe da quadrilha" que em atitude desesperadora joga responsabilidade em seus "companheiros" Jose Genoino e Delúbio, mostrando sua outra face.

Jose Luiz Padovani jlpadovani@terra.com.br

São Paulo

*

VERDADE VERDADEIRA

Falta muito pouco para que a verdadeira história do mensalão seja revelada em todo o seu esplendor. Por enquanto apenas os peixinhos caíram na rede. Faltam os tubarões. E quando acontecer, estruturas serão abaladas.

José Marques seuqram.esoj@bol.com.br

São Paulo

*

RECEITA DE PIZZA

Prepare uma massa juntando farinhas do mesmo saco, bastante dinheiro público e fermento de impunidade para a massa crescer bastante. Espere sete anos, abra bem a massa, recheie com subornos, fraudes, desvios, molhando a mão sempre. Se não tiver frutos do mar e certos moluscos, enfeite com corruptos e carregue nas tintas. Essa receita dá para 39 cumpanheros. Um júri especializado vai dar nota para a pizza, que tem um gosto horrível, mas o chef, para se safar, vai tentar desqualificar o júri e alegar que o mesmo se faz de cego ao provar da pizza.

Flavio Marcus Juliano opegapulhas@terra.com.br

Santos

*

MINISTRO CEZAR PELUSO

Quero dar ao ministro um duplo voto de parabéns. O primeiro pelos seus 70 anos de vida. Tenho certeza de que foram 70 anos bem vividos. Parabéns realmente merecido. O segundo pelo seu exemplo de brasilidade e justiça, não se intimidando pelos nomes dos indiciados mas pelos (maus) atos deles. O ministro deixa o STF de cabeça erguida, podendo repetir o nosso grande Rui Barbosa: "O homem tem vergonha de ser honesto". Cezar Peluso não teve.

Paulo Corrêa Leite paulocleite@bol.com.br

São Bernardo do Campo

*

UM HOMEM AINDA JOVEM

É absurda a aposentadoria compulsória e precoce de uma mente brilhante e aguda como a do ministro Cezar Peluso, que ainda poderia, por muitos anos mais, contribuir com aquele egrégio Tribunal e com o País. Não sei de que época é esta regra, mas deve ser dos tempos em que Alexandre Dumas, em um de seus romances, no Século 19, escreveu: "Um homem muito velho - de 50 anos"! Mudança já!

Roger Cahen rcahen@uol.com.br

São Paulo

*

PREOCUPAÇÃO GERAL

A aposentadoria do ministro Cezar Peluso está trazendo imensa preocupação geral. Todos, impreterivelmente, de norte a sul, de leste a oeste, manifestam uma inquietação, pois se houver algum empate na votação de alguma questão envolvendo absolvição x condenação, como será resolvida? Para que isso não venha ocorrer e acabe com essa ansiedade, sugiro que seja dada uma licença por tempo indeterminado, ou seja, até que dure o julgamento do mensalão, a um dos ministros em atividade. E, sinceramente, tenho percebido um certo ar de cansaço, de exaustão nos Ministros Dias Toffoli e Lewandowski. Podem sortear um dos dois para serem justos.

Nei Silveira de Almeida neizao1@yahoo.com.br

Belo Horizonte

*

INDICAÇÃO NO STF

Alguém tem dúvidas de que Dilma Rousseff, antes de determinar quem substituirá Cezar Peluso, que se aposentou por atingir a idade limite de 70 anos para continuar ocupando uma cadeira na Corte do Supremo Tribunal Federal (STF), terá de atender em primeiro lugar a determinações, ordens e mandos de Lula para depois indicá-lo(a)?

Angelo Tonelli angelotonelli@yahoo.com.br

São Paulo

*

OPOSIÇÃO INEXISTENTE

Em sua coluna de 5/9 (Um (a) por todos), a colunista Dora Kramer analisou fatos que mostram bem que no Brasil nossa oposição tem medo, vergonha ou não se sabe o que, de ser oposição. Claramente ela esclarece o modus operandi dos dois partidos principais, um que de qualquer maneira tenta honrar os seus princípios e cooptar cada vez mais eleitores e outro que faz justamente o contrário. Se quisesse honrar os votos que recebeu o então candidato do PSDB nas eleições para presidente em 2010 o partido teria tido atuação bem diferente da que tem tido ultimamente. Nunca antes na história deste país (para copiar o ex-presidente Lula) uma oposição esteve tão fraca e tão inoperante em época que tantos episódios indecentes foram protagonizados pelo governo e seus aliados, quer dizer, com tantas razões e fatos para serem explorados. E uma grande parte do eleitorado se viu completamente sem voz e sem defesa. Na verdade quase 44 milhões de cidadãos brasileiros não votaram em Dilma, número de votos nada desprezível em nenhum lugar do mundo. Mas estas pessoas não se sentem representadas nem na Câmara e nem no Senado (salvo algumas raríssimas exceções). A votação das cotas raciais mostram bem isso. A certeza é que o que havia de oposição se dissipou ou por preguiça ou por falta de ideologia diferente desta que está tornando o Brasil um país com uma democracia não muito democrática. Depois de vários contatos com vários representantes da oposição sem nenhuma resposta só me resta continuar a espernear por aqui, coisa que milhões de pessoas não podem ou não querem fazer, mas a meu ver deveriam.

Maria Tereza Murray terezamurray@hotmail.com

São Paulo

*

PSDBONZINHO

A oposição do Guerra é tão pacífica que até parece confraternização...

A.Fernandes standyball@hotmail.com

São Paulo

*

ESTAMOS ÓRFÃOS DE OPOSIÇÃO

Realmente, chegamos à conclusão que vivemos uma situação inusitada onde um País como o Brasil com um numero imenso de deputados, vereadores e senadores não consegue ter uma oposição operante mesmo vivendo momentos reais de desmandos, corrupção e incompetências do governo nesses últimos dez anos. Dependemos de uns poucos cidadãos que botam a boca no trombone, nos jornais, independentes, que oferecem algum espaço para as demandas da população mais esclarecida e que ainda não caiu nos encantos da sereia populista dos petralhas. Imaginemos se os crimes do mensalão não fossem do PT na época em que exerciam o papel de oposição se cabeças não teriam rolado muito antes de chegar ao STF, e teriam explorados em todos os espaços da propaganda eleitoral gratuita. Realmente estamos órfãos de políticos corajosos como muitos que defenderam a moral e a ética em tempos memoráveis de nossa História política.

Leila E. Leitão

São Paulo

*

A GREVE DA OPOSIÇÃO

De fato chegamos ao fundo do poço com essa oposição omissa e covarde. Seria de perguntar, afinal o que temem os oposicionistas? Deixaram passar tantas vezes as oportunidades para desmascarar os petistas e continuam a fazê-lo como se nada estivesse acontecendo? Por que nenhum senador ou deputado se interessa em acompanhar o julgamento do mensalão e a debatê-lo com a sociedade? E por que não usar o horário político para escancarar o "mensalão" tantas vezes negado por Lula? Por que ninguém na oposição se levanta para criticar a economia brasileira que cresce tanto quanto as economias europeias em crise e as medidas propostas por Guido Mantega não se mostram eficazes? É preciso que um jornalista da estirpe de Reinaldo Azevedo sacuda essa gente e os acordem? Vamos mal mesmo. Se o inimigo descobre que tem mais força vai usar e abusar de seus poderes. Pobre Brasil será que ser oposição é compactuar com as maracutaias governistas e ficar refém delas? A sociedade quer tolerância zero com a corrupção, com os corruptos e os que foram eleitos para representar a banda de eleitores que ainda têm coragem de lutar o que têm a dizer? Vão continuar calados? Se não têm competência para exercer um mandato de fato e exigir seriedade nessa pouca vergonha a que estamos assistindo, que renunciem aos cargos, pois a resposta nas urnas virá mais rápida do que se pensa. O eleitor não suporta ser tratado feito palhaço. Aguardem!

Izabel Avallone izabelavallone@gmail.com

São Paulo

*

DUROU POUCO

Diz-se que, no Brasil, os partidos tem apenas 17% de representação na Câmara. Estando certo os números, o Brasil é o país da America Latina com o menor número de oposicionistas. Não que não tivéssemos nos dado conta disso. Os ditos oposicionistas estão divididos em duas categorias: os que não se mexem, por medo da língua ferina do PT e os que tentam se mexer, mas não são ouvidos ou, pior, são desqualificados por quem os ouve. O PT dispõe de formidável máquina de destruir reputações na rede, e de forte influência na imprensa. Tais poderosos instrumentos "moem" a reputação de qualquer pessoa que ouse criticar o governo ou o partido. Basta ler os jornais - todos eles! - para perceber o tamanho poder que o PT tem nas mãos. Basta acessar as redes sociais para ver a máquina em ação. Basta que um oposicionista se manifeste, para que seja esmagado no dia seguinte nos jornais e na rede. E assim chegamos a agora a um país governado por uma partido hegemônico, o sonho de consumo petista. Sem oposição nenhum regime pode se dizer democrático. Infelizmente, a democracia reconquistada no Brasil durou pouco.

Maria Cristina Rocha Azevedo crisrochazevedo@hotmail.com

Florianópolis

*

ESCRITO NAS ESTRELAS II

De como um povo desinformado e uma oposição letárgica podem - outra vez - eleger um poste... e este, minha gente, completamente "desiluminado"!

Clair Peixoto clairpeixoto@uol.com.br

Campinas

*

DEUSAS DO ASFALTO

Empreiteiras doaram 65% dos recursos arrecadados por Fernando Haddad, candidato do PT à Prefeitura de São Paulo. Espero que os paulistanos compreendam por que as obras na cidade de São Paulo são tão caras. A única coisa concreta é esperar que os eleitores não "obrem" nas urnas.

Flavio Marcus Juliano opegapulhas@terra.com.br

Santos

*

PHOTOSHOPAR OU NÃO, EIS A QUESTÃO

Pelo que se vê nos milhares de cavaletes que enfeiam a cidade e dificultam a vida dos pedestres, concluo que teremos uma câmera de vereadores bem "jovens", como que "saídos da adolescência". Quem será o "adulto jovem" de bigode nas fotos dos candidatos do PT?

Luiz Nusbaum lnusbaum@uol.com.br

São Paulo

*

ABUSOS

Domingo, dia 2 de agosto. A leitura matinal do Estado faz parte de meu cotidiano. Logo de início duas notícias que interferem de forma direta ao nosso humor. A primeira: União tem 121 imóveis de luxo, ocupados de forma irregular na capital do país. A segunda: Vereadores ( quatro deles) de São Paulo usam carros com placas de forma irregular. Mas será possível que este país se tornou um oásis de malfeitos, de abusos, de usurpação em todos os níveis da administração pública? Ninguém fiscaliza absolutamente nada? Até quando teremos que conviver com notícias diárias de desvios e má conduta desses maus brasileiros? 121 imóveis ocupados de forma irregular por espertalhões que já deixaram o serviço público há tempos e estão morando confortavelmente, é claro, às nossas custas. Essa gente não tem caráter mesmo. E o que dizer de quatro vereadores que usam placas pretas para burlar a fiscalização? A todo instante somos agredidos. Até quando?

Francisco Zardetto fzardetto@uol.com.br

São Paulo

*

SEM PUNIÇÃO

Absurdo 1: vereadores ainda usam placas pretas, banidas em 2010, em seus automóveis oficiais, para escaparem de multas de trânsito. Absurdo 2: esses sub-seres humanos não serão punidos, apesar de já terem sidos advertidos inúmeras vezes pela corregedoria da Casa. Até quando seremos ultrajados pelos políticos parasitas que infestam esta Nação?

Marcelo Giorgi borggy@uol.com.br

São Paulo

*

O DRAMA DE SÃO PAULO

Os paulistanos, que carregam nas costas o Brasil, enfrentam as trágicas consequências de sua mais infausta administração municipal: o caos, que ativa a memória das promessas descumpridas, revelado na saúde, educação, pavimentação péssima, calçadas medievais, corrupção, trânsito imóvel, nenhum ato que se possa invocar como, pelo menos, tentativa inovadora, cidade escura e, pior do que tudo isso, um futuro político obscuro.

Amadeu R. Garrido de Paula amadeugarridoadv@uol.com.br

São Paulo

*

CORTE NA CONTA DE LUZ

O anúncio da presidente Dilma Rousseff de corte na conta de luz para o início de 2013 (7/9, B1) foi muito bem recebido pela população brasileira e, em especial, pelo setor industrial, que há tempos vem reivindicando essa redução. Como a mudança somente virá no início do ano que vem, a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) deveria aproveitar e fazer uma "limpeza pra valer" nas 8 empresas distribuidoras de energia - controladas por governos estaduais -, em fase pré-falimentar e que foram absorvidas pela Eletrobrás. Que tal incluir essas distribuidoras de energia falidas na Empresa de Planejamento e Logística (EPL) do governo federal, encarregada de projetos de melhoria na infraestrutura do País?

Edgard Gobbi edgardgobbi@gmail.com

Campinas

*

LUZ MAIS BARATA, UM BOM COMEÇO

A redução das contas de consumo de eletricidade é uma boa notícia. Mas a União também deveria pressionar os governos estaduais a abandonarem a prática abusiva na cobrança do ICMS (Impostos sobre Circulação de Mercadoria e Serviços). A alíquota do ICMS incidente na conta de fornecimento residencial é de 25% (a maior da tabela, que tem produtos onde o imposto é de apenas 7%) mas, na hora do calculo, os 25%, que deveriam incidir apenas sobre o consumo faturado, também acabam incluindo na base de cálculo o PIS/Pasep, o Cofins e o próprio ICMS. O consumidor, dessa forma, em vez de 25%, acaba pagando mais de 30% e, o mais injusto, é que parte desse tributo é gerado, em cascata, pelo próprio tributo. As autoridades não podem perder de vista, a necessidade de conservação e economia de eletricidade. A redução no valor da conta não pode, jamais, representar um estímulo ao consumo porque, todos sabemos, a energia elétrica é um insumo limitado à capacidade instalada de geração e não pode ser armazenada. Nos anos 80 e 90, os técnicos do setor festejaram o desaquecimento da economia porque, se os níveis de crescimento se mantivessem, o racionamento seria inevitável. O problema de pico ainda continua e, se liberar geral, pode não haver eletricidade para todos. A desoneração é benéfica. Com ela, o Estado alavanca a economia, gera empregos, dá maior poder aos salários e, até, combate a corrupção. Espera-se que o mesmo ainda ocorra com água e esgotos, combustíveis, veículos e todos os produtos que hoje pagam impostos elevados...

Dirceu Cardoso Gonçalves aspomilpm@terra.com.br

São Paulo

*

A DUPLA NÃO FUNCIONA

É inegável que a dupla Dilma Rousseff e Guido Mantega não sabe que providências adotar para fazer o País crescer em nível mais elevado do que o atual, entre 1% e 2% ao ano; as medidas tomadas recentemente beneficiaram setores da indústria, principalmente a linha branca e os automóveis, mas não trouxeram resultados globais importantes. A inflação anual continua na casa dos 5%, o que é elevado, e nem mesmo os juros reais inferiores a 2% ao ano promoveram investimentos significativos na iniciativa privada. A dupla não funciona.

Sergio Lopes sergio.lopes940@gmail.com

São Paulo

*

ENDIVIDAMENTO ASSUSTADOR

Quase um terço da população do país (cento e noventa e três milhões de habitantes), ou seja, 60,9 milhões de brasileiros, estão endividados, segundo dados do Banco Central, divulgados pelo Estadão. Não há mais, pois, margem para convite a consumidores nesta fase de combate à crise internacional, e como modo de expandir a nossa economia, evitando-se a estagnação. Falta, no entanto, com atualização adequada, a estatística sobre a inadimplência que pesa sobre a assombrosa porcentagem de devedores do país. Certamente será enorme e, pois, afugentadora dos empréstimos bancários, porque nenhum banco, seja público ou privado, pode arriscar-se a emprestar aos super ou ultraendividados. Obviamente, o assustador montante dos endividados vem como resultante do governo Lula, cujos convites para gastar eram contínuos, mesmo porque a sua "marolinha" não iria deixar resultados para o país. Mas aí estão eles, ocasionando verdadeiro problema para a economia nacional.

José Carlos de C. Carneiro carneirojc@ig.com.br

Rio Claro

*

UTOPIA

Se vivemos num país que tem o maior ser humano desde nunca antes visto (isso na opinião dele próprio); se, além da sexta maior economia mundial, temos a terceira mulher mais poderosa do planeta; por que será que temos uma sociedade tão endividada? Já imaginaram se a qualidade dos serviços a nos oferecido, tivesse a mesma precisão, qualidade e velocidade do imposto que á nos é imposto a pagarmos? Já imaginaram se nossos políticos decidissem cumprir pelo menos parte daquilo que a nos é prometido nas campanhas eleitorais? Presumo que se a corrupção fosse banida do nosso país,provavelmente amanhã poderíamos sonhar com um país igual ao país que o ex-presidente Lula acredita que temos hoje.

Virgílio Melhado Passoni mmpassoni@gmail.com

Jandaia do Sul (PR)

*

CASTIGO OU PRÊMIO?

O novo corregedor nacional de justiça, Francisco Falcão, afirmou que ele trabalhará para retirar de atividade juízes "vagabundos". A sua antecessora Eliana Calmon já havia apontado a existência de juízes "bandidos" na magistratura. Existe uma excrescência em nossas leis que urge serem elas alteradas a respeito de juízes corruptos, bandidos e vagabundos que são alijados dos seus cargos, contudo, esses juízes venais são premiados com a aposentadoria compulsória e continuam recebendo mensalmente seus polpudos vencimentos. Em nome da moralidade pública este absurdo tem que corrigido o quanto antes, porque é revoltante. Qual malandro, vagabundo, não gostas de receber um ótimo salário sem precisar ir trabalhar.

José Carlos de Castro Rios jc.rios@globo.com

São Paulo

*

'JUÍZES VAGABUNDOS'

Se o novo corregedor, Francisco Falcão, que substitui a atuante ministra Eliana Calmon na Corregedoria Nacional de Justiça, cumprir o que está prometendo, no sentido de que trabalhará para tirar de atividade juízes "vagabundos", nosso Judiciário ficará acéfalo...

Artur Topgian topgian.advogados@terra.com.br

São Paulo

*

AS MAÇÃS PODRES DO JUDICIÁRIO

A ex-ministra Eliana Calmon deu início à higienização do Poder Judiciário brasileiro quando ousou falar em "bandidos de toga". Seu sucessor, o corregedor Francisco Falcão, segue na mesma trilha e diz no dia de sua posse, com todas as letras, que "é preciso tirar as maçãs podres, uma meia dúzia de vagabundos". Juízes "bandidos e vendidos" merecem cartão vermelho e expulsão de campo.

J. S. Decol decoljs@globo.com

São Paulo

*

CONVERSAÇÕES COM AS FARC

As Forças Revolucionárias da Colômbia (Farc), grupo marxista armado, anuncia conversações com o governo de Juan Manuel Santos, que será realizado na Noruega, previsto para Outubro, em Oslo. O grupo começou a se formar em fins da década de 40, e lutaram ao lado dos liberais, mas foram traídos, e se tornaram a única guerrilha de esquerda armada na América Latina ainda atuante, e agora, pelo visto, almeja participação política, principalmente para os veteranos. O diálogo será fechado. Foi mencionado Cuba, Venezuela e a Noruega. É bom assim, um ajuste de contas diplomático. Até porque a Colômbia reportará aos EUA as conversações, Cuba e Venezuela, que apoiam a guerrilha, seriam as fiscalizadoras e a medidas. Podemos fazer umas previsões. As Farc podem seguir o exemplo do grupo IRA, da Irlanda, que lutava, luta, pelos interesses dos irlandeses católicos contra o protestantismo colonial da Inglaterra, mas que em 2005 depôs as armas e tornou-se um partido político, o Sinn Fein (nós próprios), mas seu braço armado não morreu, está adormecido. Ou seguir um caminho mais tumultuado, como o do grupo xiita Hezbollah, do Líbano, que tem forte participação política e seu próprio exército, respeitando seus objetivos estratégicos e seus contextos. Mas seria uma versão nos nossos trópicos. Outro problema é dissociar as Farc dos traficantes. Ocorrerá guerra, porque os quartéis não verão seus protetores abandonando-os sem derramamento de sangue pelas ruas colombianas. Será um árduo serviço às autoridades, militares e, se a conversação maturar, a própria Farc têm de lutar contra o tráfico. Assim ela afetaria os EUA/DEA, seria uma boa sacada.

Luiz Fabiano Alves Rosa fabiano_agt@hotmail.com

Curitiba

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.