Fórum dos Leitores

GOVERNO DILMA

O Estado de S.Paulo

12 Setembro 2012 | 03h10

Primeira parcela paga

A presidente Dilma Rousseff substituiu a ministra Ana de Hollanda pela senadora Marta Suplicy no Ministério da Cultura. Dessa forma o apoio tardio da Martaxa à candidatura de Fernando Haddad (PT) à Prefeitura de São Paulo teve a sua primeira parcela quitada. Resta saber se a Cultura suporta e merece tamanha indicação.

CLAUDIO JUCHEM

cjuchem@gmail.com

São Paulo

Falsa nobreza

Agora, sim, está bem explicado o inesperado apoio da senadora Marta a Haddad. Quem acreditou em atitude nobre da senadora aí tem a resposta.

LUIZ FELIPE DIAS FARAH

felipefarah@gmail.com

São Paulo

Dissimulação

Quem será que a distinta sra. Marta, ainda Suplicy, pensa que engana? Primeiro recusou veementemente "ajudar" na campanha de Haddad. De uma hora para outra aceitou sair no corpo a corpo com o candidato e agora lá vem ela negar que sua indicação seja uma compensação pela entrada na campanha do petista em São Paulo. Aceitou o convite e disse que vai estudar com "humildade" a Cultura. E completou: "O ministério é desafiador, vou mergulhar no ministério e fazer acontecer as boas coisas que estão implementadas". Faça-me o favor, senhora, poupe os brasileiros de tanta dissimulação.

VERA LÚCIA CORRÊA

correa.vera@uol.com.br

Vinhedo

Passe desvalorizado

Acintosamente preterida pelo PT para concorrer à Prefeitura paulistana, Martaxa vende melancolicamente seu apoio a Haddad em troca do insignificante Ministério da Cultura, que só não tem menor visibilidade que o da Pesca... Sinal de que a senadora e outrora prefeita da mais importante capital do País tem status ainda mais reduzido, hoje, no partido que os petistas membros da "quadrilha" do mensalão, que Lula oferece até a vida para defender! Que decadência...

PAULO PANOSSIAN

paulopanossian@hotmail.com

São Carlos

Moeda de troca

Assim como o Ministério do Turismo, o da Cultura é daquelas pastas a que o governo dá pouca ou nenhuma importância. Parece que existem só para servir como moeda de troca por algo de interesse da Presidência da República, como esse apoio envergonhado que Marta passou a dar à candidatura de Haddad. Por isso agora recebe o merecido troféu.

RONALDO GOMES FERRAZ

ronferraz@globo.com

Rio de Janeiro

Nova ministra

Uma mão lava a outra!

ROBERT HALLER

robelisa1@terra.com.br

São Paulo

É dando que se recebe...

Apoio de Maluf, Ministério das Cidades. Apoio de Marta, Ministério da Cultura. Mais uma ofensa a São Francisco de Assis.

LUIZ NUSBAUM

lnusbaum@uol.com.br

São Paulo

Continua tudo igual

Nada mudou do Lula para Dilma, é o famoso "toma lá, dá cá": Marta apoia Haddad e leva a Cultura. Tudo farinha do mesmo saco.

MARCOS OLIVEIRA

mate3266@gmail.com

São Paulo

Submissão

Dona Dilma até que vinha demonstrando personalidade, exercendo a Presidência com estilo próprio, e não como marionete do Lula. Agora, por causa das eleições, está-se tornando a cada dia mais submissa à vontade do "grande estadista". Que pena, perder a própria personalidade é muito triste. Parabéns a dona Marta, até que o "pagamento" para apoiar o "mala" Haddad não foi mau: um ministério com uma boa verba orçamentária e pouco trabalho... Legal! E parabéns por sua, digamos, "solidariedade desinteressada" à campanha paulistana. Isso é que é patriotismo!

GODOFREDO SOARES

caetano.godofredo@terra.com.br

São Paulo

Aparelhamento

A olhos vistos, a administração petista vai de mal a pior. Se há algo que não se alinha ao perfil de Marta é o universo da letras. Não há um sinal sequer de que a futura ministra nos tenha brindado com alguma obra literária de significado inconteste. Seu currículo vazio não dá suporte ao cargo que vai exercer. Marta tem um perfil truculento, por vezes áspero, e sempre avesso ao diálogo. Esse perfil não autoriza a ocupação desse importante cargo. O aparelhamento político de cargos importantes é uma constante no horizonte petista. Os prejuízos para o País são imensuráveis.

FRANCISCO ZARDETTO

fzardetto@uol.com.br

São Paulo

Prêmio de consolação

Vejam como são as coisas: Marta só engoliu o sapo de ter sido rejeitada por Lula como candidata à Prefeitura e garantiu apoio a Haddad quando a digestão do batráquio se fez... O remédio prêmio de consolação foi o fato de terem posto o Ministério da Cultura em suas mãos. Como consequência, mais um suplente que não recebeu um voto sequer para esse cargo vai ser senador por São Paulo: Antonio Carlos Rodrigues, do PR de Valdemar Costa Neto, que assumiu ter recebido dinheiro do PT quando do mensalão. Em termos de cultura, qual será a contribuição que Marta dará ao Brasil...? Quando penso nisso, não relaxo nem... um pouco.

MARA MONTEZUMA ASSAF

montezuma.scriba@gmail.com

São Paulo

Elege um e paga dois

Mais uma senadora que vira ministra. Governo do PT é assim: elege-se um e paga-se por dois. Mais um senador ocupando a cadeira sem ter sido eleito. Parabéns, dona Dilma!

RICARDO MARIN

s1estudio@ig.com.br

Osasco

Isso não está certo!

Os paulistas elegeram a sra. Marta senadora a fim de representá-los nos oito anos do mandato, defendendo os interesses do Estado. Agora foi convidada a assumir o Ministério da Cultura por indicação da presidente Dilma e em seu lugar, no Senado, entrará o suplente, um vereador de São Paulo. Apostamos na competência de Marta e ficaremos com um obscuro vereador! Ser ministra da Cultura é mais importante do que ser senadora? Se dona Marta não queria mais ser senadora, então que renunciasse e nova eleição para o Senado deveria ser feita em 2014. A reforma política tem de corrigir esses desvios.

ANIBAL FILLIP

aniverofil@uol.com.br

Santos

Cartas selecionadas para o Fórum dos Leitores do portal estadao.com.br

O GARANTIDOR TEORI ZAVASCKI

A presteza de Dilma Rousseff em recolocar mais um amigo dos amigos no Supremo Tribunal Federal (STF) foi uma artimanha para juntar mais um à dupla "dinâmica" Dias Toffoli e Ricardo Lewandowski, talvez em tempo de ajudar a mudar as condenações certas da companheirada no mensalão do PT. Cabe um lembrete: Teori Zavascki, indicado por Dilma para ocupar a vaga de Cezar Peluso, deu com uma mão garantidora a absolvição de Antonio Palocci, acusado de improbidade enquanto ministro de Dilma, e, em troca, recebe das mãos maternais da presidente o supremo cargo. Fazemos votos para que seja mais um a não se render a renque do Grã Guia.

Leila E. Leitão

São Paulo

*

'SKI' + 'CKI'

Mais um "ski" agora? Um polonês? Já não chega ter romeno, alemão, macedônio, búlgaro, esloveno? Queres isolar Quinzinho, madame Blavatsky?

Stanislaw Cordeiro ratles2@hotmail.com

São Paulo

*

'É NOSSO'

Zavascki é "dos nossos" - deles, é claro. Já livrou o então ministro da Casa Civil Antonio Palocci, quando rejeitou recurso do Ministério Público contra o referido. Teori Zavascki, catarinense com 64 anos, será submetido ao referendo do Congresso Nacional, com a aprovação "garantida". Duvidam? Depois da criação do mensalulão, em 2003, acabaram com a oposição e só agora, depois de quase dez anos, os envolvidos estão sendo punidos. Antes tarde do que nunca... Estamos confiantes de que será o início do fim da impunidade que impera em nosso país.

Luiz Dias lfd.silva@2me.com.br

São Paulo

*

ESCOLHA DE QUEM?

Agora entendi a rapidez com que o magistrado Teori Zavascki foi escolhido por Dilma para ocupar o lugar que Peluso deixou vago no STF: parece que seu "filtro interno" contra corruptos não funciona, visto que ele mostrou em seus nove anos de atuação no Superior Tribunal de Justiça (STJ) que sua prioridade sempre foi garantir o direito dos réus, um verdadeiro "garantista". Foi com seu voto que Palocci se salvou num processo por improbidade, e Zavascki só não conseguiu o mesmo resultado com José Roberto Arruda porque foi voto vencido. Significa que, se porventura ele passar na sabatina do Senado (e passará) e, depois, puder participar do julgamento do mensalão, será com o seu voto que ele inocentará os petistas numa situação de possível empate. A escolha deste ministro foi mesmo de Dilma ou daquele que jurou provar que o mensalão nunca existiu?

Mara Montezuma Assaf montezuma.scriba@gmail.com

São Paulo

*

NUNCA ANTES...

Nunca antes na História deste país a indicação de um ministro para o STF foi tão rápida. Se tem armação? É esperar para ver.

José Gilberto Silvestrini jsilvestrini@hotmail.com

Pirassununga

*

CASA DA SOGRA

É muita cara de pau da presidente, que em substituição a Cezar Peluso, que se aposentou, venha indicar no meio do julgamento do mensalão o magistrado Teori Zavascki, sabendo que foi esse quem livrou de condenação o ex-ministro Antonio Palocci, que era réu por improbidade administrativa. Lógico que este magistrado citado não terá influência no caso do mensalão, e talvez nem tenha tempo para tomar posse, se for referendado na sabatina do Congresso, antes do final do julgamento que ora ocorre no STF. Mas, neste momento que o País tenta resgatar a ética dentro das nossas instituições com a condenação, até aqui implacável, de parte da quadrilha dos mensaleiros, do PT e aliados, durante o governo Lula, a Dilma indicando exatamente um ministro que absolveu o Palocci, é zombar com todas as letras a sociedade brasileira! Demonstrando assim a presidente não ter nenhum apego aos bons costumes! E sinaliza também que aprendeu muito bem com o Lula, de que quem manda no Brasil é ela, e não deve satisfação a ninguém, a não ser aos camaradas de seu partido, sejam eles picaretas, ou não, dentro do poder da República! Fala sério, é muita esculhambação...

Paulo Panossian paulopanossian@hotmail.com

São Carlos

*

STF ENGRANDECIDO

Todos quantos militam na esfera jurídica admiram a competência e dignidade do ministro indicado ao STF Teori Zavascki, jurista que, por anos, exercitou a judicatura no STJ, sendo admirado por seus trabalhos e por seus decisórios proferidos nos processos a seu cargo. São escolhas de tal monta que engrandecem mais a nossa Suprema Corte, cujos componentes merecem estar acima de qualquer desconfiança jurídica e moral. Caso não haja modificações na escolha dos ministros, com indicações de cidadãos pela OAB, Ministério Público e Associações de Magistrados, se a Nação puder contar com cidadãos de gabarito similar, a satisfação será imensa.

José Carlos de C. Carneiro carneirojc@ig.com.br

Rio Claro

*

UMA BOA ESCOLHA

Parabéns à presidente Dilma Rousseff por indicar rapidamente Teori Zavascki como o novo ministro do STF em substituição ao ministro Cezar Peluso. O novo ministro é altamente categorizado na área jurídica, não tem vinculação com nenhum partido político e foi muito elogiado pelo ministro Carlos Ayres Britto e pelos atuais membros do STF.

Edgard Gobbi edgardgobbi@gmail.com

Campinas

*

QUANTO CUSTA?

Uma vaga no STF: PT $ 1 Dirceu; ou PT $ 1 João Paulo, ou PT $ 1 Palocci. Um Ministério da Cultura: PT $ 1 Haddad. Quesitos exigidos para a transação: falta de moral e ética.

Carlos Alberto Roxo roxo_7@terra.com.br

São Paulo

*

O PREÇO DO APOIO A HADDAD

A senadora Marta Suplicy é a nova ministra da Cultura. Para a alegria de muitos, esse ministério não faz parte do ministério que cuida dos aeroportos brasileiro!

Virgílio Melhado Passoni mmpassoni@gmail.com

Jandaia do Sul (PR)

*

UM RELATÓRIO INATACÁVEL

Deixando de lado as preferências político-partidárias e guardando-se a devida e sempre recomendada "distância emocional dos fatos", há de se ressaltar o trabalho hercúleo do eminente ministro Joaquim Barbosa na elaboração do relatório do processo do mensalão. Hercúleo porque exigiu horas e horas de trabalho estafante e monótono, na leitura atenta e organização dos inúmeros documentos que foram examinados para a elaboração do brilhante trabalho do relator. A peça elaborada por este douto juiz prima pela isenção, é minuciosa, técnica e demonstra todo o embasamento intelectual e o profundo conhecimento jurídico processual do ministro. Isso tudo, sem deixar de levar em conta sua coragem e seu desassombro em questionar atitudes pouco recomendáveis de pessoas até então consideradas intocáveis. Joaquim Barbosa foi claro e preciso em tipificar os delitos cometidos por cada um dos réus, sem se deixar levar por paixões, políticas, ou ideológicas de quaisquer espécies. Seu trabalho enobrece a função judicante e reacende no coração do jurisdicionado a confiança, até então muito abalada, no Poder Judiciário. Por todas essas razões, o trabalho deste grande julgador será sempre lembrado como uma das melhores peças já elaboradas por um membro de nossa mais Alta Corte de Justiça. Que o honrado ministro Joaquim Barbosa guarde, para sempre em sua memória, que toda essa geração de brasileiros que ora acompanha seu trabalho tem imensa honra em tê-lo como seu representante no Supremo Tribunal Federal.

José Carlos Werneck jc_werneck@hotmail.com

Brasília

*

JOAQUIM BARBOSA

Tenho medo de que possa vir a acontecer um atentado cirúrgico contra o ministro do STF, Joaquim Barbosa, se ele tiver que ser submetido a uma nova cirurgia, durante o julgamento dos réus do mensalão. Confesso que, até o momento, não me saiu da memória o dia em que vi, estampado na primeira página de alguns jornais em 1985, em letras garrafais: CUT e o PT declararam guerra a Tancredo, depois de ele ter dito que poderíamos fazer desse país uma grande nação. E vamos fazê-la, afirmou. Tancredo foi eleito presidente pelo voto indireto em janeiro de 1985. Em março do mesmo ano adoeceu e, 39 dias depois falecia, deixando o povo brasileiro numa dúvida cruel. Vale lembrar que PT e CUT queriam Maluf. Tanto é verdade que hoje eles voltaram a aparecer agarradinhos. Estou errado Em estar preocupado com o ministro Joaquim Barbosa?

Leônidas Marques leo_vr@terra.com.br

Volta Redonda (RJ)

*

VAMOS TRABALHAR!

Agora entendemos por que a Justiça brasileira é tão morosa! Vendo o julgamento do mensalão, fica evidente que o tempo é a menor das preocupações dos juízes. As sessões, que deveriam inicia-se às 14 horas, sempre começam depois das 14h30. O intervalo, que acontece cerca de duas horas depois e que deveria ser de 30 minutos, chega a levar 55 minutos! E, por fim, o encerramento, que deveria ocorrer às 20 horas, dá-se não raro por volta das 18 horas. Houve dia em que encerraram os trabalhos às 17h35! É ridículo. Os trabalhos de fato em uma sessão não tomam mais que 3 horas! Conhecemos nosso funcionalismo público e todos têm o conceito de que naquele meio a presteza não tem a menor importância. Porém, nunca poderíamos imaginar que os juízes do Supremo Tribunal Federal ilustrasse isso com tanta propriedade. Vamos trabalhar, senhores do Supremo!

Maria Cristina Rocha Azevedo crisrochazevedo@hotmail.com

Florianópolis

*

MENSALÃO, A NOVELA DO ÓBVIO

Em pauta, o julgamento do "mensalão". Pelo tempo já decorrido, pelo tanto que já se falou e disse (e ainda há muito para ser dito!) e estando tudo registrado no papel e virtualmente, a se ter em conta as manifestações das defesas, tudo não passaria de um romance de ficção, visto que nenhuma das acusações tinha fundamento, como procuraram demonstrar. Porém, a tudo isso falta o gancho do mistério que prende o leitor (e também o ouvinte). O mensalão não é um roman à clef, do que indiscutivelmente foi mestre Marcel Proust. Se na narração de Proust os personagens e os fatos reais são harmonizados para um texto ficcional, no romance do mensalão tal não ocorre. Muito pelo contrário. Os indícios são tão reais e evidentes como o são os personagens envolvidos nos revelados trâmites das andanças da dinheirama movimentada. O mensalão em julgamento, enfim, pode ser mais bem classificado no grupo das novelas sobre o óbvio.

Pedro Luís de Campos Vergueiro pedrover@matrix.com.br

São Paulo

*

SERÁ QUE DESTA VEZ VAI?

Duas perguntas: Zé Dirceu continua falando, da boca para fora, que não via a hora de o julgamento do mensalão começar? Por que os blogs patrocinados pelas estatais como a Caixa e a Petrobrás não noticiam o julgamento?

Luiz Nusbaum lnusbaum@uol.com.br

São Paulo

*

HERANÇA PESADA

Avança o julgamento do mensalão e se avizinha a hora de Zé Dirceu. E aquele que prometeu "desmontar essa farsa", não será atingido, não vai fanfarronear na mídia, não vai reclamar da "elite suja" que ousa botar o dedo nas maracutaias? Cadê o cabra?! Vai deixar a herdeira com a batata quente na mão, mais uma vez...

Doca Ramos Mello ddramosmello@uol.com.br

São Sebastião

*

É TEMPO DE QUESTIONAR

Depois da convocação que nos sobressalta, observando a correta conduta do STF, no julgamento dos implicados no caso mensalão, já é tempo de questionar: o que fará o procurador-geral da República com referência ao ex-presidente Lula, que, a cada voto dos Srs. ministros, o PT é mencionado? Se a raiz não for extirpada, a árvore da corrupção continuará dando frutos. Precisamos despertar a sociedade, sempre lembrando o que disse José Dirceu: "Nada era feito sem conhecimento do presidente".

Paulo Maia Costa Júnior paulomaiacjr@hotmail.com

São José dos Campos

*

TOMANDO O PRÓPRIO VENENO

Vou dar uma forçinha para o povo puxar pela memória: o PT vivia atacando o poder constituído acusando-o de corrupto, cobrava a redução substancial da taxa de juros, criticava e elevada carga tributária, combatia ferrenhamente o assistencialismo e comandava, estimulava, apoiava e estava sempre à frente de movimentos grevistas. Hoje no poder, está tomando do próprio veneno. Deflagrou o maior processo de corrupção da história do País (mensalão), é responsável por uma taxa de juros exorbitante, governa o país detentor da maior carga tributária do planeta, possui o maior programa assistencialista do mundo e amarga movimentos grevistas nos setores público e privado de enormes proporções, além de fazer da mentira o seu modus governandi.

Nei Silveira de Almeida neizao1@yahoo.com.br

Belo Horizonte

*

UM OUTRO LUÍS INÁCIO

Um novo Luís Inácio ataca. Trata-se do petista Luis Inácio Adams, chefe da Advocacia-Geral da União (AGU). Certamente de olho numa das próximas vagas do STF, e olhando espórtula recebida pelo advogado Toffoli, quer esmerar-se em serviços prestados ao petelulismo para ser recompensado pelos serviços prestados à causa da "tomada do poder" pela malta. Este Luis Inácio quer porque quer que os mandatários da corja possam nomear livremente advogados para a Advocacia-Geral da União. Traduzindo: campo livre para o aparelhamento do órgão. Assim segue a pérfida ação do outro que praticamente transformou órgãos-chave da administração pública, empresas estatais e todo o aparato onde o Estado detém poder, em células petistas e suas "tenebrosas transações". Basta de "maracutaias" à Luís Inácio! Nada contra os "Luis Inácio" cidadãos brasileiros. Mas muito contra as malandragens de certos "Luís Inácio" de alma vendida aos objetivos do petelulismo.

Alexandre de Macedo Marques ammarques@uol.com.br

São Paulo

*

'O APARELHAMENTO DA AGU'

Li com muita preocupação o editorial O aparelhamento da AGU (10/9, A3) e quero cumprimentar o jornal por mais essa desassombrada atitude de defesa da democracia. Fico a imaginar o que seria deste nosso querido Brasil se os "companheiros" do PT não encontrassem obstáculos como o que ora o jornal, até heroicamente, ergue contra essa sanha de poder e corrupção que caracteriza esse partido. Oxalá o STF lhes faça justiça, colocando toda essa verdadeira quadrilha na cadeia, apud procurador-geral da República, Exmo. Dr. Roberto Gurgel!

Marcos Carvalho marocar42@gmail.com

São Paulo

*

PROJETO DE NADA

A Constituição de 1988 foi um passa-moleque dos socialistas-comunistas em associação espúria com o coronelato do poder ou do pudê. Essas instituições eram para ser "aparelhadas" e, na atual conjectura, apenas fazem parte do projeto petista, de carona nessa Constituição que tem apenas projeto de eleição, não é projeto de Nação, muito menos brasileira, que a bem da verdade ainda não tem projeto algum de absolutamente nada.

Ariovaldo Batista arioba06@hotmail.com

São Bernardo do Campo

*

É HORA DE ORAR

A disputa pela Prefeitura da cidade de São Paulo, mais cedo ou mais tarde, acabaria envolvendo a religião. A nossa capital há muito tempo não tem mais solução e quando as coisas não tem mais solução, é hora de orar...

Victor Germano Pereira victorgermano@uol.com.br

São Paulo

*

SANTIFICADOS

Com tanto assédio dos políticos aos evangélicos, parece até que estão querendo santificar a corrupção.

Eduardo Henry Moreira henrymoreira@terra.com.br

Guarujá

*

EVANGÉLICOS COM JOSÉ SERRA

Será que desta vez o Serra vai renascer?

Cláudio Moschella arquiteto@claudiomoschella.net

São Paulo

*

O APOIO A CANDIDATOS

Com certeza, a Igreja Renascer em Cristo, pertencente ao apóstolo Estevam Hernandes e sua mulher, a bispa Sonia Hernandes, farão seus fiéis seguidores apoiarem o candidato que lhes garantir o alvará para reconstrução da sede da igreja no bairro do Cambuci, mais precisamente na Rua Lins de Vasconcelos, onde seu teto desabou matando nove fieis, caso até agora sem solução. É provável que a escolha recaia sobre Celso Russomano, por seu vice ser Luiz Flávio D'Urso, ex-advogado do casal, que já foi preso nos EUA por tentar entrar ilegalmente no país com dólares escondidos dentro de uma Bíblia e responderam a processo por lavagem de dinheiro.

Angelo Tonelli angelotonelli@yahoo.com.br

São Paulo

*

A TÁTICA DE RUSSOMANNO

É fácil explicar o fenômeno Russomanno. Sair com uma filmadora com um funcionário particular encontrar alguém com dificuldades e indicar o caminho a ser tomado. Depois é só entregar o DVD para a TV colocar no ar... E podemos notar que essa preocupação de Russomano em resolver problemas alheios acontece somente em épocas eleitoreiras. Mas, quem realmente resolve esses problemas não é Russomanno, geralmente é um delegado de Polícia, um Procon, etc. Russomanno apenas encaminha a situação para alguém resolver o problema. E quem leva a fama é ele, Russomanno. É aquela velha estória: papagaio come o milho, periquito leva a fama! Essa tática tem dado certo, porém o povo poderá dar com os burros n'água. Governar uma cidade é bem diferente, não se resolve com delegados de polícia nem com Procons...

Alberto Nunes albertonunes77@hotmail.com

Itapevi

*

SERRA, HADDAD E RUSSOMANO

Tudo indica que o prefeito será um destes nomes acima citados, e as divergências políticas aonde um só pensa em atrapalhar o outro e todos atrapalham a população. Se for o Serra, este terá o apoio do governo do Estado, mas pode vir a não ter verba do governo federal, pois uma vez isso já aconteceu quando o Lula era presidente. Se for o Haddad, o governo do Estado pode também colocar dificuldades, pois também já aconteceu com a Marta quando esta era prefeita. Se for o Russomano, este pode ter muitas facilidades ou dificuldades, pois pode ter a simpatia do governo estadual e federal e com isso ter recursos para trabalhar ou simplesmente ser ignorado por ambos, neste caso deve-se ter um bom projeto, pois para um bom projeto não faltará recursos o que tem faltado aos políticos são bons projetos. Um bom exemplo, aliás, um mau exemplo foi quando a prefeita Marta proibiu os ônibus intermunicipais que pertencem ao governo do Estado de São Paulo de circularem nos corredores e pararem-nos mesmos pontos dos ônibus municipais, isso só atrapalhou a vida dos passageiros.

Paulo Rodrigues de Moura paulorodriguesmoura@hotmail.com

São Paulo

*

O OVO DA SERPENTE

Muito oportuno o artigo publicado na edição do jornal O Estado de 4/9/2012 intitulado A 'islamização' da política ,Serra e PT, de autoria do jornalista Arnaldo Jabor. Quem não jogar no time deles será o "Diabo". É o poder que vai paulatinamente passando para os que "dirigem" as massas ignaras.

Carlos dos Reis Carvalho bigcharles020@gmail.com

Avaré

*

ESCOLAS E CRECHES EM TEMPO INTEGRAL

Quanta promessa e quanta mentira! A propaganda diz que foram feitas mais de 500 escolas de tempo integral. Onde estão, pois as que existiam deixaram de existir, como as Etesps, que voltaram a meio período. Vai mentir lá no circo! As que existiam sumiram! Contem outra, senhores! Nem professor há, pois o salário é mínimo e ninguém quer trabalhar para ganhar essa migalha! Essa progressão continuada só forma analfabeto funcional, ou seja, aquele que não sabe ler nem escrever nada!

Maria de Mello nina.7mello@uol.com.br

São Paulo

*

O DESTINO DA CAPITAL

Os eleitores paulistanos estão de brincadeira com o destino da nossa capital. Não é concebível em nenhum aspecto que pessoas, por motivos mesquinhos, hipócritas ou mesmo revanchistas, deixem de sufragar o nome de José Serra, político já conhecido pela seriedade demonstrada em todos os cargos que até hoje ocupou. Não se esqueçam os eleitores paulistanos do império que move a candidatura do ainda líder nas pesquisas. Abram seus olhos, tirem a trave que ofusca a visão correta da realidade política que querem impingir a nós, paulistanos e paulistas.

Aloisio A. De Lucca aloisiodelucca@yahoo.com.br

Limeira

*

HORÁRIO ELEITORAL

Gostaríamos de ver também conteúdo além das infinitas imagens dos ilustres. Infelizmente ainda temos um eleitorado de massa, que se identifica e contenta "com" apenas o que vê, além de toda uma estratégia agressiva de marketing: vestimentas, posturas, cortes de cabelos, frases de impacto, e de todos os gêneros, do traje a rigor até caracterização de Jeca Tatu, realmente é um vale tudo. Podemos até meditar, se política dentre suas inúmeras habilidades necessárias também abrange na arte de demonstrar, de apenas com a imagem tentar ser algo esperado, estratégia usada mundialmente pelo líder de refrigerantes e o gigante da rede fast food, como se a consequência desta aparência tenha digestão fácil como dos exemplos. Meu apelo é lembrar que estamos nos politizando, devagar, mas já exigimos agora mais do que somente embalagem.

Waldiney Ferraro waldineyferraro@gmail.com

São Paulo

*

PROFISSÃO: VEREADOR

A leitura das matérias sobre a eleição de vereadores confirma aquilo que se observa em qualquer eleição: não é coisa para gente séria. Da vereança à presidência, de centro comunitário a conselho profissional, não existe espaço para o "cidadão/profissional comum". O dinheiro, a ligação com poderosos ou a alma vendida para o diabo fazem toda a diferença. E pensar que para cargos políticos e de alguns conselhos profissionais o voto é obrigatório... é de dar enjoo em sonrisal.

Sérgio Barbosa sergiobarbosa@megasinal.com.br

Batatais

*

CHUTAR CACHORRO MORTO

Eleições municipais 2012. O carioca Arnaldo Jabor, em sua coluna Islamização em SP, sob o enfoque do fanatismo religioso, ataca Celso Russomano, líder das pesquisas em Sampa. Compreende-se: primeiros colocados no que quer que seja são sempre alvos de ataques. Menos compreensível é o artigo de Rodrigo Constantino no jornal O Globo, A esquerda caviar, que, focando o pleito no Rio de Janeiro, sob o enfoque do fanatismo ideológico, ataca Marcelo Freixo, segundo nas pesquisas, 40 pontos abaixo de Eduardo Paes (53% x 13%). Pela pontuação, Freixo é, em tese, no momento, um "cachorro morto" - que ninguém chuta; então, por que o chute? Ah, sim. Paes caiu um ponto, Freixo subiu três e os indecisos mais um ou dois, pelas descidas dos demais candidatos e dos nulos/brancos. Teriam, então, consistência as reflexões de Merval Pereira, no mesmo jornal, dias atrás, quanto a um segundo turno no Rio, entre Paes e Freixo, quando este atrairia o apoio dos demais oponentes? Seja como for, lembre-se ao eleitorado de que a foice e o martelo que ilustram o artigo de Constantino não são exagero, há apenas uma inversão: a concavidade da foice e a cabeça do martelo, voltadas, como estão, para a esquerda do leitor (heraldicamente, a direita do escudo, ou "destra"), são stalinistas. No caso, deveriam estar voltadas para a direita do leitor (heraldicamente, a esquerda do escudo, ou "sinistra") e contendo o número "4", formando o símbolo da IV Internacional, fundada por Lev Davidovitch Bronstein ("Leon Trotsky") em 1938. Sim, pois tanto quanto o PSTU ("morenista") e o PCO ("lorista"), o PSOL não é stalinista, mas trotskista - uma dissidência da "Democracia Socialista" ("mandelista"), outra corrente similar presente no PT, ao lado da velha "Libelu" ("lambertista") - nenhuma destas duas quis tornar-se partido, como as outras. Não há qualquer problema em ser trotskista, isso deixou de ser crime com a Carta de 1988. Problema é haverem eleitores que ainda acreditem ou se deixem enganar por isso, depois que o mundo civilizado lançou tais crenças à lata de lixo da História, em 9/11/1989, com a queda do Muro de Berlim, mas, pelo visto, ao menos aqui no Brasil, elas não são ainda um cachorro morto. Vale chutá-las, pois.

Gil Cordeiro Dias Ferreira gil.ferreira@globo.com

Rio de Janeiro

*

CARTAS MARCADAS

Não temos na política nacional nem situação nem oposição. Temos, no governo, colaboracionistas do Diário Oficial e na oposição, oportunistas prontos para dar o bote na caneta oficial. O Poder pelo poder! Um jogo de bola de gude, bola ou bolica? Marraio, companha! Desde a morte de Tancredo, quando em 1985 desrespeitaram a Constituição dando posse ao vice de uma chapa eleita, mas não empossada, sob o signo dos poderosos chefões, Sarney, Collor, FHC e Lula! Eles aprovaram até a emenda da reeleição. Itamar e Dilma, apenas regra três do culto à personalidade. Lula? FHC? O que temos é quem, e não propostas que estejam fundamentadas em ideias abrigadas em partidos. Temos legendas (coligações) e donos de legendas. Desde sempre... PTB (Vargas); UDN (Lacerda, ainda resta uma esperança!); PCB (Prestes, "o cavaleiro da esperança!); PC do B (Giocondo e Amazonas); PDC (Queirós Filho, Franco Montoro, Afonso Arinos, Juarez Távora...); PTR (Ferrari); PSD (JK, Valadares, Vitorino, Santiago Dantas...); PL (Raul Pila); PTN (Jânio); PSP (Adhemar); PRP (Plinio Salgado); Arena (sim, senhor!); MDB (então tá, senhor!); e agora nada mudou: as velhas raposas mandam nas legendas! São instrumentos da plutocracia situada acima do poder formalmente constituído! Apoiaram a monarquia e a República! Apoiaram a ditadura militar e agora o bola ou bolica! E dizem que estamos no governo do povo pelo povo. E nos convocam para eleições limpas! Sim, limpas! Limpas da participação do povo via partidos políticos de verdade! São "forças terríveis"!

Luiz Fernando d'Ávila verrissimodavila@live.com

Rio de Janeiro

*

TRÊS EM UM

O Estadão fez domingo um belo papel: destacou nova avançada da facção petista que vem tomando conta do País pelas vias legais e eleitorais, em paralelo com as ilegais, a saber, o crescimento do Estado à custa do trabalho sério e responsável da iniciativa privada, com a criação de 61 mil novos empregos públicos! A simpática matéria dos bisavôs atletas; a análise sobre a China e seu futuro (Minxin Pey); o excelente e oportuníssimo caderno sobre os vereadores; e o toque sobre as nossas árvores sendo devoradas pela ganância de alguns empreiteiros. Empreiteiros que dão pretexto a essa facção petista liderada por José Dirceu, que nos oprime por todos os lados, para avançar ainda mais.

Luiz Roberto de Barros Santos luizroberto.santos@gmail.com

São Paulo

*

FALTA MANUTENÇÃO

Providencial a reportagem no caderno Metrópole de domingo São Paulo perde 14 árvores por dia. Infelizmente, a administração municipal tem o maior descaso com as áreas verdes da cidade. O pouco que resta está sendo destruído. Veja o exemplo da Avenida Paulista, muitas das árvores ali plantadas depois da reforma das calçadas já morreram por falta de cuidado e não foram repostas. As azáleas do canteiro central estão queimadas do sol, e na sua maioria estão mortas por falta de água; o pouco que resta não irá resistir. Com este tempo seco, e a falta de chuva por um longo período, a Prefeitura deveria periodicamente molhar os canteiros e as árvores com um caminhão pipa. Seria o mínimo a fazer para preservar o pouco que nos resta. De nada adiante repor as árvores e as plantas dos canteiros se não há manutenção.

Filadelfo Barbosa da Cunha fbcunha@petrobras.com.br

São Paulo

*

ÁRVORES DE SÃO PAULO

O ambiente onde vivemos é reflexo do nosso comportamento. Daí a preocupação que deveria motivar as várias comunidades a pensarem em alternativas para diminuir os problemas que são causados pelo corte de árvores numa cidade como São Paulo. A constatação de que 14 árvores foram retiradas por dia desde 1997 é uma justificativa para as alterações ambientais que alteram as condições de vida da população como um todo. Esta questão foi agravada com a construção de tantos prédios e obras públicas e, o mais grave, não mereceram até agora nenhuma atitude para que isso não acontecesse. E isso ainda vai continuar? Até quando?

Uriel Villas Boas urielvillasboas@yahoo.com.br

Santos

*

DE NOVO AS SACOLINHAS PLÁSTICAS

Eis que se aproxima a data que põe fim à liminar que garante aos consumidores a distribuição das sacolinhas nos supermercados. Uma vitória dos donos de supermercados e uma derrota aos consumidores. É bom frisar que essa medida que tanto prejudica o consumidor teve o apoio do Procon, da prefeitura e do governo de São Paulo. É incompreensível o que vem acontecendo em São Paulo. Como pode esses órgãos apoiar o banimento das sacolas plásticas dos mercados enquanto todos os produtos estão embalados em plásticos? Quem está ganhando com isso? O planeta agradece aqueles que zelam pelo meio ambiente, mas o Tribunal de Justiça de São Paulo precisa acabar com essa farsa e colocar um ponto final nessa discussão que está carregada de argumentos demagógicos. Sabe-se que para ter o apoio dos órgãos a Associação Paulista de Supermercados (Apas) ofereceu dinheiro. O que o consumidor pode oferecer além da sua insatisfação a esses donos de mercados? Uma mudança de comportamento. Começando a consumir em lugares onde é respeitado.

Izabel Avallone izabelavallone@gmail.com

São Paulo

*

CHACINA NO RIO DE JANEIRO

A resposta do governador Sergio Cabral para a chacina de seis jovens na Baixada Fluminense, no mínimo, é debochada e hilária. Disse ele que o "Rio não aceitará. Vamos responder". É só que ele está dizendo desde seu primeiro mandato. Tapam o sol com peneira. Transferem o efetivo do interior para a capital, deixando-o desfalcado, a ponto de alguns prefeitos do interior acusarem o governador de culpa do aumento da criminalidade naquelas cidades. A quem querem enganar? Nem na capital, onde já há várias localidades com UPPs, a segurança voltou. Perguntem aos moradores. O temor de que isso é tudo maquiagem por causa da Olimpíada e da Copa de 2014 aumenta cada vez mais. Muitos moradores se perguntam como ficarão após estes eventos.

Panayotis Poulis ppoulis46@gmail.com

Rio de Janeiro

*

MORADORES DO LARGO DE SÃO FRANCISCO

Com a devida vênia, e como ex-aluno, não concordo com o título da reportagem do caderno Cidades (C1, 11/12) dado pelo Estadão, dizendo que GCM tira moradores de rua do Largo de São Francisco. Estes infelizes abandonados pelo governo do Estado e também pelos antigos governadores, portanto, jogados à própria sorte, não foram tirados do Largo propriamente dito, mas, sim, da entrada da Faculdade de Direito, cuja calçada em frente é coberta em arcos com passagem livre, como demonstra a foto que ilustra a reportagem. A questão em tela é social, e não policial, como já disse, que o governo não tem competência para resolver. Mas o sentido principal desta mensagem é esclarecer ao público que aludida invasão dos sem teto não é propriamente no Largo de São Francisco, mas, sim, no pórtico da entrada de um verdadeiro templo do Direito, da cidadania, da democracia, que é a nossa faculdade de Direito do Largo de São Francisco. Portanto, perfeitamente justificável a ação da GCM. Esta instituição, que é um orgulho para o Estado, não pode ser emporcalhada por moradores de rua que ali mesmo satisfazem suas necessidades físicas. Mutatis mutandis, Cristo não expulsou os vendilhões do templo?

Antonio Brandileone abrandileone@uol.com.br

Assis

*

FAIXA DE PEDESTRES

Orgulho da população brasiliense, a obediência à faixa de pedestres precisa de ajuda. Brasilia foi a pioneira na implantação desta medida e a do uso do cinto de segurança. Com estas antigas iniciativas foi, durante muito tempo, considerada modelo para todo o país. O que nos deixou bastante satisfeitos. No entanto os números de atropelamentos nas faixas continuam aumentando. Está para terminar o período da seca e a pintura das faixas de pedestres ainda não foi feita. As campanhas de sustentação desta iniciativa cidadã também não continuaram. Ora, se a durabilidade da tinta ainda não é o desejável, que se pintem mais vezes. A verba arrecadada com as multas é para este fim. Os atuais gestores dos órgãos responsáveis por manter a vida das pessoas não têm o direito de "deixar esta peteca cair". Os pedestres votantes, que pagam seus impostos em dia, são em maior número e reclamam esta urgente providência. Com este esforço, a comunidade candanga se sentiria mais alegre e protegida. Afinal, para onde está indo todo esse dinheiro?

João Coelho Vítola jvitola@globo.com

Brasília

*

ATROPELAMENTOS

O aumento do desrespeito as faixas de pedestres em Brasilia coincide com o aumento de cumpanheiros (acostumados com a impunidade) que conseguiram alguma boquinha, ou bocarra, nas diversas tetas federais. É só pegar os dados de 2003 para cá. Deus que nos salve de mais essa herança que nos vai ser legada!

Carlos Norberto Vetorazzi cnorbertovetorazzi@yahoo.com.br

São José do Rio Preto

*

EDUCAÇÃO LEGAL E RUIM

Há muito tempo que uma análise profunda e correta sobre a educação brasileira não vinha à tona, até que Alexandre Barros, fundado nas lições de Anísio Teixeira, em artigo no O Estado (Educação - tudo legal e muito ruim) demonstrou à saciedade as virtudes da educação customizada, em que as vocações pessoais são valorizadas, e uma burocracia insensível, entronizada pelo ministro do regime militar Tarso Dutra em 1967, ao formular nova Lei de Diretrizes e Bases da Educação, forçou nossa juventude a usar sapatos de um único número, "enfiando paralelepípedos em buracos cilíndricos", aos extinguir os excelentes cursos científicos, clássicos e normais. A partir do colegial o estudante já se preparava para percorrer as estradas preferidas e desse esse momento já vislumbradas. A prova da erronia está na perda de qualidade da educação superior desde a unificação dos cursos, estéril sob o ângulo profissional, como diz o articulista, fator que caminhou de mãos dadas com a comercialização fútil da educação nacional.

Amadeu R. Garrido de Paula amadeugarridoadv@uol.com.br

São Paulo

*

'CHÁVEZ APOSTA NO MEDO'

No editorial de domingo Chávez aposta no medo (A3), é incrível a semelhança entre o que o déspota venezuelano prega e os discursos pré-eleitorais de Lula. Na Venezuela o ditador ameaça o povo dizendo que se for derrotado nas próximas eleições poderá haver uma guerra civil, porque seu opositor acabará com os programas sociais etc... Já Lula em passado recente afirmou que não permitira que um tucano volte a presidir o Brasil porque ameaçaria todas as conquistas do governo PT, e indo além o presidente do partido vaticinou, não mexam com o PT porque quando o PT é provocado ele cresce e reage. Agora entendo porque Lula sempre admirou Chávez. Na verdade o ditador é mais que um grande democrata segundo Lula, é uma referencia de tudo que o Brasil não precisa. Fora Chávez Lula e Cia.

Amâncio Lobo Amancio lobo@uol.com.br

São Paulo

*

BRASIL 8 X 0 CHINA

Escrevo depois da "pelada" atroz Brasil x China. Imagino a ironia barata e a falsa humildade do técnico Mano Menezes na coletiva aos jornalistas. A honra da Pátria foi salva. O Brasil voltou a ser respeitado no mundo do futebol. A seleção continua evoluindo. Mano Menezes é do ramo, sujeito formidável. Iluda-se quem quiser. Não se sabe até quando o presidente da CBF, José Maria Marin, vai ter que engolir o pretensioso e enganador Mano Menezes. A China é uma seleção ingênua e melancólica. Foi como tirar doce da boca de criança. Até eu faria gol. Os chineses pareciam um timinho de alegres colegiais excursionando pelo mundo. Mais um jogo desinteressante e inútil. O tempo passa e o Brasil continua marcando passo. Hoje, com essa seleção, o Brasil dificilmente ganharia a copa de 2014. Nem mesmo com os aplausos dos torcedores do Nordeste inteiro.

Vicente Limongi Netto limonginetto@hotmail.com

Brasília

*

EMPURRAMOS BÊBADO NA LADEIRA

Diante da ridícula fragilidade da Seleção da China, já está começando a circular a versão de que essa tal "selecinha ching-ling", goleada pela "selecinha brasileira" por 8 X 0, teria sido formada a após uma convocação de emergência, feita entre os muitos chineses que trabalham no Recife, participando do "comércio de produtos importados informalmente", livremente instalados no bairro de São José. Da próxima vez que a CBF quiser um "pato morto", para levantar a moral da "selecinha brasileira", ou garantir o emprego do técnico Mano Menezes, deveria, ao invés de convidar a seleção da China, que ocupa a 78ª colocação no Ranking da Fifa, poderá escolher entre os "timinhos" que representam o Butão, Montserrat, San Marino, Turcas e Caícos, países que dividem a última colocação na tal listagem.

Júlio Ferreira julioferreira.net@gmail.com

Recife

*

NÃO SAIO

Brasil 8, China 0. É Mano até a Copa de 2018. "Daqui não saio, daqui ninguém me tira." Competência é competência.

José Piaccsek Neto bubapiacsek@yahoo.com.br

Avanhandava

*

DESPREZADA

Impressionante como a imprensa esportiva, escrita, falada e televisiva, não deu a menor atenção à seleção chinesa de futebol no Recife. Nenhuma entrevista com jogadores, nenhuma curiosidade sobre o futebol profissional na China, nada. Desprezo absoluto.

Sergio S. de Oliveira ssoliveira@netsite.com.br

Monte Santo de Minas (MG)

*

'RACHÃO' NO RECIFE

Pronto! A honra da seleção brasileira está salva ao encaçapar oito bolas na gigantesca China! Salvou também a "honra" do Neymar, que aproveitou a ignorância total do futebol chinês para "chutar cachorro morto" e sair de campo "arreganhando" a dentadura, como se isso vingasse as vaias do Morumbi. O "rachão" também serviu para o Hulk elogiar a Paraíba. Serviu para que mais, mesmo? Para mais nada! Como torcedor corintiano, peço ao Mano um favor: não mais convocar o Paulinho para jogar numa posição que não é a sua função no Corinthians, e, sim, do Ralf, e devolver o rapaz contundido que pode desfalcar meu time.

Laércio Zannini arsene@uol.com.br

São Paulo

*

BOTAFOGUENSES

Ao que parece, a nossa esquálida seleção brasileira começa a tomar jeito de vencedora. O treinador Mano Menezes acaba de convocar dois jogadores do nosso Botafogo, pois ele sabe muito bem que, sem jogadores do Botafogo, seleção brasileira nenhuma ganha nada! São eles: o goleiro Jeferson e o lateral direito Lucas. Mais do que merecidas essas convocações, pois ambos estão dando show de bola no Brasileirão! Saudações alvinegras!

Fernando Faruk Hamza f.egypto@yahoo.com.br

Rio de Janeiro

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.