Fórum dos Leitores

ATENTADO NA LÍBIA

O Estado de S.Paulo

14 Setembro 2012 | 10h15

Filme sobre o Islã

Pessoas assassinadas por causa de um filme de conteúdo discutível. E a nação mais poderosa do mundo e todo o Ocidente, juntos, é que pedem desculpas. Esforço inútil, já que, tecnicamente, não ser muçulmano já é extremamente ofensivo ao Islã. Com essa atitude das lideranças mundiais, mais cedo do que tarde estaremos diante da escolha entre a conversão ou a morte. Devemos, no mínimo, exigir que os cristãos sejam tratados em terras muçulmanas como são tratados os muçulmanos em terras cristãs.

ANTONIO C. DA MATTA RIBEIRO

antoniodamatta@ig.com.br

São José dos Campos

Morte em Benghazi

Ao lamentar a morte de diplomatas americanos em Benghazi, devemos fazer a seguinte pergunta: a CIA, ou qualquer agência de segurança nacional, não permitiria postar notas "subversivas" no Facebook. Degradar a imagem de um profeta (Moisés, Jesus ou Mohamed) de maneira grotesca, como fez o tal "cineasta", faz parte da "liberdade de expressão"?

OMAR EL SEOUD

elseoud@iq.usp.br

São Paulo

Ações preventivas

O filme Inocência dos Muçulmanos, se foi apenas um pretexto para o torpe ataque à Embaixada dos EUA (o dia 11 de setembro é um indício da tese), pode ter sido parte de uma estratégia conjunta. O fato merece ser investigado. Imagine-se ataque semelhante a Jesus Cristo ou Buda. A intolerância religiosa - absolutamente gratuita - está a incendiar o mundo. Se a fogueira dos exemplares do Corão - obra tida como divina, e não humana - for acesa, como ameaçam os radicaloides, grande extensão do mundo acabará queimada. Devem-se censurar previamente essas manifestações, sem confundir a liberdade de expressão (do tresloucado que grita "fogo!" numa sessão de cinema) com a liberdade de imprensa.

AMADEU R. GARRIDO DE PAULA

amadeugarridoadv@uol.com.br

São Paulo

ELEIÇÕES MUNICIPAIS

Ameaça de Haddad

O candidato do PT à Prefeitura de São Paulo, Fernando Haddad, disse que a rejeição ao candidato José Serra (PSDB) é tão grande que em breve ele não poderá sair às ruas. Parece-me que Haddad está, subliminarmente, convocando o povo, em especial os petistas, a "lincharem" Serra. Da mesma forma, e mostrando a mesma intenção, o presidente do PT, Rui Falcão, avisou que não se mexesse com o PT, pois assim ele (PT) cresceria e reagiria. De que lado está a truculência?

CLÉA CORREA

cleacorrea@uol.com.br

São Paulo

Palavras de ordem

Dois petistas já deram o sinal para que a militância se comporte conforme as suas vontades. 1) Dirceu, há algum tempo, declarou que, se percebesse que o julgamento do mensalão estivesse marcado por um viés político (segundo sua avaliação) e por causa disso ele pudesse vir a ser considerado culpado dos crimes que lhe são imputados, convocaria todos os movimentos sociais para saírem às ruas em sua defesa. Como três dias atrás ele, numa conversa com Lula, admitiu para a mídia que pode ser condenado, é bom estarmos de sobreaviso para a baderna que vai ocorrer neste país, pois o sinal já foi dado por sua declaração pública. 2) Fernando Haddad, aquele que sem ajuda de padrinho e madrinhas não consegue dar um passo em sua campanha eleitoral, afirmou que Serra "está batendo recordes de rejeição" e "daqui a pouco não vai poder circular pela cidade". É bom que se diga que se Serra sofrer qualquer tipo de agressão física a responsabilidade do ato deverá ser compartilhada entre o agressor e quem o incentivou a agir dessa forma (Haddad). Porque o que Haddad fez foi soltar um aviso para a militância: agora é a hora do vale-tudo, companheiros, ovada, pedrada, "aviãozinho"... Esse é o PT que quer governar também São Paulo!

MARA MONTEZUMA ASSAF

montezuma.scriba@gmail.com

São Paulo

Garota-propaganda do PT

A presidente de todos os brasileiros agora é só do PT. Até tu, Dilma?! Ela jogou no ralo valores éticos e morais e entrou de cabeça na campanha do PT, o do mensalão. Ao menos deveria ter a decência de pedir licença do mais alto cargo da República para fazer a campanha do seu protegido.

MARIA CELIA FRANCO PADIS

celiapadis@hotmail.com

São Paulo

Crime eleitoral

A entrada da dona Marta na campanha de Haddad - que, na verdade, não teve absolutamente nada de espontânea e foi, isso sim, comprada e paga com o Ministério da Cultura - configura grave crime eleitoral, devidamente explicitado na Lei de Inelegibilidade. Valer-se da sua condição de presidente da República (abuso de autoridade) e da sua posição política para influenciar/interferir na disputa eleitoral, acarretando evidente desigualdade na concorrência ao pleito, é crime! Dilma cometeu um crime que torna não somente o beneficiado, Haddad, inelegível, assim como a própria Dilma e também a dona Marta podem e devem tornar-se inelegíveis pela grave infração cometida. Utilizar um órgão público com status de ministério para obter apoio político configura agravante desse crime. Com a palavra, o Ministério Público Eleitoral.

RODRIGO B. DE CAMPOS NETTO

rodrigonetto@rudah.com.br

Brasília

Dupla afiada

Martaxa é gente que faz. Tá certo! Alinhadinha com o parceiro Paulo Maluf, ora...

DOCA RAMOS MELLO

ddramosmello@uol.com.br

São Sebastião

Cabo eleitoral

Gostaria de saber quando se dará o encontro nos jardins da casa do "nefasto" com a nossa impoluta, humilde e incorruptível nova ministra da Cultura.

MARCELO FALSETTI CABRAL

mfalsetti2002@yahoo.com.br

São Paulo

Maluf vai cobrar

O povo deve saber que elegendo Haddad terá a turma do Maluf nos cargos da Prefeitura. Dificilmente políticos dão apoio por ideologia ou pensando no bem comum, a maioria espera vantagens prometidas no toma lá, dá cá.

LEILA E. LEITÃO

São Paulo

ESCLARECIMENTO

Denúncia invalidada

Em atenção à carta Suplente de Marta (13/9), da leitora sra. Vera Lúcia Corrêa, é importante esclarecer que a acusação relativa à Construtora Camargo Corrêa (GCC) não é procedente. Cabe ressaltar que o STJ julgou inválidos os procedimentos adotados pela Polícia Federal, classificando-os como arbitrários e ilegais.

MARCELLO D'ANGELO, diretor de Comunicação do GCC

São Paulo

Cartas selecionadas para o Fórum dos Leitores do portal estadao.com.br

ABSOLVIÇÕES NO MENSALÃO

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Ricardo Lewandowski absolveu Ayanna Tenório, ex-vice-presidente do Banco Rural, e Geiza Dias, ex-funcionária da agência SMP&B, de Marcos Valério, ambas acusadas de lavagem de dinheiro. Nenhuma novidade no voto do ministro, já esperado pelo governo. Geixa Dias, chamada por seu advogado de "funcionária mequetrefe", batedeira de cheque, poderia processá-lo por bullying e quem sabe ganhar uns troquinhos. Lewandowski, preocupado em não envolver pessoas inocentes, acabou dando um desfecho muito bom ao processo que está sendo julgado, chamou-o de "enorme trama". Por aí se vê que essa trama está muito bem justificada pelo ministro. É preciso julgar e condenar os réus. A palavra absolvição soa falsa e não combina com justiça quando se trata de punir corruptos. Acorde, ministro, o Brasil está de olho no STF.

Izabel Avallone izabelavallone@gmail.com

São Paulo

*

SALVO-CONDUTO

O ministro Ricardo Lewandowski, revisor do processo do mensalão no STF, ao absolver Geiza Dias dos Santos - gerente da agência do publicitário Marcos Valério - do crime de lavagem de dinheiro, alegou, entre outros motivos, que não viu dolo, ou seja, intenção criminosa, no comportamento de uma funcionária que ganhava pouco mais de mil reais, "o salário hoje de uma empregada doméstica". Esse pensamento perigoso, estapafúrdio e obtuso do sempre surpreendente Lewandowski, faz crer que a carteira de trabalho, dependendo do salário nela anotado, é salvo-conduto para o cometimento de certos crimes.

Túllio Marco Soares Carvalho tulliocarvalho.advocacia@gmail.com

Belo Horizonte

*

XEQUE-MATE

Ao dizer que o julgamento do mensalão não estava sendo ortodoxo, que uma coisa é uma coisa outra coisa é outra coisa, o ministro Ricardo Lewandowski deu um xeque-mate no STF e na maioria de seus pares. Se continuar agindo assim, Lewandowski vai acabar com a credibilidade do Supremo. Se os verdadeiros ministros do STF não descobrirem em tempo hábil quem está de fora comandando as decisões de Lewandowski, o Brasil vai para o brejo.

Leônidas Marques leo_vr@terra.com.br

Volta Redonda (RJ)

*

INDIGNO

O lugar de Lewandowski não é no STF, e, sim, na porta de uma delegacia de polícia.

Robert Haller robelisa1@terra.com.br

São Paulo

*

PROCESSO CHEIO DE VÍCIOS

Assistindo às sessões do julgamento da Ação Penal 470, percebo que o ministro Lewandowski diminui a importância do ministro Joaquim Barbosa, relator do processo, quanto à sua aplicação de pena. Ora, este processo está cheio de vícios, e uma coisa tão simples é que em nenhum momento foram indicados o presidente, o vice-presidente e a diretoria do Banco do Brasil, uma vez que são os responsáveis pelo montante desviado. Parece até que o ministro Lewandowski está totalmente a favor de alguns criminosos, desclassificando, assim, as penalidades impostas pelo relator. Eu, que sou ignorante no aspecto jurídico, percebo que está sendo um peso para os ministros este julgamento. Que eles sigam as regras jurídicas que não será tão pesado assim. Numa multinacional privada, todos seriam demitidos sumariamente. Este processo é realmente muito grave, coisa mesmo de criminosos.

Maria José da Fonseca fonsecamj@ig.com.br

São Paulo

*

TEORI ZAVASCKI E O MENSALÃO

A canhestrice do plano petista divulgado pela imprensa e segundo o qual a pressa na indicação do ministro Teori Albino Zavascki para o STF teria por escopo estratégico um pedido de vista que procrastinaria o andamento do processo do mensalão para depois das eleições de outubro esbarra, em nosso ver, em dois óbices: a) um ministro honrado como o nomeado não se prestaria a ingressar no STF no papel de agente de uma estratégia partidária e b) o ministro indicado já declarou que não se encontra esclarecido sobre o processo (o que é óbvio, porquanto se trata de esclarecimento direto dos autos), circunstância que o impede de participar do julgamento, a teor do artigo 134, § 2º, do Regimento Interno do Supremo Tribunal Federal.

Amadeu R. Garrido de Paula amadeugarridoadv@uol.com.br

São Paulo

*

GOLPE DE MESTRE

O noticiário informa que a indicação do novo ministro para o STF, Teori Albino Zavascki, foi rapidamente indicado pela presidente, sendo acompanhado pelo ministro da Justiça, José Eduardo Martins Cardozo, que, deputado federal por São Paulo, do PT, foi autor da lei que autorizou a incorporação do "bônus de volume" por agências de publicidade em 2008, utilizada indevidamente pela Sra. deputada Ana Arraes, hoje na função de ministra do Tribunal de Contas da União que validou o mensalão desautorizado por Aroldo Cedraz, conforme o espírito da Lei de 2008. Esse fato, por si só, serve de alerta a todos nós da total ignorância em que vivemos, manipulados a bel prazer pelos políticos profissionais, como sempre aconteceu neste país. É o atestado que demonstra, como exemplo, da extrema importância que a mídia representa e contribui de forma absoluta, para que possamos exercer nossa cidadania. O editorial O novo ministro do Supremo (11/9, A3) nos mostra o excelente currículo profissional que, indicado, após 24 horas já se apresentou ao presidente do Senado que terá de aprovar a indicação, etc.,etc. As referências ao Sr. Teori por advogados, jornalistas e juízes demonstram que se trata de um homem sério, etc., etc. Em alguma noticiário já li que, como ministro do Superior Tribunal de Justiça, S. Exa. absolveu o Dr. Antonio Palocci. Acredito que até o final de setembro ou início de outubro Teori tomará posse no STF - "tudo muito rapidamente", como idealizou nossa presidente - e, como primeira atitude, irá pedir "vista do processo do mensalão", e só após 1 (um) ano voltará para julgamento, quando, então, o mensalão morrerá na praia! O fato político de destaque na mídia, hoje, é a nomeação de Marta Suplicy para ministra da Cultura e consequente ascensão a senador de um vereador de São Paulo, suplente da senadora Marta que, pertencente ao PR, que apoia, em São Paulo, o candidato José Serra! Um golpe de mestre, sem dúvida.

Moyses Friedheim m.friedheim@uol.com.br

São Paulo

*

BEM PENSADA

A indicação do jurista Teori Albino Zavascki para o Supremo Tribunal Federal parece que foi acertada tanto quanto ao nome, tanto quanto o momento, de acordo com o Estadão (página A3 de 12/9) em Notas e Informações, editorial cujo título é O novo ministro do Supremo. E a indicação de Marta Suplicy (PT-SP) para o Ministério da Cultura recebeu críticas e elogios do meio político e cultural. Eu penso que essa indicação foi muito pensada. É uma manobra política para obrigar o suplente da senadora, Antonio Carlos Rodrigues (PR-SP), vereador e presidente da Câmara Municipal, retirar o apoio do PR ao candidato José Serra (PSDB-SP). Como ele tem 60 dias para assumir o novo cargo de senador e pode continuar sua campanha para reeleição, o PT ganha mais um ponto no sentido de dar força ao candidato Fernando Haddad (PT). E tentar ir para o segundo turno.

Olympio F. A.Cintra Netto ofacnt@yahoo.com.br

São Paulo

*

BLASFÊMIA

Em entrevista ao Estadão (13/9, A6), a nova ministra da Cultura, recém-negociada em transação política de "toma lá dá cá", chamou Lula de "deus", que, com ela e Dilma, constituirão um trio invencível na campanha de Fernando Haddad à Prefeitura de São Paulo. Até aí, nada de mais. Agora, dizer que Lula é "deus" é uma blasfêmia, uma ofensa à divindade e à religião. É amaldiçoar a consciência dos eleitores paulistanos. Como pode uma pessoa deste calibre administrar um Ministério da Cultura, que é um estágio do desenvolvimento cultural de um povo? Se sofre da mesma estultice, da mesma insensatez de Lula? Que politicagem!

Antonio Brandileone abrandileone@uol.com.br

Assis

*

O 'DEUS' LULA

 

Marta Suplicy, do alto de sua soberba, e feliz porque ganhou um ministeriozinho como prêmio de consolação, até porque na marra está apoiando o candidato do PT à Prefeitura de São Paulo, arrota esta frase sobre Fernando Haddad: "Vai dar certo. Eu sou a pessoa que faz, Lula é Deus e Dilma está bem avaliada". Bem, se vai dar certo vamos ver em 7 de outubro. A Marta dizer que é pessoa que faz, e fez mesmo a taxa do lixo, um grande rombo nas contas da prefeitura quando dirigiu a cidade, e um péssimo mandato. Não fosse isso não seria derrotada na tentativa de se reeleger. Agora, dizer tamanha blasfêmia de que Lula é Deus, é caso para psiquiatra! Este "Deus Lula" da Martaxa é o mesmo que apoiou e se beneficiou do mensalão, porque também era o chefe destes quadrilheiros como presidente da República na época. Sinceramente precisamos ficar de olho no Ministério da Cultura, hoje infelizmente sob o comando da ex-prefeita de São Paulo, que pelo seu deslumbramento, e estúpida blasfêmia, é capaz de mandar imprimir uma cartilha para nossas criançinhas de que o "Deus, brasileiro é o Lula". Será que as igrejas e cristãos do País vão ficar calados?! Imaginem se a Marta (que deve ser ateia) tivesse blasfemado contra o Alcorão?! Teria cometido um grave contencioso diplomático para o nosso país, assim como o seu "Deus, o Lula", atentou ao apoiar governantes déspotas pelo mundo afora...

Paulo Panossian paulopanossian@hotmail.com

São Carlos

*

MERECEMOS COISA MELHOR

Coberta de ouro e prata, encubra o seu rosto, não queremos nem ver sua cara. Francamente, depois daquele "relaxa e...", achei que o besteirol estava esgotado. Mas quá, como diz o caboclo. Vem agora a ministra com "Lula é deus" e ela, seu profeta. Sra. presidenta Dilma, se a sra. é "bem avaliada" (como se lê no Estadão, 13/9, A6), livre-nos desse presente de grego, alegando ter sido um lapso. Merecemos coisa melhor.

Flávia de Castro Lima lgcastrolima@uol.com.br

São João da Boa Vista

*

ARROGÂNCIA

"Eu faço, Lula é deus e Dilma é bem avaliada", disse Marta Suplicy. A que ponto chega a jactância da senadora, hoje ministra da Cultura. Ela fez, sim, o jogo no seu interesse e relaxou... demonstrou a consideração para com os "deuses" - no caso, pessoa que idolatra - e não foi grata com a presidente, pois apenas lhe reconheceu a boa avaliação, não sua afirmada competência. O eleitor paulistano que tenha discernimento!

José Hildeberto Jamacaru de Aquino hildebertoaquino@yahoo.com.br

Russas (CE)

*

QUANTA BESTEIRA!

Ofender a Deus é um sacrilégio. Compará-lo a Lula é ainda um pecado bem maior. Dona Marta, se não tem o que falar, cale a boca e não fale mais besteira.

Antonio Carniato Filho antoniocarniato@gmail.com

Santa Rita do Passa Quatro

*

'INSTITUIÇÕES EM FRANGALHOS'

Lembro-me aos albores da edição do editorial acima, da decretação do Ato Institucional n.º 5. O que pode acontecer se de repente a popularidade da presidente(a) despencar de 82% para 37,5%? Como economista, creio que a sua apreciação chega perto do perfil da curva de Gaus, o que pode com certeza redundar em grande mentira. Apropriadamente, a presidente lê jornais, ou áulicos o fazem por ela? E eles com medo de perder o emprego, ou serem defenestrados pela gerentona, ousam falar a verdade? Pelos meus 60 anos de leituras do jornal O Estado de S. Paulo, tenho a dizer que o editorial de ontem, Toma lá da cá, foi extremamente forte, maior do que as empurradas de pé que ela dá nas gavetas de arquivo do seu gabinete. Resta saber como se avaliam os 85% de aprovação sobre a sua pessoa. Quero saber sobre a "bola do dia".

Armando Fernandes Junior armandoroinuj@terra.com.br

São Paulo

*

CAMBALACHO ELEITORAL

Parabéns mais uma vez ao Estadão pelo editorial Toma lá da cá (13/9, A3). Impecáveis as colocações deste jornal. Uma vergonha absoluta para a senadora Marta Suplicy. Imagino que até seu ex-marido deva estar envergonhado com a atitude de sua ex-mulher como nova ministra da Cultura. A pergunta que não cala é até onde vai a cobiça destes políticos para amainar seu próprio ego na busca de vantagens às portas das eleições. Esta senhora, com essa atitude, como todo o partido da qual a mesma faz parte, caracteriza unicamente uma gangue a serviço de si próprios! E mais uma vez temos a mão nefasta do mentor intelectual desta patifaria, o senhor ex-presidente. Metendo-se onde jamais devia ter se metido e criando uma situação muito constrangedora para a atual presidente. Por outro lado, temos uma classe artística e intelectual que votou neste senhor, o ex-presidente Lula, nas primeiras eleições para presidente, e deve estar envergonhadíssima e arrependidíssima de ter apoiado este mar de cinismo em 2003. Com este fato, acredito que a classe intelectual e artística tenha aprendido a duras penas o que nós, pobres mortais, já antevíamos na ocasião. O ex-presidente Sr. Lula é um trator inescrupuloso trabalhando 24 horas por dia a serviço da perpetuação do PT na Presidência a qualquer preço, custe o que custar. Eu espero ardentemente que a oposição bata pesadíssimo contra esse mar de danos morais em que vivemos.

Joao Antonio Dohms dohmsj@hotmail.com

Fortaleza

*

SÓ PODE NO PT

Marta Suplicy afirmou: "Vou me dedicar aos oito anos de mandato no Senado e à reeleição da presidente Dilma" - em junho, ao ser questionada sobre o seu papel na campanha de Haddad. Voltou atrás e aceitou o cargo de ministra e esqueceu-se dos eleitores de São Paulo que tolamente lhe sufragaram seu voto. Ou é grave abandonar um cargo no meio, como dizem, ou quando se trata do PT pode? Quanta incoerência!

Leila E. Leitão

São Paulo

*

A NOVA MINISTRA DA CULTURA

Meu povo, não esquente com a nova nomeação. "Relaxe e goze".

Ângelo de Agostini angedemari@gmail.com

Campinas

*

NÃO FOI UM PRÊMIO

A campanha eleitoral tem manifestações as mais diversas, levadas pelo momento vivido principalmente pelos candidatos que efetivamente têm condições de disputar a liderança e obter os votos necessários para ocupar o cargo pretendido. Mas é incompreensível que se misturem as coisas. Como no caso da indicação da senadora Marta Suplicy para o Ministério da Cultura ser considerado como moeda de troca. O fato de ela finalmente aceitar participar da campanha do candidato de seu partido em São Paulo, sua base eleitoral, tem de ser considerado como um compromisso de uma senadora eleita pelo mesmo partido. E o novo cargo é de muita responsabilidade, e não um prêmio. E mais, ela entra na campanha também como ex-prefeita da capital, onde um candidato que se considera importante nem sequer consegue unir seu partido. Quem tem um mínimo de nível político precisa agir de forma consequente, e não com acusações que são caracterizadas como leviandade.

Uriel Villas Boas urielvillasboas@yahoo.com.br

Santos

*

ATO DE OFÍCIO

Marta nega que recebeu o Ministério da Cultura em troca de seu apoio à campanha petista em São Paulo. E, realmente, não há como provar o contrário, até porque não existe nenhum "ato de ofício"!

José Carlos Saliba fogueira2@gmail.com

São Paulo

*

MAÕS SUJAS

Ao contrário do que o leitor Robert Haller escreveu neste Fórum dos Leitores, com o PT o ditado tem outra conotação, ao invés de "uma mão lava a outra". Diante do quadro atual, é lícito afirmar que no PT "uma mão suja a outra".

Carlos Pereira advcpereira@ig.com.br

Rio Claro

*

CORONELISMO

Fernando Haddad, de longe o pior ministro da Educação que o Brasil já teve, e filiado ao PT, partido que criou o maior esquema de corrupção política de nossa História, é apoiado em sua campanha para a Prefeitura de São Paulo pelo ex-presidente Lula - que deveria (mas não foi) ter sido apontado como réu do mensalão, por ser chefe imediato de Dirceu - e também apoiado por Dilma, que negociou ministério com Marta Suplicy em troca de apoio a Haddad, que consegue, segundo pesquisas, ocupar o terceiro lugar nas pesquisas, com 17% das intenções de votos. Concluo que existem em São Paulo pelo menos 17% de eleitores que estão pouco se lixando para a ética e para a competência do candidato. E nós, de São Paulo, que achávamos que tínhamos nos livrado do coronelismo há décadas, como se vê, ele ressurgiu firme e forte junto com o PT!

Mara Montezuma Assaf montezuma.scriba@gmail.com

São Paulo

*

CAMPANHA CARA

Embora sofrivelmente coerente com seus antecessores, a promoção à ministra da Cultura mostra o quanto é cara uma campanha eleitoral para prefeito. Mostra sem sombra de dúvida que este governo tem os pés no chão. E as mãos também. Em matéria de educação e cultura, o povo brasileiro está muito mal servido.

Flavio Marcus Juliano opegapulhas@terra.com.br

Santos

*

CULTURA DO RELAXA E GOZA

Se o pior não fosse o uso descarado da máquina pública federal na eleição municipal de São Paulo, seria a "Cultura" com o "relaxa e goza"; ministério que, na verdade, precisa mais é de tensão e atenção para tirar do freezer a nova Lei Rouanet e o Vale-Cultura. E isso, só para fazer o mínimo.

Felipe Pugliese fpugliesejr@gmail.com

São Paulo

*

SEXO E CULTURA

Num país onde a maioria dos eleitores vive de quatro, sexo também pode ser cultura.

Carlos D. N. da Gama Neto carlosgama@croniquetas.com.br

Santos

*

O MELHOR DO PT NA CULTURA

Nomear para a pasta da Cultura uma senhora que durante o ápice de uma crise aeroviária em São Paulo, mandou os paulistanos transtornados com as horas em filas em aeroportos "relaxar e gozar", 25 dias antes de um acidente na pista de Congonhas ceifar 199 vidas, traz a dimensão do que o PT tem de melhor para o cargo.

Rodolfo Jesus Fuciji fucijirepresentacao@ig.com.br

São Paulo

*

OPÇÃO

Em política, melhor que chorar o leite derramado é relaxar e gozar...

A.Fernandes standyball@hotmail.com

São Paulo

*

O MENSALÃO NA CAMPANHA

Haddad cita 'mensalão tucano' (Estado, 10/9, A5). Obrigado ao insipiente candidato do PT, que, respondendo a FHC, disse que o mensalão "começou em Minas Gerais, com o partido dele". Resumindo, começou em Minas, o.k., e continuou, mais aprimorado, com o PT alguns anos depois. Contrariando seu criador Lula, que sempre afirma que o mensalão nunca existiu.

L. A. B. Moraes labmoraes@uol.com.br

Santos

*

MENSALÃO PAULISTANO

Se o eleito não for o Serra, poderá haver, no futuro, o julgamento do mensalão paulistano.

Mário A. Dente dente28@gmail.com

São Paulo

*

VERGONHA ALHEIA

Que vergonha me dá ver Lula em cartazes entre Fernando Haddad e Orlando Silva, apoiando um incompetente e um corrupto...

Tereza Sayeg tereza.sayeg@gmail.com

São Paulo

*

NÓ EM PINGO D'ÁGUA

O Haddad, aquele papagaio de pirata do Lula, anuncia que José Serra não vai poder sair na rua, por causa da rejeição? E será que ele não viu a rejeição a ele? Quem é Haddad, aquele do enem sabe o que faz e permite a publicação de livros com erros? A que custo? Ah, não é o candidato do partido do mensalão, o maior escândalo desde o descobrimento do Brasil em Brasília? Não sou advogado de Serra nem de ninguém, mas Haddad deve se olhar no espelho. E com o tal bilhete sem pé nem cabeça, o candidato do PT está querendo dar nó em pingo d'água. PT nunca mais.

Antonio Jose G. Marques a.jose@uol.com.br

São Paulo

*

TIRO ERRADO

O PT, tentando de qualquer maneira, desestabilizar e combater o Serra, ainda vai acabar elegendo o Russomanno.

Ulysses Fernandes Nunes Junior twitter: @Ulyssesfn

São Paulo

*

INFORMAÇÃO

Vi hoje que o tema na internet é "Serra liga Haddad a Jose Dirceu e a Maluf". Achei interessante a opinião de alguns leitores que são contrários a esse "tipo de propaganda". Eu pergunto: 1) Se mostrar essas ligações é "ofensa", então existir essas ligações é "ofensa" maior ainda. 2) Por que mostrar para os eleitores que essas ligações existem é uma ofensa, se elas existem mesmo? Ou então as ligações é que são ofensivas, e não sua divulgação. É o mesmo que culpar jornalistas por um fato. 3) Os eleitores não podem saber dessas ligações? 4) Ou, se são importantes essas ligações, todos os eleitores não deveriam saber? É muito importante que tudo que seja verdadeiro e de alguma maneira vá influenciar num futuro governo seja dito claramente aos eleitores. Ignorante aquele que acha que informação é má campanha. Ao contrário, quanto mais, melhor.

Adelaide de Oliveira Vieira Santos adelaidescs@yahoo.com.br

São Caetano do Sul

*

CANDIDATO CARREGADO

Se Fernando Haddad precisa do apoio de Lula, Dilma, Marta e outros a escorá-lo, como Maluf, Dirceu, para prosseguir em sua campanha, que tipo de prefeito seria, se fosse eleito? Um preposto, um "laranja" ou apenas uma figura decorativa? A cidade de São Paulo precisa de muito mais do que isso. Precisa de uma pessoa que conheça os seus problemas, que seja competente e audaciosa, própria para a mais pujante cidade brasileira, que mais cresce e que apresenta novos desafios a cada dia. Decididamente, não será Haddad, que hoje é carregado e empurrado por outros com interesses que não contemplam o cidadão paulistano.

Alvaro Salvi alvarosalvi@hotmail.com

Santo André

*

ÉTICA, TRABALHO E AMOR

Alguém que chama para aliado apenas para amealhar mais alguns minutos no horário eleitoral, um cidadão que não pode pisar em 181 países dos 195 existentes no planeta, senão vai preso, pode ser chamado de ético? Alguém que desperdiçou o dinheiro público durante anos seguidos, pois não conseguiu realizar as provas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) sem que houvessem irregularidades que as cancelassem, pode ser chamado de o "melhor ministro da Educação que o país já teve"? E o amor? Bem, alguém que faz tudo isso aconselhado pelo maior mentiroso da história deste país, só pode fazer por amor e daqueles bem cegos...

Victor Germano Pereira victorgermano@uol.com.br

São Paulo

*

EM SÃO PAULO, NÃO

Muito provavelmente o segundo turno das eleições à Prefeitura paulistana será entre Celso Russomano e Fernando Haddad, ao menos é isso que as pesquisas demonstram. Isso pode até parecer um verdadeiro desastre, do ponto de visto político e da vida da própria cidade. Mas não, nada disso irá acontecer. O que acontecerá, e isso, sim, será bom, será a renovação que inevitavelmente terá de acontecer. Haverá uma reviravolta dentro do PSDB a partir de São Paulo e, com isso, novas forças políticas surgirão na oposição em nível de Brasil. Quanto a Russomano ou Haddad, não existem grandes preocupações, quatro anos passam rápido e os paulistanos saberão trocar de prefeito, se necessário for. Não esquecer, portanto, que a atual situação no Brasil, leia-se PT e base aliada, em São Paulo nunca tiveram vida fácil.

José Piacsek Neto bubapiacsek@yahoo.com.br

Avanhandava

*

SUCESSO

O candidato à Prefeitura de São Paulo José Serra, contando com o apoio do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, "o privatizador", do governador do Estado, Geraldo Alckmin, e do Kassab, deverá, sim, chegar ao terceiro turno com grande sucesso.

Geraldo Nunes Sebastiani suelymoliterno@yahoo.com.br

Guarujá

*

FHC NA CAMPANHA

Nas últimas eleições presidenciais, José Serra usou a imagem de Lula em sua propaganda e fugiu de FHC como o diabo foge da cruz. Agora, dissimuladamente, pede socorro a FHC e este se presta a um papel constrangedor de ajudar quem o desprezou. FHC cita o mensalão, mas omite o nome do Azeredo (descobridor do Marcos Valério), o mensalão do DEM, partido que apoia o Serra, assim como o mensaleiro Valdemar Costa Neto. É fato que o julgamento do mensalão foi possível graças à atuação dos procuradores Antonio Fernando de Souza e Roberto Gurgel, ambos indicados por Lula, e não acabará em pizza por causa da atuação dos ministros, sendo a maioria indicados pela Dilma e pelo Lula. Em contrapartida, FHC indicou como procurador-geral Geraldo Brindeiro, que, dos 626 inquéritos criminais que recebeu, engavetou 242 e arquivou outros 217. Somente 60 denúncias foram aceitas. As acusações recaíam sobre 194 deputados, 33 senadores, 11 ministros e quatro, ao próprio presidente FHC. Por conta disso, Brindeiro recebeu o jocoso apelido de "engavetador-geral da República".

Wilson Haddad wilson.haddad@uol.com.br

São Paulo

*

ATAQUE

Não consigo entender por que os candidatos acham que só irão crescer se atacarem os adversários. Nossos ouvidos merecem respeito!

Maria do Carmo Zaffalon Leme Cardoso mdokrmo@hotmail.com

Bauru

*

PARABÉNS!

Devemos agradecer aos "progressistas" da imprensa paulistana a presença do desconhecido Celso Russomano no segundo turno das eleições em São Paulo. Graças ao esforço hercúleo de parte da imprensa de desmerecer Serra e a gestão de Kassab, a fim de alavancar uma candidatura imposta por Lula, cresceu Russomano. Sim, a estratégia deu errado e os paulistanos agora são presenteados com este mimo! A imprensa paulistana precisa esquecer a fábula do "quarto poder" e limitar-se a fazer o que lhe cabe: jornalismo. O cidadão agradece.

Maria Cristina Rocha Azevedo crisrochazevedo@hotmail.com

Florianópolis

*

NEM RUSSO NEM MANO

Nem Russo nem Mano! Abstenção! Viva São Paulo, o segundo maior orçamento brasileiro! Só perde para o orçamento de todo o Brasil! Viva Piratininga e abaixo as velhas raposas! Viva a Lei Eleitoral 4.737/65! Mais de 50% de abstenção anula a eleição e convoca outra com outros candidatos. Vivam os paulistanos! Nem Russo nem Mano!

Luiz Fernando D'Ávila verissimodavila@gmail.com

Rio de Janeiro

*

O CUSTO DO 'EFEITO RUSSOMANNO'

É preciso reconhecer de parte do eleitorado paulistano certa decepção com o Serra quando deixou a prefeitura para se candidatar a outro cargo e isso acabar numa reação de rejeição é até natural mas, ao resultar em números absurdos como acontece nesta campanha eleitoral o eleitor coloca o tucano no mesmo nível de políticos corruptos, ladrões e saqueadores de dinheiro público como existe às pencas País adentro. Aí já é uma amostra de ignorância que pensávamos não existir em número tão grande em São Paulo, mas apenas em localidades perdidas nos cafundós do Brasil. Como o candidato Russomano tem apoio total dos bispos evangélicos que colocou toda sua tropa na rua para eleger seu candidato, que se eleito retribuirá no futuro usando e abusando da prefeitura, vale perguntar por que os católicos não reagirem a esse apoio? Talvez porque parte dos religiosos católicos ainda creem no "padim ciço" atual que manda a carneirada votar no Haddad. Quanto ao Serra, longe de ser perfeito mas com uma carreira política sem quaisquer manchas de corrupção e reconhecidamente competente, ele ainda é a melhor opção para governar nossa Paulicéia. Por isso recomenda-se o eleitor pensar muito bem na hora do voto porque consertar a burrada de agora só daqui quatro anos.

Laércio Zannini arsene@uol.com.br

São Paulo

*

EDUCAÇÃO, FRONTEIRA DECISIVA

O desenvolvimento de uma geração está intimamente condicionado à herança de elementos que recebe da geração anterior, estando nesse quesito uma das razões do fracasso brasileiro na educação, principalmente a do ensino superior. De acordo com Relatório da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), com dados de 2010, a Coreia do Sul, que tinha 13% da população entre 55 e 64 anos com ensino superior, deu um salto para 65%, entre 24 e 35 anos, que concluíram o curso universitário. O número mostra o fracasso do ensino superior no Brasil. A OCDE estima que o gasto anual/aluno na educação infantil esteja em torno de US$ 6.670. O menor gasto, de US$ 1.696, foi do Brasil e o maior foi de Luxemburgo, com US$ 16.247, enquanto a média da OCDE é de US$ 6.6.70 do PIB. Em 2000, o Brasil gastou em educação 3,5% do PIB, tendo aumentado em 2009 para 5,5%. Na educação básica, são ainda maiores. No Congresso há a tese de que é preciso aplicar 10% do PIB na educação, mas para isso é preciso que o PIB desempaque. Países nas condições do Brasil chegaram a aplicar l2% (Coreia) e o Japão chegou a gastar 60% do Orçamento na educação. E que os responsáveis pela educação não sejam amadores, partidários políticos. "A educação é simplesmente a alma de uma sociedade a passar de uma geração para outra" (Gilbert Chesterton).

Jair Gomes Coelho jairgcoelho@gmail.com

Vassouras (RJ)

*

EDUCAÇÃO ZERO

Na opinião de Andreas Schleicher, especialista da Organização para Cooperação e o Desenvolvimento Econômico (OCDE), o Brasil deve dar mais e melhores salários a docentes. Eu afirmaria que o termo correto é dar salários reais e verdadeiros, e não esmolas, que é como estão sendo pagos atualmente, fazendo com que estejamos colocados na 32.ª colocação entre 35 países no item investimento em educação. Na verdade, essa é a maneira do PT para se garantir no "pudê", mantendo a população na ignorância.

Angelo Tonelli angelotonelli@yahoo.com.br

São Paulo

*

EDUCAÇÃO CUSTOMIZADA

Não se aprende a ler e a escrever e, atualmente, o ensino está customizado ou é feito na base do "faz de conta". Devemos isso em parte a um ex-secretário de Educação de São Paulo, hoje candidato a prefeito. Agora até Monteiro Lobato está no Supremo Tribunal Federal (STF)! Ninguém lembra de Geografia e História e do momento em que as obras foram escritas, com outros valores e outro olhar histórico, geográfico. Mas e as guerras ocorrem onde? Dá para entender o mundo agora? Moedas, guerras, conflitos, literaturas, artes, contenciosos, milícias, onde? De que lado do mundo? Tudo legal, tudo muito ruim (11/9, A2)! Como calcular a distância dos planetas, como também o tamanho deles, e as datas de cada comemoração? É para saber se é feriado. Para quê? E o autoritarismo burocrático, para dar-lhes vencimentos como bolsa-esmola, bolsa-salário mínimo. Vamos vender sandálias franciscanas? Valha-nos Anísio Teixeira! Como formar mão de obra especializada,ou das mais simples? Sabe escrever um bilhete? Ou ler uma instrução? Saber seguir as instruções? Essa é a educação atual!

Maria de Mello nina.7mello@uol.com.br

São Paulo

*

'CAÇADAS DE PEDRINHO'

Depois que o Conselho Nacional de Educação (CNE) aquietou-se com relação ao livro de Monteiro Lobato Caçadas de Pedrinho e abandonou a ideia de vetar o livro, devido às imensas manifestações em defesa de mesmo Brasil afora, agora surge o Instituto de Advocacia Racial e Ambiental (Iara) querendo vetar o parecer do CNE à adoção do mesmo livro no Programa Nacional Biblioteca na Escola. Quando perguntado em uma entrevista sobre a criação do "Mês da Consciência Negra" como uma forma de homenagear a contribuição do negro, inclusive investigar focos de racismo, o ator norte-americano Morgan Freeman respondeu que eliminar definitivamente o racismo é exatamente para de falar desse assunto. E completou: "Eu não sou um negro e você não é um branco. Na verdade eu sou Morgan Freeman e você é Mike Wallace". Quando Pelé começou a querer entrar na questão de discriminação racial, o saudoso jornalista Joel Silveira colocou-o em seu devido lugar dizendo: "Olha só quem está falando, um negro que até hoje só casou com mulheres brancas e loiras". Por que o Iara não se transforma em Iare (Instituto de Advocacia de Reforma Educacional) e promova uma ação para a adoção de um novo modelo educacional? Pois na última avaliação da ONU para definir o Índice de Desenvolvimento Humano (IDH), na educação o nosso número é de dar vergonha. O Brasil tem hoje a mesma média que o Zimbábue, o país com o pior desenvolvimento do mundo.

Nei Silveira de Almeida neizao1@yahoo.com.br

Belo Horizonte

*

MONTEIRO LOBATO

Tenho visto muitos absurdos nesta vida mas, acusar Monteiro Lobato de racismo é o máximo na matéria. Graças a ele e seus maravilhosos livros infantis me apaixonei pela leitura, pela História, Geografia e tudo aquilo sobre o qual ele escreveu. Pelo amor de Deus, a tal de iara (com minúscula mesmo) instituto de advocacia racial e ambiental, deveria cantar em outra freguesia, ao invés de tentar denegrir um de nossos maiores escritores.

Adelina Bitelli Dias Campos adelinabitelli@uol.com.br

São Paulo

*

AÇÃO DA ROTA

São muito comuns as cartas criticando a violência de ações da Polícia Militar (PM), em particular, das Rondas Ostensivas Tobias de Aguiar (Rota). Vivemos um tempo muito violento, em que a população inocente é atacada, roubada e morta por bandidos nunca punidos. Quem ataca a população com violência tem de ser violentamente punido. Não devemos levar em consideração somente o número de pessoas que são mortas pela polícia, temos de analisar quem morreu, se tem ficha policial, já cometeu crimes, se é bandido que está morrendo o governo tem é de condecorar os policiais envolvidos e não perder tempo com investigações sem sentido. Parabéns aos policiais da Rota que mataram esses bandidos que participavam de um "julgamento".

Celso R. Guaycuru de Carvalho crgc22@gmail.com

São Paulo

*

CRIMINALIDADE E O POLITICAMENTE CORRETO

Sou leitor do Estado há 30 anos, mas creio que a crítica vale também para a melhoria e evolução das coisas. O jornal dedicou toda a página C4 de 13/9/2012 para tratar do embate havido entre a PM e criminosos, onde houve 9 mortos e vários presos sem qualquer ferimento. Farto armamento foi apreendido. A polícia civil e a corregedoria da PM irão investigar se houve ou não excesso no trabalho da PM, até aí não vejo problema. O que eu não posso concordar é que críticas sejam publicadas e o jornal não tenha encontrado alguém que elogie ou defenda o trabalho da PM, que não seja a própria PM ou o governador. Será que ninguém de fora do governo não tem algo de bom a dizer do trabalho realizado? Interessante que toda a mídia publica agentes públicos ou não dizendo que vivemos em plena democracia, que todas as instituições funcionam, mas quando o assunto é segurança pública e ação dos seus agentes, a premissa, até prova em contrário, é a de que houve abuso dos policiais como se ainda estivéssemos na ditadura. Ninguém quer defender maus policiais, arbitrários, corruptos, abordagens mal realizadas e morte de inocentes, etc. Mas quero, sim, defender policiais que dia a dia arriscam a vida para defender a população da criminalidade, e que também tem família, filhos, mãe e pai que certamente ficam aflitos quando seus filhos saem de casa para o trabalho e não sabem se voltarão. Será que tudo o que a PM faz está errado? O que parece, é que se algum PM tivesse sido morto no entrevero as críticas teriam sido, vamos dizer, mais suaves. A criminalidade está tomando conta, os armamentos cada vez mais pesados nas mãos de criminosos e abertamente estão confrontando o estado democrático de direito, e não tem ninguém de fora do governo que queira ser ouvido pela mídia, que defenda proteção às forças de segurança, com penas mais severas para quem matar policiais, juízes, promotores. O criminoso é perigoso, e armado é mais perigoso ainda. Não precisamos inventar a roda, mas pegar exemplos de países que todos concordam serem exemplo de democracia e direitos humanos, como os EUA, onde a pessoa flagrada armada pela polícia já sabe que terá que imediatamente deitar de cabeça para o chão do contrário leva chumbo. Precisamos, sim, valorizar e proteger quem nos defende, não só dando as melhores condições de trabalho, treinamento, bons salários, armamentos, coletes, mas também de leis que diga ao criminoso: não se atreva a apontar uma arma a um policial, do contrário... Parece que criticar a PM é politicamente correto? Aonde iremos parar?

Mauricio Ferreira da Silva mauricio.ferreira.adv@hotmail.com

São Paulo

*

VIOLÊNCIA

Quem estiver com pena dos vagabundos que a Rota matou, leve os que ficaram vivos para suas casas, inclusive para conviverem com seus familiares. Viva a Rota!

Eraldo Bartolomeu Cidreira Rebouças real742@yahoo.com.br

São Paulo

*

SEGURANÇA PÚBLICA

O ouvidor da Polícia do Estado de São Paulo, Luiz Gonzaga Dantas, considerou preocupante a morte de nove pessoas na ação da Rota ocorrida na terça-feira (11/9) em Várzea Paulista, na Grande São Paulo. "'Realmente, esse fato é preocupante, visto que várias pessoas foram mortas onde havia agentes do Estado"', afirmou, completando ainda disse "Vamos ouvir pessoas que tenham testemunhado esses fatos lamentáveis". Em primeiro lugar parabéns ao comandante da Rota. Preocupante e lamentável, Sr. Luiz Gonzaga, é sua atitude que se iguala à das entidades de Direitos Humanos, que só aparecem quando os algozes da população levam a pior. Não queremos uma polícia assassina e, diga-se de passagem, não a temos, mas homens honrados, trabalhadores e suas famílias estão sendo exterminados e o senhor, que aparentemente está ao nosso lado, não fará a menor falta se for exonerado, ou simplesmente apenas calar-se.

Jatiacy Francisco da Silva jatiacy@estadao.com.br

Guarulhos

*

HIPOCRISIA

Vamos ver até onde vai a hipocrisia dos defensores dos bandidos: direitos humanos, ONGs e outras. Quando se matam policiais, mesmo que estejam junto de suas esposas ou filhos, não aparece movimento nenhum que defenda os direitos dos mesmos, mas quando se trata de "bandidos", aí é "carnificina", "assassinato em massa", "limpeza social e de arquivo", "massacre hediondo" e, o que é pior: "reação intempestiva", "desmesurada, inconsequente ou desumana" por parte da força policial. Nossa polícia é condenada por não agir e por agir, como é que ficamos? Com a polícia ou com os bandidos? A escolha é nossa, da sociedade que paga imposto para ser protegida, não para ser roubada, assassinada e vilipendiada.

Aloisio A. de Lucca aloisiodelucca@yahoo.com.br

Limeira

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.