Fórum dos Leitores

ELEIÇÕES MUNICIPAIS

O Estado de S.Paulo

21 Setembro 2012 | 03h08

Companheiros idôneos

Se, para os petistas, o mensalão não existiu, é uma mentira, uma falácia e outras pérolas mais, não dá para entender a preocupação do candidato à Prefeitura paulistana Fernando Haddad (PT) com a propaganda de José Serra que o associa a José Dirceu e Delúbio Soares.

ODILON OTÁVIO DOS SANTOS

Marília

Concordância

Concordo plenamente com o candidato Haddad quando diz que "Serra é uma pessoa que não tem a menor generosidade nem com as pessoas do partido dele". O candidato petista definiu claramente o modo deles de governar: generosidade com as pessoas, principalmente as do seu e dos partidos que os apoiam, pois é só ver quantos deles mamam no governo. Já Serra dá prioridade ao conhecimento e ao mérito em lugar da cupincharia. Quanto ao termo denegrir (bem forte!) usado pelo candidato do PT referindo-se a Serra, deveria ser utilizado pela atuação de Haddad no Ministério da Educação (vide o Enem) - enquanto Serra é considerado o melhor ministro da Saúde nunca antes e até agora visto neste país.

DIVA A. ANDRADE MAZBOUH

diva.am@uol.com.br

São Paulo

Criatura e criador

Fernando Haddad disse (sic): "Para alguém ter meu brilho tem de nascer de novo". A criatura está tão empafiosa quanto o criador e essa falsa segurança o levará à derrota. Minha opacidade reluz muito mais que o brilho do Haddad.

JOÃO MENON

joaomenon42@gmail.com

São Paulo

Fim do lulopetismo

Prenuncia-se o fim do culto à personalidade e de um partido político que se queria diferente de todos os demais. Haddad não tem a metade dos petistas paulistanos, sua candidatura se debilita; o culto a um político é sempre transitório (vide Mao Tsé-tung, Stalin e outros); e os partidos obreiros sempre tenderam a se descaracterizar, como se deu com o Partido Trabalhista britânico, dadas as alianças que o conspurcam e a fragilidade moral dos homens para comandar e resistir às atrações do grande e atraente Leviatã que é o Estado. Assim se deu, também com o movimento Solidariedade, dos poloneses.

AMADEU R. GARRIDO DE PAULA

amadeugarridoadv@uol.com.br

São Paulo

Prêmio de consolo

Com grande possibilidade de ser eliminado já no primeiro turno da eleição, em que ministério deverá ser alojado o sr. Fernando Haddad? Ou será nomeado assessor da sra. Marta na pasta da Cultura? É só curiosidade...

ADEMAR MONTEIRO DE MORAES

ammoraes57@hotmail.com

São Paulo

BOM EXEMPLO

O mérito de Tiririca

Fico agradavelmente surpresa ao saber que Tiririca está entre os melhores deputados. De onde não se esperava veio o bom exemplo a ser seguido por seus pares. Sua atitude demonstra o desejo de se aprimorar, de cumprir bem o seu dever durante o mandato que o povo lhe concedeu. Se queremos um Brasil mais decente, devemos reconhecer os méritos de alguém que chegou ao Parlamento desacreditado, bem como o seu esforço em mostrar ao povo que o elegeu que não está lá de brincadeira, mas para trabalhar com seriedade. Soube fazer a distinção entre o papel que representou em sua vida profissional anterior e o atual, que trata da defesa dos interesses da população. Sabemos que o Congresso Nacional está repleto de parlamentares que invertem essas funções: começam como parlamentares e depois se portam como palhaços, no sentido pejorativo da palavra. Parabéns ao deputado Tiririca e tomara seus projetos sejam tão importantes para a população quanto o exemplo de seriedade que está dando, o que, nos dias de hoje, tem valor inestimável.

ELIANA FRANÇA LEME

efleme@terra.com.br

São Paulo

'BRASIL INOVADOR'

Cumprimentos

O caderno especial Brasil Inovador é uma ideia inovadora do Estadão. É, portanto, performático: inova no modo de informar sobre inovações. Tentando inovar como leitor, procurei na internet o currículo dos autores dos textos e encontrei o Instituto Superior da Empresa como possível local de trabalho de um dos articulistas, ao lado do Instituto Internacional de Ciências Sociais e da FGV, entre outras instituições de peso na área empresarial. Parabéns pela bela iniciativa.

LUIZ R. DE BARROS SANTOS

uizroberto.santos@gmail.com

São Paulo

ECONOMIA

Crescimento

Se o Brasil não terminar o ano crescendo 4%, proponho a exoneração imediata do ministro da Fazenda, Guido Mantega.

SERGIO S. DE OLIVEIRA

ssoliveira@netsite.com.br

Monte Santo de Minas (MG)

Refinarias e usinas de refino

Ultimamente muito se tem falado da construção da Refinaria Abreu e Lima, em Pernambuco, por ser um assunto muito importante, pois a última refinaria de grande porte que construímos foi a Repar, no Paraná, inaugurada em 1977, há quase 45 anos, portanto, ainda no tempo dos militares. A nova refinaria da Petrobrás é um parto de elefante, sua construção já deveria ter findado, mas não se inaugura nunca e seu preço já subiu mais de dez vezes: dos R$ 2,3 bilhões iniciais, atualmente está previsto custar R$ 20,1 bilhões. Há um aspecto de grande importância, que parte da população esclarecida do País desconhece: é que metade de sua produção será para refinar óleo pesado da venezuelana PDVSA, não serve para refinar petróleo brasileiro. Hugo Chávez prometeu financiar 40% do investimento da Abreu e Lima, mas até agora não pôs a mão na carteira. Os "milicos" em dez anos construíram mais de dez refinarias e agora se leva meio século para construir apenas uma - temos outras prioridades, como o mensalão, não sobra para o povo, mas tem enriquecido muito político. Depois optamos pela construção de milhares de pequenas usinas, que refinam um pó branco, encontradas nos morros do Rio de Janeiro ou em favelas do País, num processo exemplarmente democrático...

JOÃO HENRIQUE RIEDER

rieder@uol.com.br

São Paulo

Piada lulista

É o BNDES financiar a PDVSA em R$ 4 bilhões para a empresa venezuelana participar da construção da Refinaria Abreu e Lima! Até o presente, a usina já está com 62% das obras concretizadas e a Venezuela não deu nem um tostão! Antigamente a função do BNDES era financiar empresas genuinamente brasileiras. E agora? Esse é o modus operandi do PT!

JOÃO ANTONIO DOHMS

dohmsj@hotmail.com

Fortaleza

Cartas selecionadas para o Fórum dos Leitores do portal estadao.com.br

BATEU O DESESPERO

O discurso barato dos petistas parece cada vez mais difícil de ser engolido. Querem fazer acreditar aos mais ingênuos que foi Lula quem colocou o Brasil na rota do desenvolvimento distribuindo renda. Essa distribuição já era feita, o nome mudou e também os objetivos. A distribuição de renda virou uma bolsa-voto. Ou vota no PT ou fica sem receber. A pobreza só interessa às esquerdas. Enquanto houver pessoas necessitadas, os picaretas se manterão na política e no poder. Para que dar ao povo formação, trabalho digno e cultura? Povo instruído e preparado se vira sozinho, não depende dos defensores dos pobres. As pesquisas também estão revelando uma mudança no perfil do eleitor. Partidos em desespero assinam nota onde falam em "práticas golpistas e invencionices de fontes sem identificação". Criticam a revista Veja por ter publicado entrevista com Marcos Valério em que o empresário chama Lula de mandante do mensalão. O desespero é visível. De todos os lados saem aliados dispostos a apagar incêndio. Tal atitude tem uma explicação: os apoiadores de Lula não querem perder a boquinha. Depois da lição do Supremo Tribunal Federal (STF), dificilmente a sociedade se deixará enganar por promessas demagogas. E mais, a oposição omissa que temos tão pouco está interessada em dar um futuro melhor aos brasileiros. Só resta ao eleitor escolher, entre os péssimos, o menos ruim. Só Deus para nos salvar.

Izabel Avallone izabelavallone@gmail.com

São Paulo

*

INVADAM O STF?

Diante dessa tresloucada convocação dos petralhas para que a militância vá às ruas defender o partido e seus dirigentes das mentiras que lhes estão sendo assacadas, fica a impressão de que, mais uma vez, a petralhada está "enfiando os pés pelas mãos". Em primeiro lugar deve ser esclarecido o que eles consideram mentiras: estariam afirmando que a conclusão do STF, ao determinar que o mensalão existiu, é mentirosa? Depois, é preciso determinar quem deverá ser o alvo dessa fúria dos militantes: estariam esperando que alguns aloprados invadam o STF, para "melar" o julgamento do mensalão? Em um país minimamente decente, esse comportamento irresponsável das lideranças petralhas já seria caracterizado como incentivo à violação da ordem pública. O fato é que depois que "Marta Relaxa e Goza" disse que Lulla era Deus, e os petralhas acreditaram na "lorota", alguns resolveram convocar a militância para participar de alguma coisa ridiculamente análoga a uma "Guerra Santa". Essa atitude petralha lembra uma maluquice semelhante, tomada pelo então presidente Collor, que no auge da crise que culminou com seu "impeachment", conclamou em vão o povo brasileiro para que fosse às ruas com o intuito de "salvar a sua pele".

Júlio Ferreira julioferreira.net@gmail.com

Recife

*

SOLIDARIEDADE

Li com emoção a reportagem sobre o sofrimento vivido pelo Sr. José Genoíno, injustamente apontado como réu da Ação Penal 470 ('Eu nunca joguei a toalha na minha vida', afirma Genoíno, 20/9, A6). Não aprovo essa Ação Penal ser codinominada "mensalão", pois isso nunca existiu, como sabemos por ter sido explicado à exaustão pelo presidente Lula. O "crime" do Sr. Genoíno foi o de apenas ter sido presidente do PT, quando assinou um pequeno contrato de R$ 100 milhões de empréstimo no Banco Rural, dando como garantia todas os seus haveres - uma casa geminada no valor de R$ 60 mil e o total de depósitos na sua conta bancária, R$ 12 mil. É certo que o Banco Rural aceitou as garantias e é mais do que claro que o Sr. Genoíno "assinou sem ler" toda a papelada, tanto tem repetido essa explicação tão simples de ser entendida. Agora, que passou por um perigoso cateterismo e corre risco de morte por tristeza, nada mais justo que procure a imprensa que lhe é favorável para tornar público seu desalento. A ele, minha solidariedade.

Neil Ferreira neil.ferreira@gmail.com

São Paulo

*

PECADO CAPITAL

Não duvido de que José Genoino, como diz, vive há 30 anos na mesa casa, ou que nunca cuidou das finanças do PT, e que até se sente torturado pela mídia por estar envolvido no escândalo do mensalão. O problema é que este petista na época das denúncias era ninguém menos do que o presidente do Partido dos Trabalhadores. E assinou as promissórias dos empréstimos fajutos que resultaram, não sem o seu conhecimento, no sofisticado esquema de desvio de recursos do erário. Ora, para quem é filiado ao PT desde a sua fundação, foi deputado federal, candidato a governador de São Paulo, etc., e pelo que me parece tampouco é um coitado ou analfabeto, faltou única e tão somente, como homem público que é, denunciar à Nação esta farsa que seu partido promovia, para nossa indignação e sob os auspícios do então presidente Lula. Se o silêncio é até uma boa prece, o do Genoino foi criminoso...

Paulo Panossian paulopanossian@hotmail.com

São Carlos

*

AQUI SE FAZ, AQUI SE PAGA

"Sou inocente e não cometi nenhum crime. Fui só presidente do PT" (sic), José Genoino, Estado, página A6, 20/9. E, como se fosse nada, ele ainda acha pouco ter presidido quadrilhas! Sim, porque o PT nada mais é que a reunião de uma porção delas - e isso está sendo desmascarado e provado no plenário da corte máxima da nossa Justiça. E essa realidade está sendo revelada não pelo STF, mas, sim, pelo ministro Joaquim Barbosa, cujos pares, perante a peremptoriedade de suas revelações ao ilustrar seus votos, não têm como delas se desvencilharem, embora, tenho certeza, exista lá quem gostaria de safar-se... Para que se tenha uma ideia de como funciona o PT, se o já condenado por corrupção passiva, lavagem de dinheiro e peculato João Paulo Cunha, de Osasco, for cassado pela Câmara federal, como tudo indica deva ser, ele, como todo deputado ou senador, tem um suplente, também. Quem seria esse sortudo? Eu digo: José Genoíno, que não foi reeleito em 2010, mas é suplente. Vade retrum, que não fará falta nenhuma!

João Guilherme Ortolan guiortolan@gmail.com

Bauru

*

(IN)GENOINO

O que continua me intrigando, é que petistas pegos com a mão na cumbuca, pilhados em flagrante em maus feitos, vem em público dizer que aquilo que todo mundo viu nunca existiu, que é mentira, que é um golpe das elites. Lendo o que disse Genoino no Estado de 19/9, se dizendo inocente do caso mensalão, pois "só era presidente do PT". Ele dizer que como presidente não cuidaria do dia a dia das finanças do PT, eu até acredito, mas que não sabia e que não ao menos recebia um relatório a respeito das finanças do partido, aí já é demais, né? Mas o que ele deveria dizer é que foi ele quem assinou todos os contratos dos alegados empréstimos (que a justiça vem dizendo serem fajutos) que o PT fez com os bancos, contratos de milhões de reais e que ele também assinou como avalista, mesmo não tendo patrimônio para garantir 1% da dívida. Acredito quando ele diz que seu patrimônio é o mesmo nos últimos 30 anos, e por acreditar nisto é que também não posso crer que um banco aceitaria um aval em vários contratos de milhões de reais de quem não tem como garantir a dívida. Portanto, os contratos são fajutos sim. Dizer que o Sr. continua pobre, caro INgenoino, para quem sabe pensar, não quer dizer muita coisa, pois gente pobre também faz coisa errada. Não posso crer que o Sr., como presidente do maior partido do País, que foi deputado federal por 24 anos e com 66 anos de idade, tenha assinado os contratos sem ler, sem saber as consequências, sem saber do que se tratavam, sem saber como o partido iria pagar vultosa quantia. O Sr. colocou o seu patrimônio e o da sua família em risco ao ser avalista de contratos milionários em época que a perícia produzida nos autos do mensalão demonstram que o PT estava "falido" ao final das eleições de 2002 que elegeu Lulla para presidente. O Sr. assumiu ser presidente do partido em 2003 sem saber disso? Fazer cara e pose de vítima e de ingênuo, na sua idade é ilógico, não cola José.

Mauricio F. Silva mauricio.ferreira.adv@hotmail.com

São Paulo

*

NOTÍCIA VELHA

Marcos Valério diz que "Lula foi o principal articulador do mensalão". Oh! Descobriram a pólvora! E ele vem agora com esta notícia velha para enganar quem? Ou jogar cortina de fumaça onde? E por que não o prendem por ocultar a denúncia e obstruir a justiça? E como fica a presidente Dilma, indicada por Lula? Se ele a indicou, foi para continuar a roubar o Brasil e a manter dos seus lá no poder - e tudo isso é apagado pelo amor cego dos desvalidos por Lula. A boa notícia é que pelo menos em São Paulo esta quadrilha já era, e São Paulo sempre foi vanguarda. Do mesmo jeito que foi o primeiro a colocar o PT, já assumiu que foi o primeiro a retirá-lo, basta ver que aqui nem para presidente obtiveram maioria. Que o Brasil acorde e siga São Paulo e de um basta nesta gente.

Roberto Moreira da Silva rrobertoms@uol.com.br

São Paulo

*

MENSALÃO

De Luiz XV: "depois de mim, o dilúvio". De Valério: "depois de mim, o Delúbio".

Celia Maria Bertocco Pinotti celi_pinotti@hotmail.com

São Paulo

*

CAIU A MÁSCARA

Depois das denúncias apresentadas pelo relator do mensalão no STF, ministro Joaquim Barbosa, e das publicadas na revista Veja do dia 18 de setembro, será que o multihonoris causa Lulla ainda vai continuar afirmando que o mensalão foi uma invenção das elites e que nunca existiu? O Brasil inteiro espera a sua resposta. Oxalá ele tenha coragem de vir a público e pedir desculpas ao povo brasileiro.

Polan Lacki polan.lacki@onda.com.br

Curitiba

*

PÍ'LULA' DOURADA

Alô, alô, Dr. Roberto Gurgel, é chegada a hora de o Ministério Público Federal abrir inquérito após as denúncias da Veja, somadas aos trabalhos do ministro Barbosa, e alcançar peixes maiores. Basta de o Ministério dourar a pílula.

Mauricio Tarandach mautaran@gmail.com

São Paulo

*

O REI DO MENSALÃO

Resta saber se o Ministério Público, que imensos poderes ganhou na Constituição de 1988, atuando na verdade, vai saber honrar suas obrigações e mover, rapidinho, sem desculpas esfarrapadas e firulas de toda ordem, uma ação contra o cidadão Luiz Inácio Lula da Silva, por ter sido o diretor da quadrilha do mensalão, já que o chefe todos sabemos quem foi. E que não briguem diretor e chefe, para não tumultuar a repartição.

Paulo Serodio pserodio@uol.com.br

São Paulo

*

APÓS O JULGAMENTO DO MENSALÃO

Lula vai ficar na História. Já temos Pedro, o Grande, Ivan, o Terrível; o Rei Sol; etc. Sugestões: Lula, o Camaleão; Lula, o Pinóquio; Lula, o Rei do Jabaculê; Lula, o Contador de Histórias. Colabore você também e depois vamos votar pela internet a que melhor descreve este agora apenas cidadão. Não é uma boa ideia?

Airton Moreira Sanches moreira.sanches@uol.com.br

São Paulo

*

O SOFRIDO LULA

Fora da Presidência, Lula está comendo o pão que o diabo amassou. Agora não pode mais falar em rede nacional para rebater as notícias que circulam a seu respeito. Pior é que sua "protegida" quer ficar longe da discussão.

Toshio Icizuca toshioicizuca@terra.com.br

Piracicaba

*

E AGORA, JOSÉ?

Depois da matéria veiculada pela revista Veja, será que a censura vai continuar permitindo que as seções do STF, que julga a Ação Penal 470, continuem sendo transmitidas ao vivo?

Batista Cassiano batistacassiano@hotmail.com

São Paulo

*

COZINHANDO O GALO

Diz a sabedoria popular que, quando se quer obter um bom caldo, tem de cozinhar o galo em fogo lento. É o que a Veja vai fazer com Lula... perché chi va piano, va sano e va lontano.

Mara Montezuma Assaf montezuma.scriba@gmail.com

São Paulo

*

A CORAGEM QUE FALTAVA

Tempo bom para peixes pequenos (Aloísio de Toledo César, 15/9, A2) denuncia, pingando os is, o que até agora a oposição ao lulopetismo não teve "peito" para fazer abertamente, intimidada que sempre esteve pela popularidade do seu adversário maior que continua solerte nadando nas águas turvas da República. Finalmente alguém teve coragem para mostrar a verdadeira autoria do maior escândalo que se tem notícia na História Política do Brasil. Agindo à sorrelfa, segundo a melhor técnica marxista, o lulopetismo avalizou dinheiro fácil - o capitalismo oportunista o propicia aos espertos - para comprar parlamentares e garantir a aprovação dos seus projetos. Afinal, para o lulopetismo esquerdista o fim justifica os meios. Que se dane a ética, para eles um mero e desprezível preconceito elitista burguês.

Arnaldo Amado Ferreira Filho amado1930@gmail.com

São Paulo

*

'O CARA'

Agora sabemos que o cara é um tremendo cara de pau.

Carlos Roberto Gomes Fernandes crgfernandes@uol.com.br

Ourinhos

*

CAÍDO

Com o mensalão, Lula de astro passa a estrela cadente.

Roberto Twiaschor rtwiaschor@uol.com.br

São Paulo

*

AÉCIO RECOMENDA CAUTELA

O senador tucano Aécio Neves (MG) afirmou que é preciso ter "cautela" ao vincular Lula com o escândalo do mensalão, mesmo após matéria publicada na revista Veja, na qual o Lula é apontado como chefe da quadrilha. É compreensível, pois como ele justificaria perante seus eleitores mineiros o pedido de apoio para eleger Dilma, candidata do PT, para a Presidência da República na última eleição? Ou será que os eleitores já se esqueceram do "Dilmasia"? Se o PSDB lançar esse elemento como candidato a presidente da República na próxima eleição, vai perder de novo.

Maria Carmen Del Bel Tunes carmen_tunes@yahoo.com.br

Americana

*

MINEIRIDADE

É lógico que o senador Aécio Neves, como bom mineiro, recomenda "cautela" ao vincular o ex-presidente Lula à Ação Penal 470. Porque o mensalão é uma invenção 100% mineira, a maior parte dos réus e o até então considerado o chefe do esquema são oriundos de Minas Gerais, cujo embrião do escândalo foi formado em ninho tucano de Belo Horizonte.

José Francisco Peres França josefranciscof@uol.com.br

Espírito Santo do Pinhal

*

GRAÇAS AO LULA

Graças à vinda de Lula ao Espírito Santo em 2005, a vergonha que era o Aeroporto de Vitória desde 2007 nos orgulha devido às suas maravilhosas instalações. Graças ao Lula o precário SUS, faz tempo, presta serviços de Primeiro Mundo e nenhum figurão recorre mais ao Sírio-Libanês. Graças ao Lula a endemia de malfeitos foi banida do Brasil e o STF está provando que o mensalão "nunca existiu", é pura invencionice. Agora vem o Marcos Valério querendo denegrir a impoluta imagem do Midas brasileiro... Não é brasileiro o lendário Aladim, mas aqui temos o Midas cognominado Lula (é assim que Elle se vê, mas você pode discordar).

Humberto Schuwartz Soares hs-soares@uol.com.br

Vila Velha (ES)

*

OS CONDENADOS E A ELEIÇÃO

A cada audiência do julgamento do "mensalão" surgem comentários, inclusive de especialistas, de que a repercussão será negativa para o PT. Mas eis que os mais recentes "condenáveis" pertencem a outros partidos. Como no caso dos deputados Roberto Jefferson, do PTB, e Valdemar Costa Neto, do PR. Que não apoiam o PT em São Paulo. Como fica a situação dos candidatos que eles estão apoiando? E sem deixar de lado os vínculos do Marcos Valério com o PSDB em Minas Gerais. Será que o eleitor paulista é tão desinformado ou despolitizado que não percebe isso?

Uriel Villas Boas urielvillasboas@yahoo.com.br

Santos

*

PUNIÇÃO

A condenação do deputado Valdemar Costa Neto, que pertencia antigo PL, hoje PR, pelo relator Joaquim Barbosa, é uma notícia auspiciosa. Todavia, além de cumprir pena, é imperioso também que se efetive a devolução dos R$ 10 milhões que esse parlamentar abocanhou do indecoroso esquema do mensalão. Somente dessa forma a punição ao corrupto parlamentar estará completa.

Francisco Zardetto fzardetto@uol.com.br

São Paulo

*

O NOME DELE É VALDEMAR

Refrão, todos juntos, cumpanhêrada!: Eu hoje vou me dar mal / eu hoje vou me dar mal / eu hoje vou me dar mal...

Flavio Marcus Juliano opegapulhas@terra.com.br

Santos

*

POBRE PT

Eu poderia começar ofendendo ao Sr. Leonardo Boff, que num texto intitulado Manter viva a causa do PT: para além do "mensalão" e distribuído pela internet, entre tantas bobagens que fala, destaca-se: "Ele se aplica ao PT com referência ao processo do 'mensalão'. Você bate nos acusados, mas tem a intenção de bater no PT. A relevância espalhafatosa que o grosso da mídia está dando à questão mostra que o grande interesse não se concentra na condenação dos acusados, mas através de sua condenação, atingir de morte o PT". Vou preferir chamar o Sr. Boff de ingênuo. Tento exaustivamente entender a lógica dos comunistas: ao mesmo tempo que falam que o mensalão não existiu, referem-se a ele constantemente. E, se os acusados em julgamento do processo do mensalão são do PT, o Sr. Boff pretendia atingir de morte o PSOL, por exemplo? A derrocada do socialismo/comunismo no início dos anos 90 demonstrara-nos entre outras coisas que o regime apenas privilegiava seus dirigentes, justamente através do enriquecimento ilícito. A China de Mao só retomou o progresso com a introdução de um capitalismo disfarçado, e o mundo inteiro conhece a miséria em que vive o povo cubano de Fidel. Gostaria, outrossim, que o Sr. Boff me explicasse o fenômeno do Muro de Berlim, ou seja, por que nunca ninguém tentou pular do lado ocidental para o lado oriental? Ou por que nunca ninguém fugiu de qualquer outro lugar nadando em direção a Cuba? A quem mandou o texto do Sr. Boff ao meu e-mail com o endereço eletrônico "eskerdopata", nome providencialmente escolhido porque rima com psicopata, devo revelar que prefiro leituras inteligentes, como a redação vencedora do concurso da Unesco em 2008, ao qual concorreram 50 mil participantes, vencido pela estudante carioca, de apenas 26 anos, Clarice Zetel Vianna Silva, da UFRJ, intitulada Pátria Madrasta Vil, que referia-se exatamente a essa pátria (?) do amado ídolo Lula. Ou a leitura da redação vencedora de um concurso da rede municipal de ensino de Joinville (SC), em 2009, escrito por uma menina de 14 anos, sobre o tema Dai pão a quem tem fome, referindo-se à perda de patriotismo do povo brasileiro nesse processo politiqueiro-eleitoreiro implantado por essa "maravilha" que o Sr. Boff idolatra e que se denomina PT.

Nei Silveira de Almeida neizao1@yahoo.com.br

Belo Horizonte

*

'DIÁRIO DE CLASSE'

O delegado violou o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA), ao expor a menor autora do blog Diário de Classe. Além de demonstrar falta de preparo. Espero que o lento Ministério Público de Santa Catarina e a deficiente Secretaria de Educação local, que manteve a professora e o diretor constrangendo a menor, adotem, finalmente, alguma providência.

Carlos José Marciéri carlosmarcieri@uol.com.br

Brasília

*

OS POBRES, ORA OS POBRES...

Deixa ver se entendi direito. O mesmo governo que afirma governar pensando nos pobres mantém impostos reduzidos de carros, geladeiras (o que acho corretíssimo e que gostaria que fosse definitivo) veta a redução das taxas da cesta básica. É isso mesmo?

Luiz Nusbaum lnusbaum@uol.com.br

São Paulo

*

NA CESTA BÁSICA, NÃO!

Noticias de Brasília dão conta que a presidente Dilma sancionou a Medida Provisória 563/2012, que prevê desoneração de impostos à indústria, mas vetou itens introduzidos por parlamentares que desonerava impostos de alimentos da cesta básica como arroz e feijão e que, na verdade, era uma antiga reivindicação do PT bem antes de chegar à Presidência. Conforme analistas econômicos, essas decisões do governo federal de desoneração de impostos tipo "quebra-galho" deixam cada vez mais distante uma efetiva "reforma tributária".

Edgard Gobbi edgardgobbi@gmail.com

Campinas

*

DIREITO NOSSO

Estelionato é vender algo que já estava cedido. O "desconto futuro" na conta de energia elétrica cobrada aos brasileiros é uma restituição de valor cobrado a mais ou indevidamente na conta de luz. Logo, o desconto futuro é um nome que se deu para a devolução de dinheiro ao legítimo dono, para não dizer coisa pior. Simplificando, o vendedor da luz "se distraiu" e cobrou mais do que podia, o homem do tribunal viu e mandou devolver, então o distraído disse que não tinha agora mas que dava um jeito para o ano que vem. Então lembre-se, eleitor, o tal desconto - se é que ele vem mesmo - não é um presente, é direito seu, e para recebê-lo não precisa votar em mim nem em ninguém.

Stanislaw Cordeiro ratles2@hotmail.com

São Paulo

*

ALGO ERRADO?

Foxconn investirá R$ 1 bilhão em fábrica de componentes em Itu. A construção de uma fábrica de alta tecnologia que criará vários empregos diretos e indiretos tem o mesmo orçamento que a reforma do Maracanã e a construção de estádio de futebol do Itaquerão. Será que tem algum equivoco em algum orçamento?

Vagner Ricciardi vbricci@estadao.com.br

São Paulo

*

PESQUISA ELEITORAL

Como mudou a pesquisa divulgada ontem (quinta-feira), não tiveram como enganar um pouco mais os eleitores? Foi só a Rádio Jovem Pan ter dado início a sua tradicional enquete, feita ao vivo, como os resultados foram tão diferentes dos resultados que vem sendo divulgados pelas conhecidas empresas "especializadas" em pesquisas. Fica difícil justificar e acreditar em pesquisas, que mais parecem dirigidas ou encomendadas. Dentro de 20 dias já teremos os resultados verdadeiros, é só esperar as eleições de primeiro turno, que ocorrerão em 7/10/2012.

Luiz Dias lfd.silva@2me.com.br

São Paulo

*

JOIO DO TRIGO

Felizmente o paulistano está separando o joio do trigo, conforme demonstra a nova pesquisa Datafolha, em que José Serra abriu seis pontos sobre o petista Fernando Haddad. A maioria do eleitorado de São Paulo abomina candidato de partido corrupto e sem ética (PT), que está sendo julgado pelo STF pelo maior crime de corrupção da história deste país. Votar em Haddad e voltar o mensalão. O segundo turno é outra luta: a verdade contra a mentira.

José Wilson de Lima Costa jwlcosta@bol.com.br

São Paulo

*

FALTA OLHOS NOS OLHOS

Antigamente nossos pais nos ensinavam a olhar diretamente nos olhos das pessoas para prever seu caráter, ética e moral. Olhos nos olhos nos diziam. Pelo jeito as novas gerações ficaram longe dessa educação, porque basta olhar nos olhos dos mais jovens candidatos e bem cotados nas pesquisas à prefeitura de São Paulo para entender que atrás daquele olhar angelical e aparentemente inocente, existe um caráter para lá de duvidoso, mentiroso e por que não assustado? São Paulo não é fácil de administrar e os inexperientes sabem disso. Pena que o povo nos últimos quase trinta anos perdeu essa percepção atávica: olhos nos olhos, o que tem permitido que sistematicamente pessoas indevidas sejam eleitas e decidam o futuro por elas! Muito triste!

Beatriz Campos beatriz.campos@uol.com.br

São Paulo

*

POLITICAGEM BARATA

Não a Igreja Católica,mas seu representante se apequena em não receber Celso Russomano, candidato à prefeitura paulistana. Não está sabendo admitir a força da Igreja Universal do Reino de Deus e seu povo. Isso sim que é politicagem barata e tendenciosa. Não a Igreja Católica, e sim seu principal representante na capital paulista está indo contra os seus principais dogmas, que é justamente estar aberto a todos. Assim agindo, só perdem pontos e fiéis de seu rebanho. Em tempo, sou católico apostólico romano. Estão agindo iguais à institutos de pesquisa eleitoral e influenciando opiniões. É o fim.

José Piacsek Neto bubapiacsek@yahoo.com.br

Avanhandava

*

CHATICE

As emissoras de TV aberta reclamam da enorme queda de audiência no horário nobre, não é prá menos. Será que ainda não perceberam a razão? Ninguém aguenta mais os horários e propagandas políticas que extrapolaram os limites do bom senso. Como não bastasse a "chatice", ainda em todos os noticiários chegam ao cúmulo de fazerem entrevistas e debates com os candidatos à prefeito e também divulgam as suas agendas do dia seguinte, é muito, muito pior, é demais! Quem não tem TV a cabo nem liga o seu televisor nesse horário, os reflexos também se estendem às emissoras de Rádio. Dos horários eleitorais gratuitos todas emissoras reclamam mas se excedem nas propagandas pagas, e ainda reclamam da queda de audiência? E nós telespectadores ou ouvintes, que nem temos a quem reclamar, só nos resta manter a TV ou o rádio desligados.

Maria Teresa Amaral mteresa0409@2me.com.br

São Paulo

*

NOSSO PREFEITO

Como sempre, Gilberto Kassab acordando depois da hora e, com a casa pegando fogo, diz que tomará providências para retirar moradias, barracões de escolas de samba e outros tipos de ocupações localizados sob viadutos. A única coisa que sempre soube fazer de "prima" é aumentar impostos, taxas, tributos e tarifas prejudicando a população.

Angelo Tonelli angelotonelli@yahoo.com.br

São Paulo

*

FAVELAS E VIADUTOS

Os governos municipais nunca deveriam ter permitido favelas ao lado de viadutos e outros bens municipais, deveriam ter removido sempre, ou protegido melhor essas pontes e locais, para que essas vias, que tanto custaram ao erário municipal fossem preservadas, e nunca interditadas, como temos visto. Isso vem de longa data e nunca vi nenhum prefeito se incomodar com esse tipo de favelamento. Está mais do que na hora de providências serem tomadas, e rapidamente.

Carlos E. Barros Rodrigues ceb.rodrigues@hotmail.com

São Paulo

*

VIADUTOS-BOMBA

Já passou da hora de o prefeito proibir construção de barracos debaixo dos viadutos e ainda do lado da linha do trem. Entendo a situação dos moradores, que não têm outra opção, mas a Prefeitura precisa e deve resolver isso, mas sem ninguém debaixo do viaduto. Já vi essa situação na Via Dutra anos atrás e a vida de milhões é prejudicada com a interdição dos viadutos, o que não é justo nem correto. E ainda pior: o dia em que pegar fogo debaixo do Minhocão e no sentido da Rua do Glicério, por exemplo, lá existem pelos meus cálculos toneladas de papelão e outros produtos que adoram fogo. Então esta é a hora de resolver esse assunto, que pode prejudicar milhões, e ajudar uns poucos a ter um local digno para morar. Mas, por favor, nunca debaixo de viadutos ou nas suas cercanias.

Kaled Baruche kbaruche@bol.com.br

São Paulo

*

PARQUE ESTADUAL ITAPETINGA

Sou proprietário de terras que estão em processo de desapropriação para criação do Parque Estadual do Itapetinga, e li recentemente no Estado que o governo do Estado de São Paulo irá gastar R$ 2 bilhões para remoções de moradias irregulares, provenientes de invasões, no Parque Estadual da Serra do Mar. O que me deixa surpreso é que a implantação do Parque Itapetinga que juntamente com o Parque Itaberaba, criado pelo decreto lei 55.662 de 30 de março 2010, caminha a passos lentos e já sofre também com invasões. Quando questionados pela demora na regularização fundiária pelo Instituto de terras do estado de São Paulo (Itesp) e pela implantação efetiva do parque, os técnicos são unânimes em declarar que tem poucos recursos financeiros e humanos; em resumo: poucos advogados para realizar o trabalho de regularização fundiária e acordos de desapropriações amigáveis. Enquanto isso, proprietários, como no meu caso, sofrem por não poder dispor de seus patrimônios para nada. Por se tratar de uma unidade de conservação integral, todas as propriedades inseridas no parque estão "congeladas" pelo governo do estado de São Paulo. Houve relato de policiais militares ambientais que um pequeno proprietário se suicidou enforcado, por não ter não ter perspectiva de vida digna com a desapropriação de seu pequeno sítio. Mesmo assim somos obrigados a defender as terras contra invasões, como recentemente aconteceu comigo. Tive que contratar advogado para conseguir reintegração de posse contra uma tentativa de invasão por uma família apoiada por grileiros interessados em venda de terrenos irregulares. Apesar do apoio do gestor do parque, Sr. Francisco Honda, tive despesas processuais, tive despesas com cercas, porteiras, arame farpado para cercar as terras que já foram decretadas parque estadual, tive aborrecimentos na minha rotina de trabalho e sem ter ao menos uma perspectiva de receber uma indenização justa. Acho correto fazer a retirada das ocupações irregulares na serra do mar, mas fazendo uma conta grosseira; para retirar as 5.350 moradias mencionadas na reportagem do Estado, o governo vai gastar em média R$ 373 mil para retirar cada família, dentro do orçamento citado de R$ 2 bilhões. Enquanto isso os novos parques da Cantareira sofrem com falta de estrutura, vendo uma gastança de dinheiro público para uma situação que poderia ser evitada com bom planejamento pela secretaria do Meio ambiente e órgãos responsáveis.

Maurício Nascimento mauricionascimen@hotmail.com

Mairiporã

*

A RESSOCIALIZAÇÃO DO DETENTO

O principal objetivo da pena é a ressocialização reintegração do apenado à sociedade. Mas o sistema carcerário brasileiro está longe disso. Tem 500 mil detentos, mas faltam 200 mil vagas para acomodá-los. Penitenciárias chegam a manter três ou quatro no espaço onde caberia apenas um. São freqüentes as queixas de falta de assistência médica, social e jurídica, escassez de medicamentos e até de produtos de limpeza. Em conseqüência, detentos e suas famílias acabam recebendo a proteção e favores das facções criminosas. Quando ganham a liberdade, são obrigados a pagar suas dívidas através de roubos, seqüestros e homicídios, inclusive de policiais. Pegos, voltam à prisão, estabelecendo-se, assim, o circulo vicioso. É necessário usar o tempo da pena para a profissionalização do detento, que lhe dê condições de, terminada a reclusão, reentrar no mercado de trabalho e não voltar a delinqüir. Da mesma forma que se faz com os desempregados, poderia se fazer com os detentos. E, para vencer as resistências que o próprio mercado faz aos egressos das prisões, o tempo da pena ainda poderia ser aproveitado no treinamento ao empreendedorismo, para, quando sair, poder criar o seu próprio negócio e dele viver. Esse trabalho poderia, até, desarmar o grande barril de pólvora em que se transformou o sistema prisional brasileiro. Mas, para dar certo, é preciso garantir condições de salubridade às prisões e evitar que a população carcerária tenha a necessidade de recorrer aos favores sociais das facções criminosas...

Dirceu Cardoso Gonçalves aspomilpm@terra.com.br

São Paulo

*

ELEIÇÃO NOS ESTADOS UNIDOS

O descuido de Mitt Romney (18/9, A14) pode colocar em evidência e discussão o maior risco à sobrevivência dos EUA que conhecemos há mais de cem anos. Se de fato 47% dos americanos hoje não pagam impostos, vivem na dependência do estado, e evidentemente votam em Barack Obama, então está sendo ultrapassado o "point of no return". É uma pena.

Gilberto Dib gilberto@dib.com.br

São Paulo

*

MUITO RUIM

O candidato Romney disse que boa parte dos eleitores americanos não assumem sua responsabilidade e acreditam que o Estado deve cuidar deles. Por outro lado o candidato/presidente Obama disse que o presidente tem que representar o país inteiro. Representar é uma coisa. Paternalismo é outra. O Estado tem de cuidar dos menos favorecidos, daqueles que não tem condição, etc., e mesmo assim tem que procurar oferecer condições para que estas pessoas aos poucos tenham condição de se sustentarem, e não ficarem esperando pelo governo, que nem aqui no Brasil, onde temos milhões e milhões de beneficiários do Bolsa-Família e outras bolsas sendo sustentados com o dinheiro do contribuinte. Mamar nas tetas todo mundo quer. Pegar no batente não. Não está de todo errado o candidato Romney. O erro foi ter dito isto num encontro fechado com pessoas ricas. Deveria ser mais autêntico e ter dito em público. É claro que o Partido Democrata dos EUA vai deitar e rolar nesta gafe, mas estarão assumindo que fazem paternalismo e que ajudam até quem não precisa. O problema do candidato Romey não será esta declaração. Será seu vice, que está com ideias do século 19. Ele é muito ruim.

Panayotis Poulis ppoulis46@gmail.com

Rio de Janeiro

*

BOCA FECHADA

Dizem que em boca fechada não entra nada, que o peixe morre pela boca e, pelo jeito, o xaropeta Mitt Romney, candidato à Presidência dos EUA, vai morrer também. Neste mundo da espionagem da tecnologia a favor da canalhice, como um cara metido a esperto entra numa dessas? Esse discurso dele falando mal de 47% do eleitorado americano é uma pá de cal na candidatura dele. Obama já tem pelo menos 47% a seu lado, para conseguir a diferença não vai precisar se esforçar muito, então, bye, bye, Romney!

Antonio Jose G. Marques a.jose@uol.com.br

São Paulo

*

QUAL FILME, QUAL NADA

Muitos acreditam que o filme A Inocência dos Muçulmanos desencadeou as manifestações no Oriente Médio. Como poderiam tão vastas e organizadas manifestações serem deflagradas em apenas algo como três dias? Obviamente, elas já estavam preparadas a espera de um bom motivo. Os grupos religiosos radicais mais os partidos igualmente desinteressados em amplas alianças já se organizaram para resistir junto com Al-Qaeda e outros terroristas. Vai ser difícil pacificar a região, senão, impossível. Falta cultura aos povos.

Fabio Figueiredo fafig3@terra.com.br

São Paulo

*

OFENSA EM DOSE DUPLA

Fomos brindados por mais uma ofensa ridícula e de mau gosto ao profeta Maomé por um jornal francês. O saldo de mal interpretada "liberdade de expressão" foi um embaixador morto, embaixadas fechadas, e vários países estão num conflito desnecessário e perigoso. O Gilles Lapouge (Estadão, 20/9) disse que num país democrático podemos "insultar o papa e até Jesus Cristo". Esta é democracia? Tenho certeza que muitos pensam que podemos discordar com os religiosos, mas não insultar os profetas que somente pregaram mensagens de paz. Estamos perdendo esta distinção?

Omar El Seoud elseoud@iq.usp.br

São Paulo

*

'CHARLIE HEBDO'

No ano passado, quando o semanário francês Charlie Hebdo publicou charges do profeta Maomé, membros do governo francês defenderam o jornal em nome da liberdade de expressão. Agora, com a insistência do semanário em continuar com esta incompreensível provocação de mau gosto, o governo pede "por favor" para não fazê-lo. Erra o governo francês por se colocar de forma esquizofrênica perante sua sociedade, sua imprensa e o mundo. E o jornal merece repúdio veemente por fomentar descaradamente manifestações violentas por parte dos muçulmanos que, com toda a justeza, sentem-se ofendidos.

Luciano Harary lharary@hotmail.com

São Paulo

*

OCIDENTE E ORIENTE

Fala-se em intolerância religiosa entre o Ocidente e o Oriente. Todavia, as iniciativas de ações hostis partem de grupos radicais do Ocidente, que não são reprimidos a tempo. Jamais soubemos de queimas da bíblia ou de ataques a nossos símbolos cristãos. O que se vê é a concessão de justificativas para as seitas radicais do Islã, cujos atentados custaram ultimamente 25 vítimas, inclusive do embaixador americano. A ONU recomenda a devolução da Cisjordânia e da Faixa de Gaza aos Palestinos, porém, a partir dos EUA, cujos financiamentos de campanha dependem das corporações judaicas, nenhuma solução efetiva se apresenta para o interminável conflito do Oriente Médio. Mitt Romney, que representa de um trilhão de dólares anuais da indústria armamentista, prega a extinção do planeta. Se não forem revistos conceitos arraigados, com sinceras iniciativas conciliatórias ocidentais, o fim da experiência do homem sobre a terra é apenas uma questão de tempo.

Amadeu Roberto Garrido de Paula amadeugarridoadv@uol.com.br

São Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.