Fórum dos Leitores

ELEIÇÕES

O Estado de S.Paulo

30 Setembro 2012 | 03h07

Rei morto, rei posto?

Engraçado Lulla pedir à presidente Dillma que suba no palanque com o candidato Fernando Haddad (PT), em São Paulo. Onde foi parar a tão propalada popularidade do ex-presidente, que bastava indicar um nome de seu agrado para que o povo votasse nele? Pedir o apoio da presidente significa que o seu candidato não emplaca de jeito nenhum, pelo óbvio: o sujeito é fraco pra chuchu. Ou aqui vale aquela máxima: rei morto, rei posto? Pelo jeito, Lulla-lá já descendo a ladeira. Será que o povo acordou?

BEATRIZ CAMPOS

beatriz.campos@uol.com.br

São Paulo

Patrimonialismo

A presidente Dilma confirmou ao PT que participará, sim, do comício de Fernando Haddad amanhã à noite, em São Paulo. Pergunta-se: como Dilma vai deslocar-se de Brasília, onde deveria estar trabalhando, para cá? Vai usar o avião presidencial, que nós pagamos com os nossos impostos? O candidato pode ser "novo", mas a velha prática patrimonialista de confundir partido, Estado e governo foi aprimorada por esse partido, que um dia bradava ter vindo para acabar com "tudo isso que está aí".

EDUARDO BIRAL

elbiral@ig.com.br

São Paulo

Prestação de contas

Acho que não adianta querer fazer Dilma entender que é presidente da República e não deveria estar fazendo campanha de candidatos do PT a mando de Lula. Se ela não entende isso sozinha, é perda de tempo explicar. Mas pelo menos que faça publicar quem vai pagar as despesas de seu deslocamento a São Paulo - e quanto isso vai custar - para comparecer a comício de Haddad. Isso temos o direito de pedir a ela.

ANTONIO DO VALE

adevale@uol.com.br

São Paulo

A última gota

No dia 7 de outubro as urnas vão dizer com exatidão o que a sociedade pensa do PT e de seu chefe maior. Os que dizem que o brasileiro tem memória curta aguardem e verão.

VIRGÍLIO MELHADO PASSONI

mmpassoni@gmail.com

Jandaia do Sul (PR)

CORRUPÇÃO

Existiu ou não existiu?

Em ato de apoio a Fernando Haddad, na quinta-feira, Lula declarou ter "orgulho" do combate à corrupção nos governos petistas e, em referência ao julgamento do mensalão, saiu-se com esta: "Na nossa casa, quando nosso filho é suspeito de cometer um erro, nós investigamos e não culpamos os vizinhos, como eles (os tucanos) costumam fazer". Eis Lula no seu estado da arte. Ora, foi ele mesmo que passou os últimos meses vociferando contra a "farsa" do mensalão, o "golpe da oposição" e a "conspiração das elites" sempre que falava daquele que está para ser oficializado, com a chancela do Supremo Tribunal Federal (STF), como o maior escândalo de corrupção da História da República! Não entendi essa súbita mudança de atitude do ex-pretendente. Ah, e não foi Lula que tentou de todas as maneiras, nos bastidores, adiar a apreciação do caso pela Suprema Corte? Agora está até admitindo que os "companheiros" erraram! Parece que a fase de negação já passou. Então, cumpre perguntar: afinal, caro sr. Lula, o mensalão existiu ou não existiu?

HENRIQUE BRIGATTE

hbrigatte@yahoo.com.br

Pindamonhangaba

O 'incorruptível'

Lula insulta a nossa inteligência quando diz ter "orgulho" do combate à corrupção nos seus dois mandatos. Pois, pelo que temos visto no julgamento do mensalão pelo STF, o criador do maior esquema de corrupção nunca antes visto neste país (e talvez no mundo) foi o próprio Lula.

CELSO VICENTE FIORINI

celsofiorini@ig.com.br

São Paulo

De vergonha

Lula disse, naquele mesmo evento pró-Haddad, que ninguém deve ter vergonha do julgamento do mensalão. De fato, para quem vinha negando a existência do mensalão até agora, envergonhar-se seria um contrassenso. Mas nós sentimos vergonha, sim, por termos tido um presidente que nunca soube de nada, nunca viu nada, mesmo com tudo se passando bem embaixo de suas barbas. E põe vergonha nisso!

LEILA E. LEITÃO

São Paulo

Por um Brasil melhor

Parabéns à ministra Cármen Lúcia pela maneira como expõe o resumo de seus votos, que nos faz, como leigos em matéria jurídica, entender o chamado mensalão. Seu pronunciamento motivando todos a votar num Brasil melhor nos faz ter orgulho de sermos brasileiros e confiança na mais alta Corte da Justiça do nosso país.

ALVAREZ AGUIAR

alvarez.atib@hotmail.com

São Paulo

Mensagem oportuna

Valeu! Foi no momento certo que a ministra Cármen Lúcia, também presidente do TSE, ao condenar os réus do mensalão, endereçou, com muita sabedoria e propriedade, mensagem à juventude brasileira para que acredite na classe política da Nação.

JOSÉ MILLEI

j.millei@hotmail.com

São Paulo

Voto educativo

Peço vênia à ministra Cármen Lúcia para comentar seu voto na Ação Penal 470, que me permito considerar educativo. Usando o vernáculo popular, "votou e educou". Confesso que no início do julgamento do mensalão meu sentimento era de total desconfiança do STF, dado o comportamento aético de grande parte dos políticos em inúmeros casos de corrupção, avolumados na última década, confiando na impunidade, em alguns casos até protegidos. Felizmente, minha desconfiança se tornou esperança com o pronunciamento do ministro relator, a criteriosa análise do ministro revisor e, principalmente, com o voto de S. Exa. Cármen Lúcia na quinta-feira, uma declaração de amor à democracia. Tenha certeza que após o julgamento, da forma como os digníssimos ministros do STF estão julgando, os políticos brasileiros tratarão a coisa pública com muito mais ética e responsabilidade. Os direitos do povo estarão acima de egocêntricos oportunistas ou de plano partidário de poder.

VAGNER RICCIARDI

vbricci@estadao.com.br

São Paulo

CENSURA

Monteiro Lobato

Nosso querido e patriota Monteiro Lobato, presente inesquecível na minha infância, é agora rotulado de racista! Será que a censura do tipo "protogenista" é contagiosa? Não me consta que quem leu Monteiro Lobato na infância tenha esse ranço.

MARTIM AFONSO DE SOUZA

mas_1942@hotmail.com

Indaiatuba

 

QUE ÓTICA É ESTA?

A presidente Dilma Rousseff está aprovada! De 59% passa para 62% de aprovação de seu governo na pesquisa divulgada pela CNI/Ibope! Será que a sociedade brasileira se contenta com tão pouco?! Parece! Oras, a infraestrutura nesses anos do petismo, incluindo o governo Dilma, nada avançou! A educação idem! O atendimento à saúde também está um caos, principalmente nas regiões em que a população mais precisa da ação do governo. A seca do Nordeste continua sem solução, apesar das múltiplas promessas. Os gastos improdutivos crescem. E o Produto Interno Bruto (PIB), que já foi medíocre em 2011, neste ano então entrou para UTI dos 1,6%. E o que falar, então, da corrupção?! O difícil mesmo é entender a ótica da maioria...

Paulo Panossian paulopanossian@hotmail.com

São Carlos

*

BENEFICIÁRIOS

Esta nova pesquisa sobre a presidente Dilma foi feita só com integrantes do Bolsa-Família ou do Minha Casa, Minha Vida?

Panayotis Poulis ppoulis46@gmail.com

Rio de Janeiro

*

LÁ EM CIMA, LÁ EMBAIXO

Pesquisas apontam a presidente Dilma Rousseff lá em cima... O interessante é que, para os milhões de internautas, parece que ela está lá embaixo...

Alberto Nunes albertonunes77@hotmail.com

Itapevi

*

PIADA DE PORTUGUÊS

O governo de Dilma Rousseff – que faz faxina com espanador – tem altos índices de popularidade e aprovação, segundo as pesquisas efetuadas no Brasil? Conta outra piada... de brasileiros.

Mário A. Dente dente28@gmail.com

São Paulo

*

PESSOAS SÉRIAS

Mesmo com o crescimento da popularidade da Sra. Dilma, as pessoas descentes estão deixando o governo. O Sr. Jorge Gerdau ainda vai permanecer por muito tempo? Pelos nomes que servem essa República, parece que só restou ele com biografia intocável.

Ademar Monteiro de Moraes ammoraes57@hotmail.com

São Paulo

*

ELEIÇÕES EM SÃO PAULO

Celso Russomanno – 30% ou 34% ou 35%? José Serra – 22% ou 17% ou 18%? Fernando Haddad – 17% ou 17% ou 18%? Datafolha, Ibope ou Vox Populi? Com quem estará a verdade dos números? A meu ver com o Datafolha, afinal se Serra e Haddad subiram e estes votos só podem ter vindo de Russomanno, uma vez que as taxas de rejeição de Serra e Haddad mantiveram-se estáveis e a do Russomanno aumentou. Então é continuar e intensificar a campanha de seu favorito e aguardar o resultado das urnas para ver quem estava certo ou não.

Luiz Nusbaum lnusbaum@uol.com.br

São Paulo

*

PESQUISAS ELEITORAIS

Não creio que seja necessário falarmos que pesquisas de opinião em época de eleições influencia os eleitores. A estatística é uma ciência próxima da matemática porém, por mais que tenha credibilidade e apresente resultados que possam prever os vencedores de eleições, não posso concordar que seu uso seja uma prática que ajude o eleitor na escolha dos melhores candidatos. As pesquisas de opinião retiram os votos das minorias. Os candidatos que são indicados como favoritos são favorecidos antes do inicio das eleições. A inserção destas informações, muito antes do desenvolvimento da publicidade sobre cada candidato, pode mudar a história do jogo político. Não acho justo retirar votos das minorias porque elas são importantes. Elas movem a discussão civilizada e educativa dos jovens eleitores. A legislação que trata desta matéria deveria eliminar de vez esta prática nociva em época de eleições.

Mário Negrão Borgonovi marionegrao.borgonovi@gmail.com

Rio de Janeiro

*

O MENSALÃO PERDOADO?

Estou indignado com o resultado das pesquisas eleitorais. Não é possível entender como um partido que está enterrado até o pescoço com mensalão aumenta o número daqueles que o preferem na capital paulista, em detrimento aos demais partidos. Será que o povo está cego, surdo, analfabetizado, indiferente? Significa então que o mensalão é coisa de somenos, uma bobagenzinha? Não estou querendo discutir as qualidades individuais dos candidatos, estou apenas querendo que a população aproveite essa prova que a Justiça pune, também, poderosos e mostrasse nas urnas seu desprezo por corrupção.

João Menon joaomenon42@gmail.com

São Paulo

*

TUDO EM CASA

De acordo com os últimos resultados das pesquisas de intenção de votos, acerca da eleição para Prefeitura de São Paulo, os petistas já estão sorrindo de orelha a orelha, pois qualquer que seja o resultado, Haddad ou Russomanno, está tudo em casa. Se é que você me entende!

José Marques seuqram.esoj@bol.com.br

São Paulo

*

ERRO DO PSDB

Quando se discutiu o candidato do PSDB à Prefeitura, vários se apresentaram para representar o partido. Eram pessoas que bem poderiam representar a agremiação. A exigência de Serra como candidato tirou a possibilidade de renovação, o que é absolutamente necessário dado que o partido e Serra estão definhando politicamente. Além disso, traria um candidato à altura de uma nova geração mais jovem como Haddad, Chalita, Soninha e também Russomanno como, por exemplo, Matarazzo, com excelente preparo para o cargo. A arrogância de alguns caciques do partido o comprometeram não só na cidade como no Estado. Mais uma vez a falta de consulta em convenção custou caro para a entidade. Quando farão política não individualista?

Fabio Figueiredo fafig3@terra.com.br

São Paulo

*

RUSSOMANNO SEM PLANO DE GOVERNO

Quer dizer então que o PRB procura chefe “real” para plano de governo de Russomanno? Acho que o povo paulistano ainda não sabe disso, porque pensar em governar a maior metrópole do país sem saber como, precisa ter muita cara de pau. Dá até para nos inspirar naquela musica de sucesso: “Cachorro, perigoso, safado, carinhoso e pronto pra” dar aquele amor ao povo paulistano. Só que ninguém em sã consciência conseguiria governar São Paulo na base do “carinhoso e dando amor” como Russomanno aparece nas propagandas eleitorais. Tem que saber como governar. O paulistano quer embarcar nessa canoa furada?

Beatriz Campos beatriz.campos@uol.com.br

São Paulo

*

PLANEJAMENTO E COMPETÊNCIA

Na reta final das eleições, procura-se um responsável pelo “plano de governo” de Russomanno para a cidade com o maior PIB do País. Realmente o povo de São Paulo não merece um prefeito com tanta competência para o título de o maior cara de pau. Deus nos livre!

Leila E. Leitão

São Paulo

*

QUEM ESTÁ MENTINDO?

O dono da TV Record e comandante da Igreja Universal, o bispo Edir Macedo, mencionado pelo candidato à prefeito Russomanno como sendo o “apoiador oculto” da sua campanha, afirmou: “Olha que estupidez, nem conheço o cidadão”. E agora como explicar, quem está mentindo?

Luiz Dias lfd.silva@2me.com.br

São Paulo

*

CANDIDATOS A VEREADOR EM CAMPO

Para que servem as placas de propaganda dos candidatos? Sabemos que 99% dos candidatos a vereadores, querem mais é arrumar muito bem a vida se eleitos, e mandam as favas as promessas de campanha. Assim sendo, gostaria de sugerir que pelo menos aumentassem as placas, afim de melhor acomodar os sem tetos, pois deles eleitos não terão mais que essa regalia.

Fernano Pastore Junior fernandopastorejr@gmail.com

São Paulo

*

PARA LULA, MENSALÃO NÃO É VERGONHA

Impressionante a capacidade do ex-presidente Lula em transmitir o mau exemplo e a falta de caráter à população brasileira. É claro que o julgamento do mensalão não é vergonhoso, muito pelo contrário, ele dignifica a instituição jurídica, a democracia e a população brasileira. Agora, ser julgado e ser condenado pelas corrupções “nunca vistas antes neste país” e patrocinadas e criadas por seu governo é, sim, uma vergonha enorme. Essa tentativa dissimulada em querer se colocar agora como santinho e do lado dos “mocinhos”, contra os “bandidos”, não cola, a população sabe quem são os mocinhos e os bandidos. Todos sabem muito bem que, se dependesse dele, Lula, esse julgamento não aconteceria e todos os envolvidos, inclusive ele, estariam impunes. Chega a ser cômica essa tentativa de se colocar como combatente da corrupção.

Marco Aurélio Rehder marcoarehder@yahoo.com.br

São Paulo

*

ORGULHO

Será que Lula também tem orgulho de ter mentido sobre o mensalão durante esses sete anos?

Ricardo Marin s1estudio@ig.com.br

Osasco

*

UM LULA A CADA DIA

Certo de que sempre será aplaudido pelos beneficiários de seu populismo assistencialista, o ex-presidente Lula jamais titubeia em falsificar os fatos, em desdizer hoje o que vociferou ontem. Assim, agora encampa a decisão condenatória do Supremo Tribunal Federal (STF) como se fosse vitória sua e omite que: a) inicialmente, disse que a política era assim mesmo; b) não, não houve o mensalão; c) tentou domesticar a Suprema Corte no encontro com o ministro Gilmar Mendes. Se velhos companheiros de “luta” estão prestes a frequentar o mundo infernal dos presídios brasileiros, isso pouco importa ao nobre filho de Garanhuns.

Amadeu R. Garrido de Paula amadeugarridoadv@uol.com.br

São Paulo

*

CARA DE PAU

Muito me admira o seu Lula vir a dizer que seu governo colaborou para mostrar a justiça e desvendar os crimes de corrupção, etc., etc., e agora querer tapar o sol com peneira furada pelos seus cumpanheiros. Claro está que, ao ver o julgamento do mensalão, ele tem de se dobrar à Justiça, que ora parece resplandecer no Planalto. É um verdadeiro cara de pau o seu Lula! Até agora, jurava que o mensalão não existiu, fazia gozação, ria e debochava de tantos quantos que riam ver esse julgamento. Porém não esperava que, aos poucos, a corda apertaria o pescoço dos seus amigos, até chegar aos mais amigos, por exemplo, Zé Dirceu, Genoino, Delúbio e quem sabe outros mais, rezando para que a forca não atinja seu próprio pescoço, numa questão de pura justiça. Esse seu camarada Fernando Haddad também não tem lá grandes qualidades para atacar quem quer que seja, pois já mostrou sua total incompetência nas famigeradas e falseantes provas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). Se não teve capacidade para dirigir aquelas provas, como é que tem a pretensão de querer ser prefeito de nossa querida e grande São Paulo? Falta-lhe tudo, capacidade, competência e, sobretudo, conhecer nossos problemas e dar as soluções exigidas ao nosso povo, não com os furos que deu no Enem... Esperemos que os eminentes ministros Ricardo Lewandowski e Dias Toffoli mostrem suas reais capacidades de independência e senso de Justiça, para que continuemos a confiar, como no passado, confiamos no Supremo de Lafaiette, Nelson Hungria e muitíssimos outros grandes doutos que jamais se curvaram ao arbítrio ou à coerção do Poder que os indicou e nomeou. Esperamos ver na cadeia, senão pelos erros e crimes praticados contra a nossa Nação, como uma lição aos que nos sucederem neste nosso Brasil.

Ubiratan de Oliveira Uboss20@yahoo.com.br

São Paulo

*

LEVANTE

“Deus” Lula, o povo brasileiro não virá às ruas defendê-lo, como os fundamentalistas.

Eduardo Henry Moreira henrymoreira@terra.com.br

Guarujá

*

A TRAJETÓRIA

De pau-de-arara Luiz Inácio tornou-se Lula, o presidente, o cara, o mito. Reinou por oito anos sem se preocupar com seu legado. Agora, perseguido pelo estigma do mensalão, fracassado nos apoios políticos, desprezado pela mídia, Luiz Inácio não só é ex-presidente, mas começa a tornar-se ex-Lula (o mito) e pode passar para a História como começou, um pau-de-arara...

Gilberto Dib gilberto@dib.com.br

São Paulo

*

COMONUNCAANTESNESTEPAÍS

O mensalão prova que com Lulla o País evoluiu: 171 é agora 470!

A.Fernandes standyball@hotmail.com

São Paulo

*

CADA UM POR SI

O que dizer de um “cara” presidente que não foi e não é um leal aos companheiros e os abandona à própria sorte , com um álibi: que não sabia de nada... e de um presidente (da Fundação Lula – o japonês) que dá safanões na dona Renilda, a mulher do Marcos Valério, que foi cobrar apoio ao marido preso “injustamente”, como foi publicado na revista Veja de 19 de setembro?

Carlos Roberto Gomes Fernandes crgfernandes@uol.com.br

Ourinhos

*

470...

A comprovação da ocorrência do mensalulão e do poderoso chefão da quadrilha é óbvia lululante, pois não?!

J. S. Decol decoljs@globo.com

São Paulo

*

MINISTRO MIMADO

A cena protagonizada pelo excelentíssimo ministro Ricardo Lewandowski dizendo que se “esforçaria” em seguir com seu voto após o debate com o excelentíssimo ministro Joaquim Barbosa denotou uma semelhança à criança mimada. Aliás, após pedir que não “fizessem vistas grossas”, parece ter estimulado alguns excelentíssimos ministros a mostrar a verdadeira face... Oras, se não houve engendramento para quadrilha, houve o quê? Melhor se saiu o ex-presidente Lula, que preferiu dizer que de nada sabia... Brasil, mostra tua cara!

Paulo César Pieroni pcpieroni@hotmail.com

Campinas

*

IMPRESSÕES AO VIVO

Para quem acompanha o julgamento do mensalão, por canal fechado, com transmissão integral, fica com a impressão de que o revisor ministro Lewandowski atua em favor dos acusados, pois quase sempre diverge dos votos brilhantes do relator Joaquim Barbosa, já tendo ocorrido várias discussões a respeito, em plenário. Felizmente, os demais ministros vogais têm acolhido quase integralmente os votos do relator. A atuação do relator tem sido bastante criticada, por leitores e especialistas, lembrando que ministro da Suprema Corte têm a obrigação de independência e imparcialidade.

Luiz Nunes de Brito rosahollmann@yahoo.com.br

Rio de Janeiro

*

LEWANDOWSKI PROVOCA ‘GASTURA’

Assistir ao ministro Lewandowski apresentar sua revisão é sentir uma “gastura” desgraçada vendo-o enrolar tanto em seus pareceres. Com sua lentidão, ele abusa da paciência não só dos colegas do STF, mas de todo brasileiro informado que deseja um fim imediato da novela “mensalão” e com todos os vilões se não na cadeia, pelo menos não podendo se candidatar até mesmo a síndico de prédio. Em tempo: “gastura” é um termo usado por nós, do interior, e significa o mesmo que “dar azia até em sonrisal”, e, convenhamos, o ministro é de uma capacidade ímpar nessa arte. Vá enrolar assim no inferno!

Laércio Zannini arsene@uol.com.br

São Paulo

*

SUGESTÃO PARA O NOVO CÓDIGO PENAL

Não sendo profissional do Direito, não tenho certeza de que esta minha sugestão possa ser incluída no futuro Código Penal. Em todo caso, cumprindo minha obrigação de cidadão, peço sua publicação: Para os condenados por corrupção passiva (funcionários públicos ou que exerciam funções públicas) só permitir benefícios no cumprimento da pena depois que o dinheiro surrupiado do povo for devolvido com a devida correção. Fico pasmo ao ouvir notícias de que corruptos são beneficiados com prisão domiciliar ou liberdade condicional ou descontos por dia de trabalho ou por bom comportamento, sendo que não devolveram o que surrupiaram. Não raro, por causa deles, pessoas morrem por falta de medicamentos ou crianças passam fome nas escola públicas, fatos de extrema gravidade.

Osnir Geraldo Santa Rosa osnirsantarosa@bol.com.br

São Paulo

*

OPERAÇÃO CONDOR

Finalmente a Comissão da Verdade vai investigar as circunstâncias da morte do ex-presidente João Goulart, assassinado por agentes da Operação Condor. O livro Operação Condor; O Sequestro dos Uruguaios, do jornalista Luiz Cláudio Cunha, além de ser uma crônica precisa do medo vivido nas ruas e da infâmia dos porões dos anos 70, revela, com riqueza de detalhes, a ofensa à soberania nacional por esbirros a soldo da ditadura uruguaia, que invadiram o Rio Grande do Sul, seqüestrando e matando. A revelação é oportuna porque hoje o próprio governo uruguaio quer processar os responsáveis pela invasão, reclamando sua extradição, inclusive a de Mário Neiva Barreiro, envenenador confesso do presidente Goulart. Fica a pergunta que não quer calar: por que o governo brasileiro abriu mão de sua soberania e permitiu que militares de outro país entrassem em nosso território para sequestar pessoas que estavam sob a proteção de suas leis? É o que cabe a Comissão da Verdade elucidar.

Arsonval Mazzucco Muniz arsonval.muniz@superig.com.br

São Paulo

*

COMISSÃO MANCA

A Comissão da Verdade, só tem uma verdade incontestável que é a de provocar uma revanche pelo revés sofrido e infringido pelos militares impedindo que aventureiros, fora da lei, promovessem a cubanização do País. Diziam defender uma democracia de raízes de afinidade com Cuba, Rússia, Venezuela e Coréia do Norte. Dessa comissão faz parte a psicanalista Maria Rita Kehl, bastante identificada com os membros dessa inquisição petista que decidiu julgar somente os repressores da aventura comunista, deixando de julgar os opressores, terroristas, assassinos, assaltantes, sequestradores, colocando-os como vítimas. Recentemente ocorreu em São Paulo uma ação da Polícia Militar interrompeu os trabalhos de um tribunal do PCC que iria decidir sobre a vida e a morte de um acusado, Nessa ação da polícia, nove pessoas morreram e nenhum policial saiu ferido. Na percepção de Maria Rita foi uma ação injusta porque não morreram policiais. Ela foi uma escolhida para a Comissão da Verdade. Entrevistado sobre os 9X0, o governador Geraldo Alckmin afirmou: “Quem não reagiu está vivo”. Quando policiais são mortos em serviço ou de folga não se vê nenhuma Maria Rita sair em defesa da viúva e dos órfãos. “Há muitas formas de dizer a verdade. E talvez a mais persuasiva seja a que tem a experiência da mentira” (José Américo).

Jair Gomes Coelho jairgcoelho@gmail.com

Vassouras (RJ)

*

VAMOS APURAR A COMISSÃO DA VERDADE?

Eu gostaria de saber qual o tratamento será dado pela “Comissão da Verdade” ao atentado praticado pelos terroristas da Vanguarda Popular Revolucionária Diógenes Carvalho Oliveira (o Diógenes do PT) e pelos hoje arquitetos Sérgio Ferro e Rodrigo Lefevre, além de Dulce Maia (pseudônimo de figura que exerce cargo de elevadíssima relevância no País), contra Orlando Lovecchio Filho, 22 anos, que teve a perna amputada abaixo do joelho e a carreira de piloto comercial destruída.

Nei Silveira de Almeida neizao1@yahoo.com.br

Belo Horizonte

*

VLADO E HENRI SOBEL

Com toda justiça, a verdade foi resgatada no atestado de óbito de Vladimir Herzog. Que se renda então uma homenagem a um grande mentsh (homem), que primeiro reconheceu as torturas que levaram à sua morte e que não permitiu que se profanasse o corpo de Vlado, impedindo seu sepultamento na ala dos suicidas. Certamente esta atitude de extrema coragem, contrariando a versão oficial da ditadura militar, acelerou o processo de redemocratização do Brasil. Trata-se do rabino Henri Sobel.

Luiz Nusbaum lnusbaum@uol.com.br

São Paulo

*

MEDIDA INCONSTITUCIONAL

Vivemos tempos nada edificantes concernentes a certos fundamentos garantidos pela Constituição brasileira, notadamente àqueles referentes à liberdade de expressão. Em decisão que agride a letra constitucional, a Justiça determinou que o Youtube no Brasil retire de circulação o lastimável, sob todos os aspectos, vídeo que ofende o profeta Maomé, que seria um dos motivos para a série de tumultos que vêm ocorrendo no Oriente Médio nos últimos dias. É certo que o material é preconceituoso com a fé islâmica, mas as normas constitucionais relacionadas a manifestações de discriminação contra práticas religiosas não devem se sobrepor àquelas que garantem a livre manifestação de pensamento – pelo menos nos casos em que não houver ameaças claras à ordem pública e incitação à violência, crimes nos quais o tal vídeo não parece incorrer. Os valores ocidentais de liberdade de expressão não devem ser suprimidos em decorrência da menor tolerância de certos grupos a críticas contrárias a seus costumes e crenças. Nessas horas, não custa nada relembrar as palavras do economista americano Walter Williams, que afirmou recentemente: “É fácil defender a liberdade de expressão quando as pessoas estão dizendo coisas que julgamos positivas e sensatas, mas nosso compromisso com ela só é realmente posto à prova quando diante de pessoas que dizem coisas que consideramos absolutamente repulsivas”.

Henrique Brigatte hbrigatte@yahoo.com.br

Pindamonhangaba

*

JUSTIÇA, OAB E LIBERDADE

A Justiça paulista atuou bem ao impedir que o YouTube veicule fatos contidos no filme Inocência dos Muçulmanos, trabalho que tem custado muitas mortes e retaliações, no mundo todo, por parte do islamismo. A liberdade deve sempre terminar quando o seu exercício passa a ofender direitos inalienáveis das pessoas, como a religião, porque essa é a grande bandeira da privacidade de todos os cidadãos. Assim, a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) direcionou sua postura para o respeito que se deve ter sempre às crenças de todas as pessoas. Não se pode falar em censura quando o bem a ser resguardado é vital para as pessoas e um grande universo de cidadãos e cidadãs apegam-se às suas religiões como se fossem elas alimento e causa essencial de suas existências, daí que Marx condenava e censurava a religião porque ela é “o ópio do povo”.

José Carlos de Carvalho Carneiro carneirojc@ig.com.br

Rio Claro

*

O ENCARNADO EM AÇÃO

O vexame oferecido pela nossa política externa é incorrigível, parece ser marca registrada do Partido dos Trabalhadores (PT). Na era Lula, foram elogios e doações milionárias aos mais conhecidos déspotas do planeta como Fidel Castro, Hugo Chávez, Evo Morales, Muamar Kadafi e vários déspotas africanos. Na era Dilma não é diferente, em seu recente pronunciamento ONU, a presidente do Brasil repetiu que a solução para o entrave nuclear iraniano deve passar por uma negociação movida a boas intenções e confiança, com um presidente que adora de blefar enquanto usa boa fé brasileira para ganhar tempo e construir seu sonhado artefato nuclear, além de seu tradicional pedido contra o fim do embargo cubano, indo na contra mão da comunidade internacional. Resumindo: não pode ser outra nossa atual política externa, senão daquele que prometeu que seu nome nas urnas seria Dilma Rousseff.

Peter Cazale pcazale@uol.com.br

São Paulo

*

CÓDIGO FLORESTAL

Senador Jorge Viana, mais um ilustre representante do povo, a demonstrar que a medida provisória 571 vai alterar o Código florestal e colocar o Brasil na vanguarda do atraso no desenvolvimento sustentável. Um país que detém a maior floresta tropical do planeta e o Aqüífero Guarani, tem por obrigação ditar normas de conduta para o mundo. Passamos de 17 milhões de toneladas de grãos para 160 milhões. Todas essas certezas já foram demonstradas por inúmeras pessoas ilustres de ilibada idoneidade moral e intelectual. Mas os problemas com desmatamento. E as soluções? As soluções são onerosas e de retorno financeiro, demorado. Mas temos de apresentá-las. Temos de captar recursos no exterior (países que assinaram o Protocolo de Kyoto). Vamos alugar em módulos para o mundo toda reserva legal da União em termos de carbono fixo no solo, e repassando diretamente para o pequeno agricultor o dinheiro captado, que preserve e mantenha as áreas (2.880) cadastradas com matas ciliares. No matutino O Estado de S. Paulo (22/9/2012, Madeira ilegal movimenta US$ 100 bilhões ano) diz que a Advocacia-Geral da União que promova leilão no exterior de crédito carbono, com os países que assinaram o Protocolo de Kyoto. O Brasil também assinou e vai ter que reduzir em muito as emissões de gases estufa. Vamos transformar o tema do relatório Carbono verde: Comércio Negro em Carbono Verde: Comercio Verde. Os dólares recebidos do exterior serão repassados em cotas semestrais para o pequeno proprietário. A fiscalização será feita via satélite, por quem paga a compra do credito carbono e monitorada pelo Exército brasileiro. Faça o contrato e o pequeno agricultor continuará produzido também a cesta básica, pois terá capital de giro anual para se manter e contratar trabalhadores com carteira assinada e, ainda, com garantia financeira de 20 anos do crédito de carbono.

Flávio Prada frfotocopias@gmail.com

São Paulo

*

ANALFABETISMO FUNCIONAL

O Brasil tem 30,5 milhões de analfabetos funcionais. Levantamento da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad), do IBGE, revelou que não houve mudança entre 2009 e 2011. Regiões Norte e Nordeste lideram o ranking. O analfabetismo funcional constitui um problema silencioso e perverso que afeta as empresas. Não se trata de pessoas que nunca foram à escola. Elas sabem ler, escrever e contar; chegam a ocupar cargos administrativos, mas não conseguem compreender a palavra escrita. Bons livros, artigos e crônicas, nem pensar! Computadores provocam calafrios e manuais de procedimentos são ignorados; mesmo aqueles que ensinam uma nova tarefa ou a operar uma máquina. Elas preferem ouvir explicações da boca de colegas. Entretanto, diante do chefe – isso quando ele é mesmo um chefe –, fingem entender tudo, para depois sair perguntando aos outros o que e como deve ser realizado tal serviço. E quase sempre agem por tentativa e erro. O meu caro leitor deve estar imaginando que esse problema afeta apenas uma parcela mínima da população. Não é verdade. Calcula-se que, no Brasil, os analfabetos funcionais somem 70% da população economicamente ativa. No mundo todo há entre 800 e 900 milhões deles. São pessoas com menos de quatro anos de escolarização; mas pode-se encontrar, também, pessoas com formação universitária e exercendo funções-chave em empresas e instituições, tanto privadas quanto públicas! Elas não têm as habilidades de leitura compreensiva, escrita e cálculo para fazer frente às necessidades de profissionalização e tampouco da vida sócio-cultural.

Antônio Dias Neme antonio.neme@superig.com.br

São Paulo

*

PSDB, IRMÃO DO PT

A Fundação para o Desenvolvimento da Educação (FDE), na realidade, é um apêndice da Secretaria da Educação do Estado de São Paulo, com orçamento de R$ 3,5 bilhões, é muito dinheiro para poucas pessoas administrarem. Agora, com o escândalo de compras superfaturadas de mochilas, vem à tona uma fonte de “recursos não contabilizados” do PSDB, para campanhas eleitorais municipais, de algumas cidades do interior de São Paulo. Sem dúvida o PSDB é o irmão mais sofisticado do PT.

José Francisco Peres França josefranciscof@uol.com.br

Espírito Santo do Pinhal

*

ALOPRADOS

A recente divulgação do “malfeito” de funcionários do Comitê Olímpico Brasileiro (COB) quanto à cópia não autorizada de arquivos de propriedade do comitê organizador londrino não compromete apenas a capacidade moral do Brasil de realizar a Olimpíada Rio 2016. As explicações dos dirigentes do COB ofendem o bom senso da população pensante do País. Como imaginar que nove ou dez funcionários agiram por moto próprio sem conhecimento prévio ou anuência de seus superiores? Seria o que conhecemos na política nacional como uma ação de um bando de aloprados?

Roberto Castro roberto458@gmail.com

São Paulo

*

ESCÂNDALO EM LONDRES

A resposta do Carlos Nuzman, presidente do Comitê Olímpico Brasileiro (COB), não convenceu. Alguém já viu um grupo de nove pessoas, sem nehnum comando, agir por iniciativa própria para a mesma finalidade? Lógico que seguiam uma orientação... Esse assunto ainda vai ferver, e vai sobrar para a cúpula do Rio 2016.

Toshio Icizuca toshioicizuca@terra.com.br

Campinas

*

MUDANÇA NA DIREÇÃO NO COB

Sobre o caso do furto de informações confidências do Comitê Londres 2012, os dirigentes do Comitê Olímpico Brasileiro (COB) afirmaram que não tinham que dar mais explicações à sociedade, pois os nove funcionários já foram demitidos. Por que não foi instaurada uma comissão para examinar esse fato lamentável, que envergonhou o Brasil internacionalmente? A presidente Dilma deveria ouvir o ministro de Esportes, Aldo Rebelo, favorável à alternância de poder, e “dar um bico no traseiro” do Sr. Carlos Arthur Nuzman e companhia, que está na direção do COB desde 1995.

Edgard Gobbi edgardgobbi@gmail.com

Campinas

*

AEROPORTO DE CUMBICA

O Aeroporto Internacional de Cumbica perde 556 vagas de estacionamento – no seu já caótico sistema, impossível de ser utilizado –, por total falta de previsão e, provavelmente, erro de projeto. É simplesmente inexplicável tal medida. Com isso podemos afirmar que no País “os interesses obscuros falam mais alto que as necessidades”.

Angelo Tonelli angelotonelli@yahoo.com.br

São Paulo

*

MALAS E CAMARÕES

O problema de estacionamento e taxis em Cumbica – Aeroporto Internacional de Guarulhos – se soma ao das esteiras de bagagens e a falta de fiscalização de conteúdo. Em um voo da Gol, de Florianópolis para São Paulo, embarcaram camarões congelados em uma mala comum, que descongelou, vazou, emporcalhando e “perfumando” a bagagem de vários passageiros. Depois da espera após o check-in, a hora de voo e da espera de quase uma hora pela bagagem na esteira, é evidente que os tais camarões, que jamais poderiam ser embarcados daquela maneira, viraram sopa! Parece cômico, mas não é. Desta vez eram camarões, mas poderia ser uma bomba, armas ou um cadáver. Tanto faz, ninguém fiscaliza, mesmo! É um problema sério, em um aeroporto internacional. Deve existir alguma maneiras das companhias checarem o conteúdo das bagagens embarcadas.

Maria Cristina Rocha Azevedo crisrochazevedo@hotmail.com

Florianópolis

*

O MASCOTE DA COPA

Ao contrário de toda a nossa imprensa, que não manifestou nenhum interesse em saber, e caso já saiba, de informar quais são os impedimentos jurídicos que não permitem o uso da tradicionalíssima palavra “Tatu” no nome do mascote da Copa do Mundo de 2014, eu gostaria muito de saber quais são. Os fuleiros, furrecas e horrorosos nomes que nos impuseram não podem de forma alguma ser questionados? Quer dizer que o único direito que temos sobre esta Copa é o de pagar os seus gigantescos custos? A palavra Tatu foi apropriada por alguém? E por que as inúmeras entidades e instituições dedicadas à censura, principalmente de obras literárias das primeiras décadas do século passado, não se manifestam quanto a isto? Quer dizer que eu posso me apropriar de qualquer palavra pertencente aos brasileiros, registrá-la como unicamente minha e impedir o seu uso? Isto está certo? Tenho a impressão de ter dormido algumas décadas e ter acordado em outro país. Muito fuleiro, muito furreca…

Lizete Galves Maturana lizete.galves@terra.com.br

Jundiaí

*

TATU-BOLA

Eu concordo com a escolha do tatu-bola como mascote da Copa 2014, mas não gostei dos nomes sugeridos pela Fifa. Não conheço uma só pessoa que concorde com as escolhas. Coloco minha opção para apreciação: Amoreco – beleza, graça, simplicidade, inofensividade e carinho.

Sérgio Barbosa sergiobarbosa@megasinal.com.br

Batatais

*

GARRINCHA

Sugeri à Fifa um nome diferente dos propostos para o tatu-bola , símbolo da Copa do Mundo. Sugeri Garrincha

Luiz Fernando D’Ávila lfd_avila@hotmail.com

Rio de Janeiro

*

O RÁDIO, DE AM PARA FM

Os radiodifusores brasileiros querem migrar as emissoras de AM para a faixa de FM. A mudança custos e, como fator principal, ofereceria ao ouvinte som de melhor qualidade e livre das interferências hoje registradas no AM. Um estudo reserva para o rádio os canais 5 e 6, hoje ocupados pelo VHF da televisão, que serão desativados até 2016, quando toda a TV estará digitalizada. Neles será possível funcionar 57 novas estações em cada região. O rádio AM, ou ondas médias, é o grande pioneiro e desbravador das comunicações nacionais. Suas ondas serviram desde a difusão de cultura, diversão e notícias, até a sustentação do proselitismo de revoluções, com mensagens cifradas transmitidas pelo rádio em épocas em que as comunicações eram precárias. Foi também a base para a televisão. A chegada da FM, nos anos 70, reservou à radio de AM uma função mais noticiosa e de prestação de serviços à comunidade, migrando a música para o novo formato. No México, 181 emissoras de AM já migraram para FM e o mesmo fenômeno acontece nos Estados Unidos. A proposta brasileira é que os radiodifusores sejam livres para migrar conforme seus interesses e necessidades da praça onde atuam. O importante é compreender o momento e não permitir que questões burocráticas possam colocar em risco um setor que tantos serviços já prestou ao desenvolvimento nacional.

Dirceu Cardoso Gonçalves aspomilpm@terra.com.br

São Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.