Fórum dos Leitores

PRÊMIO NOBEL

O Estado de S.Paulo

13 Outubro 2012 | 03h06

A paz perdeu sua chance

Ao anunciar a União Europeia como vencedora do Prêmio Nobel da Paz 2012, o comitê, embora tenha tido suas justificativas, em nada contribuiu para promovê-la. Perdeu o bonde da paz ao deixar de escolher 'Mama Maggie' Gobran, a copta egípcia da organização Stephen's Children (a Madre Tereza do Egito), cuja atividade em prol de mais de 25 mil crianças pobres em muito está contribuindo para reduzir as tensões entre muçulmanos e cristãos, num momento tão delicado da História do Egito e do Oriente Médio.

PAUL L. ALOUCHE

paulo.alouche@gruposuporte.com.br

São Paulo

CORRUPÇÃO E ELEIÇÃO

Mensalão

O Palácio do Planalto diz que uso político do mensalão não é inteligente. Certamente, para o Planalto, foi muito inteligente o uso do mensalão na política do PT.

GILBERTO LIMA JUNQUEIRA

glima@keynet.com.br

Ribeirão Preto

Aviso aos navegantes

Com que então, o Planalto diz que uso político do mensalão não é inteligente? Para quem, cara-pálida? Para o PT não é, pois não hesita em mentir, caluniar, plantar dossiês falsos, carregar dólares em cuecas e aviões particulares, fazer toda e qualquer coisa para ganhar eleições. Já os adversários não podem dizer a verdade... É essa a democracia petista. Mas é isso que nós, cidadãos, queremos?

TEREZA SAYEG

www.terezasayeg.com.br

São Paulo

Em causa própria

O Planalto advoga em causa própria ao dizer que o uso do mensalão não é inteligente. Não inteligente é não usá-lo. "Dize-me com quem andas e te direi quem és."

CLÉA CORRÊA

cleacorrea@uol.com.br

São Paulo

Dando uma de 'Migué'...

Para cair no precipício político nesta era de julgamento do mensalão só falta ao PT perder o segundo turno da eleição em São Paulo. E todos os esforços e recursos (sabe Deus de onde são subtraídos...) são postos em prática! Um deles vem do ex-seminarista e ministro de Dilma Gilberto Carvalho, que, como suposto conselho ao adversário petista, José Serra, diz que "uso político do mensalão não é inteligente". Talvez, para o Planalto, inteligente mesmo seja desviar recursos do erário e, na maior cara de pau, mentir à Nação (ou exclusivamente aos da Bolsa-Família) que o mensalão foi uma farsa da oposição, da zelite e da imprensa... Menas, sr. Gilberto, por favor! O ministro deveria saber que é obrigação de um homem público que tenta vencer um pleito falar a verdade a seus eleitores, sem muito se importar com o resultado das urnas! A esse respeito o PT nunca mostrou vocação. Caso contrário, em 2005, quando estourou o escândalo do mensalão, Lula, em vez de tentar escamotear esse crime contra a Nação, deveria ter renunciado ao cargo de presidente!

PAULO PANOSSIAN

paulopanossian@hotmail.com

São Carlos

Não é inteligente?!

Creio que o ministro Gilberto Carvalho participava do Ministério na época em que as atividades do mensalão foram imaginadas e aplicadas, mas não combatidas. Mas hoje deverão ser esquecidas?

DARCY ANDRADE DE ALMEIDA

dalmeida1@uol.com.br

São Paulo

A (i)lógica petralha

A mando do verdadeiro presidente do País, o sr. Gilberto Carvalho mais uma vez expele pensamentos intestinais do boquirroto-mor do planeta e diz que uso político do mensalão não é inteligente. A falta de vergonha, a desfaçatez, a desonestidade de pensamento e ações e a ilógica devem ser marca registrada de todos os petralhas. Afinal, o que seu partidinho fez ao longo de toda a sua existência senão usar politicamente tudo o que lhes interessava?

RENATO OTTO ORTLEPP

renatotto@hotmail.com

São Paulo

Segundo turno

A declaração de Gilberto Carvalho de que "quem usar o mensalão no segundo turno não vai se dar bem" será profecia do "deus" Lulla? Enquanto isso, os marqueteiros do candidato do PT em São Paulo, Fernando Haddad, preparam munição para atacar o candidato do PSDB, José Serra. Minha dúvida é: qual será a escolha dos paulistanos que votaram em Chalita e Russomanno? Os eleitores que não participaram do primeiro turno (ausência, votos em branco e nulos) será que vão participar do segundo e mudar o rumo da eleição? Terá o trabalho do ministro Joaquim Barbosa, do STF, sido em vão? Os mensaleiros vão continuar no poder? Não sou paulistana, sou paulista e brasileira e torço por um País melhor. Que Deus (o verdadeiro) ilumine os eleitores paulistanos.

MARIA CARMEN DEL BEL TUNES

carmen_tunes@yahoo.com.br

Americana

Aqui, não!

Com Alckmin no governo e Serra na Prefeitura nunca houve nem haverá em São Paulo o mensalão que envergonha o Brasil. Eleitores ainda indecisos: para o segundo turno não anulem o voto nem votem no mensalão do PT.

EVARISTO RIBEIRO FILHO

evaldib@uol.com.br

Barueri

Apelo moral

O ministro Gilberto Carvalho tem razão. O apelo moral não repercute mais em grande parte da população, a qual, sem poder se mirar e se orientar por exemplos de lisura vindos de cima, perdeu a capacidade de se indignar e se divorciou da ética e da compostura. Vive hoje em busca de um mensalão, de ganhos fáceis, em geral escusos, que lhe permitam posar de vitoriosa e usufruir o apelo consumista. Percebo esse comportamento até no modo de guiar um carro, além de constatar que a polícia todos os dias desbarata uma quadrilha empenhada em roubar o Estado e aplicar golpes nos cidadãos. Portanto, garanto ao sr. ministro que o meu honrado pai tinha razão ao sentenciar: "Quem não se sente não é boa gente!".

JAIME M. DA COSTA FERREIRA

jaimemcferreira@hotmail.com

São Paulo

Porta-voz da agonia

A presidente Dilma Rousseff escolheu o ministro Gilberto Carvalho para defender efusivamente o triunvirato dos condenados do mensalão, José Dirceu, Delúbio Soares e José Genoino. Uma escolha polêmica, porque Gilberto Carvalho estava muito próximo dos motivos, que levaram à execução do prefeito petista de Santo André Celso Daniel. O jornal The New York Times, sobre o mensalão, chamou a atenção para a "rara ruptura" nos padrões de impunidade "a que os brasileiros estão acostumados". Se a "ruptura" continuar, os holofotes que buscam os desmandos PT-Lula sairão de Brasília para Santo André.

JOSÉ FRANCISCO PERES FRANÇA

josefranciscof@uol.com.br

Espírito Santo do Pinhal

 

SÃO PAULO PRECISA REFLETIR

A última pesquisa de intenção de votos para a eleição em São Paulo dá Fernando Haddad dez pontos à frente de José Serra. Vale a pena lembrar aos paulistanos que estarão dando aval ao pior ministro da Educação que o Brasil já conheceu. As universidades federais sabem em que nível ele deixou o Ministério da Educação (MEC). As greves continuam a toda e as universidades caem aos pedaços em todo o País. O MEC virou arrimo de petistas desempregados, comandando a educação no País sem nenhum preparo. Será que Haddad estará preparado para governar São Paulo? Na primeira chuva de primavera, Haddad pedirá socorro a quem? A Lulla? Dillma? Zé Dirceu? Marta? Genoino? Ao chorão Eduardo Suplicy? À militância que recebe diária para bater palma para todos eles? Se Haddad resolver os problemas da cidade como resolveu no destrambelhado Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), quando jogou a culpa para terceiros, ele vai jogar a culpa em quem, desta vez? No próprio paulistano? A cidade de São Paulo estará perdida em seus próprios problemas, sem eira nem beira. Melhor refletir antes de dar o seu voto.

Beatriz Campos beatriz.campos@uol.com.br

São Paulo

*

SOB ENCOMENDA

Divulgada a primeira pesquisa do segundo turno da eleição na cidade de São Paulo. Pesquisa Datafolha “encomendada” pela Rede Globo (é PT) só podia dar no que deu: Haddad = 47% e Serra = 37%. E nem ficam envergonhados... Difícil acreditar.

Maria Teresa Amaral mteresa0409@2me.com.br

São Paulo

*

AS PESQUISAS ELEITORAIS ACERTAM?

As pesquisas eleitorais acertam? As pesquisas eleitorais modificam o voto do eleitor? Sou um fã de eleições em dois turnos, pois tenho a oportunidade de votar em quem eu quero no primeiro turno e não votar em quem eu não quero no segundo turno. Perfeito para um sistema democrático! Acontece que não só nestas, mais em várias outras eleições, verifico que inúmeras pessoas mudam seu voto influenciadas pelas pesquisas. Outra coisa é que estas pesquisas muitas vezes erram, e erram feio! Portanto, não consigo verificar em que ela contribui no processo eleitoral, e com certeza altera o resultado se elas não existissem. Nesta eleição em São Paulo, no primeiro turno, meu voto teve o objetivo de não deixar um terceiro candidato ir para o segundo turno, ou seja, tenho de nos dois turnos não votar em quem eu não quero. Acho que, depois de todo o processo político dos últimos anos, deveríamos repensar sobre o porquê e de que maneira elas beneficiam o processo, e que não havendo benefícios, porque não proibi-las.

Roberto Laufer rolaufer@gmail.com

São Paulo

*

MÁGICA

Em Manaus (AM), Arthur Virgilio (PSDB) ganhou o primeiro turno com quase 200 mil votos de diferença da segunda colocada, senadora Vanessa Grazziotim (PCdoB). O eleitor, que não é trouxa e raciocina com a própria cabeça, quer saber qual a mágica que Lula e Dilma farão para virar o jogo a favor da candidata do governo. Seguramente, nem mesmo o velhaco, mentiroso e parcial Ibope conseguirá tal façanha.

Vicente Limongi Netto limonginbetto@hotmail.com

Brasília

*

PESQUISAS E FALÊNCIA

A julgar pelo resultado das eleições municipais em várias cidades, incluindo São Paulo, os institutos de pesquisas deveriam fechar para balanço. Os erros foram enormes e flagrantes. Em São Paulo, colocavam Celso Russomanno e José Serra no segundo turno. Deu Serra e Haddad, com grande diferença entre o apurado e o resultado das pesquisas, inclusive as divulgadas no sábado. Em Manaus, os institutos apontavam um empate, que revelou-se uma diferença entre o primeiro e o segundo colocados de 21 pontos! Em Belo Horizonte, o que era empate entre o candidato Lacerda e Patrus Ananias, resultou na eleição em primeiro turno do primeiro. Os erros tremendos nas pesquisas brasileiras só pode ser explicado por incompetência ou má-fé.

Maria Cristina Rocha Azevedo crisrochazevedo@hotmail.com

Florianópolis

*

PROJETO DE PODER

Com todo respeito que devemos ter a opinião nas urnas, por ser um processo democrático, não estou acreditando nessa última pesquisa, que aponta uma diferença de dez pontos porcentuais a favor do candidato do PT. Será que o povo desta cidade, a maior e mais conscientizada do País, não está enxergando o que esse partido pretende fazer? Ou melhor, o que não fazer, pois o projeto é só de poder, não para servir ao povo. O que temos visto, depois da ascensão desse partido ao poder máximo da Nação, é só desgoverno, desconstrução, não existe um projeto sequer que deu certo ou que foi concluído com eficiência! A única coisa que prosperou foi a corrupção, o aparelhamento do Estado, dos órgãos públicos e tudo o que ele consiga por mão. Povo de São Paulo, acorde enquanto é tempo!

João M. Ventura joaomv@terra.com.br

São Paulo

*

O MENSALÃO NO SEGUNDO TURNO

Fico imaginando o que se passa na cabeça dos ministros do Supremo Tribunal Federal (STF). Durante muito tempo foram cobrados para julgar o mensalão, tiveram sua competência colocada em jogo, pois muitos brasileiros questionavam como seriam seus votos, pois a maioria tinham sido indicados por Lula. Mas durante o julgamento, que está em andamento, estão demonstrando que são independentes e julgam de acordo com a lei, enfim, estão fazendo a lição de casa e condenando os mensaleiros, para satisfação geral da Nação. Enquanto isso, os paulistanos vão às urnas e enviam para o segundo turno o candidato do PT, Sr. Fernando Haddad, apadrinhado por Lula (que segundo matéria publicada na revista Veja é o verdadeiro chefe da quadrilha) e por Maluf (foragido da justiça e que, se deixar o Brasil, é preso). E ainda criticam o ministro Lewandowski? Só na cidade de São Paulo existem mais de 1.700.000 Lewandowskis, eleitores que votaram em Haddad no primeiro turno. Será que os paulistanos vão entregar o cofre municipal aos mensaleiros? Acorda, São Paulo! Ainda dá tempo de mudar a história.

Maria Carmen Del Bel Tunes carmen_tunes@yahoo.com.br

Americana

*

NÃO FOI UM ACIDENTE DE PERCURSO

O Supremo Tribunal Federal (STF), pelo trabalho irretocável do ministro relator Joaquim Barbosa, passa como um rolo compressor sobre a turma do mensalão, que antes do julgamento se sentiam inatingíveis, senhores acima do bem e do mal, acima das instituições e de toda prática ética e moral. Desbaratada a quadrilha, a maioria condenada por corrupção ativa, repercutiu em todo o país, o golpe recebido pelo Partido dos Trabalhadores, e por tabela, o governo. Entretanto, a dissecação do projeto do mensalão, o escândalo de repercussão internacional parecem ter sido absorvidos de tal forma que o partido saiu vitorioso nas últimas eleições, surpreendeu em São Paulo, levando Fernando Haddad ao segundo turno e surpreende já na primeira pesquisa do segundo turno, com 10% na frente de José Serra. A oposição precisa reformular suas estratégias políticas. O mensalão não pode, como quer o PT, passar ao largo como um acidente de percurso, um devaneio de noviça de convento.

Jair Gomes Coelho jairgcoelho@gmail.com

Vassouras (RJ)

*

AINDA NÃO ACABOU

José Dirceu vira cabo eleitoral de Haddad, que sobe 12% nas pesquisas da Datafolha. Será que toda hora vamos ter que chamar o Sr, Joaquim Barbosa para enquadrar esta gente? Resta saber quem manda nestas pesquisas do PT. Afinal, estão chamando o povo de insulto!

Moussa Simhon pcenge@gmail.com

São Paulo

*

ELEIÇÕES 2014

Proponho a criação do Partido Nacional da Libertação e do Patriotismo (PNLP) para as próximas eleições em 2014: para presidente do Brasil, Carlos Ayres Britto, vice Cezar Peluso; para o Senado, como presidente, Celso de Mello; para a Câmara, como presidente, Luiz Fux; nos Ministérios, da Casa Civil (Carmem Lúcia), da Justiça (Joaquim Barbosa), da Educação e Cultura (Rosa Weber), da Defesa (Gilmar Mendes), e nos demais ministérios importantes à condução do País, Marco Aurelio de Mello, Sepúlveda Pertence e remanescentes limpos de outros quadros legislativos. Os demais, fiquem no PT. O apoio ao PNLP será dado por partidos realmente interessados no desenvolvimento do país, atuando de forma limpa, ética e decente, tendo como pensamento o melhor para o Brasil. Parece difícil mas não é; é só extirpar aquilo que não presta.

Luiz A Bernardi luizbernardi@uol.com.br

São Paulo

*

RUIM NA FOTO

Setores do PT temem foto de Haddad com Russomanno, julgam que seria prejudicial ao candidato à Prefeitura de São Paulo (9/10, H1). E a foto com Maluf, nos jardins de sua casa, não foi considerada prejudicial? Alguns homens vendem a alma ao diabo e acham que estão fazendo um bom negócio, tudo é válido na tentativa de conseguir os seus intentos. O objetivo, portanto, não é administrar uma cidade em beneficio da população e sim perpetuar-se no poder para satisfazer seus desejos maléficos. Bom que “não há bem que sempre dure, nem mal que nunca se acabe”.

Alvaro Salvi alvarosalvi@hotmail.com

Santo André

*

RETROSPECTO

Enfim, Fernando Haddad chegou ao segundo turno da eleição para prefeito da cidade de São Paulo. Se não houve nenhum ato ilícito, menos mal. É um candidato sem retrospecto nenhum na vida política, teve apenas cargos públicos de indicação, como: sub-secretário de finanças da Prefeitura de São Paulo, secretário e ministro da Educação dos governos Lula e Dilma, com poucos méritos mas com muitas falhas e nem por isso teve qualquer investigação no ministério que ocupou, caso contrário seria mais um ministro envolvido em corrupções, como ocorreu em outros ministérios, obviamente habituados ao esquema do “mensalulão”. Nada o qualifica em “estar” candidato, mas daí querer se comparar e denegrir o seu adversário, José Serra, chamando-o de “hipócrita”, é uma agressão descabida. Justamente de um cidadão que ocupou diversos cargos eletivos: prefeito da terceira maior cidade do mundo; governador do principal Estado da nação brasileira, deputado federal, senador, ministro de governo, além de outros cargos nos quais sempre manteve sua postura de responsabilidade e honorabilidade, com ética e decência. Muito diferente do que estamos comprovadamente assistindo das inúmeras ilegalidades cometidas pelos companheiros do seu ParTido, o “mensalulão” de conhecimento público, portanto nada comparável... A sua história política seria muito diferente se não houvesse a compra de votos dos congressistas pelo seu criador/indicador, que há quase dez anos deveria ter perdido o seu mandato e direitos políticos. Apenas para argumentar, se ocorrer a sua vitória na sua única eleição disputada, certamente será um retrocesso para os paulistanos, brasileiros e para o País. Respeite para ser respeitado!

Luiz Dias lfd.silva@2me.com.br

São Paulo

*

LULA, VENCEDOR E PERDEDOR

José Nêumanne disse que Lula foi o maior vencedor e maior perdedor da eleição de 7 de outubro (Lula, maior vencedor e maior perdedor do pleito, 10/10, A2). Simples, São Paulo tem mais nordestinos do que qualquer outra capital do Nordeste, está apenas sedimentando os alicerces de sua estátua como Padinho Lula em Garanhuns. Acordem, nordestinos, deixem de ser capachos de coronéis e demagogos!

Ariovaldo Batista arioba06@hotmail.com

São Bernardo do Campo

*

NADA DE PASSAR RECIBO!

Espera-se dos eleitores que votam em São Paulo uma resposta não só ao “presidento” Lula (ele ainda é) mas também a presidente Criatura (pensa que é), que teve o desplante de agir como "galinha choca" dizendo vir meter o bico em nossa capital. A resposta dos paulistas e paulistanos legítimos, tenho certeza será um tapa na cara dessa dupla e da Martaxa, mas também espero o mesmo dos migrantes que para cá vieram e se adaptaram a nossa rotina trabalhadora. É preciso recordar aos indecisos, que o Haddad nada mais é que um incapaz que foi considerado como o pior ministro da Educação que ocupou aquele cargo na história do País. Que o eleitor paulistano esqueça a mágoa contra Serra e o eleja, porque acima de tudo provou ser um administrador competente e honesto, algo que nenhum dos seus adversários pode contestar. O eleitor paulistano pode reagir a essa situação votando como os belo-horizontinos e recifenses, que responderam à altura para o dono do PT e a presidente Dilma não obedecendo sua cartilha e elegeram quem bem entenderam. Por isso, eleitor, não deixe que essa dupla junto com a Martaxa “relaxa e goza” Suplicy queiram nos empurrar garganta abaixo esse prato mal acabado que simplesmente nos trará indigestão pelos próximos quatro anos. Eleitor paulistano, não nos envergonhe! Não passe recibo de ignorante ou de “pau-mandado” de Lula.

Laércio Zanini arsene@uol.com.br

Garça

*

CANDIDATOS OPORTUNISTAS

São Paulo não precisa de bons de bico. Vote no tucano Serra.

Roberto Twiaschor rtwiaschor@uol.com.br

São Paulo

*

BOM SENSO

A decisão do PDT, PPS, e PTB de apoiar no 2º turno o candidato José Serra, e o PRB de Russomanno se posicionar neutro, ou seja, sem explicitar apoio a qualquer dos postulantes à Prefeitura de São Paulo, é uma clara demonstração do uso do bom senso por essas siglas. E da existência de uma nítida preocupação também ao não emprestar apoio a Fernando Haddad, porque é o candidato do PT, partido este patrocinador do escândalo do mensalão. Caso contrário, principalmente os aliados de Dilma, o PDT e o PRB, que estão assentados com ministros no governo petista, não teriam razões para negar engajamento na campanha do Haddad. Não quero ser ingênuo, porque quem oferece apoio ao Serra está negociando não somente secretarias numa possível administração municipal, caso vença a eleição, como também com o governador Alckmin, fiador do candidato tucano. Mas, certamente, o evento do mensalão que acaba de condenar entre outros, os petistas José Dirceu, José Genoino e Delúbio Soares é um fato inibidor para auferir apoios explícitos. Porém, nada dessa análise terá eficácia se a atuação do PSDB, e de seus pretensos aliados não comungarem esforços capaz de derrotar o candidato Haddad. Porque o PT vai, como de hábito, utilizar todas as armas legais ou não para sair do limbo do mensalão em que se meteu, para tentar uma vitória consagradora numa capital como São Paulo, sonho de qualquer partido...

Paulo Panossian paulopanossian@hotmail.com

São Carlos

*

‘CAPITIS DIMINUTIO’

É incrível, é inacreditável. Chalita dando apoio a Haddad é inexplicável. Se considerarmos as obras de cada uma na área da educação, é crível e acreditável e explicável: os iguais se identificam e se procuram. Mas, para Chalita, essa postura é uma verdadeira capitis diminutio.

Pedro Luís de Campos Vergueiro pedrover@matrix.com.br

São Paulo

*

DEBATENDO SÃO PAULO

Saúde, educação, transportes, meio ambiente, acessibilidade, etc. Esses, entre outros, são os problemas de São Paulo, como o são, em maior ou menor intensidade, das grandes cidades. Certamente, José Serra e Fernando Haddad têm propostas para cada uma dessas necessidades e as apresentarão na propaganda eleitoral e nos debates, geralmente em horários impróprios, atrelados a regras coibitivas. Por que então não se programam debates temáticos, transmitidos em rede por todas as mídias, com duração, por exemplo, de 60 minutos, em horários viáveis para a maioria da população ter condições de acompanhar, em que seriam apresentadas as propostas, discutidas, permitindo assim aos eleitores avaliarem se são factíveis ou não, da eficácia de cada um a ou se são tão somente promessas impraticáveis ou impossíveis de realização. São Paulo só teria a ganhar.

Luiz Nusbaum lnusbaum@uol.com.br

São Paulo

*

CANDIDATO A PREFEITO OU GOVERNADOR?

Pergunta inconveniente, não, não é bem assim, é que meu raciocínio é lento e demora em entender competências da Prefeitura e do Estado de São Paulo. Por exemplo, de repente, assim do nada, José Serra diz que sua prioridade, se eleito são “o metrô e as Etecs”. Não consigo entender, porque curso técnico não é competência do Estado? Por que de repente essa preocupação com cursos técnicos, se a fila por vagas nas creches é galopante, não para se crescer, vergonhosamente as mães têm de recorrer a Defensoria Pública para garantir o que deveria ser básico? Nas escolas municipais, também há muita dificuldade em conseguir vagas para 1ª série e a Secretaria de Educação tem um discurso pronto para justificar tamanha incompetência e ingerência pública. Em relação ao Metrô, não compreendo esse ímpeto de fazer metrô só agora, será que ele já andou no Metro Sé, ou as estações da linha vermelha e azul em horários de pico? Será que ele sabe que a culpa das paradas cotidianas do metrô “é o trem da frente”? Cadê os corredores de ônibus prometidos pela dupla Serra/Kassab? Cadê os terminais de ônibus limpos, bonitos, amplos que sempre aparecem na televisão e ninguém sabe onde eles estão? De norte a sul a leste todas as linhas de ônibus estão saturadas e não ações positivas para oferecer um transporte digno que se faça valer R$ 3. Pois é, promessas que deveriam ser repensadas, porque o governador do Estado não está preocupado nem com metro, tão pouco em ampliar o número de Etecs, já o próximo prefeito deveria se preocupar em solucionar a falta de vagas nas creches e 1ª série do ensino fundamental, ou não? Evidentemente, fazer o trânsito da cidade andar construindo de fato (não só no papel) corredores de ônibus e colocando ônibus para essa megalópole não parar em nenhum horário!

Jose Pereira pereiraj954@gmail.com

São Paulo

*

ELEIÇÕES LIMPAS

No artigo Voto Limpo (9/10, A2), foi exposto o custo ecológico das eleições de 2012. 301 milhões em papel, 126 milhões em combustível, 95 milhões de faixas e carros de som poluidores, 45 milhões, totalizando 567 milhões de reais! Mais 1,2 bilhão de litros de água! Solução sugerida para reduzir em mais de 90% este custo: voto distrital. E com os seguintes efeitos colaterais: o poder econômico dos candidatos seria anulado. Qualquer cidadão poderia fazer campanha e fiscalização do eleitor no desempenho do candidato. O que estamos esperando para fazer uma campanha tipo “Caras Pintadas” para implantar o voto distrital?

Jose Vitorio Ciola jvc@vitorciola.com.br

São Paulo

*

JUSTIÇA ELEITORAL

“Morre idosa que escorregou em santinhos em Bauru”. “Depois de escorregar nos santinhos eleitorais, em Piracicaba, eleitor é submetido a cirurgia nos quadris”. Poucos, sobretudo entre os candidatos, se importam com os papéis que espalharam pelas ruas de nossas cidades. Obra da irresponsabilidade, retratada em jornais, resulta em morte e cirurgia. Quem responde? A população, que já repudiou os temíveis cavaletes, é a grande vítima. E paga por isso, a preços extorsivos, representados por impostos, taxas, tarifas e ainda se vê impelida a votar nos seus algozes. Num país de muitos tribunais, mas de pouca justiça, que medidas cabíveis tomarão o Tribunal Regional Eleitoral (TER) e o Tribunal Superior Eleitoral (TSE)?

Gilberto Martins Costa Filho marcophil@uol.com.br

Santos

*

DESENCANTO

35 milhões de brasileiros não participaram das eleições em 2012 (abstenções, votos brancos e nulos). Talvez isso demonstre o desencanto de muitos com a realidade sofrida e o contraste dos sonhos vendidos para os eleitores. Muitos sabem que quando chegar janeiro a realidade volta a ser quase sempre a mesma: falta de verbas, crise mundial, problemas estruturais, culpa da administração anterior ou outra desculpa. Assim caminha nosso país até a próxima eleição que promete resolver tudo. Como um slogan: “Muda Brasil. Muda a mentalidade de seus filhos”.

Manoel José Rodrigues manoel.poeta@hotmail.com

Alvorada do Sul (PR)

*

ABSTENÇÃO NAS URNAS

As abstenções nas urnas evidenciaram o desinteresse e o desencanto do eleitor com a política brasileira. Embora seja do eleitor a decisão de quem deve ser eleito, essa tarefa tem deixado de ser um orgulho, para tornar-se um estorvo em sua vida. Se o ato é democrático deveríamos ir às urnas por vontade própria e com satisfação não é? Os malfeitos e as falcatruas foram tantos que tiraram do eleitor a esperança de melhores dias. O trabalho do TSE foi muito importante nesse processo, mas é preciso mais. Ainda é através do voto que podemos mudar esse país. Uma grande discussão deve ser feita pelos parlamentares envolvendo a sociedade e o grande passo para isso é a educação do nosso povo. Será que essa pauta é interessante?

Izabel Avallone izabelavallone@gmail.com

São Paulo

*

SUA EXCELÊNCIA, O ELEITOR!

O Brasil, este rascunho de país, carece de uma reforma eleitoral urgente. E a primeira coisa a ser feita é peneirar o eleitorado. Do jeito que está, tem muito “noia” que, ao votar, apenas emporcalha a história do “gigante deitado eternamente em berço esplêndido”! Hoje em dia, qualquer filho de Deus, com apenas 16 de caminho sobre a Terra, tem o título de eleitor! Tá tudo errado! Com raras exceções, um filhote de homo sapiens, que mal saiu dos cueiros, não tem compreensão alguma do que ocorre à sua volta pra escolher um candidato. Eu já tive essa idade e, graças ao Santo-Pai, sobrevivi, mas me recordo muito bem, que essa é a fase em que todo mundo só faz “caca”... Tem gente que fuma maconha porque vê os outros tontos fumando e se sente importante, bebe demais, namora demais, dorme demais, só não trabalha demais... Jovem vive preocupado com baladas, marcas de tênis, rock, funk; sonha muito, se perde num labirinto de indagações e, geralmente, se acha o “tal”. O universo inteiro está errado, menos ele: o jovem! Além de tudo, como vive à custa dos pais, não tem a menor noção do que é estar na pensão da “Dona Terra” e preocupar-se com o feijão e arroz do dia a dia. Então, voto de “aborrescente” deve ser eliminado de imediato, porque eleitor nhantã não ajuda em nada... Talvez a idade ideal para qualquer rebento de primata eleger alguém seja nas vizinhanças dos 25. Talvez... Detalhe importante: o ato de votar não pode ser obrigatório! Isso é ditadura. Obrigar um Zé da Silva a sair de casa, num domingo pleno de sol pra apertar uma tecla e ver a carantonha de um enfadado rindo à toa? Só no Brasil, mesmo! Numa democracia, só vai quem quer...

Benedito Madaleno Mendes beneditomadalenomendes@yahoo.com.br

Itapetininga

*

O POVO ESTÁ ACORDANDO?

Em São Paulo, famosos não conseguiram se eleger – Mulher Pera, Marquito, Agnaldo Timoteo e por aí afora. Será que o povo está acordando?

José Marques seuqram.esoj@bol.com.br

São Paulo

*

FICHA LIMPA E VIDA SUJA

Com o resultado das eleições de domingo para vereador, ficou claro que lei da ficha limpa não basta. Os candidatos têm que ser avaliados também pela lei Maria da Penha.

Victor Germano Pereira victorgermano@uol.com.br

São Paulo

*

SEM RECURSOS

A Lei Ficha Limpa deve ser respeitada na sua íntegra, e o TSE deverá proibir qualquer manifestação de recursos aos políticos candidatos com ficha suja, além da necessidade de julgar imediatamente esses políticos, antes da chegada das

eleições.

Antonio de Souza D Agrella antoniodagrella@yahoo.com.br

São Paulo

*

HERANÇA DE IMORALIDADES

Com certeza, o fim do julgamento da Ação Penal 470 (mensalão) terá a faculdade inusitada de outorgar ao governo Lula o diploma de improbidade, no dizer do Estadão, em seu editorial de 23/9/2012 (A3). E se o certificado de imoralidade, que carimbará o governo do “Deus” de Martaxa, não se constituir em herança maldita, então, tudo o mais que se disser a respeito de outros governos anteriores será sempre elogio. Certamente que Dona Dilma não irá mais mencionar o recebimento de herança bendita, porque, ao que parece, não deve gostar de improbidades e de imoralidades. Estando, então, o rei desnudado e o deus, ferido, certamente, ouviremos que nunca na história deste país tivemos um escândalo tão injustamente explorado pela imprensa brasileira, e que, na verdade, ela não gosta do Lula...

José Carlos de Carvalho Carneiro carneirojcc@uol.com.br

Rio Claro

*

RESULTADOS DA SEMANA

Não poderiam ser melhores os acontecimentos desta semana. No meu município, o PT foi derrotado amplamente, um verdadeiro massacre, depois de um governo de péssima gestão administrativa e decisões contra a vontade popular. Além disso, o Supremo Tribunal Federal (STF), agora em plena democracia, condenou enfim e merecidamente a corja do partido que executava um projeto de poder infinito no Brasil. Seria muito melhor se o julgamento do mensalão fosse exibido ao vivo pelas redes de TV abertas, para atingir as camadas mais humildes do nosso povo, que, por desconhecer as verdades, ainda acredita nas papagaiadas de Lula e acaba votando neles, por medo de perder as inúmeras bolsas assistenciais, não sabendo que elas não podem mais ser suprimidas, por quem quer que seja que esteja no governo.

Jose Mendes josemendesca@ig.com.br

Votorantim

*

JOSÉ DIRCEU CONDENADO

Simplesmente patética a manifestação de José Dirceu após sua condenação pelo Supremo Tribunal Federal (STF). Diz ele: “Em 1969 fui banido do País e tive minha nacionalidade cassada, uma ignomínia do regime de exceção que se instalara cinco anos antes”. Bem analisados os fatos, ignomínia parece-me o fato de ele ter lutado pela instauração no Brasil de uma República socialista/soviética nos moldes daquelas existentes em Cuba e alhures. Uma pessoa com tal desígnio realmente não merece a cidadania brasileira. A seguir, disse ele: “Voltei clandestinamente ao País... para lutar pela liberdade do povo brasileiro”. Pergunto a este senhor, mentor do maior esquema de corrupção nunca antes ocorrido por aqui, por qual liberdade ele lutou? Aquela, da ditadura Castro? Seria bom ele nos esclarecer este ponto. O lamentável documento prossegue, em tom de velório: “Após a anistia, lutei, ao lado de tantos, pela conquista da democracia”. Quando diz “lutei”, será que se refere ao assassinato de Boilesen, de Mario Kozel, de Chandler, aos sequestros e outros diversos atentados, como o ocorrido no aeroporto do Recife? Quando diz “democracia”, será que se refere àquela vigente na antiga URSS, na Coreia do Norte ou em Cuba? Prossegue o submentor (o mentor, todos sabemos quem é) do mensalão (que nunca existiu, na lábia do mentor): “Hoje a Suprema Corte do meu país, sob forte pressão da imprensa, me condena como corruptor, contrário ao que dizem os autos...”. Aí vemos mais uma vez a ojeriza que estes elementos condenados e o partido maior que os abriga têm pela liberdade de imprensa. Não fosse ela, certamente o mensalão continuaria ainda a rolar solto e livre. E aí vem a mentira, aquela que, repetida mil vezes, vira verdade: os autos não mostram nada além da extrema audácia com que um grupo de delinquentes guindado ao poder, totalmente inebriado por ele, julgando-se completamente impune e sequioso de benefícios, ousou colocar o Estado sob seu ignóbil intento de dominação da República.

Nelson Penteado de Castro pentecas@uol.com.br

São Paulo

*

BYE, BYE, GENOINO

José Genoino sai do Ministério da Defesa, onde era assessor especial – uma boquinha para um perdedor, já que não foi eleito deputado federal nas eleições de 2010 –, atirando nos ministros do STF, que o condenaram, e declarou ser vítima de uma “injustiça monumental”. Leu uma carta protestando contra a decisão condenatória, para os que estavam na sede do PT, jornalistas, e militantes regiamente pagos para comparecer aos atos da petralhada, seja comício, ou neste ato vergonhoso protagonizado pelo ex-dirigente petista. Certamente, Genoino contava com a garantia que a cúpula do PT deu a Marcos Valério, quando os questionou sobre o risco que ele corria, que não haveria julgamento e, portanto, nenhuma condenação, pensando que o STF também fora comprado pelos petralhas. Caro petralha, a justiça foi feita para ser cumprida e a condenação, também.

Agnes Eckermann agneseck@yahoo.com.br

Porto Feliz

*

ARROGANTES

Maldita arrogância. Genoino, com uma condenação de corrupção nas costas, brada que não se envergonha de nada. E Zé Dirceu, o líder da quadrilha, chama mais uma vez a companheirada para a luta, dessa vez a das eleições em São Paulo. Pobres brasileiros.

Eliana Pace pacecon@uol.com.br

São Paulo

*

LÁGRIMAS DE CROCODILO

Sr. Eduardo Suplicy, quero expressar que o senhor, bem como a grande maioria dos políticos do PT são pequenos e medíocres. Pequenos e medíocres de visão quanto as questões que afligem os brasileiros e o Brasil. O Sr., na sua pequenez, chora lágrimas de crocodilo ao ler uma carta que poderia ser de um herói nacional, mas é de um condenado atuante no mensalão. O Sr. deveria sim chorar, não pelos pseudo heróis e sim da roubalheira que o seu partido PT proporcionou e ainda proporciona ao país, cujos recursos poderiam beneficiar milhões de brasileiros e não para pagar aos vendilhões do PT. O seu partido PT sim que é hipócrita e não a justiça que ora agiganta-se colocando políticos do PT de joelhos. Sr. Suplicy, senador das causas pequenas, envergonha-me um dia ter votado no senhor. Sim, arrependo-me.

Fernando Pastore Junior fernandopastorejr@gmail.com

São Paulo

*

CARMINHAS

Descobri um apelido sugestivo para Lula, Zé Dirceu, Haddad e toda a turma do PT: Carminha. Apesar de todas as provas e evidências, continuam a negar seus crimes! É muito deboche concentrado!

Mario Carlos Praxedes mario.praxedes@uol.com.br

Santana de Paranaíba

*

SENTIMENTO NACIONAL

O artigo do desembargador Aloísio de Toledo César (O sentimento nacional de justiça e o mensalão, 11/10, A2) sobre o julgamento do mensalão e, especificamente, sobre o comportamento dos ministros Lewandowski e Toffoli, que na opinião dele deveriam ter se declarado impedidos de julgar para não constrangerem seus pares, a Justiça e os brasileiros, e para não inscreverem indelevelmente uma nota negativa em suas biografias, é uma demonstração de que não foi apenas o leigo em assuntos jurídicos que percebeu o manifesto comprometimento lulista desses juízes.

Ademir Valezi valezi@uol.com.br

São Paulo

*

A ESCOLHA DOS MINISTROS

No Brasil, o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) é indicado pelo presidente da República – sistema dos EUA –, de forma vitalícia, e é aprovado automaticamente pelo Senado Federal. Esse sistema muitas vezes não reflete o pensamento da sociedade brasileira, da área jurídica do País, e gera também a “possibilidade” de que o ministro escolhido pelo presidente tenha uma visão única e convergente com a visão do partido político no poder, como atualmente na escolha de oito (8) ministros pelo PT. Como o STF é a base que sustenta a nossa democracia, por que não se faz a escolha de ministro do STF através de uma decisão por consenso entre o presidente da República, ministros do STF, Senado Federal e Associação dos Magistrados do Brasil?

Edgard Gobbi edgardgobbi@gmail.com

Campinas

*

LULA, PALMEIRAS E O MENSALÃO

Ao declarar que o povo estava mais preocupado com a queda do Palmeiras para a série B do que com o julgamento do mensalão, Lulla novamente perdeu uma ótima chance de ficar calado. Agora, com a condenação por ampla maioria (exceção do ministro defensor e do ministro rábula), os Srs. José Dirceu, José Genoíno e Delúbio Soares foram rebaixados definitivamente à condição de criminosos e somente poderão postular o cargo de “faxina” nos presídios onde deverão cumprir as suas penas, imposta pela mais alta corte do País.

Claudio Juchem cjuchem@gmail.com

São Paulo

*

ROTA

O litoral paulista, após ondas de execuções, assassinatos, etc., não tem mais registrado nenhum caso após a chegada das Rondas Ostensivas Tobias de Aguiar (Rota). Será coincidência, eficiência, temor ou respeito mesmo por um Batalhão de Elite capaz e eficaz nas suas ações contra as bandidagens em geral? O pior é que em diversas ocasiões os mesmo são altamente criticados e acusados pelos seus comportamento e modus operandi. Porém, quando um deles e abatido, poucos se manifestam a seu favor, não é?

Angelo Tonelli angelotonelli@yahoo.com.br

São Paulo

*

ESTADO DE DIREITO

Há alguns anos previ que o poder constituído estava perdendo o controle do Estado de Direito. Hoje, alguém duvida disso, já que os próprios policiais estão voltando do trabalho para suas residências escoltados? Mas isso acontece porque os governadores pensam apenas em suas carreiras políticas e suas benesses, a exemplo de Geraldo Alckmin.

Orivaldo Tenorio de Vasconcelos professortenorio@uol.com.br

Monte Alto

*

A CULPA É DAS LEIS

Será que um dia suas excelências, nossos nobres parlamentares, irão fazer alguma coisa contra a causa da violência que assola o país, em especial São Paulo? Como a legislação atual praticamente garante a impunidade dos criminosos, a sociedade reage à margem dela e o resultado é esse caos em que estamos vivendo. O que há de surpreendente em um país onde menores podem roubar e matar a vontade, onde criminosos são postos na rua para celebrar o dia das mães, dos pais e sei lá mais o que, virar uma praça de guerra?

Mario Silvio Nusbaum mario_silvio@hotmail.com

São Paulo

*

FALSOS DEMOCRATAS

É incrível como, sobre o manto de democratas, escondem-se verdadeiros aprendizes de ditador. Encontra-se em curso, no Senado Federal, um verdadeiro atentado contra a vontade popular. De autoria do senador Cristóvão Buarque, o PLS 176/2011 pretende passar por cima de 59.109.265 brasileiros que votaram contra a proibição da venda de armas no Brasil no referendo de 2005. Considerando que inexiste prova científica de que a proibição de armas contribui para a queda dos índices de criminalidade, o que pretende este senhor, pretensamente um democrata, com essa atitude? É bom estarmos atentos! Hoje são as armas. Amanhã, pode ser a democracia.

Rodrigo Arantes do Amaral rodrigoamaral@terra.com.br

São Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.