Fórum dos Leitores

GOVERNO DILMA

O Estado de S.Paulo

17 Outubro 2012 | 03h09

Extinção do Plano Real

Parece que a presidente Dilma Rousseff, o ministro Guido Mantega, da Fazenda, e o PT estão querendo acabar também com o Plano Real, seguramente por ter sido criado por Fernando Henrique Cardoso e seus assessores econômicos no governo do Itamar Franco e reforçado em seu próprio governo. Com a crescente inflação - a real - e a falta de competência em controlá-la, o governo federal está-nos empurrando rapidamente para as épocas catastróficas dos anos anteriores ao Real. Também já conhecemos essa sistemática de divulgação de índices irreais e mascarados que nos conduz à catástrofe. Será que tudo isso é proposital? Ou é pura incompetência desse governo? Qualquer das respostas nos levará ao caos econômico.

MARCO AURÉLIO REHDER

marcoarehder@yahoo.com.br

São Paulo

Será mesmo inflação?

Do jeito que esse "governo" é, vai dizer que não é inflação, só uma "correção pontual de preços".

RICARDO MARIN

s1estudio@ig.com.br

Osasco

COTAS

Ou educação racionada?

O Brasil não está em guerra, é um dos países mais ricos do mundo, nada justifica que a educação seja racionada e sejam criadas cotas para que alguns estudem e outros, não. Todos têm o direito de estudar e o governo tem a obrigação constitucional de prover educação para todos, não só para alguns. Agora, se o governo não tem competência, vontade política ou seja lá o que for que esta faltando para construir novas e melhores escolas, contratar mais professores, e pretende "resolver" o problema com as tais cotas, está na hora é de mudar de governo.

MÁRIO BARILÁ FILHO

mariobarila@yahoo.com.br

São Paulo

Investimentos

É mais fácil aumentar as cotas (de acesso à universidade) do que aumentar investimentos em educação (suficientes para quem estuda em escola pública ter acesso ao ensino superior).

FLÁVIO CESAR PIGARI

flavio.pigari@gmail.com

Jales

Negros no funcionalismo

Se a insensatez for aprovada, com ares do mais puro populismo - o pacote de ações afirmativas alinhavado na Seppir -, Dilma deverá dar o exemplo e nomear 30% de seus assessores diretos da "raça negra". Afinal, são todos eles funcionários públicos. O exemplo deve vir de cima.

LEILA E. LEITÃO

São Paulo

CORRUPÇÃO

Duda Mendonça absolvido

Infelizmente, alguns vão escapar da condenação por falta de provas contundentes. Porém o STF já mostrou ao mundo que no Brasil as instituições democráticas são fortes e autônomas. Resta aos brasileiros honrados e decentes torcerem para que algum condenado se revolte com o não cumprimento da promessa de impunidade e termine o serviço de Roberto Jefferson.

VAGNER RICCIARDI

vbricci@estadao.com.br

São Paulo

Rinha

Duda Mendonça foi absolvido pelo STF. Mesmo assim eu não deixaria um galo de briga para ele tomar conta.

JOÃO JOSÉ

minto@uol.com.br

São Paulo

Conivência

Ministros do STF absolveram Duda Mendonça porque "o réu não tinha como saber que a origem do dinheiro era ilegal". Ora, um partido brasileiro contrata um publicitário brasileiro, mas paga o serviço em moeda estrangeira com depósito fora do Brasil. Há conivência nessa relação fornecedor-cliente. Precisa ser gênio?

ANSELMO CARLOS FIORINI

a.fiorini@ig.com.br

São Paulo

Nota fiscal

Duda foi considerado inocente por juízes do STF. Se a nota fiscal de prestação de serviços foi emitida, os impostos foram recolhidos e o pagamento foi feito na conta da empresa de Duda, tudo bem. Se não, é necessário que o pagante explique por que pagou com dinheiro que havia lá fora e não podia ser repatriado. Espero explicações do STF sobre a nota fiscal para também parar de pagar ISS e ser inocentado por tabela.

VITÓRIO F. MASSONI

suporte@eam.com.br

Catanduva

Offshores inimputáveis

Parabéns ao ministro Marco Aurélio Mello pelo brilhante argumento relativo à sobreposição de normas do Banco Central em relação à lei, quanto à manutenção de contas no exterior e ilicitudes, discutidas no caso Dusseldorf, fato este não abordado conceitualmente. Da forma como está, mostrou o ministro, é possível agir criminosamente durante um ano, fazer transitar milhões, limpar a conta durante o ano ou na última semana do mês e ficar livre de qualquer imputação. Sua perspicácia, seu senso prático e realismo, além de refinada percepção, foram notáveis. Caberia ao STF criar jurisprudência sobre isso e não perder esta oportunidade.

LUIZ A. BERNARDI

luizbernardi@uol.com.br

São Paulo

LIBERDADE DE IMPRENSA

Ameaça antidemocrática

Milton Coleman, do Washington Post e presidente da Sociedade Interamericana de Imprensa (SIP), disse com propriedade, em São Paulo, que, "apesar dos avanços democráticos no continente, os países ainda convivem com as sombras do autoritarismo. Governos democraticamente eleitos estão tratando de promulgar leis que solapam a liberdade de expressão". A América Latina vive grave ameaça antidemocrática, com governos tentando amordaçar, se não calar a voz da imprensa. Pregam a democracia antes das eleições e, uma vez instalados confortavelmente no poder, assumem ares ditatoriais e se voltam logo contra a livre circulação de notícias, numa manobra espúria e covarde de manipulação da informação. Censura, não!

J. S. DECOL

decoljs@globo.com

São Paulo

Rui Falcão e a SIP

O presidente do PT mais uma vez se insurge contra o que não convém ao sectarismo petista, agora com críticas à 68.ª Assembleia-Geral da SIP, representante, diz ele, dos "grandes meios de comunicação que querem ser intocáveis" (sic). Com tanto dinheiro ilicitamente obtido pelo mensalão, que tal os petralhas investirem em meio próprio de comunicação, absolutamente democrático, convidando a participar Hugo Chávez, Cristina Kirchner e Evo Morales, tendo Fidel Castro como CEO?

MARIO COBUCCI JUNIOR

maritocobucci@uol.com.br

São Paulo

Cartas selecionadas para o Fórum dos Leitores do portal estadao.com.br

VÃO E NÃO VOLTAM

Ao eliminar a exigência de autorização de saída para os cubanos que queiram viajar ao exterior, "com exceção daqueles que são importantes para o desenvolvimento da ilha", as autoridades cubanas estão planejando "exportar" milhares de pessoas consideradas indesejáveis por estarem sobrecarregando o minguado orçamento de segurança alimentar local.

Sergio S. de Oliveira marisanatali@netsite.com.br

Monte Santo de Minas (MG)

*

LIBERAÇÃO EM CUBA

Por que será que o governo cubano anunciou ontem, 16/10, que seus cidadãos não precisarão mais pedir autorização para viajar para o exterior? Ficaram mais de 50 anos fechados na concha e, agora, de repente, abrem as fronteiras para quem quiser sair? Eu não sei como vai funcionar esta benesse (!), mas, conhecendo bem o regime cubano, aposto que quem sair terá de deixar um lastro como garantia de que vai voltar ou de que vai mandar dinheiro, seja ele um filho, uma esposa ou mãe. Como têm rolado boatos sobre uma possível morte de Fidel, será que esta abertura é sinal de que ele morreu mesmo? Ou será ainda porque a situação socioeconômica está tão crítica em Cuba que eles estão até querendo que trabalhadores busquem seu sustento lá fora e mandem para Cuba suas economias? Até hoje, todo cubano que quisesse sair de Cuba tinha a obrigação de apresentar uma carta-convite de alguém lá de fora para poder viajar. Com esta decisão, tal exigência foi eliminada. A mudança faz parte de uma reforma migratória que entrará em vigor a partir de 14 de janeiro de 2013.

Mara Montezuma Assaf montezuma.scriba@gmail.com

São Paulo

*

'MEU AMIGO ZÉ'

Cumprimento o jornal O Estado de S. Paulo, edição de 13/10/2012, pela publicação do elucidativo texto Meu amigo Zé, do jornalista Flávio Tavares, caderno Aliás, página J5. Confesso que, por ter ideia preconcebida, já imaginava que o amigo de José Dirceu iria criticar o Supremo Tribunal Federal (STF) pelo julgamento da Ação Penal 470. Afinal, do amigo de José Dirceu, conforme o título do texto, e que foi exilado como ele, o que se poderia esperar? Mas, felizmente, um brilhante texto que mostrou a verdade. Minha admiração pelo jornalista Flávio Tavares, perseguido, preso no Uruguai, envolvido na luta pela redemocratização e que reconheceu a culpa do amigo Dirceu. Um belo texto.

João Batista Chamadoira jobachama@uol.com.br

Bauru

*

ZÉ GOVERNAVA

No artigo Meu amigo Zé (14/10, J5), o jornalista e escritor Flávio Tavares fez um resumo geral da vida de José Dirceu, que conhece há 43 anos. Num determinado trecho, escreveu: "Quando Lula presidente, eram de Zé Dirceu os planos e atos de governo. Lula presidia, Zé governava". É necessário dizer algo mais a respeito do mensalulão?!

J. S. Decol decoljs@globo.com

São Paulo

*

GUERREIRO DO LULOPETISMO

Zé Dirceu: "Lutei pela democracia, e fiz dela minha razão de viver (sic)", o esquerdista exilado em troca por embaixador sequestrado, e treinado a lutar pela democracia, na sanguinária ditadura cubana. De volta ao Brasil, com outro rosto, nome, e escondido no interior do Paraná, criou família, deixou-a, e voltou a São Paulo sob os auspícios da anistia, a ajudar a fundar o PT, partido da mistificação, do qual foi presidente. Criou o mensalão com outros petralhas, foi defenestrado da Casa Civil, processado, julgado e condenado. Não fica difícil distinguir, nas ações do guerreiro do lulopetismo, entre política, paródia, pastiche e atuação.

Mario Cobucci Junior maritocobucci@uol.com.br

São Paulo

*

SADISMO AUTOPUNITIVO

Indico o artigo Meu amigo Zé, do Sr. Flavio Tavares, para pessoas que necessitem por algum motivo de uma forte dose de sadismo autopunitivo. O troço causa ânsias, ponto. Em nenhum de seus parágrafos apaixonados ao "cumpanhero-romântico-guerrilheiro-heroico" o autor sequer profere uma única palavra digna e real, forte e moral, de repreensão genuína contra as ações criminais do amigão do peito e os seus "Genoinos" de crime e que visavam, isto sim, uma ditadura da cleptocracia comuno-petista, a ser, por sua vez, bem disfarçada no funcionamento aparente de uma democracia que na prática estaria aparelhada pelo partido e que faria do "poderoso Zé" o amigão do peito e de ideologia cega do Sr. Tavares, o único de fato a tudo decidir. Nada mudou na mente travada destes dinossauros dos anos 60 que ainda teimam na tese de que a sua "causa" tudo justificaria, até mesmo o injustificável. Xingam uma ditadura, mas disfarçam, eles mesmos, até hoje, ladinos, a que sempre desejaram impor ao povo brasileiro goela abaixo. Se a idade não os ensina, que a lei o faça, como no caso do Sr. Dirceu e de seus cúmplices de crimes contra as coisas da República e a liberdade dos cidadãos.

Paulo Boccato pofboccato@yahoo.com.br

São Carlos

*

CONTA OUTRA, COMPANHEIRO!

O senhor Flávio Tavares, companheiro de José Dirceu no exílio, declara: "A maior demonstração de José Dirceu foi ter-se sacrificado para salvar Lula". Conta uma novidade, companheiro!

José Marques seuqram.esoj@bol.com.br

São Paulo

*

PROVAS

Se compararmos as normas penais da legislação penal da Roma antiga (lastro de tudo quanto se produziu no ocidente), veremos que nessa área tudo evoluiu: de lá para cá detalhes e circunstâncias fizeram com que a tipologia penal fosse ampliada paulatinamente, novos crimes ainda que baseados em velhos crimes são descritos, apurados que são por força dos avanços tecnológicos implantados no seio da sociedade humana. Se assim ocorreu com os crimes, é evidente, é uma conclusão óbvia que a metodologia de apuração dos crimes tinha também que evoluir. Daí surgirem novas tendências para se dar um fato como provado, entre as quais ressalta a do domínio do fato, para a qual o argumento do "não sei" não tem importância alguma e elementos circunstanciais e indiciários são levados em conta para se aquilatar a realidade do fato sob apuração criminal. E por que não? Flávio Tavares, jornalista e escritor que foi um ex-preso político, em seu artigo Meu Amigo Zé (14/10), bem ressalta o que, nos últimos mais de 30 dias, vem sendo assentado no Supremo Tribunal Federal: "...provas da fraude? Na engrenagem clandestina, oculta-se tudo. Ou alguém pensa que os corrompidos assinam recibo?". O que agora se sabe e constitui elemento de prova é que terceiros (exemplo disso é o caso da esposa do deputado João Paulo Cunha) se prestam a receber o dinheiro da corrupção. Por que, então, não se valer dos indícios e das circunstâncias para demonstrar o ato do corruptor, ou do corrompido, e procurar os elos entre eles? Não se pode contestar o que existe num processo de milhares e milhares de folhas, quer sob a forma de provas concretas, quer sob a forma de indícios cristalinos que conduzem a afirmações inequívocas da existência do fato. Daí, portanto as condenações levadas a efeito pelos Ministros do Supremo Tribunal Federal também por esses fundamentos.

Pedro Luís de Campos Vergueiro pedrover@matrix.com.br

São Paulo

*

VEM NÃO!

José Dirceu vem posar de herói, mas ele na verdade foi o grande covarde, pois antes fora visitado pela polícia repressiva, e combinou um Congresso de forma que todos lá seriam presa fácil. Enquanto ele mesmo era conduzido com honras de autoridade, seus companheiros eram espancados e humilhados. Ele foi enviado a Cuba por uma curta temporada, e de lá retornou em escondido, foi operado na ilha de um famoso cirurgião plástico carioca e se instalou no Paraná com vasto apoio e financiado pelos militares, ou seja, o covarde que entregou os estudantes congressistas de Ibiúna agora que posar de herói!

Luiz Benedito Pedro de Freitas freitasbene@yahoo.com.br

Ribeirão Preto

*

DUDA MENDONÇA ABSOLVIDO

Se partirmos pelo simples princípio da honestidade e da lógica, chegaremos a uma óbvia e elementar conclusão de que só o fato de terem recebido pagamentos do PT em contas fora do País já caracteriza uma ação no mínimo estranha. Agora, afirmar que Duda Mendonça e sua sócia Zilmar Fernandes não sabiam que a origem ou procedência do dinheiro era ilegal ou duvidosa é a mesma coisa que acreditar em Papai Noel. Além do que, é só perguntar por que não receberam tais valores em contas no Brasil.

Angelo Tonelli angelotonelli@yahoo.com.br

São Paulo

*

INCENTIVO À EVASÃO DE DIVISAS

No julgamento de Duda Mendonça, o STF pisou na bola, pois com o resultado da absolvição incentiva a prática do envio de dinheiro para o exterior sem conhecimento do Banco Central, bastando para o indivíduo a declaração à Receita Federal ao final de cada ano e pelo valor existente nesta data, que poderá ser um valor ínfimo, pois grandes volumes teriam sido manipulados durante o ano. Correta está a interpretação do ministro Marco Aurélio neste ponto.

Marco Aurélio Rehder marcoarehder@yahoo.com.br

São Paulo

*

GOVERNO CORRUPTO

Evasão de divisas ou lavagem de dinheiro, pouco importa, não justifica os bate-boca entre os ministros do STF. O importante ou o triste desta história é que houve com a mais absoluta certeza corrupção ativa, passiva e formação de quadrilha, de um governo que seria a esperança de um Brasil melhor. No entanto, esta corja formada por pessoas que supostamente lutaram contra o governo militar, mas na verdade suas lutas sempre foram em causa própria, para levar vantagens financeiras e enriquecimento. Agora que veio a tona toda podridão do governo mais corrupto desde a proclamação de República, perde-se tempo em demasia nos julgamento destes bandidos, onde ministros preocupados em absolver passam desconfiança aos brasileiros e uma sensação de impunidade. Enquanto isso, nada é feito para diminuir a criminalidade que toma conta de todas as cidades do País.

Jose Mendes josemendesca@ig.com.br

Votorantim

*

NÓ EM PINGO D'ÁGUA

De repente, os ministros do STF, que até agora nos traziam a certeza de cobrar penas para os envolvidos no "mensalão", absolveram o Duda Mendonça, considerando-o inocente, apenas um simples pára-quedista que aterrissou em lugar errado! Acreditaram que ele foi envolvido no caso por "acaso", visto nada saber de irregularidades quanto à grana recebida. Fica a pergunta: se ele era tão inocente e de nada sabia, por que foi esconder a grana fora do País? Preocupa, na reta final, o STF começar a inocentar os envolvidos, porque nesse escabroso caso de roubo do erário o mais bobo deles "é capaz de dar em nó em pingo d'água", como diz a sabedoria popular.

Laércio Zannini arsene@uol.com.br

São Paulo

*

COMPANHEIRO DE RINHA

Data vênia, senhores ministros do STF, que declararam Duda Mendonça inocente por lavagem de dinheiro e, para haver procedência, deveriam ser levadas em consideração que Duda Mendonça era unha e carne com o ex-presidente Lulla, antes e depois de eleito. Fazia parte constante da propaganda de governo e deveria saber da falta de dinheiro enfrentada pelo PT. Ele e Lulla viajavam constantemente juntos no Aerolula com toda a patota petralha e, provavelmente, participando de reuniões secretas da quadrilha. Fica muito difícil para nós, contribuintes, imaginar que ele não sabia ou não fazia parte das manobras governamentais para roubar cofres públicos e comprar políticos. Vale lembrar que a offshore aberta por ele no exterior foi aberta em nome da filha, demonstrando intenção de esconder o recebimento. Fica óbvia a tendência delituosa do companheiro de rinha de Lulla.

Beatriz Campos beatriz.campos@uol.com.br

São Paulo

*

INCORRIGÍVEIS

Os petistas estão tão furiosos com os rumos tomados pelo julgamento do mensalão que sua vazia retórica contra o STF agora está colocada de modo escancarado. A CUT, braço sindical do PT, vem defendendo um questionamento - "democrático", evidentemente - aos veredictos anunciados recentemente pela maioria dos ministros de nossa Suprema Corte, que levaram à condenação da cúpula do partido, José Dirceu à frente, por corrupção ativa. Vejamos a que ponto chega a desfaçatez dessa gente! Ora, dado que a máxima instância do Judiciário brasileiro, num processo limpo, cristalino e transparente como a luz do dia, chegou a essa decisão, o mínimo que eles deveriam estar fazendo seria: 1) acatar o resultado; 2) pronunciar-se à Nação por meio da presidente da República, Dilma Rousseff, que, afinal, pertence ao partido, garantindo que tais assaltos ao erário fazem parte da gestão passada e que são condenáveis, sob todos os aspectos; 3) um exame de consciência, admitindo os desvios praticados e repudiando publicamente todos os envolvidos. No entanto, o que se vê são contínuas exposições de desagravo aos companheiros corruptos e diatribes contra a imprensa e a elite "suja e reacionária", cujos ressentimentos estariam se manifestando por meio dos magistrados do STF, em sua maioria indicados justamente por Lula e Dilma. São incorrigíveis mesmo! Não aprendem com os erros! E ainda defendem a eleição de Haddad para uma suposta "absolvição pelas urnas"! Atenção, hein, paulistanos!

Henrique Brigatte hbrigatte@yahoo.com.br

Pindamonhangaba

*

SÃO PAULO EM ALERTA

Pelo andar do mensalão e das pesquisas eleitorais, em breve teremos em São Paulo mais condenados coordenando pelo celular, de dentro do presídio, ações do crime organizado.

Augusto Luiz augustoluizd@yahoo.com

São Paulo

*

ILUSIONISMO

Quem assiste ao programa eleitoral do PT, visando o 2º turno em São Paulo, tem a impressão de que o mensalão foi uma história de ficção, e o Supremo nada julgou a respeito! Para piorar, Lula aparece no programa do Fernando Haddad como se não fosse o protagonista do maior desvio de recursos do erário, arrota moralidade, e ainda fala em eficiência que em seu governo principalmente jamais alcançou. São Paulo não merece respirar esta mediocridade, e afronta! É indigesto pensar que um partido como o PT, venha ter a possibilidade de assumir a Prefeitura da capital, caso Haddad vença Serra em 28 de outubro. Porque há mais de 30 anos este partido mente descaradamente de ser o partido da ética, e que combateria a corrupção, quando literalmente tem condenado pelo STF, a quadrilha do mensalão, formada pelos petistas, Genoino, João Paulo Cunha, Delúbio Soares e o José Dirceu, entre outros... Chega de embromadores, nesta terra de Anchieta!

Paulo Panossian paulopanossian@hotmail.com

São Carlos

*

O PT E O MENSALÃO

Um alerta para eleitores que pretendem votar em Fernando Haddad (como a Dilma, um teleguiado do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva), para prefeito da cidade de São Paulo. No julgamento do mensalão, que está acontecendo no STF, percebe-se que a maioria dos réus pertencem ou pertenceram ao Partido dos Trabalhadores (PT). Vejam o que já disseram os juízes do STF a respeito deles: "Estamos a tratar de uma grande organização criminosa que se posiciona à sombra do poder, formulando e implementando medidas ilícitas, que tinham a finalidade, precisamente, da realização de um projeto de poder...", ministro Celso de Mello. "O exame dos fatos revela que o torpe pretende aproveitar-se da própria torpeza...", ministro Joaquim Barbosa. "Acho estranho e muito, muito grave, que alguém diga com toda tranquilidade que houve caixa 2. Caixa 2 é crime. É uma agressão à sociedade brasileira...", ministra Cármen Lúcia. "A corrupção é o cupim da Republica...", ministro Carlos Ayres Britto. "Os fatos chamados públicos e notórios não precisam de prova. Ninguém precisa fazer prova que Brasília é no Brasil...", ministro Cezar Peluso. "Isso é uma lavagem mais deslavada que já vi...", ministro Luiz Fux. "Sem corruptor não há corrompido...", ministra Rosa Weber. "Eu fico a imaginar como nós descemos na escala das degradações...", ministro Gilmar Mendes. "No Brasil há essa prática de nada saber, pelo menos, nos últimos anos...", ministro Marco Aurélio Mello. Chega de PT.

Leônidas Marques leo_vr@terra.com.br

Volta Redonda (RJ)

*

CAPITANIA HEREDITÁRIA

Em meio a tanta indignação das pessoas de bem contra as indignidades cometidas pela quadrilha que assaltou o País, não é mais uma desfaçatez pretenderem, como meta e de forma obsessiva, tomar nossa querida cidade de São Paulo como mais um dos seus redutos, tornando-a refém de seus caprichos e desmandos? Muita atenção: a metralhadora dessa gente está voltada para cá, com toda a sua munição nefasta. Cabe a nós, cidadãos armados com o poder do voto, não permitir esse mal maior. Afinal, quem pensam que são? Ou melhor, quem pensam que somos?! Não permitamos que São Paulo seja transformada em "capitania hereditária" dos petralhas, como se fosse moeda barata para troca de favores e interesses menores. Nunca é demais lembrar que as cores da bandeira de nossa cidade, entre outros, simbolizam a integridade, coragem, valor, intrepidez e honra.

Ana Luisa Godinho Ariolli analuariolli@hotmail.com

São Paulo

*

HERÓIS BRASILEIROS

Parabéns e agradecimentos aos heróicos membros do STF (com exceção de dois). Graças a Deus, existem nesse Supremo homens e mulheres com força, coragem e dignidade, e com galhardia enfrentaram a influência da presidenta Dilma. Lavando o Brasil dessa corrupção reinante e, sobretudo o ministro Joaquim Barbosa, agiu de maneira espetacular, dando exemplo de ética a todos os brasileiros. Também causa-nos estranheza que a presidente Dilma esteja tão envolvida na política partidária enquanto o cargo que ocupa é de presidente do Brasil. Será que o Tribunal Eleitoral ainda não tomou conhecimento?

Martha Cardoso Aranha sonia.aranha@ig.com.br

São Paulo

*

DILMA NA 'AVENIDA BRASIL'

A presidente Dilma Rousseff foi convencida pela coordenação da campanha de Fernando Haddad (PT-SP) a mudar a data do comício em São Paulo em que ela aparecerá ao lado do candidato porque o evento ocorreria no mesmo dia e horário do capítulo final da novela Avenida Brasil, da TV Globo. Custou-me muito acreditar nesta notícia, uma mulher que foi considerada uma das mais influentes e poderosas do mundo descer a um nível tão sofrível como este. Vou fazer com que esta minha carta até a Julia Gillard (Austrália), Cristina Kirchner (Argentina), Sheikh Hasina (Bangladesh), Laura Chinchilla (Costa Rica), Jadranka Kosor (Croácia), Tarja Halonen (Finlândia), Johanna Sigurdardottir (Islândia), Pratibha Devisingh Patil (Índia), Mary McAleese (Irlanda), Roza Otunbayeva (Quirguistão), Ellen Johnson Sirleaf (Libéria), Dalia Grybauskaitè (Lituânia), Iveta Radicová (Eslováquia), Doris Leuthard (Suíça) e Kamla Persad-Bissessar (Trinidad e Tobago). Quero com isto levantar o moral delas e dizer que o título de terceira mulher mais influente do mundo outorgado à Dilma pela revista Forbes não passou mesmo de uma piada.

Jatiacy Francisco da Silva jatiacy@estadao.com.br

Guarulhos

*

APENAS UMA PERGUNTA!

Quem paga as despesas da Sra. Dilma Rousseff quando ela vem para São Paulo fazer campanha política para seu candidato à Prefeitura?

Carlos Roberto Barreto Barsotti cbarsotti@hotmail.com

São Paulo

*

NÃO ESMOREÇAM

Prezados paulistanos, é triste ver aqui, neste Fórum, a postagem de comentários tão verdadeiros contra a vergonha nacional de apenas duas letras: PT. Tudo o que aqui se diz é a mais pura expressão da verdade, porém, quem as lê, por certo, são as pessoas do bem, as formadoras de opinião, as que não compactuam com este ParTido sem escrúpulos. As que votam no partido do "painho ex-barbudo" não dão opinião, não leem jornais, não trabalham, não vivem do próprio suor, vivem à custa dos que suam para ganhar o pão de cada dia e dos aproveitadores deste estado de coisas. Mas não esmoreçam, no fim, o bem sempre vence.

Jorge Erasmo dos Santos jorgerasmo@estadao.com.br

São José dos Campos

*

CAMPANHA EM SÃO PAULO

José Eduardo Cardozo, ministro da Justiça, declara que José Serra, candidato à Prefeitura de São Paulo, faz política de baixo nível. Será que ele realmente fala do que assiste ou simplesmente segue os "cumpanheiros" petralhas que atacam o opositor por tudo e para todos os lados sem noção do que falam? Eu pensei que pelo menos este senhor fosse mais sensato. Não sobra realmente ninguém nesse partido que não julgue com o fígado.

Leila E. Leitão

São Paulo

*

MAIS UMA MULETA DE HADDAD

O que está ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, declarou que o candidato do PSDB a prefeito de São Paulo, José Serra, anda baixando o nível da campanha no segundo turno. Como o candidato Fernando Haddad está precisando de muletas! Não tem capacidade de andar sozinho, tais são suas fragilidades para enfrentar o seu adversário, Sr. Serra. Interessante lembrar ao mais fraco ministro da justiça (com letra minúscula mesmo), depois de Tarso Genro, que quem usa de baixaria é o dono do PT - Lulla -, que para eleger um poste ou vários outros joga sujo. Portanto, Sr. Cardozo, vá cuidar do Ministério, onde deve ter muito trabalho, e trate de cuidar dos golpistas e trambiqueiros que assaltam os cofres públicos do nosso país, conforme as ações da Polícia Federal têm demonstrado. O Sr. Cardozo, agindo dessa maneira, mostra que é um militante do PT, e não ministro da Justiça do Brasil, que deveria estar preocupado em acompanhar o processo mais vergonhoso de que se tem notícia na história do nosso país, no qual o seu partido e seus "cumpanheros" estão envolvidos, o processo do mensalão, ou Ação Penal 470, que está sendo julgado no Supremo Tribunal Federal (STF).

Agnes Eckermann agneseck@yahoo.com.br

Porto Feliz

*

ELEIÇÃO E PREJUÍZO ANUNCIADO

Depois da condenação dos mensaleiros pelo STF por roubo de dinheiro público, agora o PT alia-se a Paulo Maluf na pretensão de tomar o Estado mais rico da Nação. Com um time desses à frente da Prefeitura de São Paulo, muito provavelmente os cofres de nosso Estado passarão pela mesma transformação por que passou o caixa da Petrobrás, que do azul passou em pouco tempo ao vermelho do PT, levando a mais próspera estatal brasileira ao prejuízo após sua cupinização. Com um orçamento de R$ 42 bilhões anuais e muitas dívidas de campanha, vencer em nossa cidade será um prato cheio. É só uma questão de tempo, se os petralhas conseguirem botar as mãos nas chaves do cofre...

Peter Cazale pcazale@uol.com.br

São Paulo

*

PT É PP?

PT é PP (Pega Propina)?! Com Lula lá, o Lalau, o poderoso chefão, o maior beneficiário das compras de votos do mensalão?! Como sabe mentir... Mais do que a Chiara (Clara) da novela Passione! PT final! PT nunca mais!

Luiz Fernando de Franciscis Verissimo D'Ávila veissimodavila@gmail.com

Rio de Janeiro

*

SEGUNDO TURNO

Este é o momento de evitar a repetição da atitude de protesto tomada no 1º turno das eleições, isto é, a abstenção, anulação do voto ou toda e qualquer forma de não sufragar ninguém. Agora não será simplesmente um ato de protesto, mas será, isto sim, a entrega da Prefeitura ao bando de mensaleiros já condenados pelo STF. São Paulo não merece essa desgraça. Não podemos esquecer que Serra é ficha limpa e tem história, merece o nosso apoio.

Ivan Pegado de Noronha ip.noronha@uol.com.br

Vinhedo

*

CONFISSÃO 'PRÁ' PENSAR

Na coluna Direto da Fonte (8/10), as esposas dos candidatos José Serra e Fernando Haddad falaram no que podem ajudar seus maridos, caso sejam eleitos. O ato de confissão grave que fez a Sra. Ana Estela (Haddad) foi dizer que "São Paulo deixa de receber do governo federal R$ 90 milhões anualmente só para a saúde bucal". Estas palavras são uma confissão de como somos (São Paulo) discriminados nas verbas federais. Tenho certeza de que Dona Dilma irá usar agora para o 2º turno a lenga-lenga que poderá ajudar (?) se seu candidato ganhar. Abram os olhos, pois somos o maior orçamento depois de Brasília, e não temos a contrapartida nos investimentos!

Tania Tavares taniatma@hotmail.com

São Paulo

*

ABGLT DEFENDE HADDAD

O Sr. Toni Reis, presidente da Associação Brasileira de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais (ABGLT), publicou carta aberta ao candidato José Serra (PSDB) repudiando o debate sobre o chamado "kit gay" como "arma eleitoral". A exemplo de Haddad, poderia ter ficado quieto, pois a maioria da população também não é favorável à distribuição desse material, nem de outro assemelhado, simplesmente porque escola pública não é local para essas benesses, por ser um centro de aprendizado. Nossas escolas públicas já são uma lástima como fonte de cultura, mereciam algo bem mais útil de um ministro da educação, como livros, cadernos, mapas, cartilhas, revistas educativas.Tem gente que cava a própria sepultura. O sonho de Haddad é ser presidente da República, se não der certo, resta o consolo de ser presidente da ABGLT.

João Henrique Rieder rieder@uol.com.br

São Paulo

*

KIT GAY

Mesmo que este pessoal do PSDB só saiba governar transferindo a maior parte da responsabilidade para terceiros, quando sobra mais dinheiro dos impostos para serem mal geridos por eles, o candidato José Serra ainda é o menos pior. O fato de o candidato do PT ter tentado introduzir na sociedade brasileira o tal do "kit gay" o torna disparado um dos piores políticos brasileiros. Não votaria nele nem para síndico de prédio. E não venha a minoria estridente com seus clichês hiper requentados de que isto é "obscurantismo", "atraso" ou coisa que o valha, porque a fila já andou também neste sentido. E é bom que os heterossexuais saiam debaixo da cama para defender, com respeito mas sem covardia, a sua correta maioria.

Marisa Stucchi marisastucchi@hotmail.com

Ribeirão Preto

*

SERRA-KASSAB

Gilberto Kassab foi o melhor prefeito para os agentes imobiliários que São Paulo já teve; só foi o pior para os paulistanos. José Serra, do PSDB, criou Gilberto Kassab e agora tem um "novo Kassab" do PSD como vice, ou seja, a dobradinha Serra-Kassab permanece nessa eleição. A hora do voto consciente (A3, 6/10) merece incluir a análise se São Paulo precisa ter a especulação imobiliária administrando a cidade; se é isso que queremos e precisamos, não seria melhor votar diretamente no presidente da Associação Imobiliária Brasileira (AIB), que pagou o mensalão paulistano ao prefeito e a inúmeros vereadores, na eleição anterior? Esse é o significado principal da administração Serra-Kassab que gerou alta e justa rejeição do paulistano.

Suely Mandelbaum suely.m@terra.com.br

São Paulo

*

URNAS ELETRÔNICAS

Já comentam que há indícios de fraude nas eleições da Venezuela, lá também utilizam urnas eletrônicas que podem ter sido manipuladas. Foi eleito Hugo Chávez com pouco mais de 10% do seu opositor. É exatamente onde mora o perigo, no Brasil também utilizamos urnas eletrônicas, o know-how de atitudes ilícitas do muy amigo e do idealizador do mensalulão são semelhantes, daí pode ser "fácil" eleger o seu afilhado político, para quem precisa e quer ganhar as eleições em São Paulo. Como fiscalizar as eleições para que não hajam fraudes? Os precedentes são reais e verdadeiros. O TRE/TSE estão em condições de evitar qualquer tipo de fraude em urnas eletrônicas e uma consequente anulação do pleito eleitoral? É um alerta, melhor prevenir do que remediar.

Maria Teresa Amaral mteresa0409@2me.com.br

São Paulo

*

O BRASIL DO ATRASO

Pasmem, mas a capital do Estado cujo líder mor chama-se José Sarney está sem combustível para abastecer seus mais de 100 mil veículos há quatro dias. Em Macapá (AP), já é possível ver carros parados no meio das ruas por falta de gasolina e álcool. Os poucos postos que ainda possuem combustíveis em seus tanques são disputados a tapa, literalmente, e as filas dão voltas nos quarteirões sem passeios da Capital Tucujú. Esse é o Brasil que poucas pessoas conhecem e ficam boquiabertos, tamanho o atraso e a safadeza da classe política que se sucede no poder ha quatro décadas. Todos os postos de combustível pertencem a famílias de políticos tradicionais. (oligarquias).

José Aparecido Ribeiro jaribeirobh@gmail.com

Belo Horizonte

*

OS ELEITORES DE SARNEY

Seria importantíssimo o nobre senador José Sarney, aquele que começou junto com o Pedro Cabral a ser senador, informar ao povo humilde do Amapá o que ele está fazendo para que os combustíveis voltem a ser entregues na quantidade necessária, para que não tenham de ficar horas nas filas, pois a coisa está feia. Como ele se elegeu pelo Amapá apenas para levar vantagem, é claro que ele não está nem aí com os eleitores idiotas que o elegeram - aliás, deixar de lado os eleitores é algo que ele faz melhor do que ninguém.

Kaled Baruche kbaruche@bol.com.br

São Paulo

*

PETROBRÁS EM BAIXA

Mesmo com o anúncio feito pela Sra. Graça Foster, presidente da Petrobrás, de que o preço do combustível vai ser reajustado, "mas não há data definida" (leia-se após segundo turno das eleições municipais), as ações da empresa (PETR3 E PETR4) não subiram no pregão de 16/10/2012. Acho que a empresa precisa mudar o nome, pois PeTrobrás lembra PT, que lembra Genoino e Delúbio, os quais acabam de ser condenados também pela Justiça Federal de Minas Gerais por falsidade ideológica. Mais um vexame para o PT. E esse partido ainda quer as chaves do cofre do município de São Paulo. Será que o PT vai conseguir essa vitória paulistanos?

Maria Carmen Del Bel Tunes carmen_tunes@yahoo.com.br

Americana

*

A ESFINGE PETROBRÁS

A descoberta de petróleo nas camadas profundas do pré-sal, que também pode ser encontrado em várias partes do planeta, foi mais um golpe grosseiro de marketing do eneadáctilo para ganhar eleições. Empresas que detém as mais avançadas tecnologias na prospecção e exploração de petróleo em águas profundas dizem que essa extração é como tirar diamantes no mais badalado planeta do nosso sistema solar. Com pompa e circunstância as descobertas de petróleo em camadas profundas eram comemoradas por Lula e Dilma borrados de óleo, tendo o presidente Lula anunciado a nossa auto-suficiência em petróleo, engodo provado pela importação de gasolina, óleo diesel e etanol de milho dos Estados Unidos. Quem comanda esse mega negócio é uma mega caixa preta chamada Petrobras, estatal que funciona no esquema de poder como uma eminência parda, uma autêntica caixa de pandora. A Petrobras nada mais é que uma ferramenta eficiente no projeto ad aeternum do PT. Graça Foster desnudou "a grande senhora", revisando os procedimentos administrativos. Há dez anos as metas de produção não são atingidas. No segundo trimestre de 2012 amargou um prejuízo de R$ 1,3 bilhão, um resultado que não se via desde 1999. No semestre a queda foi de 64%, com desvalorização das ações. Enquanto serve como moeda de troca na política do PT, a empresa perdeu US$ 208 bilhões. Há mistérios entre a Petrobras e o governo que nem sonha a vã filosofia da senhora Maria das Graças Silva Foster.

Jair Gomes Coelho jairgcoelho@gmail.com

Vassouras (RJ)

*

RESPONSÁVEL

Cuidado, Gabrielli, cuidado. Dona Graça Foster pode estar pensando em culpá-lo (responsável) pela produção inesperada de 50% a mais do pré-sal. Este bom evento poderá comprometer suas (dela) ameaças e colocar em cheque sua obsessão pelo aumento dos derivados de petróleo.

Ulysses Fernandes Nunes Junior Ulyssesfn@terra.com.br

São Paulo

*

AEROPORTO FECHADO

No mínimo podemos chamar de absurdo o que ocorreu no Aeroporto Internacional de Viracopos, na cidade de Campinas (SP), esta semana. Se o problema com um avião cargueiro interrompe um dos principais aeroportos do País, como seria se houvesse os problemas que ocorreram no Japão, motivados por terremotos?

Virgílio Melhado Passoni mmpassoni@gmail.com

Jandaia do Sul (PR)

*

INFRAESTRUTURA

Vendo as imagens do avião na pista de Viracopos, pareceu-me: inchado (como o governo); desgovernado (sem rumo, como o governo); pesadão (não levanta voo nunca); com o trem de pouso avariado (falta de comandante). Raio X do governo PeTralha?

Haroldo Eustaquio Rocha haroldoerocha@ig.com.br

São Paulo

*

BULLYING OFICIAL

O governo federal, através da criação imoderada de sistemas de cotas para afrodescendentes, inclusive para o funcionalismo público, que deveria ter os seus quadros preenchidos exclusivamente pelo critério da competência, está praticando bullying sistemático contra os cidadãos brancos, como eu, sob o falso argumento de que somos responsáveis, mediante atavismo, pela escravidão ocorrida no passado. Eu vou rechaçar esse bullying governamental nas próximas eleições presidenciais, pois não tenho conhecimento de que nenhum antepassado meu tenha empunhado um chicote ou capitaneado um navio negreiro. Ser branco e da desprezada classe média, hoje, no Brasil, é ser um pária que carrega todos os demais brasileiros nas costas.

Túllio Marco Soares Carvalho

Belo Horizonte

*

SISTEMA DE COTAS É UM RETROCESSO

Seria cômico se não fosse trágico, a falha gravíssima que existe na educação do país. Temos que repensar a importância da educação na construção de uma educação igualitária e de uma sociedade sadia. Os acontecimentos de violência escolar que vem se refletindo ano após ano tem assustado muita gente. Tais eventos devem fazer-nos repensar o papel das famílias e da escola na formação de valores que conspiram a favor da pessoa humana e não contra ela. Para tanto a presidente Dilma Rousseff sancionou a lei de cotas que se estenderá até 2022. A lei antes de tudo demonstra a incapacidade crônica do governo na educação básica, o senado impôs cota as universidades federais. Com isso o ensino superior, que já não é bom, ficará ainda pior. Porém, mais uma vez a classe média brasileira tende a pagar pela incompetência de um governo que nunca deu prioridade a educação neste país desde os primórdios do descobrimento. A prioridade latente é o assistencialismo rasteiro que promove a ignorância e garante votos nas eleições como aconteceu esse ano em vários municípios. Neste caso, sou literalmente contra, acho um retrocesso para dizer o mínimo. Primeiro porque acho injusto com quem teve melhores condições para preparar-se. Segundo, porque para mim não passa de uma forma de mascarar a péssima educação pública que nos é oferecida. Seria o mesmo que dizer: "Não pagamos os melhores salários aos professores, eles entraram em greve, e o ensino é de péssima qualidade, mas não se preocupem, não, lá na frente tem as cotas para compensar!". Ah, pelo amor de Deus, Sra. Dilma! A real solução é investir em educação, como vem fazendo tantos outros países em situação muito parecida a nossa economicamente como são os casos do Chile, Coreia e China. Mas não, preferem criar cotas e colocar cada vez mais pessoas despreparadas nas universidades e punir aqueles que não tiveram culpa alguma de terem estudado nas melhores escolas e por terem nascidos em berços de ouro. Pior cego é aquele que não quer enxergar o obvio. Cotas nas universidades nada mais é do que o preconceito velado dentro do próprio preconceito. Reservar 50% das vagas para alunos provenientes de escolas públicas, pela cor da pele é, no mínimo injusto. A pergunta que não quer calar: Por que o ex-presidente Lula, que tanto criticou seus antecessores por não terem investido mais em educação, em vez de inaugurar universidades no interior de Pernambuco, e de outros Estados do Norte e Nordeste, não inaugurou escolas públicas de ensino médio de qualidade? Certamente por seu ímpeto de populismo, a opção foi pelo que renderia mais votos. E pior é que sua sucessora está indo no mesmo caminho. O povo merece!

Turíbio Liberatto turibioliberatto@hotmail.com

São Caetano do Sul

*

TUDO PELA VAGA

Com tanta valorização da qualidade do ensino e tanto incentivo sendo dado para quem sempre estudou em escola pública, com cotas em universidades, fica a pergunta: diante disso, quantos políticos colocarão seus filhos nas mesmas escolas públicas?

Maria do Carmo Zaffalon Leme Cardoso mdokrmo@hotmail.com

Bauru

*

COTAS PARA PARDOS

Quero alertar aos que são a favor de cotas para pardos que governar com subjetividade é prejudicial a todo o País. A subjetividade deve ficar para os pequenos grupos, para as relações sociais e pessoais. Definir (se é que vai ser definido) quem é considerado pardo neste país miscigenado não pode ficar restrito à declaração pessoal feita nos censos do IBGE. As cotas deveriam existir, por tempo determinado, para os negros, índios e escolas públicas.

Alberto Moretti ferrari@tavola.com.br

Lavras (MG)

*

ELEIÇÕES AMERICANAS E A NOVA ORDEM MUNDIAL

O que está ficando mais claro é que os interesses dos Estados Unidos estão se voltando quase que inteiramente para a China, o único país capaz de manter os norte-americanos no topo da economia mundial. O restante do que ocorre hoje no mundo passa a ter menor relevância, como se mostrará no futuro, com menos ingerência norte americanas em outras regiões, conflitos, guerras e crises. É muito relevante nesse contexto o fato de que os Estados Unidos estão a caminho da autossuficiência energética, com papel importante do xisto e do gás. Canadá também colaborará para isso, pois é o segundo em crescimento dessa produção de energias no mundo. Não obstante, restarão duas questões para os americanos. Israel e Cuba, continuarão fortemente na agenda interna do país. E Irã será o grande problema que persistirá . É provável que os Estados Unidos se afastem, tanto quanto possível, das outras questões externas, à exceção da Ásia, em virtude da China. Certamente, Barack Obama manterá essa política, ao passo que Mitt Romney aceleraria rupturas com atuais problemas externos. Os Estados Unidos continuarão um país protecionista e quem pensa em modificar essa situação poderá ver que nenhum dos candidatos aprovaria modificações. Não deverão ocorrer alterações importantes nas relações com o Brasil. Entretanto, examinando as analises sobre a economia mundial e a nossa inserção, o que fica claro é que não somos um problema nem uma solução, apenas porque estamos longe demais dos grandes mercados.

Fabio Figueiredo fafig3@terra.com.br

São Paulo

*

SÍRIA, EM QUEM ACREDITAR?

No mês passado, vi diversas fotos feitas em vários locais da Síria por um amigo brasileiro, durante os meses de maio e junho. Nada vi que se parecesse com as fotos mostradas nas reportagens publicadas pelos jornais. Se uma foto vale mil palavras, fica a pergunta: em quem acreditar? Nas agências noticiosas internacionais ou nas singelas fotos de um turista? Fico com as fotos. Não por ser um amigo que as fotografou, mas por retratar algo mais condizente com a índole daquele povo. Por que querem, de qualquer maneira, desestabilizar a Síria? Será porque ela tem água potável? Ou porque querem passar por ela grandes projetos de oleodutos e gasodutos ligando o norte da Arábia à Turquia? Ou, ainda, para "quebrar" um possível eixo xiita Irã-Síria-Hizbollah, formando um crescente salafista, da Arábia à Turquia (lembrar que as repúblicas no entorno do Irã são todas sunitas)? Saibam os que leem estas linhas que a Síria, ao lado do Líbano, é a mais laica de todos os países daquela região. Ao se perguntar a um sírio o que ele é, receberá a resposta: sírio. Não muçulmano xiita ou sunita, nem druso, nem cristão. Apenas sírio. Haja vista a hospitalidade espontânea de seus descendentes mesmo aqui no Brasil. Vá a qualquer entidade da coletividade síria e sinta o carinho com que o recebem. Por que lá, na Síria, seria diferente? Estive duas vezes na Síria e me senti em casa! Povo afável e hospitaleiro, não pode ter se transformado em torturadores e assassinos assim de repente. Quem recebeu 2 milhões de refugiados iraquianos, de repente se transformou em terroristas contra seu próprio povo? Invoco o testemunho de todos os paulistas e, por extensão, dos brasileiros que convivem todos os dias com sírios, libaneses e seus descendentes: por suas atitudes aqui, seriam eles lá tão diferentes? Desde o início do século 20 os sírios e libaneses têm se destacado pelas obras de benemerência. E lá, na terra natal nem sequer eram países livres, pois viviam sob a tutela da Turquia e depois da França. Meus irmãos brasileiros: estamos presenciando mais uma tentativa de holocausto. Hoje, a geopolítica das potências elegeu a Síria, em função de seus interesses. Amanhã, quem sabe? poderão ser nossas riquezas, a começar pela água potável e pela biomassa.

Ricardo Bunemer rbunemer@terra.com.br

São Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.