Fórum dos Leitores

CÂMARA DOS DEPUTADOS

O Estado de S.Paulo

19 Outubro 2012 | 08h44

Gazeta oficial

A Câmara aprovou a semana oficial de trabalho de terça a quinta-feira, o que, na prática, significa que oficializou a gazeta, porque eles nunca trabalham na segunda e na sexta. Com isso mandaram um recado aos brasileiros: "Vocês que trabalham a semana inteira são um bando de trouxas, pois quando precisamos, otários, vocês continuam votando em nós, que desejamos ardentemente trabalhar só em prol de nós mesmos". Mas nós, a população que trabalha honestamente, temos de lutar, para que essa obscenidade não se concretize.

DARCI TRABACHIN DE BARROS

darci.trabachin@gmail.com

Limeira

Redução proporcional

O que era oficioso virou oficial. Agora está tudo resolvido: deputados federais estão desobrigados de comparecer às segundas e sextas-feiras, só precisam estar presentes às sessões de terças, quartas e quintas-feiras. Oficializaram suas jornadas de trabalho (se assim podemos dizer) para apenas três dias por semana. Não seria justa a redução proporcional dos seus polpudos vencimentos? Para qualquer trabalhador, sim. Mas para eles é óbvio que não. Como não poderia deixar de ser, é mais um projeto (de interesse exclusivo das excelências) votado em sessão esvaziada, cuja matéria foi incluída às pressas e, indecentemente, aprovada pelo voto simbólico. O que ainda podemos esperar dessa Casa? Não sei...

JOÃO BATISTA PIOVAN

jbpiovan@gmail.com

Osasco

Estelionato

Oficializada a "vagabundagem" na Câmara. Como todos nós votamos nos deputados federais para que trabalhassem sete dias por semana, S. Exas. agora cometeram estelionato: só vão trabalhar três dias semanalmente. Definição de estelionato: "Obter para si ou para outro vantagem ilícita, em prejuízo alheio, induzindo ou mantendo alguém em erro, mediante artifício, ardil ou qualquer outro meio fraudulento". Dois dias surripiados ao trabalho foi a vantagem obtida por S. Exas. O prejuízo fica para o povo brasileiro, que lhes paga. Como muitos dos 300 picaretas, segundo definição de um ex-presidente da República, não são primários, deveriam ir para a cadeia. Ministro Joaquim Barbosa, olhe aí mais um trabalhinho para o senhor.

REGINA HELENA DE PAIVA RAMOS

reginahpaiva@uol.com.br

São Paulo

Globalização parlamentar

Cuidado, com semana de três dias de "trabalho" e 15 salários por ano, muitos parlamentares estrangeiros vão querer trabalhar em Brasília!

OMAR EL SEOUD

elseoud@iq.usp.br

São Paulo

CÓDIGO FLORESTAL

Vetos

Parabéns à presidente Dilma Rousseff (PT) pelos vetos em defesa das florestas, do meio ambiente e contra os interesses espúrios da bancada ruralista. O Brasil deve proteger suas matas, e não pode ficar refém dos grandes fazendeiros, madeireiros e proprietários de terras. Os ruralistas querem apenas manter seus altos lucros e não estão nem aí para preservação ambiental. Atrasados e conservadores, são responsáveis pelo desmatamento e por graves crimes ecológicos. Felizmente, Dilma vetou artigos que tornariam inviável o Código Florestal, na defesa do meio ambiente e contra os interesses escusos e inconfessáveis dos latifundiários e desmatadores.

RENATO KHAIR

renatokhair@uol.com.br

São Paulo

Conflito

A presidenta Dilma vetou vários artigos do texto aprovado pela Câmara, exarando decreto para restabelecer o quanto desejava na medida provisória modificada pelos deputados da bancada ruralista, especialmente na parte que prevê o reflorestamento nas margens dos rios, obedecendo ao que se convencionou chamar de "efeito escadinha". Sem dúvida, o conflito está armado, porque a bancada ruralista não pode abrir mão do quanto foi aprovado na Câmara dos Deputados, sob pena de homenagear os prejuízos que serão suportados pelos proprietários rurais. Deve-se atentar, ademais, para o fato de que as estatais, por exemplo, não ficam sujeitas à diretriz, caso das hidrelétricas e outras, desobrigadas de recompor as florestas. Parece que a presidenta é muito mais do lado dos ambientalistas, com pretensões injustificáveis, que do lado daqueles que são responsáveis por quase um terço de nosso pibinho (!)...

JOSÉ CARLOS DE C. CARNEIRO

carneirojc@ig.com.br

Rio Claro

DESAFIOS BRASILEIROS

Competitividade

Cumprimento o Estado pela lucidez e objetividade da matéria O Brasil avança, mas ainda está no meio do caminho, de Renato Cruz (15/10). Mais uma vez o nosso Estadão apresenta, com a precisão que o caracteriza, uma questão que preocupa todos nós, brasileiros, que somamos forças e expectativas para ver o nosso país transformar todo o seu conhecido potencial em desenvolvimento e bem-estar. Parabéns por identificar, quase cirurgicamente, os gargalos que nos separam dos primeiros lugares nos rankings internacionais de competitividade. Certamente, enxergá-los com clareza contribui substancialmente para a busca permanente das melhores soluções que nos levem, finalmente, ao novo patamar de crescimento destinado ao Brasil.

KÁTIA ABREU, senadora, presidente da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA)

cna@cna.org.br

Brasília

Sedução e conselhos

Excelente o artigo A disputa do anjinho e do diabinho (de André M. Nassar, 17/10, A2). Apenas trocaria os personagens: diabinhos seduzem com a glória fácil e anjinhos nos despertam para a realidade e aconselham, mesmo que o caminho seja mais árduo.

J. MIGUEL N. SACRAMENTO

miguel.sacramento@gmail.com

São Paulo

PETROBRÁS

Perdas

Gostaria de saber quanto perderam a Petrobrás e o Brasil com a imposição de compras nacionais em seu desenvolvimento. É necessário computar os atrasos no aumento da produção, além dos preços bem maiores. Por suposição, se a produção hoje fosse 300 mil barris/dia maior, seriam dezenas de bilhões. Terá a nova direção da empresa a coragem de abrir tais dados? Evidentemente, estaria na rua no dia seguinte, mas prestaria um serviço fundamental ao País.

ANDRÉ C. FROHNKNECHT

anchar.fro@hotmail.com

Lá como cá

Dilma faz na Petrobrás o mesmo que Hugo Chávez faz na PDVSA.

M. CRISTINA ROCHA AZEVEDO

crisrochazevedo@hotmail.com

Florianópolis

Cartas selecionadas para o Fórum dos Leitores do portal estadao.com.br

A SEMANA DE TRÊS DIAS DOS DEPUTADOS

Após refletir sobre a decisão dos deputados federais de comparecerem ao plenário de terça a quinta-feira, pude compreender que a decisão é acertada, visto que nada fazem permanecendo a semana inteira em Brasília. Esse tempo livre os permitirá acompanhar os municípios que os elegeram e, assim, solucionar problemas crônicos. Ainda melhor será o uso das novas tecnologias para criar um Congresso virtual, onde não será necessária a presença dos deputados em Brasília, economizando milhões em auxílio-moradia, auxílio-paletó, passagens aéreas e outras despesas.

Daniel Marques danielmarquesvgp@gmail.com

Peçanha (MG)

*

FALTA DE VERGONHA, ISSO SIM

Enquanto alguns cidadãos brasileiros, como eu, lutam para moralizar, escrevem aos jornais procuram orientar os mais desavisados sobre a safadeza que tomou conta da política nacional, os deputados federais cada vez mais demonstram que estão em seus postos só "mamando nas tetas" do dinheiro público. Com as desculpas mais esfarrapadas, estão decretando que as votações em plenário somente ocorrerão às terças, quartas e quintas-feiras, desobrigando sua presença às segundas e sextas-feiras. Com tantas reformas para serem feitas através de projetos de lei: a do Judiciário, a trabalhista, a política e outras, os deputados deveriam se envergonhar e trabalhar das 6 horas da manhã até as 21 horas, de segunda a sábado, com presença obrigatória. Coloquem aquele bando de sanguessugas que sustentam em seus gabinetes para atender o público em geral, representá-los em trabalhos externos e fazer levantamentos para coletarem dados para sustentar os projetos que precisam apresentar. Servir a Pátria com dignidade, sem horários, sem medir esforços e sem gazetear, deputado, é a sua obrigação mínima.

Nei Silveira de Almeida neizao1@yahoo.com.br

Belo Horizonte

*

CÂMARA, UM LUPANAR

Às segundas e sextas, as sessões "ordinárias" são agora "vagabundas"...

A.Fernandes standyball@hotmail.com

São Paulo

*

POLÍTICOS E FRALDAS

Essa é uma notícia maravilhosa! Senão vejamos: o pouco, ou o quase nada, realizado pela corja política instalada em Brasília, é feito contra nós, o povo - e ainda dizem ser eles nossos representantes. Havendo mais dois dias para ausência, esses que já muito pouco ou nada fazem farão ainda menos, ou seja, nos prejudicarão bem menos, o que é ótimo para nós, povo brasileiro. Em vista dos acontecimentos ocorridos na capital federal e que ora ocupam espaço nas mídias, revelando à Nação quem são e o que fazem os que dizem nos representar, convém a nós, eleitores, refletirmos e agirmos segundo as sábias palavras de Eça de Queirós: "os políticos e as fraldas devem ser trocados frequentemente e pela mesma razão".

Carlos Nelson Horrocks carloshorrocks@yahoo.com.br

São Paulo

*

EPICENTRO DA CORRUPÇÃO

Se alguém buscar o epicentro da corrupção nacional, o encontrará certamente no Congresso Nacional. É lá que se concentram as maiores negociações espúrias e os grandes beneficiados dos recursos públicos (um congressista brasileiro custa R$ 10 milhões por ano salários, "extras" , mordomias, fora "desvios"), para trabalharem só três dias por semana. É de lá que saem as "emendas" que, via de regra, enchem os bolsos dos parlamentares, seus partidos e suas campanhas políticas. Sabe-se que as grandes negociatas com desvios monumentais de recursos públicos tem seu curso, invariavelmente, cruzando o Congresso Nacional, como demonstra a CPI cachoeira, por exemplo. Grandes lideres como Sarney, Barbalho, Jucá e Calheiros, estão ou foram envolvidos em enormes escândalos que não os maculou dentro da Casa, dados os limites morais e éticos que vigoram no setor. Assim, quando a população ganha esperança de uma melhoria nacional com o fim da impunidade a ser decretada pelo Superior Tribunal Federal, os "nobres" parlamentares dão uma demonstração de suas verdadeiras qualidades "amorais" e seu imenso desprezo pelos interesses nacionais e o "suado" povo. A opinião pública manifestou-se em apoio ao atual trabalho junto ao STF. Está na hora de começarmos a sanear também, e tentar salvar, o Congresso Nacional, onde a corrupção se concentra.

Fabio Figueiredo fafig3@terra.com.br

São Paulo

*

BACANAL

É inacreditável, inimaginável e uma descompostura inigualável o que ocorreu na Câmara dos Deputados em Brasília, onde conseguiram oficializar o "bacanal generalizado", que ela representa. Aprovaram que a semana para eles será de três dias, apenas, ou seja, 3ª, 4ª e 5ª feira, isso quando existe uma infinidade de projetos a votar e discutir em benefício da população brasileira engavetada e esquecida por não ser de interesse dos mesmos e não lhes trazer nenhum benefício, que foi para isso que neles votamos e os pagamos muito bem, por sinal. Isso é o PT trabalhando por você, enquanto isso o País está à deriva no que tange a saúde, segurança, educação, transportes, etc.

Angelo Tonelli angelotonelli@yahoo.com.br

São Paulo

*

A LIMPEZA QUE COMEÇA NO STF

O grande desafio de saneamento da gestão pública entre nós, que o Supremo Tribunal Federal (STF) no julgamento do mensalão está apontando, é darmos continuidade a tal processo de limpeza ético-moral agora em andamento. Para tanto, é necessário quebrarmos a cadeia de cumplicidade entre os elos envolvidos em tais nefastas transações, quebrando os sigilos bancários e fiscais das empresas de fachada, para só assim dar solução a moralidade que tanto necessitamos no trato da coisa pública.

José de Anchieta Nobre de Almeida josedalmeida@globo.com

Rio de Janeiro

*

INFERNO ASTRAL?

José Genoino, Delúbio Soares e Marco Valério estão vivendo um verdadeiro inferno astral. Não bastasse serem condenados pelo STF no julgamento do mensalão, agora são condenados por falsidade ideológica em Minas Gerais. É melhor fechar para balanço!

José Marques seuqram.esoj@bol.com.br

São Paulo

*

COMO JUSTIFICAR?

Quem vai escrever uma carta para o senador Eduardo Suplicy ler na tribuna do Senado, aos prantos, em razão de mais uma condenação do digno, probo e impoluto membro do PT, José Genoíno, quando então deputado, que agora foi condenado pela Justiça Federal de Minas Gerais, por quatro anos, por falsidade ideológica junto com o seu parceiro, Delúbio Soares, já condenados pelo STF por corrupção ativa. Gente de primeira linha dos PeTralhas. De cuja decisão ainda cabe recurso, a ação refere-se a empréstimos fraudulentos do Banco BMG para o PT, dos quais foi avalista, mas obviamente não sabia de nada, claro. O operador do mensalulão e empresário Marcos Valério e outros dirigentes do Banco BMG também já foram condenados a de quatro a sete anos. Será o impossível, como justificar? Que tristeza!

Luiz Dias lfd.silva@2me.com.br

São Paulo

*

BOLSA

José Genoino já foi condenado a quatro anos de prisão em Minas Gerais por falsidade ideológica, totalmente genuíno. José Dirceu se diz preparado para a prisão. Parece que ambos estão pensando no reajuste do Bolsa-Terrorismo.

Vagner Ricciardi vbricci@estadao.com.br

São Paulo

*

LAVAGEM DE DINHEIRO

Se viajar para o exterior num jatinho com sacolas ou malas com dinheiro não é evasão de divisas, então, por favor, me digam o que é evasão de divisas? Lamentável a decisão de alguns ministros do STF em não reconhecer isto. Daqui a pouco vão achar que o ex-ministro chefe da Casa Civil, José Dirceu, não comandava o esquema do mensalão. É, pelo visto parece que estamos caminhando para uma pizza. Como ainda falta estabelecer as penas, pois, por enquanto só há condenação, temo que estas sejam risíveis. A minha bolinha vermelha para colocar na ponta do nariz já está fora da gaveta.

Panayotis Poulis ppoulis46@gmail.com

Rio de Janeiro

*

FORMAÇÃO DE QUADRILHA

O ministro relator da Ação Penal 470, o processo do mensalão, ministro Joaquim Barbosa, relatou a participação de todos os réus em plenário que, conforme a atuação de cada um num mesmo crime, formavam o que os latinos chamavam de concursus delinquentum (crime cometido por mais de uma pessoa), o que ensejou a formação de vários núcleos criminosos. O relator Barbosa, de maneira tão minuciosa jamais vista em um processo criminal, relatou um por um todos os denunciados, com algumas absolvições, com provas irretorquíveis, por várias horas. A conclusão: José Dirceu e Marcos Valério constituem os cabeças da quadrilha do mensalão. Quem viver verá.

Antonio Brandileone abrandileone@uol.com.br

Assis

*

CHEFE DO ESQUEMA

Ao afirmarem que José Dirceu chefiava o esquema do mensalão, estão cometendo uma tremenda injustiça com o "cara"! Agora só falta provar que o Lula e o Zé Dirceu conversavam para que seja feita justiça com o verdadeiro chefe de todos os esquemas do governo Lula.

Mário Barilá Filho mariobarila@yahoo.com.br

São Paulo

*

A ELEIÇÃO EM SÃO PAULO

Os números da pesquisa eleitoral veiculada quarta-feira (17/10) nos dá a dimensão do poder de José Dirceu sobre a militância que aparelha não só a imprensa, como também os institutos de pesquisa. Ele afirmou categoricamente que do resultado do julgamento "ele cuida depois", porque a prioridade agora era ganhar a eleição em São Paulo. Em sã consciência eu vejo os números oferecidos pelo Datafolha e Ibope como muito inflados. São Paulo não está com o PT de maneira como eles querem nos fazer crer, para que as pessoas que só votam em "ganhador" sejam influenciadas. Com isso não quero dizer que estes órgão estejam "comprados" pelo vil metal, não! Estão colaborando porque a militância deles se assenhorou. Ganhar as eleições em São Paulo significa, hoje, a sobrevivência do PT, e toda a máquina governamental está trabalhando no sentido de mantê-lo vivo. Paulistanos, sejamos nós aqueles que, com nosso voto, jogaremos a pá de cal nesta agremiação criminosa!

Mara Montezuma Assaf montezuma.scriba@gmail.com

São Paulo

*

GOSTA?

Se Fernando Haddad, apoiado por Paulo Maluf, procurado pela Interpol em 181 países, cujo "slogan" da sua vida política ficou sendo "rouba mas faz", e pelo ex-presidente Lula, o grande beneficiário do escândalo de corrupção do mensalão, cuja existência acaba de ser comprovada pelo STF, está com uma vantagem de 16% na última pesquisa realizada pelo Ibope e TV Globo, eu acho que a pergunta a ser feita na próxima pesquisa para que a eleição do prefeito da capital paulista fique mais explícita, é: Você gosta de ser roubado?

Victor Germano Pereira victorgermano@uol.com.br

São Paulo

*

BAIXARIA

Mais uma vez a pesquisa Ibope mostra que baixarias e ataques não conquistam o eleitor. O interessante seria um ótimo plano de governo, com propostas e metas a fim de melhorar a qualidade de vida das pessoas.

Rogério Proença Ribeiro roger_fani@hotmail.com

Araras

*

PROJETO DE DIRCEU

A se confirmarem nas urnas os números das últimas pesquisas de intenção de voto sobre a Prefeitura de São Paulo, o que se poderia inferir desse resultado? Uma absolvição do PT, o partido dos mensaleiros condenados pelo STF, como querem alguns petistas ilustres? Claro que não. Fosse assim, nem precisaria existir um poder Judiciário. Bastaria jogar nas costas do povo toda a sorte de decisões sobre processos penais e pronto. Na visão dos petistas, pelo visto, isso seria algo justo. Na visão de pessoas dotadas de três ou mais neurônios, esse seria o sepultamento definitivo do Estado de Direito e a instauração da barbárie. Se Fernando Haddad realmente vencer, essa será mais uma evidência clara de que, a despeito do importante passo institucional dado pelo País por intermédio dos resultados do julgamento do mensalão na Suprema Corte, ainda há um longo caminho a ser percorrido na consumação do efetivo desenvolvimento de conscientização política em nossa sociedade. Ora, é razoável supor que, em qualquer nação civilizada, um partido cuja cúpula fosse alvo de condenações por crimes graves como corrupção ativa sairia desmoralizado de qualquer processo eleitoral que se entremeasse a uma agenda negativa como essa. No entanto, os brasileiros ainda parecem dispostos a depositar seus votos sem levar em conta aspectos éticos e morais dos partidos envolvidos e seus projetos. Nessas horas, não custa lembrar: José Dirceu, o corrupto que chefiou o mensalão (conforme o STF), declarou dias atrás que o que importa para o PT, nesse momento, é vencer a eleição em São Paulo. Qual será o projeto que um homem como Dirceu vislumbra para a cidade?

Henrique Brigatte hbrigatte@yahoo.com.br

Pindamonhangaba

*

DE ONDE SÃO?

Uma pesquisa de opinião publica sobre os candidatos à Prefeitura, para ter credibilidade, deveria conter o porcentual de cada zona pesquisada. Divididas por centro e arrebaldes. Nessa última pesquisa foram entrevistados 1.204 eleitores, de onde são? Gostaria de saber.

Agostinho Locci legustan@gmail.com

São Paulo

*

NOVELA

Os paulistanos parecem que perderam a vergonha que (ainda) tinham. Vão eleger o Sr. Haddad. Mas o que esperar de um povo que dá mais atenção sobre o que vai acontecer com a "Fulaninha" na novelinha "Avenida Afeganistão" do que o futuro de uma cidade que pode ser entregue ao PT (Partido dos Trambiqueiros)? Pelo fim do segundo turno, já!

Marcelo Cioti marcelo.cioti@gmail.com

Atibaia

*

QUE VERGONHA

Paulistana vivendo em Santa Catarina, ri histericamente ao ver que meus conterrâneos vão votar em Fernando Haddad. O que há com o paulistano?! Votar em um elemento do partido envolvido em toda a sorte de falcatruas, cujos dirigentes maiores estão sendo condenados pelo STF a prisão por conta de um esquema de corrupção e roubo de dinheiro público monstruoso em favor do seu partido, é coisa de loucos ou de ignorantes. Não há outra qualificação para quem, docilmente, entrega a sua carteira nas mãos de tunguistas. Que vergonha! Onde vocês estão com a cabeça?

Maria Cristina Rocha Azevedo crisrochazevedo@hotmail.com

Florianópolis

*

CAPAZES DE TUDO

É gente, só as pesquisa$ encomendada$ acreditam no que divulgam, faltam menos de dez dias para as eleições e, pelo andar da carruagem, às vésperas da eleição, Haddad vai estar com 70% e Serra com 20%, estranho não? Mas continuem pesquisando, até nenhum cidadão brasileiro não acreditar mais em pesquisas, é perda de tempo. Até o fundador do PT, o ex-deputado e ex-candidato a presidente em 2010 pelo PSOL, Plinio de Arruda Sampaio vota em Serra e tantos outros, quer mais... O TRE/TSE precisa estar atento ao "mau u$o" das urnas eletrônicas, para evitar surpresas. Autores e protagonistas do mensalulão são capazes de tudo, o STF confirma!

Maria Teresaaral mteresa0409@2me.com.br

São Paulo

*

O VOTO DO PAULISTANO

Saber que Haddad está à frente de Serra apesar do mensalão prova, mais uma vez e definitivamente, que o brasileiro não sabe, mesmo, votar.

Maria do Carmo Zaffalon Leme Cardoso mdokrmo@hotmail.com

Bauru

*

BOM PARA A OPOSIÇÃO

A muito provável derrota de Serra nessas eleições municipais será a maior oportunidade de a oposição brasileira se reerguer e ser de fato uma oposição. Chega de Serra, chega de FHC, chega de Aluysio Nunes Ferreira. Há que se dar chances aos novos tucanos que até hoje não tiveram oportunidades dentro do partido. Prestem atenção. Será ótimo. Quem viver verá.

José Piacsek Neto bubapiacsek@yahoo.com.br

Avanhandava

*

PLÍNIO DE ARRUDA SAMPAIO

Plínio de Arruda Sampaio, fundador do PT e atualmente filiado ao PSOL, entende de política. Segundo suas declarações à Folha: "O Haddad é incompetente. É só ver o estrago que foi esse Enem. Acho péssimo ele estar na frente. Imagina o Lula se ele vencer. O Serra tem seus problemas. Tem um gênio difícil, é meio direitoso, mas é um homem competente". Segundo ainda a matéria disponibilizada no UOL, Plínio Arruda jurou que seguirá a ordem da sigla ao votar (irá anular o voto), apesar de declarar sua preferência ao candidato do PSDB, José Serra. Aposto como ele cruzou os dedos ao jurar.

Maria Carmen Del Bel Tunes carmen_tunes@yahoo.com.br

Americana

*

PLÍNIO CONSERVADOR

Plínio de Arruda Sampaio (PSOL) perdeu uma boa oportunidade de ficar calado ao declarar publicamente seu apoio a José Serra (PSDB) na disputa pela Prefeitura de São Paulo. Pega mal para um partido de esquerda como o PSOL apoiar Serra e o PSDB. Seria bem melhor se Plínio dissesse que ambos são ruins, que nem PT nem PSDB representam os anseios do povo ou mesmo se sustentasse o voto nulo, etc. É uma pena ver pessoas que tiveram um passado digno e de lutas, hoje defenderem posições conservadoras e reacionárias.

Renato Khair renatokhair@uol.com.br

São Paulo

*

A DISPUTA EM SÃO PAULO

O candidato José Serra tem expressado, desde que lançou sua candidatura, que ele é o candidato mais habilitado para trazer mais recursos para cidade de São Paulo. Creio que muito da insatisfação com a administração do atual prefeito se dê porque na época de sua reeleição em 2008 a cidade estava tinindo, também pelos recursos provenientes da onda de exuberância econômica internacional. Também, algo que os partidos de oposição a atual situação tem dificuldade de manter o apoio constante de seus eleitores, sem oscilações em pesquisas e com uma base sólida de votantes, é de proporcionarem mudanças consideráveis sem continuidade ou sem um discurso de gradualidade, conscientização e esclarecimento da necessidade de contenção de mudanças, como exemplos eloquentes o Plano Real e o projeto Cidade Limpa. A expectativa das pessoas após esses projetos é que o poder aquisitivo continue mudando para melhor, que a paisagem continue mudando. Seria adequado, creio, haver alguma compreensão sobre o processo eleitoral de 2010, onde o candidato tucano em nenhum momento hostilizou com o ex-presidente Lula ou com a candidata e atual presidenta onde, por essa razão, está habilitado a trazer a São Paulo uma nova realidade política com intersecção de recursos estadual e federal, além dos recursos municipais. Informar a população onde esses recursos seriam alocados faria a população entender a necessidade dessa solução política. Como também entender o que levou a insatisfação, entre os insatisfeitos, com a administração atual. Algumas sugestões: melhores salários aos professores de ensino fundamental, calçamento das calçadas, construção de mais aeroportos internacionais, no território do município ou da Grande São Paulo, manutenção de pontes, construção de canais subterrâneos para escoamento das águas pluviais, tornar subterrânea a fiação aérea, mais linhas de transporte ferroviário urbano, ou linhas ferroviárias de acesso a cidade, seja até o litoral ou sentido interior, construção de uma nova sede, projeta para ser a prefeitura da cidade, construção de creches, de estacionamentos públicos, aquisição de áreas de entorno de mananciais. Havendo a compreensão do que está colocado, eventualmente se estabeleceria a relação de que a força política do José Serra, uma vez eleito, será tanto maior quanto for a sua votação. São Paulo precisa de união e a união da cidade é um fator determinante inclusive para haver maior flexibilidade sobre o atual consenso social-democrata. Para população paulistana ter espaço para pensar em outras soluções de país. Que nos direcionem à uma economia de mercado, e um mercado brasileiro.

Fernando Correia fernandoecorreia@gmail.com

São Paulo

*

ONDE ESTÁ A COERÊNCIA?

Quando o marqueteiro de Haddad, João Santana, diz chega de tal candidato, vamos mudar, o mesmo não seria aplicado à cidade de Santo André que ficou por doze anos nas mãos do PT e agora quer voltar, trazendo para a prefeitura Carlos Grana, um sindicalista que destruiu as empresas do ABC? Onde está a coerência da argumentação? O atual prefeito, Dr. Aidan, levou quatro anos pagando dívidas deixadas pela administração petista. Basta o eleitor fazer comparações e verá quem reúne melhores condições para administrar a cidade de Santo André. Errar uma vez é humano, persistir no erro é burrice. Eleitor, não jogue seu voto no lixo, ele tem consequências.

Izabel Avallone izabelavallone@gmail.com

São Paulo

*

COMPRA DE VOTOS

Corre a notícia de que a compra de votos pelo PT está indo de vento em popa no ABCD. Eleitores sedentos de uma esmola, ao votar, fotografam com seu celular a tela da urna com o número 13 e depois recebem o dízimo pelo favor prestado. Segundo se sabe muitos eleitores denunciaram o fato, mesmo tendo recebido o dinheiro, do qual são dependentes, mas nada foi feito para coibir tal prática. Sem contar que houve boca de urna o tempo todo no primeiro turno. A polícia foi acionada, mas como apoia o PT fez vistas grossas. A quem recorrer? Se essa picaretagem ocorre em um Estado como São Paulo, dá para imaginar o que não acontece em regiões onde nem a mídia e a imprensa chegam? Está ficando cada vez mais difícil acreditar num processo eleitoral isento. Vale aqui a frase que corre na internet: "Não é a política que faz o candidato virar ladrão. É o seu voto que faz o ladrão virar político". Pense bem antes de votar.

Luciana Lins lucianavlins@gmail.com

Campinas

*

MENTIRA

O ex-presidente Lula aparece na propaganda política atacando o PSDB que alega ser mentiras. Quem é ele, o maior mentiroso que já tivemos, para vir com tais declarações. O pior é que o povo leigo ainda acredita em suas palavras. Taí o mensalão, que ele alega não ter existido, e o STF culpou praticamente toda a cúpula do PT. E esperamos que, futuramente, inclusive ele - o chefe da máfia - seja devidamente julgado culpado.

Laert Pinto Barbosa laert_barbosa@ig.com.br

São Paulo

*

VERDADE

Ai de São Paulo com Haddad... O que há de verdade no time do Lula?! Mensalão?

Luiz Fernando D'Ávila lfd_avila@hotmail.com

Rio de Janeiro

*

PLANO SEM PLANO

Lula, o mais popular dentre todos os presidentes, mesmo com 85% de aprovação, nos últimos dez anos só compareceu a um evento com público heterogêneo - abertura dos Jogos Panamericanos. Diz-se corintiano roxo, mas jamais foi visto no Pacaembu, o que põe em dúvida a altíssima aceitação nas pesquisas (dia 20 de outubro jogam Corinthians x Bahia, embate com uma só torcida, mas, mesmo assim desafio que compareça). Vá e leve seu candidato à Prefeitura. Será uma forma de mostrar de fato o seu apoio ao candidato Haddad, ou será que teme pelas trapalhadas dele no Enem? Haddad em Sampa faz parte do plano de poder de Lula, visto que, nos oito anos na Presidência, foram sem plano de governo.

Humberto Schuwartz Soares hs-soares@uol.com.br

Vila Velha (ES)

*

A CEGUEIRA DELIBERADA

Nenhum homem é uma ilha, um truísmo surrado. Como abstrair da candidatura de Fernando Haddad tudo aquilo que recai sobre seu partido, no episódio do mensalão? Por outro lado, como esquecer os Enens anulados e prejudiciais a milhões de jovens brasileiros? E os livros para os estudantes rurais, recolhidos por erros irreparáveis? Como esquecer as alianças espúrias, inclusive com o Sr. Paulo Maluf? Como não dar importância à escandalosa intervenção do governo federal numa eleição municipal?

Amadeu R. Garrido de Paula amadeugarridoadv@uol.com.br

São Paulo

*

SUGESTÃO

Depois das condenações pelo STF; depois da absurda aliança com um político procurado pela Interpol e já condenado a devolver vários milhões ao erário; depois de tudo o que a mídia vem registrando sobre sua desastrosa e incompetente administração, é inacreditável que alguém ainda possa votar no PT. Penso que atualmente há apenas 2 tipos de adeptos: 1) os que são politicamente analfabetos (ou desinformados); e 2) os que sabem quem eles são, mas... por motivos inconfessáveis, e/ou por ser um deles, não querem largar o osso (filé, seria mais adequado)! Oxalá o opositor consiga, a tempo, sensibilizar os enquadrados no primeiro grupo (pelo menos), de que é inadmissível colocar a cidade de São Paulo nas mãos de um integrante de um partido que saiu dos trilhos (se é que algum dia neles esteve), sem qualquer possibilidade de retorno. Não há luz no fim desse túnel! É inconcebível entregar a chave do cofre para quem vai aprender a gerir a cidade com os mensaleiros, ou um aliado procurado pela Interpol e condenado, em seu próprio país, a devolver grana ao erário. É uma opção de quem não ama a cidade em que vive. Inexiste justificativa aceitável. Vou mais além! Tendo em vista o STF haver dito, com todas as letras, da existência de uma arquitetura de projeto de poder - portanto, um autêntico golpe -, o PT deveria ser considerado um partido proscrito e os seus filiados, por extensão, impedidos de participar in aeternum da vida pública. Mais ou menos como aconteceu com o partido nazista alemão. A propósito, uma diferença notória, entre o julgamento de Nuremberg (que condenou os nazistas) e o do mensalão (que está enquadrando os "companheiros"), é que naquele, S.M.J., um juiz americano, aposentado, foi convocado para presidir o evento. E no nosso, um juiz foi aposentado durante o julgamento. Urge alterar esse regulamento/legislação. É claro que deve haver muita gente pensando nisso. Mas, de qualquer forma, fica a sugestão!

Aldo Colucci aldo@colucci.odo.br

São Carlos

*

BOBAGENS CÍNICAS

Ouvi o Sr. Haddad dizer que quer governar com a camisa limpa da honestidade e que Dona Marta foi avaliada como a melhor ex-prefeita de São Paulo. Como todo petista é um cínico, se ele de fato preza a honestidade, vamos ver se batalhará pela punição partidária aos seus companheiros condenados criminalmente no escândalo do mensalão. E aquela avaliação de Dona Martaxa, da qual ele foi servidor, só pode ter sido resultado de comparação com Erundina e Pitta, que também não conseguiram se reeleger, jamais com prefeitos de alto nível como Faria Lima, Figueiredo Ferraz, Mario Covas e Olavo Setubal. Por favor, Sr. Haddad, poupe-nos de ouvir tanta bobagem.

F. G. Salgado Cesar fgscesar@hotmail.com

Guarujá

*

EM TORNO DO SEGUNDO TURNO

O que apreendemos até agora dos discursos, de seus programas e as reportagens sobre José Serra e Fernando Haddad, que disputam o cargo de prefeito da maior cidade do país e uma das maiores do planeta, é muito pouco em relação ao que nós paulistanos, almejamos. Haddad, enviado especial do ex-presidente Lula, por assim dizer, não demonstra conhecer nossa cidade como se espera de um prefeito. Consta de seu programa que vai destinar verbas para o Metrô, mas sem uma quantificação, fica muito abstrata tal intenção, pois a companhia é estadual e o nosso governador não é do grupo partidário do ex-presidente e do candidato. Ainda tem o agravante de ter o apoio de Paulo Maluf, de triste recordação para a população paulistana. Serra, além do fantasma da renuncia anterior, ainda procura carregar uma mala sem alça, que é o atual prefeito, muito mal avaliado pela população. Não entendo a sua intenção de prosseguir com o projeto de "operações urbanas" acompanhando as linhas da CPTM e do Metrô, pois as composições daqueles trajetos já não conseguem atender os usuários atuais, quanto mais um aumento extraordinário da população em seu campo de influência. Não tem nada especifico sobre a recomposição arbórea da cidade, já que está muito abaixo do preconizado pelas Nações Unidas. Principalmente considerando que na atual administração a sua perda foi considerável em função de obras públicas e as construções de espigões. Além disso, como era previsível, com as autorizações de construções acima do permitido pelo Plano Diretor, o trânsito ficou insuportável nos bairros que tiveram a infelicidade de serem "contemplados" com tais presentes de gregos. No bairro onde eu resido antigamente agradável, hoje virou um espaço de tortura, com o trânsito quase travando de vez. Leva-se uma hora só para conseguirmos sair d o bairro e vai piorar com as futuras obras já autorizadas. Tanto as compensações de obras públicas financiadas pelos empresários como a compensação arbórea são falácias para inglês ver. Poucas mudinhas resistirão à falta de rega e conservação, somadas á depredação por parte da plebe estulta e ignara e assim, no lugar de árvores adultas e frondosas, os paulistanos vão recebendo mudas mirradas que vão levar quinze anos para atingirem a fase adulta, se chegarem lá. O que nos queremos é um planejamento de governo sim, mas com explicações detalhadas tanto quanto o possível, exemplificando as verbas disponíveis para cada um deles, mas a custos estimados com realismo e não simples palavras ao vento.

Gilberto Pacini benetazzos@bol.com.br

São Paulo

*

EUGÊNIO BUCCI E A PAUTA PETISTA

Em que pese minha admiração ao jornalista e colunista deste jornal Eugênio Bucci, penso que ele errou a mão no artigo O candidato Serra e a pauta petista (18/10, A2). Ao pretender fazer a defesa aos profissionais de imprensa, que, de acordo com seu discurso, sempre estão motivados pelo grande fim de melhor informar, em prol da democracia, não mereceriam a reação do candidato Serra diante de certas perguntas. Para o jornalista/articulistas, teriam sido "agressões" a resposta do candidato do PSDB - que a toda evidência não é o candidato da preferência do jornalista/articulista - quando não se faz de "politicamente correto" e desmascara o objetivo do repórter. Ora, profissionais de imprensa também agem de acordo com suas opções ideológicas/partidárias, ou, mais realisticamente, com quem paga seus salários. Por que o candidato Serra não pode desmontar a pergunta, revelando conhecer a vinculação do repórter a uma outra candidatura? Eugênio Bucci, embora tenha tentado negar, ao associar Serra ao presidente truculento do Equador, não estaria ele também a serviço da "pauta petista"? Perguntar não ofende...

Ana Lúcia Amaral anamaral@uol.com.br

São Paulo

*

PROVOCAÇÃO

Concordo com seus comentários sobre o destempero do Sr. José Serra com a imprensa, isso está fora de propósito, mas quero acrescentar algo. A Folha sempre teve uma quedinha pela política petista, então eles provocaram um pouco, na minha opinião. Em tudo que tenho lido, são poucos os jornalistas que escrevem com neutralidade.

Nelson Piffer Junior pifferjr86@gmail.com

São Paulo

*

SERRA E A IMPRENSA

Parabéns ao Estadão pelo inspirado artigo do professor Eugênio Bucci. O José Serra usa o pastor Silas Malafaia para atacar o Fernando Haddad, que não distribuiu uma cartilha contra a discriminação, tendo ele próprio enviado uma similar, quando governador. A ideia da cartilha, por si só, é louvável, o que se condena é o uso político e indevido do tema. Ao invés de discutir os problemas da cidade de São Paulo, o candidato José Serra concentra-se em ataques pessoais e culpa, autoritariamente, a imprensa pelos desatinos cometidos por sua campanha.

Paulo Sergio Fidelis Gomes psf.gomes@ig.com.br

São Paulo

*

DIREITO DOS JORNALISTAS

Num estado de democracia e liberdade o jornalismo tem o direito de fazer todo tipo de pergunta (em forma respeitosa) aos políticos que se candidatam a qualquer cargo. E é direito do candidato de não responder ou de responder em forma evasiva. O eleitor analisa o questionamento e a resposta, e tira suas próprias conclusões. Mesmo assim, temos visto, nestes últimos dias, a reação descontrolada de um dos candidatos com o jornalista que questionou sobre o assunto controverso do "kit-gay". Tomara que seja apenas uma reação temporária, e que a paz entre candidatos e imprensa prevaleça até o dia das eleições do segundo turno.

Enrique López enrique@zeronet.com.br

São Paulo

*

ELEIÇÕES

Ficam cada vez mais explícitos a arrogância de José Serra e seu destempero quando lida com a imprensa em assuntos tortuosos, como bem mostrou Eugênio Bucci em O candidato Serra e as "pautas petistas". Não é à toa que tem sistematicamente abandonado mandatos e perdido eleições na última década. Por outro lado, no mesmo dia Roberto Macedo apresenta interessante proposta de voto distrital, mas que contém a falácia da atuação regional restrita do vereador (A última eleição e o voto distrital, 18/10, A2). Especialmente em São Paulo, os problemas são muito mais complexos e não serão soluções bairristas que trarão algum desafogamento urbano.

Adilson Roberto Gonçalves prodomoarg@gmail.com

Lorena

*

O PIOR DOS MUNDOS

Gostaria de ler um artigo do jornalista Eugênio Bucci analisando as falas do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e seus seguidores quando se colocam contra a imprensa, em geral, acusando-a de golpista e outros epítetos nada lisonjeiros. Será que ele diria que vivemos no pior dos mundos?

Lucília Simões lulu.simoes@hotmail.com

São Paulo

*

LIBERDADE DE IMPRENSA

Na verdade, nenhum país pode ser considerado como optante pelo regime democrático se impede o livre exercício da imprensa ou, ainda, se usa a força e o poder do estado para impedir que a mídia transite livremente pela vida nacional, noticiando, criticando e realizando as apreciações diversas cabentes a uma imprensa livre. Sem dúvida que o Estadão resume muito bem a situação ocorrente na América do Sul (Os inimigos da mídia, 17/10, A3), porque nunca o atual governo da Venezuela poderá dizer que lá se vive em democracia, quando a imprensa é sufocada e arrolhada. Outrossim, para se não falar em outros países, parece que o caso mais grave é o da Argentina, quando se observa que existe uma verdadeira campanha contra a mídia por parte do governo, a ponto de direcionar verdadeira guerra contra o Grupo Clarín. Aliás, a Sociedade Interamericana de Imprensa (SIP) tem atuado bem em seus atos de análise e de críticas aos avanços contra a mídia em diversos países da América do Sul. No Brasil, no entanto, toda vigilância é necessária, a fim de que partidos políticos pseudodemocráticos não realizem o controle da mídia, por meio de expedientes camuflados e mascarados.

José Carlos de Carvalho Carneiro carneirojc@ig.com.br

Rio Claro

*

'INIMIGOS DA MÍDIA'

Muito blá blá blá e pouca coisa de sólido. A questão pura e simples é que estamos na era das pessoas serem mal educadas, mas mais bem informadas, que ocasionou a queda do Muro de Berlin, e está derrubando outros muros de ditaduras, porém, com a grande pergunta: o que colocar no lugar? A grande herança comunista foi esfacelar o instituto da família, que de fato promove a educação, e se pretende hoje transferir isso para as escolas, através dos pedagogos ideológicos, cuja preocupação não é o aluno, mas com as bobeiras que os mestre ensinam. A mídia apenas segue o enterro de "mamar nas tetas do governo", é assim que vive dando notícias como propagandas!

Ariovaldo Batista arioba06@hotmail.com

São Bernardo do Campo

*

CÓDIGO FLORESTAL

Com nove vetos, a presidente Dilma Rousseff sancionou o novo Código Florestal. Com certeza vai ser o marco divisor entre um passado de destruições contra o bioma e o que realmente a população do Brasil espera. Abriu-se um novo caminho, aliás a promessa de campanha foi cumprida, os brasileiros, bem como o meio ambiente, agradecem. O Brasil precisa de mulheres desse quilate.

Arnaldo Luiz de Oliveira Filho arluolf@hotmail.com

Itapeva

*

GÁS INDUSTRIAL INVIABILIZADO

Nenhuma novidade que o alto custo do gás industrial esteja inviabilizado (Valor, página A-16) porque houve aumento de 184,8% nos últimos quatro anos. Entre os 46 países cujo custo do gás industrial é o mais alto no mundo, o Brasil está em oitavo lugar no ranking. Quando o ex-presidente Lulla refez contratos com a Bolívia, aumentando assustadoramente os custos de importação do produto, a imprensa alardeou sobre os custos futuros para esta "bondade". O que fica difícil agora é engolir a desculpa dada pela Petrobrás que seguem apenas o aumento do petróleo, quando na realidade o gás foi reajustado baseado no custo Bolívia, para posteriormente ser anexado ao custo "petróleo"! A Petrobrás se desculpa pelo aumento do petróleo mundial, mas será que a coisa não teve início lá atrás, pela bondade doada pelo ex-presidente Lulla ao seu amigo cocaleiro? Pelas contas, o gás era para ser hoje 84% mais barato, não é?

Beatriz Campos beatriz.campos@uol.com.br

São Paulo

*

BRASIL GOLEIA IRAQUE E JAPÃO

Bastaram duas goleadas seguidas para os "pachecos esportivos" elevarem aos céus o trio Kaká-Neymar-Oscar, já dando como certo que ele fará a redenção do futebol brasileiro. Mas, contra quem foram as goleadas? Um, Iraque, que entende mais de guerras que futebol, e um Japão, especialista em sumô, judô, caratê e iguais. Golear dois países sem qualquer tradição no futebol e ainda no início da aprendizagem desse esporte nada significa, sendo bom lembrar a torcida "galvânica" que na Copa haverá menos "japões e iraques" e em seu lugar estarão Alemanha, Itália, Espanha, França, Inglaterra e uma Argentina. Nesta semana, é mais realista quem assistiu Espanha x França e Alemanha x Suécia. Aqui, o Brasil tem obrigação de ser campeão em 2014, mas, por favor, sem festejar antes, porque foi assim que perdeu as Copas em 2006 e 2010.

Laércio Zannini arsene@uol.com.br

São Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.