Fórum dos Leitores

CORRUPÇÃO

O Estado de S.Paulo

25 Novembro 2012 | 02h11

Operação Porto Seguro

Deflagrada pela Polícia Federal no escritório da Presidência da República em São Paulo, revelou um esquema criminoso com infiltração em diversos órgãos federais. A ex-secretária de Lula, que no passado trabalhou com José Dirceu, recusou-se a colaborar, mas várias pessoas ligadas à estrutura das agências reguladoras foram presas. Não é sem razão que o Brasil está enlameado pela corrupção, pois o julgamento do mensalão parece não ter incutido na consciência das pessoas o nível de responsabilidade. A nesga da impunidade sempre soa forte e resistente. Se naquela entidade havia fraude, o velho ditado "dize-me com quem andas e direi quem és" indica-se apropriado para outro escândalo sem precedentes na República brasileira.

CARLOS HENRIQUE ABRÃO

abraoc@uol.com.br

São Paulo

Abismo moral

As sóbrias e lapidares palavras proferidas por Joaquim Barbosa na sua posse como presidente do Supremo Tribunal Federal (STF) marcaram nitidamente o abismo moral que existe entre os responsáveis pela defesa intransigente do Estado Democrático de Direito e a cúpula petista reunida na véspera da posse do digno ministro em jantar na casa de um deputado do PT (23/11. A9). Há 20 anos o objetivo do lulopetismo, então minoritário no Congresso Nacional, era desmoralizar o Poder Legislativo e seus "300 (deputados) picaretas", segundo Lula. Dora Kramer, em Missão cumprida (A6), didaticamente relata a evolução e as consequências da tática petista e, surpreendentemente, vemos que, cooptados, os "picaretas" de ontem, num passe de mágica, são os aliados políticos de hoje. Apanhados de calça curta na nova estratégia, agora de suborno, não esperavam que o STF, constituído por homens idôneos, fosse capaz de desmascarar a imoral trama que urdiram, na contramão da ética, para consolidar o projeto de continuísmo no poder. O alvo agora é o Poder Judiciário, que tentam desqualificar focalizados na pessoa do desassombrado ministro relator do mensalão. A atitude antidemocrática e subversiva do lulopetismo marxista é a ponta do iceberg que ardilosamente esconde os seus desígnios ditatoriais.

ARNALDO A. FERREIRA FILHO

amado1930@gmail.com

São Paulo

Despropósito

Em jantar entre amigos, José Dirceu alegou que o ministro Joaquim Barbosa o condenou movido pelo ódio. Essa é uma afirmação descabida, agressiva e sem propósito. Dirceu foi julgado consoante as regras da lei penal brasileira. Quem despreza e desrespeita o nosso país são aqueles que cometem crimes de corrupção, lavagem de dinheiro, compra de votos de parlamentares, etc. O que o excelso ministro Joaquim Barbosa tem, sim, é espírito patriótico, de amor pelo Brasil, ao condenar com eficácia, imparcialidade e sem ódio os malfeitores e corruptos de todos os matizes que infestam a sociedade brasileira.

FRANCISCO ZARDETTO

fzardetto@uol.com.br

São Paulo

A grande obra de Lula

A verdadeira grande obra do governo Lula enfim apareceu: foi a escolha de Joaquim Barbosa como ministro do STF. Era tudo o que o Brasil necessitava desde o Descobrimento. O País precisava de alguém que iniciasse o combate e mostrasse ao povo que o câncer da corrupção e da impunidade pode ser controlado. Sempre roubaram nossos impostos, destruindo o sistema de saúde, a educação, a segurança da população, a infraestrutura e outras coisas mais, punindo os brasileiros com tributação excessiva. Por isso e muito mais, acreditamos que algo de novo poderá ocorrer na administração pública do País, desde que cada um dos três Poderes possa ser livre e independente.

VANDERLEI ZANETTI

vanzanetti@uol.com.br

São Paulo

Prisão x direito de expressão

O Estadão de sexta-feira (A9) traz a seguinte declaração do sr. José Dirceu: "Vou para a prisão, mas o direito à palavra ninguém me tira" (sic). O pensamento democrático e honrado do dr. Joaquim Barbosa jamais tiraria do sr. Dirceu o direito à palavra (como quer o PT fazer com a imprensa). Mas também jamais tiraria do povo brasileiro o direito a ver tamanho criminoso atrás das grades. A grandiosidade do dr. Barbosa está na sua luta pela igualdade de direitos: o sr. Dirceu tem o direito de falar, mas preso. E tem mais: o dr. Joaquim Barbosa foi indicado para o STF pelo sr. Lula da Silva, grande amigo e companheiro de Dirceu. Talvez se este senhor se espelhasse no exemplo de vida do dr. Joaquim Barbosa não dissesse tantas calhordices, aprendesse um pouco mais sobre democracia, perdesse um pouquinho do ranço terrorista que carrega embrulhado no papel da soberba e da arrogância e se tornasse um pouco mais humilde, mais Gente (com G maiúsculo). Quem sabe ele parasse de transmitir tanta hipocrisia, tanta falsidade, tanta desfaçatez.

CAIO MARIO BRITTO

caiomario.britto@terra.com.br

São Paulo

'Menas', Zé

Quem deseja calar aos outros é o PT. Não avalie os outros pelo que vocês são. Não se faça de vítima, que você não é. E essa de esquerdista não cola mais, até porque você é capitalista.

NELSON PEREIRA BIZERRA

nepebizerra@hotmail.com

São Paulo

Uso da palavra

Seria oportuno que José Dirceu usasse o direito à palavra para dizer qual foi a importância do Lula no mensalão. É lamentável ver a UNE, representante maior dos estudantes, dando apoio a um condenado pelo STF. Estaria a UNE comprometida com o PT a ponto de rastejar a seus pés? Não seria o caso de perguntar quanto custa/custou e$$e apoio? Acaso não foram os caras-pintadas que ajudaram a depor o Collor? E, agora, UNEm-se a essa espécie de gente? O que esperar dos futuros representantes, se a classe estudantil, provável futura candidata a cargos governamentais, está atolada nesse lamaçal de corrupção?

ALVIM CANDIDO DA FONSECA

teosjb@hotmail.com

São Paulo

Endosso dos 'malfeitos'

Que conhecimento das leis têm os jovens da UNE e da UJS para concluir que houve "politização do julgamento" do mensalão? E o que esperar da "juventude" do PT ao se solidarizar com a corrupção? Sempre tive os jovens como idealistas e me decepcionam, como acredito que a muitos outros, tais endossos dos "malfeitos".

ANDRÉ C. FROHNKNECHT

anchar.fro@hotmail.com

São Paulo

Hall da fama

A corrupção no nosso país atravessou fronteiras e chegou a Hollywood. Na série de TV americana Person of Interest a política brasileira é tachada de corrupta e são citados os partidos envolvidos. Estamos quase famosos!

JOSÉ MARQUES

seuqram.esoj@bol.com.br

São Paulo  

A SAÍDA DE MANO MENEZES

O técnico Mano Menezes, demitido do comando da Seleção Brasileira pela Confederação Brasileira de Futebol (CBF), já vai tarde. Ele não tinha currículo e nem deveria ter entrado. Muito ruim. Mano teve desempenho pífio à frente da Seleção e atrasou a preparação do Brasil para a Copa em dois anos. Andrés Sanchez também deveria sair junto com ele. São pessoas despreparadas e que só atrapalham e prejudicam a nossa Seleção pentamundial na luta pelo hexa, em 2014, aqui, no Brasil. A seleção brasileira é um patrimônio do povo brasileiro e precisa ser tratada com muito mais respeito e competência pela cúpula da CBF, que só pensa em lucros. Agora, que venham Abel, Muricy ou Felipão.

Renato Khair renatokhair@uol.com.br

São Paulo

*

A FILA ANDOU

Alegria para o torcedor que gosta do bom futebol foi a demissão do técnico Mano Menezes. A CBF agiu mais rápido do que imaginava. Mano já estava se achando. Não tem competência para dirigir a Seleção Brasileira. Existem no mercado diversos profissionais mais capacitados. Decisão acertada do presidente da CBF, José Maria Marin. A fila anda, Mano.

Vicente Limongi Netto limonginetto@hotmail.com

Brasília

*

ALGO TINHA DE SER FEITO

A poucos meses da Copa das Confederações, não tínhamos uma seleção. Na década de 60 ou 70, todos sabiam qual era a Seleção Brasileira. Se não conheciam os 11 titulares, pelo menos uns 8 nomes o torcedor acertava. Hoje não. Qual a Seleção Brasileira? Acho que a saída do Mano Menezes do comando da Seleção Brasileira já estava desenhada desde que José Maria Marin assumiu a CBF. Desde que não chamem de novo o Dunga, o Felipão ou o Vanderlei Luxemburgo, qualquer um serve. Eu indicaria o Muricy, mas acho que a escolha recairá sobre o Tite.

Panayotis Poulis ppoulis46@gmail.com

Rio de Janeiro

*

NOVO TÉCNICO

Com a saída de Mano Menezes, provavelmente o novo técnico da Seleção Brasileira de futebol poderá ser Felipe Scolari. Presumo que, isso ocorrendo, corremos o risco de ter uma seleção na segunda divisão do futebol mundial.

Virgílio Melhado Passoni mmpassoni@gmail.com

Jandaia do Sul (PR)

*

PARA NÃO CAIR EM 2014

É melhor o técnico ser demitido agora do que a Seleção cair em 2014, aliás, o time tem apresentado constante irregularidade e um futebol bem aquém do que a consagrou em cinco Copas do Mundo vencidas.

Carlos Henrique Abrao abraoc@uol.com.br

São Paulo

*

O BRASIL FAZ DE CONTA

Mano Menezes nunca foi o meu técnico preferido para estar à frente da seleção, mas aguentar este diretor da CBF, José Maria Marin, um são-paulino declarado envolvido numa grave denúncia na morte do jornalista Vladimir Herzog durante a ditadura militar, também não é nada suportável para estar à frente do comando da CBF. Mas infelizmente, no Brasil, é tudo faz de conta: ninguém vê nada e ninguém sabe de nada.

Eugenio de Araujo Silva Eugenio eugenio-araujo@uol.com.br

São José dos Campos

*

O IMPOSTO DOS SENADORES

Sonegação fiscal com assinatura de congressistas. O fato é incomum, porque não é uma denúncia contra empresários. Os incautos inadimplentes que juram que não vão pagar suas dívidas com o Fisco são os senadores da nossa República. Esses parlamentares vão aplicar um golpe de R$ 11 milhões contra o erário, porque se recusam a saldar o Imposto de Renda (IR) incidente nos 14.º e 15.º salários recebidos de 2007 a 2011. Esses pseudorepresentantes do povo brincam com a Nação, e há muito são grandes sonegadores dos ideais e clamores da nossa sociedade. Como legisladores, escondem-se atrás das múltiplas prioridades, não apresentam projetos relevantes, não fiscalizam o Executivo, preferindo se enlamear nas facilidades oferecidas pelo Planalto. E não é por outra razão que corriqueiramente são cúmplices dos mensalões, dos superfaturamentos, dos Cachoeiras, Deltas, etc., etc. Agora, neste caso do não pagamento do IR, a Receita Federal não deveria aceitar receber essa dívida dos recursos provenientes do Orçamento do Senado. Deveria exigir, até judicialmente, que cada parlamentar faltoso pague com seus próprios recursos (e que sejam lícitos...). Não é assim que funciona com qualquer cidadão brasileiro?! Ou melhor, a Constituição não reza que todos são iguais perante a lei?! O desalentador em mais este episódio é que o péssimo exemplo no Brasil sempre vem de cima. Ou seja, pelos dirigentes das nossas instituições. E, pior ainda, porque entre os senadores temos dois ex-presidentes e outros que já assumiram cargos relevantes da Federação. Mas insistem em desprezar a ética e o bem comum. Coisa de subdesenvolvidos.

Paulo Panossian paulopanossian@hotmail.com

São Carlos

*

COMO EXPLICAR?

Tamanha indignação me causou a notícia de que o Senado Federal colocou na conta dos compatriotas o IR sobre o 14.º e o 15.º salários dos senadores. Quais as classes de trabalhadores que recebem 14.º e 15.º salários? São estes os exemplos que os professores irão expor nas aulas de moral e ética? Caríssimos senadores, uma manobra deste vulto não entra na cabeça de aluno algum. Dizem os Sr. senadores, cidadãos instruídos e com vasta assessoria, que desconhecem a obrigação de pagar o IR.

Manuel José Falcão Pires manuel-falcao@ig.com.br

São Paulo

*

MANOBRAS COM O IR

Primeiro, se todos somos iguais perante a lei, por que o privilégio de 14.º e 15.º salários para os senadores da República? Dinheiro gasto sem nenhum benefício para o povo brasileiro. Segundo, destes salários, não foi descontado o Imposto de Renda de 2008 a 2011, em virtude de os senhores senadores acharem ser isso uma ajuda de custo (de acordo com a legislação trabalhista, criada no Congresso, ajuda de custo é salário, portanto, é tributada). A legislação vigente do Imposto de Renda desde mil novecentos e bolinha diz que “salário” é tributado. Bem entendido: 13.º salário é rendimento tributado exclusivamente na fonte, ou seja, essa retenção não pode ser recuperada, caso seja pago em excesso no exercício (sem restituição). Concluo que sou um idiota e analfabeto de pai e mãe no que se refere à legislação tributária e por não saber escolher melhor no voto meus representantes do nosso rico Brasil. Eu preciso pagar a conta dos nossos funcionários sabidos e pedir desculpas pelo meu analfabetismo, que eles me proporcionam com suas escolas e universidades. E o Dr. Sarney não fala nada?

Elisaldo Mendonça Pereira, contabilista nittida2@gmail.com

São Paulo

*

FARRA VERGONHOSA

Realmente, é errado cobrar IR dos 14.º e 15.º salários dos Srs. senadores, pois na verdade não deveriam nem receber pelos mesmos. Os senhores deveriam é sentir vergonha, coisa que acho que nunca tiveram.

Alessandro Lucchesi timtim.lucchesi@hotmail.com

Casa Branca

*

TRISTE SENADO

Senadores e senadoras, tomem vergonha na cara.

Luiz Nusbaum lnusbaum@uol.com.br

São Paulo

*

AUXÍLIO

Tributar Suas Excelências sobre 14.º e 15.º salários, exigir pagamento de IR atrasado, ora, que violência! É sabido que eles suam diariamente – ou quase – a camisa, justificando a confiança do eleitorado. Portanto, ao invés de discutirmos se as tais verbas são remuneratórias ou indenizatórias, melhor seria aprovar, pragmaticamente, um auxílio desodorante.

Alexandru Solomon Alex101243@gmail.com

São Paulo

*

PRIMAVERA

Confirmando o que os brasileiros pensam dos nossos parlamentares, os senadores recusam-se a pagar o Imposto de Renda sobre ganhos reais. Como sempre, esses senhores acham que devem “viver do Brasil”, e não servir seu país. Assim, antecipam ainda mais o dia em que o povo brasileiro não suportará mais seus políticos e promoverá uma “primavera”, talvez, já que os atuais senadores não têm escrúpulos, ética nem moral para o cargo que ocupam. Não foi para enriquecerem que os elegemos.

Fabio Figueiredo fafig3@terra.com.br

São Paulo

*

VAMOS AGIR!

Precisamos agir mais. Não é justo pagar os impostos para os senadores. Apesar de meus 83 anos, quero fazer alguma coisa. Podem sugerir o que acharem importante. Agradecida.

Maria Helena Silva Sutra de Oliveira mhsdoliveira@yahoo.com.br

Ribeirão Preto

*

FUTEBOL E CARNAVAL

O ato obsceno do Senado, poupando seus integrantes de pagar Imposto de Renda sobre os indecentes 14.º e 15.º salários aumenta ainda mais a rejeição dos brasileiros a esta classe privilegiada. Se os brasileiros se interessassem pelos desmandos dos políticos com o dinheiro dos impostos, a coisa seria muito diferente. Mas, como aqui o que interessa é o futebol e o carnaval, os “malfeitos” continuarão acontecendo. Boas Festas, senhores senadores.

Ademar Monteiro de Moraes ammoraes57@hotmail.com

São Paulo

*

HARMONIA ENTRE OS PODERES

Pois é, nossa Constituição federal afirma que os Poderes são independentes e harmônicos entre si. Enquanto o Poder Legislativo faz farra com o nosso dinheiro, liberando os senadores de pagarem IR de salário extra (14.º e 15.º salários), o Poder Judiciário vai ter de ajoelhar para conseguir a aprovação do reajuste salarial para seus funcionários. Vamos ver até quando vai durar essa harmonia!

Maria Carmen Del Bel Tunes carmen_tunes@yahoo.com.br

Americana

*

DA DITADURINHA PARA A DITADURA

A primeira regra para uma ditadura de fato, e não de “faz de conta”, é soltar as rédeas dos políticos, porque aí se justifica o fechamento das Câmaras de representação, que apenas representam os interesses pessoais de corja de criminosos que se instalam no poder. A “ditadurinha socialista do poder” caminha a passos largos para uma ditadura de fato, não há quem aguente sustentar criminosos vagabundos.

Ariovaldo Batista arioba06@hotmail.com

São Bernardo do Campo

*

MAMATA SACRAMENTADA

O editorial Senado sacramenta a mamata (22/11, A3) escancara a realidade dos nossos (meu não, pois o meu senador não foi eleito) políticos/senadores. Se 1.500.000 ou 2.000.000 de assinaturas podem mudar alguma coisa na nossa Constituição, aqui tem a minha. É uma vergonha o que o Senado acaba de decretar. Se eles resolverem criar 16.º, 17.º... 30.º salários, nós não poderemos fazer nada?

Paulo Corrêa Leite paulocleite@bol.com.br

São Bernardo do Campo

*

NIVELAMENTO

Nivelar o salário de políticos seria o ideal para o País. Tanto para vereadores como para deputados e senadores. Não teríamos tanta exorbitância com o dinheiro público. Não teríamos tanto impostos...

Alberto Nunes albertonunes77@hotmail.com

Itapevi

*

AUMENTOS NA CÂMARA

O deputado Marco Maia (PT-RS) é incoerente. Dias atrás, entrevistado pela mídia, disse que o governo não tinha como dar aumento aos servidores federais. Estranhamente, porém, aumentará a partir de 2013 os salários dos servidores da “Casa” quando os motoristas passarão de R$ 6 mil para R$ 10 mil mensais. “Pau que bate em Chico, bate em Francisco” ou “farinha pouca, meu pirão primeiro”. As demais categorias federais que se danem. Fora os R$ 18 mil que deu de aumento, já a partir deste ano, a seus pares como representação de gabinete. Uma vergonha. Depois querem que os servidores prestem serviços de qualidade à sociedade. Como?

Sebastião Paschoal s_paschoal@hotmail.com

Rio de Janeiro

*

VERGONHOSO

A Câmara em Brasília, presidida por Marco Maia (PT-RS), mais uma vez praticando ato espúrio, rouba a população descaradamente, a única coisa que esse governo corrupto, sujo e nojento soube, faz e continuará fazendo enquanto essa corja estiver no “pudê”. Agora aprovando a elevação dos salários dos servidores de nível médio, praticamente dobrando-os, e chegam a atingir a cifra de até R$ 11.170,92 mensais. E tudo isso foi aprovado em votação simbólica e imediatamente promulgado!

Angelo Tonelli angelotonelli@yahoo.com.br

São Paulo

*

MENSALÃO – DIRCEU QUER FALAR

José Dirceu, em seguidas festas oferecidas por seus amigos diletos (deve ser algo parecido com despedidas de solteiro, um tchau à liberdade), afirma que pode até ir para a prisão, “mas o direito à palavra ninguém me tira”. Zé, se magistrados do calibre do ministro Joaquim Barbosa prosperarem no exemplo dado por ele, pode ter certeza de que, mesmo preso, como vai ficar, poderá falar à vontade. Pior é que você reconhece seu direito constitucional à palavra, mas quer nos tirar a nosso direito de livre expressão com seu controle social da mídia a ser exercido por grupos sociais controlados pelo PT. Sua “coerência” me remete ao velho ditado: “Faça o que mando e não faça o que faço”. Ora, vá se coçar no xilindró!

Mara Montezuma Assaf montezuma.scriba@gmail.com

São Paulo

*

FALA, DIRCEU!

E aí Dirceu, ninguém está tolhendo seu direito de falar; se está faltando incriminar mais alguém da quadrilha, e está, você sabe, não se acanhe, pode falar, pois ainda há tempo; o “jus esperniandi” é livre, mas não venha com esse papo furado de que o relator do mensalão tem ódio de você; pelo que nos consta, a mim e a mais 190 milhões de brasileiros, o Sr. foi, permita-me, condenado por vários crimes e pelos votos de seis ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) a dez anos de reclusão, etc., etc. E então, agora, como ficamos?

Luiz Carlos Cunha luiz.cunha@terra.com.br

São Paulo

*

MELHOR PREVENIR

O condenado pelo STF, ex-ministro da Casa Civil José Dirceu, está preparando um “contra-ataque” político, mobilizando estudantes e deputados do PT para organizar uma infantaria como reação à sua condenação por corrupção ativa e formação de quadrilha. Como entende bem de quadrilha, graduado em Cuba, esse cidadão em liberdade não passa a ser um risco para a sociedade brasileira? Para evitar um mal maior, deve o Judiciário alertar a Polícia Federal e inclusive as Forças Armadas ou deixa como está para ver com fica. É melhor prevenir do que remediar.

Luiz Dias lfd.silva@2me.com.br

São Paulo

*

PRÊMIO NOBEL DA VIGARICE

Vendo José Dirceu opinando sobre tudo, dando palpite em qualquer assunto do momento, com um espaço na mídia dado normalmente a celebridades, até parece que ganhou o “Nobel da Decência, Moral e Bons Costumes”. Que tal a imprensa repensar seu papel na sociedade, indo além do suporte à pilantragem – como fez a Folha quando publicou falas sobre o mensalão não feitas pelo jurista alemão Roxin, dizendo inclusive que ele assessoraria o advogado de Dirceu em sua defesa? Permitir que vigarices propiciem ganho a um condenado, realmente, é de se perguntar qual o propósito deste tipo de veículo e se a ele preocupa a verdade!

Myrian Macedo myrian.macedo@uol.com.br

São Paulo

*

UMA EMENDA À CONSTITUIÇÃO

Se os “nossos” representantes no Congresso Nacional, ouvissem o clamor dos brasileiros mais sensatos, já teriam aprovado uma emenda à Constituição federal, na qual, os crimes de corrupção como o mensalão (o mais nojento desvio de conduta e do dinheiro público da nossa história), esses crimes que agora estão sendo punidos pelo STF, e que em troca recebem considerações desairosas, do PT, de ministros do atual governo e até de ministro do próprio Supremo. Essa emenda passaria a considerar todos esses crimes imprescritíveis. Chega de ficarmos reféns de manobras contra a impunidade. A composição do STF deve ser através de uma eleição direta e não depender mais de aprovação do Senado e tão pouco da nomeação da Presidência da República. (Art. 101 da Constituição). O STF mantém hoje ligações políticas com o Congresso e dependência direta com a presidência da República. Nessa chamada independência dos três poderes, só o Supremo é dependente, e o pior de uma corja de políticos, eleita por nós, mas que só defendem a impunidade e seus privilégios. E, mesmo dependente, quase todos os ministros têm atuado com notória independência!

Roberto Ianelli Kirsten rkirsten@uol.com.br

Amparo

*

PENAS

Conforme publicado pela edição de 22/11 do Estadão, o Supremo Tribunal Federal condenou José Dirceu, ex-ministro da Casa Civil, a 10 anos e 10 meses de prisão e multa de R$ 676 mil; José Genoino, ex-presidente do PT, a 6 anos e 11 meses de prisão e multa de R$ 468 mil e José Roberto Salgado, ex-vice-presidente do Banco Rural, a 16 anos e 8 meses de prisão e multa de R$ 1 milhão. E agora, Josés?

Cláudio Moschella arquiteto@claudiomoschella.net

São Paulo

*

INOCENTES

Cumprimento o senhor desembargador Aloísio de Toledo César (Os inocentes Dirceu e Genoino, 22/11, A2). De forma clara e sucinta fez um resumo da “ópera dos malandros”. As atitudes de alguns próceres da Alta Magistratura não causam estranheza. Mas com certeza causam vergonha e constrangimento aos seus pares.

A.Fernando Ferreira rdseg@terra.com.br

São Paulo

*

COMPANHEIROS

O presidente do PT e deputado estadual, Rui Falcão, recebeu com tristeza a condenação dos companheiros Dirceu, Genoino e Delúbio, no caso do mensalão. Disse que o Superior Tribunal Federal (STF) cometeu injustiça, pois teve pressão da imprensa e política, e que os companheiros não enriqueceram! E que os recursos ou apelações internacionais serão usados para mudar a condenação. Enfim, no PT como nos demais partidos políticos, existem os bons e ruins, honestos e desonestos! Mas diante de todos os fatos, creio que os “companheiros” estarão unidos nos atos ilícitos ate a morte!

Alex Tanner alextanner.sss@hotmail.com

Sumaré

*

A UNE SERVIÇAL

A União Nacional dos Estudantes (UNE), apontada pelo procurador do Ministério Público junto ao Tribunal de Contas da União (TCU), Marinus Marsico, por irregularidades graves em convênios com o governo federal, deveria se explicar por que os R$ 12 milhões destinados à capacitação de estudantes e promoção de eventos culturais e esportivos foi usado na compra de bebidas alcoólicas (cerveja, vinho, cachaça, uísque e vodca) e compra de búzios, velas, celular, freezer, ventilador e tanquinho, etc. Com que moral essa siglazinha vai confrontar o maior Poder da República se tem explicações a dar à justiça? Estariam esses estudantes acima da lei? E será que os estudantes, a classe daqueles que deveria “ler e pensar” são tão cegos a ponto de dar apoio aos mensaleiros que, conforme ficou evidente, compraram consciências desviando dinheiro público para instalar no Brasil um plano de poder à moda cubana? A UNE hoje serviçal já foi melhor quando não se vendia e lutava por ideais democráticos. Pelo visto, tem a mesma culpa no cartório que aqueles que ela se propõe a defender. Seria bom que a investigação sobre o mau uso das verbas destinadas à UNE chegasse ao STF. Naquela casa a justiça tarda, mas não falta.

Izabel Avallone izabelavallone@gmail.com

São Paulo

*

TUDO PELO PODER

A ambição pelo poder não abandona os objetivos de José Dirceu e seus sequazes. Quando ele afirma que se for preso “não deixará de lutar” tem em mente seu plano maquiavélico de conquistar eternamente do poder instalando uma Republica Sindical Socialista que ainda não se concretizou graças à descoberta do mensalão. Para tanto, convoca a UNE, que já esta totalmente desvirtuada dos objetivos pelos quais foi fundada, para uma manifestação claramente contra as instituições de fato a fim de apoiá-lo confrontando as decisões da mais alta Corte do País. Como réu já condenado, ao contrário de se recolher em sua insignificância de cidadão comum que infringiu leis importantes, instiga jovens a zombar das mesmas. Belo exemplo, senhor Dirceu! Como sempre a hipocrisia, o descaramento a falta total da ética republicana continuam a mostrar quem realmente chegou ao poder na era petista.

Leila E. Leitão

São Paulo

*

CARAS-PINTADAS X CARAS DE PAU

A UNE de antigamente foi responsável pelo movimento “cara pintada”. A de hoje, dominada pelo PT, quer lançar o movimento “cara de pau”. Quem te viu, quem te vê...

Ricardo Sanazaro Marin s1estudio@ig.com.br

Osasco

*

A SECA NO NORDESTE

Assisti no noticiário à situação vivida pelos pequenos agricultores e pecuaristas do semiárido nordestino: toda a safra perdida, todo o rebanho morto. Enquanto isso, esse governo corrupto e ideológico continua transferindo recursos públicos para construir estradas na Bolívia, linhas de transmissão de energia no Paraguai, represas no Equador, porto em Cuba, ficar de quatro para a Argentina, além de firmar acordos impraticáveis com o picareta da Venezuela em nome da democracia bolivariana. Tudo isso para não falar das mazelas internas. A pouca vergonha que começa com a roubalheira institucionalizada existente nas obras de construção dos milionários estádios de futebol, o BNDES financiando empresas privadas do Sr. Eike Batista, o estado de calamidade em que se encontram os hospitais da rede pública e a tentativa de calar a imprensa para não mostrar os podres dessa quadrilha que transformou a administração pública em cabide de emprego e está destruindo o país. É hora dos militares da ativa relativizarem o preceito da obediência constitucional... isso enquanto é tempo.

Humberto de Luna Freire Filho hlffilho@gmail.com

São Paulo

*

A INDIFERENÇA QUE MATA

Dá pena e consternação assistirmos às reportagens dos canais de televisão mostrando a desgraça da falta d’água nas comunidades do interior dos Estados nordestinos, principalmente as pequenas propriedades e fazendas de criação de animais. O sertanejo de olhos arregalados mostrando o seu rebanho morrendo de sede, esturricados no chão, como a implorar socorro. Existem três condições básicas para qualquer ser vivo animal sobreviver: 1) ar com oxigênio para respirar; 2) água para beber; e 3) alimento para comer. Até sem roupa, sem banho e sem moradia os animais podem prescindir como o faziam as tribos nômades dos primeiros seres humanos. Desses elementos básicos para a vida, o único que o homem moderno não pode resolver é a carência de ar. Causa-nos perplexidade e preocupação a indiferença dos governantes em resolver ou minorar a desgraça da falta de água no Nordeste brasileiro. Até no semblante dos atingidos pela calamidade nota-se um ar de conformismo aceitando essa situação como se fosse uma coisa normal da natureza ou uma reprimenda do Criador. Não, não e não, países com carência de água muito maior já resolveram o problema em definitivo com recursos e muita tecnologia. Não podemos ficar calados vendo o governador de Ceará construir um “elefante branco” chamado Centro de Eventos, vizinho ao Centro de Convenções, aplicando recursos de quase um bilhão de reais, deixando em aberto uma questão de tão graves consequências para as comunidades do interior, como a ausência de água. A nossa presidenta bem que deveria ir à Europa simplesmente tratar de consultar os israelenses como resolver o problema da falta d’água no Nordeste e, não, dar palpite na briga deles com os palestinos e na crise do euro com os espanhóis.

José Batista Pinheiro batistapinheiro30@yahoo.com.br

São Paulo

*

QUANDO PASSA A ELEIÇÃO...

Gostaria de ver a presidente Dilma percorrendo o Nordeste para ver de perto o que o flagelo da seca está fazendo com as pessoas e com os animais, e, vistoriando o que foi feito com as verbas liberadas para minimizar esse flagelo. Agora, longe das eleições, o povo sofre e o governo está de costas... Uma vergonha! Até quando vamos permitir?

José Carlos Costa policaio@gmail.com

São Paulo

*

ÁGUA NA SECA

A reportagem sobre o método de armazenamento de água para ser utilizada na seca denominado de Base Zero e criado pelo engenheiro José Artur Padilha, na sua fazenda em Pernambuco, é um exemplo de respeito a natureza e seriedade profissional, demonstrando claramente que existem pessoas capacitadas e criativas, e que quando quer realiza. É desta forma que governo e seus comandados deveriam trabalhar. Fica a sugestão para que o engenheiro Padilha seja nomeado ministro da Agricultura ou da seca ou sob qualquer outro título, uma vez que, que a presidente Dilma, cria e muda o comando de tantos ministérios por ineficiência, falcatrua ou por motivo eleitoreiro. Parabéns ao Sr. Padilha, que inclusive tem a firme disposição de capacitar quem estiver interessado. Vamos torcer para que o governo se interesse.

Darci Trabachin de Barros darci.trabachin@gmail.com

Limeira

*

CRISE NO ORIENTE MÉDIO

O excelente editorial “E tudo para quê?” (23/11, A3), ao apontar o equívoco da estratégia de Israel em relação à Palestina, deixa no ar uma séria suspeita sobre a ação de Netanyahu, ao lembrar que ela se dá “sintomaticamente a dois meses das eleições nacionais”. Todos sabemos que o populismo é uma praga: na Venezuela, com Chávez, na Argentina, com a Kirchner, e mesmo no Brasil, com um incontável número de políticos que se utilizam dessa armadilha para enfeitiçar o eleitores. Mas não há forma mais cruel de manipular a opinião pública do que essa tática que tem sido utilizada em Israel desde o célebre passeio de Ariel Sharon pela Esplanada das Mesquitas, que desencadeou a intifada. São votos conquistados à custa de milhares de vidas, o que é absolutamente inadmissível.

Fernando Procópio de Araújo Ferraz procopiof@uol.com.br

São Paulo

*

O SANGUE BANALIZADO

O editorial do Estado toca no ponto nevrálgico do conflito entre israelenses e palestinos ao formular a pergunta “para quê?”. Em geral, os conflitos bélicos têm poderosos motivos, destacadamente econômicos, que os explicam, se não os justificam. Nesta carnificina crônica, não faz sentido afirmar que os territórios da Faixa de Gaza e da Palestina são imprescindível à plenitude do Estado de Israel, salvo para preservar um suposto motivo histórico para a Guerra dos Seis Dias, em verdade direcionada a abalar a influência egípcia na região. Já para os palestinos, esses pequenos nichos territoriais são essenciais; como explicitava Yasser Arafat, são importantes até que para que esse povo tenha lugares onde possam repousar seus mortos. A direita israelense., como todos os extremismos, como é pautado na matéria, faz da obnubilação do racional e da simples crueldade,fundada em excesso defensivo e desprezo pela diplomacia, o jorro do sangue gratuito.

Amadeu R. Garrido de Paula amadeugarridoadv@uol.com.br

São Paulo

*

DEFERÊNCIA

Mantido o cessar-fogo, os coitadinhos dos pacifistas palestinos do Hamas poderão treinar mais um pouquinho para acertar os disparos de foguetes exatamente na cabeça dos famigerados e infiéis terroristas israelenses...

A.Fernandes standyball@hotmail.com

São Paulo

*

SORTE

O Hamas tem sorte o general/herói Moshe Dayan está morto. Moshe Dayan não iria precisar de 6 dias, para afundar Gaza e matar todos os terroristas do Hamas, bastaria uma tarde.

José Francisco Peres França josefranciscof@uol.com.br

Espírito Santo do Pinhal

*

CESSAR FOGO PELO AMOR DE DEUS

Depois de 8 dias de estupidez, Gaza teve 160 mortos e Israel, 6.

Victor Germano Pereira victorgermano@uol.com.br

São Paulo

*

A FARRA DOS FERIADOS

A Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro (Firjan) divulgou estudos em que o excesso de feriados no Brasil causará uma perda de R$ 45 bilhões neste ano baseados somente nos feriados nacionais e estaduais, não estando computados os que são prolongados e que determinam o “enforcamento” de dias úteis entre os finais de semana. Se considerados estes e mais os feriados municipais – como o da Consciência Negra, celebrado terça-feira passada, que causou uma perda de até R$ 1,3 bilhão no PIB da indústria de São Paulo –, este valor pode chegar a mais de R$ 50 bilhões do PIB nacional. Um absurdo para um país pobre como o Brasil. É necessidade premente que o Congresso Nacional proponha um Projeto de Lei (PL) considerando feriado em seus respectivos dias somente os da Independência (7 de Setembro), Natal (25 de dezembro) e o Dia Mundial da Paz (1º de janeiro), como acontece nos países ricos e desenvolvidos. Para os demais feriados, sem exceção – religiosos ou não –, para serem lembrados, ficaria determinado que fossem comemorados sempre aos domingos. Nos de novembro, por exemplo, Finados seria lembrado no primeiro domingo; o da Proclamação da República celebrado no segundo domingo; e o da Consciência Negra no terceiro. O dias 2, 15 e 20 de novembro ficariam próximos de suas respectivas datas e o País sairia ganhando com o aumento do PIB, que é quem sustenta toda uma Nação, todo um povo, que precisa de mais saúde, de muito mais educação, infraestrutura e saneamento. O trabalho é a mola propulsora do progresso e, se o Brasil quiser chegar ao nível dos países do primeiro mundo, um bom começo é acabar com a farra de feriados em todo o País.

José Eduardo Victor je.victor@estadao.com.br

Jaú

*

INCOERÊNCIA

O Estadão de quinta-feira (22/11/2012, A24) reporta a continuidade da incoerente posição do Ministério da Educação, ao excluir as Ciências Humanas do programa de incentivo ao estudo no estrangeiro (Ciência sem fronteira). Para que um programa como esse seja bem sucedido, como mostra a experiência internacional, há que apoiar todas as áreas do conhecimento. A ênfase tecnicista do Ministério lembra a crença ingênua e antipolítica da época da última ditadura (1964-1985): o governo atual não pode seguir o mesmo caminho obtuso. O avanço da educação brasileira passa por uma política democrática, não tecnocrática e excludente, como esta em curso.

Pedro Paulo A. Funari, professor titular e coordenador do Centro de Estudos Avançados da Unicamp ppfunari@reitoria.unicamp.br

Campinas

*

ENEM

Na divulgação do resultado do último Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), “nada de novo debaixo do Sol”, segundo o Eclesiastes. Nas melhores colocações, apenas uma escola pública se posicionou, enquanto que nas primeiras vinte, 6 são do estado de São Paulo. A cada exame para aferição do ensino médio constata-se o abismo em que está mergulhado o ensino fundamental que arremete o aluno ao ensino médio, caminho certo para o ensino superior. O ministro da Educação, Aloizio Mercadante, a exemplo de outros titulares da pasta, diz que estamos melhorando. O fundo do poço é maior ainda se fosse considerado a redação, um verdadeiro desastre entre a maioria dos nossos estudantes. A falta de melhor estrutura na grade curricular faz com que as matérias como Matemática, Química e Física se constitua num terror pânico que leva o estudante nesse exame ao desespero. Mas o governo “sabiamente” já resolveu o problema do ingresso a nível superior com a invenção das cotas, que até mesmo sem ter o segundo grau, o candidato pode ingressar no nível superior. Educação não se consegue a fórceps.Na área da Cultura a ministra “relaxa e goza” institui por decreto o “Vale Cultura” que será distribuído pelos trabalhadores regidos pela Consolidação das Leis do Trabalho (CLT) e com até cinco salários. Esse benefício poderá ser estendido também aos que ganhem mais de cinco salários. A piada vem agora. Esse “galo” deverá ser utilizado na compra de livros, ir ao teatro e outros eventos culturais.Será este o fim da picada?

Jair Gomes Coelho jairgcoelho@gmail.com

Vassouras (RJ)

*

CALAMIDADE

A última divulgação da lista do ranking de desempenho dos colégios no Enem de 2011 apenas realça a situação calamitosa da educação, principalmente no Rio de Janeiro. Como se não houvesse colégios públicos capazes de desempenhos satisfatórios no exame, os colégios privados também não estão conseguindo repetir desempenhos brilhantes de outrora. A luz desta situação, imaginemos se a presidente Dilma não vetar o projeto de lei sobre os royalties do Rio. Não apenas a Olimpíada e Copa do Mundo estariam “subjugadas”, como também a educação não teria mais solução.

Pedro Beja Aguiar pedrobejaaguiar@gmail.com

Rio de Janeiro

*

ESTÁGIO NAS PRISÕES BRASILEIRAS

Quando fiz estágio de pedagogia, tive a grata satisfação de confirmar minhas suspeitas sobre o ensino no Brasil. Muito ruim! Agora alguns “rebeldes” que vacilaram na escalada do poder, vão poder da mesma maneira verificar in loco a qualidade das nossas prisões, em termos de qualidade piores do que as escolas. Ser pobre é padecer no não-paraíso, e os ricos e poderosos poderão agora desfrutar das mesmas regalias que os menos afortunados bem conhecem. É a lei da oferta e da procura!

Maria Inês Teixeira de Mendonça migmendonca1@gmail.com

São Paulo

*

VALE CULTURA

A Câmara dos Deputados aprovou o projeto de lei que cria o Vale Cultura, mas exclui servidores e aposentados. Só faltava essa! Para melhorar a vida do cidadão brasileiro, precisamos melhorar a Saúde, a Segurança e a Educação. Já temos tantos vales, mas nada mais vale, os serviços prestados pelo Estado rico (brasileiro) e democrático, pouco vale. Se o Senado aprovar também estaremos perdidos, pois pelo que me parece, aqui vale tudo, só não vale a cadeia para os corruptos.

Antonio Rochael Jr. antoniorochael@gmail.com

Iguape

*

PANDEMÔNIO

O julgamento do goleiro Bruno e asseclas sobre a morte de Eliza Samudio revela o que virou a justiça brasileira. Artifícios em cima de artifícios estratégicos utilizando-se de brechas e válvulas de escape que foram criadas no curso do tempo, transformaram o julgamento em um pandemônio indescritível, que ao final de adiamentos de datas, separação de réus, trocas de advogados, uma sentença condenatória será definida, mas que os réus acabarão cumprindo as penas em liberdade porque sendo réus primários, salvo Bola, e por já terem cumprido um sexto, outros artifícios inexplicáveis e inaceitáveis que foram criados nestes anos de esfacelamento do judiciário. Razões pelas quais impera a impunidade e a criminalidade está impossível de ser combatida. Colocando tudo isso em cima da mesa, constatamos que a reforma do judiciário é urgentíssima, que deveria ser criado um conselho com poder de decisão formado por cidadãos com nível de intelectualidade comprovado através de concurso público, velhos juristas (a exemplo dos conselhos tribais indígenas), pois deixar apenas nas mãos desses deputados e senadores onde proliferam os Tiriricas e os Jorges Vianas é por demais temerário.

Nei Silveira de Almeida neizao1@yahoo.com.br

Belo Horizonte

*

ADVOGADOS

Assistindo ao julgamento do núcleo Bruno, me faz estarrecer o procedimento dos nobre advogados de defesa, que pela falta de ética se assemelham aos criminosos. Quando é que a OAB vai tomar uma providência?

Maria José da Fonseca fonsecamj@ig.com.br

São Paulo

*

AL DENTE

Macarrão deu com a língua “al dente”.

Percy de Mello Castanho Junior percy@clubedoscompositores.com.br

Santos

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.