Fórum dos Leitores

CALAMIDADE

O Estado de S.Paulo

29 Novembro 2012 | 23h55

A seca no sertão

Dá pena e nos consterna assistir às reportagens na TV mostrando a desgraça da falta d'água nas comunidades do interior dos Estados nordestinos, principalmente nas pequenas propriedades e fazendas de criação de animais. O sertanejo, de olhos arregalados, mostra seu rebanho morrendo de sede, esturricado no chão, como a implorar socorro. E causa-nos perplexidade e preocupação a indiferença dos governantes para resolver ou minorar essa desgraça. Até no semblante dos atingidos pela calamidade se nota um ar de conformismo, aceitando a situação como se fosse coisa normal da natureza ou reprimenda do Criador... Não podemos ficar calados vendo governadores no Nordeste, apoiados pelo governo federal, destruindo e reconstruindo estádios de futebol, construindo centro de eventos e aquário gigante, gastando bilhões de reais e deixando em aberto uma questão de tão graves consequências para as comunidades, como é a seca. Bastaria que nossas autoridades fossem ao Oriente Médio consultar os israelenses sobre como eles resolveram o problema da falta d'água em seu território, numa situação pior que a do nosso Nordeste, e contratar seus técnicos!

JOSÉ BATISTA PINHEIRO

batistapinheiro30@yahoo.com.br

Fortaleza

ROYALTIES

Partilha do petróleo

Não conheço a cidade de Campos (RJ), mas ao saber que recebe R$ 1,2 bilhão (repito: bilhão!) por ano relativo à extração do petróleo fico imaginando que deveria ser um lugar maravilhoso, com escolas de altíssima qualidade, hospitais onde cientistas do mundo inteiro viessem conhecer os mais modernos conceitos da medicina, ruas e parques projetados por paisagistas de nomeada, estradas de acesso com inúmeras pistas, 100% das casas servidas por saneamento básico, toda a população vivendo em moradias de boa qualidade e transporte público de primeira. Mas se sabe que nada disso existe e tais recursos desaparecem, ano após ano, no sorvedouro da burocracia estatal. Vendo as manifestações de várias partes do País pró e contra uma ou outra forma de distribuição, penso com tristeza que só estamos assistindo à luta pelo melhor quinhão do butim e jamais veremos o retorno que todos merecemos.

ALDO BERTOLUCCI

accpbertolucci@terra.com.br

São Paulo

Nada feito

O Rio de Janeiro não fez nada por suas cidades produtoras de petróleo, apesar de ter recebido, até o momento, integralmente seus royalties de Estado produtor. Não há nenhum urbanismo nem saneamento e as favelas se multiplicam incontrolavelmente. As piores cidades fluminenses são exatamente aquelas onde existe a exploração de petróleo.

IRENE SANDKE

irene@frettes.com.br

Curitiba

Pré-sal

Os royalties provenientes da exploração do petróleo do pré-sal têm gerado controvérsias egoístas, que não beneficiam o Brasil. Os Estados e municípios onde estarão as bases de exploração receberão incontáveis melhorias em infraestrutura, em receitas públicas e privadas, e o restante do País arcará com as despesas. A solução para o imbróglio deve primordialmente se pautar na Constituição, na qual o petróleo é considerado um bem da União e, portanto, deve ser repartido igualitariamente entre todos os Estados e municípios. Pois se o Brasil é um país de todos, que o seja efetivamente, não só virtualmente.

DANIEL MARQUES

danielmarquesvgp@gmail.com

Virginópolis (MG)

CORRUPÇÃO

Lula e seus discípulos

Impressionante o poder que Lula tem de formar discípulos. Antes eu pensava que ele só conseguia convencer os menos favorecidos intelectualmente, mas estou pasmo com meu erro. O dr. Roberto Kalil, seu médico, não se lembra se pediu ajuda à amiga de Lula para interceder a favor de sua mãe contra multa da Receita Federal no aeroporto de Guarulhos. Incrível! Bem, pode ser que o pedido tenha sido feito diretamente ao ex-presidente, talvez daí o lapso de memória. Chega a alegar que a multa foi aplicada às 7 da manhã e o banco só abriria às 10 horas e, por estar passando mal seu padrasto, que retornava de Paris, talvez tenha recorrido a um pedido de ajuda do tipo: "O homem está morrendo"... Ora, como eminente médico, se seu padrasto estivesse morrendo, ele pediria ajuda a uma equipe de primeiros socorros. Não seria mais óbvio?

FERNANDO AUGUSTO DE LUCA

fkdeluca@uol.com.br

Botucatu

Silêncio

A pressão da base aliada para que Rosemary Noronha não deponha no Congresso não é obstrução a apuração de crime? Obstrução a que se faça justiça? De que lado estão o governo e a base aliada?

VINICIUS FERREIRA PAULINO

viniciusfpaulino@hotmail.com

São Paulo

Admissão de culpa

Será que os governistas não percebem que, ao tentarem barrar os requerimentos da oposição para ouvir os investigados, estão apenas confirmando que há muita coisa a ser escondida? Essa atitude é confissão de culpa, é admitir que existe muita coisa errada. Se percebem, mas mesmo assim praticam o ato, é falta de vergonha, é deboche para com a população. Se não existe sujeira que possa atingir o Planalto, não há o que temer. Ou tem muito mais?

ALVARO SALVI

alvarosalvi@hotmail.com

Santo André

Pergunta

Será que o "bebê de Rosemary" é a verdade sobre Lula?

CARLITO SAMPAIO GÓES

carlitosg@estadao.com.br

São Paulo

Conselho

Rosemary, lembre-se do Silvinho "Land Rover", ele foi esperto, delação premiada é a salvação!

GUSTAVO GUIMARÃES DA VEIGA

gjgveiga@hotmail.com

São Paulo

Dia do Delator

Proponho tornar 28 de novembro o Dia do Delator. Nessa data o STF considerou que a delação de Roberto Jefferson foi fundamental para descobrir e condenar os beneficiários do maior crime contra a democracia da História do Brasil, o mensalão. Poucos dias antes Cyonil da Cunha delatou outro escândalo de corrupção, este envolvendo tráfico de influência no gabinete presidencial de Lula - e agora de Dilma -, que se mostra pródigo em ligações e cumplicidades. E não esquecendo Pedro Collor, que deu o pontapé inicial no primeiro caso de impeachment presidencial do País. Quantos outros poderemos localizar e incluir na galeria dos contribuintes da Pátria... Em casos como esses, só alguém interno ao esquema pode impedir o seu crescimento, e deve ser incentivado!

GILBERTO DIB

gilberto@dib.com.br

São Paulo

Cartas selecionadas para o Fórum dos Leitores do portal estadao.com.br

JOELMIR BETING

 

O falecimento do jornalista Joelmir Beting, leva o povo brasileiro a uma irreparável lacuna nas páginas de seus jornais e na TV. Inteligente, ele soube, no decorrer da sua carreira profissional, falar e escrever o seu sentimento econômico em prol de um país que procura seu rumo. Meus pêsames sinceros, com grande emoção, aos seus familiares.

Antonio Rochael Jr. antoniorochael@gmail.com

Iguape

*

O ADEUS A UM GRANDE JORNALISTA

A doença fatal calou para sempre a voz do jornalista que entendia de economia como ninguém, mas tinha uma didática especial. Fazia das análises rebuscadas uma tradução leve que qualquer dona de casa era capaz de entender. Quis o destino que mais uma voz se calasse. Descanse em paz, Joelmir, seus ensinamentos ficarão para sempre. Você inovou na linguagem do economês. Quem sabe tenha deixado algum seguidor de suas magnas aulas de Economia.

Izabel Avallone izabelavallone@gmail.com

São Paulo

*

DEIXARÁ SAUDADES

Uma grande perda para todos os brasileiros! Lá se foi o jornalista Joelmir Beting, deixando muita tristeza e um vácuo no jornalismo, principalmente como comentarista econômico. Sua carreira vitoriosa como jornalista se estende desde a Folha, Estadão, diversas rádios, TV Globo, Grupo Bandeirantes e tantos outros meios de comunicação. Seus comentários espirituosos, simples e divertidos, principalmente sobre o dia a dia da economia, tinham um público cativo, entre os quais eu me incluo. Deixa saudades. Certamente, onde estiver, continuará a apresentar seu economês de fácil entendimento. Que Deus o tenha.

Éllis A. Oliveira elliscnh@hotmail.com

Cunha

*

BRILHANTE

Brilhante Joelmir Beting, que aos seus 25 anos já dava palestras sobre conjuntura econômica no Clube Paulistano em São Paulo, às quais tive o privilégio de assistir. Meus sinceros pêsames aos seus familiares.

Jorge de Azevedo Pires jorpires@uol.com.br

Ribeirão Preto

*

A FALTA DE JOELMIR

No momento em que a Nação se orgulha da atuação do Supremo Tribunal Federal (STF) aplicando a lei e tão somente a lei contra os mensaleiros, aquele que sempre foi o porta voz da decência e da ética, denunciando os ladrões do povo, nos deixa. Com seu ar professoral, o sempre sereno, incisivo sem arrogância, sempre pronto a sorrir, o genial jornalista Joelmir Beting, certamente fará muita falta.

Luiz Nusbaum lnusbaum@uol.com.br

São Paulo

*

PENA

Que pena saber da partida de Joelmir, que pena. Só ele para me fazer ouvir ou ler com prazer um comentário seu sobre economia, porque através de suas explicações e de seus bordões ele tornava fácil de entender uma questão para mim sempre difícil. Joelmir ainda vive, pois acredito que a morte não existe para os que jamais serão esquecidos.

Mara Montezuma Assaf montezuma.scriba@gmail.com

São Paulo

*

O JORNALISTA

Joelmir, você foi íntegro, um dos mais lúcidos e responsáveis jornalistas contemporâneos, sempre respeitando a verdade dos fatos sem ser jamais puxa saco dessa corja de safados, ditos "governantes e legisladores" que destroem o nosso país! Que Deus conforte os corações de seus familiares e te tenha ao seu lado em toda a eternidade.

Raimundo Félix Silva rfelixdasilva@yahoo.com.br

Niterói (RJ)

*

DESPEDIDA

Um grande legado deixa Joelmir Beting, para várias gerações de brasileiros nos seus 45 anos de jornalismo, principalmente como comentarista econômico. Atuando tanto no rádio, na TV e no jornal, sabia como ninguém apresentar números sem ser maçante. Prendia atenção de todos mesmo falando, ou escrevendo sobre um tema tão sofisticado e de difícil compreensão como o econômico, porque além da sua objetividade, sua grande marca era a forma irreverente de relatar os fatos. Mas no campo político entrava sua porção cidadão, e em seus editoriais era implacável contra a falta de ética e a corrupção que continua imperando no seio das nossas instituições. Por outro lado, foi um ótimo chefe de família, adorava jogar sua partida de vôlei no Clube Pinheiros, e ainda fazer boas caminhadas. E agora, despedindo-se de todos, faz a mais bela de suas jornadas! Porque certamente será recebido por Deus, lá no céu, com todas as honras de um filho que procurou fazer o melhor pelo seu país...

Paulo Panossian paulopanossian@hotmail.com

São Carlos

*

INSUBSTITUÍVEL

Perdemos Joelmir Betting! As saudades já estão brotando nos corações de brasileiros que o admiravam. Foi o maior "humorista" nos assuntos da Economia e deixa uma lacuna insubstituível. Grande homem, grande brasileiro. Que descanse em paz!

Leila E. Leitão

São Paulo

*

BOAS NOVAS

Com certeza Deus estava com dificuldades para ver soluções para a crise econômica mundial, especialmente na Comunidade Europeia, e o convocou, e nós, pobres mortais, ficamos sem o nosso grande Joelmir Beting. Lá se foi o competente e espirituoso coroinha do Padre Donizette, de Tambaú, mas com certeza, pelas suas enormes contribuições, estará sempre presente entre nós, sendo citado e lembrado a cada momento. Não tenho dúvidas em afirmar que, com ele ao lado de Deus, muita coisa boa podemos aguardar de 2013 em diante para o mundo, e especialmente para o meu e dele Palmeiras!

Carlos Eduardo da Silva Braga carlosbraga@mmol.com.br

Brotas

*

FILHO DE TAMBAÚ

A minha pequena Tambaú está de luto. Joelmir Beting, um dos seus mais ilustres filhos, fez a inevitável viagem de volta. Não o conheci pessoalmente, embora tenhamos feito, com certeza, o então curso primário no mesmo - e único - Grupo Escolar Dr. Alfredo Guedes, provavelmente com os mesmos professores. Como profissional na área da comunicação, sempre mereceu destaque. Sua coluna, seja na Folha, seja no Estadão, era sempre a primeira que eu buscava no jornal. Seus comentários na TV eram, além de objetivos, leves e de fina ironia. Ainda bem que "a morte não mata a vida". E, agora, na dimensão do espírito imortal, ele continuará a sua jornada evolutiva como acontece com todos os seres humanos, aprendendo sempre um pouco mais. Aos seus familiares, votos de muita paz.

Jairo Silvestre dos Santos jairo-silvestre@uol.com.br

Jundiaí

*

OPERAÇÃO PORTO SEGURO

Se não é blindagem que os governistas e aliados do governo federal estão fazendo para que Rosemary Nóvoa Noronha - ex-responsável pelo escritório da Presidência em São Paulo, afastada na esteira da Operação Porto Seguro, da Polícia Federal - não vá depor, poderemos dizer que os manobristas a colocaram numa redoma de vidro e a prova de bala, visto que a moçoila é considerada instável emocionalmente. Leia-se: se abrir o bico, muitas cabeças irão rolar e o estrago será sem precedentes para o governo de Dilma Rousseff, onde assessores e asseclas destes estão envolvidos até o pescoço. Lula, que está envolvido em mais um escândalo e enrascado com a sua protegida, quando a coisa pega fogo, covardemente se escuda atrás de seus asseclas ou, se aparece em público, nega-se a abrir a boca quando questionado sobre o escândalo do momento. Rosemary, como pudemos constatar, pelo que apurou as investigações da PF, não era uma simples funcionária responsável por esse escritório da Presidência da República na capital paulista, ela tinha carta branca do "PR", era assim que se referia a Lula, quando tinha de falar em código e acertar os "mimos" para si em troca de favores aos supostos "subalternos". Tomara que apareça um outro Roberto Jefferson e imploda de vez o esquemão que Lula & quadrilha implantaram desde que assumiram o poder.

Agnes Eckermann agneseck@yahoo.com.br

Porto Feliz

*

MULHER BOMBA

Com tantas mulheres samambaias, peras, melancias e que tais, Lula se aproximou justo de uma mulher-bomba. Que se exploda, cara!

Gilberto Dib gilberto@dib.com.br

São Paulo

*

OS BRAÇOS DIREITOS DO PT

No Brasil o maior problema dos ParTidos de esquerda, quando assumem o poder, é que não conseguem controlar os seus "braços direitos". Exemplos: Zé Dirceu / Waldomiro Diniz / Delúbio Soares / Erenice Guerra / Rosemary Noronha... etc.

Claudio Juchem cjuchem@gmail.com

São Paulo

*

HERANÇA DE LULA

Rose não é flor que se cheire.

Roberto Twiaschor rtwiaschor@uol.com.br

São Paulo

*

ROSEMARY NÓVOA

Até que ponto a vida pessoal e íntima de figuras públicas interessa à sociedade como um todo? Respondo eu: quando suas ações causam efeitos diretos interferindo na vida cotidiana dos cidadãos ou resvalam nas barras da justiça por infringir leis! Sendo assim, acho mais que lícito e justo a luz da melhor das democracias que as relações entre esta senhora de nome Rosemary Nóvoa e seu grande padrinho e protetor, Lula da Silva, sejam apuradas pela Câmara dos Deputados (os nossos inúteis e carésimos senadores mais uma vez abdicaram deste papel!), uma vez que, durante todo o governo Lula (e mesmo depois), esta senhora mandou e desmandou em amplos setores administrativos da República, usando do nome do presidente, inclusive indicando para nomeações pessoas (ex-marido, amigos, a filha, etc.) desprovidas de qualquer estofo técnico para os altos cargos que ocuparam no governo federal e cujas decisões comportavam até mesmo questões de segurança quanto à vida das pessoas, caso da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), e, se isso não causou nenhum efeito mais grave (além do bolso) na vida dos cidadãos, é porque Deus continua sendo brasileiro! Que os deputados não façam como o Senado Federal, que preferiu enfiar a cabeça na lama para evitar a democrática luz do sol...

Paulo Boccato pofboccato@yahoo.com.br

São Carlos

*

BEM PENSADO

Dona Dilma vai extinguir o cargo de chefe de gabinete em São Paulo. Muito bem pensado, assim esse cargo estará isento de qualquer futuro ato corrupto. Dona Dilma deveria extinguir pelo mesmo motivo, alguns ministérios, indicações de companheiros para o primeiro escalão das estatais e instituições e principalmente o cargo de ex-presidente que é o mais influente na sua administração...

Victor Germano Pereira victorgermano@uol.com.br

São Paulo

*

CYONIL

História mal contada essa do Cyonil, o auditor do Tribunal de Contas da União (TCU) que se disse arrependido de ter aceitado propina para redigir um parecer fraudulento e que, por um peso na consciência, procurou a PF para devolver o dinheiro recebido, e fazer um acordo de delação premiada. Para mim, foi muito mais o pavor de ser descoberto, neste país que começa a dar sinais de que a justiça e a punição são possibilidades reais de acontecerem, com a Polícia Federal cumprindo o seu papel, o Ministério Público atuante, e magistrados destemidos e patriotas, como Eliana Calmon e Joaquim Barbosa, enfrentando as forças do mal, por um Brasil melhor.

Ronaldo Gomes Ferraz ronferraz@globo.com

Rio de Janeiro

*

PORTO SEGURO E O PT

Com a desarticulação pela PF de mais uma quadrilha chefiada por amigos do PT o que não e novidade, vem à tona mais um capitulo do mar de lama arquitetado, implementado e gerenciado pelos os amigos indicados pelo o PT. Essas pessoas ocupam cargos que na política são chamados cargos de confiança e, para tanto, a justificativa é a seguinte: "eu preciso trabalhar com pessoas da minha confiança" então o conhecimento técnico e substituído pela amizade política e o resultado não poderia ser diferente, mensalão e agora mais uma organização criminosa. Neste mar de lama tem uma ex aluna que pelo o jeito aprendeu bem a lição, pois teve como professor José Dirceu com quem trabalhou por 12 anos conforme informou este jornal, esta aluna e Rosemary Nóvoa de Noronha. O Ministério Público deveria agir rápido para investigar esta máfia que foram criados pelo o PT, e os pareceres técnicos devem ser todos investigados e se comprovados as irregularidades devem ser cancelados, já os envolvidos se o Ministério Público entrar em ação talvez como foi o mensalão vai demorar uns 6 anos ou mais para ver se vai dar em alguma coisa , por falar em mensalão como será que vai ficar as leis? Que foram aprovadas com compra de apoio políticos dos "professores" da faculdade chamada PT cujo seu reitor vitalício Luiz Inácio Lula da Silva, está montando a equipe do prefeito eleito em São Paulo

Paulo Rodrigues de Moura paulorodriguesmoura@hotmail.com

São Paulo

*

TEORI ZAVASCKI NO STF

Depois de afirmar que o alto grau de transparência demonstrado pelo Supremo Tribunal Federal (STF) com a transmissão ao vivo do julgamento do mensalão pela TV causa desgaste àquela Corte, não causaria surpresa se o novo ministro Teori Zavascki fosse aplaudido por dois outros ministros, Ricardo Lewandowski e Dias Toffoli, que desde o início das sessões no Supremo têm se mostrado nervosos e desgastados com suas posições cada vez mais nítidas a favor da quadrilha que assaltou os cofres do Brasil.

Amâncio Lobo Amancio lobo@uol.com.br

São Paulo

*

SEM CHORO NEM VELA

Na defesa dos acusados e condenados do mensalão, tem ministro do Supremo que já entra teorizando sobre a dureza das penas aplicadas. A nós, os ofendidos pela corrupção que grassou no governo Lula (e continuam no da Dilma), acreditamos que as penas são por demais leves e esperamos que as prisões sejam imediatas e que as multas sejam efetivamente pagas e o dinheiro desviado seja devolvido aos cofres públicos. Sem eufemismos e sem choro e nem vela.

Vitório F. Massoni suporte@eam.com.br

Catanduva

*

A TEORIA DE TEORI

O Sr. Teori Zavascki, novo ministro do STF indicado pela presidente Dilma, já mostra a que veio. Não quer que a população acompanhe os julgamentos naquela Corte, como vem acompanhando até o presente momento. Quer esconder o quê, Sr. Teori?

Alberto Nunes albertonunes77@hotmail.com

Itapevi

*

LUZES

O ministro Teori Zavascki, que tomou posse no STF, ao declarar que o julgamento ao vivo na TV desgasta o STF (28/11), já deixou claro que gosta das luzes dos "holofotes" e não irá desprezar nem a luz da geladeira, se for necessário.

Edgard Gobbi edgardgobbi@gmail.com

Campinas

*

DESGASTE DO STF

Ainda bem que não prospera o gosto individual de um cidadão, inclua-se o gosto do mais novo ministro do STF e que assim sempre seja, porque o que desgasta a imagem de uma instituição são as atitudes dos cidadãos que estão à frente de sua administração. Portanto, não queira V. Excia. ser incluída no rol dos ministros do STF que têm suas ações questionadas pela opinião pública. Com relação à instituição Supremo Tribunal Federal, continua sólida, soberana e cada vez mais próxima do povo, afinal como define a Constituição Brasileira de 1988 em seu Art.1º, Parágrafo Único: Todo o poder emana do povo, que o exerce por meio de representantes eleitos ou diretamente, nos termos desta Constituição.

Paulo César Pieroni pcpieroni@hotmail.com

Campinas

*

MARCHA FÚNEBRE PARA O STF?

O julgamento do processo do "mensalão" começou sob a suspeita geral de terminar sem punição alguma para os réus, mas, depois da atuação de algum dos ministros do Supremo, deu-nos a impressão de que finalmente as coisas mudariam. Qual o que, as penas não são as esperadas e, como são pequenas, os réus têm o direito de cumprir as mesmas em liberdade ou no máximo dormir na cadeia, e começo a duvidar que mesmo isso acontecerá. Pois é, aquilo que começou sob desconfiança total nossa e chegou a um momento em que chegamos a tocar fanfarras comemorando punições que não perdoariam nomes nem cargos, agora, ao chegar ao ralo final, a continuarem essas "punições" de brincadeira, melhor começar a preparar os músicos para tocar a marcha fúnebre para o STF, pelo menos quatro de seus membros a mereceram totalmente. Talvez as coisas fiquem até melhores para os réus com a posse do novo ministro, Teori Zavascki, que, se participar futuramente de julgamento de recursos dos réus do mensalão e levarmos em conta suas atuações anteriores, é mais fácil ele inocentar que penalizar. Também mal assumiu e já diz ser contra as sessões do STF terem transmissões ao vivo, uma transparência que nós, brasileiros, apoiamos totalmente, mas, se ele não gostar, é favor cair fora, pedindo demissão. O País não pode perder uma chance histórica de punir criminosos de forma a servir de exemplo a todos os políticos, desde os maiores que habitam o que chamam de Congresso Nacional (ou, melhor, Esculacho Nacional) e se espalha País adentro, a começar das Câmaras de Vereadores.

Laércio Zanini arsene@uol.com.br

Garça

*

'O INFERNO ASTRAL DA ESTRELA BRANCA'

Eugênio Bucci faz uma apologia do PT em seu artigo "O inferno astral da estrela branca" (29/11, A2). A uma certa altura do artigo, diz que o PT "foi um dos construtores, senão o principal, do Estado de Direito em que hoje vivemos por aqui, a começar da derrubada da ditadura". Ora, como assim, se o PT negou-se a votar na eleição de Tancredo Neves, que nos trouxe de volta a democracia? Negou-se a assinar a Constituição de 1988, o que possibilitou depois tantos avanços sociais, agora atribuídos ao governo Lula. Deixou de mencionar que o movimento das Diretas Já teve como principais articuladores o grande Ulisses Guimarães, o íntegro e idealista André Franco Montoro, Mario Covas, o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, José Serra e tantos outros líderes políticos, além do próprio e saudoso Tancredo Neves, que levavam às praças públicas milhares e milhares de brasileiros no Brasil todo para reivindicar seu direito de viver em um país democrático. Na verdade, coube muito mais a gente ligada ao antigo MDB, depois PMDB, o resgate de nossa democracia e cidadania. O PT teve um papel coadjuvante nessa bela página de nossa história, e não foi José Dirceu quem esteve por trás da logística do movimento Diretas Já. Por favor, por mais que o jornalista Eugênio Bucci seja um eterno e franco adepto do PT é que venha a distorcer a nossa recente história de luta pelo resgate da democracia. Além disso, ao que parece, o que o PT só tem feito foi tentar desconstruir as conquistas feitas durante o período que sucedeu à retomada da democracia. Votou contra o Plano Real, foi contra o Proer, que depois elogiou como se tivesse sido uma invenção sua, demonizou as privatizações que tanto avanço tiveram à nossa economia e que, quando governo, não desfez nenhuma delas, ainda que consiga grudar na mente dos desavisados, que a privatização é algo ruim, quando na verdade, se utiliza dela muito mais do que fez o governo FHC e por aí vai. Acrescente-se a isso o nível de corrupção que estabeleceu como padrão desta década de governo petista, com uma somatória de escândalos como nunca houve na história deste país. Caia na real, Eugênio Bucci, e enxergue a realidade como tem de ser vista e não com um olhar de quem não quer ver o inominável. Toda cegueira ideológica tem limites. A estrela do PT está suja, enlameada porque seus fundadores já continham dentro de si a alma suja, pois ninguém faz o que tem sido feito se já não ser portador de uma sociopatia incurável e que antecedia a chegada ao poder.

Eliana França Leme efleme@terra.com.br

São Paulo

*

EXAGEROU

Eugênio Bucci, no seu artigo "O inferno astral da estrela branca" (29/11, A2), exagerou a importância do PT na construção do Estado de Direito, valendo recordar que esse partido boicotou a constituinte e até mesmo a Carta e 1988 (Constituição Cidadã). Aliás, a estrela original do PT não era branca, mas sim vermelha e seguia o padrão da estrela vermelha das armas da União Soviética e China até 1989, ano do massacre da praça celestial e da queda do muro de Berlim.

Márcio Camargo Ferreira da Silva cfsmarcio@gmail.com

São Paulo

*

ENGANO HISTÓRICO

Creio que deu um branco no jornalista Eugênio Bucci, do qual sou leitor assíduo e admirador de seus escritos. Todavia, lendo seu artigo do Estadão de ontem, fiquei pasmo, pois suas análises sobre o papel do PT, em sua curta vida política, sempre deixou muito a desejar, restringindo-se mais a um sindicalismo oportunista, do que defensor de uma política verdadeiramente republicana. Tomo a liberdade de aconselhar o competente jornalista que corrija, a tempo, seu engano histórico.

Carlos Rolim Affonso profrolim@globo.com

São Paulo

*

RECONSTRUINDO A HISTÓRIA

Fica difícil entender que no mesmo jornal em que Eugênio Bucci (página A2, 29/11) tece loas ao PT enaltecendo a tal "Estrela Branca", tantos outros artigos mostram o que a enaltecida estrela fez e tem feito no poder. Fora o julgamento do mensalão, inúmeras outras denúncias de incompetência administrativa e corrupção, podemos citar uma Refinaria em Pasadena, nos Estados Unidos, comprada pela Petrobrás pagando 28 vezes mais do que valia no mercado. O tal PT de Eugênio Bucci deve explicações principalmente àqueles pequenos investidores que aplicaram seu minguado FGTS na Petrobrás, acreditando que a administração da empresa estaria em boas mãos, e não nas mãos dos incompetentes e corruptos do PT. Provavelmente Eugênio Bucci ainda acredita em Papai Noel, gnomos, fadas e numa tal estrela vermelha como salvadora do Brasil, esquecendo-se de que o PT foi totalmente contra todo avanço que tivemos depois da ditadura militar. Bucci precisa reciclar urgente ou então ele faz parte, assim como a "Comissão da Verdade", de uma reconstrução da história do PT mais bonitinha!

Beatriz Campos beatriz.campos@uol.com.br

São Paulo

*

PT

O historiador liberal Lord Acton, no início do século 19, cunhou a sábia frase: "O poder corrompe e o poder absoluto corrompe absolutamente". O PT, da posse de Lula em diante, parece muito distinto do partido fundado há 32 anos sob os ideais do combate à ditadura militar, da redemocratização do País e da ética na vida pública. Pode-se até dizer, diante de tantos escândalos descobertos, cometidos por seus dirigentes et caterva, que se transformou na mais corruPTa das siglas políticas brasileiras. Hoje em dia, seu símbolo, comentado no artigo "O inferno astral da estrela branca", de Eugênio Bucci (29/11, A2), está mais para estrela cadente sobre fundo vermelho desbotado,tamanha é a teia de malfeitorias em que está envolvido. O partido vermelho - de vergonha!

J. S. Decol decoljs@globo.com

São Paulo

*

OS ROYALTIES DO PETRÓLEO

Nesta questão dos royalties, onde Rio de Janeiro e Espírito Santo são os que mais reclamam, por serem os mais prejudicados, segundo seus governadores, e que as perdas os obrigarão a cancelar programas ou investimentos em melhoria para os cidadãos, até parece que hoje, que recebem sem as reduções propostas, os cidadãos destes estão vivem num Primeiro Mundo, com qualidade de vida. Todos estão satisfeitos. Saúde pública é de primeiríssima qualidade, o transporte público é uma maravilha, as estradas bem asfaltadas e cuidadas, o ensino é digno de Harvard, enfim, os cidadãos destes estados vem retorno dos seus impostos. Até parece também que os Estados/municípios que hoje não recebem royalties, ao passarem a receber proporcionarão melhor qualidade de vida aos seus habitantes. Pois sim. Esperem sentados. Hipócritas. A choradeira é pela perda de outras coisas. É pela perda de parte dos royalties de livre aplicação e que nunca sabemos onde foi aplicada. A culpa deste imbróglio todo está na Constituição, que estabelece a indenização aos Estado e municípios, quando não deveria. Se o meio ambiente ficou afetado em razão da exploração do petróleo, a Petrobrás ou outras empresas deveriam recuperar a área. A lei dos royalties tem de mudar. Em principio não deveria existir, mas já que existe, que a Petrobrás e as empresas exploradoras de petróleo arcassem com os programas ou necessidades das cidades ou Estados. Nada de repassar dinheiro para eles. Outro dia o senador Lindberg Farias (RJ) disse que o Estado do Rio deveria participar dos royalties do Rio Grande do Sul pela carne bovina e do Mato Grosso e Mato Grosso do Sul pela produção de soja. Quanta besteira junta. Melhor tivesse ficado de boca fechada. A que é obrigado o ouvido do cidadão. Mas eu perdoo, é do PT, e genialidade no PT é utopia.

Panayotis Poulis ppoulis46@gmail.com

Rio de Janeiro

*

UNIFICAÇÃO OU NÃO

Muitas vezes só aparentamos ser um país unificado, pois é visível como somos fragmentados pela ambição e a total falta de solidariedade que predomina em alguns governos estaduais. Tudo isso motivado pela disputa da continuação dos lucros advindos do petróleo, o que não era nunca para ter acontecido. Hoje, quando o governo federal quer reparar esse crime econômico que deixou vários Estados muitos anos abandonados no ostracismo de até se sentir um membro de toda essa gleba de terra que forma este magnífico país, levanta-se principalmente um movimento liderado pelo governo do Rio de Janeiro sem aceitar que sejam contemplados com um pedaço da fatia petrolífera os Estados co-irmãos, cria-se vários argumentos para tentar vetar o partilhamento, reclamam perdas enormes de dividendos, mas pergunto-os: "E os Estados que nunca tiveram o que perder?"

Fernando Arábia poeta_arabia@hotmail.com

Gravatá (PE)

*

A PETROBRÁS AFUNDANDO

A matéria sobre o pré-sal ("Um alerta para os riscos do pré-sal", Estadão, 25/11, B10) corrobora as mais pessimistas visões sobre o futuro de nossa produção de petróleo e particularmente, da Petrobrás. Depois de ser "politicamente tomada" no governo Lula a empresa iniciou um enorme aumento no número de projetos, posteriormente cancelados por falta de recursos. Teve, ainda, seu valor em bolsa despencado 27% à partir de 2006 enquanto o Ibovespa ganhou 22%, de realizar um enorme prejuízo acima de R$ 13 bilhões e ainda de não atingir metas, mas, ajudando a fazer o País perder auto suficiência e voltar ao nível de produção de 2008 devido à falta de manutenção de instalações. A Petrobrás encontra-se em fase difícil, sem recursos para operações, que dirá novos investimentos. Nessas condições, como afirmou sua presidente, necessita reduzir drasticamente seus gastos para sobreviver e reajustar seus preços, hoje 30% abaixo dos níveis internacionais. Com a insistência do governo Dilma em postergar reajuste e manter a política de incentivos á venda de carros, anuncia-se um futuro muito difícil para a empresa como para o País. Nossa frota de veículo aumentou 30% desde 2008 e o consumo de combustível (parcialmente importado) quase 60% no período. Foi desastrosa a administração da empresa nos últimos dez anos, comprometendo a exigência de participação de 30% nos investimentos do pré-sal, cuja fase de boa produtividade passou de 2020 para 2030, agora estimada em ocorrer após 2040. A expectativa de autossuficiência energética dos EUA em 2020 deverá derrubar o preço do petróleo, dificultando ainda mais nossa situação, graças ao uso político da Petrobrás e à administração "ideológica" da área de petróleo.

Fabio Figueiredo fafig3@terra.com.br

São Paulo

*

O DESGOVERNO DO BRASIL

Todos os dias, ao abrir o Estadão, só encontro notícias ruins causadas pelo desgoverno da atual administração, que herdou a "herança maldita do Lula". Ao ler o editorial que fala do descalabro da Petrobrás (26/11, A3), fiquei abismado... Isso, sem falar em outros casos escabrosos envolvendo altos funcionários do governo, pessoas de confiança da presidente. E na única notícia boa dos últimos tempos, a posse do ministro Joaquim Barbosa na presidência do STF, a única pessoa descontente era a presidente, com a cara de quem engoliu o sapo indesejado.

Toshio Icizuca toshioicizuca@terra.com.br

Piracicaba

*

AS PERDAS DA PETROBRÁS

Tudo de acordo com os energúmenos comunistas que estão no poleiro, por obra e graça do fajuto PT. A sorte desta raça é que governo quebra, quebra a espinha do próprio povo, por algum tempo apenas.

Ariovaldo Batista arioba06@hotmail.com

São Bernardo do Campo

*

A PETROBRÁS ELÉTRICA

A Eletrobrás, que ensaiava ser a Petrobrás elétrica, está, em postura submissa à Medida Provisória (MP) 579, estudando as medidas de sobrevivência, como analisado no artigo de Fernanda Nunes e Mônica Ciarelli (Estadão digital de 26/11). Dentre as medidas, de saída, as óbvias de redução do quadro de pessoal via incentivos à demissão voluntária e à aposentadoria. Sou aposentado de Furnas e já vi de perto o que isso custa às empresas: perda de capital humano, representado pelos seus melhores talentos, de difícil reposição, e que têm lugar certo no mercado de trabalho. Perda que afetará o desempenho operacional das geradoras e do sistema de transmissão, espinha dorsal do suprimento interligado do Brasil, para não falar da perda de receita e de seus reflexos nos novos projetos e na manutenção. Agora, sim, estão criando os ingredientes para os grandes apagões.

Alan Kardec de Assis Carvalho akjatai@yahoo.com.br

Uberlândia (MG)

*

APAGÃO

Conforme página B4 do Estadão do dia 27/11, lemos que o "setor elétrico sofre apagão na Bolsa". Chegamos à conclusão de que esse é só mais um "apagão" da era Lula & Cia, vamos lá: apagão ético e moral; apagão Petrobrás (queda de produção, prejuízos e provável falta de gasolina no final de ano; apagões reais quase todas as semanas pelo Brasil; apagão no PIB; apagão industrial (queda de produção); apagão (inflação real); apagão; apagão. E a culpa é da mídia e do FHC.

L. A. B. Moraes labmoraes@uol.com.br

Santos

*

SARNEY NO 'FÓRUM DOS LEITORES'

Ontem, o "Fórum dos Leitores" do Estadão teve 90% do seu espaço utilizado pelo grande senador José Sarney, dono do Maranhão, mas eleito pelo Amapá. Por que o nobre senador não aproveitou o espaço, para explicar a censura imposta ao Estadão por sua família, jornal este que abriu espaço para que ele tentasse explicar o inexplicável. Por que ele não aproveitou também, para dizer por que o seu grande aliado de hoje, o PT, se chafurda a cada dia na lama da corrupção? Por favor senador, deixe este espaço para os brasileiros, que não se deixam enganar pela propaganda disfarçada de notícias, deste governo que nós leitores do Estadão sabemos do que é capaz!

José Milton Galindo galindo52@hotmail.com

Eldorado

*

INJUSTIFICÁVEL

Este espaço democrático do Estadão onde podemos emitir nossas opiniões nos enche de orgulho quando até mesmo o Sr. Sarney vem utilizar deste nosso "Fórum", justamente ele e família, que mantêm o Estadão sob censura há mais de dois anos, vêm agora justificar o injustificável, que é a insistência na aprovação de corruptos ligados ao Lula a cargos de grande importância, pelo menos, importantes para manejar recursos públicos em negociatas. Quando pessoas com esta biografia, o apedeuta pensa assim, que o senador tem biografia, não concordo, sua biografia foi sempre estar do lado do governo, fossem quais fossem sua ideologia e princípios, não importa, militar ou civil, qualquer coisa pelo poder. Isso é o que penso, ex-presidente com credibilidade, para mim, somente os que já morreram, não podem mais causar danos ao Brasil.

Jose Mendes josemendesca@ig.com.br

Votorantim

*

MELHOR SE FINGIR DE MORTO

Na minha humilde opinião, é inadmissível que o senhor José Sarney ocupe todo o espaço na coluna "Fórum dos Leitores", para explicar o inexplicável. Refiro-me ao editorial que o jornal O Estado de S. Paulo publicou ("O dono do escândalo") dando conta de como foi a votação no Senado que aprovou um apadrinhado da senhora Rosemary Noronha e que acabou assumindo o cargo de diretor na Agência Nacional de Águas (ANA). É uma explicação totalmente desnecessária, além de muito confusa. Como se esse fosse o seu grande problema no Senado.

?

José Marques seuqram.esoj@bol.com.br

São Paulo

*

VERÍSSIMO

Muito lamentei a triste linha publicada na última página do "Caderno 2" de ontem, dando-me conta de que nosso estimado escritor e cronista Luis Fernando Veríssimo, por conta de seu delicado estado de saúde, não pôde enviar sua sempre esperada crônica das quintas feiras. Que, através deste "Fórum", eu possa externar meus mais profundos votos de uma rápida recuperação para este brilhante contador de divertidas e inteligentíssimas crônicas (e o quadrinho dos domingos).

Floriano Sérgio Pacheco fpacheco3@gmail.com

Águas de Sta. Bárbara

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.