Fórum dos Leitores

ECONOMIA

O Estado de S.Paulo

01 Dezembro 2012 | 02h04

O rei ficou nu

Durante o ano inteiro algumas vozes se levantaram para alertar a respeito do péssimo desempenho da economia do País, que tendia à estagnação. Inserido apenas em 1,5% na economia mundial, o Brasil não sofre fortemente a crise econômica no exterior, embora nosso governo utilize esse argumento para justificar suas incompetências. Nosso ministro da Fazenda, Guido Mantega, alardeava crescimento de 4% para 2012 sabendo que não seria atingido, porque o governo não tomou, para valer, as medidas anunciadas. Tentou apenas tapear a moçada e a comunidade financeira. A única preocupação demonstrada no governo Dilma Rousseff foi com as eleições municipais e, principalmente, com seus desdobramentos para 2014. Diante das evidências apontadas pelo IBGE e da certeza de que em 2013 não cresceremos mais que 1,5%, o rei ficou nu. Ninguém mais acredita.

FABIO FIGUEIREDO

fafig3@terra.com.br

São Paulo

Não foi por falta de aviso

Se o ministro da Fazenda se diz surpreso com o "pibinho" que a "marolinha" está causando, imagine, então, a má surpresa daqueles que deram e ainda dão crédito a essa turma.

LUIZ NUSBAUM

lnusbaum@uol.com.br

São Paulo

Mantega e o PIB

Esse ministro não entende nada de economia, é um despreparado para o cargo. E está destruindo tudo o que foi conseguido pelo Brasil nos governos que antecederam o do Lula. Piada não foi o que o Credit Suisse fez ao projetar, lá atrás, uma expansão inferior a 1,5% para o nosso produto interno bruto (PIB), como disse Mantega. Piada faz o ministro agora, ao se dizer surpreso com esse ridículo crescimento de 0,6% no terceiro trimestre, o que levará o nosso PIB a crescer menos de 1% neste ano.

RONALDO GOMES FERRAZ

ronferraz@globo.com

Rio de Janeiro

Investimentos em queda

O que o Brasil mais precisa para criar condições de crescimento econômico acelerado e sustentável é estimular os investimentos. O ciclo de altas do PIB com base em elevações do consumo das famílias já se esgotou. Qualquer estudante de um curso razoável de Economia sabe disso. Pois bem, o que aconteceu com os investimentos totais no último trimestre? Caíram! O País, que sediará nos próximos quatro anos uma Copa do Mundo e uma Olimpíada, tem rodovias federais que se encontram em avançado estado de decomposição, aeroportos sufocados, portos e ferrovias sucateados, apagões de energia elétrica cada vez mais frequentes, tráfego irrisório de internet móvel... E os investimentos caem! O governo do PT, porém, insiste em edulcorar a realidade: o ministro Guido Mantega fala em transformar os investimentos em carro-chefe da economia. Só agora, ministro? Parece que ele, assim como o titular da Justiça, José Eduardo Cardozo - que afirmou recentemente preferir a morte à permanência nas penitenciárias brasileiras, as quais estão, em grande parte, sob sua responsabilidade -, também não se vexa de assinar o atestado de incompetência da gestão petista, que se arrasta desde 2003.

HENRIQUE BRIGATTE

hbrigatte@yahoo.com.br

Pindamonhangaba

Guinness Club, finalmente

Apurou a Secretaria de Política Econômica do Ministério da Fazenda que a carga tributária no Brasil atingiu o patamar de 35,31%. Um recorde. Que melhoria! Que avanço! Isso é progresso, desenvolvimento. É a superioridade no atingir o pináculo das metas. Os trabalhadores, isto é, os pagadores de tributos e contribuições, choram de alegria com essa notícia, agradecendo pelo ingresso do Brasil no Guinness Club da arrecadação tributária.

PEDRO LUÍS DE C. VERGUEIRO

pedrover@matrix.com.br

São Paulo

Carga tributária

O partido que está no poder há mais de dez anos, quando era oposição, tinha como principal bandeira reduzir a carga tributária do País. Esta, porém, atinge seu maior índice desde que o PT assumiu o comando do Brasil, chegando agora a 35,3% do PIB! Podemos afirmar que "é o PT trabalhando por você e a corrupção dizimando a população"...

ANGELO TONELLI

angelotonelli@yahoo.com.br

São Paulo

Revolta

Cada dia que vou à faculdade e assisto às aulas de Contabilidade fico revoltado: temos uma das maiores cargas de impostos do mundo, que, além de burocrática, é ineficiente, covarde e com tributação focada no consumo...

ROGÉRIO PROENÇA RIBEIRO

roger_fani@hotmail.com

Araras

IRPF 2013

Para que simplificar, se podem complicar? Francamente, não tenho a mínima ideia de como a Receita Federal chegou ao valor de R$ 23.495,15 como limite de isenção da Declaração de Renda Pessoa Física para o exercício de 2013. Podia muito bem simplificar para R$ 23.500 ou R$ 24 mil, seria muito mais fácil para o cidadão contribuinte memorizar.

CARLOS DOS REIS CARVALHO

bigcharles020@gmail.com

Avaré

CORRUPÇÃO

Operação Porto Seguro

Prezado ministro Gilberto Carvalho, o senhor está perdendo uma ótima oportunidade de ficar calado. O seu chefe Lulla falou alguns milhares de atrocidades sobre o mensalão, inclusive que era uma farsa e o Zé não seria atingido. Já sabemos o resultado da "farsa".

A. FERNANDO FERREIRA

rdseg@terra.com.br

São Paulo

Felipão, BB e mensalão

Foi perfeita a declaração do Felipão: "Quem não quer pressão que vá trabalhar no Banco do Brasil", pois reflete a imagem de uma instituição acomodada - a qual se beneficia de favores governamentais por contar com o privilégio de ter como clientes cativos uma quantidade enorme de empresas estatais e órgãos públicos. Se esse banco estatal quiser mudar essa imagem, a primeira atitude é explicar à população brasileira o que está sendo feito de concreto para recuperar os R$ 70 milhões que foram desviados por seu ex-diretor Henrique Pizzolato, da Divisão Visanet, para o mensalão.

CLAUDIO JANOWITZER

cjano@terra.com.br

Rio de Janeiro

Frase infeliz

Felipão, no seu comentário citando uma instituição bancária, ao melhor estilo falastrão de um certo ex-presidente da República, foi infeliz. Deveria ter dito: "Quem quiser moleza que se candidate a um cargo político no Brasil".

LEON DINIZ

leondinizdiniz@gmail.com

São Paulo

 

MERECE UMA CPI

A Operação Porto Seguro, da Polícia Federal, irritou a presidente Dilma Rousseff, que determinou uma varredura no escritório da Presidência da República em São Paulo e na Advocacia-Geral da União (AGU), tendo em vista as irregularidades cometidas naquela repartição. Antes de decidir sobre a punição dos envolvidos, Dilma trocou vários telefonemas com o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, para se informar sobre os “padrinhos” políticos dos envolvidos. Demitiu Rosemary Nóvoa de Noronha, cabeça coroada no escritório. Rosemary, demitida por Dilma, tem forte ligação com Lula e com José Dirceu. A demissão está dando dor de cabeça a criatura e criador. Ambos temem que ela possa implicá-los. Esse episódio mostra o descaramento dos rumos administrativos do governo e a falta de autoridade da presidente que ocupa o cargo por direito, mas Lula é quem governa de fato. Esse escritório em São Paulo servia para encontros de Lula na articulação das eleições municipais e para dar continuidade a corrupção que está no DNA do PT. Isso merece uma CPI. Haja nariz.

Jair Gomes Coelho jairgcoelho@gmail.com

Vassouras (RJ)

*

A PRESIDENTE JÁ SABIA

Assim como Lula sempre soube e arquitetou todo o mensalão, neste mais recente escândalo do lulopetismo corrupto Dilma exonerou todos os envolvidos na Operação Porto Seguro como uma forma de se “isentar” de qualquer responsabilidade dentro deste esquema sujo de corrupção dentro deste desgoverno do PT. Esta atitude de Dilma somente foi um jogo de cena e nada mais! Vai dizer que nunca soube de nada, apesar de Rosemary Nóvoa, indicada por Lula, ser sua chefe de gabinete em São Paulo! As moscas mudam, porém a sujeira continua a mesma em todos os escalões do lulopetismo. No dia em que a Polícia Federal foi até Rosemary Nóvoa, esta descarada ainda ligou para o sem-vergonha recém condenado a 10 anos e 10 meses de prisão José Dirceu pedindo que a ajudasse. Como pode um condenado ajudar uma falcatruenta corrupta? Isso é surreal no mundo em que vivemos, mas no Brasil parece pertencer ao mundo real do PT e seus coligados todos! Lembrando-me do artigo escrito pelo professor Marco Antonio Villa, da Universidade Federal de São Carlos, no dia 11/11 no Estadão, a oposição, caso esta existisse de fato, deveria entrar com um processo de impeachment contra Dilma imediatamente pelos fatos demonstrados neste escândalo. Está mais do que na hora de darmos um basta nas mentiras do PT, que, ao que parece, não têm fim, pois Fernando Haddad, que prometera antes de sua eleição não cobrar mais a inspeção veicular, parece continuará a fazê-lo, e o tal bilhete único mensal foi pura balela. Agora, os que nele votaram que aguentem mais este mentiroso por longos e tenebrosos anos.

Boris G. Becker borisbecker@uol.com.br

São Paulo

*

O AMIGO DIRCEU

Rosemary Nóvoa de Noronha ligou para o ex-ministro José Dirceu pedindo ajuda quando a Polícia Federal iniciou a operação de busca e apreensão em seu apartamento, na Rua 13 de Maio, na Bela Vista, região central de São Paulo. E o Dirceuzinho cara de pau ainda quer a petizada contra o STF?! Conta outra, Dirceu, e se manca, tu tá mais sujo que pau de galinheiro.

Mustafa Baruki mustafa-baruki@bol.com.br

São Paulo

*

ROUPA SUJA

Convenhamos, ninguém é perfeito, mas é inadmissível a tamanha imperfeição de grande parte dos apadrinhados do PT, que aplicaram “ao pé da letra” a Lei do Gerson de levar vantagem em tudo... E estão levando. Tanto é que a ilicitude e a desonestidade imperam. São roubalheiras, fraudes, corrupções, improbidades e todo tipo de desvios do erário que transformaram o País numa imoralidade generalizada. Garantem-se no poder com a compra de votos dos brasileiros mais humildes, por meio de um assistencialismo cativo e propagandas enganosas. E estão conseguindo. É muita “roupa suja” produzida pelo PT para se lavar, não há STF que aguente. A recente Operação Porto Seguro, da Polícia Federal, mostra mais uma nova sujeira federal, com envolvimentos do ex-presidente (mandante) e do condenado pela Ação Penal 470, José Dirceu (chefão/executor) do conhecido mensalulão. Sempre os mesmos... Mas com certeza vão alegar que não sabiam de nada, claro! Onde a Polícia Federal investigar vai encontrar mais desvios, é só procurar que acha!

Luiz Dias lfd.silva@2me.com.br

São Paulo

*

SEMPRE OS MESMOS

Que coincidência, os nomes dos senhores José Dirceu e Luiz Inácio Lula da Silva aparecem em destaque nesse novo escândalo de corrupção, cuja protagonista principal é a senhora Rosemary Noronha, sendo que assessorou o primeiro por 12 anos e que teria sido indicada pelo ex-presidente e mantida por Dilma Rousseff.

José Marques seuqram.esoj@bol.com.br

São Paulo

*

SAI PRA LÁ!

Chamam a atenção essas amizades de Lula, Dilma e Cia. Sempre dizendo-se pegos de calça curta, vira e mexe estão envoltos em escândalos dos bons. Erenice guerra foi colocada na Casa Civil pela amigona Dilma, praticou tráfico de influência, sendo pega e afastada. Rosemary foi posta pelo tio Lula no gabinete da Presidência da República em São Paulo, fraudou pareceres técnicos, foi pega e exonerada. Lula também não sabia de nada sobre seu homem mais direto, José Dirceu, ali, na sala ao lado: Dirceu foi pego e condenado pelo STF. Luís Inácio Adams emplacou o advogado-geral-adjunto da União, José Holanda Alves, com aval de Erenice Guerra, de confiança de Dilma, mais um dentre muitos amigos, pego e afastado. Sem firulas, sem floreios e sem rapapés, para o bem do Brasil, essa turma bem que poderia escolher melhor suas amizades. Ou mantê-las somente na esfera pessoal, bem longe da esfera pública. Escolhem mal os amigos e os 200 milhões de brasileiros é que pagam o pato?

Myrian Macedo myrian.macedo@uol.com.br

São Paulo

*

A FAXINA CONTINUA

Considerando-se a Ação Penal 470, o dito mensalão, e suas penas, e a limpeza em relação aos últimos acontecimentos no escritório da Presidência da República em São Paulo, a presidenta Dilma deve estar se sentindo aliviada com essa “tchurma” longe de seu governo. Será que é uma nova faxina?

José Piacsek Neto bubapiacsek@yahoo.com.br

Avanhandava

*

EXIGIMOS RESPEITO

Temos visto pelos jornais que o ex-ministro José Dirceu tem andado o País para convencer os “cumpanheiros” a fazerem um ato nacional em desfavor do julgamento do mensalão pelo STF. Não é possível que este senhor, depois de tudo que fez e ainda faz (novamente mencionado na Operação Porto Seguro, da PF) ainda tem a cara deslavada de pretender tal ato. Deve a população honesta, trabalhadora, que recolhe seus tributos, ir para a rua

e exigir respeito. Parabéns, STF!

Nilson A. Carreira advcarreira@uol.com.br

Presidente Venceslau

*

VOLTINHA

Sr. Dirceu, ao invés de sair pelo Brasil, antes dê uma boa olhada para o onde você colocou sua carreira política, e aceite uma dica: depois da decisão do STF, que, diga-se de passagem, é muito maior que a sua persona, que ainda quer andar por aí, aproveite o que você já arrecadou e dê, sim, uma volta, não pelo Brasil, mas fora dele. Bom passeio.

Flávio Cesar Pigari flavio.pigari@gmail.com

Jales

*

HIPOCRISIA INFAME

“Lutei pela democracia e fiz dela minha razão de viver”. “Dediquei minha vida ao Brasil, à luta pela democracia e ao PT”. O autor destas frases tão magnânimas, Zé Dirceu, é o mesmo que sugere que é “vítima de uma conspiração contra si e seu partido e de um julgamento injusto” do mais alto tribunal do país, pouco se importando do risco de deslustrar a competência da corte e da integridade de seus membros. A isso se chama amor à pátria?

Luiz Nusbaum lnusbaum@uol.com.br

São Paulo

*

OS CONDENADOS

Considero absurdo o fato de os condenados por diversos crimes no processo do mensalão não se encontrarem já nas galeras. Alguns deles são muito perniciosos, a ponto de colocar em perigo a paz institucional do país. Basta ver Dirceu conclamando a militância petista a se manifestar em sua defesa, pretendendo um julgamento do julgamento, num flagrante desrespeito à Suprema Corte, o STF.

Clea Correa cleacorrea@uol.com.br

São Paulo

*

AS DECLARAÇÕES DE DIRCEU

Não sou assinante do Estadão. Infelizmente. É que me faltaria tempo de ler todo o jornal todos os dias. Seria um desperdício de dinheiro. Mas leio a versão online todo dia e recomendo a todos como o melhor jornal do País. No entanto, o jornal, às vezes, toma umas decisões esquisitíssimas, que vão de encontro ao bom senso, aos princípios que diz defender e, veja só!, aos próprios editoriais. Agora, a decisão mais absurda é tratar José Dirceu como ainda agente político. Pior: agente político relevante. Temos uma oposição raquítica no Congresso. Nunca vi uma manchete do Estadão com os dizeres: “Álvaro Dias critica política protecionista do governo”, ou “Aloysio Nunes critica proposta do governo. X”. Nunca. E isso seria necessário porque a imprensa é o palco da oposição. E ela é necessária. A despeito do último parágrafo, o Estado (e muitos outros jornais concorrentes), ao ficar sabendo que Dirceu falou alguma estupidez (é só o que ele faz), saem a publicar as besteiras que ele fala. A última foi: “Dirceu critica política de segurança de Alckmin”. Digam-me aqui, se a opinião de um quadrilheiro corruptor tem tanta importância, por que ninguém foi ver com Fernandinho Beira-Mar ou com Marcola o que eles pensam do Estado brasileiro, dos sistema prisional e, quanto a Marcola, o que ele pensa sobre a segurança pública de São Paulo, a melhor do País. Eles certamente teriam mais o que dizer do que Dirceu. Muito mais. Marcola, vejam só, discute até filosofia com quem vai falar com ele – como bem sabe quem já deu uma olhada na CPI do Sistema Carcerário. Acho que o Supremo colocou José Dirceu e seu bando nos devidos lugares. Falta agora a sociedade, “representada” pela imprensa, dar a ele um plus na condenação: o ostracismo.

Paulo Murilo B. B. Santana paulorrmm@hotmail.com

São José do Rio Preto

*

ESPERNEANDO

Quanto mais o PT se esperneia contra a decisão do STF em condenar seus parceiros, cooptando a juventude inexperiente na forma de União Nacional dos Estudantes (UNE) e outros, tanto pior, porque nada mudará. A decisão da justiça foi tomada e o STF não voltará atrás. Oxalá não tenham a ousadia de fechar o STF ou tentar calar a imprensa... terão de encarar a Nação frente à frente! Afinal será que PT significa: Partido dos Trouxas?

Alberto Nunes albertonunes77@hotmail.com

Itapevi

*

UNE

Tenho 78 anos de idade. Acompanho a União Nacional dos Estudantes (UNE) desde que foi fundada. Hoje, ela não é mais aquela que brigava pela justiça, pela moral, pela integridade, pelo respeito às leis. Depois que recebeu uns trocados do Lula para reconstrução de seu prédio, incendiado em 1964, aderiu à desordem, abandonou seus princípios próprios, para adotar a filosofia pragmatista utilizada pelo PT, do “depois que chegarmos lá, ninguém mais nos tira do Poder”. Está sendo paga e usada pelo PT para seus desígnios sinistros, dividida entre o caminho socialista russo-cubano e o caminho interesseiro de empregos para a cupinchada. É gente incapaz por todos os órgãos. Meninos da UNE, ponham o cérebro para pensar. Não se percam com pseudolíderes democratas da boca para fora, e, por dentro, pérfidos, desumanos, traidores da Pátria em seus objetivos. José Dirceu, hoje, não é exemplo para ninguém. Dele sobrou só o nome, e este deve acabar na cadeia, pagando pela sua obra máxima - o mensalão, um projeto safado, imoral, corrupto, e mais todos os adjetivos negativos disponíveis no dicionário.

Domingos Perocco Netto dperocco@ig.com.br

Itatiba

*

ROYALTIES PARA A EDUCAÇÃO

Mais um triste dado sobre o Brasil. O ensino educacional está na penúltima colocação no ranking global de educação, entre 40 países. Acompanhando a discussão sobre a distribuição dos royalties do petróleo, vemos que bilhões e bilhões são distribuídos a Estados, municípios e a União e não há melhora na vida do cidadão. Continuamos na mesma. Patinando ou andando para trás. Por que as riquezas do País, petróleo, minério, gás, etc., não revertem em benefícios para o cidadão?

Panayotis Poulis ppoulis46@gmail.com

Rio de Janeiro

*

FÓRUM PESSIMISTA DO ‘ESTADÃO’

Brasil competitivo de que jeito se a infraestrutura ainda precisa atrair US$ 100 bilhões por ano (H2), se retorno sobre investimento ainda é desafio (H3), se debênture em infraestrutura ainda não focou rodovias em 2013 (H3), se o pré-sal ainda exigirá investimento de US$ 93 bilhões (H4), se os projetos de longa prazo ainda dependem de empréstimos de estatais (H4), se fundos de pensão ainda não resolveram investir em infraestrutura (H4), se o País ainda precisa melhorar estrutura econômica (H5), se o mercado ainda não encontrou alternativas de financiamento para grandes obras (H6), se os atrasos frustram demanda por seguro de grandes riscos (H6), se o uso de debêntures incentivadas ainda é limitado embora tenham grande potencial (H7), se a tributação e falta de infraestrutura prejudica a indústria (H7), e se o cartão BNDES, embora abra caminho para o crescimento e represente 70% das operações do banco, ainda é desconhecido pelos empreendedores (H8)? Sem competitividade o País não tem como crescer.

Sergio S. de Oliveira ssoliveira@netsite.com.br

Monte Santo de Minas (MG)

*

BONDES DE NATAL

O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), manifestou na manhã de ontem (sexta-feira) preocupação pela saída temporária de presos concedida pela Justiça no Natal. Segundo o governador, o Estado pretende fazer “um esforço” para debater nova lei federal que divida o número de apenados que recebe o benefício. “Sugerimos que ela não seja feita de uma vez só, mas escalonada”, declarou. Sugiro, então, ao governador que os soltem aos blocos ou em bondes, como se costuma chamar, em função do crime, assim fica mais fácil, bonde dos estupradores, dia 21/12; bonde dos traficantes, dia 22/12; bonde dos pedófilos, dia 23/12; e assim por diante. Tendo as datas e os crimes, será mais fácil para a população encontrar um porto seguro, quem sabe no Palácio dos Bandeirantes.

Jatiacy Francisco da Silva jatiacy@estadao.com.br

Guarulhos

*

VIOLÊNCIA E SEGURANÇA PÚBLICA

Vivemos a pior fase de injustiça social gerada pelo competente estratégia que os petistas adotam para operar o desgoverno em nosso país. Eles viraram a pirâmide social de cabeça para baixo, causando o total desequilíbrio das forças naturais capazes de manter a ordem social entre tamanhas diferenças individuais e grupais, de um país jovem e totalmente heterogêneo quanto a sua origem. O que assistimos hoje é a escola da corrupção servindo de modelo e justificativa para a escalada de violência urbana que se instala em nosso país. Todas as notícias policiais de combate ao crime, que diariamente assistimos e nos causam pânico, na realidade são situações de ladrão fugindo de ladrão. O que muda na realidade são os tipos de armas e as diferentes motivações de roubo. Se tentarmos apenas ouvir um jornal televisionado, não conseguimos distinguir de quais personagens o jornalista está falando; se é dos ladrões civis, ou dos ladrões oficiais. Aliás já cabe até admitir que logo teremos duas redes de jornais distintas, uma para criticar a outra. Se não houver uma mudança de comando para pessoas equilibradas e compromissadas com a responsabilidade social, voltada para propiciar o bem e o respeito para com todas as classes, e acima de tudo, tendo lucidez para ser respeitado e poder impor o respeito necessário para se gerar o equilíbrio e o bem estar de todos; corremos o risco de logo estarmos assistindo aos nossos filhos e nossos netos sendo vítimas da excentricidade da violência aleijando os sonhos que para eles projetamos. Desculpem-me a transparência e objetividade, mas onde está a hombridade das pessoas e das entidades representativas, cuja finalidade deveria ser de zelar pelo bem e pela ordem da vida a começar em sua própria casa?

José Carlos Ribas jcrautomotive@yahoo.com.br

São Paulo

*

A RESPONSABILIDADE DE CADA UM

Sobre o artigo “PCC, fatos e marketing”, de Carlos Alberto Di Franco (Estado, 26/11, A2), é bom esclarecer: ele existe em São Paulo há anos, cresceu nas barbas do PSDB e voltou a atacar policiais, causando pânico ao cidadãos. Como é praxe entre tucanos, e entre seus simpatizantes dentro da imprensa, vão querer atribuir a culpa ao governo federal. Poupem-nos. Ninguém é otário. Se formos por esse caminho, o fracasso da educação pública, da saúde e a corrupção dentro de nosso Estado e da cidade devem-se também ao PT? Que cada um responda por seus atos, acertos e fracassos.

Mara Chagas Mara maracfsmaximo@hotmail.com

São Paulo

*

‘PCC – FATOS E MARKETING’

O problema é constitucional de direitos sem deveres. Os direitos humanos são direitos de quem não têm dever algum de nada, os deveres ficam para quem de fato não tem direito algum. Brizola, um gaucho comunista residente em Uruguai, institucionalizou a bandidagem no governo para se eleger, por conta da ideologia socialista do poder, associado evidentemente com a bandidagem do “pudê”! Quando pencas de advogados ficam de plantão nas delegacias e fóruns para defender bandidos contra cidadãos como “arautos dos direitos humanos”, legalmente escorados por leis de araques, o que se pode esperar da questão da segurança? Existe algum partido político cuja origem não é socialista ou coronelista do “pudê”? E estamos admirados que a bandidagem esteja inclusive, empoleirada nos governos, que faz leis e como cumpri-las? Na década de 60, o crime tinha assumido proporções semelhantes às atuais, principalmente na zona sul de São Paulo, até que a política também assumiu seus brios, como nosso atual STF, e através do famigerado Esquadrão da Morte, acabou com a bandidagem em alguns meses. Hoje, uma bala perdida numa troca de tiros com os bandidos é crime da polícia se for constatado sair de suas armas, se for da arma do bandido, tudo bem, o bandido tem porte de arma garantido pela ordem do poder ou do “pudê”! Os advogados estão aí para isso, com OAB e tudo o mais. A polícia não sabe quem são os bandidos e onde estão? É claro que sabe, mas se trabalhar de fato, muito político cabeludo virará presunto também, ainda que bem tarde!

Ariovaldo Batista arioba06@hotmail.com

São Bernardo do Campo

*

JUSTICEIROS

É triste saber que 43% dos paulistanos defendam a impunidade para os justiceiros da Polícia Militar (PM). É um bom retrato do crescente fascismo da sociedade em que vivemos. Vítimas do medo, da ignorância e sem noção básica de respeito aos direitos humanos, boa parte dos paulistanos aprova que policiais militares executem cidadãos sem julgamento e façam parte de grupos extermínio. Se assim fosse, não precisaríamos de Polícia, Justiça, Estado, leis, Democracia e cada um faria justiça pelas próprias mãos, como fazem os 'justiceiros' da PM. Essas mesmas pessoas conservadoras são as que defendem a ditadura militar, o autoritarismo, a pena de morte, a intolerância e o fundamentalismo, sem perceber que eles mesmos são as maiores vítimas do que pregam.

Renato Khair renatokhair@uol.com.br

São Paulo

*

MUDANÇA NA PM

Não vou me admirar se este nosso fraco governador instalar um comitê de Direitos Humanos ao lado do secretário de Segurança, como parte de sua nova política na área. Governador, meu voto o senhor não tem mais!

Cesar Araujo cra01290@gmail.com

São Paulo

*

SÃO PAULO SOFRE TERRORISMO POLÍTICO

Não posso acreditar que há dois meses alguns bandidos detidos em penitenciárias estaduais e, de bronca contra a polícia paulista, ordenaram e mantêm essa onda de violência responsável por uma quantidade de mortos a bala, militares e civis, como nunca visto em nosso Estado. É o que alegam as autoridades estaduais, numa justificativa simples demais para ser verdade. Esses supostos bandidos não teriam fôlego para tanto, sem que houvesse algum apoio de algo maior, e não é difícil descobrir sua origem. Basta pensar a quem interessa o caos em nosso Estado, e isso cheira a puro terrorismo político, e como tal deve ser combatido antes que desestabilize o governo do Estado e ocorra uma intervenção federal, o objetivo oculto. Podem apostar, se isso ocorrer de imediato, haverá um cessar fogo como se fora tudo combinado antes com a bandidagem.

Laércio Zannini arsene@uol.com.br

São Paulo

*

TERRORISMO

É bom para o Brasil ou para quem o terrorismo em São Paulo?

Tania Tavares taniatma@hotmail.com

São Paulo

*

CONSELHO AMIGO

Pesquisa indica “onda de violência derruba aprovação de Alckmin”. Sem pesquisa, prevemos o farto material da oposição em 2014. Abra o olho, governador. Quem avisa amigo é!

Luiz Felipe Dias Farah felipefarah@gmail.com

São Paulo

*

COMANDO VERMELHO EM HELIÓPOLIS

No jornal O Estado de S. Paulo de 4 de novembro, achei uma notícia no caderno “Metrópole” que fala sobre pessoas do Comando Vermelho (CV) que estavam sendo perseguidos pela polícia do Complexo do Alemão que fugiram para Heliópolis, na zona sul de São Paulo. O Primeiro Comando da Capital (PCC) garantiu o refúgio seguro a homens do CV, como um pagamento de dívida, já que o CV já havia dado proteção no Rio a integrantes fugitivos do PCC. Eu acho ridículo o PCC abrigar o CV aqui, em São Paulo. A polícia precisa ficar de olho e não deixá-los fazerem isso, porque daqui a pouco é capaz de os bandidos tomarem mais conta da favela do que os policiais e até mesmo seus próprios moradores. Cada vez São Paulo está ficando mais perigosa por causa dos bandidos. Eles já são em muitos e por isso quase todo dia tem vandalismos aqui, e depois as pessoas ainda têm a cara de pau de reclamar de que a polícia não faz o seu trabalho direito. A grande verdade é que os grupos de bandidos, além de matarem pessoas e fazerem coisas erradas, abrigam mais bandidos para piorarem nossa situação. A cada dia que passa, São Paulo precisa de novos policiais, pois os policiais que nós temos não dão conta de cuidar de todos os ladrões que há aqui.

Sami Nasser sami.nasser@beityaacov.com.br

São Paulo

*

A VIOLÊNCIA E AS MOTOS

Há alguns dias atrás enviei e-mail ao secretário de Segurança de São Paulo sugerindo que os garupas de moto fossem proibidos após 22 horas. Para minha surpresa, meu e-mail foi reenviado para a Ouvidoria. Esta me respondeu que não era sua atribuição acolher a sugestão. Ora, se não é de sua alçada, será que a Ouvidoria desconhece quem de direito para receber a sugestão e eventualmente colocar em prática? Não seria lógico reenviar para o setor competente? Ou o problema das mortes que vêm ocorrendo não é de interesse da Secretaria de Segurança de São Paulo? Considerando que grande parte dos atentados ocorrem com motos com garupas... é para ignorar tal sugestão?

Alvim Candido da Fonseca alvimcandido@hotmail.com

São Paulo

*

CAPACETES

O governador trocou o secretário de Segurança Pública com o objetivo de reduzir a onde de crimes no Estado de São Paulo. Uma medida que poderia diminuir essa violência seria – acho que depende do Conselho Nacional de Trânsito – acabar com o uso obrigatório de capacetes nos motociclistas, na região urbana, que se transformaram em verdadeiros escudos na identificação dos bandidos. Com relação aos presídios para impedir a entrada de celulares é tão simples: basta colocar as portas giratórias que tem nos bancos.

Gilberto Ruas gilruas@uol.com.br

Santos

*

REFORMA DA POLÍCIA

Evidente que tudo deve começar pela alteração do artigo 144 da Constituição federal. A descentralização do serviço de policiamento preventivo é uma medida a ser discutida. Os municípios, particularmente os viáveis, devem obter status de titularidade no exercício do poder de polícia de segurança pública. Muitos já dispõem de Guardas Municipais, mas com atuação restrita aos próprios da municipalidade – alguns atuam no policiamento ao arrepio da lei. O exercício da polícia judiciária também deve ser repensado, inclusive a instrução / persecução criminal haverá de ser reformulado. A discussão será demorada, por polêmica e inferir interesses corporativos múltiplos. Por ora, poderemos pensar e implementar medidas práticas e sem custo para o erário público, tampouco dispêndio de material humano e recursos materiais. Para tanto, basta priorizar algumas práticas e realocar parte dos funcionários disponíveis. Por certo o maior problema atual é o distanciamento dos órgãos policiais e a população para a qual devem prestar serviço – aliada ao mau atendimento, a falta de confiança marca essa relação conflitante. Assim, cabe às corporações buscarem a necessária aproximação, a partir de uma melhor disponibilidade dos seus serviços e implementar um bom atendimento. A um custo “zero”, ao invés de reduzir pontos de atendimento, particularmente a Polícia Civil deveria mobilizar-se no sentido de oferecer maior facilidade para acesso de seu público alvo, em especial as vítimas de criminosos. Sabemos que atualmente o índice de notificações de ocorrências está defasado – e não adianta transferir essa atribuição para a Polícia Militar, seus integrantes não foram preparados para esse atendimento, tampouco o quartel é ambiente propício, pois não permite o fluxo de pessoas. Claro que esse atendimento não se restringiria a mera anotação do fato, podendo a vítima contar com suporte de outros serviços e orientação quanto as medidas a serem adotadas na busca de solução para o seu desassossego. Seria apenas o ponto de partida para recebermos um melhor serviço de Segurança Pública.

Noel Gonçalves Cerqueira noelcerqueira@gmail.com

Jacarezinho (PR)

*

DESATENÇÃO E MORTE NA ESCOLA

Nada trará de volta Bernardo. Uma criança de apenas 3 anos de idade, morta na piscina do Centro Educacional Brandão. O pai da criança está certo quando afirma que há poucos funcionários. Infelizmente custa muito caro um funcionário para uma escola, mas a despeito do valor que os pais pagam, o professor deveria ser muito bem remunerado, cobrado e responsabilizado pelas atividades de seus alunos. As escolas, na sua grande maioria, visam o lucro e as crianças são cobaias todos os dias nas mãos de pessoas que estão preocupadas com o vil metal. Se nada for feito mais famílias vão chorar seus entes queridos. Inaceitável tamanha desatenção.

Izabel Avallone izabelavallone@gmail.com

São Paulo

*

A PEC DO EMPREGADO DOMÉSTICO

Nada mais do que justa esta Proposta de Emenda Constitucional (PEC) do Empregado Doméstico, que tramita no Congresso Nacional. Todos os benefícios a que terão direito os empregados domésticos já é praxe nos grandes centros do Brasil e provavelmente esta lei vem para enquadrar aqueles empregadores que burlam este direito ao trabalhador. Mas do lado do empregador não existirá retorno? Por que não dar ao empregador os mesmos direitos que as empresas possuem para com seus empregados? Desconto total na declaração do imposto de renda dos salários, uniformes, condução, alimentação, FGTS, INSS, etc.? Se quiserem dar aos empregados domésticos os mesmos direitos dos empregados das empresas privadas, nada mais justo do que permitir tais descontos na declaração de renda. Porque salário pago não pode ser considerado “renda”. O brasileiro comum que precisa do empregado domestico para trabalhar e gerar renda para a nação, também precisa ser ressarcido já que deverá cumprir com as mesmas obrigações de qualquer empresa. Já somos achacados com altíssimos impostos e no caso do empregado domestico podemos descontar apenas um salário mínimo anual. Assim não dá!

Beatriz Campos beatriz.campos@uol.com.br

São Paulo

*

JOELMIR BETING

Em qualquer país do mundo, traduzir o “economês” para a linguagem acessível do dia a dia já seria tarefa das mais árduas pela complexidade de termos e equações ali contidas, que mais parecem grego para a maioria dos mortais. No Brasil, em particular, a missão de explicar o sobe e desce da economia, os diversos planos e as reviravoltas da moeda, de alguns anos para cá, exigia ainda maior esforço e capacidade, tamanha a dificuldade de ser entendida pelo cidadão comum. O talento e a sagacidade do brilhante jornalista Joelmir Beting proporcionaram melhor compreensão da vida econômica, permitindo que dela se falasse por meio de linguagem coloquial acessível a todos. Não há dinheiro que pague por essa lição.

J. S. Decol decoljs@globo.com

São Paulo

*

LACUNA NO JORNALISMO

A morte de Joelmir Beting deixa enorme lacuna no mundo jornalístico. Seu modo peculiar de abordar os fatos econômicos com magistral conhecimento deixa-nos, agora, um rastro de saudades. Que Deus o receba em sua eterna glória.

João Rochael jrochael@ibest.com.br

São Paulo

*

JUSTA HOMENAGEM

Associo-me às justas homenagens a Joelmir Betting com seu eletrizante texto de 4/6/2010: “O viajante. Se beber não dirija. Nem governe. Ate aqui, em 40 meses de governo, o presidente Lula já cometeu 102 viagens ao mundo. Ou mais de duas por mês, tal como semana sim, semana não. Sem contar, ora pois, as até aqui 283 viagens pelo Brasil. Hoje, dia 15, ele completa 382 dias fora do País desde a posse. E pelo Brasil, no mesmo período, 602 dias fora de Brasília. Total de itinerância presidencial, caso único no mundo e na história: exatos 984 dias fora do Palácio, em exatos 1.201 dias de Presidência. Equivale a 81,9% de seu mandato fora do gabinete. Esta é a defesa da tese de que ele não sabia e nem sabe de nada do que acontece no Palácio do Planalto. Governar ou despachar nem pensar. A ordem é circular. A qualquer pretexto. E sendo aqui deselegante, digo que o presidente não é (nem nunca foi) chegado ao batente, ao despacho, ao expediente. Jamais poderá mourejar no gabinete, dez horas por dia, um simpático mandatário que tem na biografia o nunca ter se sentado à mesa nem para estudar, que dirá para trabalhar. E o povão ainda aplaude e vota”.

Junios Paes Leme junios.paesleme@ig.com.br

Santos

*

MEMÓRIA

Jornalista, José Maria Mairink, pelo ótimo texto sobre Joelmir Beting ontem no Estadão.

Luiz Ernesto Kawall vozoteca@terra.com.br

São Paulo

*

LUTO

Infelizmente, o País perdeu um grande homem, ótimo jornalista e excelente profissional. Joelmir Beting nos deixou na madrugada do dia 29/11/2012. Calou-se dessa forma o melhor comunicador de economia que o Brasil já teve, que o fazia de uma maneira que tornava o difícil de ser entendido numa explicação simples, fácil e perfeita.

Angelo Tonelli angelotonelli@yahoo.com.br

São Paulo

*

GRANDE VAZIO

Existem pessoas que deveriam ser proibidas de morrer. Joelmir Betting seria uma delas. Ficará um grande vazio.

Heloisa A. Martinez heloisa_martinez@hotmail.com

Mogi das Cruzes

*

DESCOMPLICADO

Afora outras imensas qualidades, como dito pelo jornal, Joelmir Betting será lembrado pelo raro talento de descomplicar o economês. Para saber-se que finanças públicas são o dinheiro do povo, que superávit fiscal é ter dinheiro sobrando na caixa do governo; que austeridade é não desperdiçar nosso rico dinheirinho, e assim por diante. Sem a linguagem, o homem não teria vingado. Com o empolamento da linguagem, o homem ficou perdido nas encruzilhadas que ele próprio desenhou. Joelmir procurava fazer a ligação direta, do fio de um cérebro para outro. Sem curtos-circuitos. O academicismo tem o hábito corporativista de tirar do povo o que é do povo.

Amadeu R. Garrido de Paula amadeugarridoadv@uol.com.br

São Paulo

*

INTELECTUAL PARA O POVO

Joelmir era um intelectual para o povo. Jornalista e comentarista econômico, falava de forma que todos os telespectadores incapazes pudessem entender sobre o assunto exposto! Já sinto saudades! Obrigado!

Alex Tanner alextanner.sss@hotmail.com

Sumaré

*

ADMIRÁVEL

O Sr. Joelmir Beting nos deixa respeito e um legado de trabalho admirável. Proferiu a frase “o PT é o primeiro partido que começou com presos políticos e vai acabar com políticos presos”. Seus artigos com avaliações presentes, visão de futuro e experiências de vida nos farão muita falta.

Nelio Esquerdo nelioesquerdo@terra.com.br

São Paulo

*

MESTRE

O Brasil perde Joelmir Beting, um mestre do jornalismo e da economia.

Cícero Sonsim c-sonsim@bol.com.br

Nova Londrina (PR)

*

AGRADECIMENTO

Sinceros sentimentos a família Beting! Falo não só por mim, mas por todos brasileiros que de uma forma ou de outra não tem a oportunidade de demonstrar seus sentimentos. O País lamenta a partida do jornalista Joelmir Beting e agradecemos sua presença permanente durante tantos anos dedicados ao jornalismo interativo e inteligente! Um grande homem e um grande legado, deixará muita saudade! Nosso muito obrigado aos seus pais, por educarem uma criatura tão especial, criativa, bem humorada, de uma personalidade marcante e, além de todas as suas qualidades, palmeirense! O céu esta em festa com sua chegada, fica em paz, o Brasil te ama!

Márcia Callado marciacallado@bol.com.br

São Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.