Fórum dos Leitores

CORRUPÇÃO

O Estado de S.Paulo

08 Dezembro 2012 | 02h08

Mais fraudes

Fraudes na Secretaria do Patrimônio da União, na Advocacia-Geral da União e em muitos outros órgãos governamentais estão pipocando graças ao excelente trabalho da Polícia Federal. A cada semana, uma nova operação para avaliar o tamanho do prejuízo do erário. Aí, vem o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, dizer que não existe nada envolvendo o primeiro escalão do governo federal. Como não, se esse pessoal todo que está sendo investigado foi nomeado ou está sob o comando direto do primeiro escalão?

RONALDO GOMES FERRAZ

ronferraz@globo.com

Rio de Janeiro

Pantomima

O ministro Cardozo está fazendo o triste papel de tentar tapar o sol com a peneira no caso da sra. Rosemary Noronha. Entretanto, quanto mais tergiversa, mais nós, o povo, temos a certeza de tudo o que ele pretende encobrir.

DOCA RAMOS MELLO

ddramosmello@uol.com.br

São Sebastião

Operação Porto Seguro

Brasil, um país de "espertos". A cada dia, uma nova trapaça. Povo pouco instruído, povão iludido. Bolsa-Família para a massa necessitada, bolsa recheada para a base alugada. Brasil, um país de tolos.

NIVALDO RIBEIRO SANTOS

nivasan1928@gmail.com

São Paulo

A culpa é sempre dos outros

Toda vez que este governo corrupto (iniciado em 2003) se vê envolvido em algum escândalo (coisa de quase todos os dias), tendo todos eles a marca inconteste do chefe dessa quadrilha toda - o eterno apunhalado pelas costas -, lá vêm os defensores do chefão, entre eles mafiosos condenados pelo mensalão, querendo exercer o controle da mídia ou acusando o governo anterior, tentando jogar nos outros seus desmandos e incompetência. Haja paciência!

HUMBERTO BOH

hubose@gmail.com

São Paulo

Dirceu e a Inquisição

José Dirceu, condenado pelos atos ilícitos que cometeu, vocifera, qual criança inocente, com apoio de membros de seu partido (PT), que o Supremo Tribunal Federal (STF) se assemelha à Inquisição. Ora, Dirceu não deveria falar bobagens, pois teve a sorte de receber a condenação do STF. Se ainda existisse a Inquisição, seus bens e os de seus companheiros já estariam todos confiscados e doados aos necessitados deste país, naturalmente rico, mas politicamente muito corrupto.

VANDERLEI DE LIMA

toppaz1@gmail.com

Amparo

Parlamentares corruptos

O ministro Ricardo Lewandowski, revisor da Ação Penal 470, defendeu na sessão de 6/12 do STF a tese de que os deputados condenados no julgamento do mensalão podem continuar representando os interesses dos cidadãos brasileiros, mesmo depois de condenados pelos crimes que praticaram. E citou exemplos jurídicos que serviram para mudar o quadro político e social da França dois séculos atrás: "Desde a Revolução Francesa o mandato foi considerado intocável porque se tratava da expressão da própria vontade nacional". Ora, o experiente ministro não se dá conta de que há dois séculos até a palavra corrupção era pouco usada. Esqueceu-se o revisor do mensalão que o STF julga uma ação em que vários parlamentares do nosso país praticaram crimes de corrupção ativa e passiva, evasão de divisas, peculato, lavagem de dinheiro, gestão fraudulenta e formação de quadrilha. Parlamentares que roubaram a Nação vergonhosamente, enganaram o povo, e detentores de mandato público que carregaram dinheiro de propina na cueca. Não é possível que algum outro ministro acompanhe o voto do revisor nesse escândalo de corrupção que envergonhou o País.

FRANCISCO RIBEIRO MENDES

mendes.brasilia@gmail.com

Brasília

Traidores

É evidente que os parlamentares condenados no mensalão devem perder seus mandatos. Cometeram crimes graves e traíram a confiança não só de quem os elegeu, mas do povo brasileiro. Verdadeiros traidores da Pátria.

LUCIANO HARARY

lharary@hotmail.com

São Paulo

Perda de mandato

Consulte-se a população: é possível que um réu condenado por corrupção ocupe qualquer cargo legislativo ou alguma outra posição que exija ética, transparência e competência? É voz unânime: NÃO! Exija-se ficha limpa para todos! Vox populi, vox Dei.

RUTH DE SOUZA L. E HELLMEISTER

rutellme@terra.com.br

São Paulo

Julgamento do mensalão

Sr. ministro Joaquim Barbosa, permita-me discordar de V. Exa.: a Nação não está cansada desse julgamento. A Nação espera que esse julgamento seja exemplar, demore o quanto for necessário! Já é tempo de passar o País a limpo, com perdão do lugar-comum. Entendo o desconforto dos ministros e principalmente o de V. Exa. A expressão de dor demonstrada muitas vezes por V. Exa. nos comove, porém pedimos: continue! Continue até o fim! Nossos filhos e netos agradecerão.

ALIOMAR GABRIEL DA SILVA

aliomargabrieldasilva@hotmail.com

São Carlos

'Let's move on!'

Desça a espada, Barbosa!

FLÁVIO CESAR PIGARI

flavio.pigari@gmail.com

Jales

Juiz garantidor

A tentativa de desclassificar o ministro Fux, já tão admirado por sua isenção no julgamento do mensalão, nos mostra que está caindo por terra a hipótese de juízes de aluguel nomeados para o STF, como o PT pretendia nesse caso. Mas, como nem tudo é perfeito, ainda vemos nomeações como as de dois notórios juízes garantidores com vieses nitidamente políticos que deram a maior bandeira no mesmo julgamento. Isso, sim, é vergonhoso.

LEILA E. LEITÃO

São Paulo

'Quando o réu é padrinho'

Entendo que a estratégia do ministro Luiz Fux para conseguir uma cadeira no STF foi perfeita e válida. Procurou quem jamais pensaria que ele não estaria lá a serviço da verdade, mas sim dos interesses mesquinhos da quadrilha do mensalão. Passou sebo, como dizemos aqui, em Minas, em cobras criadas, como o réu José Dirceu e em sua namorada, Evanise Santos, no deputado réu João Paulo Cunha, no ministro José Eduardo Cardozo, em Delfim Netto, Pedro Stédile, Antônio Palocci e outros mais. Driblou até a presidente Dilma. No caso, os meios utilizados justificam a finalidade. Parabéns, ministro Fux!

ADRILES ULHOA FILHO

adriles@uai.com.br

Belo Horizonte  

 

Cartas selecionadas para o Fórum dos Leitores do portal estadao.com.br

TAPINHAS NAS COSTAS

Não pode haver dúvida nesta discussão sobre se a cassação dos mandatos dos deputados condenados pelo Supremo Tribunal Federal (STF) na Ação Penal 470, o mensalão, é automática ou não. É automática, sim. Se tal não acontecer, como fica a Corte Suprema do País? Por acaso a Câmara dos Deputados acha que o que seus colegas cometeram não é crime? Para mim, é, e hediondo. Desrespeitaram residências e gabinetes construídos com dinheiro público para tratarem de como tungar o País. Não cabe à Câmara avocar para si a decisão da cassação ou não. Se ela tivesse um mínimo de decência e decoro, os seus membros dariam as costas a estes condenados. Mas tem membro que, ao invés disso, lhes dá tapinha nas costas.

Panayotis Poulis ppoulis46@gmail.com

Rio de Janeiro

*

NÃO FAZ SENTIDO

Manter os “direitos políticos” dos condenados do mensalão é o mesmo que condenar um professor por pedofilia e deixá-lo dando aulas para as criancinhas...

Carlito Sampaio Góes carlitosg@estadao.com.br

São Paulo

*

SURREAL    Além de caber na cabeça de petistas renitentes como Ricardo Lewandowski, Rui Falcão e Marco Maia, cabe na cabeça de mais alguém que criminosos condenados pela Justiça possam continuar a exercer os seus mandatos no Congresso, representando os brasileiros que os elegeram? Essa posição em defesa do direito do Congresso de decidir pela cassação do mandato dos deputados condenados pelo mensalão é tão ridícula e surreal que deveria envergonhar quem vem a público lutar por ela.

Ronaldo Gomes Ferraz ronferraz@globo.com

Rio de Janeiro

*

MORAL EXPOSTA

“Eu parto do pressuposto da seriedade de todos os membros do Congresso Nacional.” “Desde a Revolução Francesa, o exercício do mandato parlamentar foi considerado algo intocável, protegido inclusive do Poder Judiciário, porque é manifestação da vontade popular.” (Ricardo Lewandowski.) Eu tenho certeza da absoluta de falta de caráter de muitos membros do Congresso Nacional. Não fosse isso, não estariam muitos sendo condenados no mensalão, ou sendo manchetes por atos ordinários praticados na administração pública. Muito antes da Revolução Francesa, na importância do Direito na cidadania, ninguém estava acima da lei. Já referindo-se à Revolução Francesa, aqueles que atentavam contra a prática republicana, tal qual ocorreu no mensalão, e como exemplo os muitos conspiradores infiltrados no Parlamento acabaram sumariamente na guilhotina.

Oswaldo Colombo Filho colomboconsult@gmail.com

São Paulo

*

HUMORISTA

Lewandowski vê “seriedade” no Congresso. Não fosse de chorar, daria até prá rir...

A.Fernandes standyball@hotmail.com

São Paulo

*

BARREIRA

“Let’s move on”, ou “vamos em frente”, diz o ministro Joaquim Barbosa. De que jeito, ministro, com Lewandowski pela frente?

Francisco Zardetto fzardetto@uol.com.br

São Paulo

*

HONORÁRIO Ministro Ricardo Lewandowski deve estar ganhando por hora. Só pode ser isso.

Ricardo Sanazaro Marin s1estudio@ig.com.br

Osasco

*

JUSTIÇA DE QUALIDADE

 

Precisamos de uma justiça de qualidade, para mostrar aos políticos corruptos a força da lei, e condenação à cadeia, além dos confiscos, sem amolecer. Infelizmente, temos alguns ministros do STF que lutam pela continuação da impunidade no Brasil, e a população, que paga os seus impostos em dia, não merece esse tipo de desserviços prestados.

 

Antonio de Souza D Agrella antoniodagrella@yahoo.com.br

São Paulo

*

A SUPREMACIA DO SUPREMO

São um absurdo as sessões do STF no intuito de diminuir penas dos pilantras do mensalão condenados, enquanto a sociedade espera ansiosamente um desfecho em que todos réus sofram as consequências dos seus atos de forma exemplar. No entanto, ficam perdendo tempo discutindo redução de valores das multas, quem deve aplicar a perda do mandato dos políticos, etc. Incoerente essa discussão, pois, se o Supremo é a última palavra em qualquer assunto ou polêmica, tem esta obrigação, neste caso, até para não sair desmoralizado. Deve, sim, cassar os políticos corruptos.

Jose Mendes josemendesca@ig.com.br

Votorantim

*

SIMBOLOGIA

O Congresso Nacional, em 6/12, realizou uma sessão solene para devolver simbolicamente os mandatos de 173 deputados federais cassados – 28 ainda vivos e somente 18 compareceram –, por motivos políticos, durante o período da ditadura militar (1964-1985). Que tal aproveitar a oportunidade e fazer uma “sessão de execração” dos deputados federais cassados no mensalão e que envergonharam a história contemporânea brasileira?

Edgard Gobbi edgardgobbi@gmail.com

Campinas

*

NÃO QUEREM PUNIR

Interpretação: “É um contexto que reclama punição exemplar. Só que a minha função não é punir exemplarmente. É punir segundo o arcabouço normativo na interpretação que eu dou ao arcabouço normativo” (Marco Aurélio Mello). Interpretação dessa interpretação: toda vez que algum representante da lei se apequena e, sorrateiramente, se utiliza de juridiquês para disfarçar a sua pouca aptidão dentro do arcabouço normativo para exercer suas funções de fazer valer a lei, nos deparamos com um navegante sem rumo em pleno STF. E pensávamos que só havia o Toffoli e o Lewandowski que não queriam punir exemplarmente!    Carmela Tassi Chaves tassichaves@yahoo.com.br

São Paulo

*

CALIBRAGEM DO STF

Sei não, mas as penas a que seriam condenados os réus do “mensalão”, finalmente, parecem ser duras. Porém, de dosimetria, calibragem e peninha deles em geral, duvido que verei algum deles fantasiado de prisioneiro numa penitenciária.

 

Laércio Zanini arsene@uol.com.br

*

O DESPERTAR DO GIGANTE

Quando o ex-presidente da República escolheu Joaquim Barbosa para o STF, foi a brincadeira mais séria que no seu governo aconteceu. A escolha presidencial foi o maior dos seus erros, um fantástico acerto e ao mesmo tempo a mais bela história que um analfabeto escreveu. É por estas e outras que desejo que o eminente ministro chegue a presidência do meu país um dia talvez. Só assim o gigante adormecido no atoleiro da corrupção, acordará de uma vez.

Leonel Diniz dos Santos leondinizdiniz@gmail.com

São Paulo

*

LUIZ FUX NO STF

A ser verdade as histórias que o PT espalha sobre o ministro Luiz Fux, do STF, em mais uma campanha que usa a mídia para enxovalhar a imagem dos ministros daquela Corte que votaram pela punição de seus membros quadrilheiros, se Luiz Fux aproximou-se dos quadrilheiros para chegar ao STF e depois os traiu, foi uma jogada de mestre! Ainda bem que o fez! Teria então conseguido convencer o bando de que davam posse a mais um “ministro de aluguel” do PT na mais alta Corte do País, como os últimos indicados Toffoli, Weber e Lewandowski, de já tão triste reputação. Aposta errada! Os “mais espertos da história deste país” acabaram empossando um dos seus algozes. Não seriam tão espertos assim. Bem feito! Fux mostrou-se impecável, lúcido, inteligente e conhecedor das leis. Ganhou a admiração da esmagadora maioria dos brasileiros. E os petistas acabaram com cara de bobos.

Maria Cristina Rocha Azevedo crisrochazevedo@hotmail.com

Florianópolis

*

UMA PEQUENA NOTÍCIA   O desejo incontido, por parte dos que circulam nos corredores do poder em Brasília, em obter um cargo, demonstra a total incoerência política e falta de pudor dessa gente. A pequena notícia, dedicada ao ministro do STF Luiz Fux, da edição do dia 3 deste jornal, ilustra claramente este fato. Para ser nomeado, o ilustre jurista solicitou a ajuda de nada menos que: José Dirceu (condenado), Antônio Palocci (defenestrado), João Stedile (acima das leis), Delfim Netto (lembrança da ditadura), Sergio Cabral (ainda não qualificado), João Paulo Cunha (condenado) e Paulo Maluf (sem comentário). Ainda falta descobrir que dona Rose, aproveitando sua amizade colorida com o chefe, também deu um “empurrãozinho” para o sucesso do ministro. A república petista será lembrada como a era da amnésia sendo o caso mais grave o do Sr. Luiz Inácio. A moléstia, da qual também parece sofrer o Sr. Fux é menos grave, mas muito seletiva. Ao entregar seu currículo ao ex-ministro da Casa Civil José Dirceu, para obter uma vaga na Suprema Corte, sua Excelência não lembrava que ele era réu no processo do mensalão... que tramitava na Suprema Corte. O que mais dói não é o descalabro que reina na função pública, tão pouco o fato de nosso sistema educacional ser um dos piores do mundo, nem de ver nosso dinheiro parar no bolso da gangue “Os amigos do governo.” O que realmente machuca é sermos tomados por uns imbecis pagadores. Peço desculpas pelo desabafo e aproveito a oportunidade para saudar toda a equipe que mantém este quotidiano “afiado”.

Raphael Korn neurologic@grupoif.com.br

Alfenas (MG)

*

FUX E OUTROS

Não dá para entender por que a mídia tem noticiado tanto que o ministro Fux fez pedido a Zé Dirceu para ser nomeado como ministro do STF, se todos sabiam que o presidente de fato à época era o próprio Dirceu. Difícil seria imaginá-lo pedindo ao viajante ex-presidente Lulla. Se a idoneidade do ministro Fux ficou abalada por isso, melhor seria investigar os outros ministros que inocentaram o Zé Dirceu no julgamento do mensalão e que foram nomeados pelo mesmo método. Aí sim, caracterizaria pagamento de divida pela nomeação. Beatriz Campos beatriz.campos@uol.com.br

São Paulo

*

BEIJOS E CARGOS  Se para o cargo de ministro do Supremo que exige capacidade intelectual e notório saber jurídico, é necessário o beija-mão, imagine o que é preciso beijar para os outros cargos!

Roberto Nascimento robenasya@yahoo.com.br

Cambuci

*

ESCOLA Em entrevista concedida à Folha de S.Paulo, o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Luiz Fux relatou sem nenhum constrangimento e muita franqueza como ele conseguiu finalmente ser indicado para o STF. Ser ministro do STF foi sempre o seu grande desejo desde que ele ingressou na magistratura. Luiz Fux ensina aos novos juízes, em início de carreira, e que têm a mesma ambição, como chegar lá. Será que os ministros do STF que conseguiram chegar à mais alta Corte de justiça usaram, mais ou menos, do mesmo esquema?   José Carlos de Castro Rios jc.rios@globo.com

São Paulo

*

SURPRESAS

“Não fiquei surpreso”, disse o ex-presidente Lula, na Alemanha, sobre a Operação Porto Seguro, da Polícia Federal. Ele não quis responder sobre o que achou das acusações contra os investigados – ou seja, realmente a ex-chefe de Gabinete Rosemary estava fazendo algo que alguém mandou. Se o “cara” já sabia, é por que o rolo e bem maior do que nós imaginamos. Na verdade, isso não vai acabar nunca, pois a cada dia temos novas e desagradáveis surpresas. Infelizmente.

Mustafa Baruki mustafa-baruki@bol.com.br

São Paulo

*

QUE MENTIRA!

Será que o ex-“PR” pensa que os brasileiros não têm memória? No dia seguinte à divulgação da Operação Porto Seguro, “elle” disse que tinha sido apunhalado pelas costas. Agora, na Alemanha, “elle” disse que já sábia da ocorrência da operação da PF, tentando, logicamente, diminuir o fato. Mais uma derrapada, mais uma falácia. Aliás, se, em 28 viagens ao exterior, a ex-primeira-dama não foi e a “madame Rose” foi, quem deveria se sentir apunhalado pelas costas não era “elle”, mas sim “ella”. Ou não?

 

Antonio Carelli Filho palestrino1949@hotmail.com

Taubaté

*

ELE SABIA!

Lula, réu confesso, ao dizer que não ficou surpreso com a ação Porto Seguro (!).

Rosalvo Lopes da Silva rosalvo.lopes@terra.com.br

São Paulo  

*

A SINCERIDADE DE ROSE

 

No mundo do PT, onde corrupção, tráfico de influência e o desvio de dinheiro público não são considerados crimes ou até mesmo contravenções, desde que em prol do partido, é de esperar que Rosemary Nóvoa de Noronha, demitida recentemente do cargo de chefe do gabinete da Presidência da República em São Paulo, tenha negado tudo de que é acusada, afinal, na cartilha do PT, ilícitos como corrupção e tráfico de influência são considerados degraus para a tão sofrida classe operária chegar ao paraíso.

Peter Cazale pcazale@uol.com.br

São Paulo  

 

 *

VERDADE OU MENTIRA?

 

Recebemos pela internet relatos de todo tipo, muitos, verdadeiros, e outros, falsos e mentirosos, e nem sempre é fácil separar o joio do trigo. Esta semana tomei conhecimento de que o Sr. Lula é o Garanhão de Garanhuns e que a tal de Rose era mais uma namorada sua. Escreveram, também, sobre a mulher invisível e uma tal viajem a Portugal transportando muitos euros. Como saber se existe verdade ou se são mentiras? Para mim, só aumentam minhas dúvidas, porque eu sempre achei que o Lula era pau mandado, ou seja, um bronco que gosta de mordomia e tudo faz para consegui-la, obedecendo fielmente a outros seres pensantes, como naquele vídeo em que ele foge das filmagens. Será que estou errado?

Sérgio Barbosa sergiobarbosa@megasinal.com.br

Batatais  

 *

NOVO ESQUEMA

 

 A operação da Polícia Federal (PF) foi chamada de Porto Seguro, mas trouxe enorme insegurança aos envolvidos que agora procuram evasivas, desmentidos e acobertamentos na tentativa de negar o apurado e acontecido, como sempre. Pelos antecedentes dos mesmos, jamais a PF poderia ter sido tão feliz em nominar a operação de Porto Seguro, trazendo uma enorme insegurança aos participantes de mais um novo esquema federal de corrupção e desvios do erário. Mais uma vez envolvendo o ex-presidente, que até se ausentou do país para evitar maior assédio da mídia. Desta vez quem foi o traidor pela sua traição?

 

Luiz Dias lfd.silva@2me.com.br

São Paulo

  *

DONA FLOR

 

A “programação” política nacional não dá trégua: nem bem acabou o mensalão, já começou o novelão “Rose, a Dona Flor de Lula”. Im-per-dí-vel!

 

J. S. Decol decoljs@globo.com

São Paulo

 

  *

CORRUPÇÃO NO PLANALTO

 Se para o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, não há corrupção no seio da Presidência, onde ela estaria?

 

Roberto Twiaschor rtwiaschor@uol.com.br

São Paulo  

 

*

GABINETES

 Num país minimamente decente, com uma oposição minimamente compromissada com a opinião pública, o simples fato de existir um gabinete presidencial em São Paulo, custeado por verbas públicas, apenas para satisfazer aos caprichos e idiossincrasias do ex-presidente Lula já seria escândalo suficiente para colocar em xeque a lisura ética e moral do governo Dilma. Perguntar não ofende: onde mais será que existe gabinetes da Presidência?

 

Júlio Ferreira julioferreira.net@gmail.com

Recife 

*

O TRABALHO DA POLÍCIA FEDERAL

Os mensaleiros, aloprados, e “Bebês de Rosemary” foram pegos em flagrante. Desgraça? Não, oportunidade para nos informar que a coisa sempre foi assim (quem sabe pior!) e que os “malfeitos” foram descobertos graças a este governo, que está deixando a Polícia Federal trabalhar.

 

Omar El Seoud elseoud@iq.usp.br São Paulo

  

*

‘NAMORADA’ DO EX-PRESIDENTE

 No editorial Conto da Carochinha, de 6/12/2012 (página A3), deste jornal, lê-se: “...Rosemary Nóvoa de Noronha – Rose para os íntimos –, que por sua vez ganhou o posto por ser namorada de Lula...”. É verdade? Conta mais!

 Carlos Alberto Roxo roxo_7@terra.com.br

São Paulo

  *

OS SEGREDOS DE ROSEMARY

 Será que, se Rosemary abrir o bico, ela confessará quem é o pai político dos seus três bebês, os dois irmãos Vieira e o advogado-geral adjunto da União José Weber Holanda? E o porto deixará de ser seguro para ele, tragando-o em suas águas poluídas?

 

Antonio Brandileone abrandileone@uol.com.br

Assis  

 

*

O PAI DA CRIANÇA

Não vamos precisar de teste de DNA para saber quem é o pai do bebê de Rosemary. O bebê é a cara do pai.

 Luiz Angelo Pinto luiz.angelo.pinto@terra.com.br

São Paulo

 

  *

BEBÊ CRESCIDO

Puxa, então o “bebê de Rosemary” já estava crescidinho e barbudo?!

Celso Vicente Fiorini  celsofiorini@ig.com.br

São Paulo

 

 *

‘REVOLUCIONÁRIA REACIONÁRIA’

O governo da presidente Dilma Rousseff ou é “esquizofrênico” ou é mal intencionado e tendencioso, pois instituiu uma comissão para apurar as supostas verdades do passado, relativas ao regime militar, mas fez de tudo para barrar a instituição de uma comissão para apurar as concretas verdades do presente, relativas à Operação Porto Seguro, da Polícia Federal, envolvendo Rosemary Noronha, ex-chefe de gabinete da Presidência da República em São Paulo e amiga íntima do ex-presidente Lula. É causa de espanto que a outrora revolucionária Dilma tenha se transformado na atual reacionária Dilma.

   

Túllio Marco Soares Carvalho tulliocarvalho.advocacia@gmail.com

Belo Horizonte  

 

*

FARINHA DO MESMO SACO

Rosemary Noronha, Erenice Guerra e Dilma Rousseff são farinha do mesmo saco. De onde elas vieram tem muitas outras, do mesmo naipe, crias do Lula e do PT. A presidente Dilma, no papel de faxineira da ética e da moralidade, está começando a lembrar o Collor, o grande caçador de marajás. Mário Barilá Filho mariobarila@yahoo.com.br

São Paulo  

 

*

DE VOLTA PARA O FUTURO

Presidenta Dilma, seria hoje uma absoluta ignorância culpá-la pelas ainda absurdas mazelas a que o povo brasileiro se sujeita (saúde, transporte, segurança, etc.). Mas se conseguíssemos viajar a um futuro próximo, com certeza olharíamos para a Sra. nos dias de hoje e constataríamos: pena uma pessoa tão bem intencionada, competente e usufruindo de uma popularidade ímpar não ter rompido com o passado notoriamente corrupto de seu partido e seus caciques condenados legal ou moralmente, acelerando verdadeiramente uma melhora drástica na vida dos brasileiros. Vão enxergá-la assim, presidenta!

 

Marcelo Toledo tol009@me.com

Ribeirão Preto

 

 *

TRADIÇÃO PARTIDÁRIA

Tá no DNA: começa como indicado e termina como indiciado!

Ricardo Hanna ricardohanna@bol.com.br

São Paulo

 

 *

JILMAR TATTO NÃO É RENOVAÇÃO

 Corre inquérito policial no Supremo Tribunal Federal (STF) de n.º 3.033 visando a esclarecer a suposta prática de crime contra a Lei de Licitação pelo deputado Jilmar Tatto, quando ainda era secretário de Transportes do Município de São Paulo entre 2002 e 2004. Jilmar Tatto se defende alegando que quando Marta Suplicy assumiu a Prefeitura de São Paulo ele sofreu guerra política institucionalizada pelo governador José Serra e secretario de Negócios Jurídicos Luiz Antonio Guimarães Marrey, segundo Tatto, seu declarado desafeto. A perseguição seria por conta de Marrey ter ordenado exame de todos os contratos firmados na administração de Marta, e encontrou evidentes irregularidades. Tatto desejaria que o secretário tivesse feito  vistas grossas? Minha pergunta é: se é também de conhecimento público que foi por intermédio de Jilmar Tatto quando ainda estava no governo Marta Suplicy, que as vans e lotações de São Paulo passaram a ser comandadas por gente ligada ao Primeiro Comando da Capital (PCC) e, como se não bastasse isso, tendo ele ainda este inquérito no STF não solucionado nas costas, poderia ele ter sido indicado por Fernando Haddad para ocupar a mesma Secretaria dos Transportes da Prefeitura?  E a ficha limpa? É esta a “renovação” prometida por Haddad em sua campanha? Isso para mim é um dejà vu insuportável!

 

 Mara Montezuma Assaf montezuma.scriba@gmail.com

São Paulo

 

   *

MORAL FROUXA DOS CIDADÃOS

 A farra a que se assiste no Brasil pós PT governista é incomparável a qualquer país com o mínimo de leis contra a corrupção e deixa atônito qualquer cidadão de bem. Não é por falta de leis, e sim por falta de uma cultura de exercício de cidadania e liberdade com responsabilidade; nossa moral frouxa faz com que a maioria das pessoas não se dê conta das inconveniências da corrupção, sendo que alguns acham “que faz parte”. Estamos correndo o perigo de ver alguns políticos condenados ou respondendo a processo como, por exemplo, o futuro secretário de Transporte da Prefeitura de São Paulo, Jilmar Tatto, entre outros, bem como os políticos mensaleiros condenados que talvez irão “despachar” da cadeia, caso não percam seus mandatos e forem encarcerados.

Leila E. Leitão

São Paulo

 

  *

MARQUITO

 O povo não quis, mas mesmo assim Marquito (humorista) conseguiu se eleger vereador! Essa é a democracia brasileira. Catapultado ao poder por ser suplente, este fato escancara a fragilidade de nosso sistema eleitoral, onde jogos de interesse prevalecem sobre a vontade do eleitor. Para que, afinal, fomos votar mesmo?

 

Denis Schaefer schaeferdenis@hotmail.com

São Paulo  

 

*

CADA VEZ MAIS DECADENTE

 Os artistas, cantores e comediantes encontraram uma nova maneira para ganharem dinheiro, a política, porque sem dúvidas é o meio mais fácil, prático e ágil. Assim foi com Netinho de Paula (PC do B), Frank Aguiar (PTB), Agnaldo Timóteo (PR), Tiririca (PR) e, agora, Marquito (PTB). A política cada vez mais decadente.

 

Angelo Tonelli angelotonelli@yahoo.com.br

São Paulo

 

  *

OSCAR NIEMEYER

 Oscar Niemeyer desenhava com a leveza de um bailarino, mas sua dança era moderna e ainda está exposta ao mundo para que brasileiros, europeus e americanos saíam à rua e vejam a monumental obra do arquiteto. Ele desenhou com uma linguagem que desafiava a gravidade e o peso do cimento. Desafiava mesmo nossa possibilidade de imaginar... Fosse compositor, não estaria preso às regras da harmonia e da pauta. Mas Oscar Niemeyer compôs sim um novo tempo para as cidades e as fez bailar levemente. E nosso cérebro passou a sonhar. E nossos sonhos passaram pelo pensamento... Para além do profissional, foi um humanista que compreendeu a importância de colocar seu nome a serviço da democracia e da justiça social. E por isso sua importância para o Brasil; onde nasceu e onde ajudou a conceber um alto padrão de arquitetura; é ainda maior! Pois homens com esta dimensão humana e criativa são raros e sempre que vão, o mundo fica um pouco menor!

Aldo Moraes, compositor composermoraes@hotmail.com

Londrina (PR)

  *

SUAS OBRAS PERMANECEM

Com a morte do mestre Oscar Niemeyer, o Brasil perdeu seu maior ídolo, ídolo da arquitetura. Conhecido pelos seus projetos mundo afora, Oscar foi simplesmente um profissional que vivenciou e participou da transformação da arquitetura clássica para a contemporânea sem perder seu estilo, brio e a simplicidade, morre o homem, jamais suas obras.

 

Paulo Rodrigues de Moura paulorodriguesmoura@hotmail.com

São Paulo

  *

LUTO IRREPARÁVEL

 Estamos de luto pela irreparável perda de Oscar Niemeyer. Mas o legado que ele deixou ao Brasil e ao mundo, com suas linhas curvas e suaves, permanece. E suas obras estarão para sempre em nossos corações. José Tadeu Saraiva, arquiteto jtadeuarq3@hotmail.com

São Paulo

 

  *

AINDA INOVADOR

O gênio Oscar Niemeyer esteve sempre tão à frente de seu tempo que mesmo suas obras mais antigas continuam inovadoras e surpreendentes. Fará imensa falta. Luiz Felipe de Barros Rosa lfelipebarros@hotmail.com

São Paulo  

 

 *

OBRA ETERNIZADA

 

É quase inevitável falar de arquitetura sem antes citar o nome do “Pelé” da arquitetura nacional e, por que não dizer, mundial. Oscar Niemeyer foi um artista do cimento, das curvas impressionista em suas obras, seu legado ficará eternizado. Poucos brasileiros foram tão famosos no mundo inteiro quanto o mestre arquiteto, pai da arquitetura, que nos deixou aos 104 anos. Seu reconhecimento internacional foi tão grande que pode ser comparado ao genial rei do futebol, Pelé. Niemeyer, porém, não foi uma celebridade como tantos outros gênios que se destacam em sua profissão, pouco aparecia na televisão, na mídia ou em festas de badalação, foi, acima de tudo, uma pessoa humilde, apesar da fama conquistada com suas obras memoráveis. E sua fama foi, sim, conquistada pelo resultado de suas obras arquitetônicas, construídas no Brasil e em diversos outros países ao longo dos últimos 60 anos. Basta pensar nos prédios do Parque do Ibirapuera (Bienal, Pavilhão, Auditório) ou do Memorial da América Latina, para citar algumas de suas obras-primas em São Paulo. Mesmo quem nunca visitou Brasília é capaz de reconhecer a marca de Niemeyer, que ficará eternizada na memória do povo brasileiro. Os prédios do Congresso Nacional, a Catedral da Cidade, entre outras verdadeiras obras impecáveis. É difícil pensar na capital do País sem antes se lembrar de seu imensurável arquiteto. Comunista convicto, nunca negou sua ligação com Cuba e a antiga União Soviética. Durante sua longa vida, Oscar Niemeyer, sempre afirmou suas convicções políticas, em sua busca por um mundo menos desigual e mais justo para as classes menos favorecidas. Mesmo sendo um leigo em arquitetura, tenho plena convicção de que as obras que o mestre Niemeyer nos deixou de herança são um convite eterno à reflexão para as próximas gerações que virão! Porém, Niemeyer dizia: “Minha arquitetura não aceita regras”. Ou uma outra célebre frase: “Acho que o mundo seria bem melhor sem a presença do homem”. Que sua alma, sua mente e seu corpo cansado descansem em paz, pois Niemeyer foi um herói nacional que jamais será esquecido! 

 

Turíbio Liberatto turibioliberatto@hotmail.com

São Caetano do Sul  

 *

NIEMEYER

No fundo, as formas, pegadas que o tempo, mesmo depois de consumir o concreto, não conseguirá apagar!

 

Luiz Moreira roblms@terra.com.br

São Paulo

 

   *

O POETA DAS CURVAS

 Adeus a Oscar Niemeyer, o poeta das curvas. Foi-se Oscar Niemeyer, o expoente da arquitetura moderna, um ícone do modernismo, o homem que desenhou Brasília, símbolo da arte e da paixão pela vida, morre a 10 dias do seu 105.º aniversário e encerra o maior capítulo do urbanismo mundial. Que descanse em paz.

 

José Ribamar Pinheiro Filho pinheirinhosb@gmail.com

Brasília

 

 *

ADEUS, NIEMEYER

 Despede-se Oscar Niemeyer. Arquiteto mundialmente conhecido, autor de belíssimas e ousadas linhas que ainda deslumbram quem as contempla, idealizadas, no entanto, conforme certa vez ele próprio declarou, para satisfazê-lo pessoalmente e não para produzir o que os outros esperavam dele, o que talvez explique o divórcio entre a beleza e o bem estar das pessoas que iriam morar e trabalhar no interior de suas formas, também uma obrigação do arquiteto, como provavelmente ele sabia. Filósofo, a ponto de afirmar que a vida é mais importante que a arquitetura, embora seja difícil imaginar um mundo no qual a ordem de importância fosse contrária. Talvez, secretamente, acreditasse na existência de tal mundo, daí o arrojo de seus desenhos. Reformador preocupado com os movimentos sociais, numa de suas últimas entrevistas, criticou os que , olhando para trás, diziam que fariam tudo de novo. Um alívio, pois talvez, esse retroagido Niemeyer não apoiasse um ditador que se gruda ao poder como craca de navio, uma excrescência no mundo moderno. Finalmente um ser humano que teve uma vida prolífica e, talvez por ironia, longa, presente de um Deus que, segundo Einstein, não joga dados, e no Qual, no entanto, não acreditava. Que descanse em paz e, ao encontrar-se com o saudoso Chico Anísio, explique finalmente por que não morava em Brasília. Paulo Roberto Gotaç prgotac@hotmail.com

Rio de Janeiro

   *

OBITUÁRIO

 “Quer ser bom, morra”, diz um velho ditado. Do miserável e anônimo ao magnata famoso e invejado, o obituário é previsível. Minimizam os males, realçam as virtudes e compre-se o ritual. De tudo o que tem sido dito sobre o falecido arquiteto comunista na seção de cartas do Estadão e em outras mídias, o mais equilibrado, justo, elegante e até generoso foi dito pelo Sr. Paulo Boccato na edição eletrônica do Fórum dos Leitores de ontem (“Construtor de caixotes”). Faço minhas as suas palavras. Irretocável.

 

Antonio Cavalcanti da Matta Ribeiro antoniodamatta@ig.com.br

São José dos Campos

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.