Fórum dos Leitores

CORRUPÇÃO

O Estado de S.Paulo

12 Dezembro 2012 | 02h09

Efeito dominó

Faltando 19 dias para mudar o ano, eclodem, ao estilo efeito dominó, as degringoladas operações que levaram ao mensalão. Os últimos monstros da caixa de Pandora estão sendo revelados pelo Estadão e expostos ao público, parte a que se devem esclarecimento e respeito. A ave da esperança já alçou voo quando do começo da Ação Penal 470 no STF. A figura política intransponível de Lula será manchada com tintas pretas ou apenas com giz?

PEDRO BEJA

pedrobejaaguiar@gmail.com

Rio de Janeiro

Espanto

Oh, como estou surpresa com a manchete do Estadão escancarando o conteúdo do depoimento de Marcos Valério em que afirma que o mensalão pagou despesas pessoais do já eleito presidente Lula, em 2003; que os recursos foram depositados na conta da empresa do ex-assessor da Presidência Freud Godoy (cujo nome também apareceu como envolvido no assassinato do prefeito Celso Daniel), que Lula deu "ok" para os empréstimos dos Bancos Rural e BMG em reunião no Palácio do Planalto diante de José Dirceu e Delúbio Soares, dinheiro que seria usado para pagamento das "mesadas" a deputados da base aliada; que Paulo Okamotto, hoje diretor do Instituto Lula, teria ameaçado Marcos Valério de morte se ele abrisse a boca... Gente, estou pasma, nunca poderia supor tamanhas inverdades!

MARA MONTEZUMA ASSAF

montezuma.scriba@gmail.com

São Paulo

Ventilador ligado

Quatro acusações numa tacada só: Marcos Valério disse ao Ministério Público que Lula usou dinheiro do mensalão para despesas pessoais, deu "ok" para empréstimos bancários, atuou no caso Portugal Telecom e, por último, a gravíssima denúncia de que foi ameaçado de morte por gente do PT, hipótese que não pode ser descartada, pois os casos Celso Daniel e Toninho do PT foram muito mal esclarecidos. Diz o ditado que "o diabo ajuda a fazer, mas não a esconder". E a sujeira embaixo do tapete, coisa que "nunca existiu no governo do PT", começa a esvoaçar graças ao ventilador ligado por Valério, tido como o operador do mensalão, testemunha de muito peso, que poderá afundar o barco petista.

SÉRGIO DAFRÉ

sergio_dafre@hotmail.com

Jundiaí

Pingos nos is

É o Marcos Valério que está agora pondo os pingos nos is sobre o mandatário-mor do mensalão.

OMAR EL SEOUD

elseoud@iq.usp.br

São Paulo

Lula x Collor

O mensalão pagou despesas pessoais de Lula. E pensar que uma Fiat Elba levou ao impeachment de Collor, hoje confortavelmente instalado nas hostes governistas!

ALBERTO FUTURO

carlos_futuro@viscondeitaborai.com.br

São Paulo

A Casa da Dinda é fichinha perto do valerioduto. O Estadão traz às claras o depoimento de Marcos Valério e comprova a grande corrupção envolvendo o PT e Lulla. Quando oposição, Lulla foi dos que se vangloriaram de pedir o impeachment de Collor. Mas verificamos que o PT e Lulla foram muito mais corruptos. Por uma Elba e a reforma na Casa da Dinda, Collor foi deposto. E agora que essa bandalheira suplantou Collor, como fica? Aliás, o livro A Revolução dos Bichos, de George Orwell, cai bem nesta hora.

CLAUDIO MAZETTO

cmazetto@ig.com.br

Salto

Lula lá

Agora que Marcos Valério disse que na maracutaia (plano ilícito, manobra ilegal) Lula também estava lá, entendi o que os petistas querem dizer com "Lula lá".

ALKÍNDAR DE OLIVEIRA

alkindar@terra.com.br

São Paulo

Punhaladas

Quantos punhais nas costas serão necessários para "enterrar" politicamente aquele indivíduo que nunca sabe de nada e que acha que "inventou" o Brasil?

JOSÉ ALCIDES MULLER

josealcidesmuller@hotmail.com

Avaré

Lula nega tudo

Se Lula nega as denúncias feitas por Marcos Valério como negou as do mensalão, é hora de ser chamado aos tribunais.

AMÂNCIO LOBO

amancio lobo@uol.com.br

São Paulo

Nunca antes... se conjugou de forma tão imprópria o verbo negar.

LEILA E. LEITÃO

São Paulo

Cassação de mensaleiros

O presidente da Câmara, deputado Marco Maia, arvorou-se a interpretar a Constituição e, com uma ponta de arrogância, sugeriu uma ameaça de crise entre os Poderes Judiciário e Legislativo. Como assim? A interpretação da Constituição federal cabe ao STF. Qualquer dúvida deve ser dirimida pelo Supremo. Deus pôs nas mãos do ministro Celso de Mello a responsabilidade de decidir sobre o impasse causado pela dubiedade do texto constitucional.

MÁRIO NEGRÃO BORGONOVI

marionegrao.borgonovi@gmail.com

Rio de Janeiro

Crise institucional

Agora o obscuro presidente da Câmara disse a que veio: acena com grave crise institucional se o STF decidir que deputados não podem exercer mandato do cárcere. Seria cômico, não fosse trágico.

CLODOMIRO V. PORTO FILHO

cvporto@terra.com.br

São Paulo

Insegurança jurídica

Quando juízes do STF divergem sobre o mesmo tema, é sinal de que as leis foram mal escritas. Quando se discute se políticos julgados culpados devem ou não ser imediatamente impedidos de exercer as suas atividades, é sinal de que a sociedade perdeu o bom senso. Sem leis claras e bom senso comum é impossível construir uma nação próspera e correta.

OSCAR SECKLER MÜLLER

oscarmuller2211@Gmail.com

São Paulo

Pedido

Por favor, ministro Celso de Mello, casse o mandato desses larápios, pois a Câmara não o fará.

BENEDITO RAIMUNDO MOREIRA

br_moreira@terra.com.br

Guarulhos

Corporativismo

Deixar que a Câmara decida sobre a cassação ou não dos corruptos é pôr bode para tomar conta de horta. Já sabemos o resultado.

LUIZ FRANCISCO DE A. SALGADO

direg@sp.senac.br

São Paulo

Cartas selecionadas para o Fórum dos Leitores do portal estadao.com.br

O DEPOIMENTO DE VALÉRIO

Nossa, fiquei "surpreso" com as declarações de Marcos Valério à Procuradoria-Geral da República, PGR (Estadão, 11/12/2012). Quer dizer que usaram dinheiro do mensalão para pagar despesas pessoais do ex-ilibado presidente Lula? Será que aqueles US$ 25 milhões que a Rose levou junto com o "PR" para Portugal eram dele? Ou do "JD"? Outra "surpresa": Marcos Valério foi ameaçado de morte. Oh! Para quem já eliminou, em queima de arquivo, Celso Daniel, o legista que participou do caso, entre outras vítimas, Toninho de Campinas, etc., eliminar mais um é fácil. Aliás, aquele Sr. Paulo Okamoto agora é presidente do instituto dedicado ao ex excelentíssimo e salve, salve, presidente. Para os amigos, os petralhas arrumam uma boquinha em qualquer lugar.

Renato Camargo natuscamargo@yahoo.com.br

São Paulo

*

GOVERNO DO PT X TAPETE CURTO

Nos últimos anos, o que vimos foi o pessoal do PT negar sempre os escândalos. Na realidade, jogavam para debaixo do tapete. Os anos passaram-se e o acúmulo debaixo dos tapetes palacianos começaram a aparecer. Tapa daqui, descobre ali, a sujeira começa a exalar mau cheiro e começa a contaminar todos os corredores do poder. E, como sempre, continuarão negando tudo! Meu caro leitor, sem alongar mais, não acham que o País merece um pouco mais de decência?

Haroldo Eustaquio Rocha haroldoerocha@ig.com.br

São Paulo

*

DOMÍNIO DOS FATOS

Após as últimas revelações sobre o depoimento de Marcos Valério à Procuradoria Geral da República sobre o mensalão (Estadão, 11/12), é forçoso concluir que a Teoria do Domínio dos Fatos, tão combatida pelos petralhas, aplica-se não aos chefetes já condenados, mas ao "capo di tutti capi", dirigente-mor da famigerada Lula-PT, Liga Universal dos Larápios Anônimos - Participemos Todos. Aquele que nunca sabe de nada sabe!

Geert J. Prange prange@sul.com.br

Paranaguá (PR)

*

TEMPESTADE À VISTA

Marcos Valério, réu condenado do mensalão, começa a contar tudo o que sabe. Afirma que o esquema pagou despesas pessoais de Lula, conforme notícia ontem (11/12) no Estado. Rosemary Noronha também afirmou que não cairá sozinha. Depreende-se, então, que muita água suja irá rolar debaixo da ponte. E o nosso ex-presidente, em flagrante cinismo, sempre alardeou que não sabia de nada sobre o fraudulento esquema, conhecido como mensalão.

Francisco Zardetto fzardetto@uol.com.br

São Paulo

*

SOB CONTROLE DA MÁFIA

"Tem gente no PT que acha que a gente devia matar você." Ou você se comporta, ou morre. Essa recomendação não vem de Don Corleone, ou de Fernandinho Beira-Mar, mas de um petista amigo de Lula, Paulo Okamoto, lembrando Marcos Valério, operador do mensalão, da íntima relação que existe entre o silêncio e a longevidade. Minha dúvida: será que o assassinato do prefeito de Santo André Celso Daniel, em 2002, ocorreu por mau comportamento? Se Okamoto nega essa declaração de Valério, como Lula nega o mensalão, é o caso de interditar o PT imediatamente e prender toda a quadrilha que se assenhorou do poder, com a destituição da presidente.

Peter Cazale pcazale@uol.com.br

São Paulo

*

O JORNAL DE LULA

Gostaria de saber qual o jornal que sua ex-excelência lê. Okamoto sabe?

Sinclair Rocha sinclairmalu@uol.com.br

São Paulo

*

O CERCO SE FECHA

O cerco está se fechando. Marcos Valério está soltando a língua, envolvendo a alta cúpula do PT, incluindo-se o Sr. Lula da Silva, Okamoto, Freud Godoy, Dirceu e companhia bela. A nós, simples mortais, queremos a verdade dessa farra toda, e que os culpados paguem pelos danos causados ao País.

Pedro Sergio Ronco sergioronco@uol.com.br

Ribeirão Bonito

*

SEM NOVIDADES

Nenhuma novidade! Tudo o que está lá, na reportagem do Estadão, os leitores mais esclarecidos comentam diariamente em todos os jornais. Mas chegou o dia do imbróglio encostar no Lula, na cúpula do PT. E, daí? Já está claro que, por vários motivos, ninguém vai chegar nele, o onipotente Lula. Há tempos ele e o resto da quadrilha deviam ter sido interditados judicialmente, para parar o desvio do nosso dinheiro, a roubalheira na nossa cara, a falta total de respeito à população, a falta total de ética e decoro. Agora vejam, o Collor fez o que fez e a população correu com ele. Ele virou referência de mau-caratismo, qualidade que sobra nos petralhas. Mas essas tralhas têm a conivência da população... Na época do Collor, ninguém o defendia, nesta época do Lula, o que tem de gente que o defende é alarmante. Para mim, a questão é de imagem. O Collor tinha, e tem, uma figura prepotente, o Lula tem cara de tio tonto, de lerdo... A política, infelizmente, tem cara de trambicagem. A opinião pública, conforme definição acertada do Nelson Rodrigues, é uma unanimidade burra. E aí está o cenário onde um foi corrido e o outro, acolhido. Em teatro, quando um ator está criando um personagem lhe é pedido que o construa procurando seduzir o público. É esse o truque do Lula, ele seduz o povo! Compete aos brasileiros esclarecidos e atentos seduzir esse mesmo povo e reverter a situação, mostrando o mal que essa corriola está provocando ao País e resgatar a ideia de dignidade, honra e ética que está se perdendo. E, principalmente, fazer com que a corriola devolva nosso rico dinheirinho, roubado na cara dura.

Petra Ramos petrarte@hotmail.com

Santo André

*

DESPESAS

Marcos Valério assevera que, em 2003, fez depósitos em favor de Lula. O PT, por sua vez, pagou R$ 4 milhões para a sua defesa no Supremo Tribunal Federal (STF). E, em suma, a turma do mensalão tinha todas as regalias necessárias, da mesma forma que os chefes maiores nunca tiveram preocupações de pagamentos de certas despesas, como ocorre com os mortais da normalidade. Na verdade, a ação penal 470 fez um extraordinário bem ao País. Santo que, ainda, não foi canonizado, não o será mais. E muitos pregadores de moralidade e ética foram pegos com a mão na botija, no dizer do caboclo paulista. É um novelo que, quanto mais se puxa a linha, mais metros ele proporciona. E muita coisa mais vai rolar, no dizer da juventude atual. Será que o PT ainda quer pregar moralidade e ética? E o chefe maior: gosta ou não de mentir?

José Carlos de Carvalho Carneiro carneirojc@ig.com.br

Rio Claro

*

METERAM AS MÃOS PELOS PÉS

Sem nenhuma duvida o Lula sabia de tudo e claro se aproveitou o quanto pode. O laranjão Dirceu entrou nessa porque também levou muito. Não é possível toda essa tramoia passar despercebida pelo grande cabeça pensante Lula o cara que bolou tudo isso, afinal era muito dinheiro para não meterem a mão, aliás, as mãos. Infelizmente, para eles, foram com muita sede ao poço e meteram as mãos pelos pés, e aí é que a coisa pegou e alguém bateu com a boca nos dentes. Tanta gente metida nessa confusão, uma verdadeira e orquestrada quadrilha, que não dava para segurar. Nunca antes neste país alguém meteu a mão em R$ 153 milhões e ainda quer dar uma de santo do pau oco. Pena que as multas foram quirelas perante tudo que levaram e deixaram levar. Que a prisão os reconforte e pensem na maldade que fizeram ao País e aos descamisados.

Antonio Jose G. Marques a.jose@uol.com.br

São Paulo

*

'DESESPERO'

Mais uma vez somos obrigados a escutar o presidente do PT, Rui Falcão, dar mais uma das suas habituais e ridículas explicações sobre qualquer coisa que atinja o seu partido. Dizer que as declarações de Valério são desespero é uma atitude desesperada dele próprio e que tem o único objetivo de desvalorizar o que foi dito pelo operador do mensalão. Que outro objetivo teria Valério, além de se vingar de quem o usou e, na hora do vamos ver, o deixou entregue à sua própria sorte? Se a intenção dele fosse uma redução de pena, o momento de delação premiada ocorreu antes da sua condenação, e ele não quis fazer uso dela.

Ronaldo Gomes Ferraz ronferraz@globo.com

Rio de Janeiro

*

VALÉRIO, SEJA RÁPIDO

Vamos lá, Sr. Marcos Valério, fale, mostre e prove tudo o que sabe sobre o mensalão e outras falcatruas, antes que seja tarde demais! Logo, Rui Falcão, Gilberto Carvalho, José Eduardo Cardozo e Aloizio Mercadante, a tropa de choque dos petralhas, começarão a vir a público alegando que tudo não passa de "armação" das elites dominantes (sic) e da mídia conservadora. Todavia, seja rápido, uma vez que poderemos ter a repetição da história de Celso Daniel, Toninho do PT e outras mais. Agora não tem volta, mais vale um alcagueta vivo do que um corrupto morto.

Antonio Carelli Filho palestrino1949@hotmail.com

Taubaté

*

O JOGADOR

As manifestações do publicitário Marcos Valério mostram duas situações que merecem atenção. De um lado, um condenado que de forma oportunista tenta conseguir redução da pena. E faz declarações como se fosse o dono não da verdade, mas de um arsenal de informações comprometedoras. E ele age como um chantagista da pior espécie. E por outro lado, por que tais fatos não foram apurados no tempo devido, no período de investigações? Por certo os integrantes do STF não se deixarão levar por essa jogada de um pessoa que tem ligações inclusive com fatos anteriores, em Minas Gerais

Uriel Villas Boas urielvillasboas@yahoo.com.br

Santos

*

O HOMEM QUE SABE DEMAIS

Afinal, Marcos Valério, o homem que sabe demais, conseguiu estender suas denúncias premiadas a título de proteção à testemunha e alcançar Lula, o homem que sabe de menos. Nenhum espanto; sabemos de tudo - ou quase tudo -, mesmo antes do caso Celso Daniel e, suspeitamos, a tropa de choque estará a postos para tentar outra blindagem ao inatingível, até agora, ex-presidente, que se refugiou à sombra de Dilma em Paris. Ora, o desdobrar do caso, agora, nem Freud (Godoy) explica, mas esperamos que o STF continue atento, assim como todos nós, e que a justiça, enfim, seja feita!

Carmela Tassi Chaves tassichaves@yahoo.com.br

São Paulo

*

CORRUPÇÃOZINHA

Com as declarações de Marcos Valério dando nome aos bois e números ao escândalo, fica uma constatação: se a corrupção desse governo fosse do mesmo tamanho do PIBinho, o País estaria a salvo e no bom caminho.

Claudio Juchem cjuchem@gmail.com

São Paulo

*

A DIREITA DO EMPRESÁRIO

Um lado fala que é verdade. O outro lado rebate dizendo que é mentira. Por que o STF não promove uma acareação pela TV, assim como o enfadonho, prolixo e arrastado julgamento do mensalão? O PT acerta quando diz que é vítima da "direita"; o relato do empresário é uma "direita" no fígado do partido e na aura que certos integrantes acham que possuem.

Flavio Marcus Juliano opegapulhas@terra.com.br

Santos

*

LAMPIÃO DO SÉCULO 21

O ex-presidente Lula recebeu dinheiro das empresas aconselhadas, "digamos assim", por Marcos Valério, depois o tal "fiel escudeiro", uma espécie de aia da rainha, mas na verdade o capanga do Lula, avisa Marcos Valério de que tem gente do PT querendo que o mate. Pelo amor de Deus, o que falta mais para denunciar de forma cabal nosso lampião do século 21? Que nojo! Parece que vivo naqueles países reportados em filmes de países do Terceiro Mundo, tipo Luar sob Parador, ou Havana, ou Diamantes de Sangue.

Roberto Moreira da Silva rrobertoms@uol.com.br

São Paulo

*

LULA

Será que agora ele pega uma cana? Ou vai continuar no scotch?

Carlos Alberto Roxo roxo_7@terra.com.br

São Paulo

*

O GRANDE CHEFE

"... ai, ai, ai, ai, tá chegando a hora..."

Guto Pacheco daniguto@uol.com.br

São Paulo

*

ACAREAÇÃO

Diante do depoimento de Marcos Valério ao Ministério Público e a sonegação dos subsídios pelos envolvidos, o caminho melhor é da acareação para que se chegue a um denominador comum. A sociedade exige transparência e o zelo pela coisa pública, e a verdade somente poderá ser alcançada se todos forem ouvidos para dissipar dúvidas, preservando-se a República, na visão plena da democracia.

Yvette Kfouri Abrao abraoc@uol.com.br

São Paulo

*

ENCENAÇÃO DO MENSALÃO

Uma parte do elenco representado por banqueiros, publicitários, políticos, etc., vai atuar a partir de 2013 em celas de prisão, 24 horas por dia, ou apenas à noite. Este ato é longo, e deve durar anos... O autor, ou protagonista deste horroroso espetáculo que vem enojando a nossa sociedade, ainda não disse, qual será o seu final. Porque como sempre faz, embroma dizendo que não sabe de nada! Mas, as luzes, holofotes, ao som de um forró bem arretado, hoje estão direcionadas exclusivamente para um personagem muito especial, o Lula! E sempre graças a nossa imprensa, que com suas fontes fidedignas, divulga (Estadão, 11/12/2012) que o Marcos Valério, por não estar muito confortável no papel de criminoso, e com a incumbência de ter de encenar direto da prisão por 40 anos, afirmou à PGR em setembro último, que no script deste crime de desvios de recursos públicos, o ex-presidente foi quem autorizou os empréstimos fraudulentos com o Banco Rural, entre outras solicitações de recursos duvidosos. Tudo tramado na presença do Valério, Delúbio e, lógico, do José Dirceu! E para emporcalhar ainda mais a imagem da Nação, tramaram este crime exatamente dentro das dependências do Palácio do Planalto, e com o Lula em pleno exercício do seu mandato... Entre outros personagens, Valério conta também que, para um fiel capanga do ex-presidente, um tal de Freud Godói, depositou R$ 100 mil, para que pagasse despesas pessoais do Lula. Além de R$ 512.337,00, para Humberto Costa! E resumindo, com jeito de um dramático "grand finale", o Marcos Valério, afirma que o Paulo Okamoto, hoje diretor do Instituto Lula, e lá atrás suspeito de ser seu assessor financeiro, do tal "caixa dois", o ameaçou dizendo: ou você se comporta, ou morre (até o Celso Daniel não duvidaria se estivesse vivo...)... Aliás, o Okamoto deve estar em Paris, a esta hora, acompanhando e pagando as contas do ex-presidente, com euros, sabe Deus, de quem... Logicamente que o que relato acima é apenas um trailer de um longo e penoso acontecimento, que poderá ter grandes desdobramentos pela frente, dependendo, por exemplo: de possíveis confissões de uma Rosemary Noronha, e outros... É bom lembrar que o ensaio desta encenação do mensalão ocorre desde 2005, e é recorde de público! Excetuando as crianças, todos os brasileiros de norte a sul assistem quase que diariamente a essas peripécias de como assaltar o erário... Só não é imprópria para menores de 18 anos, porque estamos felizmente numa democracia! Mas, como legado, um dos piores da nossa história, imposto cruelmente pela classe política brasileira!

Paulo Panossian paulopanossian@hotmail.com

São Carlos

*

FIM DO MUNDO

O fim do mundo deve estar próximo mesmo: Sarney defendendo Lula é o roto falando do esfarrapado.

Angelo Antonio Maglio angelo@rancholarimoveis.com.br

Cotia

*

SARNEY E LULA

Virgo Vestalia Maxima. Ora, ora, seu Ribamar. Essa é de cabo de esquadra. Do seu Lula não se pode falar a não ser bem. A verdade sobre Lula não pode ser dita. De onde o senador tirou tão esdrúxulo conceito? Na sociedade e na cultura onde se formou tão ilustre, tão longevo e tão poderoso oligarca nunca se ouviu falar em ética? Em compostura, em recato, em compromisso com a verdade? Em respeito à Nação? De onde saiu esse senhor que envergonha o povo deste tão maltratado país por seus políticos e seus áulicos? Com certeza todos os limites da dignidade estão sendo ultrapassados pelos atuais detentores do poder. Reagir a tais atitudes é dever de cidadania.

Mário Rubens Costa costamar31@terra.com.br

Campinas

*

REPORTAGEM

Não sou jurado do Prêmio Esso de Jornalismo (o Oscar da nossa Imprensa). Mas a manchete e a matéria de capa deste 11 de dezembro do Estadão merece. O fio da meada começa a desenrolar o envolvimento de um ex-presidente que desmente "não sei, não vi, a culpa não é minha...". Que bom que temos essa Imprensa. Agora, acho que a oposição deve sair dessa letargia e, como prega o PT, mobilizar a nação consciente e responsável.

Luís Cláudio Marchesi pmarchesi@globo.com

São Paulo

*

O GOLPE DO PT

Para chegar ao poder em 2002, o PT divulgou a Carta ao Povo Brasileiro em que se comprometia a respeitar as normas econômicas e institucionais vigentes na época, mas bastou menos de dois anos para rasgarem a tal carta e esquecerem o que haviam prometido honrar, desencadeando o projeto de poder perpétuo que acabou desaguando no processo do Mensalão, que só foi descoberto devido à liberdade de imprensa, a qual o PT tenta minar de maneira autoritária, porém camuflada, através do "controle social da mídia". Agora, depois de mais uma declaração absurda do presidente da Câmara dos Deputados, Marco Maia (PT-RS), de que "não será respeitada" a decisão do Supremo Tribunal Federal, para cassar deputados condenados (que na verdade deveriam renunciar imediatamente se este país fosse sério), chegamos ao fundo do poço como nação. É o cúmulo da insensatez. É a avacalhação lulo-dilmo-petista que faz o Brasil regredir 100 anos em termos institucionais, com aparelhamento indiscriminado do Estado e falta de respeito à democracia. O PT e seus asseclas perderam a noção da realidade e já acreditam que tudo podem. Não podem!

Sandro Ferreira sandroferreira94@hotmail.com

Ponta Grossa (PR)

*

PERDA DE MANDATO DOS MENSALEIROS

Se deixarem para a Câmara decidir, vai haver mensalão para decidir o destino dos envolvidos no mensalão.

Ricardo Sanazaro Marin

Osasco

*

ESTRANHO

Quem acompanha o julgamento dessa ação penal 470 está pasmo de ver o comportamento de alguns componentes do STF. Todo rigor - muito justo - nos votos para condenar e penalizar os corruptos dos grupos operacional e financeiro, contrasta com a suavidade do votos atribuídos ao grupo político, senão vejamos: 1) já na fase de condenação, por um voto revisto pelo Sr. Lewandowski resultou na absolvição de dois deputados que, comprovadamente, receberam valores surrupiados da Nação; 2) na fase de aplicar as penas, as decisões do colegiado foram muito mais brandas para os políticos (por influencia dos mesmos ministros); 3) agora, na fase de definir a suspensão dos direitos políticos e da cassação de mandatos, assistimos a alguns ministros abrirem verdadeira guerra contra o relator, fazendo uma obsessiva defesa para que a definição ficasse por conta da camara federal (como é sabido ha um forte corporativismo nessa camara, e uma maioria da situação que pode levar à absolvição - como já ocorreu em outros casos, por exemplo a deputada Roriz). Por essas razões, quero manifestar a minha estranheza pelo comportamento ambíguo de alguns ministros.

Adib Hanna adib.hanna@bol.com.br

São Paulo

*

STF X LEGISLATIVO

Muito frustrante o conflito suscitado entre os dois Poderes, em especial a (tardia) posição tomada pela Câmara, pois em outros lugares os criminosos condenados pelo Supremo já teriam sido expulsos pelos respectivos partidos e cassado seu mandato de legisladores!

Pablo L. Mainzer plmainzer@hotmail.com

São Paulo

*

ERROU, PAGOU!

"Não estamos vivendo um regime de exceção, uma ditadura, onde a Constituição não é respeitada". Assim Marco Maia, presidente da Câmara, mostrou sua indignação com a possibilidade de o STF definir que tem a palavra final sobre a perda de mandato dos três deputados condenados no mensalão. Ora, Sr. Maia, o Supremo existe para interpretar a Constituição e é o que os ministros estão legitimamente fazendo, com debates intensos e com a máxima transparência. O senhor defender que a Casa não cumpra decisão da Corte é defesa perigosa, demonstra um autoritarismo que não compete dentro de uma democracia. Sua atitude, sim, configura regime de exceção, cuidado! Se um parlamentar perde os direitos políticos, como pode continuar com um mandato? Cabe à Câmara, como a maioria dos ministros vai demonstrar, apenas "declarar" a perda dos mandatos, e, não, decidir. Agora, entre nós mortais, como pode um parlamentar que foi condenado por improbidade administrativa, lavagem de dinheiro e formação de quadrilha continuar com representação e, principalmente, legislando, quando já mostrou que não possui ética, moral e decência com a coisa pública? Isso é descalabro dos maiores! Sr. Marco Maia, as infundadas manifestações de revolta do PT contra o STF ainda vão trazer problemas para o partido. O que está acontecendo é que os condenados erraram e devem ser punidos. Aceitem isso e não errem mais!

Myrian Macedo myrian.macedo@uol.com.br

São Paulo

*

MEU REPRESENTANTE MENSALEIRO

Ministra Rosa Weber, no seu voto ficou consignado "que o mandato não é um direito individual, mas dos eleitores...". Poderia esclarecer, por favor, como o votante de um dos réus no processo deve fazer para afastá-lo da Camara de Deputados?

Alvarez Aguiar alvarez.atib@hotmail.com

São Paulo

*

O VOTO DE CELSO DE MELLO

Que Deus ilumine o voto que será proferido nesta quarta-feira pelo decano ministro Celso de Mello a respeito da perda imediata do mandato dos deputados condenados no processo do mensalão. Pêsames às ministras Carmen Lúcia e Rosa Weber e aos "advogados de defesa" Ricardo Lewandowski e Dias Toffoli, com seus votos favoráveis à não cassação dos deputados. Seremos considerados, no mundo, um país onde políticos corruptos e condenados legislam de dentro da penitenciária, onde cumprem as suas penas, e um país onde a impunidade parlamentar faz parte da Constituição.

Claudio Grozinski claudio@linterconstrutora.com.br

São Paulo

*

CASSAÇÃO?

Com a recente afirmação do presidente da Câmara dos Deputados, deputado Marco Maia, em não cumprir a decisão pela perda dos mandatos dos deputados caso sejam condenados na Ação Penal 470, só restou uma alternativa ao STF, paralisar os trabalhos ate quarta feira, período esse que, certamente, os poderes dialogarão, e, com certeza o voto faltante do ministro Celso de Mello, desempatara o placar de maneira em que fique bom para ambos os poderes diante a opinião publica, afinal o Natal está chegando.

Arnaldo Luiz de Oliveira Filho arluolf@hotmail.com

Itapeva

*

MENTALIDADE TACANHA

Só no Brasil mesmo ainda querem permitir que parlamentar julgado e condenado ainda exerça seu mandato até o término, como se nada tivesse acontecido. Algo que jamais aconteceria em qualquer país minimamente civilizado do mundo. Eis o retrato de um Brasil de mentalidade tacanha. Como diz aquele velho dito, "seria cômico, se não fosse trágico".

Judson Clayton Maciel judson@judsonline.com

Rio de Janeiro

*

O QUE UM POPULAR ESPERA

Srs. ministros do STF, trabalhar a favor do povo é sim, punir políticos corruptos com inclusive a perca de mandato não só como punição exemplar mas, evitar o que se traduz num velho ditado - acabar criando a raposa no galinheiro - e pior, é pensar que sua autonomia (STF) no final de um processo exemplar, memorável talvez, ver seu voto vinculado aos deputados (minúsculas por favor). Para quem nunca teve, uma vez na vida a oportunidade de ver, literalmente, a Justiça ser feita aos olhos, amanhã, não vão entender o que vocês estão fazendo aí.

Flávio Cesar Pigari flavio.pigari@gmail.com

Jales

*

IMUNIDADE PARLAMENTAR

A disputa entre os Poderes Legislativo e Judiciário sobre a perda ou não dos mandatos para os políticos julgados e condenados criminalmente oferece uma ótima oportunidade para que a sociedade discuta o fim da imunidade parlamentar para crimes comuns. Não se pode mais tolerar que quadrilhas criminosas se instalem no poder com o objetivo de roubar dinheiro público e continuem a de defender com do escudo da imunidade parlamentar.

Mário Barilá Filho mariobarila@yahoo.com.br

São Paulo

*

FICHA IMUNDA FAZENDO LEIS?

Se não forem cassados os mensaleiros condenados que possuem mandato legislativo, eles despacharão da cadeia? Participarão das sessões por vídeo conferência?

Luiz Nusbaum lnusbaum@uol.com.br

São Paulo

*

MARCO MAIA E OS MENSALEIROS

É brincar com fogo!

Alexandre Funck afunck1@gmail.com

Bragança Paulista

*

A CONTA DE ENERGIA ELÉTRICA

A presidente Dilma veio a público alardear que o governo federal irá bancar o desconto na energia elétrica negada pelas principais centrais elétricas do País. Depois dessa noticia, imediatamente uma lanterna amarela acendeu. Quer dizer, então, que o governo irá subsidiar a conta de luz, que em contrapartida aumenta nossa dívida interna? É ou não eleitoreira essa notícia? Como a maioria dos brasileiros nem sabe fazer conta, nada como engambelar para continuar no poder. Vale lembrar que, nos últimos dez anos, nossa dívida interna já beira os R$ 2 trilhões. Quase o triplo herdado do governo Fernando Henrique Cardoso. Um dia a conta vai bater à porta de todos os brasileiros, mas quem deverá responder judicialmente por este estelionato?

Beatriz Campos beatriz.campos@uol.com.br

São Paulo

*

A VÍTIMA

Ainda bem que os tucanos são insensíveis em renegociar os contratos de energia nos Estados que governam. A presidente Dilma se faz de vítima, quando tem por obrigação conceder os descontos de energia, devido a uma decisão judicial, pela apropriação indevida de valores do povo brasileiro durante a gestão PeTista, cobrados a maior nas contas de luz. Abusando, enganando e mentindo para os cidadãos brasileiros que a partir de janeiro de 2013 ocorrerá uma "redução" nas tarifas de consumo de luz dos usuários. Comprovando a mentira eleitoreira, é uma "devolução" determinada pela Justiça. Que desrespeito e desonestidade com os seus eleitores, Dona Dilma! E ainda quer culpar os partidos de oposição? O PT não é mesmo um ParTido confiável, se fazem de vítimas, quando são os próprios malfeitores. Com certeza num país sério esse tipo de mentira provocaria a perda do cargo e a cassação dos direitos políticos do governante mentiroso, mas no Brasil, pelo visto, vai ficar por isso mesmo.

Luiz Dias lfd.silva@2me.com.br

São Paulo

*

ANTES AGORA DO QUE NUNCA

Seja qual for a redução na conta da energia elétrica, de 20,2% ou 16,7%, o importante é que essa redução aconteça mesmo no início de 2013, para as empresas e pessoas físicas, como planejado pelo governo Dilma. Como vários impostos, taxas, e subsídios cobrados em excesso vêm sendo cobrados de longa data pelos governos anteriores - não somente pelo PT -, é melhor agora do que nunca!

Márcio Rosário mrmarcio_rosario@hotmail.com

Leme

*

TODOS ERRARAM

O que é politicamente correto nem sempre é economicamente viável. O governo errou ao não deixar claras as regras da lei, que ainda nem existe, agindo açodadamente por medida provisória. Os três Estados, através de suas geradoras, também erraram ao não procurar de maneira mais direta e formal uma negociação com o governo, bem como ao não esclarecer à Nação as razões de sua recusa para antecipar os contratos. O resultado é que quem vai pagar a conta somos nós, contribuintes, pela mão do Tesouro Nacional.

Paulo Campos Hartford pcamposharfod@gmail.com

São Paulo

*

REDUNDÂNCIA

Se não fosse uma redundância, poderia ser classificada como rasteira a nota petista criticando os governos tucanos na questão das contas de energia. Trata-se da velha tática da contra-informação, destinada a desviar a atenção da população do que realmente importa. O que eles precisam explicar é como o companheiro-mor instalou a amante no comando de uma quadrilha no escritório da Presidência da República em São Paulo, destinada a traficar pareceres em diversos órgãos públicos. Nem mais, nem menos. Do jeito que a coisa está indo e do jeito que estão agindo, quando a hora exigir, esta gente, sob a ameaça de enquadramento legal, não terá o menor constrangimento em se aliar ao MST, ao PCC, às Farcs ou a quem quer que seja para implantar a desordem e se manter no poder.

José Benedito Napoleone Silveira nenosilveira@aim.com

Campinas

*

TENSÃO CORRENTE E APAGÃO

Baixar o custo de utilização de energia elétrica, a famosa "conta de luz", vai acabar dando curto circuito. Se essa corrente se espalhar, a tensão entre as várias distribuidoras estaduais e o governo federal só tenderá para um verdadeiro apagão no relacionamento. Quem levará a pior serão os governos estaduais. O governo federal explorará isso até o seu fim. Aos menos conhecedores do dito assunto, o que importará será um custo de energia elétrica menor. Não interessará a falta de investimentos no setor. Interessará, sim, o custo menor, e assim isso será capitalizado até ao máximo pela atual situação. O que mais importa são os votos, infelizmente, dos menos esclarecidos. E é exatamente isso que a dita situação é extremamente competente em explorar.

José Piacsek Neto bubapiacsek@yahoo.com.br

Avanhandava

*

O FATOR KASSAB EM 2014

Gilberto Kassab, sempre visando a seus interesses, já colocou seu partido, o PSD, em leilão, para ver quem lhe oferece mais benefícios e vantagens para receber em troca seu apoio para 2014 (PSD vira partido estratégico para 2014, 10/12, A9). Por enquanto, está em cima do muro entre o PT de Dilma Rousseff, o PSDB de Aécio Neves e o PSB de Eduardo Campos. Ou seja, o que menos interessa é o plano político, não é?

Angelo Tonelli angelotonelli@yahoo.com.br

São Paulo

*

PARTIDO ESTRATÉGICO

Os candidatos à Presidência em 2014 que se cuidem (10/12, A9). O ex-prefeito Gilberto Kassab (PSD) é o "homem bomba" - vejam o estrago que fez ao PSDB na última eleição municipal na cidade de São Paulo.

José Millei j.millei@hotmail.com

São Paulo

*

'UNIVERSIDADES CATÓLICAS'

Li o artigo Universidades Católicas, do cardeal-arcebispo de São Paulo, Dom Odilo P. Scherer (Estado, 8/12, A2). Passo por cima da primeira parte do mesmo, pois não é possível que Dom Odilo não tenha compreendido até agora que o que está em questão não é nenhum aspecto legal, nem mesmo a nomeação da terceira colocada na lista tríplice para o cargo de reitor da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP) como episódio isolado. Este ato foi na realidade o catalisador de uma reação à prepotência da Fundação São Paulo, desde a imposição de um estatuto que decapitou a universidade, contratos de trabalho em condições desvantajosas, demissão de professores e funcionários, para não nos alongar nesta triste "lista". A segunda parte do artigo, infelizmente, continua no mesmo tom. Trata-se de aplicar a Constituição Apostólica Ex Corde Ecclesiae. Basta ler o artigo 4.º da segunda parte desta Constituição para ter ideia de qual é o sentido em que "a universidade católica é, por excelência, um espaço de diálogo cultural, onde ela tem muito a oferecer, ex corde ecclessiae, a partir do âmago de sua identidade, de sua mensagem e da experiência secular da Igreja". Nada mais "confessional" que este artigo, típico da referida Constituição. Parece que Jesus deveria ter sido um pouco mais "confessional" (cf. Mc 9, 38-40) e não deveria ter perdido tempo: em vez de pronunciar o sermão da montanha, deveria ter promulgado logo o código de direito canônico. Dom Odilo tem-se mostrado realmente um homem da lei, e não da graça. Tudo o que ele fez em relação à PUC-SP não tem graça nenhuma. Seu artigo é também sem graça. Em matéria de diálogo, Dom Odilo é de dar inveja ao Duque Valentino. Aliás, este precisou de apenas um Ramiro de Orco para tornar a Romanha "pacífica e obediente" e Dom Odilo, de dois, em relação à PUC-SP; um, que bate, e outro, que afaga, o que deixa na expectativa de Sinigaglia. Enfim, seu informe ao Conselho Universitário da PUC-SP, com data de 29/11/2012, termina dizendo: "Esta é minha decisão definitiva". Tão definitiva como a morte, sem esperança de ressurreição. Descanse em paz.

Carlos Arthur Ribeiro do Nascimento carlos-arthur@ajato.com.br

São Paulo

*

RACIOCÍNIO JURÍDICO

Quanto ao artigo do Dom Odilo P. Scherer, é importante dizer que, do ponto de vista jurídico, está impecável o seu raciocínio: de fato o reitor da PUC-SP, o primeiro ou o terceiro mais votado, deve ser nomeado pelo Grão-Chanceler. Isto é o que está previsto nos Estatutos e ninguém pode contestar juridicamente este ato. Porém, do ponto de político e religioso, a sua decisão é incoerente. Politicamente incoerente porque o candidato a reitor mais votado era nada mais nada menos do que o professor Dirceu de Mello, cristão declarado, ex-presidente do Tribunal de Justiça de São Paulo e pessoa de índole e capacidade indiscutíveis. O cardeal-arcebispo não disse expressamente qual o critério o fez preterir Dirceu de Mello e escolher Anna Cintra. Não disse em que aspecto o primeiro colocado contrariaria o "coração da Igreja", por isso pecou em sua explicação política. Do ponto de vista religioso, a decisão também é incoerente: consta das Escrituras que não é preciso prometer para Deus, mas, se prometer, deve cumprir (Ecl. 5). A professora Anna Cintra prometeu, antes das eleições, não assumir o cargo se não fosse a mais votada. Ao nomeá-la, mesmo assim, Dom Odilo legitimou o descumprimento de uma promessa, atribuindo ao cargo de reitor de uma das mais importantes universidades de São Paulo a alguém que, por causa disso, não tem nenhuma credibilidade em sua palavra, nem dita, nem escrita. Não é possível acreditar que a Igreja Católica, em essência, possa compactuar com tal atitude. Por isso Dom Odilo, desta vez, pode ter manifestado a vontade do "coração da Igreja", não em essência, mas, sim, pelo poder do cargo que ocupa, mas certamente não atendeu aos corações da comunidade da PUC, que, por causa do dito acima, parece estar batendo em mais harmonia com o coração de Deus.

Paulo Thomas Korte paulo@korte.com.br

São Paulo

*

DOUTRINA SOCIAL CATÓLICA

Muito elucidativo o artigo de Dom Odilo, Universidades católicas. É relevante, também, frisar que os objetivos da universidade católica, indicados no aludido artigo, não serão atingidos se não houver professores adestrados no riquíssimo ensinamento da Igreja, sobretudo na doutrina social católica. Além disso, o mais importante é poder contar com docentes moral e espiritualmente comprometidos com o caráter confessional da universidade.

Edson Luiz Sampel, doutor em Direito Canônico esampel@yahoo.com.br

São Paulo

*

INFELIZ EXEMPLO

Sobre o artigo de Dom Odilo Scherer a respeito da nova reitoria da PUC/SP, com todo o respeito que devo às pessoas e dirigentes da Igreja Católica, tenho de manifestar minha opinião clara deque essa instituição estacionou no tempo e nos métodos. A PUC/SP, para além de ser uma instituição de ensino, transformou-se num aparelho político onde poucos mandam e defendem linhas ideológicas específicas; além disso, tem um lobby político gigantesco. A PUC/SP teve, sim, um papel importante no contexto político passado, mas pagou um preço enorme por isso, pois há gente que hoje estrela ministérios, cargos eletivos e posições de destaque no cenário político graças ao aproveitamento que eles tiveram dentro dessa instituição, e, digo mesmo, aproveitamento no sentido mais baixo do termo. Hoje, a Universidade Católica de São Paulo é mais lembrada pelo passado em que contribuiu para produzir sentimento democrático e ser espaço de participação política, ao contrário do que se torna agora: uma instituição ausente e anódina. Graças a este artigo lembrei-me de um fato grave e, por coincidência, estampado com destaque em ambos os jornais (Folha e Estadão) na foto de Alice Vergueiro, do Futurapress, de 1/12/2012. Trata-se do trololó da nomeação senhora Anna Cintra. Isso já foi superado? Há perigo de isso mudar o eixo da Terra ou, melhor ainda, melhorar a distribuição da renda no Brasil? Tenham, desculpe-me a invocação de sentido religioso dado o caráter da Instituição, a Santa Paciência! Na foto citada, ocupando a primeira página de ambos os jornais, um jovem revoltado escondendo o rosto por detrás de uma camisa preta, como que se repudiando uma pobre senhorinha, a nova reitora. Pura mentira, pois a intenção desse rapaz furioso, modelo para os revoltados de hoje, é exatamente se esquivar do que está a fazer, isto é, esconder o rosto, como o fazem os diabólicos do PCC e outros vagabundos. O que ele estampa ao querer esconder é seu medo de perder a bolsa ou mesada serão cortados. Que infeliz exemplo é este desse jovem, deixando escancarado nos dois principais jornais do País sua irresponsabilidade, seu medo, seu cagaço!

Luiz Ferretti luiz.ferretti@uol.com.br

São Paulo

*

COINCIDÊNCIAS

Pelo conhecimento que tenho dos articulistas que, no Estadão de 8/12/2012, expõem, na página A2, suas abalizadas opiniões, pude notar umas coincidências na forma como abordaram cada tema: O STF e a República, do Dr. Eros Grau, meu companheiro de trabalho na Sabesp (década de 70); e Universidades Católicas, do cardeal-arcebispo Dom Odilo Scherer, de nossa Diocese. Ambos, em suas manifestações, abordam o tema da insubordinação de pessoas que desrespeitam as leis, as crenças e a democracia e, coincidentemente, são ligados, em sua maioria, a um partido que se diz dos trabalhadores. Assim sendo, hipoteco minha solidariedade aos eminentes doutos, que nos brindaram com seus oportunos e corretos esclarecimentos.

Carlos Rolim Affonso, ex-aluno e ex-professor da PUC-SP profrolim@globo.com

São Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.