Fórum dos Leitores

CORRUPÇÃO

O Estado de S.Paulo

15 Dezembro 2012 | 02h03

Paulo Vieira

Mais um que promete denunciar "gente graúda". Será que agora o povo saberá quem são os maiores larápios deste país? Todos nós esperamos ansiosamente que sim.

AGOSTINHO LOCCI

legustan@gmail.com

São Paulo

Pouca-vergonha

Os malfeitores cometem falcatruas de toda ordem e, apanhados, prometem abrir o bico, socorrendo-se da delação premiada. Rosemary Noronha, a "madame" indicada por Lula para chefiar o escritório da Presidência em São Paulo, ao ser indiciada logo anunciou que não cairia sozinha. Agora Paulo Vieira, ex-diretor da ANA, também indiciado, ameaça delatar "gente graúda". Escândalos e mais escândalos afloram nos escalões governamentais. Há quase que um estado de agressão contínua ao quadro institucional brasileiro, diante de tantas falcatruas e sujeiras que afloram todos os dias na mídia. Não há mais quem aguente!

FRANCISCO ZARDETTO

fzardetto@uol.com.br

São Paulo

Caso Rosemary

Sugiro ao Ministério Público checar os donos de hotéis no Estoril (Portugal). Provavelmente descobrirá onde foram parar os 25 milhões levados pela sra. Rosemary.

PAULO DE TARSO ABRÃO

ptabrao@uol.com.br

São Paulo

Dinheiro limpo

A mídia noticia que Rosemary teria comprado apartamento e pago em espécie. Certamente dinheiro limpo, pois deve ter passado por processo de lavagem com profissionais de lavanderias...

ALDO BERTOLUCCI

accpbertolucci@terra.com.br

São Paulo

Em Barcelona

Lula foi traído pelo hábito. Para evitar os jornalistas que o esperavam na porta de hotel saiu pelo corredor da lavanderia!

JOSÉ E. BANDEIRA DE MELLO

jbandeiramello@bol.com.br

Itu

NOTA FISCAL

Transparência tributária

Uma grande vitória da cidadania, graças ao trabalho das entidades da sociedade civil, a aprovação do projeto de iniciativa popular (PL 1.472/2007) pela Câmara dos Deputados e sua transformação em lei com a sanção da Presidência da República. Coautor do texto original do projeto, cujos ideia e trabalho começaram em 2006 na OAB-SP e na Associação Comercial de São Paulo, posso afirmar que é o início da conscientização da população que não percebe que é contribuinte em quase tudo o que realiza em suas atividades profissionais, pessoais, culturais, de lazer e consumo, nem quanto paga da exorbitante carga tributária - esse foi nosso objetivo. Com a lei em vigor, que regulamentou o artigo 150, § 5.º, da Constituição federal, o consumidor terá respeitado seu direito de informação sobre a incidência de tributos em mercadorias e poderá exigir do poder público a prestação dos serviços que, apesar de obrigatórios, não estão à disposição dos cidadãos, pois em nosso país não estamos mais pagando tributos em sua essência e definição, mas financiando gastos públicos, dado o desvirtuamento da aplicação da receita tributária, com a ausência dos necessários serviços públicos previstos na Constituição.

LUIZ ANTONIO CALDEIRA MIRETTI, ex-presidente da Comissão de Assuntos Tributários da OAB-SP

miretti@approbato.adv.br

São Paulo

Impostos

Começamos ver o governo se preocupando em mostrar quanto de impostos o consumidor paga. Ou melhor, quantos tipos de impostos! Isso ele está cansado de saber. O que interessa mesmo é para onde vai todo esse dinheiro!

ISAEL COLEONE

isael.coleone@itelefonica.com.br

Indaiatuba

Transtornos

Lamentável o pleito e a conquista da obrigatoriedade de menção dos impostos nas notas fiscais. Tal exigência representa só mais um ônus nas costas do já sofrido contribuinte. Tratar de tributos neste país não é coisa de somenos, qualquer pequena alteração nessa seara acarreta textos legais intermináveis para que sejam possíveis a regulamentação, a vigência, sanções, etc. E não há como identificar os tributos num produto. Além dos incidentes na sua aquisição, há uma série de incidências em operações anteriores que certamente não serão apontadas, ou, se forem, o serão sem a devida eficácia. Corremos o risco de ter ampliado o espaço para tais colóquios e, em curto prazo, serão necessárias uma folha para a nota fiscal e duas para as devidas exposições. No final chegaremos à triste constatação de que a carga tributária gira em torno dos 36% do PIB. Que maravilha! Em meus quase 40 anos de convivência com política fiscal, mais uma vez testemunharei o final de uma longa caminhada com a convicção de que não deveríamos tê-la iniciado. A Lei 12.741 vai ocasionar vários transtornos, em especial às pequenas e médias empresas, que mais uma vez deverão rever todo o seu sistema de emissão e controle de notas fiscais e terão mais uma série de obrigações acessórias advindas da nova lei.

JOSE PELEGRINO

josepelegrino@acelnet.com.br

São Paulo

Contribuinte omisso

Muitos supermercados já trazem o imposto pago no cupom fiscal. Independentemente da sanção da lei, o contribuinte sabe quanto paga, a mídia publica o imposto embutido. Vamos ver se com o valor destacado na nota o contribuinte muda de atitude, vê o que paga, compara com o retorno que recebe e começa a botar a boca no trombone, ir à rua protestar e exigir seus direitos, ordeira e civilizadamente. Mas não creio nisso, o brasileiro nem nota fiscal pede.

PANAYOTIS POULIS

ppoulis46@gmail.com

Rio de Janeiro

MEMÓRIA

Obras biográficas

Fiquei feliz com a aprovação pelo Conselho de Comunicação Social, órgão do Congresso Nacional, de proposta que acaba com a proibição de publicar biografias não autorizadas pelos biografados, a qual sugere ainda que um juiz não poderá decidir pelo recolhimento ou impedir a circulação de obras biográficas depois que já estiverem sendo comercializadas. Agora precisa ser encampada como projeto e ir à votação. Escrevi a apresentação do livro Libaneses e Sírios que Fazem o Brasil (Editora CLC), de autoria do jornalista Carlos Abumrad, e sei da dificuldade que ele e os demais colegas encontram para desenvolver esse meritório trabalho de preservação da memória, nos mais diversos setores. Sou paranaense, radicado no Líbano há mais de 20 anos, e historiador da emigração libanesa para o Brasil.

ROBERTO KHATLAB, diretor do Centro de Estudos e Culturas da América Latina na Université Saint-Esprit de Kaslik

robertokhatlab@usek.edu.lb

Beirute

 

E NO BRASIL?

 

Diante da trágica notícia sobre o atirador nos Estados Unidos que matou 27 pessoas numa escola ontem, lembrei de outra notícia tão ou mais lamentável: Estudo da Unicef prevê assassinatos de 37 mil jovens até 2016. Levantamento mostra aumento na previsão de adolescentes, entre 12 e 18 anos, assassinados nos próximos três anos. É Brasil!

 

Maria Cristina Rocha Azevedo crisrochazevedo@hotmail.com

Florianópolis

 

APROVAÇÃO DO GOVERNO DILMA

 

Independentemente do que penso sobre a credibilidade do resultado dessas pesquisas de aprovação do governo, sempre que estoura algum grande escândalo envolvendo alguém de dentro do núcleo central do poder, como este que agora afeta Lula, por meio da primeira-secretária Rose, e o advogado-geral da União, Luís Inácio Adams, além das denúncias de Marcos Valério, sai uma pesquisa encomendada mostrando elevadíssimo porcentual de aprovação popular (62%, CNI/Ibope). É a velha tática de convencimento do povo de que está tudo muito bem com o Brasil e de que nada precisa ser mudado.

 

Ronaldo Gomes Ferraz ronferraz@globo.com

Rio de Janeiro

 

UMA DILMA FALANTE

 

Não serão as defesas de Dilma a Lula que farão os fatos mudarem. Nem mesmo colocar seu governo a serviço do ex-presidente adiantará, se não se investigarem e se apurarem todas as denúncias. A imprensa isenta cumpre o seu papel de informar; a marrom, de esconder. Basta um escândalo e aparece uma pesquisa reforçando a aprovação de Dilma. Lá de longe Dilma fala dos problemas do Brasil e sobre os escândalos envolvendo Lula aqui, no seu país, ela simplesmente se cala. Pelo visto a presidente vai se apequenar aos olhos daqueles que lhe atribuíam a disposição de romper com a corrupção política, tentando blindar o seu antecessor e padrinho antes de qualquer investigação. É bom lembrar que Lula negou a existência do mensalão e deu no que deu. Presidente Dilma, convoque uma entrevista coletiva e fale com os jornalistas de seu país sobre essas e outras questões.

 

Izabel Avallone izabelavallone@gmail.com

São Paulo

 

UMA PESQUISA POR DIA

 

A cada escândalo que respinga na República Sindicalista, uma pesquisa. Como a Petrobrás não acha um poço para contar historia como no governo anterior, no governo Dilma acharam outra maneira para encobrir escândalos. As benditas pesquisas que só aumentam a aprovação e como pelo jeito precisarão de uma pesquisa por dia. Chegará o dia que do Oiapoque ao Chuí 100% aprovam a presidente. Vai faltar gente, porque escândalo é o que não falta!

 

Beatriz Campos beatriz.campos@uol.com.br

São Paulo

 

A VOLTA DO ‘ROUBA, MAS FAZ’

 

Lula afirmou em Paris que poderá se candidatar. Não disse a que nem quando. Isso soa como uma ameaça. Parece dizer: "Se me pressionarem com estas denúncias, vou buscar as urnas para ser inocentado". Os petistas vivem dizendo que os votos absolvem. As acusações de Marcos Valério são graves e tem que ser investigadas, não importa se ele é um dos condenados pelo Supremo Tribunal Federal (STF). Segundo o presidente do PT ele não tem que ser ouvido nem considerado, pois é um condenado pela Justiça. Então quanto aos petistas condenados deve então ser a mesma coisa, não é? Se Marcos Valério tem informações a dar que sejam investigadas. Se não disse nada antes foi porque se sentia protegido pelas garantias que não foram cumpridas porque quem as deu acreditava na impunidade total no País. Muitos cobram respeito a Lula porque o consideram acima da lei porque "fez muita coisa pelo País". Em democracias plenas ninguém é inimputável por ter sido governo, por que Lula seria? Sendo assim basta um governante fazer algumas obras boas e teria licença para ser corrupto. É a reedição do "rouba, mas faz" que por tanto tempo o PT dizia lutar contra. Isto antes de suas alianças com Maluf, Collor, Calheiros, Sarney e outros. Os petistas dizem que a contribuição social dele ao País é enorme. Então basta fazer viadutos, pontes ou conseguir dar mais poder aquisitivo às classes sociais mais baixas que terá licença para fazer qualquer coisa. Portanto é uma grande mentira que Lula está sendo denunciado pelas direita (?!) e pela imprensa reacionária. Está sendo denunciado por pessoas que dizem saber coisas sobre ele. Que se apure, se investigue. Ele não é um cidadão acima de qualquer suspeita, por que seria?

 

Maria Tereza Murray terezamurray@hotmail.com

São Paulo

 

CULPADO

 

Eu responsabilizo o PSDB, pelo governo petista chegar aonde chegou em termos de corrupção inclusive com o envolvimento do cara... Na primeira denúncia do mensalão, quando ele ficou assustado, a oposição (PSDB) perdeu a grande chance de pedir o impeachment do presidente e mostrou a outra qualidade do PT, além de fazer oposição muito bem o PT sabe fazer a corrupção.

 

Carlos Roberto Gomes Fernandes crgfernandes@uol.com.br

Ourinhos

 

EM BUSCA DE CREDIBILIDADE

 

FHC afirma que "é hora de o PSDB ouvir o pulsar das ruas". Enquanto não existir uma verdadeira campanha contra a corrupção desenfreada, iniciada com o governo Lula e em pleno vigor, no governo Dilma, o povo continuará acomodado diante das constantes revelações das mais absurdas falcatruas que acontecem no seio da Presidência. Tal apatia é resultado da concepção generalizada de que todos os políticos não passam de farinha do mesmo saco. O PSDB, para novamente ganhar a credibilidade do eleitor, deveria pressionar o Ministério Público Federal, a Polícia Federal e a Receita Federal para que Lula explique a inexplicável origem da fortuna – bilhões – que amealhou ao longo de sua permanência no Palácio da Alvorada. A prisão do chefe-mor em "desvios de conduta" será o primeiro passo para que um dia possamos ouvir nas ruas o verdadeiro pulsar das vozes em coro pela erradicação da corrupção vigente no seio da presidência e também praticada por boa parte dos políticos que compõem o Congresso Nacional.

 

Roberto Twiaschor rtwiaschor@uol.com.br

São Paulo

 

‘MELANCOLIA E REVOLTA’

 

Lendo o artigo Melancolia e revolta, de FHC, verifico que a frustração, a melancolia e a revolta não cabe só no meu sentimento (2/12, A2). Fica claro que "é preciso bradar e mostrar a indignação e revolta, ainda que pouco se consiga de prático" e que o meu questionamento não tem como objetivo participar com a matéria publicada, e sim ter a minha dúvida esclarecida. Como o próprio autor da matéria publicada no dia de hoje menciona "a mídia fala e cumpre o seu papel" pela resposta que obtive, até o momento não identifico o fato. Devo acreditar (esperança) que pelo menos a mídia não faz parte deste atual momento social e político que nos entristece e nos envergonha como pessoa.

 

Edson Janaudis janaudis@uol.com.br

São Paulo

 

A PRESIDENTE INTOLERANTE

 

A presidente Dilma Rousseff, em recente entrevista concedida ao jornal Le Monde, em Paris, disse para o mundo que não tolera corrupção. Quem não tolera, a combate e acaba com ela, principalmente no caso dela, que é presidente de um país. Se não admite em seu governo a prática de tão terrível mal, dá a entender aos gringos que no Brasil ela (corrupção) não existe mais. Mas esta intolerância, senhora presidente, é desmascarada por recentes reportagens do Estadão, jornal que também circula no exterior, que noticiam que os famigerados escândalos, a cada dia que passa, ainda explodem em nosso infeliz país. Presidente Dilma, ao voltar para cá, depois da sua peregrinação europeia, ponha em prática sua falada e tão esperada intolerância à corrupção. Assim agindo, estará praticando o que os latinos chamavam de persecutio criminis (persecução do crime) – esforço em colocar o criminoso sob a guarda da lei.

 

Antonio Brandileone abrandileone@uol.com.br

Assis

 

NÃO TOLERA?

 

Puro teatro a sisudez de Dilma ao declarar ao jornal Le Monde: "Eu não tolero a corrupção". Tolera, sim, dona Dilma. Tanto tolera que, mesmo as faxinas compulsórias que se viu coagida a realizar em seus ministérios comprovadamente emporcalhados, não resultaram em punição contra os envolvidos; e neste momento a senhora nem sequer teve a cautela de aguardar a verificação das provas colhidas pelo Ministério Público junto a Valério que implicam diretamente Lula no esquema do mensalão para já sair, juntamente com sua tropa de elite, em defesa ferrenha do ex-presidente Lula. É como se o próprio fato de haver uma denúncia contra Lula já caracterizasse uma afronta imensurável contra a tal "imagem" do seu mentor, e devesse automaticamente ser descartada. Descartar provas? Sarney definiu bem como os petistas enxergam Lula: um patrimônio do Brasil, um intocável. Pois bem, ele até pode ter sido, mas agora o cristal rachou, a verdade apareceu e não dá para fazer de conta que nada aconteceu. Já vejo Lula de volta ao Brasil arengando nos seus redutos de sempre, indignando a plateia fiel, espalhando ódio e perdigotos para todos os lados. Mas a verdade é que nem o esquecido nordestino arrasado pela seca acredita mais nele, e nem a mídia o respeita mais. Lula colhe o que plantou.

 

Mara Montezuma Assaf montezuma.scriba@gmail.com

São Paulo

 

VAI SOBRA PRA ‘ELLE’

 

Num Brasil, onde a blindagem à corrupção é endêmica, Dilma, na declaração ao Le Monde, afirmou: "Eu não tolero corrupção". Pobre do verdadeiro chefão do mensalão; se for pra valer, até então oculto e protegido, está ferrado.

 

Humberto Schuwartz Soares hs-soares@uol.com.br

Vila Velha (ES)

 

DILMA NÃO TOLERA MALFEITOS

 

Então o amiguinho de "traquinagens" na época da ditadura militar fez bem feito, pois não foi punido. Ou ele não fez a mesma coisa (consultoria) que o ex Antonio Palocci?

 

Eduardo Santalucia Junior santaluc@uol.com.br

São Paulo

 

INDIFERENÇA

 

Parece que os senhores Lula, Gilberto de Carvalho, Rui Falcão, Eduardo Cardozo, Dilma e outros não de identificam com os malfeitores do seu governo, Lula se diz traído e assim a coisa continua, parece que não é com eles, fingem desconhecer as ações dos seus discípulos, blindam a cúpula e nós povo brasileiro somos feitos de idiotas. Quando é que este povo que vota neles vão acordar. Chega!

 

Maria José da Fonseca fonsecamj@ig.com.br

São Paulo

 

EXÉRCITO MINISTERIAL

 

Dona Dilma convoca ministros para defenderem Luiz Inácio Lula da Silva, depois de, em Paris, pedir respeito para o ex-presidente e considerar lamentáveis essas tentativas de desgastar sua imagem. E mais, repudia – essa palavra ela aprendeu com José Dirceu – as tentativas de destituí-lo da imensa carga de respeito que o povo brasileiro – leia-se bolsa-família – lhe tem. Um patrimônio nacional segundo o donatário do Maranhão! "Presidenta", ninguém quer destruir o seu criador; não há necessidade disso, porque o que é ruim por si só se destrói. É uma questão de tempo e no caso dele, muito pouco tempo.

 

Humberto de Luna Freire Filho hlffilho@gmail.com

São Paulo

 

A PRESIDENTE PEDE RESPEITO

 

Desculpe-me presidente Dilma, respeito eu tenho por muitos , alguns exemplos, tenho respeito por Oscar Niemayer, pelo Martin Luther King, por Nelson Mandela, pelos Ministro Joaquim Barbosa, Celso de Mello, Ayres Britto e outros que com responsabilidade e espírito democrático e republicano, condenaram os mensaleiros de forma exemplar. Não posso ter respeito por alguém altamente suspeito da participação nos esquemas e no mínimo, culpado por omissão e beneficiário de todo o esquema. Infelizmente não sei se a evolução econômica da população mais pobre ocorrida no período de governo do Sr. Lula foi um projeto de ideologia ou um mero projeto de pano para acobertar as falcatruas ocorridas e com isso manter-se no poder pessoalmente ou através de representante como ora acontece. São muitas as evidências de participação ou de conhecimento das falcatruas que recaem sobre o Lula. Enquanto não forem esclarecidos de forma verídica, efetiva e honesta de sua participação ou não, não poderei atender à solicitação de respeito pleiteada pela presidente Dilma.

 

Marco Aurélio marcoarehder@yahoo.com.br

São Paulo

 

PETISTAS ERISTAS

 

As habituais reações dos petistas a tudo que não lhes convém, em especial do Sr. Rui Falcão, Presidente do partido, mostra de atitude mental tendenciosa, que leva a encarar todas as acusações devidamente comprovadas, e outras em vias de, contra os petralhas e agregados, como se fora uma guerra entre o bem, segundo ele o PT e o mal, por exclusão, todos os demais. Essa lealdade tribal partidária, e o deleite com a própria antipatia, parece residir no processo e não no resultado, comportamento típico de sofistas eristas, a vencer o debate no berro, mostrando através da interpretação dessas palavras, a ausência de integridade, ocorrendo o mesmo com as intenções que elas procuram expressar. A arte de negar a tudo que os atinja, mostra a irresponsabilidade crescendo de forma singular, não em termos explícitos, más através de linguagem vaga e genérica. Vem a calhar, frase atribuída a Homero (VIII a.C.): "Quos Deus perdere vult dementar prius" (os Deuses enlouquecem a quem querem destruir).

 

Mario Cobucci Junior maritocobucci@uol.com.br

São Paulo

 

ATITUDE ABSURDA

 

Lamentável a atitude do líder da maioria na Câmara Federal, Jilmar Tatto, que conseguiu aprovar, na Comissão de Controle da das Atividades de Inteligência do Congresso, com a estreita colaboração do senador Fernando Collor, de triste lembrança, o convite ao ex-presidente Fernando Henrique Cardoso e ao procurador-geral da República Roberto Gurgel, para comparecerem ao Congresso Nacional, objetivando que expliquem acusações levantadas na CPI dos Correios. Atente-se para a observação contida na matéria que o documento citado foi investigado naquela oportunidade e chegou-se à conclusão de ser falso. A declaração descarada de que o convite é uma resposta ao pedido da oposição de tentar aprovar um convite ao publicitário Marcos Valério, para que deponha sobre as novas acusações que fez, envolvendo diretamente o ex-presidente Lula no escândalo do mensalão. Ora, o Congresso Nacional supõe-se ser a Casa dos representantes da população para legislarem em prol dos interesses legítimos do país e não um local de picuinhas entre partidos da base e da oposição, na base do "bateu levou". É cada vez mais evidente que o ex-presidente não estava alheio ao episódio do mensalão como quer fazer que se acredite, principalmente quando se conhece o seu histórico e a sua sagacidade.

 

Gilberto Pacini benetazzos@bol.com.br

São Paulo

 

É ESPERAR PARA VER

 

A jornalista Dora Kramer tem toda a razão quando diz que o ex-presidente Lula é forte e demonstra coragem quando no ataque a adversários, porém, agora que é acusado por Marcos Valério de estar envolvido no Mensalão, se esconde atrás de portas-vozes e se esquiva dos jornalistas saindo pelas portas do fundo. Além de demonstrar covardia, esta atitude só aumenta as suspeitas e mais tarde a "verdade" virá com juros e correção. É esperar para ver.

 

José Carlos Costa policaio@gmail.com

São Paulo

 

 

CRENÇA NA HUMANIDADE

 

Diante de toda a corrupção atualmente exposta, a declaração do ex-presidente Lula (Estado, 14/12, A6) soa paradoxal: "...continuo a fazer política porque tenho uma crença profunda na humanidade". Seriam ele e todos os políticos envolvidos, extraterrestres? Pode ser que sim... Se até a Múmia pode assumir a Presidência, por que não?

 

José Jorge Ribeiro da Silva jjribeiros@yaho.com.br

Campinas

 

O CÍRCULO SE FECHA

 

Com novas declarações de Marcos Valério sobre o envolvimento direto de Lula e sua "providencial escapada" pela tangente para a África e Europa fica mais que evidente sua participação direta como mentor-mor do mensalão, do escândalo da Operação Porto Seguro, e outros tantos escândalos que se espalham todos os dias através da mídia brasileira. Com esta fuga estratégica Lula quer já ir aprontando seu caminho para encontrar um lugarzinho para pedir asilo político pois sua "batata está assando" a cada dia que passa. Seu envolvimento em ambos os casos está mais que evidente apesar de Rui Falcão, Dilma, Gilberto Carvalho et caterva insistirem em sua inocência! Não há mais o que se camuflar por debaixo do tapete roto do lulopetismo, tudo de sujeira que vem sendo feito desde 2003 está surgindo como boca de lobo entupida quando em época de enchente joga para fora todo o seu lixo e podridão. Nas mãos do lulopetismo o País somente andou como rabo de cavalo, para trás e para baixo, num claro retrocesso econômico, político, de desenvolvimento, de credibilidade perante os países desenvolvidos, principalmente quando resolver se aliar a Chávez, Ahmadinejad, irmãos Castro e tantos outros "expoentes" que nem dá para se enumerar. Nosso crescimento é pífio, nossa mascarada inflação está em ritmo exponencial de crescimento, a geração de empregos já não é aquela apregoada pelo (des)governo do PT, a desorganização do país nunca foi igual, nunca antes neste País se viu tanta criminalidade em todos os cantos com tantos inocentes sendo mortos sem qualquer razão lógica. CPI gerada pelo lulopetismo somente com teor revanchista com a CPI do mensalão tendo como relator um deputado de reputação duvidosa. Envolvimentos claros de Agnelo Queiróz e Sérgio Cabral com a construtora Delta mas que por serem amigos da rainha sequer foram indiciados nesta CPI meramente revanchista. Rui Falcão, o condenado Dirceu querendo amordaçar a imprensa brasileira e apoiando o que a "grande" Cristina Kirchner está fazendo com o Clarín, copiando Chávez, Evo Morales e outros ditadores sul-americanos. O pior é que nossa população é sistematicamente enganada pelos subsídios dados por Dilma, Mantega e sua turma de enganadores para irem comprando via financiamentos mais fáceis e depois nunca mais poderem se livrar de suas dívidas e pensam que este governico está lhes fazendo um bem enorme. Este pessoal todo deveria estar todo cassado, preso e deportado para uma prisão de segurança máxima bem longe do Brasil para nunca mais nos fazerem mal.

 

Boris Becker borisbecker54@gmail.com

São Paulo

 

LULA, O INTOCÁVEL

 

Não é possível que exista alguém que ainda acredita na inocência do ex-presidente Lula nos vários escândalos criminosos ocorridos em seu governo. Diante de fatos não há argumentos. Fato: A polícia federal desbaratou uma quadrilha criminosa empenhada em roubar dinheiro público, no chamado mensalão. Fato: A cúpula do PT foi julgada e condenada criminalmente por integrar e comandar essa quadrilha criminosa. Fato: Lula nomeou sua amante para um cargo público cuja única função era a venda criminosa de favores usando a influencia do cargo do presidente da República. Pouco importa se Lula sabia ou não do que se passava no governo Lula, se o Lula manda que se cometessem os crimes ou se ele só deixava que os crimes ocorressem, sendo que em todos os casos ele, Lula, foi o maior beneficiário de todos os crimes. É evidente que Lula deve sim responder criminalmente pelos crimes cometidos no governo Lula, para o governo Lula e em nome do governo Lula. Deve ainda ser muito bem investigada sua sucessora, a presidente Dilma, que foi ungida a Presidencia da República pelo papel que ela desempenhou no criminoso governo Lula.

 

Mário Barilá Filho mariobarila@yahoo.com.br

São Paulo

 

ATAQUES A LULA

 

A campanha difamatória contra a imagem de Lula é uma consequência natural feita pela oposição. Trata-se de uma ação política legítima. Pela lógica a melhor defesa que o ex-presidente deveria adotar, seria seu pronunciamento favorável ao mensalão, mostrando-se publicamente contra qualquer tipo de corrupção, principalmente aquelas que tivessem ocorridas em seu governo. Seria o apoio indubitável dado a Dilma, que se declarou intolerante aos ilícitos. Lula não está comportando-se como um estadista, mas sim como um cidadão sem preparo. Tenta defender-se de seus possíveis erros, afirmando serem mentirosas as suas acusações. É muito pouco para um estadista. Ofende um cidadão de inteligência mediana.

 

Mário Negrão Borgonovi marionegrao.borgonovi@gmail.com

Rio de Janeiro

 

IMPOSSÍVEL MANTER A LINHA

 

A exemplo dos sentimentos que José Dirceu despertava em Roberto Jefferson, Lula desperta em mim sentimentos ainda mais primitivos a ponto de me impedirem de escrever quaisquer comentários sobre a sua atuação desastrosa e corrupta, como presidente da República, sem ter que recorrer a palavras de baixo calão. É irresistível.

 

Sergio S. de Oliveira ssoliveira@netsite.com.br

Monte Santo de Minas (MG)

 

CULPANDO TODOS

 

Referente à acusação do traidor do esquema Roberto Jefferson (traidor porque mamava na teta do esquema e não abria o jogo até ser passado para trás), dizendo que Marcos Valério é um "canalha", todos são canalhas, sem exceção, e o Sr Luiz Inácio da Silva, sim, deve ser investigado. Assim como foi investigado no anos 70 o Sr Nixon. Este também "não sabia de nada" e foi cassado. Seguramente ele Lula sabe muito mais que possamos imaginar, não só investigado como também condenado se aparecer tudo aquilo que sabemos que irá aparecer. Esta caso esta parecendo o famoso caso do colar de Maria Antonieta, onde ela nada sabia mas sabia de tudo.

 

Fernando Cameranesi fernandocameranesi@yahoo.com.br

Santa Cruz do Rio Pardo

*

 

CULPA ‘IN ELIGENDO’ E ‘IN VIGILANDO’

 

Na matéria Dirigente afirma que Rose teve participação 'secundária' (Estadão, 6/12, A6) afirma o deputado André Vargas, secretário de comunicação do PT, que o ex-presidente não pode ser responsável pelo que Rosemary fez, e acrescenta que nenhum homem público é responsável pelo que faz o seu assessor. Dado o despreparo geralmente revelado por nossos parlamentares, até que se poderia relevar a ignorância do senhor André Vargas a respeito do Código Civil, que em seu artigo 932 rege o assunto, mas é imperdoável sua falta de bom senso e de ética. Pois é questão de simples bom senso saber que quem escolhe mal é responsável, assim como quem deixa de exercer vigilância sobre o comportamento de seu preposto. São os princípios de culpa in eligendo e culpa in vigilando, da doutrina jurídica, que orientam o citado artigo 932, que seria bom o deputado Vargas consultar, antes de afirmar que o ex e a atual presidente nada têm que ver com o caso Rosemary.

 

Decio Penteado de Castro depecastro@gmail.com

Piracicaba

 

PEDIDO DE PIZZA

 

A "ameaça" de delatar gente graúda feita pelo chefe da máfia dos pareceres, Paulo Vieira, mais parece um recado aos verdadeiros chefes: tirem-me dessa roubada. E a mídia, ao publicar essas matérias vazias, apenas se presta ao papel de "garoto de recado" entre os envolvidos. Se Paulo Vieira realmente quisesse negociar uma delação premiada, já teria procurado o Ministério Público e contado o que sabe. Suas ameaças são apenas pedido de pizzas.

Se o povo brasileiro continuar assistindo novelas, BBB, futebol, etc., e não se manifestarem sobre essas roubalheiras, com certeza, mais uma pizza sairá do forno de Brasília e mais uma operação da Polícia Federal será arquivada, sem maiores prejuízos aos envolvidos.

 

Maria Carmen Del Bel Tunes carmen_tunes@yahoo.com.br

Americana

 

OPERAÇÃO PORTO SEGURO

 

Indiciados, mirem-se no exemplo de Marcos Valério, porque, depois que a boiada passar, não adianta fechar a porteira, ou seja, abram o "bico" já.

 

Mário Aldo Barnabé mariobarnabe@hotmail.com

Indaiatuba

 

A DISPUTA PELOS ROYALTIES

 

Conforme afirmações do deputado Wellington Dias (PT-PI), a presidente Dilma Rousseff errou ao vetar a lei das distribuições de royalties do petróleo aprovado pelo Congresso Nacional , pois o item # 20 da Constituição federal está claro: toda riqueza do mar pertence à União, ou seja é de todos os brasileiros. Outro fato que o deputado Wellington considera relevante, é que não há contrato entre os estados do Rio de Janeiro e Espírito Santo com empresas, e sim um contrato dentro dos moldes internacionais entre a "União e as empresas petrolíferas", e que continuará sendo mantido rigorosamente como acertado entre as partes. Em suma, para o deputado Wellington, não haverá nenhuma quebra de contrato, e nem perda de confiança de investidores internacionais, pois trata-se de uma disputa interna de royalties entre os 26 estados brasileiros.

 

Edgard Gobbi edgardgobbi@gmail.com

Campinas

 

VACAS MAGRAS

 

O tempo das vacas gordas acabou para os Estados que se dizem produtores. Na verdade esses Estados não produzem nada além de gastos com coisas que não interessam ao povo descamisado, como a falta de hospitais e segurança tanto no Rio de Janeiro, principalmente na baixada e zona norte, como no Espírito Santos em geral. Por isso se acharem os donos do Petróleo e balela de gente desinformada. Os Estados dos Norte e Nordeste precisam muito mais dessas verbas do que o Rio e o Espírito Santo, e como na democracia a maioria vende sinto muito Cabralzinho parasita do Lula e o tal casa grande que só tem o grande no nome. E correto e certo repartir equitativamente os royalties e fim de papo. Os prejudicados que corram atrás de melhorar o nível dos Estados para terem mais empresas e também invistam em segurança para terem mais turistas.O Rio está há décadas só falando em cidade maravilhosa mas a falta de segurança em plena Avenida Atlântica em relação aos turistas e vergonhosa. Então, salve-se quem puder e quem puder se salve.

 

Antonio Jose G. Marques

São Paulo

 

PRÉ-SAL, CONTRATOS & DIREITOS

 

Os que mais brigam por seus direitos são os que menos cumprem seus contratos.

 

A.Fernandes standyball@hotmail.com

São Paulo

 

INSENSTEZ A SER EVITADA

 

Há momentos na História dos países, que instituições são chamadas a tomar posições fundamentais para se evitar que o caos se estabeleça. É o caso atual do Judiciário Brasileiro, que tem essa missão no sentido de barrar a tunga que se tenta contra os estados produtores de petróleo, no caso dos royalties de tal riqueza.Que este Poder da República tenha a lucidez de restaurar o império legal entre nós – ameaçado que está –, pela insensatez de uma maioria movida pela ganância do Congresso Nacional. Oremos.

 

José de Anchieta Nobre de Almeida josedalmeida@globo.com

Rio de Janeiro

 

VOTAÇÃO, SÓ POR INTERESSE

 

Vetos para que servem? Exatamente para serem derrubados! Só não entendo a pressa na votação destes vetos do pré-sal, pois, ainda nem temos tecnologia para explorar, alguns poderão nem ter petróleo ou talvez jamais sejam alcançados, parece uma grande bobagem, mas caso consigam resultados estes deverão ser de todos os brasileiros, não importando se produtor ou não. Lembrando aos Deputados e Senadores que existem muitos vetos importantes esperando igual tratamento dentre os quais destaco um de suma importância a justiça social, o veto do canalha ao Projeto de Lei (PL) 01/07, que em 2007 anulou um aumento de 16,67% aos aposentados,estamos esperando a cinco anos pela votação que nunca acontece.

 

Jose Mendes josemendesca@ig.com.br

Votorantim

 

A INIQUIDADE NA DERRUBADA DO VETO

 

A irracional guerra federativa que grassa em nosso país por meio das centenas de pendengas fiscais entre os estados federados no STF, exemplo deplorável de como não se deve processar a política em qualquer país, eclodiu com força nas duas casas do Parlamento, para derrubada do veto presidencial relativo aos "royalties" do petróleo. A aprovação da urgência costuma ser o indício mais forte da iminente aprovação de uma propositura congressual. O veto deverá ruir, em detrimento da equidade, porquanto o sentido dos royalties mais significativos para os estados produtores é indenizatório do custo, inclusive sobre o aspecto ambiental. Igualdade, o conceito já é um truísmo, é a consideração desigual das circunstâncias desiguais.

 

Amadeu R. Garrido de Paula amadeugarridoadv@uol.com.br

São Paulo

 

VACA LOUCA

 

Enquanto o governo brasileiro se preocupa com a realização da Copa 2014 e as Olimpíadas 2016, royalties de petróleo, esquema mensalão, defender Lula de acusações, falsas promessas e etc. Esqueceram de cuidar do quintal de casa onde nosso rebanho bovino pode estar contaminado com a doença da vaca louca.

 

Angelo Tonelli angelotonelli@yahoo.com.br

São Paulo

 

SARNEY NA PRESIDÊNCIA

 

É inacreditável essa longevidade política. É república do Maranhão ou do Brasil?

 

José Piacsek Neto bubapiacsek@yahoo.com.br

Avanhandava

 

O TEMPO DA POLÍTICA

 

Não há no mundo tanta mamata para os políticos como no Brasil. Tudo nesta vida tem seu tempo, menos na política. O trabalhador quando chega a se aposentar se aposenta todo quebrado de tanto trabalhar, se isso não bastasse depois de velho começa a ser humilhado pelo o governo que a cada dia asfixia a sua aposentadoria de modo que chega um momento que a aposentadoria não dar nem para comprar os medicamentos que normalmente os aposentados precisam. Enquanto isso políticos como o presidente do Senado acumulam aposentadorias milionárias para o padrão e realidade financeira do país. Esta muito claro o porquê o Brasil esta atrasado em termos políticos vigemos o presidente do Senado milionário, mas não larga o poder e agora felizmente assumiu a presidência por apenas 3 dias, já o também o presidente da Câmera dos deputados mais viaja do que trabalha . Deveria ter (limite para se candidatar) são políticos como o presidente do Senado que atrapalha o Brasil, em Brasília e no Brasil inteiro esta cheio de Sarneys da vida, aliás, os salários destes políticos deveriam ser pagos pelo o estado que elegeram sem o repasse da União exclusivamente por renda gerada no próprio Estado.

 

Paulo Rodrigues de Moura paulorodriguesmoura@hotmail.com

São Paulo

 

ATUAÇÃO VERGONHOSA DA AGU

 

A Advocacia-Geral da União (AGU) deu parecer junto ao Superior Tribunal de Justiça (STJ), alegando que pagar o Aerus prejudicaria a União,e massacrando os míseros aposentados da Varig, que estão passando fome e, morrendo, mas foi contra o processo para o ressarcimento do dinheiro publico desviado pelo mensalão. Gostaria que sua Excelência ministro Luiz Inácio, da AGU, explicasse a todo o Brasil a sua posição, se tiver coragem. Politicamente deverá receber o que merece...

 

Sinclair Rocha sinclairmalu@uol.com.br

São Paulo

 

A VEZ DOS MÉDICOS

 

A baixa qualidade dos profissionais de Direito colocados no mercado é um fato. Seria óbvio então esperar-se por parte do Ministério da Educação (MEC) um esforço na fiscalização das inúmeras Faculdades de Direito, visando a melhorar o desempenho. Como isso não é feito de modo eficiente, a qualificação dos profissionais fica a cargo do polêmico, talvez inconstitucional, exame da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB). A espantosa arrecadação anual da Ordem com os exames, mais de R$ 60 milhões anuais, sem comprovação, e a eclosão dos cursinhos preparatórios, constituem uma manifestação da perversa e crescente indústria de ensino instalada no país. Parece que algo semelhante vai acontecer com os médicos. Assim, a sociedade deve exigir do MEC uma eficiente fiscalização das faculdades, não permitindo que a atribuição seletiva fique a cargo dos Conselhos de Medicina que, certamente, aproveitarão filão semelhante ao há muito usufruído pela OAB. Urge que o governo, em questões de educação, comece a tratar das causas e não remediar marotamente os efeitos.

 

Paulo Roberto Gotaç prgotac@hotmail.com

Rio de Janeiro

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.