Fórum dos Leitores

Atualizado às 5h45

O Estado de S.Paulo

01 Fevereiro 2013 | 02h07

CONGRESSO NACIONAL

Círculo vicioso

Perpetuam-se a amoralidade, a ausência de ética e a desqualificação em nosso Congresso. Como ousa o PMDB nos impor um indivíduo como o sr. Renan Calheiros para presidir o Senado depois de ele ter renunciado à mesma posição? O que mudou de 4/12/2007 para cá? Ele virou santo? Não há outros nomes além de José Sarney e Renan Calheiros? Ou eles são os menos desqualificados? Confirma-se o ciclo vicioso pelo qual o nosso Congresso jamais sairá do lodaçal em que caiu: o povo, por interesse, por desinteresse total ou por ignorância, elege desqualificados para representá-lo no Poder Legislativo. Esses parlamentares tratam o compromisso com o povo como uma dádiva para representarem a si próprios e aos partidos de conveniência, desde que haja lucro pessoal. Para isso, entre outras malandragens, apoiam para presidente das Casas do Congresso indivíduos desqualificados para tais cargos. Como a eles, por conveniência própria, interessa manter o status quo, está formado o elo de realimentação perniciosa que mantém o Legislativo federal no estado atual de total desmoralização.

FILIPPO PARDINI

filippo@pardini.net

São Paulo

Vexame

O PMDB não tem ninguém melhor que Renan para presidir o Senado? Aí tem... Esse partido está mesmo muito ruim: salvo raras exceções, como Pedro Simon, Jarbas Vasconcelos e mais uma meia dúzia de senadores, mostra que os demais peemedebistas na Casa se identificam em tudo com Renan. Que vergonha! Tenham cuidado os eleitores de Renan com o vexame que poderão passar se o STF acolher a denúncia contra ele feita pelo procurador-geral da República, Roberto Gurgel.

JOSÉ CARLOS DE CASTRO RIOS

jc.rios@globo.com

São Paulo

Que país é este...

... onde um político indiciado por corrupção vai presidir o Senado com as bênçãos do PT e seus asseclas, mesmo podendo ser condenado pelo STF e obrigado, mais uma vez, a fugir pela porta dos fundos? Mais uma vergonha nacional patrocinada pela quadrilha que se aboletou no poder nos últimos anos.

ROBERTO L. PINTO E SILVA

robertolpsilva@hotmai.com

São Paulo

Vontade popular

A mera possibilidade de Renan ser reconduzido à presidência do Senado bem demonstra o enorme distanciamento entre o Parlamento e o povo brasileiro. Se as denúncias que culminaram na sua renúncia continuam mal esclarecidas e, portanto, sua imagem perante a opinião pública permanece nitidamente abalada, nenhum voto que ele receba faz sentido, se é que os demais senadores têm a mínima consideração pela vontade popular.

LUCIANO HARARY

lharary@hotmail.com

São Paulo

Voto dos picaretas

A democracia permite, infelizmente, que fichas-sujas como Renan Calheiros e Henrique Eduardo Alves sejam candidatos à presidência do Senado e da Câmara. Mas pior que isso é a eleição deles pelo voto dos senadores e deputados - todos picaretas -, conhecedores que são do passado nem um pouco recomendável dos dois postulantes, metidos em maracutaias mil. Pobre Brasil.

HÉLIO JOSÉ CURY

heliocury@gmail.com

São Paulo

Blitz

Se para ingressar no recinto o parlamentar tivesse de soprar um "honestômetro", o Congresso estaria às moscas...

A. FERNANDES

standyball@hotmail.com

São Paulo

Gente indigna

Tanto a Câmara como o Senado insistem em nos desmoralizar, colocando no comando pessoas com o pedigree de gente indigna como Renan e Alves, sucessores de figuras tristes como Sarney e Marco Maia. Ou seja, não tem perigo de melhorar. O Brasil insiste em perdoar canalhas, elevar corruptos, valorizar mentirosos que nunca sabem de nada. Enfim, a República brasileira lembra o Senado romano, onde a permissividade e a tolerância à imoralidade se tornaram marcas desse tipo de gente. Que fique claro: temos repulsa e imensa vergonha de tê-los como homens públicos, que num país sério estariam trancafiados. Pobre Brasil!

JOÃO BATISTA PAZINATO NETO

pazinato51@hotmail.com

Barueri

PMDB

Quem o viu nascer e vê no que se transformou não acredita. Mas essa é a triste realidade, com Sarney, Calheiros, Alves, Temer, Raupp e tantos outros que, em épocas passadas, seriam proibidos de se aproximar das portas do diretório. Se isso ainda é um partido, fica cada vez mais parecido com um ninho de ratos.

ADEMAR MONTEIRO DE MORAES

ammoraes57@hotmail.com

São Paulo

Partido de bananas

O PSDB descaracterizou-se. As bases não existem. Os caciques (na grande maioria) defendem interesses pessoais. Vejam sua atuação na eleição para a presidência do Senado. Os senadores tucanos vacilaram entre apoiar um candidato ilibado como Pedro Taques ou votar em Renan, em troca de cargos na Mesa Diretora e em comissões. O que é mais correto: votar pela ética e pela moralidade ou se vender em troca de cargos?

JOSÉ GILBERTO S. DA CUNHA

jgservulo@hotmail.com

São Paulo

Religião e freguesia

PSDB, Suplicy e outros acendem, sem constrangimento, uma vela a Deus e outra ao diabo nessa questão. Quem fica alijado da missa macabra é, de novo e sempre, o povo pagante de salários e impostos, freguesia silenciosa a quem cabe engolir quieta essa pouca-vergonha. Como tantas outras...

DOCA RAMOS MELLO

ddramosmello@uol.com.br

São Sebastião

PSB

Fica muito fácil compreender a retirada de apoio do PSB à candidatura de Renan Calheiros para presidir o Senado: o partido ficou fora do loteamento de cargos. Toda essa manobra do PSB retirando o apoio é para que alguém do governo intervenha e faça o partido reconquistar o seu posto. A eleição no Senado não passa de votos corporativos. Todos votam de acordo com seus interesses. A Lei da Ficha Limpa, instrumento que partiu da vontade popular, está causando horror aos políticos de todo o Brasil, pois a maioria dos párias foi acostumada a desrespeitar as leis e governar de costas para a sociedade. Está cada vez mais difícil acreditar nos políticos brasileiros. Eles já perderam a vergonha. Falta os eleitores perderem, além da vergonha, a esperança de que o Brasil ainda tenha jeito.

IZABEL AVALLONE

izabelavallone@gmail.com

São Paulo

O SENADO DE MAL A PIOR

Pasmem! O PMDB e a maioria dos senadores não veem nenhum impedimento para a eleição do senador Renan Calheiros (PMDB-AL), que já renunciou para não ser cassado e que recentemente foi denunciado pela Procuradoria-Geral da República (PGR) por suposto uso de notas fiscais frias. Ou seja, se ele já renunciou anteriormente para não ser cassado, por que agora pode ser eleito presidente do Senado? E ainda vem o presidente do PMDB, senador Valdir Raupp (RO), declarar que acha estranha a denúncia da PGR. Estranho é o que acontece dentro do Senado, acertos e conchavos nos bastidores para a eleição deste senador, que foi reeleito em razão do poder e da influência que tem na sua região de origem, que nele votou por não ter conhecimento das suas falcatruas e por promessas que não serão cumpridas. Se ele for eleito presidente daquela Casa, então os senadores são coniventes com os métodos empregados por Renan para a sua eleição tanto para presidente do Senado quanto para senador. Ou seja, são exatamente iguais.

Darci Trabachin de Barros darci.trabachin@gmail.com

Limeira

*

A IMORALIDADE RETORNA FORTE

Não bastasse termos aguentado na presidência do Senado o “impoluto” e eterno José Sarney, aquele que manda o PMDB e se compõe maravilhosamente com o incorruptível PT, trabalha-se agora, em nome da tal governabilidade, a volta do nefasto e usurpador Renan Calheiros, aquele que há cinco anos teve de renunciar para não ser cassado por improbidade. Como desgraça pouca é bobagem para um país sem memória, o ficha suja Henrique Eduardo Alves também deve ocupar o alto cargo de presidente da Câmara dos Deputados, que, aliás, para suportar 513 deputados, utiliza mais de 15 mil funcionários, à nossa custa. Portanto, podemos concluir tristemente que a imoralidade retorna forte. Pobre país!

João Batista Pazinato Nero pazinato51@hotmail.com

Barueri

*

RENAN É VÍTIMA?

José Dirceu afirma em seu blog que Renan Calheiros é vítima de campanha de falso moralismo orquestrada pela mídia e por grupos organizados. Conclui-se dai que vítimas também são o próprio Dirceu, Genoíno, João Paulo Cunha, e os quase quarenta mensaleiros condenados pelo Supremo Tribunal Federal, tanto que petistas pedem a anulação deste histórico julgamento. Pode? Resumindo: para Dirceu calhordas são todos aqueles que os consideram os maiores pulhas desta nação. Interessante é ressaltar que em todos os lugares públicos em que ousam aparecer... eles são vaiados. É que ainda tem gente de fibra, caráter e coragem, que ousa manifestar sua indignação. Por isso é que estas “vítimas” evitam até transitar em áreas públicas de aeroportos...

Mara Montezuma Assaf montezuma.scriba@gmail.com

São Paulo

*

AS VÍTIMAS SOMOS NÓS

Com uma oposição acovardada e uma sociedade apolítica que não liga quando seu dinheiro é desviado, o Ministério Público (MP), em especial o procurador-geral da República, Roberto Gurgel, mais uma vez toma as rédeas da decência no combate à corrupção propondo investigar o candidato ficha suja à presidência do Senado, Renan Calheiros. Algumas vozes amigas da bandalheira bradam que o MP está agindo por motivação política – gritam como fizeram no julgamento do mensalão, como se fossem vítimas da decência e da moralização num país onde roubo de dinheiro público e o uso de notas frias fossem males menores entre outras malandragens. Já para a sociedade decente que paga impostos e não tolera roubalheira, todos os louvores ao Ministério Público, que nos defende da irmandade companheira que tenta aprovar por decreto a Lei de Gérson no País.

Peter Cazale Pcazale@uol.com.Br

São Paulo

*

REVOLTA

Meus parabéns pela atitude do Sr. Roberto Gurgel, por continuar executando seu trabalho de caça aos corruptos. O senador Renan Calheiros em hipótese alguma poderia ser eleito presidente do Senado em substituição ao ignóbil Sarney. Renan, em tudo o que toca, faz apodrecer ou já está podre. Precisamos arrumar alguma forma de banir este sujeito da vida pública. Com 70 anos de idade, sinto-me envergonhado de nossos políticos (e politiqueiros) que só enxergam os próprios interesses.

Rui Marcio Coutinho ruicoutinho@uol.com.br

Itanhaém

*

O QUE RENAN NÃO QUER VER

É abissal a diferença entre o que se espera de um político (da estirpe de Renan) e de um procurador-geral (como Gurgel).

Flávio Cesar Pigari flavio.pigari@gmail.com

Jales

*

O CONGRESSO NO LIMITE

Os nomes dos pretendentes à presidência do Senado e da Câmara são do conhecimento público e sua vida política, também. Para o Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), e para a Câmara, deputado Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN). A vida política do primeiro acaba de ser objeto de denúncia ao Supremo Tribunal Federal pelo procurador-geral, Roberto Gurgel, como incurso em vários crimes políticos. O segundo foi denunciado pela própria ex-esposa, em processo de divórcio, como possuidor da fortuna de R$ 15 milhões em banco do exterior sem a devida declaração. A situação político-moral destes dois candidatos é tão ignóbil para exerceram os aludidos cargos que a honrada jornalista Dora Kramer, em seu bem lançado e oportuno artigo relatando todas as principais mazelas do candidato Renan (Insensato mundo, 30/1, A6), chegou ao ponto de destacar que “o Congresso chega ao limite da desmoralização e, no entanto, prossegue”. Corroborando com este pensamento, o ministro do Supremo Tribunal Federal Joaquim Barbosa pede a extinção das desmoralizadas “fichas sujas em tribunais”. Elas não servem nem para limpar a...! Senhores congressistas, façam justiça, não elegendo ditos candidatos, homenageiam a Lei da Ficha Limpa e o brocardo jurídico “fiat iustitia, pereat mundus” (faça-se justiça, ainda que pereça o mundo).

Antonio Brandileone abrandileone@uol.com.br

Assis

*

CONGRESSO NACIONAL

Do jeito que a coisa vai, além de Parlamento, a edificação já comporta um aterro sanitário.

A.Fernandes standyball@hotmail.com

São Paulo

*

FUNDO DO POÇO

O Senado chega ao “fundo do poço”, no que diz respeito à moral da instituição, com a eleição de seu provável novo presidente, envolvido em inquérito policial e investigação. Não poderia ter sido pior do que ter um candidato que só não foi caçado porque renunciou ao mandato anterior de presidente para escapar e, ainda assim, que está sob denúncia proposta pelo Ministério Público à Justiça. É inacreditável que o PMDB não tenha alguém ético e honesto e não envolvido com a justiça para ocupar o cargo. Talvez isso tenha sido motivado pela certeza de que o ministro do Supremo Tribunal Federal Ricardo Lewandowski, relator, não aceitará a denúncia, o que não seria estranho, dado que esse ministro fez tentativas para livrar “mensaleiros” culpados na Ação Penal 470. Essa eleição para a presidência da Casa mostra um Parlamento desmoralizado, sem ética e com quadros do pior nível, segundo a opinião geral.

Fabio Figueiredo fafig3@terra.com.br

São Paulo

*

FALTA UM CÍCERO EM NOSSO SENADO

Nosso Senado federal será presidido por um homem ímprobo, processado, merecedor das mais contundentes verrinas e catilinárias, célebres reprovações morais imprecadas pelo notável homem público e orador Marco Túlio Cícero no Senado Romano contra os Renans do século I AC, Vérris e Catilina. A indignação moral de nossos senadores não passa de uma tíbia manifestação de inconformidade paradoxal manifestada por Eduardo Suplicy, uma petição de princípios, posto ressalvado que, malgré tout, dará seu voto ao inimigo do dinheiro público jungido ao terceiro cargo da nação na linha sucessória. Até quando a maioria dos políticos brasileiros abusará de nossa paciência?

Amadeu R. Garrido de Paula amadeugarridoadv@uol.com.br

São Paulo

*

OS ILÍCITOS DE RENAN

Sem bois e com contratos ilícitos, esse cara é Renan.

Roberto Twiaschor rtwiaschor@uol.com.br

São Paulo

*

ADMISSÃO DA TORPEZA GERAL

Na visão de Michel Temer, as denúncias contra Henrique Eduardo Alves e Renan Calheiros não são obstáculo para o êxito em sua candidaturas à Câmara e ao Senado, respectivamente. Ao contrário, as denúncias criam identificação entre seus pares. O que quer dizer que ali todos têm em seu currículo algo a ser delatado. Em outras palavras, a grande maioria dentro dessas Casas tem o rabo preso como os candidatos e, na hora que forem denunciados, serão mais facilmente compreendidos por alguém que passou pela mesma situação “desconfortável” da delação, recebendo, assim, a unção do perdão. Afinal, é duro ser pego com a boca na botija, coitados, e é melhor estar sob a mira de alguém que já passou por isso, não? Por esta razão Henrique e Renan sairão bem sucedidos. Depois da brilhante conclusão de Temer, resta-me a pergunta: eu entendi direito? Isso saiu do vice-presidente da República? É o País da impunidade mesmo, dos mensalões, do cinismo, da bandidagem explícita, da podridão incessante, dos aproveitadores descarados e ignóbeis, do descaso para com o povo! Como conseguem olhar para seus filhos e dizer: “meu pai e minha mãe ensinaram...”?

Myrian Macedo myrian.macedo@uol.com.br

São Paulo

*

DOIS PICARETAS

Mal havia começado a corrida sucessória no Congresso Nacional para que começassem a pipocar na imprensa e nas redes sociais inúmeras denúncias contra os dois principais concorrentes aos dois cargos mais importantes nas duas Casas. Renan Calheiros para presidir o Senado e, na Câmara, o deputado federal mais antigo da Casa, Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN), que tem 42 anos de Parlamento, ou seja, 11 mandatos consecutivos. Sobre os dois postulantes incidem inúmeras acusações das mais diversas. Porém, a presidência da Câmara e do Senado deveria ser ocupada por políticos com ficha limpa e comportamento ilibado, ético e honesto, pois presidir as duas casas significa, na hierarquia, ocupar o segundo e o terceiro cargos na linha sucessória presidencial. Não deve ser ocupada por picaretas, corruptos e oportunistas que visam simplesmente ao poder pelo poder, como é o caso dos dois peemedebista aqui citados, com várias denúncias nas costas das mais graves. Todos se lembram de Renan Calheiros: é acusado, entre outras, de pedir restituição de R$ 10 mil ao Senado por um serviço que uma produtora de vídeo diz não ter prestado para ele, além de ser acusado de tráfico de influência e crime ambiental, que continua sobre sigilo de justiça, além do caso de ter tido despesas de um filho fora do casamento pagas por uma construtora, o que deu muito o que falar e terminou com a renúncia do cargo no Senado. Porém a mesma empresa diz ter recebido R$ 1.2 milhões da campanha de Renan ao Senado em 2010. Ao fim da campanha, a “PEP Comunicações” passou a receber dinheiro da verba indenizatória do Senado, até outubro último foram R$ 244.5 mi. Ou seja: usou dinheiro público para pagamento de dívida de campanha, que é proibido por lei, e poderá ficar inelegível por 8 anos, pela Lei da Ficha Limpa. Já Henrique Alves é acusado de beneficiar a empresa do ex-assessor através de licitações dirigidas para obras superfaturadas em três cidades do Rio Grande do Norte, reduto político do deputado, que também sofre de outras acusações envolvendo dinheiro público. A empresa tem como sócio justamente Aloisio Dutra de Almeida, que, segundo consta até o pedido de saída do cargo, trabalhou com Henrique Alves na Câmara desde 1998. Imaginem então o que não deve ter acontecido nos últimos 14 anos de conluio entre os dois? O assessor deixou o cargo após vazar na imprensa que ele teria recebido recursos de emendas parlamentares, “dinheiro publico”, do próprio Henrique Alves, deputado mais cotado do PMDB a assumir a presidência da Câmara dos Deputados a partir da próxima semana, em substituição ao petista gaúcho Marco Maia. Já Renan Calheiros deve suceder José Sarney no comando do Senado pelo biênio 2013 a 2014. Cá para nós, sinceramente, você é capaz de confiar em um dos dois personagens aqui citados para presidir a Câmara e Senado federal? Será que na Câmara e no Senado não tem parlamentares de credibilidade para assumir os dois principais postos do Congresso? Tá ficando difícil mudar as coisas na republiqueta das bananas chamada Brasil, pois, com os políticos que temos comandando o mesmo, a cada dia seremos mais assaltados! Só Jesus para nos salvar destas pestes peçonhentas que habitam as casas da lei!

Turíbio Liberatto turibioliberatto@hotmail.com

São Caetano do Sul

*

RENAN NO COMANDO DO SENADO

Realmente ainda não vimos tudo. Quando achamos que não há mais nada para piorar, estamos redondamente errados. Parabéns, senis parlamentares. Infelizmente, não posso colocar aqui todos os termos que os brasileiros pensam. Presente melhor do que esse para início de ano não existe, realmente.

Ailton Dias Pereira ailton7@ig.com.br

Ribeirão Preto

*

FORA DE SINTONIA

O senador Eduardo Suplicy (PT-SP) protesta, mas diz que “vai de Renan se ele não renunciar”. Cá entre nós, o senador Suplicy deveria mesmo é ir para casa.

José Marques seuqram.esoj@bol.com.br

São Paulo

*

OPINIÃO DOS OUTROS

O senador Eduardo Suplicy, esse, sim, podemos chamar de “Maria vai com as outras”, pois, além de ser totalmente desprestigiado, não tem nenhuma voz ativa. Foi censurado não divulgando sua carta na qual pede a substituição de Renan Calheiros (AL) por Pedro Simon (RS), como candidato do PMDB à presidência do Senado. Porém, acabou declarando que vai de Renan mesmo, se ele não renunciar. Isso é o que podemos chamar de princípio e opinião própria, não é?

Angelo Tonelli angelotonelli@yahoo.com.br

São Paulo

*

QUANTO PIOR, MELHOR

Sem esboçar nenhum pejo ou ao menos enrubescer, o líder do PT Wellington Dias afirma ao público pagante que o apoio do governo à candidatura de Renan Calheiros à presidência do Senado é de 100%. Realmente, parece-nos que, quanto mais comprometidos com os “malfeitos”, mais apoio obterão os políticos ligados ao governo. Realmente, vivemos na “era do deboche”.

Leila E. Leitão

Itanhaém

*

NÓS SOMOS A OPOSIÇÃO

Após ler a matéria “Por cargo, PSDB evita confrontar peemedebista”, senti um forte enjoo. A política brasileira está tão podre que está causando náuseas aos brasileiros honestos e pagadores de impostos. Só não vomitei porque, em seguida, li a entrevista do senador Jarbas Vasconcelos (PMDB-PE), que afirmou que não votará em Renan Calheiros, mesmo o infeliz sendo o candidato do seu partido. Aí percebi que ainda existe alguma esperança para nós. Recado aos políticos que votam respeitando a “decisão do partido”, mas que não ouvem a voz do povo: tem grandes chances de verem suas carreiras políticas irem para o brejo, pois mais de 100 mil brasileiros assinaram o abaixo-assinado contra a volta de Renan. Fiquem espertos e acompanhem as redes sociais, pois NÓS somos a oposição no Brasil, juntamente com a mídia.

Maria Carmen Del Bel Tunes carmen_tunes@yahoo.com.br

Americana

*

É HOJE!

Quem tem facebook com certeza tem recebido um comunicado protestando contra a volta de Renan Calheiros à presidência do Senado. Lá, salientam que, caso nós, os brasileiros, não protestemos, isso ocorrerá hoje, dia 1/2/2013. Encerram a narrativa dizendo que andam subestimando nossa inteligência. Faço minhas as palavras lá escritas e tento protestar, também, através deste fórum. Quem sabe ainda dá tempo de reverter.

Maria do Carmo Zaffalon Leme Cardoso mdokrmo@hotmail.com

Bauru

*

ALGUÉM SE IMPORTA?

Oposição? Cadê você, oposição? Não fosse a nossa corajosa mídia (com censura) nos dando uma sensação de liberdade que ainda corre nas veias de uma fragilizada democracia, estaríamos mal, muito mal. Não estamos piores porque ainda podemos gritar, contestar, fazer barulho. Agora, pergunto: alguém nos ouve? Aqueles que foram eleitos para fazer frente a essa cambada de corruptos, estão onde? Chegamos a ponto de termos que engolir goela abaixo o Sr. Renan Calheiros como presidente do Senado, “digno” sucessor de José Sarney. Não é por acaso que ambos são de Estados paupérrimos, esgotados. Não é por acaso que por onde passam deixam rastro de miséria, desolação e dor. Diria que ambos são pá de cal na esperança e dignidade do povo brasileiro. Alguém se importa? Tem alguém aí? Oposição?

Gloria de Moraes Fernandes glorinhafernandes@uol.com.br

São Paulo

*

GENTE NOVA?

Como perguntar não é ofensa, esse Renan Calheiros não é mesmo Renan Calheiros que no passado recente deixou o Senado para não ser cassado? Caso a resposta seja positiva, presumo que estão fazendo de tudo em nome da governabilidade. E onde está a oposição? Será que está escondida? E a nova Lei da Ficha Limpa, por que não se manifesta? Para utilizar-me de um palavreado bem brando, digo que estamos literalmente ferrados. E mal pagos.

Virgílio Melhado Passoni mmpassoni@gmail.com

Jandaia do Sul (PR)

*

PIORAMOS

Todas essas dúvidas com o renan calheiros para presidente do senado (minúsculas sem medo e sem dó), trouxeram-me a lembrança do dia em que o general João Baptista de Oliveira Figueiredo disse “um dia vocês sentirão falta de mim”.

Leônidas Marques leo_vr@terra.com.br

Volta Redonda (RJ)

*

FICHA SUJA

Algumas leis estão funcionando até que bem no Brasil. A única que continua “capenga” é a lei dos fichas-sujas. Como exemplo, cito: Renan Calheiros, José Genoino, Henrique Alves, João Paulo Cunha e muitos outros que ainda estão desfrutando de cargos relevantes com toda a sujeira existente em suas folhas corridas. A Lei Seca, por exemplo, pune de imediato o motorista que supostamente tenha ingerido álcool, não é mesmo? O mesmo deveria se aplicar a políticos que estão sub suspeita de corrupção, pois esses elementos no poder podem, sim, obstruir as investigações que estão sendo feitas. Passou da hora de esses caras receberem tratamento diferenciado, pois a Justiça deve ser igual para todos.

Ademar Monteiro de Moraes ammoraes57@hotmail.com

São Paulo

*

CARTAS MARCADAS

As futuras direções da Câmara e do Senado estão provocando muitas discussões, pelo fato de os candidatos que provavelmente serão eleitos para as presidências estarem comprometidos por procedimentos anteriores. Mas algumas questões precisam ser ressaltadas. Se eles têm “fichas sujas”, como puderam se candidatar a deputado federal e senador pelos seus Estados? E os eleitores mais uma vez mostram que não levam em conta certos procedimentos dos seus escolhidos. E como fica a posição do partido ao qual os dois são filiados, aceitando essas candidaturas? É preciso citar também os acordos e conchavos que estão sendo “negociados” com outras legendas, inclusive das que se dizem de oposição, que darão a cobertura que os dois precisam para garantir os cargos. Que fazer, então? Nada mais pode ser feito, a não ser acompanhar muito de perto a gestão dos dois. E isso tem que ver com os parlamentares da situação e, por certo, se é que ainda existem, com aqueles que são de oposição. Afinal, alguns desses partidos estarão integrando as chapas dos dois. Logo, pelo visto, apenas alguns órgãos de imprensa ainda estão se dando ao trabalho de fazer as análises e avaliações. O jogo é mesmo de cartas marcadas, o que é muito lamentável.

Uriel Villas Boas urielvillasboas@yahoo.com.br

Santos

*

COM O PMDB, O SENADO AMPLIA GASTOS

Sugiro que imprensa o Ministério Publico da União e/ou o Tribunal de Contas da União (TCU) façam um levantamento para verificar quantos funcionários com cargo comissionado cada senador disponibiliza, qual o salário de cada um, qual a função clara e objetiva exercida de cada ocupante do cargo, nomes e parentescos de cada um com os senadores e outros políticos e se esses comissionados realmente recebem o salário integral ou pagam pedágio mensal para os padrinhos. O aumento absurdo e estapafúrdio de 741% de cargos comissionados nem de longe contribuiu com a melhoria dessa moralmente e completamente falida instituição. Quando um poder institucional desse atinge esse grau de desrespeito com a população, a medida corretiva,infelizmente, tem que ser forte o suficiente para corrigir definitivamente, e isso se chama a completa destituição de seus integrantes maiores, nesse caso os senadores. Após essa medida, convocar novas eleições com cobranças de caráter , hombridade e honestidade dos candidatos, cumprimento de metas com compromissos de conduta assinado em contrato junto a União e passível de aferições das metas periodicamente com risco da perda de mandato compulsório na caso de não atingirem os objetivos. Isso é possível sim, bastando que a população se manifeste fortemente, pois somos nós, a população, que somos as autoridades e patrões dos políticos , pois somos nós que pagamos os seus salários. Nem precisa analisar com muita atenção para que se conclua que as exigências acima mencionada em nada difere daquelas que qualquer firma ou empresa produtiva e não política, exige de seus funcionários e dirigentes.

Marco Aurélio Rehder marcoarehder@yahoo.com.br

São Paulo

*

A FOLHA DO SENADO

Sob a direção e domínio do PMDB, o Senado da República, desde 2003, aumentou em 741% o número de servidores não concursados, o que representa um verdadeiro exército de apaniguados para auferir ganhos da coisa pública, endereçando-se, então, os dinheiros dos suados tributos pagos pelos brasileiros para as conveniências dos políticos, especialmente da agremiação que pratica piedosamente a máxima franciscana de que é dando que se recebe. Está o povo brasileiro, certamente, frente a ilegalidades, porque a Constituição da República só permite a permanência de servidores públicos que tenham feito concurso, não sendo possível a constância deles sob a rubrica da temporariedade, contratação ocorrente em casos extremos de necessidade funcional. Assim, os cabidões de emprego constituem grandes ralos do dinheiro público!

José Carlos de Carvalho Carneiro carneirojc@ig.com.br

Rio Claro

*

PÁTRIA DESTROÇADA

O País chegou à essa condição caótica de falta de leis e normas, descumprimentos de obrigações profissionais, ausência de procedimentos e um povo indisciplinado porque vocês, comunistas nazi-fascistas comandados por Lula, que, mancomunado com Sarney, Collor, Calheiros e uma infinidade de outros bandidos infiltrados nas instituições públicas, induziram a Nação à desobediência civil, à falta de caráter, insubordinação de filhos com os pais, desrespeito de alunos com professores, através do exemplo que deram e dão com seus comportamentos deploráveis, condutas indignas e, sobretudo, com essa lorota de “condução do País ao processo de redemocratização”, enganando a imensa maioria da população brasileira, composta de analfabetos plenos, semianalfabetos e analfabetos funcionais. Os resultados estão aí: foram pegos com a mão na massa, uma desorganização social descontrolada e a desordem generalizada de cumprimentos de deveres e leis (as que ainda existem, apesar de ineficazes), que estão ocasionando tragédias, catástrofes e disseminando o pânico. Essa corja tem de ser responsabilizada criminalmente, julgada e trancafiada, ou melhor, banida do País, pois precisamos reconstruir nossa amada Pátria, que está literalmente destroçada.

Nei Silveira de Almeida neizao1@yahoo.com.br

Belo Horizonte

*

JUSTIÇA

Ainda sobre a tragédia de Santa Maria: a população pede justiça. Ora, é ingenuidade pedir justiça. Cadê justiça neste país? Se o juiz proclama para os quatro ventos que condena alguém a 40, 50, 60 anos ou mais, vemos que não é verdade, porque o criminoso cumprirá apenas uns 5 ou 10 anos quando muito. Temos os recursos, as liminares que servem para protelar e para se alcançar a prescrição. O que a população deve pedir mesmo é a reforma do Código Penal que é de 1940, penas mais pesadas e o fim dos recursos e das prescrições. Não adianta pedir justiça no país da impunidade, porque a justiça continuará a rir da sociedade. Se quisermos um país sério devemos ser um povo sério. Cobrar, sair às ruas, não deixar passar nada que provoque desastres e crimes neste país, uma vez que político neste país somente trabalha sob pressão popular. Não havendo pressão continuarão totalmente folgados.

Alberto Nunes albertonunes77@hotmail.com

Itapevi

*

NADA MAIS INTELIGENTE?

Políticos de mau caráter, que infelizmente são maioria, na cúpula desse governo corrupto, juntam-se a administradores incompetentes para nos caso de tragédias nacionais, e circulando entre cadáveres fazerem pronunciamentos ridículos que são estampados na imprensa internacional. Acabei de ler que o ministro da Saúde reforçou o pedido para que pessoas que estiveram na boate Kiss, em Santa Maria (RS), na noite do incêndio, “procurem ajuda médica se sentirem qualquer sintoma adverso”. Ministro, o senhor não poderia encher linguiça com alguma frase mais elucidativa e inteligente? Será que o senhor acha que as vítimas, ao sentirem-se mal, iriam ficar em casa ou procurar o seu Antônio jornaleiro, ou ainda o seu Joaquim da padaria? Faça política inteligente. Hoje temos internet, e as idiotices pronunciadas intramuros correm o mundo em um minuto. Não seja ridículo nem ridicularize o meu país.

Humberto de Luna Freire Filho hlffilho@gmail.com

São Paulo

*

SEGURANÇA NAS BALADAS

Presidenta exige mudanças, prefeitos prometem mudanças e o povo aguarda mudanças. Certeza mesmo de mudanças? Por um curto período, na rotina dos fiscais...

Victor Germano Pereira victorgermano@uol.com.br

São Paulo

*

PROTESTO

Agora, além de nos preocuparmos com as drogas, bebidas, ecstasys, boa noite cinderelas e com a volta para casa nas madrugadas afora, nós, pais de todo o Brasil, temos também de acrescentar às nossas inquietações a terrível possibilidade de nossos filhos morrerem asfixiados, queimados ou pisoteados nas baladas que ocorrem de Norte a Sul deste país. Imagino agora, com estupor, o risco que nossos filhos correram estes anos todos em algumas das baladas mais cobiçadas do País, como as de Campos do Jordão (SP), onde ingressos VIP chegam a custar ate R$ 700 por cabeça, atraindo mais de 10 mil jovens a cada noite dos feriados e temporadas de junho e julho, todos amontoados em casas fechadas e até subterrâneas, sem nenhuma espécie de segurança ou fiscalização. E todos os anos a Associação de Proprietários de Restaurantes da mesma cidade protesta contra a famosa praça de alimentação que funciona, há mais de uma década no subterrâneo do shopping do empresário João Doria, no local onde deveria funcionar a garagem do estabelecimento! Toda a população local se questiona como ele consegue todos os anos burlar todas as leis mais básicas de segurança, de higiene, a vigilância sanitária e o Corpo de Bombeiros e como as autoridades lhe conferem alvará de funcionamento num local sem nenhuma ventilação e totalmente inapropriado para cocção de alimentos em fogões a gás, com risco enorme de explosão e incêndio. Alguém já viu algum shopping internacional onde funciona uma praça de alimentação na garagem?! Vale aí uma ótima reportagem para o Estadão, que sobe a Serra todos os anos dando dicas de restaurantes e baladas... Espero que, doravante, esta terrível tragédia de Santa Maria possa, finalmente, levar nossos governantes a fiscalizarem dignamente não somente casas noturnas, mas outras centenas, ou milhares, de estabelecimentos que colocam nossas vidas, de nossas crianças, jovens e idosos em jogo diariamente. E que cada um faça sua parte, questionando, denunciando, protestando. Será que adianta?

Tania Boutaud de la Combe tania.boutaud@gmail.com

São Paulo

*

INOCENTES

De acordo com o comandante do Corpo de Bombeiro, o alvará da boate Kiss estava vencido. E será que antes ela tinha materiais antichamas, sinalizações de saída de emergência, exaustor de incêndio, mangueiras de incêndios, hidrantes, extintores carregado, placas de proibições de fogos de artifícios, alarme de incêndio e sistema contra incêndio (chuveirinhos), etc.? Ficou parecendo mais falta de responsabilidade das autoridades públicas e principalmente do Corpo de Bombeiros. Com a ganância econômica do proprietário, que deve ter sido beneficiado com documentação anterior, o proprietário não iria tirar todos os materiais de segurança, depois de colocados. Será que tem alguém que acha que ele faria isto? Não tem inocentes nesta tragédia, só os jovens que foram enganados, na sua inocência pensaram que se encontravam num lugar seguro, mas pagaram caro com sua vida.

Reginaldo de Paula reg.paula@hotmail.com

Campinas

*

A AJUDA DOS SEGUROS

Sou engenheiro mecânico e estou fazendo doutorado numa área diferente de segurança. Eu trabalho há anos numa indústria automotiva e já lecionei por anos em universidade. E apesar da minha área não ser em segurança, há uma solução importante a ser tomada para evitar esses erros absurdos. Mas primeiro eu tenho uma pergunta: por que um cinema tem brigada de incêndio e procedimento de segurança mais sérios e claros do que boates? É exigência dos produtores internacionais para proteger que nenhuma arapuca chamada de cinema pegue fogo e eles não sejam processados? Ou eles seguem uma norma internacional? Fábricas e cinemas fazem seguro, e as seguradoras fazem exigências, senão o seguro aumenta o valor. Pois nenhuma seguradora irá garantir um estabelecimento se seu pessoal técnico detecta problemas de segurança. Sempre quando tem de renovar o seguro, e logo após uma vistoria da seguradora, há exigências, pois senão o seguro aumenta. Por que não aplicar o mesmo para boates, criando lei que obriga elas terem seguro? Assim o setor privado auxilia o setor público na fiscalização dos estabelecimentos. Nos países mais civilizados se faz seguro sobre tudo. Se não for criada essa lei, vejo dois problemas. No caso da boate Kiss, o bloqueio de bens pelo Ministério Público não irá garantir pagar as indenizações as vítimas. Outro problema é que não há como os bombeiros fazerem vistoria em todas as boates, quanto mais em todos os estabelecimentos comerciais que também têm o trânsito de pessoas. É impossível fiscalizar tudo. Ou se faz de forma rápida e incorreta ou não haverá tempo. Assim, com a exigência de seguros para todos os estabelecimentos comerciais, o setor privado auxilia o setor público no controle dessas arapucas. Claro que essa não deve ser a única solução. Eu espero que o setor público tenha um amplo debate com especialista para modificar a lei de segurança em todo o território brasileiro, de modo a aumentar a segurança desses estabelecimentos. Pois problemas de segurança no Brasil estão se tornando comuns e acontecem desde barcos na Amazônia até boates no Sul do País.

Hugo Carvalho hugombc@hotmail.com

Curitiba

*

SAÍDAS

Fiquei abismado com a declaração de um oficial do Corpo de Bombeiros, no Jornal da Globo, mostrando, em maquete, que a boate Kiss tinha duas saídas espaçadas de acordo com o máximo que o engenheiro projetista podia ter feito. Saída é para o exterior. Essas saídas alegadas por ele eram duas aberturas que davam para outro ambiente, ainda interno, e que então só tinha uma saída externa. A maquete por ele próprio apresentada é a prova da mentira. A quem ele está procurando enganar? Como engenheiro, não posso aceitar essa alegação.

Paulo Ferreira de Souza Filho pfsf04@globo.com

São Paulo

*

PREVENÇÃO DE ACIDENTES

A respeito do lamentável acidente na boate Kiss, todos querem dizer alguma coisa sobre prevenções de segurança, então digo que nesses últimos 35 anos trabalhei em algumas indústrias e todas têm um sistema de prevenção muito eficiente com brigadas, e todo ano tem a Semana Interna de Prevenção de Acidentes no Trabalho (Sipat), que é uma semana onde envolve todos os funcionários. Porém não sei como é a prevenção em estabelecimentos comerciais, mas nas indústrias a prevenção funciona muito bem, pois é obrigatoriamente acompanhada por um técnico de segurança efetivo.

José L. Martin jluizmartin@yahoo.com.br

São Paulo

*

ALVARÁS

A excessiva demora na análise dos pedidos de concessão de alvarás coloca as prefeituras em situação delicada, passível de responsabilização. Os motivos são conhecidos: faltam funcionários qualificados, não se respeita a ordem de chegada e ainda prevalece a mentalidade de se criar dificuldades para se vender facilidades. As eleições municipais renovam as esperanças de tempos melhores e de modernização da gestão com a contratação de engenheiros de segurança nas secretarias de habitação e órgãos de licenciamento, introdução de novas práticas gerenciais e tolerância zero para a corrupção no serviço público.

Yvette Kfouri Abrão m.abrao@terra.com.br

São Paulo

*

SUPERLOTAÇÃO CRIMINOSA

Pelo que observamos na tragédia ocorrida em Santa Maria, não basta uma casa noturna ter alvará e laudos aprovados pelo Corpo de Bombeiros. Ainda que todas as exigências de segurança sejam satisfatórias, se a sua lotação for 3 vezes superior à sua capacidade, a evacuação levará o triplo do tempo necessário para salvar os clientes. A superlotação de casas noturnas talvez seja o ato mais criminoso.

Maurício Rodrigues de Souza mauriciorodsouza@globo.com

São Paulo

*

SÓ DEPOIS...

Foi preciso 235 jovens morrerem (esse número pode ainda pode aumentar) para as prefeituras tomarem providências quanto à segurança das casas de baladas, shows e eventos. É lamentável!

Olympio F. A. Cintra Netto ofacant@yahoo.com.br

São Paulo

*

BOATE BRASIL

A tragédia ocorrida em Santa Maria (RS) é uma de outras tantas que já ocorreram e ocorrerão. Sempre haverão os corruptos de plantão burlando o cumprimento da legislação existente recebendo propinas para a facilitação e o resultado sempre será famílias enlutadas pela perda de entes queridos. Os maiores responsáveis são os próprios governos, legislativos preocupados em fazer “média” com a criminalidade em troca de votos e a perpetuação no poder, falta de punições mais severas aos criminosos, direitos humanos desrespeitados para os humanos direitos. A culpa desses eventos trágicos só podem ser de responsabilidade do partido que (des)governa o País por mais de 10 (dez) anos, que reformas fizeram das que tanto reclamavam quando eram oposição? Nenhuma, só deturparam e imoralizaram o pouco de bom que havia e conseguiram exterminar com a honra, a ética, a moral de um povo trabalhador e honesto. Transformaram o País na Boate Brasil, pior, sem alvará... Quanto mais suja a ficha e os piores são escolhidos para cargos relevantes, que só deveriam ser ocupados por cidadãos que comprovadamente tivessem antecedentes ilibados, decência, honradez, espírito público, patriotismo e competência. Depois de decorrida uma década não dá para por a culpa nos antecessores. Uma grande parcela da culpa cabe ao Ministério Público, Judiciário e a própria OAB que permitiram que chegássemos à situação que chegamos. Intere$$e$ não podem ficar acima da Constituição e das leis. A hipocrisia política vai aparecer “chorando” pela desgraça acontecida, pela própria culpa, mas buscando dividendos eleitorais. É preciso extirpar da política os que aí estão, necessário se faz uma renovação geral das lideranças e políticos atuais que se acham os “donos” do País em detrimento do povo brasileiro e do Brasil.

Luiz Dias lfd.silva@2me.com.br

São Paulo

*

OPERAÇÃO ABAFA?

Tragédia digna de emoções penosas e solidariedade! Quem é, ou são, os verdadeiros donos da boate Kiss? A boate de fato pertence, segundo circula pela internet, a um conhecido deputado. Pode-se apurar a veracidade? Daí, por decorrência, se compreenderá a operação “abafa” em curso.

Luiz A. Bernardi luizbernardi@uol.com.br

São Paulo

*

TRAGÉDIA E MENTIRA

Quando um levantamento jurídico detectou que São Paulo tem 70% das boates ilegais, sem alvará, ao mesmo tempo que o Ministério Público Federal (MPF) entrou na investigação sobre a amoral exploração politiqueira do lamentável episódio em Santa Maria (RS), em que montaram acusação de forma leviana contra o PT e o deputado Pimenta, que processará os elementos do PSDB local com veiculação fake de mentiras, estranha e suspeitamente, o Estadão publica carta amoral do Sr. Luiz Fernando D’Ávila, do Rio de Janeiro, terra de impunidades e de notórios corruptos impunes, de Garotinho a Cesar Maia, o pior de todos. Por essas e outras, meus protestos pela exploração inumana até. O leitor vale-se de uma dor coletiva, nacional, para compartilhar a veiculação nefasta de uma mentira deslavada. Que vergonha!

Silas Correa Leite poesilas@terra.com.br

Itararé

*

MALES QUE VÊM PARA O BEM

Esse ditado “há males que vêm para o bem” consegue nos explicar a benéfica mudança de posição do prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes, com relação às obras de recuperação estrutural do viaduto do Joá, que, agora, vão passar dos cosméticos R$ 7 milhões para R$ 70 milhões. A tragédia de Santa Maria, que tanto enlutou e entristeceu o povo brasileiro, serviu de alerta para o prefeito.

Ronaldo Gomes Ferraz ronferraz@globo.com

Rio de Janeiro

*

JOÁ

Alto lá! Ou tem gente que não sabe fazer conta ou tem algo sendo armado. O custo da reforma do Elevado do Joá passou de R$ 7 milhões para R$ 70 milhões. É, isso mesmo. Dez vezes mais. O prefeito vai pagar do bolso dele? Se vai, tudo bem, se não, uma boa explicação precisa ser dada, pois trata-se de dinheiro público. Se houve engano, o que será difícil acreditar ou defender esta tese, o responsável, se dos quadros da prefeitura, tem de ser demitido a bem do serviço público, se terceirizado, dispensá-lo dos serviços e com nota desabonadora.

Panayotis Poulis ppoulis46@gmail.com

Rio de Janeiro

Mais conteúdo sobre:
Fórum dos Leitores

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.