Fórum dos Leitores

Atualizado às 5h29

O Estado de S.Paulo

05 Fevereiro 2013 | 02h07

CONGRESSO NACIONAL

Eleição na Câmara

O deputado federal Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN) foi eleito ontem presidente da Câmara com 271 votos. Nenhuma surpresa nessa eleição, que já era dada como certa por todos nós. A grande surpresa foi descobrirmos que 29 deputados que deveriam ter votado nele roeram a corda na última hora. São os 29 que ficaram faltando para completar o famoso grupo de 300 deputados que Lula um dia alardeou à Nação: "Há uma maioria de 300 picaretas que defendem apenas os seus próprios interesses". Aliás, nós não merecíamos escutar de Henrique Alves, assim que foi eleito presidente da Câmara, que "o Poder que representa o povo na sua mais sincera legitimidade é essa Casa aqui". Isso é tripudiar sobre o povo brasileiro.

RONALDO GOMES FERRAZ

ronferraz@globo.com

Rio de Janeiro

País sem futuro

Se os deputados federais não têm respeito pelos eleitores, a ponto de elegerem um ficha-suja para a presidência da Câmara, o que mais podemos fazer senão aguardar a próxima eleição para lhes dar o troco? Senado e Câmara nas mãos de fichas-sujas nos levam à triste situação de país sem futuro. Os 271 deputados que optaram pela falta de ética na política puseram uma mancha negra em seu currículo (ou folha corrida?).

ALVARO SALVI

alvarosalvi@hotmail.com

Santo André

Os novos presidentes

Nada surpreendente e isso confirma uma vez mais até que ponto os interesses pessoais, e até corruptos, infestam, o Congresso. Entre seus quase 600 integrantes, apenas dois - aliás permanecendo no próprio PMDB - se manifestaram abertamente contra a eleição de Renan Calheiros para assumir a posição de presidente do Congresso: os senadores Pedro Simon e Jarbas Vasconcelos. Pois o senador Renan, mesmo denunciado no STF por crimes de corrupção pela Procuradoria-Geral da República, foi eleito presidente do Senado. E agora foi eleito para a presidência da Câmara o líder da bancada do partido, Henrique Alves, que, como Calheiros, também tem contra ele várias denúncias de improbidade administrativa e corrupção. A população consciente sente-se ultrajada com essa infausta situação, característica de um país subdesenvolvido com o espelho de uma pseudodemocracia. Entretanto, a esperança é a última que morre. Há uma luz no fim do túnel: a Lei da Ficha Limpa e o mensalão, julgado pelo STF. Mas há ainda um longo caminho a percorrer antes de sair desse túnel!

PABLO L. MAINZER

plmainzer@hotmail.com

São Paulo

Impasse político

No caso de o STF determinar futuramente o afastamento dos presidentes da Câmara dos Deputados e do Senado, mas ambas as Casas não cumprirem a decisão, o País caminharia para um impasse institucional grave em 2014. O Poder Executivo não poderia arbitrar o confronto que haveria entre os Poderes Legislativo e Judiciário. Em 1993 o plebiscito decidiu pela não reforma política ao manter o status quo. Agora seria a hora de reabrir o debate.

LUIZ ROBERTO DA COSTA JR.

lrcostajr@uol.com.br

Campinas

Guardião da ética...

O novo-velho presidente da Câmara Alta declarou, no discurso de posse como presidente, que é o "guardião da ética no Senado". Que ética? Que Senado? Se ele é o guardião da ética, o que são, então, os demais senadores?

LELÉ ARANTES

lele@prp.org.br

São José do Rio Preto

Vestais

O senador Edison Lobão Filho declarou, segundo o Estado (2/4, A4): "Aqui, nesta Casa, não há nenhum vestal". Lembro que o termo vestal tem alguns sinônimos, como honesto, honrado e incorrupto. E alguns antônimos: salafrário, promíscuo e desonesto. A definição da Casa é do nobre senador da República.

JOSÉ MANOEL OLIVEIRA SILVA

josemos@terra.com.br

São Paulo

Dantesco

Dante Alighieri tem lugar certo para a maioria desses congressistas: a quinta vala do oitavo círculo infernal, castigados com piche ardente e flechadas de demônios.

LUIGI VERCESI

luigiapvercesi@gmail.com

Botucatu

Olhando pelo viés positivo

Nos próximos dois anos vamos ter de aguentar Calheiros e Alves, em compensação nos livramos de José Sarney e Marco Maia.

EDGARD MARQUES FILHO

ed.marques@terra.com.br

Barueri

DE TRAGÉDIAS

Outra 'anunciada'

Após tragédias acontecidas, túneis compridos na Europa foram reformados com a instalação de saídas de emergência a cada 300 metros. A Rodovia dos Imigrantes tem um túnel de 3 mil metros de comprimento sem nenhuma saída de emergência!

VICTÓRIO CANTERUCCIO

vicv@terra.com.br

São Paulo

Sem antídoto

O antídoto para combater a intoxicação por fumaça tóxica, no caso das vítimas do incêndio na boate Kiss que ainda estão hospitalizadas, veio dos EUA, porque o que o Brasil tem não é o especificado para o tratamento. Isso é um vergonha, a falência da saúde pública - ninguém se preocupa com ela, a corrupção não deixa. Daqui a pouco vão importar até aspirina. E há quem ainda acha este governo bom. Bom em quê?

PANAYOTIS POULIS

ppoulis46@gmail.com

Rio de Janeiro

Hidroxicobalamina

Grande alarido na mídia porque o tratamento das vítimas da tragédia de Santa Maria (RS) - com mais de duas centenas de óbitos - intoxicadas por cianeto foi prejudicado pela não existência do fármaco hidroxicobalamina. Aí está uma boa pergunta para o comitê político da Anvisa responder e o órgão ser responsabilizado: por que a hidroxicobalamina nas dosagens de 5.000 e 15.000 mcg foi retirada do mercado, por determinação dos comissários políticos da Anvisa? Existiam no País dezenas de marcas nessas dosagens e seu emprego era de excelente ação no tratamento de algias com componente neurológico.

ALEXANDRE DE MACEDO MARQUES

ammarques@uol.com.br

São Paulo

PRISÕES

Terceirização

Concordo com a Nota da Redação (N. da R., 4/2) e acrescento: privação da liberdade e multas de qualquer espécie são tarefas precípuas do poder público e em hipótese alguma devem ser delegadas a terceiros.

SERGIO S. DE OLIVEIRA

ssoliveira@netsite.com.br

Monte Santo de Minas (MG)

O BODE NA CÂMARA

Henrique Eduardo Alves (PMDB) foi eleito presidente da Câmara dos Deputados por 271 votos. Minha pergunta é: será que ele vai levar aquele bode que toma conta da sua empresa fantasma para dentro de seu gabinete para assessorá-lo? Precisamos ficar de olho, senão é capaz de o bode ser incluído na folha de pagamento da Casa! Brasil, a terra da pouca vergonha oficializada!

Mara Montezuma Assaf montezuma.scriba@gmail.com

São Paulo

*

UM NOME SOB SUSPEITA

A política brasileira acaba, mais uma vez, de ser açoitada por mais uma calamidade pública. Acaba de ser eleito presidente da Câmara dos Deputados para o período de dois anos (2013/2014) o deputado Henrique Alves (PMDB). Além de várias denúncias de corrupção e brigas internas no seu partido, seu nome ainda carrega a maior mácula, que não é uma denúncia política, mas, sim, uma denúncia familiar, que é a pior de todas. Sua ex-esposa, em processo de divórcio, o acusou de evasão fiscal, por possuir em bancos do exterior a estratosférica quantia de R$ 15 milhões, sem a devida declaração. Pergunto: como pode o parlamentar mais antigo da Câmara (42 anos de exercício) amealhar tanta fortuna? Só dos seus vencimentos como parlamentar? É óbvio que não.

Antonio Brandileone abrandileone@uol.com.br

Assis

*

DOIS EM UM

Coincidência ou não, a verdade é que, com dois presidentes – um no Senado e outro na Câmara dos Deputados –, sendo os dois do PMDB, quem manda no Brasil agora é o vice, mas da República, leia-se Michel Temer, do PMDB.

José Piacsek Neto bubapiacsek@yahoo.com.br

Avanhandava

*

É MUITA DESGRAÇA!

Os inocentes que morreram na tragédia de Santa Maria (RS) foram vítimas da corrupção, que há muito tempo está desgraçando com o Brasil. Quantas outras tragédias ainda teremos para que nos demos conta de que a corrupção é uma desgraça? Ou alguém duvida de que, se a prefeitura de Santa Maria tivesse cumprido com o seu dever de diligenciar e coibir o funcionamento de um estabelecimento sem condições de segurança, aquela tragédia teria acontecido? Precisamente há dez anos, o Brasil está cada vez mais refém de um conluio entre o poder público e a corrupção e mal contabilizamos nossos ente queridos mortos elegem-se, sem o menor pudor, sem escrúpulos e sem qualquer qualificação ética para as presidências do Senado e da Câmara federal Renan Calheiros (PMDB) e Henrique Alves (PMDB), respectivamente, com o total apoio do PT. Agora, sim, além da terra das tragédias e dos erros indesculpáveis, o Brasil é também a República dos picaretas, e sua primeira-dama chama-se Dilma Rousseff. Convenhamos, é muita desgraça!

Gilberto Motta da Silva gmottas@yahoo.com.br

Curitiba

*

DEU A LÓGICA

É no mínimo ingênua a grita contra a eleição de Renan Calheiros para a presidência do Senado. Ele é a síntese dos senadores. Ele representa perfeitamente seus representados em todos os aspectos. Foi eleito exatamente pela similaridade. Os 18 indignados, como nós, votaram contra. O Renan é o Sarney, ontem.

Jose Renato Monteiro jrmonteiro279@gmail.com

São Paulo

*

DUPLA

Que beleza! A dupla ouro e prata, Renão Canalheiros e Eurrico é o Alvo.

Ivan Bertazzo bertazzo@nusa.com.br

São Paulo

*

DOMINAÇÃO ABSOLUTA

É muito ruim um país sem oposição política ao governo. Significa que este vai se perpetuar no poder. É inacreditável a situação a que o Brasil chegou, com um senador dito oposicionista e suposta e ridiculamente pré-candidato à Presidência em 2014 que nem levantou o bumbum da cadeira para pelo menos fingir alguma reação a Renan Calheiros.

Ademir Valezi valezi@uol.com.br

São Paulo

*

OPOSIÇÃO EM SILÊNCIO

O silêncio sepulcral do suposta oposição – PSBD – na eleição do senador Renan Calheiros demonstra o tanto que os tucanos, em especial o senador Aécio Neves, possível candidato à Presidência da República em 2014, estão a dever ao País e principalmente à democracia, que sem oposição se torna refém de tudo e de todos – e estão aí os dois novos presidentes das casas legislativas para demonstrar isso.

Marcos Barbosa micabarbosa@gmail.com

Casa Branca

*

O LIMITE DA IGNORÂNCIA

Vossa Excelência chegou ao limite da ignorância e, no entanto, prosseguiu!” (Millôr Fernandes). O PT chegou ao limite do despudor e, no entanto, prosseguiu! Já tinha eleito José Sarney, o limite do desprezo ao povo brasileiro e, no entanto, prosseguiu elegendo Renan Calheiros! Devolveu ao cenário político personagens que lembram as atuações de Waldomiro Diniz, Carlinhos Cachoeira e Marcos Valério! Transformou o Brasil num palco de deboche com espetáculos como a dança da pizza, os dólares na cueca, com o mensalão e até com os de alcova quando Rosemary atuou no papel de madame Pompadour! Ao lado de atores como Lula, José Dirceu, José Genoino, Delúbio Soares, João Paulo Cunha, Valdemar Costa Neto, Collor, Edison Lobão, Jader Barbalho e Paulo Maluf e apoiado em seus índices de aprovações, o PT chegou à conclusão de que este é o melhor caminho para todos. Que, afinal, o Brasil foi feito para ser avacalhado e que os interesses das oligarquias coincidem com os da corrupção!

Eugênio José Alati eugeniojosealati@yahoo.com.br

Campinas

*

CONGRESSO NACIONAL

Ladrões são chefiados por ladrões, corruptos por corruptos e parlamentares brasileiros por coronéis. Estes, nunca deixaram de ser ladrões e muito menos corruptos. Estranho seria se fosse diferente...

Victor Germano Pereira victorgermano@uol.com.br

São Paulo

*

MALANDRO FEDERAL

Lula usou sem a menor cerimônia a corrupção como alavanca da governabilidade. Deu no que está dando. Hoje a corrupção é fundamental no meio político e só se tem prestígio com uma ficha bem suja. Eleger políticos para presidências quaisquer deve obedecer a critérios os mais vergonhosos possíveis. Como diz o mestre Chico Buarque, todos querem ser malandro federal, aquele que nunca se dá mal.

J. Treffis jotatreffis@hotmail.com

Rio de Janeiro

*

DESANIMADOR

Pelas atitudes do povo brasileiro em geral é que se conclui que realmente este é um País de Lula, Sarney, Calheiros, Collor e Marco Maia. O País se preparando para sediar uma Copa do Mundo, reformando estádios, construindo outros, efetuando obras e reformas de malhas viárias, rede hoteleira e aeroportos, num belo domingo de fevereiro (3/2/2013), reinaugura o Estádio do Mineirão em Belo Horizonte, todo reformado, com o maior e mais tradicional clássico mineiro, Cruzeiro x Atlético Mineiro. E não é que alguns torcedores quebraram cadeiras e destruíram instalações sanitárias. É desanimador e nos leva a crer que jamais deixaremos de ser uma Nação destituída de qualquer senso de cidadania e incapaz de saber escolher os nossos representantes. Sem pretender fazer apologia à violência e/ou estimular ações ilegítimas, mas pergunto por que esses infelizes não vão fazer uma quebradeira na Câmara de Vereadores e dos Deputados, quando estes aumentam seus próprios salários indiscriminadamente, quando um presidente da Câmara federal dá posse a um corrupto condenado como José Genoíno e senadores irresponsáveis re-elegem para a presidência da Casa um bandido como Renan Calheiros?

Nei Silveira de Almeida neizao1@yahoo.com.br

Belo Horizonte

*

UM PAÍS SÉRIO

Se Charles de Gaulle nunca disse, então digo eu: o Brasil não é, nunca foi e talvez nunca será um país sério!

J. S. Decol decoljs@globo.com

São Paulo

*

O SENADO COM RENAN

O Senado é um órgão que foi criado pela França e EUA para evitar que alguma reivindicação popular passasse na Câmara dos Deputados, que não agradasse aos donos dos poderes. Com o tempo, a Câmara foi se tornando uma casa inclinada ao favorecimento dos políticos profissionais sem grande amor pelo povo. A Câmara dos Lordes na Inglaterra (o senado inglês) continuou essa vigilância ao vetar a soberania do povo irlandês em 1913 após ter sido aprovado pela Câmara dos Comuns. De qualquer forma, o Senado virou apenas um repeteco dos assuntos votados pela Câmara. Para justificá-lo, alegaram depois que se tratava de uma representação dos Estados. Isso não é verdade, pois a Câmara foi constituída sob a proporcionalidade representativa dos Estados. Não tem, portanto, o menor sentido a sua existência. É inútil, supérfluo e perdulário. No Brasil, o seu orçamento é de mais de R$ 3,6 bilhões, que se empregado em benefício da sociedade os seus gastos de apenas um ano poderiam ser construídos 60 km de metrô em São Paulo, 35 mil casas populares, 20 hospitais de emergência e assim por diante. Costa Rica aboliu essa instituição há mais de 20 anos. Hoje o país é considerado o mais civilizado e democrático da America Latina. Seus integrantes são políticos profissionais que logicamente cuidam de suas reeleições e favorecimentos. Não é surpresa que apoiem o Renan. Aliás, pouca diferença há, pois ele substitui José Sarney.

J. Vasconcelos prof.vasconcelos@terra.com.br

São Paulo

*

DE MAL A PIOR

Nada é tão ruim que não possa piorar, esta lei de Murphy parece à única bem aplicada no Brasil e principalmente nesta eleição para presidência do Senado, onde saiu o pré-histórico Sarney coronel do Maranhão, um dos Estados mais pobres do Brasil e entra outro coronel de outro Estado miserável, o Alagoas. Espero que o procurador-geral da República obtenha êxito em suas denúncias e o novo presidente do Senado saia direto para o xadrez, onde será ovacionado pelos já condenados do mensalão.

Jose Mendes josemendesca@ig.com.br

Votorantim

*

UMA VEZ MAIS...

Como dizem os nossos patrioteiros, uma vez mais a Europa se curva... Temos uma Câmara Penal e um Senado Penal. “Não é pouca porcaria”, como diria um conhecido piadista e retórico de botequim, doutor por Coimbra.

Alexandre de Macedo Marques ammarques@uol.com.br

São Paulo

*

A CÚPULA

Os aliados do presidente eleito para o Senado já mostram o caráter que têm... Estão decididos a pa$$ar um rolo compre$$or sobre as investigações do mui digno, ilibado e impoluto senador Renan Calheiros (PMBD-AL), alguém tem dúvida da sua reputação? Ninguém tem dúvida, tem certeza do seu "prestígio" na cúpula. Até poderá se transformar no primeiro e único senador a ser "bi-renúncia", se duvidam é só confirmar com o senador Jucá (PMDB-RR). Na cúpula só tem gente fina e de uma rara espécie, são pupilos do sarna... Então, tá bonito!

Luiz Dias lfd.silva@2me.com.br

São Paulo

*

O SUBSTITUTO DE SARNEY

Pior do que o Sarney, impossível. Logo, qualquer Renan leva vantagem.

Fausto Ferraz Filho faustofefi@ig.com.br

São Paulo

*

VERGONHA NACIONAL

Por minha vivência política, não tenho dúvida em afirmar o Congresso Nacional é controlado por Sarney, Temer, Renan, Dirceu, Lula, o excremental voto secreto e o cérebro socialista Plínio de Arruda Sampaio. Entre os mequetrefes teleguiados estão Genoino, Jucá, Rui Falcão, Marta, Ideli e Marcio ministro aspone, sem esquecer os figurantes multipartidários. Com poucos corretos e dignos, meia dúzia de líderes da oposição, que corre o risco de ser extinta por medida provisória. Outros 500 e poucos medíocres, energúmenos, marionetes que recebem e cumprem ordens do PT e do PMDB, campeões da cizânia e procuram eleger até síndico de condomínio. Porque nós, o povo, não os obrigamos a respeitar nossa cidadania. O mundo moderno concluiu que só o parlamentarismo partidário existe. Nós temos na Constituição outra arma infalível: o plebiscito ou referendo “popular”. Acorde do berço esplêndido, Brasil! Viva o STF autêntico e íntegro, nosso escudo constitucional e democrático. Querida presidenta Dilma, reforce sua base eleitoral, integridade e autoridade, jamais seja refém desta clã castrista, pelo bem dos l80 milhões de brasileiros.

Helio Maia heliomaia@hotmail.com

São Paulo

*

SILÊNCIO

Se o Brasil fosse um país normal, o gesto obsceno feito pelo senador renan calheiros (com minúscula mesmo) seria considerado como falta de decoro parlamentar e, como tal, motivo de cassação. A sociedade, que não foi consultada sobre se quer ter no Senado federal, como presidente, alguém que poderá vir assumir a chefia da Nação, usaria o seu poder para expurgar, de uma vez por todas da vida pública, esse ser indigno até de ser catador de lixo em Alagoas. Aliás, se assim fosse, seus “colegas” deveriam catá-lo logo no primeiro dia. Mas, como somos todos anormais, sem exceção, vamos ter de seguir o gestual que ele fez para todos os brasileiros, de bico calado. Não me conformo, mas não posso fazer nada, só desejar "vida curta ao rei"!

Gladys Castanho glad-is@ig.com.br

São Paulo

*

FOTO

A foto mostrada sábado (2/2) na primeira página do Estado, onde aparecem Collor sorridente, Renan e aliados, confirma mais uma vez a máxima: mentes semelhantes se atraem.

Francisco Zardetto fzardetto@uol.com.br

São Paulo

*

RIEM DE NÓS

Na capa do Estadão de 2/2/2013, aparecem rindo Collor e Renan, um sofreu “impeachment”, o outro renunciou à presidência do Senado para não ser cassado. Só podem estar rindo de nós, brasileiros.

L. A. B. Moraes labmoraes@uol.com.br

Santos

*

CIRCO ‘BRAZIL’

Na capa do Estadão de 2/2, dois notórios senadores, Collor e Calheiros, sorrindo. Representantes do estado com pior Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) do Brasil, como também representam o que há de pior na política brasileira, riem de quem ou de quê? Com voto “secreto”, um alcançou a presidência do Senado e o outro, ora vejam, comanda o Conselho de Ética da Casa! Desta mesma casa da Maria Joana... Circo Brazil com “z”, onde o palhaço é você!

Albert Henry Hornett hornettalbert@hotmail.com

São Paulo

*

ESTUPRADORES DA NAÇÃO

Não tem como ficar indiferente à foto de Renan e Collor rindo na primeira página do Estadão. Dá nojo, revolta, indignação! Renan, Sarney, Collor, Jucá, Lobão Filho, com mais outros 50, são verdadeiros estupradores desta Nação. Até quando ficarão impunes? Até quando a Justiça continuará cega? Até quando as leis não serão cumpridas neste país?

Agmar Vieira Jr. avjr1957@hotmail.com

Maringá (PR)

*

ARITMÉTICA

Uma questão de aritmética: 56 noves fora é igual a 2. Na foto da primeira página do Estadão de sábado estão Collor e Renan. Tristes figuras alagoanas...

Ronald Martins da Cunha ronald.cunha@netsite.com.br

Monte Santo de Minas (MG)

*

FUNDO DO POÇO

Quando o senador Jose Sarney discursa emocionado na despedida do cargo de presidente do Senado, dizendo-se ‘incompreendido’ e ‘injustiçado’, querendo derramar lágrimas de crocodilo, e assume seu cargo o ‘ficha limpa’ Renan Calheiros, que não se preocupa com o que vai acontecer com seus processos no STF, afinal o relator dos mesmos será o ministro Lewandowski; quando os jornais estampam numa mesma foto a fina flor da picaretagem política brasileira como Renan Calheiros, Jader Barbalho, Fernando Collor, alguns rindo evidentemente da nossa cara e o senador Eduardo Suplicy, que faz uma defesa envergonhada de Renan Calheiros, atua de forma ridícula, tudo isso orquestrado pelo governo do PT; quando a oposição (PSDB) entra na eleição para presidente do Senado sem nenhum entusiasmo, ao lado do senador Pedro Taques e, devido ao voto secreto, provavelmente havendo traições da turma do governador Marconi Perillo (e, afinal, por que o mesmo ainda não foi expulso do partido?); então chegamos ao fundo do poço. Mas ainda há esperança, pois somos a maioria silenciosa e precisamos sair às ruas de novo e mostrar força, intimidá-los e dar uma virada neste jogo sujo que acontece em Brasília e colocar de novo dignos representantes que possam realmente lutar pelos interesses de todos nós, brasileiros.

Henrique Schnaider hschnaider@terra.com.br

São Paulo

*

O CÍRCULO SE RENOVA

A eleição de Renan Calheiros para presidente do Senado é a prova cabal de que os políticos não se importam com a opinião pública, com o decoro parlamentar e com os interesses da Nação. Atualmente, no Senado e na Câmara dos Deputados é possível contar nos dedos quem é ficha limpa. Infelizmente, tais políticos corruptos e inescrupulosos continuarão no poder, visto que seus eleitores são pagos com míseras bolsas ou cotas para entrarem nas faculdades públicas.

Daniel Marques danielmarquesvgp@gmail.com

Virginópolis (MG)

*

OPOSIÇÃO?

Cidadão do Brasil! Refiro-me àquele que trabalha de verdade, não tem ligação alguma com o "desgoverno", o que realmente paga suados impostos: preparai-vos! Definitivamente irão chutar o pau da barraca. Em breve matéria do Estadão (É hora de abandonar o superávit primário, diz Nelson Machado, 4/2/2013), conclui-se que o nosso tripé da economia irá ruir. A estabilidade que o Plano Real nos trouxe e que permitiu nosso país ser merecedor de confiança e investimentos baseados numa política macroeconômica estável agoniza. A culpa de morte tão prematura é, sejamos honestos (palavra estranha...),da oposição. Abandonaram seu bem mais precioso nas mãos de aloprados incapazes que não têm a menor idéia do que fazem: o que foi dito será desdito e o desdito será dito como se o dito nunca fosse desdito! Realmente, a esquizofrênica equipe econômica não está mais à frente dos fatos, mas a reboque. Através de malabarismos contábeis, cada vez mais "criativos", perdem prestígio e tornam o Brasil, novamente, uma república de bananas. Não é mesmo, oposição?

Gloria de Moraes Fernandes glorinhafernandes@uol.com.br

São Paulo

*

ONDE ESTÁ A DIFERENÇA?

Renan Calheiros eleito presidente do Senado com votos do PSDB? Quá, quá, quá, qual o discurso deles agora? Cai por terra tudo que dizem. São diferentes em que dos outros? Em nada. Podem dar as mãos ao PT, PMDB, PSB, PR, PSD, etc., e saírem passeando por aí. São todos iguais. Pobre povo. Estes são os representantes que você coloca lá?

Panayotis Poulis ppoulis46@gmail.com

Rio de Janeiro

*

ELEIÇÕES NADA REPUBLICANAS

No Fórum dos Leitores de sábado, o leitor Sr. Henrique Brigatte faz referência aos eleitores que votaram nestes senhores pró a vergonhosa eleição de Renan Calheiros. Sinto-me no dever de lembrar aos eleitores que, no Brasil, por não termos o voto impresso além do eletrônico, fica impossível pedirmos uma auditoria ou qualquer tipo de conferência de votos. Acredito profundamente que as urnas são manipuladas, já que denúncias não faltam, mas nossos TREs e principalmente o TSE se negam a tomar conhecimento de tais processos. Tanto é que quando o ministro Lewandowski era presidente do TSE, ao reagir a uma denúncia e querer cobrar do candidato (derrotado) a governador que possuía provas em mãos R$ 2 milhões para que fosse feita auditoria em algumas urnas, conseguindo assim a desistência por parte do candidato. Na mesma ocasião, o ministro declarou que todo o qualquer candidato que ousasse desconfiar das urnas eletrônicas, seria processado por “litigância de má fé”. Por acaso isso é democracia? E quem nos garante que este balaio de cobras que virou o Senado não foi formado por “acordos nada republicanos”? Pensem profundamente sobre isso, por favor!

Ana Prudente ana_prudente@uol.com.br

São Paulo

*

RAPOSAS E CORDEIROS

Estamos envergonhados, prova está que em pouquíssimo tempo mais de 300 mil internautas votaram "não" à eleição do senador Renan Calheiros para o importante cargo de presidente do Senado, o mesmo ex-senador que já fora defenestrado do cargo, fugido para não ser caçado e hoje "perdoado" por 56 outros “sócios” que o igualam em seus propósitos. O Brasil está de luto diante de outras nações democráticas, provando que realmente somos um país que não pode ser levado a sério. Infelizmente, esses políticos aproveitadores são levados a seus cargos por causa de uma população que mal sabe em quem, e para que, está votando. Povo analfabeto, quase sempre, é dirigido por raposas espertas.

Leila E. Leitão

Itanhaém

*

MEIOS & FINS

O Bolsa-Famiglia elegeu Renan.

A.Fernandes standyball@hotmail.com

São Paulo

*

ÀS BARATAS E RATOS

O Brasil ficou mesmo um país entregue às baratas, e aos ratos, sobretudo. Como pode um político como Renan Calheiros, quase sufocado por tantas denúncias de corrupção e improbidade, chegar novamente á presidência do Senado? Enquanto a decisão estiver nas mãos desse tipo de gente, dedicada exclusivamente a interesses pessoais, estamos ferrados. Fortalecidas por um poderoso e indecoroso cartel, às escondidas fazem tudo aquilo que os protestos e a mídia chegaram a implorar que evitassem. E o pior é que no dia apropriado para se corrigir isso – as eleições –, uma cesta básica aqui e um favorzinho ali faz com que continuem até cair de maduro no poder.

Habib Saguiah Neto saguiah@mtznet.com.br

Marataízes (ES)

*

O BOM EXEMPLO VEM (DEVERIA VIR) DE CIMA

É por causa de pessoas como Lula, Sarney, Renan, Alves, Collor, Dirceu, e mais, pelo menos, 300 picaretas que garimpam nos balcões do congresso, que ocorrem muitas grandes tragédias, pessoas morrem por inanição, por balas perdidas, são privadas de saneamento básico, saúde, educação, segurança e, principalmente, de bons valores éticos e morais. E aqui, é que esta o ponto crítico. Desde o (des) governo Lula do nada vi, nada sei e nada ouvi, começou a se criar no País uma cultura de banalização da mentira e de maldades, sempre no intuito de levar vantagens. Ou seja, falsidade, mentira ou traição para aquelas pessoas não se trata de desvio de conduta, improbidade ou pecado, e sim, “esperteza”. Conclusão: daí para baixo todos se acham no direito de dar um jeitinho para levar vantagem. Se eles, que são os mandatários, fazem, por que eu não posso fazer? Quer dizer, culturalmente, enganar, burlar, iludir, engambelar, etc., passou a ser normal, ou, adjetivo de esperteza. Pobre de nossas crianças que crescem e se “educam” nesse clima de sacanagem, safadeza e velhacaria como cultura comportamental. O Brasil precisa, urgentemente, de uma revolução moral.

Lourival Geraldo Moreira logmoreira@yahoo.com.br

Botucatu

*

IMPUNIDADE

O maior câncer da política nacional, José Sarney, e sua metástase, Renan Calheiros, zombam do povo brasileiro, jogam a lei da Ficha Limpa no lixo, com a certeza da impunidade e da eterna re-eleição.

Emerson Luiz Cury emersoncury@gmail.com

Itu

*

CESAR TUPINIQUIM

Alea iacta est’ (a sorte está lançada), o Rubicao foi atravessado, Renan oops! "Cesar" não quer ser julgado!

Filippo Pardini filippo@pardini.net

São Paulo

*

BICHOS ESCROTOS’

A música dos Titãs tem tudo a ver com a política nacional: “Bichos escrotos, saiam dos esgotos...”. Eu mudaria para políticos escrotos, pois só estes ratos da política votaram no que mais há de desprezível na sociedade brasileira, Renan Calheiros, substituto de outro pária, mas é assim mesmo.

Helcio Silveira heldiasilveira@gmail.com

São Paulo

*

HOMEM DE SORTE

Renan Calheiros é uma pessoa de sorte. Escapou de diversas dificuldades na sua carreira política e, acusado de irregularidades como desviar recursos do Congresso e ter "participação" em verbas de ministérios, nunca foi condenado nem enviado à cadeia e foi, inacreditavelmente, eleito para o cargo maior do Senado, como se fosse uma pessoa de moral ilibada. Agora presidente da Casa, tem seus apoiadores como Romero Jucá, um parlamentar também acusado de irregularidades, defendendo sua honra, arquivando todas as denuncias existentes contra ele. Sua sorte é maior ainda, terá o ministro Lewandowski, do Supremo Tribunal Federal, como relator do processo da denúncia do Ministério Público por falsificação de notas fiscais e outros delitos.

Fabio Figueiredo fafig3@terra.com.br

São Paulo

*

AS BENESSES DO CARGO

As benesses do cargo para quem preside o Senado Federal no Brasil fazem corar qualquer cidadão de bem neste país. Senão vejamos: moradia de luxo com 12 funcionários, gasolina a vontade, viagens ilimitadas, 24 cargos de confiança, dentre outras que levam o presidente a usar o seu poder para influir como bem entende. Por essa razão, Renan Calheiros, renunciou no passado para não ser cassado. Hoje os tempos são outros. Nada impede que um candidato ficha suja ocupe o poder, pior com a anuência de seus pares. A eleição de Renan mostrou como vem avançando a chegada dos corruptos ao poder. Essa mesma quadrilha que ignora o poder do STF quer a todo custo impor suas próprias leis, mesmo sabendo que essas vão contra os interesses da sociedade. E quais são as obrigações de quem preside o Senado? Definir a pauta de votações do Senado, comandar reunião de líderes, além de acumular a função com a presidência do Congresso, que reúne, em sessões conjuntas, os 513 deputados e os 81 senadores. Como se vê, as regalias são maiores, as obrigações como sempre serão corporativas, fisiológicas e demagógicas. Brasil, um país de tolos!

Izabel Avallone izabelavallone@gmail.com

São Paulo

*

A VANGUARDA DO ATRASO

Houve tempo que havia no senado um Roberto Campos, lúcido, probo, muito a frente de seu tempo. Em 1988, deputado constituinte, cunhou a expressão "vanguarda do atraso" para designar os políticos de então, como Brizola, Sarney (está aí até hoje), Ulysses Guimarães, Luis Carlos Prestes, e o então novato paladino da ética na política, Luiz Inácio. Passados tantos anos, é desalentador ler que Renan assume o Senado, Ruy Falcão deve continuar à frente do partido governista, Franklin Martins insiste em controlar a mídia, Marco Aurelio Garcia segue como ideólogo do governo, Sarney segue comandando as bancadas do atraso e Lula, o novato de então, hoje comanda a vanguarda do atraso. Que o senador Roberto Campos possa descansar em paz.

Luiz Henrique Penchiari luiz_penchiari@hotmail.com

Vinhedo

*

VERGONHA PARA SÃO PAULO

Nessa estória toda da eleição para a presidência do Senado, o que mais machuca é ver que São Paulo, através do voto de seu abjeto senador, contribuiu para levar o meliante a esse cargo negociado naquele mercado que todos conhecemos. Não tivesse a senadora por São Paulo se vendido por um mísero cargo de ministra da Cultura (!), teríamos mais um voto paulista para o digno sucessor do maranhense. Vergonha para São Paulo, vergonha para o Brasil.

Nelson Penteado de Castro pentecas@uol.com.br

São Paulo

*

TRANSPARÊNCIA COM RENAN

O donatário da capitania do Maranhão ao se despedir da presidência da Casa, defende sucessor, omite caso dos atos secretos e vê Senado "transparente" com Renan no comando. Realmente, ele está certo, a transparência será tanta que terão de trocar as portas dos sanitários femininos.

Humberto de Luna Freire Filho hlffilho@gmail.com

São Paulo

*

DESABAFOS NÃO BASTAM

A eleição do senador Renan Calheiros para presidente do Senado continua provocando manifestações e críticas que primam em omitir alguns fatos. Em primeiro lugar, se impedido de ser candidato, ele continua como senador? Em segundo lugar, ele está sendo investigado, não tem uma sentença ainda contra ele. Vem a seguir uma preocupação, qual a posição da chamada oposição? Entre os eleitos para a composição da mesa diretora não tem nenhum nome da oposição? Ninguém de bom senso pode apoiar determinados candidatos, como no caso do senador alagoano, mas por que o povo de sua terra vota nele? O voto é secreto. Cabe agora, por certo, criar mecanismos para que ele aja com a devida transparência e responsabilidade. E não bastam críticas que parecem desabafos emocionais.

Uriel Villas Boas urielvillasboas@yahoo.com.br

Santos

*

56 VOTOS

Com a eleição de Renan Calheiros para presidente do Senado, duramente criticado pela mídia e também pelo cidadão comum, chegamos a uma triste conclusão: existem pelo menos 56 Renans Calheiros ali, no plenário do Senado federal. Só para dizer o mínimo.

José Marques seuqram.esoj@bol.com.br

São Paulo

*

ÀS RUAS!

Todo presidente de uma empresa séria é indicado pelo conselho como sendo uma pessoa honesta, descente, inteligente, de caráter, bom comportamento e qualificada para o cargo. No Senado brasileiro, a escolha do presidente é realizada totalmente ao contrário; o escolhido para a presidência é o mais descarado, corrupto e com processo nas costas. Isso acontece simplesmente porque o nosso governo necessita do apoio do sorridente senador Renan Calheiros para apoiar e dar continuidade às safadezas da quadrilha que se instalou no País, desde o governo petista do Lula ao da dona Dilma Rousseff. Será que o Lula colocaria o Renan Calheiros como presidente de uma de suas empresas? Duvido! Onde andam os caras-pintadas da UNE, que, metidos também nesta quadrilha, a troco de migalhas, não vão às ruas protestarem?

Valdy Callado valdypinto@hotmail.com

São Paulo

*

METAMORFOSE AMBULANTE

A "metamorfose ambulante", como ele mesmo se denominou, e que se dizia ser o mais ético dos éticos tem algo a dizer sobre a ética de Renan Calheiros?

Eduardo Henry Moreira henrymoreia@terra.com.br

Guarujá

*

DECIFRA-ME OU TE DEVORO

Mais complexa do que o enigma da Esfinge de Gizé, no Vale dos Reis é a tramitação dos processos na Justiça brasileira. Condenado por corrupção ativa e formação de quadrilha o ex-ministro José Dirceu circula lépido e fagueiro com a mesma desenvoltura dos tempos da Casa Civil. Está colado em Renan Calheiros e Henrique Eduardo Alves por razões óbvias. Prega descaradamente o controle da imprensa que acusa de golpista. Defende suas colas das acusações inclusive as oferecidas ao STF pelo corregedor Roberto Gurgel para tentar melhorar a sua reputação, que é mais fácil "um camelo passar no fundo de uma agulha". A Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) é um dos guetos do empreguismo de compadrio do governo. Um dos filhos de Renan, Rodrigo Rodrigues, recebe R$ 10,5 mil mensais como assessor de Contratos Especiais. Mônica Infante Azambuja, ex-mulher do deputado Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN), tem salário de R$10,1 mil como assessora de diretoria. A Conab tem servido sistematicamente ao empreguismo do PMDB. Renan Calheiros, no discurso oficial como candidato à presidência do Senado, tergiversou, usou abstracionismos. Embrulhou a ética no pior papel higiênico e atirou-a na latrina entupida de excrescências obradas por ações de seus pares. Renan é louvado como uma vestal. Como fazem falta os "Policarpo Quaresma". Perdeu-se no tempo o verdadeiro sentido de Pátria. "Toda ação é designada em termos do fim que procura atender" (Maquiavel).

Jair Gomes Coelho jairgcoelho@gmail.com

Vassouras (RJ)

*

SÓ MESMO PRIVATIZANDO

Para eficiência, credibilidade e baixo custo, o Senado e a Câmara dos Deputados deveriam (é um sonho!) ser privatizados através de empresas que apresentariam o rol de seus profissionais competentes à escolha democrática dos eleitores, pois, assim, sairíamos desse círculo vicioso de imoralidades e fisiologismos.

Vicente Carrara vicente.carrara@hotmail.com

Mineiros do Tietê

*

RENAN ELEITO, VOTAÇÃO SECRETA

56 votaram no ficha suja. Se a votação fosse aberta, será que teriam coragem de encarar a opinião pública? Os que não votaram nele deveriam vir a público se manifestar. Assim saberíamos quais foram, para nunca mais votarmos neles.

Antonio Molina antonio_molina@vivointernetdiscada.com.br

Santa Fé do Sul

*

SENADO LIMPO

Não podemos assistir de braços cruzados a um senador que acaba de ser denunciado criminalmente ser presidente de um dos Poderes da República, que tem o poder de decidir quais os projetos devem ser ou não votados e é o terceiro na linha sucessória da presidente da República. Nos últimos o País tem se fortalecido e lutado contra a corrupção. Juntos ajudamos a aprovar a Lei da Ficha Limpa. Vamos nos unir mais uma vez pela Ficha Limpa para a presidência do Senado, uma conquista de todos nós.

Antônio Dias Neme antonio.neme@superig.com.br

São Paulo

*

MEU SENADOR OMISSO

A eleição de Renan Calheiros para presidir o Senado é mais do que justa, pois foi eleito pela maioria absoluta dos seus pares. A culpa é do povo? Ora, eu mesmo votei num candidato a senador aqui, em São Paulo, que teoricamente era oposicionista, e o sujeito é um omisso, até acho que também votou no Renan. Então fazer o quê?

Ademar Monteiro de Moraes ammoraes57@hotmail.com

São Paulo

*

UM DIA DE CÃO EM SÃO PAULO E NO BRASIL

Renan é eleito, novamente, em Brasília, e os motoboys desrespeitam a ordem pública em São Paulo. Qual e semelhança nos dois casos? Total. Por que devo ser honesto, correto, íntegro, se o Renan foi eleito novamente? Por quê? Com a palavra, os senhores senadores da República.

Arcangelo Sforcin Filho arcangelosforcin@gmail.com

São Paulo

*

A VOLTA DE RENAN

Parafraseando Sarney, quando presidente do Brasil, com uma inflação de 80% ao mês: “Os cães ladram e a carruagem passa...”.

Artur Topgian topgian.advogados@terra.com.br

São Paulo

Mais conteúdo sobre:
Fórum dos Leitores

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.