Fórum dos Leitores

BENTO XVI

O Estado de S.Paulo

12 Fevereiro 2013 | 02h05

A renúncia do papa

A notícia da renúncia do papa Bento XVI a partir do dia 28 de fevereiro pegou os fiéis da Igreja Católica de surpresa, já que o sumo pontífice, mesmo aos 85 anos, vinha cumprindo todos os ritos e viagens comuns a um dirigente da Igreja. Além disso, a última vez que um papa renunciou foi em 1415, há quase 600 anos. Existirá, nesta renúncia de Bento XVI, algo que ver com os documentos roubados pelo mordomo do papa em 2012? Com certeza, não saberemos os reais motivos, já que no Vaticano tudo sempre corre em completo segredo. Só sei que aquela fumacinha branca que aparece na chaminé do Vaticano na escolha do próximo papa não terá mais o mesmo significado. No habemus papam!, perdeu-se a magia da cerimônia.

BEATRIZ CAMPOS

beatriz.campos@uol.com.br

São Paulo

Mudanças e autoritarismo

A razão da renúncia do papa Bento XVI foi por ele mesmo deixada nas entrelinhas, ao se referir às rápidas transformações do mundo moderno, que exigem da Igreja e do sumo pontífice fortes energias de adaptação. Essas mudanças não foram encaradas frontalmente. Além disso, Ratzinger era caricaturizado no próprio âmbito do Vaticano como o "Panzerkardinal" (o cardeal-tanque) e assessores imprudentes, incompetentes e inidôneos tornaram insuportável seu pontificado.

AMADEU R. GARRIDO DE PAULA

amadeugarridoadv@uol.com.br

São Paulo

Lição aos próximos papas

Bento XVI está em perfeita forma não só para tomar esta decisão de renunciar ao papado, mas também para administrá-la. Nos próximos dias, as decisões que vier a tomar servirão de paradigma para os próximos papas. É um enorme serviço que lhes presta. Não tenho dúvida de que lhe custou muito sofrimento renunciar. Mas, pensando no bem da Igreja, pareceu-lhe, na presença de Deus, que convinha fazê-lo. Como fiel, compete a mim rezar para que lhe corram bem as coisas nestes últimos dias de pontificado e que seja eleito um papa à altura das atuais circunstâncias.

LUIZ R. DE BARROS SANTOS

luizroberto.santos@gmail.com

São Paulo

Desapego

Não sou católico nem sou conservador, por isso não comungo da quase totalidade das ideias do papa Bento XVI, o que não me impede de reconhecer a sua nobreza de caráter evidenciada em duas ocasiões. Primeiro, quando visitou o campo de concentração de Auschwitz, ele indagou: "Por que, Senhor, permaneceste em silêncio? Como pudeste tolerar isto? Onde estava Deus nesses dias? Por que esteve ele silencioso? Como pôde ele permitir esta matança sem fim, este triunfo do demônio?". E, agora, anunciando a renúncia ao papado, pela idade avançada, Bento XVI mostra desapego ao poder pouco visto entre os demais seres humanos. Que sirva de lição e motivação para tantos líderes "jurássicos" que nos assombram.

LUIZ NUSBAUM

lnusbaum@uol.com.br

São Paulo

Belo exemplo

Que atitude mais digna e corajosa tomada pelo papa Bento XVI, reconhecendo que sua idade avançada estava interferindo em suas obrigações no cargo. Para alguns políticos brasileiros, é um belo exemplo.

AGOSTINHO LOCCI

legustan@gmail.com

São Paulo

Renúncias

Coerência é a atitude do papa Bento XVI pedir demissão do cargo em razão da idade avançada. Surpresa seria a renúncia de Renan Calheiros à presidência do Senado. Aí, sim, é que a gente acaba entendo as diferenças...

JOSÉ PIACSEK NETO

bubapiacsek@yahoo.com.br

Avanhandava

CARNAVAL

Brincadeirinha

Só pode ter sido brincadeirinha de carnaval a notícia de que aliados de Renan Calheiros (PMDB-AL) tentarão realizar um processo de impeachment contra o procurador-geral da República, Roberto Gurgel, como retaliação à denúncia feita por ele contra o presidente do Senado no Supremo Tribunal Federal. Que valor moral teria este movimento patrocinado por um bando de coniventes com o que existe de pior na política brasileira, contra a correta postura de Gurgel e contra a opinião pública, que em apenas oito dias já reuniu mais de 1 milhão de assinaturas em favor do impeachment de Renan?

RONALDO GOMES FERRAZ

ronferraz@globo.com

Rio de Janeiro

A nossa vez

Os políticos brasileiros já fizeram o seu carnaval: elegeram Renan Calheiros, dançaram com o mensalão, deixaram correr solta a inflação, etc. Agora começa o carnaval do pobre do brasileiro...

FRANCISCO JOSE CARDIA

fra.cardia@hotmail.com

São Paulo

EM OSASCO

IPTU escorchante

A prefeitura de Osasco, petista, aumentou o IPTU em 30%. Será que foi só na tarifa de ônibus que dona Dilma deu pitaco? IPTU não contribui com inflação, não?

RICARDO SANAZARO MARIN

s1estudio@ig.com.br

Osasco

Câmara Municipal

Nem bem começou o ano legislativo e o presidente recém-eleito já está propondo a ampliação do número de vereadores e da estrutura da Câmara, com a construção de novo prédio. A meu ver, o problema do Legislativo municipal não está atrelado à quantidade de vereadores, e sim à baixa qualidade dos representantes. O novo prédio é uma proposta descabida, pois a cidade precisa discutir outras prioridades mais urgentes e necessárias. O sistema de saúde, por exemplo, está doente, faltam profissionais e remédios, uma consulta com especialista chega a demorar até 180 dias. A educação está um caos, os professores da rede não têm nenhum tipo de treinamento, apesar de existir na cidade um prédio denominado Centro de Formação e Atualização dos Professores, que é usado para tudo, reunião de sindicatos, de partidos políticos, menos para treinar os mestres. A falta de estrutura é de dar dó: as ruas estão cheias de buracos e os bueiros há muito deixaram de ser limpos. Em 2012 assisti a algumas sessões da Câmara e fiquei decepcionado com as propostas ali apresentadas e discutidas. A maioria era para mudar o nome de ruas e avenidas. Com todo o respeito aos vereadores, esse tipo de proposta pode e deve ser discutido por entidades de bairro, com muito mais competência e transparência, livre de influências político-partidárias. Espero, pois, que a Câmara de Osasco, onde alguns vereadores estão em seu primeiro mandato, promova uma mudança radical na maneira de legislar.

JOSÉ DA SILVA

jsilvame@hotmail.com

Osasco

Cartas selecionadas para o Fórum dos Leitores do portal estadão.com

 

A RENÚNCIA DO PAPA

A renúncia do papa Bento XVI não pode ser considerada uma surpresa, diante de seus pronunciamentos anteriores e da idade avançada, que faz cambalear a higidez de sua saúde. Em breve, teremos nova eleição, e oxalá seja eleito um papa brasileiro, para de perto acompanhar o encontro da jornada mundial da juventude e inspirar na fé o melhor rumo de esperança para o País.

Carlos Henrique Abrao abraoc@uol.com.br

São Paulo

*

BENTO XVI

Obrigado, Bento XVI, por ter servido a Igreja como ela precisa ser servida nos tempos atuais, com coragem, humildade, dedicação e o vigor intelectual necessários. Depois de trabalhar em unidade com o João Paulo II durante 23 anos, continuou este trabalho de modernização política, administrativa e pastoral da Igreja Católica por mais quase oito anos e agora entende que chegou a hora de passar o bastão de Pedro para o seu sucessor. Mas, independentemente de quem seja escolhido pelo Espírito Santo no próximo conclave, o depósito da fé que foi confiado à Igreja Católica por Jesus Cristo continuará a ser transmitido com a mesma pureza de sempre, não apenas com a aparência de ouro, mas como ouro puro. Enfim, como nas origens do cristianismo a doutrina católica continuará defendendo os pobres, os doentes, e as pessoas que erram, sem deixar de ser também intransigente com o erro e com a degradação moral que visa rebaixar a dignidade humana.

Luiz Antônio da Silva lastucchi@yahoo.com.br

Ribeirão Preto

*

SEM RODEIOS

Um tema que sempre foi e sempre será delicado é a religião, a Igreja, a sua influência no cotidiano dos povos e dos países. Com a renúncia do papa, na ocasião da eleição de um novo chefe da Igreja Católica, é de se esperar que ao menos uma vez os cardeais se reúnam cada um com uma calculadora nas mãos, um mapa atualizado da geopolítica mundial e a situação atual da Igreja Católica em relação às demais religiões. O objetivo é saber exatamente em quais regiões o catolicismo está perdendo fiéis e quais as regiões em que pode crescer ou permanecer no patamar atual em número de fiéis. A Igreja Católica deve mudar, urgentemente, senão verá, a cada dia, seus fiéis envelhecendo e morrendo sem deixar a fé como herança.

Luiz Ress Erdei gzero@zipmail.com.br

Osasco

*

PASSOU

Com a caduquice do papa Bento XVI, caduca o seu mandato.

Sergio S. de Oliveira ssoliveira@netsite.com.br

Monte Santo de Minas (MG)

*

BRASILEIRO

Com a renúncia do papa Bento XVI marcada para 28/2, crescem os rumores de que o próximo conclave para eleição do novo pontífice eleja o primeiro papa brasileiro: São Lula, por seus milagres da multiplicação de bens. Haja vinho!

Alessandro Lucchesi timtim.lucchesi@hotmail.com

Casa Branca

*

ATO FALHO

Ao ligar o meu computador pela manhã, ainda meio sonolento, só consegui ler a principal notícia "Papa Bento XVI renuncia ao cargo" como Renan renuncia ao cargo. Aconteceu o famoso ato falho: era tão desejado no meu inconsciente que ao ler o "renuncia ao cargo", eu coloquei Renan Calheiros no lugar do papa.

Ronaldo Gomes Ferraz ronferraz@globo.com

Rio de Janeiro

*

APEGO AO PODER

O papa Bento XVI abdicou ao trono de São Pedro de pé, lendo um discurso; já Hugo Chávez, moribundo há algum tempo, não larga o poder.

Heitor Vianna P. Filho bob@intnet.com.br

Araruama (RJ)

*

COMPENSAÇÃO

Sem dúvidas, a renúncia anunciada para dia 28 de fevereiro de 2013 do papa Bento XVI pegou o mundo de surpresa. Agora muito bom seria se Dilma Rousseff se espelhasse nele e nos presenteasse renunciando à presidência do Brasil. Poderia ser no mesmo dia, pois compensaríamos o dia triste do papa com dia alegre dela.

Angelo Tonelli angelotonelli@yahoo.com.br

São Paulo

*

CONCURSO DE FANTASIAS

A respeito das alegorias carnavalescas nas contas públicas, mencionadas por Marco Antonio Rocha no seu artigo em Estado (11/2, B2), com a ressalva de a relação ser incompleta, já que novos adereços compõem ou comporão a fantasia, ficou implícito um convite a reflexão. A quem essas acrobacias pretendem enganar? Afinal, foram praticadas com algum objetivo, ou não? O cordão dos puxa-sacos, mesmo sem aumentar cada vez mais, estará aplaudindo qualquer tipo de número. Poderá eventualmente escandir "O superávit é meu amigo, mexeu com ele, mexeu comigo". A ala dos analfabetos funcionais e assemelhados, não sabe, não quer saber e tem raiva de quem sabe o que é um superávit, seja ele primário, ginasial ou nominal. Saber que a meta foi alcançada motivará um bum bum pachigundum prugurundum (alguém lembra?), e pronto. A cuíca poderá gemer, caso uns poucos decidam entender qual foi a mágica. No caso, é bem fácil, o nosso mágico ministro mestre-sala, em nome da transparência, descreve qual o truque enquanto o executa. Quem achar ruim que saia do Sambódromo; ame-o ou deixe-o. Acho que aqui fui mal. O carro alegórico do "Nuncantesnahistória" desfila majestosamente. Faltam menos de dois anos para o término do desfile, mas poucos parecem seriamente preocupados com a possibilidade do rebaixamento, a não ser que (só agora) mandar acelerar o passo leve (finalmente) a algum resultado. Comparável ao de Xerxes mandando açoitar o Mar Egeu? Serpentinas inflacionárias ficarão a cargo dos ilusionistas - nada de congelamento, adiar reajuste de transporte coletivo não é a mesma coisa e segurar o reajuste de combustíveis até a Petrobrás ficar roxinha faz parte de uma estratégia inacessível a cabrochas reacionárias e golpistas. O Pibão virou confete a ser atirado na avenida. A comissão de frente, ou seria na frente, nunca passará de 10%. E, ao som do "Mamãe, desejo ser aleitado, nossos heróis prosseguirão na marcha em busca da santa chupeta". Os passistas sabem que tudo passa, tudo passará, mas até lá é maior locupletar-se. Mirem-se no exemplo daqueles gajos de Atenas!

Alexandru Solomon alex101243@gmail.com

São Paulo

*

CARNAVAL NA ILHA DA FANTASIA

O carnaval serviu para que os delinquentes da política, em Brasília, a ilha da fantasia, fossem deixados de lado, temporariamente. Esperamos que, passada a terça-feira gorda do carnaval e a chegada da quarta-feira de cinzas (lembra-te, homem de que és pó e ao pó voltarás), esses mau elementos voltem a ser lembrados pela população, com protestos e vaias por todo o Brasil. Renan Calheiros, Henrique Alves e tantos outros políticos imorais têm de ter uma semana santa sofrida, sem direito a perdão pela escolha errada que fizeram na política.

Alvaro Salvi alvarosalvi@hotmail.com

Santo André

*

A FOLIA DO PODER

?

É carnaval. Ao mesmo tempo que o País explode de alegria, o núcleo do poder em Brasília é só tristeza. É que ali a folia só começa depois de quarta-feira de cinzas. Mas, em compensação, dura até o outro carnaval!

?

José Marques seuqram.esoj@bol.com.br

São Paulo

*

SAMBAMOS

No Brasil o carnaval é permanente: por um motivo ou por outro, o brasileiro é obrigado dançar o ano todo.

Virgílio Melhado Passoni mmpassoni@gmail.com

Jandaia do Sul (PR)

*

SONETO AO CARNAVAL

O povo vai ser rei, vai ser feliz, chegou a hora,

é só alegria, o samba passando, explosão geral,

sorrisos, sonhos, em qualquer lugar é agora ...

confetes, serpentinas, suor, vida ... é Carnaval.

É o encanto da mulata, é sorriso nacional,

a festa é nossa, ninguém tasca ... cuíca chora,

é calor, é gingado ... não há nada de igual,

só enfeitar o bloco do amor ... "Simbóra"...

Mas a máscara cai ... pena, tudo mudou demais,

em vão buscamos a folia dos salões ... a pureza,

o encanto das marchinhas dos velhos carnavais.

Enfim, o samba dorme .. longe soluça a avenida,

é quarta-feira, tudo acabou ... desfila a tristeza ,

é o despertar da fantasia ... no repique da vida.

Carlos Iunes carloiunes@gmail.com

Bauru

*

VERGONHA!

Ao ver na TV as enormes estruturas levantadas para abrigar os camarotes vips durante o carnaval, fico indignado com a inoperância do nosso governo que não utiliza esse mesmo recurso para atender as famílias que foram vítimas de enchentes e deslizamentos de terra ou mesmo para servir como hospital emergencial. Isso é uma vergonha! Fez muito bem o deputado Tiririca em declarar que vai desistir da política. Coube a ele, o deputado semianalfabeto, dar uma lição de moral aos demais políticos que se dizem instruídos e preparados, mas carecem de ética e de comprometimento com a causa pública.

José Carlos Costa policaio@gmail.com

São Paulo

*

CAMPANHA NA INTERNET

Quis o destino que uma nova manifestação popular em favor de impeachment atingisse mais um político representante de Alagoas, o segundo pior Estado em qualidade de vida, perdendo apenas para o Maranhão. Nossos senadores, mais preocupados com seus interesses do que com o bem-estar de seus representados, não tiveram a coragem e dignidade de impedir que o comprometido Renan Calheiros (PMDB-AL) assumisse a presidência do Senado, agora terão de prestar contas com seus eleitores, e quem sabe com suas consciências, se é que ainda as têm, que espero não se esqueçam desta traição à nação.

Luiz Nusbaum lnusbaum@uol.com.br

São Paulo

*

ATO ISOLADO

Algumas pessoas insistem em tentar desgastar ainda mais a classe política, e demonstram de certa forma um nível político conservador. Estão fazendo uma campanha contra o senador Renan Calheiros, recém-eleito presidente do Senado. E divulga-se que há uma coleta de assinaturas pelos meios eletrônicos tentando afastá-lo, como se isso fosse possível da forma como está sendo feito. E sabe-se que não é assim. Por que não aproveitar o momento e discutir qual tem sido a participação social nos encaminhamentos de questões como a ação política nos Legislativos e o controle dos Executivos? E mais, que não se vote como muita gente já fez em São Paulo, começando pelo "cacareco" para vereador. Nem é preciso citar os eleitos "diferentes" mais recentes. A ação política exige participação e organização permanentes, e não apenas atos isolados e desabafos emocionais.

Uriel Villas Boas urielvillasboas@yahoo.com.br

Santos

*

COLOSSAL PANTOMIMA

A meu ver, não passa de uma colossal pantomima de políticos derrotados e fracassados, usando inocentes inúteis, a petição com "um milhão" de assinaturas, na internet, contra Renan Calheiros. Trata-se de papelucho sem nenhum valor jurídico ou político. O objetivo do raquítico bloco das carpideiras e éticos por correspondência é fragilizar o forte PMDB, que comanda as duas casas do Congresso e a vice-presidência da República, e é aliado de primeira hora do governo Dilma, além de tentar criar clima ruim entre os Três Poderes.

Vicente Limongi Netto limonginetto@hotmail.com

Brasília

*

POR UM BRASIL MELHOR

Não dá mais para ficar dizendo que daremos a resposta a esses políticos nas urnas. Somos um povo que aceita tudo, fica feliz por qualquer coisa (futebol, carnaval, etc.) e assim vamos afundando. Carga tributária vergonhosa, corrupção descontrolada, valores éticos em extinção! Como educar nossos filhos? Talvez eles tenham mais orgulho se nós, como exemplos de patriotas e amor ao nosso surrado país, fizéssemos algo mais radical, um levante, uma clara demonstração da força de um gigante que somos juntos, mas que está durante décadas dopado, desanimado, doente. Precisamos de homens dignos, jovens sonhadores com um país mais digno. Precisamos ter o orgulho de ostentar nossa bandeira e mostrar que somos, a maioria, gente séria e decente.

Pedro A. Valsecchi Tatoni essere2013@bol.com.br

Vargem Grande do Sul

*

TUDO POR UM BRASIL MELHOR!

O professor Marco Antonio Villa se superou já no primeiro parágrafo de seu artigo "Vou-me embora pra Bruzundanga" (Estadão, 11/2, A2) quando afirmou ser o Brasil um país fantástico onde nulidades são transformadas em gênios da noite para o dia - haja vista (segundo ele mesmo reconhece) a presidente Dilma Rousseff. Dali para a frente o professor discorre sobre o fracasso que estamos colhendo em sua administração, que resultou desta prática de forjar falsas excelências. Ressalto a constatação feita por ele de que Dilma, após a eleição, foi recebida com enorme boa vontade pela imprensa em geral... a mesma imprensa que antes, tão generosamente, já havia ajudado o PT a consolidar o mito Lula da Silva. Portanto, hoje convoco a imprensa a nos ajudar a desmontar todas as farsas para que tenhamos ao menos uma chance de reconstruir um Brasil melhor. Creio que nós, povo consciente, merecemos esta oportunidade, já que nunca nos deixamos enganar por elles...

Mara Montezuma Assaf montezuma.scriba@gmail.com

São Paulo

*

BRUZUNDANGA

Fiquei surpreso com o artigo do historiador Marco Antonio Villa desconstruindo a imagem da presidente Dilma Rousseff. 1) Lamento que poucos brasileiros tenham a oportunidade de ler esse texto e milhões de brasileiros continuarão a votar no PT, já que o PSDB não sabe mais fazer uma oposição eficiente. 2) Tiro meu chapéu e parabenizo a presidente Dilma, se ela continuar a ser contra a censura, como ela corajosamente tem demonstrado indo até contra políticos do PT nessa questão. Como ela sempre diz, "melhor o barulho da imprensa livre que o silêncio da ditadura".

David Volyk

São Paulo

*

'VOU-ME EMBORA PRA BRUZUNDANGA'

Parabéns, Marco Antônio Villa, pelo artigo lúcido e corajoso. Realmente, o País tem múltiplos problemas, entre os quais o imposto, a corrupção, a violência e, principalmente, a impostura.

Waldemar Kogos waldemarkogos@globo.com

São Paulo

*

APUROS

Lendo os artigos de ontem (A2) do Estadão, "Vou-me embora pra Bruzundanga", de Marco Antônio Villa, e "Tripé Social", de Denis Lerrer Rosenfield, cheguei à seguinte conclusão: o Brasil de hoje vive de mentiras repetidas muitas vezes até parecerem verdades. Se o PT escrevesse novelas para a televisão, fariam tanto sucesso que os escritores atuais estariam em apuros e o PT seria de fato mais útil para a Nação.

Nelson Pereira Bizerra nepebizerra@hotmail.com

São Paulo

*

ENCONTRADO JOÃO VACCARI NETO

O ex-tesoureiro da falida Cooperativa Habitacional dos Bancários de São Paulo (Bancoop), João Vaccari Neto, sumido há dois anos, réu na justiça de São Paulo, por formação de quadrilha, estelionato, falsidade ideológica e lavagem de dinheiro, não estava sendo encontrado pelos oficiais de justiça em São Paulo e nem em Brasília (8/2, A7). Graças à imprensa brasileira, tão criticada pelos inconformados petistas, o ex-secretário de Finanças do PT foi localizado como funcionário da Itaipu Binacional em Brasília, onde bate ponto no conselho da empresa, com salário de R$ 16 mil mensais, o que é nada mal para esse réu da justiça paulista, e membro do "Partido Trambiqueiro" (PT).

Edgard Gobbi edgardgobbi@gmail.com

Campinas

*

LOCAL CERTO E BEM SABIDO

É fácil encontrar e intimar o réu João Vaccari Neto, do Caso Bancoop. Basta ir à sede da Itaipu Binacional, em Brasília, onde o indiciado ocupa uma vaga de conselheiro, recebendo seus R$ 16 mil mensais.

Maria Cristina Rocha Azevedo crisrochazevedo@hotmail.com

Florianópolis

*

KASSAB E AS AÇÕES JUDICIAIS

Juiz exerce Justiça incluindo o ex-prefeito Gilberto Kassab como réu na devida ação do caso Controlar (C7, 9/2). Ainda falta que Kassab encabece a necessária responsabilidade em pelo menos as seguintes duas ações: primeiro, uma ação visando à extinção da Lei 14.917/2009 da Concessão Urbanística já que, sob a interpretação kassabista, tornou-se um simples dispositivo de roubo de terrenos em favor do "SEI - Sindicato dos Especuladores Imobiliários"; se essa lei permanecer, poderá servir a qualquer momento de instrumento para desapropriar a cidade inteira. Segundo, uma ação visando à apuração da pesquisa equivocada que norteou o projeto SP2040 igualmente em beneficio do mesmo sindicato assinalado; de fato, ampla pesquisa enviesada foi feita perguntando ao feliz entrevistado sobre a tal da "cidade de 30 minutos" sem lhe informar os possíveis custos em sua vida pessoal, em seu trabalho e no orçamento do município, que seriam necessários para um posicionamento correto; tal ação inclui obter a necessária tabulação da pesquisa para desvendar os procedimentos. Tais ações são muito importantes para podermos discutir o novo Plano Diretor da cidade - livre dos resquícios da administração anterior que nunca contemplou quaisquer melhorias na qualidade de vida do cidadão paulistano.

Suely Mandelbaum suely.m@terra.com.br

São Paulo

*

KASSAB E A CONTROLAR

Agora é a Justiça que vai controlar!

Cláudio Moschella arquiteto@claudiomoschella.net

São Paulo

*

CARNAVAL

Passa a escola, embalada no soluço da cuíca, no batuque do pandeiro, do bumbo, do tamborim... O samba rola, o frevo esquenta, e o povo - que aguenta tanta dureza e incerteza - deixa de lado o cansaço: se solta, dança e rebola, canta, pula e esquece assim, sua vida de palhaço, recebendo alguma esmola, pagando impostos sem fim. Nos conchavos - corrompidos; na omissão - escondidos; governantes, senadores, deputados, vereadores, se acomodam e se aproveitam do trabalho deste povo: no atendimento humilhante; nos impostos sufocantes - aplicados sem justiça, sem projetos, sem ação. Em discursos fantasiam incompetências, preguiças, interesses e cobiças; dançam e cantam, sem remorsos, junto da população.

Maria Toledo Arruda Galvão de França mariatagalvao@gmail.com

Jaú

*

FOLIA NO RIO DE JANEIRO

O Cordão da Bola Preta, de acordo com os Bombeiros, não tinha autorização para desfilar. O presidente do bloco não compareceu a nenhuma reunião na prefeitura. Não era caso para terem proibido o desfile? A instalação de banheiros químicos ficou abaixo do divulgado pela prefeitura. Quando se tem autoridades incompetentes dá nisso. A desordem na cidade continuou, enfim, o que faz esta prefeitura? Para mim é um circo. Só falta jogar a lona.

Panayotis Poulis ppoulis46@gmail.com

Rio de Janeiro

*

FAMA NEGATIVA

Decepcionante a Escola de Samba Acadêmicos do Salgueiro, que desfilou pelo Grupo 1 do Rio de Janeiro. Apresentando um enredo abordando o tema "Fama", e apresentando várias personalidades que através dos séculos alcançaram-na. A decepção ficou por conta de incluir entre os afamados a figura de um famoso negativo. Falo do mercenário sanguinário Che Guevara. Guevara foi um dos ideólogos e comandantes que lideraram a revolução comunista cubana ao lado de Fidel Castro e impulsionou a instalação de grupos guerrilheiros terrorista em vários, países da América Latina, entre eles o Brasil, treinando os guerrilheiros terroristas brasileiros para lutar contra o regime militar no País. Isso denota a ignorância do povo brasileiro, primeiro da diretoria da escola que faz uma bobagem dessas, e segundo o povo que não entende o conteúdo negativo da inserção de um "famoso" tão inconveniente. Deixaram de apresentar dois mundialmente famosos de alma patriótica incontestável e que mereciam figurar em toda e qualquer manifestação de homenagem: Ruy Barbosa e Ayrton Senna.

Nei Silveira de Almeida neizao1@yahoo.com.br

Belo Horizonte

*

TRANSMISSÃO

Nos dois primeiros dias do carnaval a TV Globo transmitia para o Rio de Janeiro, o desfile das Escolas de Samba de São Paulo. Neste ano deixou de fazê-lo e também as TVs a cabo. Com isso, nós, moradores do Rio, não temos outra opção sob o pretexto de audiência. E a TV paga? Está na hora de as autoridades exigirem programação, e não somente censura, e de as emissoras diversificarem.

Luiz Claudio Geminiani lcgeminiani@mls.com.br

Rio de Janeiro

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.