Fórum dos Leitores

Atualizado às 7h37.

O Estado de S.Paulo

17 Fevereiro 2013 | 02h05

GOVERNO DILMA

Política econômica

A inflação está na ordem do dia. Sua causa próxima foi a redução brusca e intempestiva dos juros, poucos meses atrás. Se o problema brasileiro pudesse ser resolvido com mera redução dos juros, por que não se providenciou isso antes? A temerária medida foi tomada sabendo-se que a estabilidade da nossa economia estava baseada em juros altos. E agora? Não se pode reverter essa medida impensada? Elevar a taxa Selic para 9% e valorizar o real a 1,9, por exemplo? A redução dos juros foi feita sob a premissa de que o capital correria para a produção, esquecendo que a massa salarial vem sendo esquentada há anos pela política petista. Deu no que deu! O dinheiro correu para o consumo, que a produção nacional não consegue atender. E o governo está a reduzir impostos como resultado da baixa dos juros, o que será um desastre total e previsível, pois mais dinheiro vai correr para o consumo. A questão vai-se agravar ainda mais com o real desvalorizado, que pressionará os preços dos importados. Não está bem claro o encadeamento das coisas, que o governo ainda pode reverter para salvar o País do desastre?

KOJI FUJITA

fujitagarden@gmail.com

São Paulo

*

Juros baixos?

Procuro-os de vela acesa. Pagam aos investidores juros decretados, mas cobram dos devedores juros da herança maldita.

EDUARDO HENRY MOREIRA

henrymoreira@terra.com.br

Guarujá

*

Causador de confusão

Todos sabem que o governo Dilma derrapa ladeira abaixo. Manter um ministro como Mantega na Fazenda piora ainda mais a já confusa gestão petista. Como o Planalto não enxerga essa triste realidade, a inflação corrói todos os ganhos dos trabalhadores e o humor dos investidores. E, nesta, o PIB continua miudinho!

PAULO PANOSSIAN

paulopanossian@hotmail.com

São Carlos

*

Oposição imbatível

Com os sinais de volta da inflação, o problema dos brasileiros é comprar alimentos. O estômago do povo é a arma mais poderosa da oposição. O comportamento educadíssimo do PSDB, com requintes de falsa cultura, não funciona contra o PT. A única oposição democrática que ainda subsiste é a liberdade de imprensa, justiça se faça à presidente Dilma Rousseff. O verdadeiro inimigo do PT/PMDB está aparecendo no horizonte. Já mostrou as garras. O "dragão da inflação" vai chegando com raiva, por estar preso há tanto tempo. Parece que está conseguindo sair fortalecido do cárcere. Se isso se confirmar, a oposição será natural. A fome do povo derrubará o governo e arrastará consigo a esperança de acabar com a miséria no País.

MÁRIO NEGRÃO BORGONOVI

marionegrao.borgonovi@gmail.com

Rio de Janeiro

*

Superávit primário, a farsa

Segundo o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), o superávit primário "é um indicador de como o governo está administrando suas contas" e "significa que a arrecadação do governo foi superior a seus gastos". Em seu cálculo "não são levados em consideração os juros e a correção monetária de dívida pública", uma vez que "são consequências financeiras de ações anteriores". Nosso governo, em vez de trabalhar para superávits primários crescentes, que reduzam o crescimento constante e preocupante do saldo devedor bruto do País, tenta demonstrar um superávit que não existe simplesmente reduzindo, com a aprovação do Congresso Nacional, despesas reais que artificialmente são retiradas do conceito original. Mais uma vez a preocupação do governo está mais na contabilidade do que na realidade fiscal do País. A continuidade de utilização desse indicador não faz mais sentido para a administração das contas do governo. Para que todo esse trabalho de mobilizar o Congresso para que participe dessa farsa?

MURILO TERRA

murilot@hotmail.com

São Paulo

*

Contraste

Bento XVI fala em "hipocrisia religiosa" e Igreja "desfigurada", em sua renúncia. No Brasil todos falam em "hipocrisia política" e governo "desfigurado", mas ninguém renuncia.

HUMBERTO DE L. FREIRE FILHO

hlffilho@gmail.com

São Paulo

*

Renúncia

Aproveitando a renúncia papal, quero mandar um recado ao Lula: tome uma decisão corajosa, faça como o papa e renuncie à Presidência da República e à Prefeitura de São Paulo, deixe que seus titulares governem em paz.

SILVIO LEIS

silvioleis@hotmail.com

São Paulo

*

MENSALÃO

De Garanhuns à 'Forbes'

Já está em análise no Ministério Público Federal (MPF) de Minas Gerais o depoimento de Marcos Valério em que afirma que o então presidente Lula se beneficiou do mensalão não só politicamente, mas também para pagamento de despesas pessoais no valor de R$ 100 mil. Esse valor deve ser meros centavos diante da imensa fortuna atribuída a Lula pela revista Forbes, informação reproduzida em quase todos os meios de comunicação livre do Brasil. Portanto, se investigar o assunto "a riqueza do Lula", o procedimento do MPF de Minas será o primeiro de uma infinidade.

JOSÉ FRANCISCO PERES FRANÇA

josefranciscof@uol.com.br

Espírito Santo do Pinhal

*

No banco dos réus

Finalmente resolveram iniciar a investigação contra Lula, em Minas Gerais. O MPF deu início ao processo investigando as declarações de Marcos Valério, que disse que Lula sabia e era o principal responsável pelo chamado mensalão. Demorou, todos sabíamos que Lula sabia (menos ele, que negava tudo). Espero que a imprensa continue acompanhando esse caso e que Lula vá para o banco dos réus, como merece.

CARLOS E. BARROS RODRIGUES

ceb.rodrigues@hotmail.com

São Paulo

*

Culpado ou inocente?

Diante das graves acusações de envolvimento de Lula no mensalão, uma pessoa inocente teria espontaneamente demandado tanto a investigação do caso como oferecido a quebra do sigilo bancário para comprovar sua inocência (quem não deve não teme!). Mas Lula, no começo, pediu desculpas públicas pelas atividades criminosas do alto escalão de seu partido, para depois dizer que não sabia de nada, era tudo mentira, "apenas" caixa 2... Essa conflitante reação do chefe maior do implicado PT faz duvidar de sua inocência e reforça a convicção da veracidade de seu envolvimento nessas delituosas atividades.

PABLO L. MAINZER

plmainzer@hotmail.com

São Paulo

Cartas selecionadas para o Fórum dos Leitores do portal estadao.com.br

POSITIVA LEI SECA

Primeiro teste da nova e rigorosa Lei Seca, em feriado prolongado como o do carnaval que se encerra, traz resultados auspiciosos pelo menos nas estradas paulistas. Número de acidentes, de 1.477, em 2012, para apenas 864, em 2013, ou 42% menor.  Vítimas não fatais, 472 pessoas, ou queda de 57,4%, com relação às 1.108, 12 meses atrás.  E de mortes nas estradas paulistas, redução de 13%. Ou seja, quando se cria uma nova lei bem estruturada e sem brechas para que os policiais que participam nas blitz não sejam contestados pelos possíveis infratores e seus respectivos advogados, como ocorria com a anterior, feita nas cochas pelo nosso inepto Parlamento, a probabilidade de sucesso é sempre maior. E graças também à grande divulgação da nossa imprensa alertando motoristas do rigor desta nova lei, que o resultado esta aí, com menor número de famílias chorando a perda de um ente querido.  Os cofres do INSS, mais protegidos com a drástica redução das vítimas não fatais também. E as seguradoras, felizes porque o número de acidentes com veículos se reduziu em 42%. Oxalá que os outros Estados da Federação também atuem com as suas polícias com o mesmo interesse e eficiência como ocorreu em São Paulo, mostrando números alentadores como os citados acima.  O que já dá para comemorar. E, principalmente, um alento aos motoristas que sempre dirigem com responsabilidade, porque, consolidando ou melhorando, como se espera, essa redução de acidentes, poderão dirigir seus veículos com mais tranquilidade, apesar das péssimas condições da maioria das estradas brasileiras.  

Paulo Panossian paulopanossian@hotmail.com
São Carlos

*
MENOS MORTES NAS ESTRADAS FEDERAIS

Se o índice de mortes nas estradas federais foi o menor em dez anos por causa da entrada em vigor de penas mais rígidas para infratores, imagine o que não aconteceria se tivéssemos penas mais rígidas para assassinatos, roubos, estupros, sequestros, etc. A bandalheira acontece quando não existem leis que punam e um Estado aparentemente omisso. Coloquem penas mais rígidas para a “segurança pública” que verão cair drasticamente os mais de 50 mil assassinatos anuais.  Se nos países do Primeiro Mundo existem penas rígidas, não foi porque são ruinzinhos, e sim porque já tiveram sua era de bangue-bangue como a que vivenciamos hoje, e punir com severidade é a única forma para segurar instintos assassinos. Está na hora de os nossos congressistas aprenderem que receberam mandato do povo para proteger a população de bem. Com o novo Código de Trânsito mais rígido, vimos os benefícios. Senhores deputados e senadores, menos férias, mais trabalho e leis mais rígidas!

Beatriz Campos beatriz.campos@uol.com.br 
São Paulo

*
ESTATÍSTICA CRIATIVA

Antes o governo federal nos apresentou a “contabilidade criativa” (ou seria manipulada?), em que os valores considerados investimentos eram inflados de forma a robustecer o superávit primário – uma invenção petista. Desta vez, o ministro da Justiça nos oferece a “estatística criativa”. Os números de acidentes e seus resultados desde sempre levaram em conta seus números absolutos – as comparações eram nominais, na forma mais singela. Agora, o governo petista mais uma vez investe na ignorância da opinião pública – a seu ver, manipulável, como seus números. O ministro, promotor de profissão, não se acanha de anunciar a redução dos números de acidentes e seus efeitos (mortos e feridos) tomando por base o aumento da frota de veículos – como disse: “por milhão de veículos licenciados”. Se levasse em conta o crescimento populacional ou os quilômetros rodados, talvez encontrasse números ainda mais favoráveis ao seu governo – ainda que não reproduzisse a precariedade das nossas estradas e a deficiência no policiamento e fiscalização dos motoristas. A prisão de 600 motoristas, durante o Reinado de Momo, não significa muita coisa – considerando os cinco dias e os 20 mil quilômetros de rodovias federais, se resume em pouco mais de 100 prisões por dia ou uma prisão a cada 320 quilômetros. Um pouco mais de uma prisão a cada viagem Rio-São Paulo. Se contarmos os agentes de serviço, dará uma prisão para cada grupo de 10 patrulheiros. Ainda é pouco!

Noel Gonçalves Cerqueira noelcerqueira@gmail.com 
Jacarezinho (PR)

*
EDUCAÇÃO E PREVENÇÃO

Lamentável que tenha triplicado o número de carteiras nacionais de habilitação (CNHs) apreendidas com o endurecimento da Lei Seca, no carnaval de 2013, em São Paulo. Cerca de 7.500 motoristas tiveram a sua carteira de habilitação apreendida, contra 2.500 em 2012, num aumento de 200% de apreensões. Qual o sentido de uma lei absurda como esta? Por que o Estado não investe em educação e prevenção e não restringe os horários das propagandas de cerveja na TV? Ao invés disso – que seria a coisa certa a ser feita, como ocorre na Europa, por exemplo –, é muito mais fácil aprovar uma lei dura, implacável e demagógica e punir de maneira desproporcional pessoas que não causaram danos a terceiros e que não fizeram nada de errado. O pior é que os verdadeiros infratores, que matam no trânsito mesmo sem terem bebido, continuarão livres e impunes, na total inversão de valores que impera no Brasil.

Renato Khair renatokhair@uol.com.br 
São Paulo

*
RESOLUÇÃO INCONSTITUCIONAL

O combate aos acidentes de trânsito em decorrência de alcoolismo no Brasil era impostergável, mas o sistema punitivo adotado, apregoado de tolerância zero, é simplesmente desastrado, sob o ângulo do direito. Entre outras anomalias, no campo do direito administrativo, na hipótese das constatações mais leves, só há uma penalidade, sem gradações, o que delira dos mais comezinhos princípios de ciência jurídica: multa de perto de R$ 2 mil e suspensão por um ano do direito de dirigir. Alguém que tenha resquício de álcool ingerido no dia anterior, depois de recompor-se e apresentar-se plenamente apto à condução de um veículo, poderá sofrer essa punição draconiana. E quanto tempo o condutor deve aguardar para voltar a dirigir, se a excreção da substância tóxica varia de pessoa para pessoa, sem mais nenhum reflexo sobre a conduta do motorista?  O sistema constitucional brasileiro foi visivelmente malbaratado pela apressada e pouco detalhada Resolução n.º 432/2013 do Departamento Nacional de Trânsito (Denatran), em face dos princípios constitucionais de razoabilidade e proporcionalidade. 
 
Amadeu R. Garrido de Paula amadeugarridoadv@uol.com.br 
São Paulo

*
TOLERÂNCIA ZERO NO BAFÔMETRO

Mesmo considerando necessário e um benefício para a população, não posso concordar com o nível do atual teste do bafômetro realizado nesta cidade. É simplesmente absurdo o nível do teor alcoólico utilizado, uma total falta de bom senso. Claro que o mesmo é essencial, mas deveria ter um pouco mais de lógica – uma avaliação do real teor (limite) deve ser reconsiderado. Além do mais, hoje estamos presos em nossa casa: preços absurdos nos restaurantes, a segurança...  são fatores proibitivos que fazem com que não saiamos de casa. Hoje pagamos impostos absurdos e somos penalizados por mais essa situação absurda. Estamos pagando cada vez mais caro para morar nessa capital que não nos oferece nenhum conforto, principalmente nós, aposentados.

Laert Pinto Barbosa laert_barbosa@ig.com.br
São Paulo

*
HIPOCRISIA

São pura hipocrisia os “comandos” das Polícias Militar e da Rodoviária em relação aos bêbados que perambulam por nossas avenidas e rodovias. No litoral norte de São Paulo, onde utilizo semanalmente do serviço de balsas entre São Sebastião e Ilha Bela, basta um pouco de boa vontade para apurar e comprovar o que informo. Mais da metade dos usuários com latas de cerveja nas mãos e o policiamento, bem... e o policiamento... e o policiamento...
  
Jose Roberto Marforio bobmarforio@gmail.com 
São Paulo

*
CUMPRIMENTO DE LEIS E CIVILIZAÇÃO

A notícia de que os bons resultados da Lei Seca no carnaval apontaram a diminuição de 25% de mortes por acidente em todo o País é emblemática. Urge, assim, que dita legislação continue a ser operacionalizada com rigor, para que possa também influenciar que apliquemos, igualmente, em nosso dia a dia, outras leis existentes no sentido de minorar as vulnerabilidades comportamentais que temos.

José de Anchieta Nobre de Almeida josedalmeida@globo.com 
Rio de Janeiro

*
SEGURANÇA

Após o luto nacional devido às mortes ocorridas na Boate Kiss, em Santa Maria (RS), comemoramos o fato de que “apenas” 157 pessoas perderam sua vida, em 3.149 acidentes com 1.793 feridos, nos seis dias de carnaval, isso somente nas rodovias de jurisdição da Polícia Rodoviária Federal (PRF). O total nacional é, portanto, maior. Triste sina a do brasileiro, que aceita essas barbaridades de forma tão natural. Quando essas tragédias vão acabar? Quando o brasileiro se conscientizará da importância da segurança, em todas as atividades de sua vida?
 
Denis Schaefer schaeferdenis@hotmail.com 
São Paulo 

*
PREVENÇÃO, DEVER DE TODOS

A Prefeitura de São Paulo, acertadamente, iniciou campanha pedindo à população que passe a fiscalizar a segurança oferecida pelos locais de reunião. Para complementar, seria importante a Prefeitura obrigar que sejam afixados na porta de entrada desses locais, para serem lidos na rua, a licença de funcionamento e o Auto de Vistoria do Corpo de Bombeiros (AVCB): então os frequentadores teriam condições de escolherem e fiscalizarem os locais que são seguros e os proprietários se preocuparão com a obtenção desses documentos, para não perderem os clientes. Isso já existe para a exibição dos preços dos pratos, nas portas dos restaurantes. A fiscalização do poder público é obrigatória, mas é evidente que a maior eficácia é quando todos se juntam nesse propósito. “Prevenir acidentes é dever de todos”, frase que líamos nos veículos de transporte públicos, sempre será fundamental para a segurança. 
 
Sergio Alvim alvimsergio@uol.com.br 
São Paulo

*
HADDAD AVISA

Quando for a alguma casa de espetáculo, teatro, cinema, bar, restaurante, shopping, loja, oficina, supermercado, grande magazine, farmácia, etc. Antes de se acomodar, faça uma vistoria no local, confirmando quantas e onde ficam as portas de emergência, examine a parte elétrica, iluminação, hidrantes, extintores, revestimento da parede, teto, piso, cortina e tudo mais que possa por em risco a sua vida e dos demais usuários. Qualquer anormalidade constatada, é só ligar para o telefone 156 e denunciar o problema encontrado para que o órgão competente possa se programar para uma vistoria profissional, para levantamento e autuar o local pela irregularidade, torcendo para que não ocorra nenhum sinistro nesse exato momento e dia, que lá estiver. Esse é o estilo PT de (des)governar, mas pelo menos o prefeito Fernando Haddad usa o bom senso e avisa... Essa gente sabe tudo, nós é que não sabemos nada! Afinal, pagamos caríssimos impostos para quê? Os funcionários públicos gabaritados dizem que trabalham muito, daí não sobra tempo para “ganharem dinheiro”, é i$$o aí... Assim não dá, assim não pode... Alguma dúvida? 
 
Maria Teresa Amaral mteresa0409@2me.com.br   
São Paulo
 
*
DE PETIÇÃO EM PETIÇÃO...

Se não conseguimos competir com a massa de manobra do PT nas ruas, nós vamos então, de petição em petição mostrar a esses políticos descarados a vontade que temos de limpar este país. Portanto, se 1 milhão e 500 mil assinaturas legalmente não pode arrancar o Renan da cadeira da presidência do Senado, pelo menos pode deixar bem clara a forma como o vemos: um corrupto de marca maior, e que tal como Sarney já está criando linhagem para a posteridade! Ou mudamos as regras deste jogo, ou eles nos engolem para todo o sempre!  Aliás, uma das maneiras será conseguirmos acabar de uma vez por todas com o voto secreto para as Câmaras em geral e para o senado em particular! Já tem uma petição neste sentido rolando na internet e está valerá tanto quanto a da lei da Ficha Limpa! Vamos nessa?

Mara Montezuma Assaf montezuma.scriba@gmail.com
São Paulo

*
A CULPA É DO RENAN

A ira dos politicamente corretos é uma praga que atrasa o Brasil. Só eles prestam. Estão a serviço da hipocrisia, da demagogia e da leviandade. Atrasam o pagamento do condomínio, furam filas, não respeitam as leis de trânsito, não recolhem a porcariada deixada nas ruas pelos seus animais de estimação, fumam em locais proibidos, cospem no chão, falam alto no cinema. Mas adoram patrulhar a vida alheia. Esquecem o próprio umbigo. Autênticos Santos de pau oco. Renan Calheiros é a bola da vez deste clubeco de pseudodonos da verdade. Não demora, vão culpar Renan por Caim matar Abel e também por Morena da novela Salve Jorge voltar para a Turquia. 
 
Vicente Limongi Netto limonginetto@hotmail.com 
Brasília

*
SOCIEDADE DE HIPÓCRITAS?

Engraçado, quando o sr. Renan era ministro da Justiça de FHC, do PSDB, nunca vi carta de leitor do jornal criticando o PSDB, partido hoje de oposição de incompetentes, corruptos e decrépitos. Se ele não fosse ministro e ainda mais da Justiça de FHC (já pensou?), teria se firmado para ser o nome hoje tão criticado que é? Estranho. Para não dizer suspeito. Tá, sei, se ele era do PSDB ele prestava, agora que está aliado com o PT, não? Santa ingenuidade. Sociedade brasileira de hipócritas?

Silas Correa Leite poesilas@terra.com.br 
Itararé

*
ÂNSIA DE PODER

Nem a imensa grana que foi gasta por Renan Calheiros para se esconder do mundo no Kurotel de Gramado foi suficiente para evitar o constrangimento a que ele foi submetido por outros hóspedes do hotel-spa, que o hostilizaram. Vai ser sempre assim, daqui para frente. Renan será vaiado, xingado, olhado com desprezo e, sem seguranças, corre até o risco de agressão física, se encontrar algum Yves Hublet pela frente. Será que a ânsia de poder compensa tudo isso?

Ronaldo Gomes Ferraz ronferraz@globo.com 
Rio de Janeiro   

*
SÓ NO BRASIL

O Brasil é realmente um país exótico, no bom e no mau sentidos. Infelizmente, o povo não lê as revistas do exterior, as que mostram melhor o País, pois são isentas de partidarismos – e fica claro o motivo de se criar um antiamericanismo descarado destes governos de esquerda, ao ler que existem juízes com contracheque mensal de US$ 370 mil, vereadores gastando R$ 200 mil com pessoal, a indecência que existe no Brasil do 13.º salário e, às vezes, para políticos, 14.º, férias de três meses remuneradas, viagens grátis, típicas de um país que nada em dinheiro. Mas sabemos o preço disso na comida, nas contas de água, luz, nos preços de tudo, não é à toa que se cultua no País um antiamericanismo, com figuras raposas da política pregando o antiamericanismo, e querendo retirar até as palavras em inglês, como os países furrecos comandado por ditadores que querem manter o povo desinformado, e com “bolsas miséria” são eternamente reeleitos, enquanto andamos para trás, sempre pagando contas e, salvo raros casos, normalmente com proteção política, vão para a frente. Que Deus nos liberte de tamanho roubo.
 
Roberto Moreira Da Silva rrobertoms@uol.com.br
São Paulo

*
INVESTIGAÇÃO OPORTUNA
 
A robusta denúncia de Marcos Valério contra Lula, mostrando o ex-presidente como partícipe do esquema do mensalão, já está nas mãos de um procurador de Justiça de Minas Gerais. Vamos aguardar com serenidade a investigação. Chegou a hora de se mostrar a verdade ao povo brasileiro. Muita água poderá rolar debaixo da ponte.
 
Francisco Zardetto fzardetto@uol.com.br 
São Paulo

*
AINDA SEM RESPOSTA

Como, certamente, não vou conseguir chegar perto do ex-presidente Lula para perguntar, peço que a imprensa cumpra o papel que se espera dela e pergunte ao sabonetão a respeito da amante que ele colocou para comandar uma quadrilha no escritório da Presidência da República em São Paulo e sobre as verbas do mensalão que cobriram despesas pessoais dele. Nem mais, nem menos, pelo que antecipadamente agradeço.

José Benedito Napoleone Silveira nenosilveira@aim.com 
Campinas

*
A VOZ DA CHAPA BRANCA

Segunda-feira (11/2) estava ouvindo meu radinho de pilhas, um hábito que ainda cultivo. Quando começou “A Voz do Brasil”, pensei em desligar, como milhões de brasileiros faziam na década de 1960, quando o rádio ainda imperava. Mas a curiosidade jornalística foi mais forte e fiquei ouvindo. Encerrando a parte do Poder Executivo, uma reportagem especial que começava com um baião (acho que de Luiz Gonzaga) cantando as glórias do Rio São Francisco. A reportagem era, claro, sobre as obras de transposição do rio. Quem ouviu e não sabe da verdade, está pensando até agora que aquilo é uma grande realização do governo Lula/Dilma, que está tudo certo, que tudo caminha conforme os cronogramas, que não há atraso algum, que não há corrupção alguma, que não há trechos prontos já estragados pelo atraso e abandono, que o preço inicial foi mantido, que não houve superfaturamento, que as empreiteiras estão fazendo tudo direitinho, que o povo está felicíssimo com as obras, que ela vai solucionar definitivamente o problema da seca para 12 milhões de pessoas e por aí vai. Terminada a reportagem me lembrei da enorme batalha que o PT promove contra a imprensa independente. Ali estava um exemplo cuspido e escarrado do que o PT quer como imprensa no Brasil. No lugar do Estadão, da Veja, da Folha e de todos os jornalistas independentes do Brasil, uma imprensa totalmente chapa branca, que esconde a verdade, camufla a realidade e maquia a sujeira enquanto gangues de políticos metem a mão no dinheiro público. 

Edmilson Siqueira edmilsonsiq@gmail.com 
Campinas 

*
ESTELIONATO NA SAÚDE
 
O crime de estelionato atenta contra o patrimônio. O estelionato é um crime que tem como característica a astúcia, o engodo e a picardia do delinquente, estando previsto no artigo 171 do Código Penal. Esse crime sujeita o infrator à pena de reclusão de um a cinco anos. A definição de saúde pela Organização Mundial da Saúde considera que se trata de estado de completo bem estar físico, mental e social e não apenas a ausência de doenças. Esta definição tem sido alvo de inúmeras críticas, pois definir a saúde como um estado de completo bem estar faz com que a saúde seja algo ideal, inatingível. Esta definição tem possibilitado ao Estado tratar a saúde como se fundamental e unicamente deva ser feita promoção de saúde deixando a parte curativa, preventiva e farmacêutica em segundo plano. Ocorre de maneira sistemática a desobediência da Constituição brasileira de 1988, que assegura a todas as pessoas o direito à saúde em todos os níveis, promoção, prevenção e curativa. Os médicos e entidades da saúde, Ministério Público, pacientes e seus familiares alertam sobre as más condições de trabalho, sobrecarga e péssimas remunerações para os profissionais da saúde, em especial aos médicos. A gestão da saúde impressiona pela negligência e incompetência, pois os gestores são indicações políticas, na maioria das vezes sem o conhecimento da área, compromissados apenas com a ideologia e ação partidária. A falta de bom senso e humildade faz com que não ouçam quem presta serviços na área e que conhecem os problemas de perto e poderiam apontar possíveis soluções. Esta má gestão da saúde em todos os níveis nos leva a certeza de que estamos próximos ao caos da assistência, em que poucos possuem ganhos significativos e a maioria, povo brasileiro e os médicos, são verdadeiros perdedores. Os profissionais da saúde, desolados e desamparados, abandonam consultórios, clínicas, ensino e a profissão por falta absoluta de condições de trabalho e ganhos insuficientes, procurando outra atividade laboral. Além disso, o atendimento médico, hoje, é uma atividade de alto risco devido a judicialização crescente e irreversível. A relação custo benefício e riscos da atividade médica promovem, de forma cada vez mais crescente, a desistência dos profissionais. Estamos assistindo ao resultado final dos maus tratos dispensados à saúde por políticas perversas e por gestores não comprometidos com a meta de qualificar cada vez mais o atendimento. Alguns procuram cargos administrativos com o objetivo cristalino de sair da linha de frente, que é o atendimento ao paciente, para o qual foi treinado num investimento de no mínimo 20 anos. Infelizmente nossa sociedade deve parar e repensar o que queremos na saúde e como queremos que seja gerenciada, se não mudarmos esta saúde eleitoreira que demonstra incompetência gerencial, veremos em breve o grande apagão da saúde no Brasil.
 
Ricardo Oliva Willhelm, médico willhelm@portoweb.com.br
Porto Alegre

*
OPERAÇÃO TAPA BURACO
 
Depois da Petrobrás, da maquiagem das contas e da inflação, vem o governo com mais uma para ajudar de vez a afundar o Brasil. Desta vez o povo não sentirá no bolso, mas sim na própria saúde. Agora querem modificar as regras do Revalida, o exame para habilitar médicos formados no exterior a exercerem a profissão no Brasil. Vão tornar as questões da prova mais fáceis, facilitando a entrada no mercado de profissionais menos preparados, para “tapar buracos” da falta de profissionais. Esta é a típica solução deste governo, que ao invés de investir na formação, na remuneração e nas condições de trabalho dos médicos, aposta no quanto pior melhor. 

Eduardo Biral elbiral@ig.com.br
São Paulo

*
IMPORTAÇÃO DE MÉDICOS 

Notícias na imprensa dão conta de que o governo federal – que aprovou corte de R$ 5,473 bilhões no orçamento da saúde em 2012 – estuda novamente uma maneira para afrouxar as exigências para a validação de diplomas de médicos aprovados em Cuba, Bolívia e Argentina, e somente 10% desses recém-formados passaram no exame de avaliação realizados no Brasil em dezembro 2012. É verdade é uma só, esses estudantes que foram estudar lá fora não foram por simples razões econômicas, como se apregoa, mas porque não estavam preparados para enfrentar os exames vestibulares aqui no País, e muitos deles tiveram amparo financeiro do Movimento dos Sem Terra (MST) – movimento revolucionário que o governo finge ignorar – para estudar em Cuba. O governo federal deve ouvir o Conselho Federal de Medicina (CFM) e os 27 conselhos regionais de medicina, que são contrários a essa aprovação automática, fazer uma melhora urgente na qualidade de nossas escolas de Medicina e ouvir a afirmação contundente do cardiologista e ex-ministro da Saúde Adib Jatene: “O Brasil precisa de mais médicos, mas não a qualquer custo”.

Edgard Gobbi edgardgobbi@gmail.com
Campinas

*
NÃO BASTA BOA INTENÇÃO

Um professor e uma faculdade de Medicina não são criados de um dia para outro. Além das necessidades básicas, comum a vários cursos, como sala de aula, laboratórios, há necessidade de um hospital escola e ambulatórios gerais e de especialidades, tendo como prioridade, além da óbvia assistência aos pacientes, o ensino e a prática clínica. Há necessidade de preceptoria contínua, presente, tanto no atendimento ambulatorial como e especialmente nas urgências e emergências. Haverá professores em número suficiente?

Luiz Nusbaum, médico lnusbaum@uol.com.br
São Paulo

*
QUERO MAIS SAÚDE

A tônica no País em relação a cursos universitários tem sido se o governo deve ou não validar diplomas de Medicina obtidos no exterior. Ora, num país em que a corrupção campeia, a meritocracia tem dado passagem a sistemas de cotas variados e ao apadrinhamento “descarado” e centenas de cursos formam milhares de profissionais sem a mínima capacidade, discutir se o ensino na Argentina, Cuba, Bolívia, Colômbia, etc. é legal não será suficiente, não resolverá o problema, tampouco corrigirá qualquer injustiça existente na educação, saúde, segurança, assistência social e sistema de transporte brasileiros. Todo mundo sabe, inclusive os políticos, que com exceção da prova da Ordem para os advogados, nenhum outro profissional é avaliado. Tal qual acontece entre eles, cujo mandato independe de Ficha Limpa ou qualquer outra forma de verificação dos mais capacitados. A competência lá, como nas universidades, nem sempre prevalece. Portanto, se o médico se formou aqui ou no exterior, enquanto não houver uma forma coerente e justa, só o tempo dirá. Até lá, vidas continuarão a ser perdidas. Lá e aqui.
 
João Direnna joao_direnna@hotmail.com 
Quissamã (RJ)

*
A RENÚNCIA DO PAPA

Já que o papa Bento XVI anunciou a sua renúncia, que tal se o Vaticano deixasse Jesus Cristo, finalmente, tomar a frente da Igreja Católica? Muito fausto e hipocrisia teriam de ser demovidos, mas, certamente, o despojado e amoroso carpinteiro galileu faria uma salutar revolução que anularia a iminente decadência de Roma. Deixa “o Homem-Deus” trabalhar!

Túllio Marco Soares Carvalho tulliocarvalho.advocacia@gmail.com 
Belo Horizonte 

*
DILMA E O PAPA

O ensurdecedor silêncio de Dilma Rousseff sobre a renúncia do papa é sintomático: aconteceu após a última reunião com Lula, e ela não sabe o que dizer... E o que “elle” diria?

Gilberto Dib gilberto@dib.com.br
São Paulo

*
CONTORNANDO
 
Se o papa, Bento XVI tivesse pedido conselhos ao Santo Ignácio de Garanhuns, talvez não precisasse renunciar, qualquer que tenha sido o motivo da renúncia.
 
Tanay Jim Bacellar tanay.jim@gmail.com 
São Caetano do Sul 

*
SEM GRANDES PREOCUPAÇÕES

A imprensa e a mídia mundial deram grande destaque à renúncia do papa. Na maior parte dos comentários, feitos por pessoas não católicas, salientam-se as prováveis causas e efeitos sempre ressaltando aspectos negativos. Especulações de toda ordem, uma achologia impressionante visando a denegrir a imagem desta que é a instituição mundial mais antiga e respeitada que existe. O sensacionalismo predomina, que é o que dá ibope, assim como nas novelas e nos noticiários criminais. Para os católicos, não há grandes preocupações, a não ser o fator surpresa, pois este é o segundo papa da história a renunciar e sabemos que o fundador dessa instituição foi o Homem de Nazaré, como cantava Antonio Marcos e esse Homem-Deus assegurou a seus discípulos que Ele estaria conosco até o fim dos tempos através da ação do Espírito Santo. A eleição do sucessor seguirá o ritual de sempre e temos certeza de que o eleito será o mais adequado ao momento atual.

Francisco Samuel Fiorese samucafiorese1@yahoo.com.br 
Campinas

*
A PORTA É ESTREITA

Para os que continuam dizendo que a Igreja Católica está perdendo fiéis porque não se moderniza, tenho duas notícias: uma boa e a outra ruim. A boa notícia para estas pessoas é que dos mais de 1 bilhão de fiéis católicos existentes no mundo de hoje pelo menos a metade é constituída de pessoas apenas batizadas que se assistem pelo menos à Santa Missa aos domingos, quando fisicamente fora da Igreja vivem como pagãos tíbios, como se Deus na realidade não existisse. Já a péssima notícia para os críticos da Igreja é que a outra metade dos católicos é constituída de fiéis fervorosos, que conhecem a doutrina cristã, têm fé, e cultivam uma vida de piedade verdadeira: participam da Santa Missa conscienciosamente, leem a Bíblia, rezam o terço diariamente, frequentam os sacramentos e procuram de fato viver os ensinamentos de Jesus Cristo. E, para estes cristãos fiéis, este negócio de modernizar a Igreja Católica com aprovação do aborto, aprovação do divórcio e do casamento entre pessoas do mesmo sexo é algo inadmissível. A porta é mesmo estreita e não há a mínima possibilidade de se crucificar Jesus Cristo pela segunda vez!  

Marisa Stucchi marisastucchi@hotmail.com 
Ribeirão Preto

*
PAPO FURADO

Não estou querendo defender a Igreja Católica nem o papa. Mas está claro que a renúncia do papa Bento XVI foi resultado de pressão política. Porque tenho certeza de que nos bastidores da Igreja existe um forte esquema político para eleger bispos, arcebispos e cardeais, além do papa. Esse papo de falta de saúde é conversa fiada. Ele não é tão velho assim.

Daniel de Melo Costa danielmcdf@yahoo.com.br 
Brasília

*
LOBOS E CORDEIROS

Só Deus sabe o sofrimento enfrentado por Sua Santidade o papa Bento XVI dentro do Vaticano. Arrumaram para ele todo tipo de doenças, acidentes vasculares, quando na realidade o que vemos agora segundo ele mesmo é a “hipocrisia religiosa” dentro do Vaticano, e diz que a divisão do clero desfigura a Igreja fundada por Simao Pedro. No seu tempo, Jesus um dia expulsou todos os vendilhões do templo que se aproveitavam da igreja em benefício próprio. O que vemos hoje no Vaticano são também os vendilhões que usam a igreja e atormentaram Sua Santidade para tomarem o poder e sua renúncia. Como católico, estou triste pela forma como agiram os lobos vestidos de cordeiros e oportunistas de plantão.

Jose Pedro Naisser jpnaisser@hotmail.com 
Curitiba

*
RATZINGER X RENAN

O papa Bento XVI afastou-se voluntariamente do comando do catolicismo, segundo suas próprias palavras, “para o bem da igreja”, o que quer que isso signifique. O nosso Renan Calheiros, eleito pelos seus comparsas para a presidência do Senado, contrariando o clamor público manifestado em maciça votação pelas redes sociais, naturalmente não pretende entregar o cargo voluntariamente, “para o mal do Brasil”, o que toda a sociedade consciente sabe o que significa.

Paulo Roberto Gotaç prgotac@hotmail.com
Rio de Janeiro   

*
PAPA PARALELO

Corre em Roma o boato de que o local para onde Bento XVI pretende retirar-se é na verdade Avignon.

Luiz Henrique Penchiari luiz_penchiari@hotmail.com 
Vinhedo

*
O CELIBATO
 
Quando sabemos que desde Jesus Cristo (que foi rabino), para ser rabino era um condição sine qua non ser casado, o papa que acaba de renunciar dá provas do tanto de retrógrado que ele era, ao não aceitar o fim do celibato. Será que o celibato não incentiva termos tantos padres pedófilos? Além da doutrina professada pelo Vaticano, existe alguma outra religião que proíba o casamento de seus pregadores?
 
Iracema Palombello cepalombello@yahoo.com.br 
Bragança Paulista 

*
O MASSACRE NA SÍRIA

É impressionante a passividade da comunidade internacional em face do massacre em massa da população civil na Síria. O ditador Bashar-al Assad está no poder há 12 anos sucedendo seu pai, Hafez, que por sua vez comandou o país com mãos de ferro por 30 anos. A China e a Rússia, que têm o poder de veto no Conselho de Segurança da ONU, se opõem a uma intervenção armada para resolver o conflito que vem matando milhares de pessoas, chegando a mais de 16 mil vítimas. O ex-secretário-geral da ONU Kofi Annan foi enviado à Síria para tentar uma solução diplomática que evitasse mais derramamento de sangue com a saída de Bashar-al Assad do poder. A posição da Rússia, contrária a uma intervenção militar, é explicada por razões econômicas, ou seja, é uma grande fornecedora de armas a Damasco, onde também mantém um porto militar. Por outro lado, espera-se que o Brasil determine o retorno de seu embaixador, para que não fique conivente com este estado de coisas que envergonha o mundo civilizado. Não podemos continuar indiferentes ao sofrimento do povo sírio.

Marcos Tito marcostitoadvogados@gmail.com 
Belo Horizonte

*
MANIFESTEM-SE!
 
Síria: em 23 meses, cerca de 70 mil assassinatos (a maioria civis) e quase 1 milhão de refugiados. ONU, onde está você? Mundo, apareça!
 
Mauro Wainstock mauro.wainstock@gmail.com 
Rio de Janeiro

*
A AMEAÇA DA COREIA DO NORTE

Por que o ódio do coreano do norte está sempre voltado para os EUA, acusados, entre outras coisas, de terrorismo de Estado? Só o Conselho de Segurança das Nações Unidas não quer enxergar que, atrás de toda essa encenação nuclear ridícula, esta a China, interessada em manter os americanos sob tensão. Sem a cumplicidade camuflada do seu gigantesco vizinho de muro (com apenas 1.416 km de comprimento), jamais os coreanos do norte teriam condições de desenvolver tecnologia para explodir artefatos nucleares de qualquer espécie. 

Sergio s. de Oliveira ssoliveira@netsite.com.br 
Monte Santo de Minas (MG)

*
‘A PROVOCAÇÃO DE PYONGYANG’

Estamos apenas no cinismo da pajelança feudal da Idade Média que ainda governa o mundo. Quem alimenta os militares e o povo da Coreia do Norte comunista, que tem direitos, mas não dever algum para com ninguém? Quem fornece tecnologia e recursos para os imbecis se armarem belicamente? E se ficam com o papo furado de “ameaça aqui ou ali”? Será que somos todos imbecis de acreditar nesse cinismo de pajelança mentirosa? E qual é a finalidade da Coreia do Norte ter bombas atômicas? Para expor em alguma vitrine do mundo, como seria a ideia do Irã? Somos todos imbecis mesmo? Qual seria o risco maior para o mundo, armar os imbecis comunistas da Coreia do Norte ou os japoneses, diretamente na mira dos mísseis coreanos, algo parecido como Israel no Oriente Médio? Que tal cada um estar moralmente equipado para enfrentar seus vizinhos idiotas e que resolvam suas pendências “familiares”? E alguém acredita que a China comunista não está por trás dessas experiências idiotas da Coreia? O problema é que a China está atolada até ao pescoço no capitalismo selvagem do século 19, e não pegaria bem estourar bombas na própria China. Será que somos mesmo idiotas? Que tal o sr. Obama deixar de ser burro, e apoiar claramente seus aliados em áreas de interesse estratégico, como são o leste asiático, o Oriente Médio e o próprio Oceano Atlântico, e deixar que as briguinhas familiares sejam resolvidas entre as famílias mesmo? Por acaso o idiota Pyongyang está ameaçando os EUA, como o outro idiota Ahmadinejad? Ou estão ameaçando respectivamente o Japão e a Coreia do Sul, e Israel? E por que não se dá oportunidade para os próprios ameaçados resolvam suas questões? Vai complicar os outros países comunistas? E por que não complicar mesmo? Imaginem se um  Lincoln ou um Kennedy estivessem hoje de fato governando os EUA, os americanos estão se perdendo com os maritacas, como o Brasil da era Lula!
 
Ariovaldo Batista arioba06@hotomail.com 
São Bernardo do Campo

Mais conteúdo sobre:
Fórum dos Leitores

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.