Inadimplência das empresas está em queda

Fatores como aumento nas receitas, inflação sob controle e cenário de juros em queda têm auxiliado a amenização dos fluxos de inadimplência

O Estado de S.Paulo

28 Outubro 2018 | 05h32

Um indicador relevante da recuperação da economia acaba de ser divulgado pelo Serviço Central da Proteção ao Crédito (SCPC), da Boa Vista: a inadimplência das empresas em todo o País caiu 1,8% no terceiro trimestre deste ano, em relação ao trimestre anterior, e ficou 2,2% abaixo do índice registrado um ano antes. Outros dados já vêm mostrando o aquecimento da atividade econômica, embora de forma ainda tímida e gradativa. Diversos números relativos ao mês de setembro são melhores do que aqueles que vinham sendo registrados na série histórica. A produção industrial, por exemplo, cresceu 0,2% em relação a agosto, o melhor resultado para o mês desde 2013, segundo o IBGE; as vendas do varejo tiveram avanço de 0,5% em todo o País, sempre em comparação com o mês anterior, e houve uma reação do setor de serviços, que proporcionou a maior parcela (60.961) dos 137.336 empregos formais gerados no mês.

No cômputo dos quatro trimestres acumulados até setembro, a proporção é ainda mais animadora. A inadimplência empresarial no período diminuiu 13,1% (14,1% no acumulado deste ano), incluindo cheques devolvidos, títulos protestados e registros de débitos na base do SCPC. Fatores como aumento nas receitas, inflação sob controle e cenário de juros em queda têm auxiliado a amenização dos fluxos de inadimplência.

As empresas vinham se ressentindo da falta de crédito em vista dos critérios mais rígidos adotados pelos bancos, mas essa situação vem mudando à medida que se reduz a inadimplência. Há pouco o Relatório de Inflação do Banco Central aumentou de 3% para 4% sua projeção para a expansão do crédito pelo sistema financeiro neste ano. Foi a consequência de um pequeno, mas significativo, aumento da demanda por financiamento. De fato, em contraste com o que se verificou ao longo de 2017, a demanda do consumidor por crédito teve uma alta de 1,9% em setembro em comparação com o mês anterior. No acumulado deste ano, o crescimento é de 2,3% e, em relação a setembro de 2017, alcança 6,5%, segundo o SCPC.

O progressivo aumento da confiança do consumidor deve elevar mais a demanda em geral com o pagamento do décimo terceiro salário e a proximidade das festas de fim de ano. Não se espera nada espetacular, mas há bons sinais no horizonte.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.