O impacto do novo recorde da produção agrícola

.

O Estado de S.Paulo

12 Março 2017 | 06h43

A nova estimativa da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) para a produção de grãos na safra 2016/17 confirma que o setor agrícola dará expressiva contribuição para a recuperação da economia brasileira neste ano.

No ano passado, por causa das condições climáticas desfavoráveis, o setor encolheu 6,6% (o PIB brasileiro teve queda de 3,6%), mas o quadro atual é completamente diferente. Com a recuperação da produtividade, o aumento da área plantada e a ajuda do clima, a produção brasileira de grãos nesta safra, em fase de colheita, deverá alcançar, segundo a Conab, o recorde de 222,91 milhões de toneladas, o que corresponde a um aumento de 19,5% em relação à safra anterior, de 186,6 milhões de toneladas. Em relação à estimativa anterior anunciada em fevereiro (de 219,14 milhões de toneladas), o aumento é de 1,7%.

Na sexta estimativa para a safra 2017/17, a Conab prevê aumento de 2,8% na área plantada, que pode chegar a 60 milhões de hectares, com a inclusão das culturas de segunda safra. A produção de soja deve crescer 12,8%, alcançando 107,6 milhões de toneladas; a de milho, somadas as duas colheitas, está prevista em 89 milhões de toneladas, aumento de 33,7% em relação à safra anterior; a de arroz deve crescer 12,9%, atingindo 11,97 milhões de toneladas; e a de feijão, somadas as três safras, pode crescer 30,3%, alcançando 3,27 milhões de toneladas.

Também o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) prevê grande aumento da safra de grãos. Utilizando outra metodologia, o IBGE estima um aumento de 21,8% em relação à safra anterior.

O gerente da Coordenação de Agropecuária do IBGE, Carlos Alberto Guedes, considera este um momento importante para o desempenho da economia brasileira, pois a safra recorde mais do que compensará o fraco desempenho do setor agrícola no ano passado. Em 2016, o PIB da agropecuária apresentou o pior resultado entre todos os setores da economia.

Embora seu peso na formação do PIB brasileiro seja relativamente pequeno, o setor agrícola movimenta uma cadeia ampla. Além disso, com sua produção, mesmo com a oscilação registrada no ano passado, tem evitado que a crise afete mais duramente a mesa do brasileiro, mesmo aquele acossado pelo desemprego ou pela perda de renda.

Mais conteúdo sobre:
ConabPIBIbge

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.