Fórum dos Leitores

Cartas de leitores selecionadas pelo jornal O Estado de S. Paulo

Fórum dos Leitores, O Estado de S.Paulo

25 de abril de 2021 | 03h00

Desgoverno Bolsonaro

Orçamento vergonhoso

Nesta tarde de sexta-feira a mídia nos informou de algo lamentável, que foi o governo fechar um Orçamento federal do qual foram cortados cerca de R$ 2,2 bilhões da Saúde e R$ 1,2 bilhão da Educação. Esse corte nas verbas certamente será para promoção pessoal de políticos em seus redutos, com promessas de uso em obras que é difícil de acompanhar. Se já é absurdo tirar dinheiro da Educação, pior ainda é tirá-lo da Saúde, que já sofre sem recursos suficientes para atender Estados e municípios, que mendigam algum dinheiro para compra de vários insumos para combater a pandemia, que já matou quase 400 mil brasileiros. Além desses dois ministérios, o governo também cancelou a execução do censo programado para este ano. O governo ignora que investimentos são feitos com base em dados atualizados do País? Nenhum grupo financeiro joga seu capital no escuro.

LAERCIO ZANINI SPETTRO@UOL.COM.BR

GARÇA

*

Conta-gotas

O Ministério da Economia limita verba para kits intubação e vacinas. E ainda quer fazer repasses a conta-gotas. É Paulo Guedes seguindo a cartilha de Bolsonaro. Por culpa deles estamos chegando a 400 mil óbitos.

MARCOS BARBOSA MICABARBOSA@GMAIL.COM

CASA BRANCA

*

De dignidade

Luiza Trajano afirma que é o emprego que vai dar dignidade às pessoas. No meu entender, a casa própria e decente (não um barraco) é a base da dignidade. Um programa sério e intenso de construção de casas com financiamento de longo prazo seria capaz de gerar milhões de empregos e, consequentemente, estimular o consumo. Erradicar as favelas é tarefa urgente.

VICTOR HUGO ISOLDI DE MELLO CASTANHO VICTORHCASTANHO@UOL.COM.BR

SÃO PAULO

*

Corrupção

Suprema confusão

Por várias vezes o julgamento do ex-presidente Lula da Silva passou pelo Supremo Tribunal Federal (STF). Numa dessas ocasiões o tribunal decidiu pela prisão em segunda instância. Assim sendo, ele foi preso. Meses depois, o mesmo tribunal decidiu que a prisão em segunda instância é inconstitucional e o ex-presidente foi libertado. Agora, passados dois ou três anos, nova decisão: o processo é cancelado por foro inadequado. O Brasil vai pagar pela suprema confusão, que pode levar-nos a ter de escolher entre Lula e Bolsonaro – o que vai nos confundir nos próximos anos.

CARLOS VIACAVA CV@CARLOSVIACAVA.COM.BR

SÃO PAULO

*

Para sempre

O foro não era competente e o juiz foi parcial... Podem muito, mas não podem apagar a História.

A. FERNANDES STANDYBALL@HOTMAIL.COM

SÃO PAULO

*

Operação Lava Jato

Parcialidade de Sergio Moro? Pode até ser. Mas trouxe a público verdades e fatos que chocaram o País. Apesar da intervenção muito “oportuna” do STF, a Lava Jato será lembrada para sempre pelos cidadãos de bem como os dias de Primeiro Mundo que nosso país viveu. Que os culpados sejam, sim, responsabilizados. Mas, por favor, poupem-nos dessa filosofia primária e tosca de apontar supostos crimes alheios para justificar os próprios, porque um erro não justifica outro.

VERA BERTOLUCCI VERAVAILATI@UOL.COM.BR

SÃO PAULO

*

Suprema justiça

O juiz ou os juízes que vierem a receber os processos de Lula da Silva deveriam, para evitar perda de tempo e desperdício de verbas públicas, considerar-se incompetentes, em função do princípio da territorialidade, ou suspeitos, por entenderem de antemão, diante das irrefutáveis provas produzidas, que o réu, de fato, é culpado. E se a prescrição não ocorrer antes, a decisão do Supremo já é por demais conhecida.

LAIRTON COSTA LAIRTON.COSTA@YAHOO.COM

SÃO PAULO

*

Parabéns

Fazendo minhas contas, os processos contra o ex-presidente Lula deverão transitar em julgado quando ele estiver comemorando seu 118.º aniversário.

LUIZ FRID FRIDLUIZ@GMAIL.COM

SÃO PAULO

*

Pajelança jurídica

É, após muitas preces, magia negra, escabrosas mutretas e engodos de toda sorte, os minuciosos, impecáveis e bem urdidos processos que pesam sobre os ombros de Lula da Silva finalmente saíram da alçada de Curitiba – leia-se Operação Lava Jato. E já devem estar seguros em supremas e invioláveis gavetas lá de Brasília, onde dormirão em paz para todo o sempre.

ELEONOR SAMARA MELISALF3175@GMAIL.COM

SÃO PAULO

*

Bom enquanto durou

Dia sim e outro também, sentenças e condenações imputadas a incontáveis tubarões da corrupção vão sendo anuladas pelas altas esferas do Judiciário, causando perplexidade e repulsa a significativa parcela da população brasileira, que um dia sonhou com o fim da corrupção no País graças ao incansável e profícuo trabalho da festejada Operação Lava Jato. Profundamente lamentável.

JOSÉ MARQUES MARILISA.AMARAL2020@BOL.COM.BR

SÃO PAULO

*

Sonho meu

Estamos numa época de reversão de valores: herói é tachado de bandido e bandido, inocentado. Apesar dos pesares, no entanto, ainda não desisti de ver o Brasil que sonhamos.

HUMBERTO SCHUWARTZ SOARES SOARES@UOL.COM.BR

VILA VELHA (ES)

*

Ditadura da toga

Depois das últimas decisões do STF, nada mais oportuno que lembrar as palavras do grande Ruy Barbosa: “A pior ditadura é a ditadura do Poder Judiciário. Contra ela não há a quem recorrer”. Sábias palavras do maior advogado brasileiro.

CARLOS ALBERTO DABUS MALUF CARLOSALBERTODABUSMALUF@GMAIL.COM

SÃO PAULO

*

Cartas selecionadas para o Fórum dos Leitores do portal estadao.com.br

DIA DO PLANETA TERRA – 22 DE ABRIL

No meio das dores do mundo causadas pela covid-19, ele também nos pede ajuda, continua nos fornecendo água, alimentos, energia, oxigênio natural e o habitat.

O que você tem feito para ajudar e qual o seu grau de gratidão e empatia por todos os serviços ambientais que tem recebido dele?

Os governantes se propõem a iniciar a redução dos gases do efeito estufa até 2030. Lamentavelmente o Brasil contribui com a degradação da Floresta Amazônica com incêndios criminosos e a ganância pela exploração do maldito ouro com a utilização do mercúrio, que polui e mata nossos rios.

Não podemos esperar 2030, ajudem, reciclem suas embalagens, evitem o desperdício de água, plantem uma árvore, mas cuide dela, é a maior arma contra a poluição atmosférica, com isso você estará fazendo sua parte.

É a nossa mensagem.

José Pedro Naisser jpnaisser@hotmail.com

Curitiba

*

UM MUNDO INFELIZ

A humanidade é um balaio de gente problemática desde que desceram das árvores, segundo a evolução, ou desde que foram expulsos do Jardim do Éden, segundo a Bíblia. Mas nunca foram tão infelizes como nos últimos 200 anos de pós-industrialização do mundo, em que todos viraram peças de uma enlouquecida máquina de consumo contínuo. Alcoolismo, fumo, drogas, remédios, vícios, fuga da realidade, via mundo mágico, fantasias religiosas, fanatismos políticos e místicos, seitas ideológicas e mil formas de se aglomerar em bolhas de seres órfãos de ideias próprias, num planeta de medíocres assustados. Um mundo terrivelmente alienado de si mesmo, em busca do nada.  

Paulo Sergio Arisi paulo.arisi@gmail.com

Porto Alegre

*

O BRASIL DEVERIA PRIVATIZAR A AMAZÔNIA       

É grande o interesse dos países ricos na Floresta Amazônica, o Brasil deveria colocar na mesa de negociações a possibilidade de vender parte da Amazônia para os países interessados. O País poderia tranquilamente vender 2 milhões ou 3 milhões de quilômetros quadrados da Amazônia, um pedaço da calha norte, o valor do negócio certamente seria na casa dos trilhões de dólares, dinheiro suficiente para tirar o Brasil do terceiro mundo em grande estilo. A nova Amazônia seria administrada pelas nações envolvidas na compra, poderia ter uma governança como no continente Antártico, o Brasil teria assento no conselho administrativo e poder de veto em questões sensíveis. Se alguém tiver uma ideia melhor para injetar alguns trilhões de dólares no País, a curto prazo, que apresente.

Mário Barilá Filho mariobarila@yahoo.com.br

São Paulo

*

FALTA DE SENSO

Após 11 anos da realização do último Censo Demográfico no País, o cancelamento do importantíssimo evento neste ano é prova cabal da falta de senso do negacionista desgoverno Bolsonaro. Como se sabe, os prejuízos vão desde dados imprecisos sobre o mercado de trabalho até dificuldades na realização de amostras para a condução de pesquisas eleitorais, entre outros igualmente importantes.

Pobre Brasil...


J. S. Decol decoljs@gmail.com

São Paulo

*

CANCELAMENTO DO CENSO

Com medidas como essa, o  Brasil vem andando cada vez mais para trás. Vergonhoso!


Robert Haller robelisa1@terra.com.br

São Paulo


*

APAGÃO ESTATÍSTICO


Cancelaram o Censo por falta de dinheiro. Tá. Temos um apagão na cultura, um apagão na educação, um apagão no meio ambiente e agora um apagão na estatística. Num governo sem senso do ridículo, o bom senso se foi.


Elisabeth Migliavacca

São Paulo


*

HABEAS CORPUS

O artigo Anatomia do habeas corpus, por Almir Pazzianotto (Estadão 24/4 - A-2), é perfeito, retrata uma decisão que envergonha o mundo jurídico nacional. A resposta do leitor, pergunta ao final: sinto-me envergonhado com a decisão que atende um “paciente” que sempre agiu para se locupletar da função pública em razão do populismo que exerce e diante da atual má gestão do País, a qual assistimos com agonia e ânsia de mudança.


Edmar Augusto Monteiro eamonteiroea@hotmail.com

São Paulo


*


BRASIL, VULGO LISARB


Demorou um pouco, mas o STF chegou lá, a tempo para reconhecer  Lula como o político mais honesto do País e futuro presidente da República. Falta apenas definir a pena para o ex-juiz Sérgio Moro. No governo petista que ele comandou diretamente durante 8 anos e mais 2,5 anos de forma indireta, foi montado e operado um sistema de corrupção de tamanho jamais visto no País com prejuízos de bilhões de reais, mas o STF o considerou inocente e quem o condenou antes, o ex-juiz Moro, foi declarado culpado  pelos togas pretas. Por que isso aconteceu? Neste país tudo é ao contrário e deveria ser conhecido como Lisarb, não Brasil.


Laércio   Zanini spettro@uol.com.br

São Paulo


*

Ê, Ô, Ô, VIDA DE GADO ?


Não bastasse enfrentar esses conturbados  tempos de pandemia que assolam a todos, os cidadãos de bem, que certamente são a maioria esmagadora deste país, ainda se deparam quase que diariamente com as mais equivocadas e estapafúrdias   decisões jurídicas   tomadas no âmbito das  altas  esferas do Poder Judiciário. É preciso que haja um urgente  e veemente protesto por parte da população no sentido de pôr um fim a esse estado de coisas. Só para dizer o mínimo!



José Marques seuqrma993@gmail.com

São Paulo


*


SIEG HEIL STF

No julgamento sobre a parcialidade do juiz Moro, após o voto do ministro Barroso, o presidente do STF, Luiz Fux, foi novamente atropelado pelo parcial ministro Lewandowski, exigindo antecipar o voto. Imediatamente a ministra Cármen Lúcia, envergonhada com os votos contraditórios proferidos sob idênticas condições, quis logo terminar seu suplício moral, insistindo em proferir o voto. Aproveitando o momento, o ministro Gilmar Mendes mais uma vez exerceu sua propensão a dono e senhor do STF, o que inclui destratar colegas e réus com palavras e gritos, discutindo com o Barroso que havia exposto as incoerências de suas votações anteriores. Ao seu gosto, só faltou bradar sieg heil, apontando para o além. E assim segue o Supremo, ao qual somos todos subordinados, ditando o modo como deve caminhar o País.

Alberto Mac Dowell de Figueiredo amdfigueiredo@terra.com.br

São Carlos

*

DECISÕES DO SUPREMO


O Supremo Tribunal Federal julgou definitivamente na tarde de quinta-feira, dia 22, o parecer do ministro Edson Fachin que anulou as sentenças do ex-juiz Sergio Moro quanto a Lula e remeteu o processo para o Tribunal Regional Federal de Brasília. Assim sendo, o STF, ao contrário do que foi publicado, não concluiu o julgamento no que se refere à parcialidade do ex-ministro da Justiça. Existe, de fato, maioria para este desfecho. Mas o ministro Marco Aurélio Mello pediu vista do processo, adiando a decisão a respeito dele para uma data ainda a ser determinada pelo ministro Luiz Fux, presidente da Corte Suprema. Não se pode adotar qualquer medida sobre o que deixou de existir. Se uma matéria foi anulada, ela não pode ser objeto de qualquer exame pela justiça do país


Marcelo Copelli copelli@gmail.com


*

EMPURRANDO ILÍCITOS

No Brasil, definitivamente, o crime compensa. O esgarçamento do tecido moral chegou a tal ordem que não mais empurram ilícitos para debaixo do tapete; agora os empurram para debaixo da toga...


Ademir Fernandes standyball@hotmail.com

São Paulo

*

ATENÇÃO STE

O sr. Luiz Inácio Lula da Silva está usando a máquina do governo federal para fazer sua campanha para presidente em 2022, e o seu maior marqueteiro trabalha no Palácio do Planalto e o seu nome é Jair Messias Bolsonaro. Fiquem atentos.

Hilo de Moraes Ferrari hiloferrari@hotmail.com

São Paulo

*

VACINAS


Bolsonaro vetou R$ 200 milhões para desenvolvimento de vacina 100% brasileira, após mais de 400 mil mortes, por culpa sua e de seu negacionismo. Não é possível que este ser inescrupuloso continue à frente de nosso país.

Marcos Barbosa micabarbosa@gmail.com

Casa Branca


*


RELATOR DA CPI DA PANDEMIA


Em decisão lamentável o STF julgou (já são 7 votos) suspeito o ex-Juiz Sérgio Moro no processo que condenou o maior corrupto deste País. Como a Corte tem agido “de ofício” em outras ocasiões, não seria o caso de declarar suspeito, liminarmente, porque ainda não está escolhido, o senador Renan Calheiros para ser Relator em CPI que fiscalizará seu próprio filho?

Seria uma espécie de “habeas corpus” preventivo a favor da sociedade!

É só uma dúvida que tenho. 


Ari Braga Pacheco Filho ary.pacheco.filho@gmail.com

Brasília

*


PROTEÇÃO


Parece que entrou em campo a tropa de choque do presidente Bolsonaro para tirá-lo do alvo da CPI da Pandemia. Acho que fica mais fácil e menos dolorida a renúncia.


Luiz Frid fridluiz@gmail.com

São Paulo


*


A CPI VAI INVESTIGAR?

Uma CPI vem aí. Ela vai de fato investigar os abusos cometidos durante a pandemia? Será preciso ir ao começo. Quando estourou essa praga por aqui, não tínhamos máscaras, nem álcool em gel, que foi inclusive falsificado, os hospitais de campanha foram superfaturados, assim como a compra de respiradores. Mas, como desgraça pouca é bobagem, ainda faltou oxigênio e pessoal para trabalhar na linha de frente da saúde, pois quanto mais a pandemia demora para ir embora, mais afunda a economia. Aos governos estaduais e prefeituras coube a tarefa de gerir essa pandemia, decidida pelo STF. Cada um a seu modo tomou medidas que quebraram os Estados. Fecharam escolas, bares, restaurantes, lojas e comércio em geral, incluindo shoppings, o que gerou desemprego em massa. Nos transportes públicos pode haver aglomeração. O vírus não usa transporte público? Em nome do distanciamento, como entender essa regra obtusa, que pode quebrar comerciantes sem prejuízo da arrecadação nos transportes?

Izabel Avallone izabelavallone@gmail.com

São Paulo

*

PRIVATIZAÇÃO DOS CORREIOS


Privatização dos Correios??? Já era. Quem vai comprar este elefante branco? Carta e telegrama são coisas ultrapassadas. Mercadorias já não são mais postadas nos correios, pois as empresas cansaram das greves dos carteiros e atrasos nas entregas de suas mercadorias. As empresas se utilizam de meios próprios para as entregas de suas mercadorias. Enfim, vamos nós bancar este elefante branco e continuar pagando em dia os salários dos carteiros, que mesmo com pouco serviço não conseguem entregar o meu boleto da Unimed antes do vencimento. E também vamos continuar pagando o salário do ministro da Ciência e Comunicação, Marcos Pontes, que está no mundo da lua.

 

Maria Carmen Del Bel Tunes carmen_tunes@yahoo.com.br

Americana


*








 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.